SlideShare uma empresa Scribd logo
BIOLOGIABIOLOGIA
CITOLOGIA
CONHECENDO AS CÉLULAS
CITOLOGIA
• A área da Biologia que estuda a célula ao nível
de sua constituição, estrutura e função.
Kytos (célula) + Logos (estudo)
•As células são as unidades funcionais e estruturais
básicas dos seres vivos!
•É a unidade morfo-fisiológica dos seres vivo
A história da Citologia
• Hans e Zaccharias Janssen- No ano de 1590
inventaram um pequeno aparelho de duas
lentes que chamaram de microscópio.
• Robert Hooke (1635-1703)- Em 1665
observou os espaços vazios de uma cortiça, os
quais chamou de célula (pequena cela)
A história da Citologia
• Theodor Schwann (1839) – observa a
existência de células nos animais e nos
vegetais.
Todos os seres vivos são constituídos por células!
TEORIA CELULAR
a) Todo ser vivo é constituído de células*.
b) Uma célula só surge de outra preexistente.
c) Todas as reações metabólicas ocorrem no interior das
células.
CITOLOGIA
• Microscópio óptico (até 2000 vezes);
• Microscópio eletrônico (até 100 milhões de
vezes);
1 = ocular
2 = objetivas e revólver
3 = platina
4 = charriot
5 = macrométrico
6 = micrométrico
7 = diafragma no condensador
8 = condensador
9 = botão do condensador
10 = dois parafusos
centralizadores do condensador
11 = fonte de luz
12 = controle de iluminação
13 = diafragma de campo
14 = dois parafusos de ajuste da
lâmpada
15 = focalizadora da lâmpada
Citologia
• Os seres vivos formados por células podem ser
divididos em:
– Unicelulares: Seres vivos formados por uma única
célula. Ex: bactérias, algas e protozoários.
Citologia
• Seres pluricelulares: seres vivos formados por
muitas células. Ex: animais e vegetais.
Citologia
• As células podem ser categorizadas por tamanho:
– Microscópicas (< 0,1 mm).
– Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser vistas a olho nú.
Formas das células
Esféricas
Fusiformes (alongadas)
Discóides
Estreladas
Tipos de células quanto à evolução
Tipos de células: grau de especialização
• Células indiferenciadas: São denominadas também de células
totipotentes pelo fato de poderem originar os diversos tipos
celulares existentes em um indivíduo multicelular. Ex.: a célula
ovo ou zigoto e as células embrionárias.
• Células diferenciadas: Diz-se dos tipos celulares, que por
passar por um processo de especialização, estão aptas para
desempenhar uma função específica. Ex.: células hepáticas,
musculares, ósseas, nervosas etc.
Tipos de células: grau de especialização
•Células desdiferenciadas: São células que por algum motivo,
ao perderem a sua especialização, reassumem o padrão de
célula indiferenciada e passam a multiplicar de forma
descontrolada. Ex.: células cancerosas e as células embrionárias
vegetais.
• Diferenciação celular: Consiste em um processo de adaptação
estrutural e funcional das células totipotentes que, a partir de um
mesmo material genético, se capacitam a desempenhar uma
determinada função. Essa adaptação de deve à expressão
diferencial do genoma celular.
Estruturas das células
• Basicamente uma célula é formada por três partes
básicas:
– Membrana: “capa” que envolve a célula;
– Citoplasma: região que fica entre a membrana e o núcleo;
– Núcleo: estrutura que controla as atividades celulares.
A Membrana Plasmática
• As membranas possuem de 6 a 9 nm de espessura.
• São flexíveis e fluídas.
• É formada de lipídios, glicídios e protídeos (que podem ser
esféricos ou integrais).
A Membrana Plasmática
• São permeáveis à água
• Impermeáveis a íons (Na, K, H,...) e à moléculas polares não
carregadas (glicídios).
• São permeáveis à substâncias lipossolúveis.
A Membrana Plasmática
• Davison-Danielli: dupla camada lipídica com extremidades
hidrofóbicas voltadas para dentro e extremidades hidrofílicas
voltadas para proteínas globulares.
• Unitária de Robertson: idêntico ao anterior, com diferença
que as proteínas estariam estendidas sobre a membrana e que
haviam proteínas que ocupavam espaços vazios entre lipídios.
• Mosaico Fluído (Singer e Nicholson): dupla camada lipídica
com extremidades hidrofóbicas voltadas para o interior e as
hidrofílicas voltadas para o exterior. Participam da composição
proteínas (integrais ou esféricas) e glicídios ligados às
proteínas (glicoproteínas) ou lipídios (glicolipídios).
A Membrana Plasmática
Constituição:Constituição: Formada por uma dupla camada de fosfolipídios
(fosfato associado a lipídios), bem como por proteínas espaçadas
e que podem atravessar de um lado a outro da membrana.
Algumas proteínas estão associadas a glicídios, formando as
glicoproteínas (associação de proteína com glicídios - açucares-
protege a célula sobre possíveis agressões, retém enzimas,
constituindo o glicocálix), que controlam a entrada e a saída de
substâncias.
A membrana apresenta duas regiões distintas:
- uma polar (carregada eletricamente)
- e uma apolar (não apresenta nenhuma carga elétrica).
A Membrana Plasmática
Constituição:Constituição: As moléculas lipídicas constituem 50% da
massa da maioria das membranas de células animais, sendo
o restante, constituído de proteínas. As moléculas lipídicas
são anfipáticas, pois possuem uma extremidade hidrofílica
ou polar (solúvel em meio aquoso) e uma extremidade
hidrofóbica ou não-polar (insolúvel em água). Os três
principais grupos de lipídios da membrana são os
fosfolipídeos, o colesterol e os glicolipídeos.
FUNÇÕES
• A membrana plasmática contém e delimita o espaço da célula,
• mantém condições adequadas para que ocorram as reações
metabólicas,
• ela seleciona o que entra e sai da célula,
• ajuda a manter o formato celular,
• ajuda a locomoção
A Membrana Plasmática
A Membrana Plasmática
•Propriedades:Propriedades: A membrana apresenta, devido à sua
constituição, baixa tensão superficial, resistência elétrica,
capacidade de regeneração, elasticidade e semi-
permeabilidade seletiva.
Baixa tensão superficial:
decorre das fracas forças de coesão entre as moléculas de proteínas;
Membrana Plasmática: Propriedades
Membrana Plasmática: Propriedades
Resistência elétrica:
apresenta dificuldade para a entrada e ou saída de certos íons;
Membrana Plasmática: Propriedades
As membranas celulares são elásticas e resistentes graças às fortes
interações hidrofóbicas entre os grupos apolares dos fosfolipídios.
Elasticidade:
capacidade de distender-se e retrair
Membrana Plasmática: Propriedades
Regeneração:
até certo limite, sendo lesada, pode se reestruturar;
Semi-permeabilidade seletiva:
capacidade de a membrana dificultar a entrada e ou saída de certas
substância e possibilitar a de outras. Em geral, permite a entrada de
substâncias líquidas e dificulta a entrada das substâncias sólidas.
Membrana Plasmática
MODIFICAÇÕES E ADAPTAÇÕES
Microvilosidades:
São expansões semelhantes a dedos de luvas, que aumentam
a superfície de absorção das células que as possuem. São
encontradas nas células que revestem o intestino, nas tubas de
falópio e nas células dos túbulos renais.
Membrana Plasmática
Desmossomos:
Regiões de espessamento entre membranas que atuam como
presilhas, aumentando a aderência entre células vizinhas –
são comuns nos tecidos de revestimento.
Membrana Plasmática
Interdigitações:
São conjuntos de saliências e reentrâncias das membranas
de células vizinhas, que se encaixam e facilitam as trocas de
substâncias entre elas. São observadas nas células dos
túbulos renais.
Membrana Plasmática
Glicocálix:
Camada de carboidratos ligada às proteínas e ou lipídios do
folheto externo da membrana celular formando glicoproteínas
ou lipoproteínas, respectivamente. Sua composição varia de
uma célula para outra, fato que confere às células
individualidades químicas. Formam os antígenos celulares,
confere aderência e promove o reconhecimento de
mensagens químicas.
Membrana Plasmática
Membrana Plasmática
Plasmodesmos:
Através de perfurações na parede celular, passam "pontes"
que colocam em contato direto o citoplasma de duas células
vegetais vizinhas, permitindo o livre trânsito de substâncias
entre elas. As células dos vasos condutores de seiva
elaborada (ou orgânica) possuem numerosos plasmodesmos,
pelos quais a seiva flui. Os orifícios da parede celular, pelos
quais passam essas pontes citoplasmáticas, são as
pontuações.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
SOLUÇÕES
SOLUÇÕES ISOTÔNICAS: Quando duas soluções contêm a mesma
quantidade de partículas por unidade de volume, mesmo que não sejam
partículas do mesmo tipo.
Quando se comparam soluções com diferentes quantidades de partículas
por unidades de volume, a de maior concentração de partículas é
HIPERTÔNICA, e exerce maior pressão osmótica.
A solução de menor concentração de partículas é HIPOTÔNICA, e a sua
pressão osmótica é menor. Separadas por uma membrana
semipermeável, há passagem de água da solução hipotônica em direção
à solução hipertônica.
SOLUÇÕES ISOTÔNICAS
SOLUÇÃO HIPERTÔNICA
SOLUÇÃO HIPOTÔNICA
SOLUTO = SOLVENTE
SOLUTO > SOLVENTE
SOLUTO < SOLVENTE
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Passivo:
Nesse tipo de transporte o deslocamento de substâncias das
regiões de maior concentração em direção àquelas de menor
concentração, portanto, obedecendo uma tendência natural,
não há gasto de energia. Em função desse tio de transporte
há uma tendência entre os dois meios de entrarem em
isotonia, ou seja: de suas concentrações se igualarem.
Ex.: Difusão simples, osmose e difusão facilitada.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Difusão simples:
Deslocamento direto e natural de solutos em direção às
regiões de baixa concentração. É por esse mecanismo que
ocorrem os deslocamentos de sais e gases.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Osmose:
Caso particular de difusão em que os solventes, em particular
a água, deslocam-se do meio menos concentrado em soluto
(hipotônico), através de uma membrana semi-permeável
(m.s.p. ), em direção ao meio de maior concentração de soluto
(hipertônico). Quando uma solução é hipertônica em relação a
outra, dizemos que a sua pressão osmótica (P.O) também o é.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Difusão facilitada
Algumas substâncias entram nas células a favor do gradiente
de concentração e sem gasto de energia, mas com uma
velocidade muito maior do que a que seria esperada se a
entrada ocorresse por difusão simples. Nas células, isso
acontece, por exemplo, com a glicose, com os aminoácidos e
com algumas vitaminas. As substâncias "facilitadoras",
presentes nas membranas celulares, são as permeases, e
têm natureza protéica.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Ativo:
Os íons se deslocam contrariando o gradiente de
concentração (do meio de menor concentração para o de
menor). Portanto, sua ocorrência implica em consumo de
energia. Os mecanismos de transporte ativo mantêm
diferenças de concentração entre os meios. Semelhante à
difusão facilitada, nesse tipo de transporte ocorre a
participação de proteínas carreadoras (transportadoras)
denominas de permeases.
Ex.: bomba-de-íons (sódio-potássio, cálcio, magnésio etc.).
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
TRANSPORTE EM BLOCO OU POR ENGLOBAMENTO
Fagocitose:
Processo de englobamento de partículas sólidas. Ocorre em
células do sistema imunológico (macrófagos) e em amebas.
Durante a fagocitose, a membrana celular projeta-se emitindo
“tentáculos” que circundam e capturam as partículas. Esses
tentáculos recebem a denominação de pseudópodos (falsos
pés).
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Fagocitose:
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Pinocitose:
Processo de englobamento de partículas líquidas. Uma
invaginação da membrana celular cria um canal parar onde
partículas líquidas se dirigem e são, posteriormente,
englobadas. Depois de englobadas por fagocitose ou por
pinocitose, as substâncias permanecem no interior de
vesículas, fagossomos ou pinossomos. Nelas, são
acrescidas das enzimas presentes nos lisossomos, formando
o vacúolo digestivo.
TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA
Pinocitose:
ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS
- células vegetais-
Flácida: Célula com nível de água adequado.
ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS
- células vegetais-
Plasmolisada: Célula que perdeu água para um meio hipertônico
– desidratada por osmose.
ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS
- células vegetais-
Deplasmolisada: Célula reidratada por osmose, quando colocada
em meio hipotônico.
ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS
- células vegetais-
Túrgida: Célula inchada devido ao ganho de água de uma solução
hipotônica por osmose.
ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS
- células vegetais-
Murcha: Célula desidratada por perda de água por desidratação.
OSMOSE EM CÉLULAS ANIMAIS
Por não possuir uma parede celular, as células animais não
suportam meios hipotônicos. Assim quando hemácias são
mergulhadas nessas soluções, por exemplo em água
destilada, o ganho de água por osmose é tão intenso que a
célula se rompe. Dizemos que a célula sofreu hemólise.
Parede celulósica
• É constituída pela celulose.
• Reduz a perda de água e promove a rigidez das
células.
Citoplasma
• Fica entre a membrana e o núcleo;
• É preenchido pelo hialoplasma;
• É onde encontram-se dispersos os organóides
(organelas citoplasmáticas) que garantem o bom
funcionamento da célula;
Retículo Endoplasmático Liso
Retículo Endoplasmático Rugoso
Ribossomos
Núcleo
Membrana Plasmática
Mitocôndria
Complexo de Golgi
Lisossomos
Centríolos
Organelas Citoplasmáticas
Complexo de Golgi:
É formado por pequenas bolsas. Serve para
armazenar e descartar substâncias.
Mitocôndria:
Responsável pela respiração celular e produção
de energia.
Células que utilizam bastante energia tem muitas
mitocôndrias, por exemplo, as células musculares.
Lisossomos:
São estruturas responsáveis pela digestão da célula.
Retículo Endoplasmático:
É responsável pelo transporte, distribuição e
armazenamento de substâncias.
Forma uma rede de canais que ocupam grande parte do
Citoplasma.
Centríolos:
Participam do processo de formação de
cílios e flagelos e da divisão celular
(multiplicação das células).
Cloroplastos:
São responsáveis pela fotossíntese.
É nestas estruturas que encontramos a
CLOROFILA (pigmento verde).
São encontrados apenas nas células vegetais!
Núcleo
O Núcleo atua na reprodução celular. Também é portador das
características hereditárias e coordena as atividades celulares.
• Carioteca: membrana dupla e porosa que
envolve o Núcleo, permitindo a
comunicação com o Citoplasma;
• Nucleoplasma: massa fluída limitada pela
Carioteca que ocupa o interior do núcleo;
• Cromatina: material constituído por DNA
(material genético). Responsável pelas
CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS.
• Nucléolo: estrutura que produz proteínas.
1. O que é a Citologia?
2. O que diz a Teoria Celular?
3. O que é uma célula?
4. Qual a principal ferramenta utilizada para o estudo das
células?
5. O que diferencia um ser unicelular de um multicelular?
6. Por que os seres vivos possuem células de diferentes
formatos?
7. Quais são as três partes básicas de uma célula?
8. Qual é a principal característica da Membrana Plasmática?
9. Em quais células podemos encontrar a parede celulósica?
10. Onde encontramos os organóides (organelas
citoplasmáticas)?
11. Ao observar uma célula no microscópio pode-se perceber a
existência de cloroplastos. Esta célula é: ____________.
12. Por que os cloroplastos são importantes para as plantas?
13. Onde iremos encontrar uma maior quantidade de
mitocôndrias: nas células dos nossos músculos ou da
nossa pele? Justifique.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (19)

A membrana e a permeabilidade
A membrana e a permeabilidadeA membrana e a permeabilidade
A membrana e a permeabilidade
 
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranasAula 01   unidade 2 - transporte de íons através das membranas
Aula 01 unidade 2 - transporte de íons através das membranas
 
Introdução a biologia e citologia
Introdução a biologia e citologiaIntrodução a biologia e citologia
Introdução a biologia e citologia
 
Transporte celular
Transporte celularTransporte celular
Transporte celular
 
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficosObtenção de matéria pelos seres heterotróficos
Obtenção de matéria pelos seres heterotróficos
 
Celula pdf
Celula pdfCelula pdf
Celula pdf
 
Citoplasma aulas 27 e 28
Citoplasma   aulas 27 e 28Citoplasma   aulas 27 e 28
Citoplasma aulas 27 e 28
 
Organelas celulares
Organelas celularesOrganelas celulares
Organelas celulares
 
Aula 4 membrana celular e transporte
Aula 4   membrana celular e transporteAula 4   membrana celular e transporte
Aula 4 membrana celular e transporte
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Membrana celular
Membrana celularMembrana celular
Membrana celular
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Ae bg10 b_ppt_membrana
Ae bg10 b_ppt_membranaAe bg10 b_ppt_membrana
Ae bg10 b_ppt_membrana
 
Bio 10 heterotróficos
Bio 10   heterotróficosBio 10   heterotróficos
Bio 10 heterotróficos
 
Apostila de-biologia-41-56
Apostila de-biologia-41-56Apostila de-biologia-41-56
Apostila de-biologia-41-56
 
Organização celular 2
Organização celular 2Organização celular 2
Organização celular 2
 
A membrana plasmática
A membrana plasmáticaA membrana plasmática
A membrana plasmática
 
Aula 6 casdvest_citologia_membrana_plasmatica
Aula 6 casdvest_citologia_membrana_plasmaticaAula 6 casdvest_citologia_membrana_plasmatica
Aula 6 casdvest_citologia_membrana_plasmatica
 
Estruturas Celulares
Estruturas CelularesEstruturas Celulares
Estruturas Celulares
 

Semelhante a Aulacitologia 091108142823-phpapp02

Aula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAmelia Tavares
 
Revisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celularRevisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celularRaphael Spessoto
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologiabradok157
 
Membrana E Transporte
Membrana E TransporteMembrana E Transporte
Membrana E TransporteNutricionista
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmáticaGustavo Cuin
 
Envoltórios da célula
Envoltórios da célulaEnvoltórios da célula
Envoltórios da célulaJoao Victor
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIOLeonardo Delgado
 
A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)Moisés Manuel
 
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticas
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticasTransportes através da membrana e organelas citoplasmáticas
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticasCésar Milani
 
Células Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e EucariontesCélulas Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e EucariontesFábio Santos
 
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem  2 semestre 2011 okBiologia fai enfermagem  2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 okenfermagemfai
 
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)Ressurrei
 
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgi
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgiComponentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgi
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgiSESI 422 - Americana
 

Semelhante a Aulacitologia 091108142823-phpapp02 (20)

Aula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos eremAula citologia 1ºanos erem
Aula citologia 1ºanos erem
 
Revisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celularRevisão - Biologia celular
Revisão - Biologia celular
 
Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Membrana plasmática (plasmalema)
Membrana plasmática (plasmalema)Membrana plasmática (plasmalema)
Membrana plasmática (plasmalema)
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Citologia.ppt
Citologia.pptCitologia.ppt
Citologia.ppt
 
Membrana E Transporte
Membrana E TransporteMembrana E Transporte
Membrana E Transporte
 
Membrana plasmática
Membrana plasmáticaMembrana plasmática
Membrana plasmática
 
Envoltórios da célula
Envoltórios da célulaEnvoltórios da célula
Envoltórios da célula
 
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIOAula03: A SUPERFÍCIECELULAR INTERCÂMBIO ENTRE ACÉLULA E O MEIO
Aula03: A SUPERFÍCIE CELULAR INTERCÂMBIO ENTRE A CÉLULA E O MEIO
 
A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)A membrana plasmática(5o grupo)
A membrana plasmática(5o grupo)
 
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticas
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticasTransportes através da membrana e organelas citoplasmáticas
Transportes através da membrana e organelas citoplasmáticas
 
Segundo slide de Biologia
Segundo slide de BiologiaSegundo slide de Biologia
Segundo slide de Biologia
 
biologia geral
biologia geral biologia geral
biologia geral
 
Biologia geral
Biologia geralBiologia geral
Biologia geral
 
Células Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e EucariontesCélulas Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e Eucariontes
 
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem  2 semestre 2011 okBiologia fai enfermagem  2 semestre 2011 ok
Biologia fai enfermagem 2 semestre 2011 ok
 
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)Citologia   membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
Citologia membrana,citoplasma e núcleo (com textos)
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgi
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgiComponentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgi
Componentes celulares: do glicocálix ao complexo de golgi
 

Aulacitologia 091108142823-phpapp02

  • 3. CITOLOGIA • A área da Biologia que estuda a célula ao nível de sua constituição, estrutura e função. Kytos (célula) + Logos (estudo) •As células são as unidades funcionais e estruturais básicas dos seres vivos! •É a unidade morfo-fisiológica dos seres vivo
  • 4. A história da Citologia • Hans e Zaccharias Janssen- No ano de 1590 inventaram um pequeno aparelho de duas lentes que chamaram de microscópio. • Robert Hooke (1635-1703)- Em 1665 observou os espaços vazios de uma cortiça, os quais chamou de célula (pequena cela)
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. A história da Citologia • Theodor Schwann (1839) – observa a existência de células nos animais e nos vegetais. Todos os seres vivos são constituídos por células! TEORIA CELULAR a) Todo ser vivo é constituído de células*. b) Uma célula só surge de outra preexistente. c) Todas as reações metabólicas ocorrem no interior das células.
  • 9. CITOLOGIA • Microscópio óptico (até 2000 vezes); • Microscópio eletrônico (até 100 milhões de vezes);
  • 10.
  • 11. 1 = ocular 2 = objetivas e revólver 3 = platina 4 = charriot 5 = macrométrico 6 = micrométrico 7 = diafragma no condensador 8 = condensador 9 = botão do condensador 10 = dois parafusos centralizadores do condensador 11 = fonte de luz 12 = controle de iluminação 13 = diafragma de campo 14 = dois parafusos de ajuste da lâmpada 15 = focalizadora da lâmpada
  • 12.
  • 13. Citologia • Os seres vivos formados por células podem ser divididos em: – Unicelulares: Seres vivos formados por uma única célula. Ex: bactérias, algas e protozoários.
  • 14. Citologia • Seres pluricelulares: seres vivos formados por muitas células. Ex: animais e vegetais.
  • 15. Citologia • As células podem ser categorizadas por tamanho: – Microscópicas (< 0,1 mm). – Macroscópicas (> 0,1 mm): podem ser vistas a olho nú.
  • 16. Formas das células Esféricas Fusiformes (alongadas) Discóides Estreladas
  • 17. Tipos de células quanto à evolução
  • 18. Tipos de células: grau de especialização • Células indiferenciadas: São denominadas também de células totipotentes pelo fato de poderem originar os diversos tipos celulares existentes em um indivíduo multicelular. Ex.: a célula ovo ou zigoto e as células embrionárias. • Células diferenciadas: Diz-se dos tipos celulares, que por passar por um processo de especialização, estão aptas para desempenhar uma função específica. Ex.: células hepáticas, musculares, ósseas, nervosas etc.
  • 19. Tipos de células: grau de especialização •Células desdiferenciadas: São células que por algum motivo, ao perderem a sua especialização, reassumem o padrão de célula indiferenciada e passam a multiplicar de forma descontrolada. Ex.: células cancerosas e as células embrionárias vegetais. • Diferenciação celular: Consiste em um processo de adaptação estrutural e funcional das células totipotentes que, a partir de um mesmo material genético, se capacitam a desempenhar uma determinada função. Essa adaptação de deve à expressão diferencial do genoma celular.
  • 20. Estruturas das células • Basicamente uma célula é formada por três partes básicas: – Membrana: “capa” que envolve a célula; – Citoplasma: região que fica entre a membrana e o núcleo; – Núcleo: estrutura que controla as atividades celulares.
  • 21. A Membrana Plasmática • As membranas possuem de 6 a 9 nm de espessura. • São flexíveis e fluídas. • É formada de lipídios, glicídios e protídeos (que podem ser esféricos ou integrais).
  • 22. A Membrana Plasmática • São permeáveis à água • Impermeáveis a íons (Na, K, H,...) e à moléculas polares não carregadas (glicídios). • São permeáveis à substâncias lipossolúveis.
  • 23. A Membrana Plasmática • Davison-Danielli: dupla camada lipídica com extremidades hidrofóbicas voltadas para dentro e extremidades hidrofílicas voltadas para proteínas globulares. • Unitária de Robertson: idêntico ao anterior, com diferença que as proteínas estariam estendidas sobre a membrana e que haviam proteínas que ocupavam espaços vazios entre lipídios. • Mosaico Fluído (Singer e Nicholson): dupla camada lipídica com extremidades hidrofóbicas voltadas para o interior e as hidrofílicas voltadas para o exterior. Participam da composição proteínas (integrais ou esféricas) e glicídios ligados às proteínas (glicoproteínas) ou lipídios (glicolipídios).
  • 24. A Membrana Plasmática Constituição:Constituição: Formada por uma dupla camada de fosfolipídios (fosfato associado a lipídios), bem como por proteínas espaçadas e que podem atravessar de um lado a outro da membrana. Algumas proteínas estão associadas a glicídios, formando as glicoproteínas (associação de proteína com glicídios - açucares- protege a célula sobre possíveis agressões, retém enzimas, constituindo o glicocálix), que controlam a entrada e a saída de substâncias. A membrana apresenta duas regiões distintas: - uma polar (carregada eletricamente) - e uma apolar (não apresenta nenhuma carga elétrica).
  • 25.
  • 26. A Membrana Plasmática Constituição:Constituição: As moléculas lipídicas constituem 50% da massa da maioria das membranas de células animais, sendo o restante, constituído de proteínas. As moléculas lipídicas são anfipáticas, pois possuem uma extremidade hidrofílica ou polar (solúvel em meio aquoso) e uma extremidade hidrofóbica ou não-polar (insolúvel em água). Os três principais grupos de lipídios da membrana são os fosfolipídeos, o colesterol e os glicolipídeos.
  • 27.
  • 28. FUNÇÕES • A membrana plasmática contém e delimita o espaço da célula, • mantém condições adequadas para que ocorram as reações metabólicas, • ela seleciona o que entra e sai da célula, • ajuda a manter o formato celular, • ajuda a locomoção A Membrana Plasmática
  • 29. A Membrana Plasmática •Propriedades:Propriedades: A membrana apresenta, devido à sua constituição, baixa tensão superficial, resistência elétrica, capacidade de regeneração, elasticidade e semi- permeabilidade seletiva.
  • 30. Baixa tensão superficial: decorre das fracas forças de coesão entre as moléculas de proteínas; Membrana Plasmática: Propriedades
  • 31.
  • 32.
  • 33. Membrana Plasmática: Propriedades Resistência elétrica: apresenta dificuldade para a entrada e ou saída de certos íons;
  • 34. Membrana Plasmática: Propriedades As membranas celulares são elásticas e resistentes graças às fortes interações hidrofóbicas entre os grupos apolares dos fosfolipídios. Elasticidade: capacidade de distender-se e retrair
  • 35. Membrana Plasmática: Propriedades Regeneração: até certo limite, sendo lesada, pode se reestruturar; Semi-permeabilidade seletiva: capacidade de a membrana dificultar a entrada e ou saída de certas substância e possibilitar a de outras. Em geral, permite a entrada de substâncias líquidas e dificulta a entrada das substâncias sólidas.
  • 36. Membrana Plasmática MODIFICAÇÕES E ADAPTAÇÕES Microvilosidades: São expansões semelhantes a dedos de luvas, que aumentam a superfície de absorção das células que as possuem. São encontradas nas células que revestem o intestino, nas tubas de falópio e nas células dos túbulos renais.
  • 37.
  • 38. Membrana Plasmática Desmossomos: Regiões de espessamento entre membranas que atuam como presilhas, aumentando a aderência entre células vizinhas – são comuns nos tecidos de revestimento.
  • 39.
  • 40. Membrana Plasmática Interdigitações: São conjuntos de saliências e reentrâncias das membranas de células vizinhas, que se encaixam e facilitam as trocas de substâncias entre elas. São observadas nas células dos túbulos renais.
  • 41.
  • 42. Membrana Plasmática Glicocálix: Camada de carboidratos ligada às proteínas e ou lipídios do folheto externo da membrana celular formando glicoproteínas ou lipoproteínas, respectivamente. Sua composição varia de uma célula para outra, fato que confere às células individualidades químicas. Formam os antígenos celulares, confere aderência e promove o reconhecimento de mensagens químicas.
  • 44. Membrana Plasmática Plasmodesmos: Através de perfurações na parede celular, passam "pontes" que colocam em contato direto o citoplasma de duas células vegetais vizinhas, permitindo o livre trânsito de substâncias entre elas. As células dos vasos condutores de seiva elaborada (ou orgânica) possuem numerosos plasmodesmos, pelos quais a seiva flui. Os orifícios da parede celular, pelos quais passam essas pontes citoplasmáticas, são as pontuações.
  • 45. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA SOLUÇÕES SOLUÇÕES ISOTÔNICAS: Quando duas soluções contêm a mesma quantidade de partículas por unidade de volume, mesmo que não sejam partículas do mesmo tipo. Quando se comparam soluções com diferentes quantidades de partículas por unidades de volume, a de maior concentração de partículas é HIPERTÔNICA, e exerce maior pressão osmótica. A solução de menor concentração de partículas é HIPOTÔNICA, e a sua pressão osmótica é menor. Separadas por uma membrana semipermeável, há passagem de água da solução hipotônica em direção à solução hipertônica.
  • 46. SOLUÇÕES ISOTÔNICAS SOLUÇÃO HIPERTÔNICA SOLUÇÃO HIPOTÔNICA SOLUTO = SOLVENTE SOLUTO > SOLVENTE SOLUTO < SOLVENTE
  • 47. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Passivo: Nesse tipo de transporte o deslocamento de substâncias das regiões de maior concentração em direção àquelas de menor concentração, portanto, obedecendo uma tendência natural, não há gasto de energia. Em função desse tio de transporte há uma tendência entre os dois meios de entrarem em isotonia, ou seja: de suas concentrações se igualarem. Ex.: Difusão simples, osmose e difusão facilitada.
  • 48. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Difusão simples: Deslocamento direto e natural de solutos em direção às regiões de baixa concentração. É por esse mecanismo que ocorrem os deslocamentos de sais e gases.
  • 49. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Osmose: Caso particular de difusão em que os solventes, em particular a água, deslocam-se do meio menos concentrado em soluto (hipotônico), através de uma membrana semi-permeável (m.s.p. ), em direção ao meio de maior concentração de soluto (hipertônico). Quando uma solução é hipertônica em relação a outra, dizemos que a sua pressão osmótica (P.O) também o é.
  • 50.
  • 51. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Difusão facilitada Algumas substâncias entram nas células a favor do gradiente de concentração e sem gasto de energia, mas com uma velocidade muito maior do que a que seria esperada se a entrada ocorresse por difusão simples. Nas células, isso acontece, por exemplo, com a glicose, com os aminoácidos e com algumas vitaminas. As substâncias "facilitadoras", presentes nas membranas celulares, são as permeases, e têm natureza protéica.
  • 52. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Ativo: Os íons se deslocam contrariando o gradiente de concentração (do meio de menor concentração para o de menor). Portanto, sua ocorrência implica em consumo de energia. Os mecanismos de transporte ativo mantêm diferenças de concentração entre os meios. Semelhante à difusão facilitada, nesse tipo de transporte ocorre a participação de proteínas carreadoras (transportadoras) denominas de permeases. Ex.: bomba-de-íons (sódio-potássio, cálcio, magnésio etc.).
  • 54. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA TRANSPORTE EM BLOCO OU POR ENGLOBAMENTO Fagocitose: Processo de englobamento de partículas sólidas. Ocorre em células do sistema imunológico (macrófagos) e em amebas. Durante a fagocitose, a membrana celular projeta-se emitindo “tentáculos” que circundam e capturam as partículas. Esses tentáculos recebem a denominação de pseudópodos (falsos pés).
  • 55. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Fagocitose:
  • 56. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Pinocitose: Processo de englobamento de partículas líquidas. Uma invaginação da membrana celular cria um canal parar onde partículas líquidas se dirigem e são, posteriormente, englobadas. Depois de englobadas por fagocitose ou por pinocitose, as substâncias permanecem no interior de vesículas, fagossomos ou pinossomos. Nelas, são acrescidas das enzimas presentes nos lisossomos, formando o vacúolo digestivo.
  • 57. TRANSPORTES ATRAVÉS DA MEMBRANA Pinocitose:
  • 58.
  • 59. ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS - células vegetais- Flácida: Célula com nível de água adequado.
  • 60. ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS - células vegetais- Plasmolisada: Célula que perdeu água para um meio hipertônico – desidratada por osmose.
  • 61. ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS - células vegetais- Deplasmolisada: Célula reidratada por osmose, quando colocada em meio hipotônico.
  • 62. ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS - células vegetais- Túrgida: Célula inchada devido ao ganho de água de uma solução hipotônica por osmose.
  • 63. ESTADOS DE TURGOR DAS CÉLULAS - células vegetais- Murcha: Célula desidratada por perda de água por desidratação.
  • 64. OSMOSE EM CÉLULAS ANIMAIS Por não possuir uma parede celular, as células animais não suportam meios hipotônicos. Assim quando hemácias são mergulhadas nessas soluções, por exemplo em água destilada, o ganho de água por osmose é tão intenso que a célula se rompe. Dizemos que a célula sofreu hemólise.
  • 65.
  • 66. Parede celulósica • É constituída pela celulose. • Reduz a perda de água e promove a rigidez das células.
  • 67. Citoplasma • Fica entre a membrana e o núcleo; • É preenchido pelo hialoplasma; • É onde encontram-se dispersos os organóides (organelas citoplasmáticas) que garantem o bom funcionamento da célula;
  • 68.
  • 69.
  • 70. Retículo Endoplasmático Liso Retículo Endoplasmático Rugoso Ribossomos Núcleo Membrana Plasmática Mitocôndria Complexo de Golgi Lisossomos Centríolos
  • 71. Organelas Citoplasmáticas Complexo de Golgi: É formado por pequenas bolsas. Serve para armazenar e descartar substâncias. Mitocôndria: Responsável pela respiração celular e produção de energia. Células que utilizam bastante energia tem muitas mitocôndrias, por exemplo, as células musculares.
  • 72. Lisossomos: São estruturas responsáveis pela digestão da célula. Retículo Endoplasmático: É responsável pelo transporte, distribuição e armazenamento de substâncias. Forma uma rede de canais que ocupam grande parte do Citoplasma.
  • 73. Centríolos: Participam do processo de formação de cílios e flagelos e da divisão celular (multiplicação das células). Cloroplastos: São responsáveis pela fotossíntese. É nestas estruturas que encontramos a CLOROFILA (pigmento verde). São encontrados apenas nas células vegetais!
  • 74.
  • 75. Núcleo O Núcleo atua na reprodução celular. Também é portador das características hereditárias e coordena as atividades celulares.
  • 76. • Carioteca: membrana dupla e porosa que envolve o Núcleo, permitindo a comunicação com o Citoplasma; • Nucleoplasma: massa fluída limitada pela Carioteca que ocupa o interior do núcleo; • Cromatina: material constituído por DNA (material genético). Responsável pelas CARACTERÍSTICAS HEREDITÁRIAS. • Nucléolo: estrutura que produz proteínas.
  • 77. 1. O que é a Citologia? 2. O que diz a Teoria Celular? 3. O que é uma célula? 4. Qual a principal ferramenta utilizada para o estudo das células? 5. O que diferencia um ser unicelular de um multicelular? 6. Por que os seres vivos possuem células de diferentes formatos? 7. Quais são as três partes básicas de uma célula? 8. Qual é a principal característica da Membrana Plasmática? 9. Em quais células podemos encontrar a parede celulósica? 10. Onde encontramos os organóides (organelas citoplasmáticas)? 11. Ao observar uma célula no microscópio pode-se perceber a existência de cloroplastos. Esta célula é: ____________. 12. Por que os cloroplastos são importantes para as plantas? 13. Onde iremos encontrar uma maior quantidade de mitocôndrias: nas células dos nossos músculos ou da nossa pele? Justifique.