SlideShare uma empresa Scribd logo

Citologia

Curso PreVestibular da Escola Fatorial preparatório para o ENEM. Aula de Citologia Geral, envolvendo: Tipos de células, Vírus, Organelas, Citoquímica, Compostos Celulares, DNA, RNA, Síntese Proteica, Divisão Celular, Processos Celulares.

1 de 109
Baixar para ler offline
Citologia
AULA 1
Prof. Carlos Priante
Citologia
 Os mamíferos em geral, assim como muitos
outros tipos animais, possuem um sistema de
organização de seus sistemas extremamente
complexo.
 Cada parte deste sistema irá trabalhar em
conjunto para o funcionamento adequado do
organismo.
 Assim como outros seres vivos, o ser humano
apresenta vários níveis de organização
estrutural.
CÉLULA
As células podem
associar-se formando
tecidos.
TECIDO
Os tecidos podem
associar-se formando
órgãos.
ÓRGÃO
Os órgãos podem
associar-se formando
sistemas.
O conjunto dos sistemas
forma o organismo
humano.
SISTEM
A
Células
Células
 Unidade estrutural e funcional básica do
organismo.
 Formam os tecidos;
 São de variadas formas, têm diferentes
funções e apresentam tamanho reduzido;
 A maioria das células não é visível a olho nu.

Recomendados

Célula eucariótica
Célula eucarióticaCélula eucariótica
Célula eucarióticaluam1969
 
Introdução a Citologia
Introdução a CitologiaIntrodução a Citologia
Introdução a CitologiaBIOGERALDO
 
Células Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e EucariontesCélulas Procariontes e Eucariontes
Células Procariontes e EucariontesFábio Santos
 
Aula 2 noções gerais da estrutura e das funções celulares
Aula 2   noções gerais da estrutura e das funções celularesAula 2   noções gerais da estrutura e das funções celulares
Aula 2 noções gerais da estrutura e das funções celularesfbtorraca
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Organelas celulares
Organelas celularesOrganelas celulares
Organelas celulares
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
A1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celularA1 origem-organização-celular
A1 origem-organização-celular
 
Estruturas Celulares
Estruturas CelularesEstruturas Celulares
Estruturas Celulares
 
Estrutura celular 1
Estrutura celular 1Estrutura celular 1
Estrutura celular 1
 
Biologia Celular
Biologia CelularBiologia Celular
Biologia Celular
 
Introdução a biologia e citologia objetivo
Introdução a biologia e citologia objetivoIntrodução a biologia e citologia objetivo
Introdução a biologia e citologia objetivo
 
Aulas 02-citologia-geral
Aulas 02-citologia-geralAulas 02-citologia-geral
Aulas 02-citologia-geral
 
Bio celular e molecular
Bio celular e molecularBio celular e molecular
Bio celular e molecular
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Célula e transporte de matéria
Célula e transporte de matériaCélula e transporte de matéria
Célula e transporte de matéria
 
Aula citologia eja
Aula citologia ejaAula citologia eja
Aula citologia eja
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Celula
CelulaCelula
Celula
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Estrutura celular
Estrutura celularEstrutura celular
Estrutura celular
 
Resumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a CitologiaResumo de Introdução a Citologia
Resumo de Introdução a Citologia
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria(5) biologia e geologia   10º ano - obtenção de matéria
(5) biologia e geologia 10º ano - obtenção de matéria
 

Destaque

Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologiabradok157
 
Citologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCitologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCésar Milani
 
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM Carlos Priante
 
Lista de exercícios II Biologia Citologia
Lista de exercícios II Biologia CitologiaLista de exercícios II Biologia Citologia
Lista de exercícios II Biologia CitologiaCarlos Priante
 
Aula Introdução à Citologia
Aula Introdução à CitologiaAula Introdução à Citologia
Aula Introdução à CitologiaThiago Manchester
 
Aula 1 citologia - introdução
Aula 1 citologia - introduçãoAula 1 citologia - introdução
Aula 1 citologia - introduçãoAmarildo César
 
Introdução à citologia
Introdução à citologiaIntrodução à citologia
Introdução à citologiaCaio Maximino
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosCarlos Priante
 
Atomística, Números Quânticos, Íons
Atomística, Números Quânticos, ÍonsAtomística, Números Quânticos, Íons
Atomística, Números Quânticos, ÍonsCarlos Priante
 
Aula 01-origem-da-vida
Aula 01-origem-da-vidaAula 01-origem-da-vida
Aula 01-origem-da-vidaDiana Costa
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas00367p
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivoCésar Milani
 
Reino Protista Algas 97
Reino  Protista    Algas 97Reino  Protista    Algas 97
Reino Protista Algas 97profatatiana
 

Destaque (20)

Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Citologia e membrana celular
Citologia e membrana celularCitologia e membrana celular
Citologia e membrana celular
 
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM
Lista de exercícios 1 PreVestibular ENEM
 
Lista de exercícios II Biologia Citologia
Lista de exercícios II Biologia CitologiaLista de exercícios II Biologia Citologia
Lista de exercícios II Biologia Citologia
 
Aula Introdução à Citologia
Aula Introdução à CitologiaAula Introdução à Citologia
Aula Introdução à Citologia
 
Aula 1 citologia - introdução
Aula 1 citologia - introduçãoAula 1 citologia - introdução
Aula 1 citologia - introdução
 
Introdução à citologia
Introdução à citologiaIntrodução à citologia
Introdução à citologia
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos AtômicosLista de exercícios I Modelos Atômicos
Lista de exercícios I Modelos Atômicos
 
Botânica- resumo
Botânica- resumoBotânica- resumo
Botânica- resumo
 
Atomística, Números Quânticos, Íons
Atomística, Números Quânticos, ÍonsAtomística, Números Quânticos, Íons
Atomística, Números Quânticos, Íons
 
Aula 01-origem-da-vida
Aula 01-origem-da-vidaAula 01-origem-da-vida
Aula 01-origem-da-vida
 
Sucessão Ecológica
Sucessão EcológicaSucessão Ecológica
Sucessão Ecológica
 
Química
QuímicaQuímica
Química
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
 
Celula
CelulaCelula
Celula
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Reino das Plantas
Reino das PlantasReino das Plantas
Reino das Plantas
 
Histologia humana epitelial e conjuntivo
Histologia humana   epitelial e conjuntivoHistologia humana   epitelial e conjuntivo
Histologia humana epitelial e conjuntivo
 
Reino Protista Algas 97
Reino  Protista    Algas 97Reino  Protista    Algas 97
Reino Protista Algas 97
 

Semelhante a Citologia

Organização dos organismos- Células
Organização dos organismos- CélulasOrganização dos organismos- Células
Organização dos organismos- CélulasCarlos Priante
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulaspreuniversitarioitab
 
Ciências biológica citologia
Ciências  biológica   citologiaCiências  biológica   citologia
Ciências biológica citologiaKarina Rayne
 
As células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivosAs células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivosBerenice Nunes
 
Apresentação sobre células citologia
Apresentação sobre células    citologiaApresentação sobre células    citologia
Apresentação sobre células citologiaTeus_matt
 
Célula
CélulaCélula
CélulaMtzor
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células João Monteiro
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022SandroMendes25
 
Resumo de Biologia de 10º ano
Resumo de Biologia de 10º anoResumo de Biologia de 10º ano
Resumo de Biologia de 10º anoRenata Sofia
 

Semelhante a Citologia (20)

Organização dos organismos- Células
Organização dos organismos- CélulasOrganização dos organismos- Células
Organização dos organismos- Células
 
Introdução de citologia
Introdução de citologiaIntrodução de citologia
Introdução de citologia
 
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
6 ¬ aula - estruturas das c+®lulas
 
Ciências biológica citologia
Ciências  biológica   citologiaCiências  biológica   citologia
Ciências biológica citologia
 
Biologia Celular
Biologia Celular Biologia Celular
Biologia Celular
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
As células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivosAs células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivos
 
Apresentação sobre células citologia
Apresentação sobre células    citologiaApresentação sobre células    citologia
Apresentação sobre células citologia
 
Biologia celular
Biologia celularBiologia celular
Biologia celular
 
Célula
CélulaCélula
Célula
 
Células ppt
Células   pptCélulas   ppt
Células ppt
 
Organelas
OrganelasOrganelas
Organelas
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
As células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivosAs células constituem os seres vivos
As células constituem os seres vivos
 
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
Plano de aula completo Citologia: Tipos e formas de células
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
 
Resumo de Biologia de 10º ano
Resumo de Biologia de 10º anoResumo de Biologia de 10º ano
Resumo de Biologia de 10º ano
 
A Célula
A CélulaA Célula
A Célula
 

Mais de Carlos Priante

Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoCarlos Priante
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoCarlos Priante
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de AstronomiaCarlos Priante
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Carlos Priante
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Carlos Priante
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Carlos Priante
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoCarlos Priante
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Carlos Priante
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesCarlos Priante
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Carlos Priante
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaCarlos Priante
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasCarlos Priante
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Carlos Priante
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosCarlos Priante
 
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaLista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaCarlos Priante
 
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias CarbonicasLista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias CarbonicasCarlos Priante
 
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbono
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbonoQuímica Orgânica: introdução ao estudo do carbono
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbonoCarlos Priante
 

Mais de Carlos Priante (20)

Zoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumoZoologia dos vertebrados-resumo
Zoologia dos vertebrados-resumo
 
Zoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumoZoologia dos invertebrados-resumo
Zoologia dos invertebrados-resumo
 
Noções de Astronomia
Noções de AstronomiaNoções de Astronomia
Noções de Astronomia
 
Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014Correção Química ENEM 2014
Correção Química ENEM 2014
 
Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014Correção Biologia ENEM 2014
Correção Biologia ENEM 2014
 
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015Correção Unesp 2 fase inverno 2015
Correção Unesp 2 fase inverno 2015
 
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015Correção Unesp 1 fase inverno 2015
Correção Unesp 1 fase inverno 2015
 
Energia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservaçãoEnergia: transformação e conservação
Energia: transformação e conservação
 
Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015Revisão puc inverno2015
Revisão puc inverno2015
 
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espéciesTeorias da Origem da vida e Evolução das espécies
Teorias da Origem da vida e Evolução das espécies
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria Lista de exercícios isomeria
Lista de exercícios isomeria
 
Isomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química OrgânicaIsomeria- Química Orgânica
Isomeria- Química Orgânica
 
Funções Orgânicas
Funções OrgânicasFunções Orgânicas
Funções Orgânicas
 
Mapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de CiênciasMapas conceituais de Ciências
Mapas conceituais de Ciências
 
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
Química Orgânica- Nomenclatura e Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X HidrocarbonetosLista de exercícios X Hidrocarbonetos
Lista de exercícios X Hidrocarbonetos
 
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matériaLista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
Lista de exercícios X Fluxo de energia e Ciclo da matéria
 
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias CarbonicasLista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
Lista de exercícios IX Cadeias Carbonicas
 
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbono
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbonoQuímica Orgânica: introdução ao estudo do carbono
Química Orgânica: introdução ao estudo do carbono
 

Último

2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...excellenceeducaciona
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
A hermenêutica jurídica envolve diversos métodos e técnicas interpretativas, ...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 

Citologia

  • 3.  Os mamíferos em geral, assim como muitos outros tipos animais, possuem um sistema de organização de seus sistemas extremamente complexo.  Cada parte deste sistema irá trabalhar em conjunto para o funcionamento adequado do organismo.  Assim como outros seres vivos, o ser humano apresenta vários níveis de organização estrutural.
  • 4. CÉLULA As células podem associar-se formando tecidos. TECIDO Os tecidos podem associar-se formando órgãos. ÓRGÃO Os órgãos podem associar-se formando sistemas. O conjunto dos sistemas forma o organismo humano. SISTEM A
  • 6. Células  Unidade estrutural e funcional básica do organismo.  Formam os tecidos;  São de variadas formas, têm diferentes funções e apresentam tamanho reduzido;  A maioria das células não é visível a olho nu.
  • 8. Unicelulares são seres formados por uma única célula, como as bactérias, algas e alguns fungos Pluricelulares são seres formados por um conjunto de células, como a maioria dos animais.
  • 10. E os Vírus ???  Os vírus são acelulares, ou seja, não são formados por células.  Isto faz com que ainda seja muito discutido se os vírus possuem vida ou não.  Basicamente os vírus são constituídos de material genético e proteínas.  Eles utilizam uma célula para fazer sua reprodução.
  • 17. Semelhanças entre células de diferentes organismos: ◦ Arquitetura das membranas ◦ Processos metabólicos Do que as células são formadas ?
  • 18.  Seres vivos são constituídos de moléculas.  Todos são constituídos pelos mesmos tipos de moléculas.  Em nível molecular todos os organismos funcionam da mesma forma.
  • 19.  Pequenas Moléculas  Polímeros ◦ (cópias de uma pequena molécula, unidas por ligações) Constituição Molecular de uma Célula
  • 20. Água  Presente em maior quantidade que outros componentes  Participa na maioria das reações intracelulares (Ex hidrólise)  Nos seres vivos funcionam como regulador térmico (alta capacidade de vaporização)  Excelente solvente: hidrófilas (dissolve em água), hidrófoba (não dissolve em água) Pequenas Moléculas
  • 22. Sais Minerais (Íons- em água) • Classificados de acordo com a quantidade presente: • Macrominerias: Cl, Na, K, Ca, Mg, ... • Microminerais: Fe, F, Mn, Zn....
  • 24. Lipídeos • Ácidos graxos, Fosfolipídios, Colesterol • São insolúveis em água • Triglicerídeos: gorduras
  • 26.  Carboidratos ◦ Fonte de energia (glicose) ◦ Função estrutural (celulose) Polímeros Biológicos
  • 27.  Ácidos Nucléicos ◦ Armazenas as informações genéticas • DNA – Ácido desoxirribonucléico • RNA – Ácido Ribonucléico • mRNA • tRNA • rRNA
  • 28. ◦ Adenina ◦ Guanina ◦ Citosina ◦ Timina ◦ Adenina ◦ Guanina ◦ Citosina ◦ Uracila Purinas Pirimidinas Bases Nitrogenadas DNA RNA Açúcar Desoxirribose Ribose Fita dupla Fita simples Diferença entre DNA e RNA
  • 29. Ácidos nucleicos Anéis aromáticos- hidrofóbicos -Grupamento Fosfato -Pentose -Base Nitrogenada
  • 33.  Proteínas ◦ São macromoléculas formadas por unidades menores: os aminoácidos (Essências/Naturais) ◦ Ex: queratina, colágeno, hemoglobina ◦ Existem 20 tipos de aminoácidos ◦ Formadas por: Grupamento Amino  Grupamento Carboxila  Radical
  • 36. Quantos nucleotídeos transcritos do DNA são necessários para formar uma proteína de 100 aminoácidos?
  • 37.  A ligação que une os aminoácidos para formarem proteínas e denominada ligação peptídica.
  • 39.  As reações químicas intracelulares ocorrem naturalmente em forma lenta,  Porém algumas situações requerem uma reação rápida,  Uma alternativa é aumentar a temperatura, aumentando o choque entre as moléculas e assim o tempo da reação,  Mas no caso das proteínas se aumentarmos a temperatura estaremos degradando-as  Podemos usar então ENZIMAS, que aceleram a velocidade da reação sem nenhuma alteração
  • 41. Síntese de Proteínas (Tradução)  Inicia: AUG Término: UAG, UAA UGA
  • 42. 3 Etapas  Iniciação: Porção menor do ribossomo se associa ao RNAt e percorre o RNAm até o códon AUG, unindo-se a porção maior.  Alongamento: O complexo percorre o RNAm unindo os aminoácidos no sítio P.  Terminação: o complexo atinge o códon de término, liberando o
  • 48. •Os seres eucariotos, diferente dos procariotos, possuem núcleo envolto por membrana.
  • 49. Procarióticas Eucarióticas Envoltório Nuclear Ausente Presente Cromossomos Único Múltiplos Organelas Poucas ou nenhuma Núcleo, mitocôndria, ... Organização celular Principalmente unicelular Principalmente multicelular Citoplasma Sem citoesqueleto Citoesqueleto constituído de filamentos protéicos Diferenças entre células procarióticas e eucarióticas
  • 52.  Para desempenhar suas diversas funções, as células apresentam uma estrutura básica formada por citoplasma, membrana plasmática, e núcleo.
  • 53. Membrana Plasmática  Também chamada de membrana celular, limita as células, separando o meio interno celular do meio externo.  Regular a entrada e a saída de substâncias; (Transporte ativo ou passivo- difusão simples ou facilitada, osmose, etc)  Proteger as células;  Participar da comunicação química entre as células.
  • 58. Bomba de NaK – T. Ativo
  • 60. Processos Celulares Ativos  As células apresentam processos que lhes permitem capturar moléculas do meio extracelular para dentro do seu citoplasma.  Esses processos podem acontecer de duas maneiras: fagocitose e pinocitose.
  • 61. FAGOCITOSE: é o processo em que a célula engloba partículas grandes em relação ao seu tamanho (ex.:bactérias, fungos ou protozoários).
  • 63. PINOCITOSE: Na pinocitose são capturadas partículas de tamanho menor em comparação com as da fagocitose e, geralmente, são englobadas partículas líquidas.
  • 64. EXOCITOSE: é o processo pelo qual uma célula libera substâncias para o meio extracelular.
  • 65. Citoplasma  É todo o conteúdo entre a membrana plasmática e o núcleo. O citoplasma é formado pelo citosol e pelas organelas.  Citosol – composto por um conjunto de substâncias, tais como água, proteínas e açúcares, dispersos em água.  No citosol ocorrem algumas reações químicas importantes para a manutenção da célula.
  • 66.  Organelas: estruturas que desempenham funções específicas no interior da célula.  Mitocôndria: participar do processo de respiração celular, liberando energia para a célula.  Lisossomo: participar da digestão celular  Retículo endoplasmático: Sintetizar e transportar algumas moléculas – REL (lipídeos) e RER (proteínas).
  • 68.  Centríolo: Processo de divisão celular, movimentos celulares e formação dos cílios e flagelos.  Complexo golgiense: Secretar substâncias e armazenar moléculas que serão posteriormente utilizadas pelo organismo.  Ribossomo:Realizar a síntese de proteínas.  Peroxissomo: oxidar ácidos graxos, degradação da água oxigenada, desintoxicação.
  • 74. CÉLULA ANIMAL E CÉLULA VEGETAL “Todos os seres vivos são formados por células, mas elas não são todas iguais”. As células animais e vegetais apresentam algumas diferenças estruturais:
  • 76. ALGUMAS DIFERENÇAS:  A célula vegetal é mais rígida e possui forma mais definida, devido a presença de uma parede celular externa – além da membrana plasmática.  Os centríolos estão presentes APENAS nas células animais.  Os cloroplastos e vacúolos estão presentes APENAS nas células vegetais.  As células vegetais possuem Vacúolos que armazenam substancias como a água
  • 79. Núcleo  O núcleo contém em seu interior informações necessárias para o funcionamento celular.  Essas informações estão contidas em uma molécula chamada ácido desoxirribonucleico (DNA) e são encaminhadas ao citoplasma por meio de uma molécula sintetizada no núcleo denominada ácido ribonucleico (RNA).
  • 81.  Envoltório nuclear: Delimita o núcleo, separando as estruturas nucleares do citoplasma.  Nucléolo: Parte dos RNAs presentes no nucléolo formará os ribossomos.  Nucleoplasma: Preenche os espaços do núcleo.  Cromatina: Contém informações necessárias para produção de proteínas, moléculas que atuam no funcionamento celular. Formadora de cromossomos.
  • 83.  Cromossomos Autossomos: são os 22 pares de cromossomos (humanos por exemplo) não sexuais.  Cromossomos Heterossomos: determinam a característica sexual ( 1 par nos humanos) XX (feminino) XY (masculino).
  • 85. Divisão Celular  Em todas as células do organismo, exceto os gametas, os cromossomos encontram-se aos pares.  Nos gametas, o número de cromossomos encontra-se pela metade. Os seres humanos, por exemplo, possuem 23 cromossomos em seus gametas, tanto nos óvulos quanto nos espermatozoides.  Existem dois tipos de divisão celular: a mitose e a meiose.
  • 86. Mitose  É um tipo de divisão celular no qual uma célula-mãe divide-se, originando duas células somáticas idênticas a ela.  Esse tipo de divisão celular garante a manutenção e o desenvolvimento dos tecidos e dos órgãos do corpo humano, além de substituir as células mortas.
  • 90. Prófase  1 cromossomo = 2 cromátides-irmãs  Compactação cromossômica: filamentos finos à microscopia ótica  Formação dos cinetócoros (final da prófase)  Início formação do fuso mitótico:  Microtúbulos irradiam-se a partir dos centrossomos à medida que estes migram para os pólos da célula. Prometáfase  Movimentação do fuso mitótico  Fragmentação do envoltório nuclear  Ligação de microtúbulos aos cinetócoros  Início da migração dos cromossomos em direção ao plano equatorial da célula
  • 91. Metáfase  Compactação máxima dos cromossomos  Alinhamento no plano equatorial Anáfase  Divisão longitudinal dos centrômeros: liberação das cromátides irmãs  Migração dos cromossomos-filhos para pólos opostos da célula Telófase  Cromossomos filhos presentes nos pólos da célula  Início da descompactação cromossômica  Desmontagem do fuso mitótico  Reforma dos envoltórios nucleares ao redor dos cromossomos filhos  Ao final da Telófase: Citocinese (divisão citoplasmática)
  • 96. Meiose  É um tipo de divisão celular na qual uma célula-mãe origina quatro células-filhas diferentes da célula-mãe e entre si.  Cada célula-filha possui a metade da quantidade de cromossomos da célula-mãe.
  • 100. Sim, tem uma segunda fase...
  • 102. Leptóteno: aumenta o grau de compactação da cromatina.  Nucléolo vai desaparecendo.  Cromossomos formados por 2 cromátides-irmãs (2 moléculas de  DNA idênticas). Zigóteno: Pareamento preciso dos homólogos (cromossomos  materno e paterno do par)= SINAPSE.  Formação de 23 BIVALENTES (cada bivalente = 2 cromossomos  homólogos com 2 cromátides cada = tétrade = 4 cromátides).  Os cromossomos X e Y não são homólogos, mas possuem regiões  homólogas entre si, onde pareiam-se. Paquíteno:cromátides em posição para permitir o CROSSING- OVER -  troca de segmentos homólogos entre cromátides não-irmãs de 1 par  de cromossomos homólogos.  Para que o crossing-over ocorra é essencial que os homólogos se  mantenham unidos, não em toda sua extensão, pelo COMPLEXO  SINAPTONÊMICO (CS) - estrutura proteica trilaminar.
  • 103. Diplóteno:  Repulsão dos cromossomos homólogos (quiasmas deslizam  para as extremidades). Centrômeros intactos. Ligados pelos quiasmas. Diacinese:  separação dos homólogos, compactação da cromatina Fases da Meiose II  • Prófase II: microtúbulos ligados aos cinetócoros  • Metáfase II: 23 cromossomos (2 cromátides cada) na placa metafásica  • Anáfase II: separação centromérica e migração para os pólos  • Telófase II: Cariocinese e Citocinese
  • 104.  Início Meiose: 1 cromossomo = 2 moléculas de DNA idênticas, de dupla hélice (2 cromátides-irmãs), unidas pelo centrômero: 46 cromossomos (4C – 2n)  Final Meiose I: 1 cromossomo = 2 cromátides-irmãs: 23 cromossomos (2C – n)  Final Meiose II: 1 cromossomo = 1 cromátide (1 molécula de DNA): 23 cromossomos ® C – n
  • 107. Óvulo  n Espermatozóide  n Zigoto  2n
  • 108. VARIAÇÃO GENÉTICA Pares de cromossomos homólogos distribuíssem independentemente durante a Meiose I. O número de diferentes combinações possíveis é 2n, onde n = ao número de cromossomos homólogos.
  • 109. Fim........Por enquanto !!! QUANDO A MATEMÁTICA ENCONTRA A BIOLOGIA