Levantamento da producão GT Educ Popular ANPED

1.871 visualizações

Publicada em

Reuniões anuais de 2000 a 2006.

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.871
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Levantamento da producão GT Educ Popular ANPED

  1. 1. <ul><li>LEVANTAMENTO DA PRODUÇ ÃO do </li></ul><ul><li>GT de Educação Popular </li></ul><ul><li>ANPED - GT6 </li></ul>Sandra Ribeiro Fortes Sara Rios Bambirra Santos Valeria Bolognini F. Machado José Antonio Pimenta Reuniões anuais - 2000 a 2006 Disciplina: Ensino Processos e Relações na Educação Tecnológica Profa. Dra. Maria Aparecida da Silva Mestrado em Educação Tecnológica
  2. 2. O termo educação popular surge em diversas pesquisas e trabalhos apresentados e faz referência á diversas perspectivas e abordagens.
  3. 3. Educação Popular <ul><li>Elisa Pereira GONSALVES - autonomia do indivíduo , desenvolvimento do processo de conscientização dos grupos populares. </li></ul><ul><li>Danilo R. STRECK & Edla EGGERT - mudanças no campo da educação popular , tanto na construção teórica como na ação dos movimentos populares, tomando como referência o OP . </li></ul><ul><li>Marize Bastos da CUNHA – recupera a dinamicidade da relação entre os agentes sociais e as estruturas em movimento. </li></ul><ul><li>Sandra Haydée PETIT & Rosileide Maria da Silva SOARES – defendem a necessidade de avançar na produção de subjetividades através das inúmeras micro-experiências que compõem o Movimento Social. </li></ul><ul><li>Filomena Cordeiro MOITA – utiliza a história oral entender as trajetórias de vida das mulheres num ambiente de pluralidade de ações violentas . </li></ul>
  4. 4. Educação Popular <ul><li>Dulce Maria de OLIVEIRA – estuda o cotidiano da sala de aula do Supletivo de Trabalhadores, numa experiência de EJA dentro dos princípios da Educação Popular, abordando o mundo do trabalho e a formação profissional. </li></ul><ul><li>Carmen Lúcia PÉREZ – possibilidades do saber-fazer docente , que permitem as professoras desenharem o diagrama de suas vidas, inventado a si mesmos e ao mundo. </li></ul><ul><li>Luiz Gonzaga GONÇALVES – captou no pensamento de Paulo Freire sua compreensão de educação, dos processos do aprender humano-social num diálogo com Guimarães Rosa, que em seus textos evidencia os saberes populares . </li></ul><ul><li>Maristela FANTIN – trata das relações entre a temática de Educação Popular e Saúde , abordando experiências que nasceram no Brasil a partir de 1990 . </li></ul>
  5. 5. Destaque á temática da saúde , em sua relação com a educação popular, recorrente nos três anos estudados (2000-2002). Eymard Mourão VASCONCELOS. 2000 – “Educação popular e pesquisa-ação como instrumentos de reorientação da prática médica” aborda a necessidade de superar o fosso existente entre a ação médica e a ação popular na luta contra as doenças. 2001 – contextualiza as transformações da participação dos atores populares no cenário político do final do século XIX e início do século XX 2002 –aborda a questão do lixo e do rato na periferia urbana, contribuindo na explicitação da metodologia da educação popular em saúde adequada ao atual contexto institucional, analisando o seu significado no combate às doenças infecciosas e parasitárias.
  6. 6. Outra temática que é recorrente no GT de Educação Popular é a educação rural, ou do campo, focando principalmente o Movimento dos Sem-Terra . WESCHENFELDER & MARIA – discursos que o MST faz sobre si mesmo e que circulam no interior de seus diferentes grupos, principalmente os discursos produzidos sobre a infância , na busca de compreender como se forma um “Sem-Terrinha” FURTADO & BRANDÃO – INCRA e MST, considerando os sujeitos enquanto atores das descobertas , das contradições da sua realidade, nas escolas dos assentamentos. Alessandro Augusto de AZEVEDO – apresenta algumas considerações acerca de aspectos da experiência de educação de jovens e adultos/ PRONERA vivenciada por assentados no Rio Grande do Norte. Maurício José SIEWERDT – estudo de recepção de meios de comunicação audiovisuais junto a um grupo de 8 professores de três escolas articuladas com o MST, em Santa Catarina.
  7. 7. É a diversidade que compõe o núcleo do GT de Educação Popular da ANPEd nos anos de 2000 a 2002.
  8. 8. Al ém disso, para Regina Leite GARCIA, os trabalhos produzidos t ê m em comum: a amorosidade, a crise da compreensão, a compaixão “ aceitar o outro enquanto legítimo outro” (MATURANA & VARELA)
  9. 9. REFER Ê NCIA BIBLIOGR ÁFICA GARCIA, Regina Leite. A busca da coerência: reflexões sobre a produção do GT Educação Popular. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 18, 2001. TEXTOS apresentados no GT de Educaç ão Popular da ANPED, nas reuniões anuais no período de 2000 a 2006.

×