SlideShare uma empresa Scribd logo
Estado do Paraná
PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos
A embargada argumentou que a petição inicial é inepta porque da
narração dos fatos não decorre logicamente o pedido.
Contudo, razão não lhe socorre.
Conforme leciona Theotonio Negrão, “é inepta a inicial ininteligível
(RT 508/205), salvo se ‘embora singela, permite ao réu respondê-la integralmente’
(RSTJ 77/134), ‘inclusive quanto ao mérito’ (RSTJ 71/363), ou, embora ‘confusa e
imprecisa, permite a avaliação do pedido’ (RT 811/249, JTJ 141/37)” (in: NEGRÃO,
Theotonio, GOUVÊA, José Roberto F., BONDIOLI, Luis Guilherme. Código de Processo
Civil e legislação processual em vigor. 42ª ed. São Paulo: Saraiva, 2010. p. 412).
No caso em apreço, a petição inicial é inteligível e permitiu ao réu
conhecer de seus argumentos integralmente, tanto que rebatidos com minúcias em
sua impugnação.
Diante disso, a rejeição da preliminar é medida que se impõe.
Mérito
Inicialmente, importante assentar a regularidade do título que
embasa a execução em apenso. Cumpre esclarecer que a duplicata é título formal e
causal, não sendo dotada de abstração, pois dela se indaga a origem. Trata-se, na
verdade, do título cambiário que somente poderá ser sacado com base em uma fatura
que, por sua vez, é o instrumento a permitir-lhe o saque como fonte direta e imediata
da sua criação. A duplicata vincula-se, portanto, ou a um contrato de compra e venda
ou a uma prestação de serviços. Assim sendo, para que possa ser sacada e cobrada,
torna-se necessária a existência do negócio subjacente e que este seja válido e eficaz.
A Lei 6.458/77 adapta ao Código de Processo Civil a Lei 5474/68
(Lei das Duplicatas), regulamentando a cobrança de duplicata aceita, conforme
processo aplicável aos títulos executivos extrajudiciais, e prevê em seu art. 15 a
execução da duplicata aceita, protestada ou não.
No caso dos autos, vejo que no título executivo consta o aceite dos
embargantes (fl. 41). Assim, é certo que os devedores não apenas reconheceram a
dívida, como também a sua quantificação e data de vencimento.
Página 1 de 6
ESTADO DO PARANÁ – PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos
Ademais, consta dos autos a nota fiscal de venda dos produtos (fl.
42), o que comprova suficientemente a operação de compra e venda mercantil
subjacente ao título, conferindo-lhe plena validade jurídica.
Nesse sentido, leciona Fran Martins: “A duplicata, título causal, pois
nascido sempre de uma compra e venda a prazo, com a assinatura do comprador
despreende-se da causa que lhe deu origem, já que o comprador, não apenas
reconheceu a exatidão da mesma, como a obrigação de pagá-la, na época do
vencimento. A obrigação torna-se, desse modo, líquida, o que dá maior segurança de
recebimento não apenas ao sacador-vendedor como a qualquer outra pessoa a quem o
título seja transferido" (Títulos de Crédito, 1988, 4ª ed., vol. II, pág. 198).
A corroborar o exposto:
EXECUÇÃO. DUPLICATA ACEITA E PROTESTADA. EMBARGOS DO DEVEDOR.
ACOLHIMENTO EM FACE DA PROVA TESTEMUNHAL PRODUZIDA. NÃO
ACOSTAMENTO, AOS AUTOS, DAS NOTAS FISCAIS COMPROBATÓRIAS DA
TRANSAÇÃO. IRRELEVÂNCIA. SENTENÇA REFORMADA. RECLAMO RECURSAL
AGASALHADO. - Notificado para o protesto de duplicata aceita, o silêncio do sacado,
que não se insurge contra o ato notarial, empresta legitimidade total ao saque, pelo
que não lhe é dado posteriormente, em sede de embargos à execução, alegar tratar-
se de duplicata destituída de origem e aceita em branco. - A duplicata é título causal
por excelência, já que a sua emissão vincula-se sempre a uma transação de compra e
venda a prazo. Entretanto, aceita pelo sacado, desvincula-se ela da transação que lhe
deu origem, posto que, com o ato do aceite, o devedor não apenas reconhece-lhe a
exatidão, como também a obrigação de equacioná-la na data aprazada para o seu
vencimento. O aceite confere à duplicata o caráter de liquidez e certeza, pelo que é
defeso ao aceitante, na tentativa de revogar ou restringir os efeitos da assinatura
lançada, invocar a falta de causa para a emissão, posto que já reconhecida, pelo
próprio aceite, a existência de causa debendi. - Encontrando-se aceita a duplicata,
inócua faz-se a exigência do encartamento aos autos, pelo credor, da nota fiscal que,
emitida em razão da transação de compra e venda ajustada entre as partes, deu azo
à emissão do título, como também em nada afeta a liquidez, certeza e exigibilidade
da cártula a inexistência da prova da efetiva entrega da mercadoria, prova essa só
cabível quando tratar-se de título não aceito. (83289 SC 1997.008328-9, Relator:
Trindade dos Santos, Data de Julgamento: 16/06/1998, Primeira Câmara de Direito
Civil, Data de Publicação: Apelação Cível n. 97.008328-9, de Itapiranga).
Página 2 de 3
ESTADO DO PARANÁ – PODER JUDICIÁRIO
Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos
De outra parte, como já decidido às fls. 101/102, não se aplicam na
espécie as disposições do Código de Defesa do Consumidor, eis que os executados e
ora embargantes não podem ser considerados destinatária final de produtos ou
serviços, como exigem os arts. 2º e 3º do diploma consumerista.
Destarte, a presente relação jurídica submete-se aos ditames do
Código Civil e é em face desse diploma que se devem analisar as alegações de
abusividade no pacto.
Neste passo, insta salientar que o ônus da prova, nos embargos à
execução, cabe ao embargante, devendo produzir prova a embasar aquilo que alega.
Nesta esteira, já decidiu o Tribunal de Justiça Catarinense que “O ônus da prova, nos
embargos à execução, cabe ao embargante; a posição do credor, na execução especial, é
especialíssima, pois, para fazer valer seu direito nada tem que provar, o título executivo
de que dispõe é prova cabal de seu crédito e razão bastante para levar o processo
respectivo às últimas consequências” (AC 426541 SC 1988.042654-1. JC 55/244).
Pois bem, quanto ao valor do débito, destaco que, conforme laudo
pericial, o quantum debeatur descrito na inicial de execução foi atualizado pelo índice
INPC e aplicados juros de mora de 1% ao mês do vencimento até a data final do
cálculo (item d – fl. 140). Nesse sentido, transcrevo os seguintes excertos da
conclusão do Sr. Expert:
“Nos cálculos apresentados às fls. 03/04 da execução de título
extrajudicial, não houve capitalização dos juros”.
(...)
“Os juros estão calculados conforme estabelece Tribunal de Justiça do
Estado do Paraná”.
Página 3 de 3

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Embargos à Ação Monitória
Embargos à Ação MonitóriaEmbargos à Ação Monitória
Embargos à Ação Monitória
Alberto Bezerra
 
Exceção de Pré Executividade - 2015
Exceção de Pré Executividade - 2015Exceção de Pré Executividade - 2015
Exceção de Pré Executividade - 2015
Consultor JRSantana
 
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
Pedro Cechet
 
A teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chanceA teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chance
allaymer
 
Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais
Kelly Martins
 
Tjsp des sérgio shimura 23ª câmara
Tjsp des sérgio shimura   23ª câmaraTjsp des sérgio shimura   23ª câmara
Tjsp des sérgio shimura 23ª câmara
professoradolfo
 
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDAPARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
Crispím Rocha
 
2009 - Exceção de Pré Executividade I
2009 - Exceção de Pré Executividade I2009 - Exceção de Pré Executividade I
2009 - Exceção de Pré Executividade I
Consultor JRSantana
 
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
Engel e Rubel Advocacia
 
Conifssao de divida
Conifssao de dividaConifssao de divida
Conifssao de divida
Informa Jurídico
 
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
professoradolfo
 
Direcional 02020202
Direcional 02020202Direcional 02020202
Direcional 02020202
Vinicius Canova Pires
 
Manual2
Manual2Manual2
Busca e apreensão
Busca e apreensãoBusca e apreensão
Busca e apreensão
Dani-Bernardo
 
Apelação cível. responsabilidade civil busca apreensao veiculo
Apelação cível. responsabilidade civil   busca apreensao veiculoApelação cível. responsabilidade civil   busca apreensao veiculo
Apelação cível. responsabilidade civil busca apreensao veiculo
allaymer
 
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
DeMolay Brasil
 
Consumidor
ConsumidorConsumidor
Consumidor
romeromelosilva
 
Titulos de-credito (1)
Titulos de-credito (1)Titulos de-credito (1)
Titulos de-credito (1)
hermesmurtha
 
Ação de consignação em pagamento
Ação de consignação em pagamentoAção de consignação em pagamento
Ação de consignação em pagamento
007negox
 

Mais procurados (19)

Embargos à Ação Monitória
Embargos à Ação MonitóriaEmbargos à Ação Monitória
Embargos à Ação Monitória
 
Exceção de Pré Executividade - 2015
Exceção de Pré Executividade - 2015Exceção de Pré Executividade - 2015
Exceção de Pré Executividade - 2015
 
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
Apostila tgp p2 ninacrisvivielisadessa (1)
 
A teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chanceA teoria da perda de uma chance
A teoria da perda de uma chance
 
Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais Apostila procedimentos especiais
Apostila procedimentos especiais
 
Tjsp des sérgio shimura 23ª câmara
Tjsp des sérgio shimura   23ª câmaraTjsp des sérgio shimura   23ª câmara
Tjsp des sérgio shimura 23ª câmara
 
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDAPARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
PARECER DO MPC SOBRE AS CONTAS DE INÊS ARRUDA
 
2009 - Exceção de Pré Executividade I
2009 - Exceção de Pré Executividade I2009 - Exceção de Pré Executividade I
2009 - Exceção de Pré Executividade I
 
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
Apolar Imóveis é condenada a pagar R$8 mil por compensar antecipadamente cheq...
 
Conifssao de divida
Conifssao de dividaConifssao de divida
Conifssao de divida
 
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7Tjsp des moura ribeiro   11ª câmara - 7
Tjsp des moura ribeiro 11ª câmara - 7
 
Direcional 02020202
Direcional 02020202Direcional 02020202
Direcional 02020202
 
Manual2
Manual2Manual2
Manual2
 
Busca e apreensão
Busca e apreensãoBusca e apreensão
Busca e apreensão
 
Apelação cível. responsabilidade civil busca apreensao veiculo
Apelação cível. responsabilidade civil   busca apreensao veiculoApelação cível. responsabilidade civil   busca apreensao veiculo
Apelação cível. responsabilidade civil busca apreensao veiculo
 
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
Embargos de declaração não acolhidos - GCEMS - 02-2014
 
Consumidor
ConsumidorConsumidor
Consumidor
 
Titulos de-credito (1)
Titulos de-credito (1)Titulos de-credito (1)
Titulos de-credito (1)
 
Ação de consignação em pagamento
Ação de consignação em pagamentoAção de consignação em pagamento
Ação de consignação em pagamento
 

Semelhante a Relatório embargos à execução 0004176-66.2012.8.16.0103

Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
Engel e Rubel Advocacia
 
1188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 21188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 2
Consultor JRSantana
 
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
Consultor JRSantana
 
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
Eduardo Cavalcante
 
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelarAção cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
Sandra Dória
 
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
Consultor JRSantana
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
romeromelosilva
 
Recurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário TrabalhistaRecurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário Trabalhista
Consultor JRSantana
 
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistenteItaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
Engel e Rubel Advocacia
 
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
Consultor JRSantana
 
Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795
Adenilson Malheiros
 
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIORÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
Naiara Silveira
 
Sentença de Thiago Cunha
Sentença de Thiago CunhaSentença de Thiago Cunha
Sentença de Thiago Cunha
Jamildo Melo
 
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportesNovos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
Yara Souto Maior
 
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
Ilídia Direito
 
Ata
AtaAta
Inicial indenizatória danos morais
Inicial indenizatória danos moraisInicial indenizatória danos morais
Inicial indenizatória danos morais
jacquefsa
 
Rhc 144615
Rhc 144615Rhc 144615
Rhc 144615
Editora 247
 
Consumidor 03
Consumidor 03Consumidor 03
Consumidor 03
romeromelosilva
 
Complemento positivo benefício
Complemento positivo benefícioComplemento positivo benefício
Complemento positivo benefício
GERALDO MAJELA PRIMO
 

Semelhante a Relatório embargos à execução 0004176-66.2012.8.16.0103 (20)

Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
Construtora tenda condenada a devolver valores devido a atraso na entrega do ...
 
1188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 21188- Embargos de Declaração 2
1188- Embargos de Declaração 2
 
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
2065 - AÇÃO DECLARATÓRIA DE NULIDADE DE NEGOCIO JURÍDICO - CPC Atualizado
 
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
Jurisprudencia - Justiça do Trabalho - 17 de Fevereiro de 2014
 
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelarAção cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
Ação cautelar de arresto com pedido de medida cautelar
 
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
7-Contrarrazões de RECURSO EXTRAORRDINARIO - STF.doc
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
 
Recurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário TrabalhistaRecurso Ordinário Trabalhista
Recurso Ordinário Trabalhista
 
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistenteItaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
Itaú indenizará cliente por cobrar dívida inexistente
 
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
2053 - PRÁTICA JURÍDICA II - MODELO EMBARGOS À EXECUÇÃO FISCAL - ILEGITIMIDAD...
 
Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795Ag 70051033439 rs_1354437583795
Ag 70051033439 rs_1354437583795
 
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIORÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
RÉPLICA EM AÇÃO REVISIONAL DE CONTRATO BANCÁRIO
 
Sentença de Thiago Cunha
Sentença de Thiago CunhaSentença de Thiago Cunha
Sentença de Thiago Cunha
 
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportesNovos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
Novos meios coercitivos tjrs 0000214 88.2017.8.21.7000 bloqueio de passaportes
 
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
Aã§ã£o de execuã§ã£o. dã­vida decorrente do estorno dos valores pagos por ter...
 
Ata
AtaAta
Ata
 
Inicial indenizatória danos morais
Inicial indenizatória danos moraisInicial indenizatória danos morais
Inicial indenizatória danos morais
 
Rhc 144615
Rhc 144615Rhc 144615
Rhc 144615
 
Consumidor 03
Consumidor 03Consumidor 03
Consumidor 03
 
Complemento positivo benefício
Complemento positivo benefícioComplemento positivo benefício
Complemento positivo benefício
 

Relatório embargos à execução 0004176-66.2012.8.16.0103

  • 1. Estado do Paraná PODER JUDICIÁRIO Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos A embargada argumentou que a petição inicial é inepta porque da narração dos fatos não decorre logicamente o pedido. Contudo, razão não lhe socorre. Conforme leciona Theotonio Negrão, “é inepta a inicial ininteligível (RT 508/205), salvo se ‘embora singela, permite ao réu respondê-la integralmente’ (RSTJ 77/134), ‘inclusive quanto ao mérito’ (RSTJ 71/363), ou, embora ‘confusa e imprecisa, permite a avaliação do pedido’ (RT 811/249, JTJ 141/37)” (in: NEGRÃO, Theotonio, GOUVÊA, José Roberto F., BONDIOLI, Luis Guilherme. Código de Processo Civil e legislação processual em vigor. 42ª ed. São Paulo: Saraiva, 2010. p. 412). No caso em apreço, a petição inicial é inteligível e permitiu ao réu conhecer de seus argumentos integralmente, tanto que rebatidos com minúcias em sua impugnação. Diante disso, a rejeição da preliminar é medida que se impõe. Mérito Inicialmente, importante assentar a regularidade do título que embasa a execução em apenso. Cumpre esclarecer que a duplicata é título formal e causal, não sendo dotada de abstração, pois dela se indaga a origem. Trata-se, na verdade, do título cambiário que somente poderá ser sacado com base em uma fatura que, por sua vez, é o instrumento a permitir-lhe o saque como fonte direta e imediata da sua criação. A duplicata vincula-se, portanto, ou a um contrato de compra e venda ou a uma prestação de serviços. Assim sendo, para que possa ser sacada e cobrada, torna-se necessária a existência do negócio subjacente e que este seja válido e eficaz. A Lei 6.458/77 adapta ao Código de Processo Civil a Lei 5474/68 (Lei das Duplicatas), regulamentando a cobrança de duplicata aceita, conforme processo aplicável aos títulos executivos extrajudiciais, e prevê em seu art. 15 a execução da duplicata aceita, protestada ou não. No caso dos autos, vejo que no título executivo consta o aceite dos embargantes (fl. 41). Assim, é certo que os devedores não apenas reconheceram a dívida, como também a sua quantificação e data de vencimento. Página 1 de 6
  • 2. ESTADO DO PARANÁ – PODER JUDICIÁRIO Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos Ademais, consta dos autos a nota fiscal de venda dos produtos (fl. 42), o que comprova suficientemente a operação de compra e venda mercantil subjacente ao título, conferindo-lhe plena validade jurídica. Nesse sentido, leciona Fran Martins: “A duplicata, título causal, pois nascido sempre de uma compra e venda a prazo, com a assinatura do comprador despreende-se da causa que lhe deu origem, já que o comprador, não apenas reconheceu a exatidão da mesma, como a obrigação de pagá-la, na época do vencimento. A obrigação torna-se, desse modo, líquida, o que dá maior segurança de recebimento não apenas ao sacador-vendedor como a qualquer outra pessoa a quem o título seja transferido" (Títulos de Crédito, 1988, 4ª ed., vol. II, pág. 198). A corroborar o exposto: EXECUÇÃO. DUPLICATA ACEITA E PROTESTADA. EMBARGOS DO DEVEDOR. ACOLHIMENTO EM FACE DA PROVA TESTEMUNHAL PRODUZIDA. NÃO ACOSTAMENTO, AOS AUTOS, DAS NOTAS FISCAIS COMPROBATÓRIAS DA TRANSAÇÃO. IRRELEVÂNCIA. SENTENÇA REFORMADA. RECLAMO RECURSAL AGASALHADO. - Notificado para o protesto de duplicata aceita, o silêncio do sacado, que não se insurge contra o ato notarial, empresta legitimidade total ao saque, pelo que não lhe é dado posteriormente, em sede de embargos à execução, alegar tratar- se de duplicata destituída de origem e aceita em branco. - A duplicata é título causal por excelência, já que a sua emissão vincula-se sempre a uma transação de compra e venda a prazo. Entretanto, aceita pelo sacado, desvincula-se ela da transação que lhe deu origem, posto que, com o ato do aceite, o devedor não apenas reconhece-lhe a exatidão, como também a obrigação de equacioná-la na data aprazada para o seu vencimento. O aceite confere à duplicata o caráter de liquidez e certeza, pelo que é defeso ao aceitante, na tentativa de revogar ou restringir os efeitos da assinatura lançada, invocar a falta de causa para a emissão, posto que já reconhecida, pelo próprio aceite, a existência de causa debendi. - Encontrando-se aceita a duplicata, inócua faz-se a exigência do encartamento aos autos, pelo credor, da nota fiscal que, emitida em razão da transação de compra e venda ajustada entre as partes, deu azo à emissão do título, como também em nada afeta a liquidez, certeza e exigibilidade da cártula a inexistência da prova da efetiva entrega da mercadoria, prova essa só cabível quando tratar-se de título não aceito. (83289 SC 1997.008328-9, Relator: Trindade dos Santos, Data de Julgamento: 16/06/1998, Primeira Câmara de Direito Civil, Data de Publicação: Apelação Cível n. 97.008328-9, de Itapiranga). Página 2 de 3
  • 3. ESTADO DO PARANÁ – PODER JUDICIÁRIO Comarca de Dois Vizinhos – Vara Cível e Anexos De outra parte, como já decidido às fls. 101/102, não se aplicam na espécie as disposições do Código de Defesa do Consumidor, eis que os executados e ora embargantes não podem ser considerados destinatária final de produtos ou serviços, como exigem os arts. 2º e 3º do diploma consumerista. Destarte, a presente relação jurídica submete-se aos ditames do Código Civil e é em face desse diploma que se devem analisar as alegações de abusividade no pacto. Neste passo, insta salientar que o ônus da prova, nos embargos à execução, cabe ao embargante, devendo produzir prova a embasar aquilo que alega. Nesta esteira, já decidiu o Tribunal de Justiça Catarinense que “O ônus da prova, nos embargos à execução, cabe ao embargante; a posição do credor, na execução especial, é especialíssima, pois, para fazer valer seu direito nada tem que provar, o título executivo de que dispõe é prova cabal de seu crédito e razão bastante para levar o processo respectivo às últimas consequências” (AC 426541 SC 1988.042654-1. JC 55/244). Pois bem, quanto ao valor do débito, destaco que, conforme laudo pericial, o quantum debeatur descrito na inicial de execução foi atualizado pelo índice INPC e aplicados juros de mora de 1% ao mês do vencimento até a data final do cálculo (item d – fl. 140). Nesse sentido, transcrevo os seguintes excertos da conclusão do Sr. Expert: “Nos cálculos apresentados às fls. 03/04 da execução de título extrajudicial, não houve capitalização dos juros”. (...) “Os juros estão calculados conforme estabelece Tribunal de Justiça do Estado do Paraná”. Página 3 de 3