SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
 
SEMINÁRIO COMUNIDADES DE PRÁTICA
Marco referencial ,[object Object]
[object Object],[object Object],As comunidades de prática são formadas por pessoas que querem engajar-se em um processo de aprendizagem coletiva numa área do conhecimento humano.
Outras Definições ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
Wenger afirma que nem toda comunidade é uma comunidade de prática e coloca três fatores cruciais para sua caracterização: Domínio Comunidade Prática
Área do conhecimento que identifica e  congrega os membros dando-lhes o “senso de empreendimento comum” (KIMIEK, 2002) Domínio
Os membros participam de atividades conjuntas de engajamento no domínio de interesse, buscando solucionar problemas, participando de discussões, compartilhando informações, interagindo.  Comunidade
Os membros desenvolvem uma série de recursos, experiências, histórias, maneiras de resolver problemas que são compartilhados entre o grupo, criando uma prática compartilhada, o que leva tempo e sustentação da interação.  Prática
Estágios de desenvolvimento Wenger prevê a abordagem da dinâmica das Comunidades de Prática, que se movem a partir de vários estágios de  desenvolvimento, caracterizados por diferentes níveis de interação entre seus membros e nos diferentes tipos de atividades que desempenham. Assim eles podem ser descritos:
Potencial : Indivíduos encontram-se face a situações similares, sem o benefício de compartilhar informações. Encontrando-se e descobrindo afinidades Em coalizão : Membros agrupam-se  E reconhecem seu potencial explorando conectividade e negociando a  Comunidade.
Ativa : Membros engajam-se e desenvolvem uma prática engajando-se em atividades comuns, criando artefatos, renovando interesses, comprometimento e relacionamento. Dispersa : Membros não estão mais engajados, mas a comunidade ainda vive como um centro de conhecimento mantendo contato, comunicação, participando de reuniões, solicitando recomendações.
Memorável : A comunidade não é mais central, mas as pessoas ainda a recordam como parte de suas identidades, contando histórias, preservando artefatos, coletando memórias.
Segundo Wenger é possível aliar as teorias da aprendizagem para entender a aprendizagem em comunidades de prática Teorias Sociais  da Aprendizagem Teorias da  identidade Teorias da  Prática Social Teorias da  Experiência  Situada Teorias da  Estrutura Social Instituições, normas,  regras, sistemas  culturais, história. Coordenação e partilha  De recursos em  sistemas sociais  Formação social  da pessoa,  ritos de passagem,  categorias sociais Dinâmicas relacionais, improvisação,  coordenação,  atividades.
Componentes fundamentais para uma teoria social da aprendizagem: Aprendizagem Identidade Significado Comunidade Prática Aprendizagem como pertença Aprendizagem fazendo Aprendizagem como procura de sentido Aprendizagem como procura de identidade
Para Wenger, uma comunidade de prática define-se ao longo de três dimensões que estão relacionadas pela prática. Compromisso mútuo. repertório  compartilhado Empreendimento partilhado
Tentamos neste trabalho sintetizar alguns apontamentos importantes cunhados por Wenger, principalmente,do conceito e caracterização das Comunidades de Prática, para que possamos ampliar nosso repertório conceptual e aprofundar nossas pesquisas sobre essa nova (ou velha? ) forma de aprender.
1º - Como estudantes de especialização ELMC da UFMG formamos uma Comunidade de Prática? 2º - Como se expressa a prática na sua ligação com a comunidade?  À luz da experiência que temos das aulas nas escolas, qual o empenhamento que elas oferecem, quais as oportunidades que apresentam para exercitar a imaginação, quais os mecanismos de alinhamento comunitário que proporcionam?   3º - Em que aspectos participar de uma CoP pode ser positivo para nossa prática e em que aspectos pode ser negativo. 4º - 4- Que possibilidades (affordances) podemos oferecer ao desenvolvermos projetos de ensino mediado por computador visando criar uma CoP?  Para você pensar:
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Seminário communities of practice

Grupo De Estudo Ing Rede
Grupo De Estudo Ing RedeGrupo De Estudo Ing Rede
Grupo De Estudo Ing Redenereujr
 
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009RBE Algarve
 
Apresentação sem título
Apresentação sem títuloApresentação sem título
Apresentação sem títuloluisa_direito
 
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...comunidadedepraticas
 
GdS - Comunidade de Prática
GdS - Comunidade de PráticaGdS - Comunidade de Prática
GdS - Comunidade de PráticaVanessa Crecci
 
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de AprendizagemAspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de AprendizagemTelEduc
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativacomunidadedepraticas
 
Indicadores de formação de
Indicadores de formação deIndicadores de formação de
Indicadores de formação deMaria Trarbach
 
Importancia da comunidade virtual de aprendizagem
Importancia da comunidade virtual de aprendizagemImportancia da comunidade virtual de aprendizagem
Importancia da comunidade virtual de aprendizagemEugenio Caetano
 
Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Danilo
 
Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Danilo
 

Semelhante a Seminário communities of practice (20)

As Comunidades de Prática Virtuais
As Comunidades de Prática VirtuaisAs Comunidades de Prática Virtuais
As Comunidades de Prática Virtuais
 
Grupo De Estudo Ing Rede
Grupo De Estudo Ing RedeGrupo De Estudo Ing Rede
Grupo De Estudo Ing Rede
 
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009
Comunidades de praticas - EBEAlgarve2009
 
Apresentação sem título
Apresentação sem títuloApresentação sem título
Apresentação sem título
 
Fronteiras
FronteirasFronteiras
Fronteiras
 
Comunidades de Pratica
Comunidades de PraticaComunidades de Pratica
Comunidades de Pratica
 
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...
Aprendizagem social e e Aprendizagem Colaborativa através de comunidades de p...
 
3.2.2.
3.2.2. 3.2.2.
3.2.2.
 
Aprendizagem Colaborativa
Aprendizagem ColaborativaAprendizagem Colaborativa
Aprendizagem Colaborativa
 
Cva
CvaCva
Cva
 
Wie 2009 cva (1)
Wie 2009 cva (1)Wie 2009 cva (1)
Wie 2009 cva (1)
 
GdS - Comunidade de Prática
GdS - Comunidade de PráticaGdS - Comunidade de Prática
GdS - Comunidade de Prática
 
redes_sociais.pptx
redes_sociais.pptxredes_sociais.pptx
redes_sociais.pptx
 
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de AprendizagemAspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
Aspectos Sociais em Design de Ambientes Colaborativos de Aprendizagem
 
Apresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativaApresentacao aprendizagem colaborativa
Apresentacao aprendizagem colaborativa
 
Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007Coisas Boas 2007
Coisas Boas 2007
 
Indicadores de formação de
Indicadores de formação deIndicadores de formação de
Indicadores de formação de
 
Importancia da comunidade virtual de aprendizagem
Importancia da comunidade virtual de aprendizagemImportancia da comunidade virtual de aprendizagem
Importancia da comunidade virtual de aprendizagem
 
Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11
 
Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11Aula 7. 15.04.11
Aula 7. 15.04.11
 

Último

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 

Último (20)

EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 

Seminário communities of practice

  • 1.  
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Wenger afirma que nem toda comunidade é uma comunidade de prática e coloca três fatores cruciais para sua caracterização: Domínio Comunidade Prática
  • 10. Área do conhecimento que identifica e congrega os membros dando-lhes o “senso de empreendimento comum” (KIMIEK, 2002) Domínio
  • 11. Os membros participam de atividades conjuntas de engajamento no domínio de interesse, buscando solucionar problemas, participando de discussões, compartilhando informações, interagindo. Comunidade
  • 12. Os membros desenvolvem uma série de recursos, experiências, histórias, maneiras de resolver problemas que são compartilhados entre o grupo, criando uma prática compartilhada, o que leva tempo e sustentação da interação. Prática
  • 13. Estágios de desenvolvimento Wenger prevê a abordagem da dinâmica das Comunidades de Prática, que se movem a partir de vários estágios de desenvolvimento, caracterizados por diferentes níveis de interação entre seus membros e nos diferentes tipos de atividades que desempenham. Assim eles podem ser descritos:
  • 14. Potencial : Indivíduos encontram-se face a situações similares, sem o benefício de compartilhar informações. Encontrando-se e descobrindo afinidades Em coalizão : Membros agrupam-se E reconhecem seu potencial explorando conectividade e negociando a Comunidade.
  • 15. Ativa : Membros engajam-se e desenvolvem uma prática engajando-se em atividades comuns, criando artefatos, renovando interesses, comprometimento e relacionamento. Dispersa : Membros não estão mais engajados, mas a comunidade ainda vive como um centro de conhecimento mantendo contato, comunicação, participando de reuniões, solicitando recomendações.
  • 16. Memorável : A comunidade não é mais central, mas as pessoas ainda a recordam como parte de suas identidades, contando histórias, preservando artefatos, coletando memórias.
  • 17. Segundo Wenger é possível aliar as teorias da aprendizagem para entender a aprendizagem em comunidades de prática Teorias Sociais da Aprendizagem Teorias da identidade Teorias da Prática Social Teorias da Experiência Situada Teorias da Estrutura Social Instituições, normas, regras, sistemas culturais, história. Coordenação e partilha De recursos em sistemas sociais Formação social da pessoa, ritos de passagem, categorias sociais Dinâmicas relacionais, improvisação, coordenação, atividades.
  • 18. Componentes fundamentais para uma teoria social da aprendizagem: Aprendizagem Identidade Significado Comunidade Prática Aprendizagem como pertença Aprendizagem fazendo Aprendizagem como procura de sentido Aprendizagem como procura de identidade
  • 19. Para Wenger, uma comunidade de prática define-se ao longo de três dimensões que estão relacionadas pela prática. Compromisso mútuo. repertório compartilhado Empreendimento partilhado
  • 20. Tentamos neste trabalho sintetizar alguns apontamentos importantes cunhados por Wenger, principalmente,do conceito e caracterização das Comunidades de Prática, para que possamos ampliar nosso repertório conceptual e aprofundar nossas pesquisas sobre essa nova (ou velha? ) forma de aprender.
  • 21. 1º - Como estudantes de especialização ELMC da UFMG formamos uma Comunidade de Prática? 2º - Como se expressa a prática na sua ligação com a comunidade? À luz da experiência que temos das aulas nas escolas, qual o empenhamento que elas oferecem, quais as oportunidades que apresentam para exercitar a imaginação, quais os mecanismos de alinhamento comunitário que proporcionam? 3º - Em que aspectos participar de uma CoP pode ser positivo para nossa prática e em que aspectos pode ser negativo. 4º - 4- Que possibilidades (affordances) podemos oferecer ao desenvolvermos projetos de ensino mediado por computador visando criar uma CoP? Para você pensar:
  • 22.