GD Autor(a)(s) Instituição Orientador(a) TÍTULO DO TRABALHO RESUMO
A caoticidade urbana: no que
isso infere?
Vanessa Crist...
As problemáticas dos Ensinos João Paulo de Assis
UEM- universidade
estadual de Maringá
Fagner Carniel
Entre a promessa e a...
Políticas Educacionais YURI MIGUEL MACEDO
Universidade Federal
Fluminense - Pólo
Universitário Campos
dos Goytacazes
A ass...
Exclusão social,
marginalização e
estigmatização I
Joselene Ieda dos Santos
Lopes de Carvalho
Universidade Estadual
do Oes...
Genero, Afetividade e
Sexualidade
Sandra Mara Pereira dos
Santos
Doutoranda em
Ciências Sociais, com
ênfase em
Antropologi...
Métodos, Experiencias e
Ferramentas Pedagógicas
Antônio Charles Santiago
Acássio Kulka
André Luiz Tedesco Viana
Carlos Edu...
Paradigmas da Universalidade
Moderna
Bruno Guilherme
Hatschebach e Anderson
Antônio Paisca
Bruno G.
Hatschebach:
graduando...
Temáticas da Realidade
Contemporanea
Ronaldo Silva
Universidade Federal
da Integração Latino-
Americana –
Graduando em
Rel...
Território, Economia e
Cidadania
Higo Gabriel Santos Alves
Universidade Federal
dos Vales do
Jequitinhonha e
Mucuri
Profª ...
Metabolismo Social Latino-
Americano: contradições e
prospectivas
Gabriela Mosquera Ospina
Universidade de
Brasília
Formas...
Trabalhos - Grupos de Discussão
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalhos - Grupos de Discussão

1.050 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.050
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
481
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalhos - Grupos de Discussão

  1. 1. GD Autor(a)(s) Instituição Orientador(a) TÍTULO DO TRABALHO RESUMO A caoticidade urbana: no que isso infere? Vanessa Cristhina Zorek Daniel Unioeste Diana Araujo Pereira Classificação socioeconômica de indigência a pobreza: Análise comparativa entre recicladores em Homens de Papel e COAAFI Este trabalho foi desenvolvido a partir de dois objetos de estudo, o primeiro é o texto dramático de Plínio Marcos, Homens de papel, o dramaturgo é representante do Teatro do Oprimido, a obra selecionada relata a vida de um grupo de catadores de papel que viviam no Estado de São Paulo na década de 60, entende-se a arte como uma forma de representação do social e do real, nesta perspectiva utilizar-se-á esta obra como um relato histórico social. O segundo objeto de estudo é a entrevista feita no ano de 2011 com os agentes ambientais na cidade de Foz do Iguaçu associados, a COAFFI (Associação de Recicladores de Foz do Iguaçu). A partir dos objetos selecionados é traçado entre eles uma linha comparativa em relação ao modo de vida, nível de consumo e moradia apresentadas pelso personagens, do real e do ficcional. Um dos objetivos principais desta pesquisa é entender se houve alguma mudança significativa na vida dos recicladores, ao longo das décadas que os separam. A caoticidade urbana: no que isso infere? Danilo George Ribeiro Unioeste-campus toledo Eric Cardin MetamorFOZes Na cidade A pesquisa de mestrado que está sendo desenvolvida, visa discutir aspectos da favelização e dos conflitos sociais em torno do espaço urbano na cidade de Foz do Iguaçu /PR. E enfocará especialmente a estruturação, organização e criação do Cidade nova, loteamento popular construído no ano de 1997, formado a partir de um projeto de desfavelamento de quatro áreas consideradas irregulares no centro da cidade, foram “deslocadas” populações marginalizadas da Favela da marinha, favela do monsenhor, favela do bambu e favela do cemitério. A partir da nossa ida a campo, convivendo com os moradores e observando a própria logística dessa localidade na cidade, percebemos que a criação do cidade nova, extrapola a questão habitacional. E nos revela a possibilidade de compreender um complexo processo social: a segregação urbana e a luta de classes em torno do espaço urbano na cidade. A caoticidade urbana: no que isso infere? Lucas Eduardo Gaspar UNIOESTE Rinaldo José Varussa Na Luta por Moradia: O caso da "Ocupação do Bubas" - Foz do Iguaçu/PR O município de Foz do Iguaçu, no inicio do ano de 2013, foi o local de uma série deocupações de algumas áreas urbanas da cidade por trabalhadores pobres. Umadas ocupações mais expressivas foi a ocorrida na área do bubas, onde cerca de1000 famílias ocuparam uma área particular na região sul da cidade de Foz doIguaçu.Utilizando-se de um referencial teórico da História Vista de Baixo, criadopela nova geração de marxistas britânicos do século XX, que busca principalmentepensar e produzir o conhecimento histórico a partir dos “sujeitos comuns” quemuitas vezes foram negligenciados pela história, é que proponho este trabalho,que busca refletir sobre esse processo, dando ênfase às experiências e vivênciasdos sujeitos envolvidos, construindo um conhecimento histórico a partir dessegrupo e de suas ações, contrariando a visão e construção que é feita pela classedominante, expressa na mídia local e mesmo nacional. A caoticidade urbana: no que isso infere? William Vinderfeltes Universidade Federal de Santa Maria Draª Liliane Dutra Bringol OS USOS E APROPRIAÇÕES DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO PELOS MOVIMENTOS SOCIAIS: UM ESTUDO DE CASO SOBRE O MOVIMENTO NACIONAL LUTA PELA MORADIA EM SANTA MARIA. Objetivo geral deste trabalho é compreender como os usos e apropriações das tecnologias de informação e comunicação pelos movimentos sociais estão auxiliando no avanço de suas demandas, a partir do estudo de caso do Movimento Nacional de Luta Pela Moradia, em Santa Maria - RS. Para isso, analisamos a construção das lógicas de comunicação do grupo na cidade. Além disso, aprofundamos os estudos sobre movimentos sociais e comunicação nas organizações sociais, partindo do debate sobre as principais teorias que englobam os estudos dos movimentos sociais e do enfoque da comunicação popular. Essa pesquisa procurou delimitar o percurso histórico dos movimentos de reforma urbana no Brasil, para compreender de que maneira a comunicação é importante para a conquista dessa reivindicação. Como método, buscamos uma inserção do pesquisador no campo de atuação do MNLM, através das técnicas da observação participante das ações do MNLM e de entrevistas semiestruturadas com cinco militantes. Assim, buscamos entender as lógicas e a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia As problemáticas dos Ensinos Camila Pelegrini Universidade Federal da Fronteira Sul- UFFS/Chapecó -SC AFETIVIDADE E AUTORIDADE: ESTRATÉGIAS E DISPOSITIVOS DE PODER NO ESPAÇO ESCOLAR Esse artigo é esboço tema do estudo é referente ao trabalho de conclusão do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal da Fronteira Sul, que visa compreender as categorias Afetividade a Autoridade como fruto do poder no espaço escolar. Através de teóricos analisam-se as estratégias e dispositivos usados na mediação docente como o método disciplinar educacional perante aos sujeitos. É voltado para a área da educação especificamente para o ensino de Sociologia nas escolas da rede pública de ensino. A pesquisa está em andamento, a partir de levantamentos teóricos e não possuem resultados finais. RELAÇÃO DE TRABALHOS - GRUPOS DE DISCUSSÃO (GD`s)
  2. 2. As problemáticas dos Ensinos João Paulo de Assis UEM- universidade estadual de Maringá Fagner Carniel Entre a promessa e a contingência: os sentidos da escolarização na perspectiva dos jovens da periferia de Paiçandu-PR. O objetivo deste projeto é analisar o modo como os jovens que residem na periferia do município de Paiçandu percebem e se relacionam com a escola pública. Para isso, juventude e escolarização serão consideradas como categorias de uma análise etnográfica interessada nos processos sociais de produção de sentidos para a educação moderna. A intenção é compreender como a escola é vivenciada pelas pessoas que ocupam as margens do sistema escolar. Com isso, espera-se evidenciar mais do que o processo histórico de segregação e exclusão social dentro do ambiente escolar; pretende-se compreender também como se produzem as dissidências, as transgressões e as formas pelas quais, todos os dias, o fracasso e a incapacidade são ultrapassados por outros significados sociais que tornam os espaços escolares habitáveis. Palavras-chave: Sociologia da Educação; Juventude; Escolarização. As problemáticas dos Ensinos Solange Naegele Silva Braga e Eloiza Dias Neves Universidade Federal Fluminense Eloiza Dias Neves Estudantes universitários e suas relações com o saber Segundo política pública de expansão universitária, a UFF de Campos dos Goytacazes/RJ implantou novos cursos, elevando o número de alunos de Serviço Social, Ciências Sociais, Geografia e Ciências Econômicas. A produção de conhecimento acerca dos estudantes constitui-se condição básica para que se possam estruturar as novas áreas de formação universitária. A pesquisa foi realizada em 2011 e 2012, mas escrevemos um novo projeto, dando continuidade ao tema. A nova pesquisa ainda está em andamento. O objetivo geral foi o de mapear quem são esses estudantes universitários e os modos como se relacionam com o saber e com a universidade. Os 231 questionários respondidos e 313 relatos individuais confeccionados acerca das relações estabelecidas com o saber (baseados no trabalho de Bernard Charlot) mostraram que estes estudantes distinguem-se em pelo menos dois grupos, seja no perfil socioeconômico e cultural e no percurso escolar, sejam nas relações com o saber. A maioria dos estudantes concebe o ofício discente e a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia As problemáticas dos Ensinos Cezar Letiere Martins Universidade Federal de Santa Maria O meio social e a escola: os desafios educacionais dentro da sala de aula O presente trabalho tem como objetivo percorrer e discutir sobre as necessidades e dificuldades encontradas por professores dentro do ambiente de sala de aula, dadas as especificidades de cada educando. Especificidades essas provenientes da realidade de cada aluno para fora dos limites da escola. Ao abordar temas como violência doméstica, pobreza, drogas, meio social entre outras, tentamos entender o que faz cada aluno tão distintos e quais desafios o educador deve enfrentar para tentar ao menos minimizar as dificuldades no aprendizado dos alunos, bem como tentar trabalhar com os alunos as raízes de seus problemas, assumindo assim o professor, um papel muito mais importante, contribuindo na construção social do individuo. Políticas Educacionais Anderson Sabino da Silva João Paulo de Assis Universidade Estadual de Maringá FUNDAMENTOS DAS ORIENTAÇÕES CURRICULARES DO ENSINO MÉDIO – OCEM - SOCIOLOGIA, APLICADO AS PRÁTICAS DOCENTE. O artigo contextualiza historicamente a evolução da disciplina de Sociologia no Ensino Médio no Brasil, destacando que houve alternância de períodos em que a disciplina era facultativa ou obrigatória. Atualmente, é obrigatória, e deve seguir as Orientações Curriculares do Ensino Médio, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Partindo disso, deve-se trabalhar sobre dois eixos norteadores: o estranhamento e a desnaturalização diante dos fenômenos sociais, eventos e fatos estudados, permitindo ao estudante ampliar seus horizontes para além da superfície, com os instrumentos fornecidos pelas Ciências Sociais. Também são fundamentais para o ensino da sociologia três princípios metodológicos: temas, conceitos e teorias, que facilitam a compreensão dos conteúdos pelos estudantes. Identificamos diversas possibilidades de trabalhos em sala de aula e extraclasse, usando os mais variados recursos além das aulas expositivas. Reportando-se à prática pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) noe a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão das desigualdades sociais se apresenta na sociologia atualmente. A pesquisa leva a Políticas Educacionais Felipe Cordeiro da Rocha UNILA Renata Peixoto de Oliveira Políticas Públicas e Educação do Campo na Tríplice Fronteira Este trabalho tem como objetivo analisar as políticas formuladas nos últimos dez anos para a educação dos povos do campo e se estas políticas têm conseguido avançar rumo à diminuição das assimetrias sociais entre o campo e a cidade através da educação. De uma maneira geral, pretendem-se analisar estas políticas e confronta-las com a realidade das populações do campo e a partir disto perceber quais são alguns dos seus principais desafios. Em termos metodológicos, é importante ressaltar que o trabalho de campo foi realizado em três escolas rurais, localizadas na cidade paraguaia de Minga Guazú no Alto Paraná, Wanda na província argentina de Misiones e na cidade brasileira de Matelândia no estado do Paraná e se deu através de entrevistas com pais, alunos e professores e da observação participante. A preocupação apresentada com os níveis de educação rural justifica-se pelos altos índices de analfabetismo apresentados pelas regiões rurais dos três países em comparação com os índices apresentados nas regiões urnternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas consideradas históricas. Palavras-chave: megaprojetos; gentrificação; especulação imobiliária; Chacari
  3. 3. Políticas Educacionais YURI MIGUEL MACEDO Universidade Federal Fluminense - Pólo Universitário Campos dos Goytacazes A assistência estudantil no Brasil e a aplicabilidade do PNAES ( Programa Nacional da Assistência Estudantil) nas Universidades Federais A seguinte roda de conversa visa fomentar espaço para debates tratando da assistência estudantil, bem como a discursão voltada sempre o que tange ao Programa Nacional da Assistência Estudantil (decreto nº7234 de 19 de julho de 2010) quando correlacionada as Universidades Federais no Brasil, através da RC tornam-se relevantes as reflexões em torno do desenvolvimento da Política Pública de Educação e da Política de Assistência Estudantil, com olhar crítico e a proposição de alternativas no intuito de superar as dificuldades dos discentes fomentando também discussões/ações que contribuam na melhoria da estrutura de suas universidades, faculdades e institutos. Políticas Educacionais Cleverson Willian Honorio, João Paulo dos Santos Pinto, Alana Martins, Ana Carolina Andrade Ferreira Universidade Federal do Paraná Programa de educação tutorial (PET) Ciências Sociais Prof. Dr. Ricardo Cid Evasão dos alunos do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Paraná Esta pesquisa trata da evasão dos alunos do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Paraná. O fenômeno da evasão envolve diversas dimensões que incluem o abandono, o trancamento e a não confirmação da matrícula. Os dados do ranking de evasão da UFPR revelam que há uma situação preocupante, a saber: dos 80 alunos que ingressaram no curso de ciências sociais em 2012, apenas 22 estão matriculados regularmente. Este fenômeno envolve não apenas os alunos, mas também professores, coordenadores e a própria política educacional da instituição. As avaliações preliminares indicam que as causas para a evasão incluem desconhecimento da grade curricular, a dificuldade em conciliar trabalho e estudo, a elevada carga de leitura, bem como preocupações com prestigio social e com a inserção no mercado de trabalho. A pesquisa tem como objetivo levantar dados qualitativos e quantitativos para identificar as principais causas da evasão nos três primeiros semestres da graduação. A metodologia da pesquisa envolve a anternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas consideradas históricas. Palavras-chave: megaprojetos; gentrificação; especulação imobiliária; Chacarita; revitalizaçãoe Exclusão social, marginalização e estigmatização I Regiane Galdino da Silva Universidade Estadual de Londrina A Transformação do morador de rua na cidade de Londrina: Sua visibilidade dentro da sociedade Nesta proposta inicial de estudo quero trazer a reflexão sobre a transformação da população em situação de rua, através do acesso as drogas, em especial o crack, buscando entender por uma ótica marxista essas mudanças e a invisibilidade dessa parte da população. Nessa perspectiva, quero além de refletir sobre como, eles vivem a rua, seu contato com as instituições, como vivem os projetos sociais já existentes, pensar a viabilização da aplicação de uma realidade de políticas publicas que podem ser implantadas e construídas, juntamente com a comunidade civil e acadêmica com a práxis para pensar esses moradores.Optei por pesquisar referencias qualitativas, tipo bibliográfica/documental, entrevistas e campo. O trabalho está estruturado em contextualizar a população em situação de rua, apresentar as instituições que os representam, registrar os dados e objetivos dessas instituições e por ultimo refletir com os colegas as possibilidades da junção população em situação de rua, profissionais e estado. Exclusão social, marginalização e estigmatização I Autor: Higo Gabriel Santos Alves Co-autores: Leonardo Nogueira Alves Ana Maria Costa Viana Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Prostituição feminina de rua e sociedade capitalista É imprescindível compreender a prostituição como um fenômeno social complexo e heterogêneo, distante da homogeneidade que por vezes lhe é atribuída. A prostituta, na sociedade capitalista, se relaciona como uma mercadoria. Essa mesma sociedade que cria condições para o exercício da prostituição, a partir da lógica da mercantilização do corpo e de sua sexualidade, coloca essa população numa condição de exploração e estigma, ao mesmo tempo em que proporciona deliberadamente a violação dos direitos sociais. A composição da imagem da prostituta de rua encontra-se através da relação entre a prostituição e a marginalidade, através da presença do tráfico e o consumo de drogas lícitas e ilícitas, da violência, da situação espacial na qual exercem a atividade. Isto é: as questões espacial, cultural e econômica fazem parte da construção dessa identidade social, e dos mecanismos de discriminação e preconceitos em relação ao exercício da prostituição. É perceptível que a prostituição de rua é mais uma das formas de manifnternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cid Exclusão social, marginalização e estigmatização I Tania Rodriguez UNILA El trabajo en las cárceles: ¿Herramienta para la formación humana, y profesional o mecanismo de inserción en el mercado? El Estado con su incapacidad de brindar las condiciones básicas de subsistencias y de formación no solo profesional sino también humana, a través de su sistema penitenciario se propone “reformar”, por medio del trabajo, a los “inadaptados” sociales, como forma de alienarlos y reintegrarlos no tanto a la sociedad, sino más que nada al mercado. En este trabajo nos proponemos, como objetivos principales, responder las siguientes preguntas: se habla de la reinserción del preso, pero ¿la sociedad está capacitada para esta reinserción? ¿Cuáles son las campañas realizadas para des- construir los pre-conceptos y la discriminación que existe tanto hacia los que permanecen en prisión como para los exreclusos? ¿El trabajo es colocado cómo herramienta para la formación humana, profesional y social del individuo dentro de un colectivo, tomando en cuenta sus necesidades, sus voluntades y sus intereses? ¿O simplemente se busca la “capacitación” de mano de obra barata para alimentar al mercado, permitir el consumo, y (re) inse a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão das desigualdades sociais se apresenta na sociologia atualmente. A pesquisa leva a conclusão que a
  4. 4. Exclusão social, marginalização e estigmatização I Joselene Ieda dos Santos Lopes de Carvalho Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste Rinaldo José Varussa A cidade para os trabalhadores: imaginários acerca dos bairros de má fama de Guaíra A presente comunicação compõe um projeto de mestrado que visa discutir aspectos sobre a estigmatização de dois bairros localizados na cidade de Guaíra-Pr: Vila Alta e Parque Hortência. A cidade de Guaíra tem uma característica particular em relação à maioria das cidades da região Oeste do Paraná, é uma cidade fronteiriça com o Paraguai. Embora seja relativamente pequena com cerca de trinta mil habitantes, considero importante o estudo desta cidade já que é de fácil identificação sua divisão social entre as áreas centrais e seus bairros de má fama. No entanto, em contrapartida aos meios midiáticos que divulgam essa estigmatização caracterizando estes bairros como portadores de "ladrões, bandidos,marginais..." , as entrevistas com os moradores destes dois bairros em específico, refletem que a violência em que são submetidos é um dos reflexos do Capital Exclusão social, marginalização e estigmatização II Rafael Aguiar Ribeiro e co autor Ana Carolina Vasconcelos Cunha Handere Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuiri A Criança em Vulnerabilidade Social: risco pobreza e exclusão social na sociedade contemporânea A gravidade do quadro de pobreza e miséria no Brasil constitui permanente preocupação e obriga a refletir sobre suas influências no social e principalmente na área de atuação junto ás famílias, na qual as políticas públicas ainda precisa de uma ação mais efetiva.Inicialemte este estudo foi feito com base exploratória, mas focado em estudos marxistas e teve como objetivo analisar a origem do fenômeno do abandono de crianças, bem como o impacto deste nas relações que se instauram na sociedade contemporânea.As condições que essas crianças, que são consideradas abandonadas vivenciam, é produto das estruturas sociais, economica e políticas do pais., geradora do rebaixamento brutal das conquistas materiais das classes trabalhadoras, se os pais não tem condições de suprir as neces bás do filhos, são acusados de abandona-los. Exclusão social, marginalização e estigmatização II Ana Claudia Oliveira Maria Lília Campelo Soares Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN O “corpo deficiente”: A relação da pessoa com deficiência com a arte da dança. O “corpo deficiente”: O espaço comum entre a dança e a deficiência. Este trabalho de caráter etnográfico, enfoca a relação da pessoa com deficiência com o seu corpo, como as mesmas se reconhecem e lidam com os estigmas atribuídos pela sociedade em relação a sua performance corporal, verificando como a dança se transforma em uma estratégia para romper com esses estigmas. Para tanto, realizamos uma revisão bibliográfica utilizando os escritos dos autores Maciel Mauss, David Le Breton, Norbert Elias e Erving Goffman, assim como uma pesquisa de campo no Fórum de Mulheres com Deficiência de Mossoró e Região e na Companhia de Dança artes sem limites da Cidade de Mossoró. O contato com as pessoas com deficiência demostrou que a dança apresenta-se como uma forma de socialização, de romper com os estigmas e os preconceitos que a sociedade produz sobre o corpo da pessoa com deficiência. Demonstrando que o “corpo deficiente” também é capaz de se expressar, de provocar encantamento, de provocar desejos, (re)elaborando umnternas, do povo.a Exclusão social, marginalização e estigmatização II Rosimery Medeiros de Mello Curso de Licenciatura Ciências Sociais Universidade Estadual de Maringá Bolsista do PIBID DOENTE MENTAL E FAMÍLIA, QUAIS OS IMPACTOS NESSA RELAÇÃO? O presente trabalho propõe uma busca pelo entendimento e compreensão da realidade das famílias que convivem com doentes mentais, não de maneira artificial, mas minuciosamente conseguir adentrar esses ambientes através de observação participante e mostrar de fato se há um impacto nesses lares e na sociedade em que convivem, ou seja, essa tarefa tem por objetivo analisar o impacto da relação doente mental e sua família. Assim sendo pretende-se estudar como a doença mental está colocada para a família, o que permeia essa relação, sendo que há uma convivência e dependência do doente. Levando em consideração o grande numero de doentes mentais e a carência no atendimento, acredita-se que o trabalho em si, contribuirá para a abrangência do entender a sensibilidade desse fato. Ou seja, ao nos debruçarmos sobre o nosso objeto, pretendemos de fato mostrar se há ou não impactos na relação doente mental e sua família, e com isso trazer o entendimento dessa realidade e contribuições para o ver da sociedade, assim sendo dee a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão d Exclusão social, marginalização e estigmatização II Fernanda de Oliveira Alves Universidade Federal de Santa Maria A Anomia e o Manicômio Mental: patologias sociais da atualidade O trabalho visa fazer uma relação entre os conceitos de manicômio mental de Peter Pál Pelbart e de anomia de Émile Durkheim, objetivando uma discussão sobre a sociedade atual em que se vive de maneira alienada, sem a possibilidade de libertação característica do manicômio mental. Em uma comparação com a anomia, é o processo de não se reconhecer, da perda da dimensão de interdependência, de apenas viver sem questionamentos e aspirações, é um viver patológico (DURKHEIM, 2010). O método utilizado foi uma revisão bibliográfica dos conceitos pesquisados. Este trabalho surge da inquietação com a relação que os temas fazem com processos de produção, consumo, realização e trabalho, e como estes podem vir a gerar patologias sociais e pobreza de maneira plural, entendida em questões de estrutura, cultura, e nas dimensões psicológicas, sociais e emocionais. Assim, a coesão social pode vir a ficar em risco. Não há autonomia e nem liberdade do sujeito para exercer seu papel de individuo. As duas patologias apresentadas enternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas
  5. 5. Genero, Afetividade e Sexualidade Sandra Mara Pereira dos Santos Doutoranda em Ciências Sociais, com ênfase em Antropologia Urbana, na Universidade Estadual Paulista- câmpus de Marília Dr.Andreas Hofbauer Representações de Amor Conjugal no Rap Nacional: Relação de Gênero e Emoção. As reflexões que deram origem ao tema central desse trabalho foram baseadas em observações realizadas nos últimos dez anos em alguns espaços sociais nos quais o rap (estilo musical do movimento Hip-Hop) está presente como, por exemplo, em capas de CDs, em shows, em programas de televisão e em revistas. Um olhar sobre tais veículos de comunicação revelou que a quantidade de cantores do sexo masculino é bem maior que o número de mulheres cantando rap no Brasil. Para discutir essa problemática escolhi analisar as representações de amor entre homens e mulheres nas relações conjugais nesse estilo musical; tal amor heterossexual pode nos revelar desigualdades, diferenças e estratégias sociais no que diz respeito às relações de gênero. Para refletir sobre essa emoção já enviei para alguns dos artistas do rap nacional um questionário sócio/econômico/cultural, que atualmente está sendo analisado, e também interpreto letras de rap sobre esse tema e realizo diálogos informais sobre amor conjugal via facebook com cantoe a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” Genero, Afetividade e Sexualidade Leandra Batista de Azevedo Patricia Schons Acadêmicas de Ciências Sociais da Universidade Federal da Fronteira Sul Tânia Welter Oficina de gênero e sexualidade: a escola como espaço de reflexão Esta comunicação apresenta um relato sobre a realização da “Oficina Gênero e Sexualidade”, realizada em novembro de 2013, na EEB Marechal Bormann, localizada em Chapecó/Santa Catarina, envolvendo estudantes de ensino médio e alguns docentes. A oficina, cujo objetivo principal foi estimular a reflexão sobre questões de gênero e sexualidade com jovens estudantes, foi dividida em quatro módulos, objetivando primeiramente ouvir relatos e depois promover o contato de estudantes com as teorias de gênero e sexualidade, instrumentalizando-os para refletir sobre as experiências vividas. Foram utilizados recursos didáticos diversos, como “dispositivos”, teatro, produção de cartazes e textos, debates e aula expositiva. Essa atividade proporcionou: a) às coordenadoras uma experiência de atuação docente numa formação em gênero e sexualidade; b) à escola uma oportunidade de formação diferenciada sobre gênero e sexualidade para estudantes, docentes e outros/as profissionais da educação; e c) aos/às estudantes que participarnternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas Genero, Afetividade e Sexualidade Kaue Felipe Nogarotto Crima Bellini Universidade Estadual de Maringá - UEM Prof.ª Dr.ª Marlene Rodrigues de Novaes Emoções e Sexo: A iniciação afetivo- sexual no contexto Homossexual Este projeto busca estudar as representações sociais vinculadas à iniciação afetivo-sexual homoerótica. Trata-se de examinar as concepções e significados vinculados às emoções oriundas das primeiras experiências amorosas e sexuais desenroladas no contexto homoafetivo, levando-se em conta as construções sociais e as sutilezas que se encontram envolvidas nestas vivências. A problemática será abordada mediante estudo de representações sociais enriquecido pelo acesso a certos referenciais teórico-metodológicos da Antropologia das Emoções; Antropologia da Sexualidade, bem como reflexões Queer. A eleição desta perspectiva analítica favorece uma visão multidimensional da questão e a compreensão dos nexos entre gênero, identidade, expressão social de sentimentos e emoções, tabu do sexo e as desconstruções Queer. A pesquisa toma por sujeitos de investigação jovens de 18 a 29 anos, com identidade homossexual e membros ativos de Coletivos e Grupos de Estudo de Sexualidade da cidade de Maringá. Palavras-chave: represente a obra de Freyre (1933), Holanda (1 Genero, Afetividade e Sexualidade Lais Regina Kruczeveski Universidade Estadual de Londrina Silvana Mariano As inferências do Programa Bolsa Família na vida conjugal das mulheres em situação de Pobreza e Extrema Pobreza em Curitiba O objetivo desta pesquisa é analisar a situação conjugal de 95 beneficiárias do Programa Bolsa Famílias de diferentes CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) de Curitiba e seus efeitos para a autonomia feminina, a partir dos dados coletados pela pesquisa realizada pelo “Discriminação interseccional: estudos sobre situações de pobreza e empoderamento feminino entre mulheres titulares do Programa Bolsa Família no Paraná e no Ceará”. Pretende-se avaliar a situação socioeconômica dessas beneficiárias entrevistadas, com base em diferentes cruzamentos da situação conjugal com outros fatores como renda, trabalho, escolaridade e outros que possam influenciar a situação de autonomia (ou heteronomia) das mulheres. Com a construção e organização desses dados, será possível analisar a situação dessas beneficiárias, a partir de teorias sociais como a de Ulrich Beck, Carole Paterman entre outros. Métodos, Experiencias e Ferramentas Pedagógicas Ivanir Fátima Bé Ana Paula Wizniewski Universidade Federal da Fronteira Sul Tânia Welter Escola: discutindo suas relações afetivas Esta comunicação apresenta um relato do projeto "Relações Afetivas na Escola", realizado em fins de 2013 numa escola pública de Santa Catarina. Este projeto tinha como objetivo provocar uma reflexão sobre afetividade com estudantes de ensino médio e contribuir na desconstrução de modelos hetenormativos e discriminatórios no espaço escolar. A realização deste projeto possibilitou uma experiência docente para as acadêmicas e a criação de um espaço de reflexão e formação de estudantes.
  6. 6. Métodos, Experiencias e Ferramentas Pedagógicas Antônio Charles Santiago Acássio Kulka André Luiz Tedesco Viana Carlos Eduardo Baltazar Ribas Fernando Rodrigo Doline João Venâncio Schiessl Scherer Jocivaldo Jorge de Oliveira Solange Alves Pereira UNESPAR - Campus de União da Vitória – PR Antônio Charles Santiago FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E CAPOEIRA: UMA RODA DE CONVERSA O presente trabalho tem como objetivo relatar parte da experiência pedagógica que vem se dando no Colégio Estadual Túlio de França – União da Vitória – PR, no contexto do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID da UNESPAR/Campus de União da Vitória – PR, Subprojeto de Filosofia, buscando um diálogo mais próximo entre as disciplinas de Filosofia e Sociologia. Para tanto, optou-se por um tratamento metodológico que corroborasse com a multidisciplinaridade e articulação entre os diferentes saberes escolares, sem perder de vista a especificidade da Sociologia e da Filosofia. Neste sentido, o projeto busca trabalhar a temática da cultura afro-brasileira, tomando a Capoeira como instrumento de materialização de conteúdos visíveis nas rodas de capoeira, bem como na Literatura de Gilberto Freyre, buscando a ressignificação dos saberes e práticas para além da oralidade. Métodos, Experiencias e Ferramentas Pedagógicas João Henrique Souza Pires Faculdade de Filosofia e Ciência - Unesp campus Marília/Sap Henrique T. Novaes Educação Popular: A Experiência dos Cursos de Agroecologia Com base na teoria crítica da ciência e tecnologia C&T, a qual crítica o mito da neutralidade da ciência e o determinismo tecnológico e considera que a C&T são influenciadas pelo contexto político e pelo propósito produtivo a que foi gerada, ressalta-se que o modelo produtivo do agronegócio baseado em transgênicos, agrotóxicos, grandes propriedades e máquinas pesadas, não condiz com o ideal de produção almejado pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra – MST que toma como modo produtivo a agroecologia. Nesse sentido, observa-se que o MST no Paraná em seu enfrentamento ao agronegócio e ao descrédito e criminalização das ações dos movimentos sociais camponeses vem trabalhando na construção de Centros/Escolas e na formação técnica em agroecologia. Para tanto, ressalta-se a importância desses centros na perspectiva de democratização do debate sobre a C&T e consolidação de um modelo alternativo de formação de conhecimento baseado na tecnologia social que busca uma integração entre o saber tácito e o saber cientie a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão das desigualdades sociais se Métodos, Experiencias e Ferramentas Pedagógicas Cleberson Valfrido Bialeski Helton Doudera Zavaski José Júlio Staciak de Camargo Junior Jane Ribeiro Didek Santos Luci Aparecida Sales Marcel Flenik Santos Marcelo Panciniak Marilene Bronoski Patrícia de Macedo Roberta Keli Pzybysceski Universidade Estadual do Paraná Unespar Campus União da Vitória Antônio Charles Almeida Santiago CORDEL UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA NA REFLEXÃO FILOSÓFICA E SOCIOLÓGICA O grupo Pibid de Filosofia da Unespar campus União da Vitória através da orientação do professor Antônio Charles Santiago vem desenvolvendo trabalhos com ênfase na “Cultura Brasileira”. A atividade que se encontra em construção é a produção de Literatura de Cordel com os estudantes do ensino médio da rede Estadual de ensino publico do Estado do Paraná, sendo os colégios: Astolpho Macedo de Souza e Padre Giuseppe Bugatti. Partindo desse gênero do cordel, que de modo poético, facilita a leitura e a transmissão das ideias populares, torna-se importante para os estudantes o conhecimento dessa literatura que é originária da tradição oral. Realizaremos nossos trabalhos com a introdução do cordel a partir de obras da literatura brasileira, as quais foram adaptadas para ao mesmo. Assim como no nordeste, além dos romances, esta arte também exerce críticas e queixas do meio em que se vive. Conciliando a arte da xilogravura e a confecção do cordel com a utilização de material reciclado, transformamos a sala de aula em enternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas consideradas históricas. Palavras-chave: megaprojetos; gentrificação; especulação Paradigmas da Universalidade Moderna Juliéverson Messias de Carvalho Universidade Federal da Integração Latino Americana João Roberto de Barros II RAÇA E COLONIALIDADE DO SER NA DESCOLONIZAÇÃO EPISTÊMICA A proposta desta comunicação é apresentar os resultados parciais de um trabalho de iniciação científica, intitulado “Raça e colonialidade do ser na descolonização epistêmica”. O trabalho consiste em delimitar a importância da ideia de raça na Descolonização epistêmica e como ela é apresentada na obra de Frantz Fanon. Também, a partir de autores como Aníbal Quijano e Walter Mignolo, buscamos compreender como a formação de uma subjetividade sujeitada dos povos colonizados da América Latina passa pela fundamentação epistêmica da ideia de raça. Para Aníbal Quijano, a colonização da América baseada no fundamento epistêmico da ideia de raça teve, nesta, o modo de outorgar legitimidade às relações de poder e dominação impostas na conquista do continente. Com isso, a expansão do colonialismo europeu sobre o restante do mundo levou consigo a elaboração eurocêntrica do conhecimento na qual a ideia de raça seria o principal fundamento para a naturalização das relações coloniais de dominação entre europeus e não-europeue a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea,
  7. 7. Paradigmas da Universalidade Moderna Bruno Guilherme Hatschebach e Anderson Antônio Paisca Bruno G. Hatschebach: graduando em Ciências Sociais, milita nos coletivos Gestus - Por uma Arte Revolucionária e Grupo de Estudos Marxianos Latino- Americano. Anderson A. Paisca: formado em Artes Trabalho e Individuação: crítica dos fundamentos da gênese do individualismo moderno. Propomos uma crítica à genese do individualismo enquanto forma particular do processo de individuação, exterior e qualitativamente distinta da socioreprodução de capital. Para tanto, nos apropriamos da crítica marxiana em seus Grundrisse, principalmente de sua introdução (comentários de Marx acerca do método dialético) e do capítulo do Capital, onde Marx põe à crítica a lógica de reprodução sistêmica da produtualidade e intercambialidade enquanto componentes fundamentais da infra-estrutura. Através da teoria do valor em Marx, fazemos a crítica da identidade genérica do comprador e vendedor da força de trabalho enquanto potencialidades abstratas. Para tanto, destacamos a potencialidade da universalidade do sujeito histórico revolucionário no modo de produção capitalista, expondo a produção e apropriação de mais-valia. Concluimos com apontamentos acerca da potencialidade revolucionária na Educação e Arte popular. Paradigmas da Universalidade Moderna FREDERICO ALVES LOPES Universidade Federal Minas Gerais Da Utopia: sonhos e esperança em cidades ideais O que é a utopia? Do grego "utopos" um não-lugar, lugar que não existe. Escrita pela primeira vez em 1516 na obra A Utopia, de Tomas More, a utopia nasce com a imaginação do inglês que descreveu a vida numa ilha idealizada. Para além da literatura a utopia se encontra em variadas esferas sendo: o cinema e outras artes, a política, a arquitetura, o urbanismo, a sociologia, entre muitas outras. Ou seja, a utopia encontra-se presente em nós, mulheres e homens, no sonho e busca de uma vida melhor. O presente trabalho busca uma definição e esclarecimento do termo, evitando a atual imprecisão na utilização do conceito e no seu combate. Francis Fukuyama, por exemplo, se apressou em pronunciar a extinção da utopia; para ele, em 1989 estaríamos diante do "fim da história", o capitalismo trinfou, exterminando as alternativas possíveis. Finalmente, para a base de nossa empreitada buscamos auxílio nos pensamentos de Ernst Bloch, o filósofo da esperança. Para o alemão o presente é uma espécie de ponto cego e o utópico é e a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão das desigualdades sociais se apresenta na sociologia Paradigmas da Universalidade Moderna João Guilherme Alvares de Farias Estudante do 3º Semestre da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC- SP Direito ou Revolução: o direito como instrumento de mudança social e superação da pobreza? No meio jurídico, entre aqueles que lutam pela superação do caráter dogmático do direito, isto é, direito apenas como prática de decidibilidade de conflitos, são comuns análises que, utilizando-se da zetética, vinculam o direito à possibilidade de mudança social ou, até mesmo, de justiça social. Pautados nessa ideia, muitos juristas são entregues ao reformismo, passando a acreditar num duplo ou múltiplo caráter do direito. Defendem que seu uso depende da valoração de quem o interpreta e aplica. Aqui, acreditamos, é onde acentua-se o problema. Primeiro com relação aos valores e, segundo, o que esperar de um sistema de relações sociais (de produção e de troca) que é a pura expressão da organização da classe dominante? Desse modo, seria possível pensar no direito como instrumento de mudança social, ou, ainda, de superação da pobreza? Acreditamos que não! A essência burguesa do direito, que atua como ferramenta ideológica e manifestação da superestrutura, nos permite concluir que limitar-se a sua estrutura, é defnternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas Temáticas da Realidade Contemporanea Autora: Nathalia Fontoura da Silva Valle e Co-autor: Dionathan Ysmael Rodrigues da Silva Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) A luta antidrogas e a criminalização dos pobres: uma abordagem de Noam Chomsky O presente trabalho tem por objetivo abordar as questões relacionadas à luta antidrogas, mais precisamente no cenário norte-americano. Através de uma análise metodológica (de obras, entrevistas, e demais fontes) do filósofo estadunidense Noam Chomsky, discute-se a (in)eficácia das medidas à luta antidrogas promovidas pelo Estados Unidos da América, no que se refere ao combate do narcotráfico. Para o autor, as políticas dos EUA, para a luta antidrogas não se configuram em medidas efetivas à contenção do tráfico ilegal, principalmente na região trans-fronteiriça com o México, mas sim resulta na criminalização dos pobres, em sua maioria afro-americanos e latinos, como o caso dos imigrantes. Aponta-se o fato da transferência ilegal de armas de origem estadunidense como fator que endossa e retroalimenta o crime organizado na região. Deste modo, debate-se como políticas alternativas, como medidas preventivas, no que se trata, de promoção de saúde, educação e conscientização popular são métodos mais efetivos, para ee a obra de Freyr Temáticas da Realidade Contemporanea Lirian Lopes Colombo Universidade Estadual de Maringá (UEM) Eliane Sebeika Rapchan TRANS-BORDE: O rolê da pixação de tag em Maringá. O "rolê" da pixação de Tag tem marcado a estética de várias cidades pelo país. Iniciada em São Paulo como um meio de expressão e expansão da periferia para a região central, a tag é uma palavra que caracteriza quem a pixou, demonstrando a presença do individuo no contexto visual do espaço urbano. Diferente de outros estilos de pixação, a tag tem uma dinâmica peculiar e interativa entre todos aqueles que pixam. Recentemente, Maringá (PR) tem sido tomada por tags, e diversos grupos (crews) de pixação estão se formando. Este trabalho propõe uma pesquisa etnográfica que visa compreender os processos que atravessam, tangenciam e contextualizam essa atividade na cidade a fim de escapar das discussões legais ou morais que condenam essa prática. A partir do conceito de “coisa” formulado pelo autor Tim Ingold, esta pesquisa buscará descrever e analisar as relações de um pixador com seus pares, do pixador com a sua pixação e da pixação em relação à Temáticas da Realidade Contemporanea Paulo Flavio de Andrade Universidade do Contestado (Canoinhas/SC) Os infortúnios da virtude e a prosperidade do vício: comentários sobre Justine e Juliette de Marques de Sade. O objetivo do trabalho é apresentar os dois arquétipos morais da obra de Marques de Sade encenado pelas personagens Justine e Juliette, aonde a primeira encarna a virtude e a segunda o vício.
  8. 8. Temáticas da Realidade Contemporanea Ronaldo Silva Universidade Federal da Integração Latino- Americana – Graduando em Relações Internacionais – Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC - UNILA) Angela Maria de Souza Movimento – O Hip Hop redefinindo suas fronteiras: debates sobre marginalização social O presente trabalho é resultado dos estudos desenvolvido no projeto de iniciação cientifica “Estéticas afro-latino-americanas: o rap redefinindo fronteiras”, sobre o Movimento hip hop de Foz do Iguaçu e região. Orientado pelo aporte teórico-metodológico sobre Cultura (Geertz, 2011), Espaço (Santos, 2004), Identidade (Hall, 2011), Fluxo e Fronteiras (Hannerz, 1997) a pesquisa fundamenta-se no trabalho etnográfico. Conforme aponta Herschman (1994), Rose (1994), Souza (2011) e Viana (1995), o Movimento Hip Hop ganha forma entre jovens imigrantes nos EUA na década de 1970, chega ao Brasil a partir das populações negras na década de 1980 e dez anos após inicia suas manifestações em foz do iguaçu. A partir de um contexto de fronteira (Foz do Iguaçu - Brasil, Ciudad Del Este - Paraguai e Puerto Iguazú – Argentina) aborda o debate sobre marginalização e exclusão social. A pesquisa nos permitirá compreender este debate que emerge entre sujeitos inseridos em um contexto transfronteiriço na formação de um Movimento que nternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas Território, Economia e Cidadania Tamires Cristina dos Santos Universidade Federal de São Carlos ECONOMIA SOLIDÁRIA: RELATO DE EXPERIÊNCIA EM CONSTITUIR UMA LINHA DE AÇÃO EM CONSULTORIA NO NUMI-ECOSOL/UFSCAR Resumo: Esse artigo visa relatar a experiência em constituir a linha de ação em consultoria em Economia Solidária no Núcleo Multidisciplinar e Integrado de Estudos, Formação e Intervenção em Economia Solidária, doravante NuMI-EcoSol, sucessor da Incubadora Regional de Cooperativas Populares da Universidade Federal de São Carlos – INCOOP/UFSCar. Há mais de 15 anos esse trabalho de incubação de Empreendimentos Econômicos Solidários tem como compromisso atender pessoas que foram historicamente marginalizadas. O público atendido é principalmente: jovens em conflito com a lei, usuários de serviço da saúde mental, população em situação de rua, moradores da periferia, mulheres com mais de 45 anos, etc. Destacamos nesse trabalho a busca por referencial teórico para fundamentar a ação da Universidade junto a esses grupos tradicionalmente marginalizados do mercado formal de trabalho. A partir desta dimensão, pretende-se apresentar os resultados de demanda de produção para Empreendimentos Econômicos Solidários na cidadee a Território, Economia e Cidadania Karina Fernandes de Oliveira Matheus Gringo de Assunção UNILA Da crise a financeirização: a “interna” farsa da dívida Após o período de crescimento da economia capitalista com base nas instituições da nova ordem mundial e na divisão internacional do pós-guerra, eclode no final dos anos 1960 uma nova fase de crise no ciclo de acumulação do capital. Assim como as formas de reprodução da fase ascendente trazem consigo os elementos da crise, ao contrário, as formas encontradas para a superação da crise trazem os elementos da nova fase de acumulação. Portanto, as formas de produção e as relações com a força de trabalho flexibilizadas, a desregulamentação do mercado de força de trabalho, mercadorias e capital, a valorização especulativa do capital, e os desdobramentos dos mecanismos de apropriação de valor produzido na periferia e apropriado no centro, foram sendo desenvolvidas como forma de superação da própria crise do capitalismo. Dentre esses mecanismo, daremos destaque ao mecanismo da dívida pública, em especial seu componente interno para o caso do Estado brasileiro, buscando demonstrar como se deu a mudança do caráter destnternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas consideradas históricas. Território, Economia e Cidadania Eduardo Genaro Universidade Estadual de Londrina Maria José de Rezende Apresentação de resultados e perspectivas sobre as práticas propostas sobre parceria global para o desenvolvimento e democracia no Relatório do Desenvolvimento Humano de 2005 e na Declaração do Milênio de 2000 A pesquisa analisa as propostas de efetivação da cooperação internacional e da democracia feitas pelos elaboradores dos Relatórios do Desenvolvimento Humano (RDHs) das Nações Unidas de 2005 e da Declaração do Milênio de 2000. São analisados os conceitos de cooperação internacional, democracia e interdependência global, ajuda internacional, comércio internacional e segurança internacional. A pesquisa ressalta a importância de analisar as relações entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos, assim como os principais agentes que participam destas relações internacionais, como o Estado e a sociedade civil. A pesquisa utiliza como metodologia a análise hermenêutica para pesquisa documental, que permite captar as noções presentes no documento e analisa-las criticamente permitindo um dialogo com as teorias acadêmicas. A principal comparação teórica realizada na pesquisa é a análise crítica das noções presentes no RDH e a teoria do desenvolvimento de Celso Furtado, sendo que é observada a construção de propostase a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia Território, Economia e Cidadania Agda Marina Ferreira Moreira Universidade do Estado de Minas Gerais (FaE/UEMG) e Centro de Documentação Eloy Ferreira da Silva Uma cultura ameaçada: a sustentabilidade das comunidades remanescentes de quilombos frente aos impactos socioambientais na região do Médio Jequitinhonha As comunidades remanescentes de quilombos são populações etnicamente diferenciadas que resguardam em suas práticas cotidianas resquícios culturais oriundos de seus antepassados que aqui foram escravizados. Tais valores têm sido transmitidos de geração em geração através da oralidade, presente no processo educativo interfamiliar dessas populações que, através dos séculos, têm mantido viva parte significativa de nossa história e de nosso patrimônio cultural. Entretanto, tais valores tem sido ameaçados frente aos impactos socioambientais vivenciados pelas comunidades da região do Médio Jequitinhonha, região nordeste de Minas Gerais. Flagelados pela ausência do poder público, pelos longos períodos de estiagem e pela falta de geração de renda local, as comunidades da região tem sido gradativamente fragmentadas pelo fenômeno da migração, principalmente de jovens. Dessa forma, o presente trabalho busca problematizar o dualismo existente entre a manutenção de uma cultura tradicional e a ausência de intervenções polínternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face
  9. 9. Território, Economia e Cidadania Higo Gabriel Santos Alves Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Profª Michelly Ferreira Monteiro Elias Questão Agrária na contemporaneidade e seus reflexos no Vale do Mucuri Podemos dizer que a questão agrária é determinada de acordo com a relação entre o uso e a posse da terra na sociedade, e tendo como pressuposto que na formação sócio-histórica do Brasil, essa relação se expressa na concentração de terras, conflitos agrários e na exploração da força de trabalho dos trabalhadores do campo. No cenário agrário atual, os conflitos agrários são cada vez maiores, levando em consideração não só dos trabalhadores no campo, mas terras quilombolas e indígenas. É permanecida e complexificada a grande concentração de terras, muitas vezes terras improdutivas e isso significa, também, concentração do domínio dos recursos econômicos que constituem a fonte de subsistência da população que não dispõe de terras. O que ocasiona a disponibilidade da mão de obra de uma massa de trabalhadores rurais, pois a concentração da propriedade fundiária tem como consequência um duplo movimento, o primeiro, o de conceder ao empreendimento do agronegócio uma base territorial conivente para a realização de see a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” Metabolismo Social Latino- Americano: contradições e prospectivas Anderson Sabino da Silva Universidade Estadual de Maringá Os governos Kirchner e as "novas" estratégias de desenvolvimento na Argentina Este trabalho tem como objetivo analisar aspectos das políticas econômicas da Argentina durante os governos de Néstor e Cristina Kirchner, em contraste com o contexto econômico global e com as políticas econômicas de governos anteriores do país. A hipótese levantada é que os governos Kirchner representam uma alteração de posicionamento da nação, quando se leva em consideração o receituário econômico das potências econômicas mundiais, especialmente os Estados Unidos, que historicamente tem influência decisiva nos assuntos internos de países da América Latina. São analisados discursos oficiais, cobertura da imprensa local e produção acadêmica disponível para traçar um panorama do ambiente econômico argentino no período Kirchner e identificar os principais aspectos da mudança de posicionamento suposta, tanto pelo ponto de vista oficial como do ponto de vista de observadores externos, no caso da imprensa. Metabolismo Social Latino- Americano: contradições e prospectivas Aline Cristina Paiva; Cinthya Lunna Montalbetti; Juliéverson Messias de Carvalho Universidade Federal da Integração Latino- Americana Comparando o avanço das políticas públicas para os Afrodescentes e comunidades indígenas no Brasil, Colômbia e Guatemala, a partir dos anos 1990 Neste trabalho buscamos desenvolver uma análise comparativa acerca dos processos de desenvolvimento de políticas públicas voltadas para os afro-descendentes e comunidades indígenas no Brasil, Colômbia e Guatemala. O objetivo é compararmos o papel dos movimentos sociais em sua relação com os Estados. Para tanto, traçaremos um breve panorama histórico sobre o período que marca a elaboração e adoção das políticas neoliberais aos países latino americanos, bem como a crise deste modelo evidenciada ao final do século XX. Finalmente, consideraremos o atual momento que alguns teóricos caracterizam de “pós-neoliberal". Queremos compreender como desencadearam os processos de luta destes movimentos sociais nos países em questão e como estas refletiram/refletem na formulação das políticas que levadas a cabo pelos Estados. PALAVRAS-CHAVE: políticas públicas; movimentos sociais; minorias; igualdade. Metabolismo Social Latino- Americano: contradições e prospectivas JESUS IBANEZ OJEDA UNIVERSIDAD FEDERAL DE LA INTEGRACION LATINOAMERICANA - UNILA Renata Peixoto BOLIVIA: CONDICIONANTES ECONÓMICOS Y POLÍTICOS PARA LA CONFORMACIÓN DE UN EJE BOLIVARIANO EN AMÉRICA ANDINA. Este trabajo pretende realizar un estudio profundizado acerca de la realidad socioeconómica y política de Bolivia, con el intuito de comprender los condicionantes que explican los cambios recientes promovidos por el gobierno de Evo Morales, especialmente en términos de política externa, en el sentido de su aproximación con Caracas y consecuente alejamiento de Washington. Desde la llegada del Movimiento al Socialismo (MAS) al poder con la elección de un representante del movimiento de los cocaleros, Evo Morales, para la presidencia de la República de Bolivia, importantes cambios fueron percibidos en términos políticos; económicos, sociales y también en términos de Política Externa. El objetivo principal de este trabajo es comprender como se constituye la alianza política reciente entre los gobiernos Morales y Chávez, que conformó un verdadero eje bolivariano en la región andina. Para analizar este proceso, es fundamental el análisis que busque investigar esta alianza como punto central de la Política Externanternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à cidade das populações de áreas consideradas históricas. Palavras-chave: megaprojetos; gentrific Metabolismo Social Latino- Americano: contradições e prospectivas Bruna Caroline Probst Santos Cristiane da Silva Ferreira de Almeida Joara de Oliveira Cardoso Pimentel Universidade Federal da Integração Latino - Americana As grandes obras de infra estrutura e a criminalização da pobreza: processo de gentrificação da região do micro centro de Assunção - PY O trabalho é baseado nos impactos que a construção da Costaneira Sul, em Assunção, poderá gerar para os habitantes locais da Chacarita, desmembrando assim relações sociais e econômicas importantes para a população que ali vive. O foco é tratar como um megaprojeto pode alterar a paisagem de uma cidade, mudando as características da localização e valorizando os terrenos a sua volta, num processo que culmina na perda de espaço para a população menos favorecida financeiramente, bem como analisar quais os possíveis benefícios e/ou prejuízos que afetarão o “bem viver” de determinada comunidade. A partir de pesquisas, será enfatizada uma perspectiva geográfica do processo de gentrificação e da relação de “Estabelecidos e Outsiders” entre os habitantes removidos da região da construção e os habitantes da vila Elisa (local onde os chacaritenhos serão realojados), levando em consideração o posicionamento dos moradores da Chacarita, dos da Vila Elisa, do governo e da corporação financiadora do projeto, trazendo para dene a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, como a questão das desigualdades sociais se apresenta na sociologia atualmente.
  10. 10. Metabolismo Social Latino- Americano: contradições e prospectivas Gabriela Mosquera Ospina Universidade de Brasília Formas de discriminação e violência contra os migrantes andinos na cidade de Brasília-DF Observadas as atuais dinâmicas de criminalização da pobreza, e por outro lado de um processo de construção social das classes marginais entendidas como classes perigosas, este projeto tem como finalidade o levantamento de dados sobre a situação real dos migrantes andinos na cidade de Brasília. Pesquisar e compreender como ocorre sua inserção ou marginalização na sociedade brasiliense tanto social como econômica, levando em consideração a questão étnico/racial do grupo. Ainda que o Estado brasileiro prometa um trato igualitário, muitas vezes a estrutura da sociedade aciona mecanismos de segregação e tolerância zero contra os migrantes andinos, fato que evidenciaria uma falta de políticas públicas voltadas à inserção real do migrante no Brasil. Inicialmente, será feito um levantamento bibliográfico para observar estudos que tenham avançado na temática. Já na segunda fase da pesquisa seriam aplicadas entrevistas semiestruturadas. Por fim, espera-se desta pesquisa contribuir positivamente para políticas públinternas, do povo.a questão do Formação socio-histórica brasileira Eduardo Oliveira de Almeida Universidade Estadual de Maringá (UEM) A história do Brasil e a necessidade de um projeto nacional Alguns autores brasileiros, ao refletir sobre a trajetória histórico-social seu país, encontram na falta de um projeto nacional que priorize as necessidades internas do Brasil respostas para boa parte dos problemas vistos e analisados na época em que escrevem. Caio Prado Júnior, Florestan Fernandes e Octavio Ianni são exemplos de análises feitas, guardadas suas especificidades, que caminham nesse sentido. Enquanto Caio Prado faz, para entender a indústria brasileira, um resgate histórico de seu processo, os dois último autores chamam a atenção, respectivamente, para a necessidade de se entender a passagem, no Brasil, de uma colônia para uma nação dependente e do capitalismo nacional para um outro tipo, o transnacional. O presente trabalho objetiva uma articulação teórica entre os autores, de modo a evidenciar, segundo suas concepções, a necessidade de recuperar a soberania nacional, para que o país tenha condições de elaborar diretrizes políticas, econômicas, sociais e culturais que correspondam as demandas ie a obra de Freyr Formação socio-histórica brasileira Cauê Almeida Galvão UNILA Manifestações brasileiras em 2013 e a ação repressiva de um “Estado democrático”: Uma perspectiva de audiovisual para uma construção historiográfica não monopolizante. Esta exposição intenciona debater e mostrar que há anos no Brasil é possível observar diversos movimentos contra-hegemônicos que tem caminhado em prol de um mundo onde caibam todos os mundos. Baseados sobretudo em um ideal que inicia em 1º de janeiro de 1994 com o levante zapatista no México e nos sequentes anos com a articulação e concretização da Ação Global dos Povos onde reuniu-se diversas ações que convergiam para um ideal anticapitalista. Esses movimentos nesse início de segunda década do século XXI têm ganhado impulso a partir da descrença social do modelo de governo democrático-representativo e do descrédito e aversão que a sociedade criou dos (profissionais) políticos, e em um ideal de senso comum, da política. Essa força chegou ao seu estopim em 2013, demonstrando claramente que a ação autoritária e repressiva do Estado legitimaram durante as manifestações em prol de direitos e liberdades, o silenciamento das vozes que tentavam se alçar no debate de uma sociedade mais justa e menos hierarquizada. Ponternas, do povo.a questão do progresso da capital paraguaia face a importância do direito à Formação socio-histórica brasileira FABIO VIEIRA PEIXOTO ALUNO DA PUC PR Lindomar Wessler Boneti DESIGUALDADE SOCIAL NO PENSAMENTO SOCIOLÓGICO BRASILEIRO O estudo objetivou compreender como a questão da desigualdade social foi tratada nos diferentes momentos históricos da construção do pensamento sociológico no Brasil e atualmente. Especificamente a investigação objetivou identificar os principais autores, e suas respectivas obras marcantes na construção do pensamento sociológico no Brasil no que se refere à questão da desigualdade social. A metodologia de coleta de dados foi a bibliográfica a partir da seleção de obras as quais se compreendem como significativas em relação à temática analisada, a partir de três principais fases da construção do pensamento sociológico brasileiro: O período dos pensadores sociais optando-se pelo estudo do pensamento de Oliveira Viana (1933) e Alberto Torres (1982). Neste mesmo período optou-se por analisar também a influência deste pensamento sociológico a respeito das desigualdades sociais na literatura a partir do pensamento de Lobato (1984), em Urupês e Cunha (1967), em Os Sertões. No período dos “reexplicadores”, analisou-se a obra de Freyre (1933), Holanda (1978) e Prado Jr (1982). No período da Sociologia “científica” contemporânea, Formação socio-histórica brasileira João Paulo dos Santos Pinto Universidade Federal do Paraná Programa de educação Tutorial - ciências sociais Sindicalismo brasileiro: da autonomia da República Velha a Uniformidade da Era Vargas Resumo: A revolução em 1930 alterou bruscamente as características do movimento sindical, a partir daí observou-se uma mudança no modo em que eles agiam. Anteriormente a 30 tinham caráter espontâneo e diversificado ideologicamente, após esta data passaram a agir como instrumento do governo varguista para a legitimação do Estado e apaziguamento dos conflitos Sociais. Este artigo, se propõe a analisar os sindicatos perante as alterações no modelo do Estado com a revolução de 1930 e a mudança do modelo liberal da república velha para o centralizado, mediador dos interesses

×