SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
E.E.Adv.Demósthenes Martins Artes-Profª Regente Denise D. Bastos Profª de tecnologia: Walkiria Zanuncio. Conteúdo: Grafite Alunos(as): Ano:  Arte do Grafite
A arte do grafite é uma forma de manifestação artística em espaços públicos. A definição mais popular diz que o grafite é um tipo de inscrição feita em paredes, dessa maneira temos relatos e vestígios do mesmo desde o Império Romano. Seu aparecimento na idade contemporânea se deu na década de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Alguns  jovens  começaram a deixar suas  marcas  nas paredes da  cidade , algum tempo depois essas  marcas  evoluíram com técnicas e desenhos.
O grafite está ligado diretamente a vários movimentos, em especial ao Hip Hop. Para esse movimento, o grafite é a forma de expressar toda a opressão que a humanidade vive, principalmente os menos favorecidos, ou seja, o grafite reflete a realidade das ruas.  O grafite foi introduzido no Brasil no final da década de 1970, em São Paulo. Os brasileiros por sua vez não se contentaram com o grafite norte-americano, então começaram a incrementar a arte com um toque brasileiro, o estilo do grafite brasileiro é reconhecido entre os melhores de todo o mundo.  O grafite difere da pichação principalmente por exigir o domínio de algumas técnicas. Muitos grafiteiros desenvolvem técnicas próprias, sendo possível distinguir seus trabalhos de outros. No grafite tambem há uma preocupação com a estética e com a segurança. Na foto, vemos um artista utilizando máscara protetora.
Muitas polêmicas giram em torno desse movimento artístico, pois de um lado o grafite é desempenhado com qualidade artística, e do outro não passa de poluição visual e vandalismo. A pichação ou vandalismo é caracterizado pelo ato de escrever em muros, edifícios, monumentos e vias públicas. Os materiais utilizados pelos grafiteiros vão desde tradicionais latas de spray até o látex.
 
 
 
Este é Zezão,grafiteiro em São Paulo. Grafite: traços da cidadania Muros pintados revelam mais que violência e rebeldia. A forma de expressão ajuda a compreender o valor da cultura local
 
 
 
Principais termos e gírias utilizadas nessa arte;  •  Grafiteiro/writter:  o artista que pinta.  • Bite:  imitar o estilo de outro grafiteiro.  •  Crew:  é um conjunto de grafiteiros que se reúnem para pintar juntos.  •  Tag:  é assinatura de grafiteiro.  •  Toy:  é o grafiteiro iniciante.  •  Spot:  lugar onde é praticada a arte do grafitismo.
•  Grafiteiro/writter:  o artista que pinta.
•  Bite:  imitar o estilo de outro grafiteiro.
•   Crew:  é um conjunto de grafiteiros que se reúnem para pintar juntos.
•  Tag - Nome/Pseudónimo do artista.  •  Tag:  é assinatura de grafiteiro.
•  Toy:  é o grafiteiro iniciante.
O grafite é forma de manifestação artística em espaços públicos e é considerada por muitos como vandalismo. O preconceito ainda existe, os artistas sofrem muito e por isso há muito tempo tentam fugir do preconceito.  •  Spot:  lugar onde é praticada a arte do grafitismo. http://entretenimento.uol.com.br/album/grafite_na_pompeia_2010_album.jhtm#fotoNav=61
Use sua criatividade e faça um grafite bem bolado. Aproveite o muro abaixo. Grafite em Muros
Aluno João Felipe- 3º A. Grafite em Muros
Aluno Vítor- 4 A. Grafite em Muros
Matheus Gonçalves-5º A Grafite em Muros
Aqui, muro é que não falta, então, continue criando!
Agatha- 5º ano A.
Aluno Carlos. 5º Ano A,
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Arte - Grafite
Arte - GrafiteArte - Grafite
Arte - Grafite
 
Grafite
GrafiteGrafite
Grafite
 
Grafite Muralismo PichaçãO
Grafite Muralismo PichaçãOGrafite Muralismo PichaçãO
Grafite Muralismo PichaçãO
 
Grafite slide
Grafite slideGrafite slide
Grafite slide
 
Graffiti 2C12
Graffiti 2C12Graffiti 2C12
Graffiti 2C12
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
 
Os gémeos grafiteiros
Os gémeos grafiteirosOs gémeos grafiteiros
Os gémeos grafiteiros
 
Aula de arte urbana
Aula de arte urbanaAula de arte urbana
Aula de arte urbana
 
Pintura rupestre x arte mural x grafite x completo
Pintura rupestre x arte mural x grafite x completoPintura rupestre x arte mural x grafite x completo
Pintura rupestre x arte mural x grafite x completo
 
Graffiti em Portugal
Graffiti em PortugalGraffiti em Portugal
Graffiti em Portugal
 
Grafite e a pichação versão final
Grafite e a pichação   versão finalGrafite e a pichação   versão final
Grafite e a pichação versão final
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
 
Grafites Os GêMeos
Grafites   Os GêMeosGrafites   Os GêMeos
Grafites Os GêMeos
 
Graffiti
GraffitiGraffiti
Graffiti
 
Cibercultura e arte urbana
Cibercultura e arte urbanaCibercultura e arte urbana
Cibercultura e arte urbana
 
Graffite Como Arte De Rua
Graffite Como Arte De RuaGraffite Como Arte De Rua
Graffite Como Arte De Rua
 
Intervenção Urbana
Intervenção UrbanaIntervenção Urbana
Intervenção Urbana
 
Intervenções urbanas
Intervenções urbanasIntervenções urbanas
Intervenções urbanas
 
Et
EtEt
Et
 
Pintura mural
Pintura muralPintura mural
Pintura mural
 

Destaque

1º cap banksy_issuu
1º cap banksy_issuu1º cap banksy_issuu
1º cap banksy_issuuLuara Schamó
 
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorrido
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorridoDa graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorrido
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorridoFelipe Pontes
 
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕES
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕESStreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕES
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕESbralemaobr
 
Galeria de Gravura
Galeria de GravuraGaleria de Gravura
Galeria de Gravurawiltao
 
Arte Urbana [Street Art]
Arte Urbana [Street Art]Arte Urbana [Street Art]
Arte Urbana [Street Art]Carlos Pinheiro
 
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do NazarenoEscola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do NazarenoEvangelista Oliveira
 
Resumão de História da Arte
Resumão de História da ArteResumão de História da Arte
Resumão de História da ArteEdenilson Morais
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresCéu Barros
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das CoresAline Okumura
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da artelgreggio10
 

Destaque (18)

Totem
TotemTotem
Totem
 
Aula - Van Gogh
Aula - Van Gogh Aula - Van Gogh
Aula - Van Gogh
 
1º cap banksy_issuu
1º cap banksy_issuu1º cap banksy_issuu
1º cap banksy_issuu
 
História da Arte: Muralismo
História da Arte: MuralismoHistória da Arte: Muralismo
História da Arte: Muralismo
 
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorrido
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorridoDa graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorrido
Da graduação ao Mestrado: Um bom caminho a ser percorrido
 
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕES
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕESStreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕES
StreetArt - EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA E PROJEÇÕES
 
Apostila de arte
Apostila de arteApostila de arte
Apostila de arte
 
Galeria de Gravura
Galeria de GravuraGaleria de Gravura
Galeria de Gravura
 
Muralismo
MuralismoMuralismo
Muralismo
 
Arte Urbana [Street Art]
Arte Urbana [Street Art]Arte Urbana [Street Art]
Arte Urbana [Street Art]
 
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do NazarenoEscola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno
Escola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno
 
A cor
A corA cor
A cor
 
Resumão de História da Arte
Resumão de História da ArteResumão de História da Arte
Resumão de História da Arte
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as cores
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
Curso de historia da arte
Curso de historia da arteCurso de historia da arte
Curso de historia da arte
 

Semelhante a Grafite

Semelhante a Grafite (20)

Grafite urbano
Grafite urbanoGrafite urbano
Grafite urbano
 
Grafite urbano
Grafite urbanoGrafite urbano
Grafite urbano
 
Cores na Cidade Cinza - Elana Souza Borri
Cores na Cidade Cinza - Elana Souza BorriCores na Cidade Cinza - Elana Souza Borri
Cores na Cidade Cinza - Elana Souza Borri
 
Graffiti - Ryla 2011
Graffiti  - Ryla 2011Graffiti  - Ryla 2011
Graffiti - Ryla 2011
 
Emy M Mini
Emy M MiniEmy M Mini
Emy M Mini
 
Luiza 9C trabalho de ARTES Preto e Branco-1.pdf
Luiza 9C trabalho de ARTES Preto e Branco-1.pdfLuiza 9C trabalho de ARTES Preto e Branco-1.pdf
Luiza 9C trabalho de ARTES Preto e Branco-1.pdf
 
Grafite urbano
Grafite urbanoGrafite urbano
Grafite urbano
 
Grafite etnografismo
Grafite etnografismoGrafite etnografismo
Grafite etnografismo
 
Arte urbana do grafite
Arte urbana do grafiteArte urbana do grafite
Arte urbana do grafite
 
Artes
ArtesArtes
Artes
 
Banksy
BanksyBanksy
Banksy
 
Arte Urbana.pptx
Arte Urbana.pptxArte Urbana.pptx
Arte Urbana.pptx
 
grafite.pptx
grafite.pptxgrafite.pptx
grafite.pptx
 
grafite-slisdshare-200811121205.pdf
grafite-slisdshare-200811121205.pdfgrafite-slisdshare-200811121205.pdf
grafite-slisdshare-200811121205.pdf
 
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
   Grafite - Arte nas paredes e nos muros   Grafite - Arte nas paredes e nos muros
Grafite - Arte nas paredes e nos muros
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
 
grafite-_tracos_da_cidadania
grafite-_tracos_da_cidadaniagrafite-_tracos_da_cidadania
grafite-_tracos_da_cidadania
 
50 Tons de João Dória
50 Tons de João Dória50 Tons de João Dória
50 Tons de João Dória
 
3o termos at2_grafite
3o termos at2_grafite3o termos at2_grafite
3o termos at2_grafite
 
Rio cidade tatuada proj. ilustração temática
Rio cidade tatuada   proj. ilustração temáticaRio cidade tatuada   proj. ilustração temática
Rio cidade tatuada proj. ilustração temática
 

Mais de Walkiria Zanuncio (20)

Ativ consc negra 3º a
Ativ  consc negra 3º aAtiv  consc negra 3º a
Ativ consc negra 3º a
 
C onsciencia negra
C onsciencia negraC onsciencia negra
C onsciencia negra
 
Atividade sobre fabulas ok
Atividade sobre fabulas okAtividade sobre fabulas ok
Atividade sobre fabulas ok
 
Bullying matem
Bullying  matemBullying  matem
Bullying matem
 
Fabulas conecta escola
Fabulas conecta escolaFabulas conecta escola
Fabulas conecta escola
 
Cruzadinha tosco
Cruzadinha toscoCruzadinha tosco
Cruzadinha tosco
 
Prefácio livro tosco
Prefácio  livro toscoPrefácio  livro tosco
Prefácio livro tosco
 
Amizade
AmizadeAmizade
Amizade
 
Blog atividade bullying
Blog atividade bullying  Blog atividade bullying
Blog atividade bullying
 
Atividade bullying maria e marani
Atividade bullying maria e maraniAtividade bullying maria e marani
Atividade bullying maria e marani
 
Atividade bullying lucca
Atividade bullying luccaAtividade bullying lucca
Atividade bullying lucca
 
Atividade bullying karina
Atividade bullying karinaAtividade bullying karina
Atividade bullying karina
 
Atividade bullying joão luiz
Atividade bullying joão luizAtividade bullying joão luiz
Atividade bullying joão luiz
 
Atividade bullying isadora
Atividade bullying isadoraAtividade bullying isadora
Atividade bullying isadora
 
Atividade bullying husdon jubrica
Atividade bullying husdon jubricaAtividade bullying husdon jubrica
Atividade bullying husdon jubrica
 
Atividade bullying eduardo
Atividade bullying eduardoAtividade bullying eduardo
Atividade bullying eduardo
 
Atividade bullying ahlli
Atividade bullying  ahlliAtividade bullying  ahlli
Atividade bullying ahlli
 
Atividade bullyin ga vitos hugo
Atividade bullyin ga vitos hugoAtividade bullyin ga vitos hugo
Atividade bullyin ga vitos hugo
 
Atividade bullying ketyllen
Atividade bullying ketyllenAtividade bullying ketyllen
Atividade bullying ketyllen
 
Produção bullying
Produção bullyingProdução bullying
Produção bullying
 

Último

CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do BrasilMary Alvarenga
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonRosiniaGonalves
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 

Último (20)

Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
19 de abril - Dia dos Povos Indígenas do Brasil
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita PhytonAlgumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
Algumas Curiosidades do uso da Matemática na escrita Phyton
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 

Grafite

  • 1. E.E.Adv.Demósthenes Martins Artes-Profª Regente Denise D. Bastos Profª de tecnologia: Walkiria Zanuncio. Conteúdo: Grafite Alunos(as): Ano: Arte do Grafite
  • 2. A arte do grafite é uma forma de manifestação artística em espaços públicos. A definição mais popular diz que o grafite é um tipo de inscrição feita em paredes, dessa maneira temos relatos e vestígios do mesmo desde o Império Romano. Seu aparecimento na idade contemporânea se deu na década de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Alguns jovens começaram a deixar suas marcas nas paredes da cidade , algum tempo depois essas marcas evoluíram com técnicas e desenhos.
  • 3. O grafite está ligado diretamente a vários movimentos, em especial ao Hip Hop. Para esse movimento, o grafite é a forma de expressar toda a opressão que a humanidade vive, principalmente os menos favorecidos, ou seja, o grafite reflete a realidade das ruas. O grafite foi introduzido no Brasil no final da década de 1970, em São Paulo. Os brasileiros por sua vez não se contentaram com o grafite norte-americano, então começaram a incrementar a arte com um toque brasileiro, o estilo do grafite brasileiro é reconhecido entre os melhores de todo o mundo. O grafite difere da pichação principalmente por exigir o domínio de algumas técnicas. Muitos grafiteiros desenvolvem técnicas próprias, sendo possível distinguir seus trabalhos de outros. No grafite tambem há uma preocupação com a estética e com a segurança. Na foto, vemos um artista utilizando máscara protetora.
  • 4. Muitas polêmicas giram em torno desse movimento artístico, pois de um lado o grafite é desempenhado com qualidade artística, e do outro não passa de poluição visual e vandalismo. A pichação ou vandalismo é caracterizado pelo ato de escrever em muros, edifícios, monumentos e vias públicas. Os materiais utilizados pelos grafiteiros vão desde tradicionais latas de spray até o látex.
  • 5.  
  • 6.  
  • 7.  
  • 8. Este é Zezão,grafiteiro em São Paulo. Grafite: traços da cidadania Muros pintados revelam mais que violência e rebeldia. A forma de expressão ajuda a compreender o valor da cultura local
  • 9.  
  • 10.  
  • 11.  
  • 12. Principais termos e gírias utilizadas nessa arte; • Grafiteiro/writter: o artista que pinta. • Bite: imitar o estilo de outro grafiteiro. • Crew: é um conjunto de grafiteiros que se reúnem para pintar juntos. • Tag: é assinatura de grafiteiro. • Toy: é o grafiteiro iniciante. • Spot: lugar onde é praticada a arte do grafitismo.
  • 13. • Grafiteiro/writter: o artista que pinta.
  • 14. • Bite: imitar o estilo de outro grafiteiro.
  • 15. Crew: é um conjunto de grafiteiros que se reúnem para pintar juntos.
  • 16. • Tag - Nome/Pseudónimo do artista. • Tag: é assinatura de grafiteiro.
  • 17. • Toy: é o grafiteiro iniciante.
  • 18. O grafite é forma de manifestação artística em espaços públicos e é considerada por muitos como vandalismo. O preconceito ainda existe, os artistas sofrem muito e por isso há muito tempo tentam fugir do preconceito. • Spot: lugar onde é praticada a arte do grafitismo. http://entretenimento.uol.com.br/album/grafite_na_pompeia_2010_album.jhtm#fotoNav=61
  • 19. Use sua criatividade e faça um grafite bem bolado. Aproveite o muro abaixo. Grafite em Muros
  • 20. Aluno João Felipe- 3º A. Grafite em Muros
  • 21. Aluno Vítor- 4 A. Grafite em Muros
  • 22. Matheus Gonçalves-5º A Grafite em Muros
  • 23. Aqui, muro é que não falta, então, continue criando!
  • 26.