SlideShare uma empresa Scribd logo
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 11
A seguir comentamos a prova aplicada para Agente de Fiscalização no
concurso do TCE-SP!
A prova foi mais fácil do que esperávamos, mas sempre vale aquele
ditado: “Treinamento difícil, combate fácil”. Tenho certeza que muitos
alunos nossos gabaritaram a prova de Contabilidade Pública!
A banca pecou pela má distribuição dos assuntos, dando um enfoque
demasiado nos aspectos orçamentários em detrimento dos aspectos
patrimoniais. Ao menos nos trouxe exigências clássicas que sempre
comentamos nas diversas oportunidades: PCASP, Demonstrações
Contábeis, Classificações da Receita e da Despesa. Além disso, manteve
a linha de exigência mais “legalista” que comentamos exaustivamente
em nossos cursos, com forte ênfase nos dispositivos da Lei n. 4.320/64.
Um forte abraço!
Possati
prof.possati@gmail.com
Curta a nossa página e fique ligado(a) em todas as nossas atividades.
www.facebook.com.br/profgilmarpossati
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: Contabilizando
Siga-me no Instagram: @profgilmarpossati
Prova de Contabilidade Pública Comentada
Agente de Fiscalização
TCE-SP - 2017
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 11
66. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) São consideradas
receitas correntes, de acordo com a Lei n. 4.320/1964:
(A) recursos oriundos de operações de crédito.
(B) recursos obtidos em decorrência de alienação de bens.
(C) recursos financeiros provenientes da amortização de financiamentos
ou empréstimos concedidos na forma de títulos e contratos.
(D) recursos oriundos da venda de títulos públicos.
(E) recursos oriundos de contribuições econômicas.
Conforme previmos e abordamos no aulão presencial, um dos pontos
passíveis de exigência seria a classificação da receita. Eis que surge a
questão rsrs! Nossa bola de cristal funcionou aqui, não é mesmo?
Merece o “selo bola de cristal” rsrs
Na oportunidade, destacamos a importância de saber o disposto no art.
11 da Lei n. 4.320/64:
Art. 11 - A receita classificar-se-á nas seguintes categorias econômicas:
Receitas Correntes e Receitas de Capital.
§ 1º São Receitas Correntes as receitas tributária, de contribuições,
patrimonial, agropecuária, industrial, de serviços e outras e, ainda, as
provenientes de recursos financeiros recebidos de outras pessoas de
direito público ou privado, quando destinadas a atender despesas
classificáveis em Despesas Correntes.
§ 2º São Receitas de Capital as provenientes da realização de
recursos financeiros oriundos de constituição de dívidas; da conversão,
em espécie, de bens e direitos; os recursos recebidos de outras pessoas
de direito público ou privado, destinados a atender despesas
classificáveis em Despesas de Capital e, ainda, o superávit do
Orçamento Corrente.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 11
Vamos classificar as receitas presentes nas opções:
 Recursos oriundos de operações de crédito  Receita de Capital
 Recursos obtidos em decorrência de alienação de bens  Receita de
Capital
 Recursos financeiros provenientes da amortização de financiamentos
ou empréstimos concedidos na forma de títulos e contratos  Receita
de Capital
 Recursos oriundos da venda de títulos públicos  Observe que se trata
de realização de recursos financeiros oriundos de constituição de
dívidas. Logo, se enquadra como Receita de Capital.
 Recursos oriundos de contribuições econômicas  Receita
Corrente
Quem se lembrou do mnemônico destacado no aulão acertou facilmente
a questão!
Gabarito: E
67. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) As receitas
orçamentárias decorrentes da exploração econômica da folha de
pagamento de um ente público classificam-se como
(A) transferências de capital.
(B) receita de serviços.
(C) receita patrimonial.
(D) transferências correntes.
(E) receita tributária.
Mais uma questão sobre classificação das receitas. Essa um pouco mais
difícil por exigir conhecimentos das origens da receita. As receitas
orçamentárias decorrentes da exploração econômica da folha de
pagamento de um ente público classificam-se como receita
patrimonial.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 11
Em edição passada do MCASP, havia um anexo com perguntas e
respostas. Entre essas perguntas, uma questionava justamente isso,
senão vejamos:
14 – Como classificar as receitas orçamentárias decorrentes da
exploração econômica da folha de pagamento?
[...] A cessão do direito não advém de operações de crédito. Também
não corresponde à conversão, em espécie, de bens e direitos, pois se
encontra limitada temporalmente, ou seja, somente pode ser cedido a
um terceiro mediante disposições contratuais e legais para usufruto por
um período determinado. Também não advém de superávit corrente ou
mesmo de recursos advindos de terceiros para aplicação em despesas
de capital. Assim, não possui categoria econômica de Receita de
Capital, caracterizando-se, portanto, como uma Receita Corrente.
Como Receita Corrente, sua origem não guarda relação com aspectos
tributários, de contribuições, agropecuários, industriais ou de
transferências correntes. Caracteriza-se como patrimonial por guardar
relação direta com um item que, conforme visto anteriormente, diz
respeito à exploração de patrimônio do ente público, ainda que não
reconhecido no balanço patrimonial. Não representa receita de serviços
por não guardar relação com um serviço prestado pelo ente público a
uma contraparte. Deste modo, sua origem é classificada como “3
– Receita Patrimonial”.
Gabarito: C
68. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Conforme dispõe o art.
63 da Lei n. 4.320/1964, a liquidação da despesa consiste na
verificação do direito adquirido pelo credor e tem por objetivo
(A) verificar a necessidade de incorporação ao patrimônio.
(B) apurar a origem, o objeto e a importância exata do que se deve
pagar.
(C) verificar a importância da aplicação dos recursos públicos.
(D) apurar as condições econômicas da empresa fornecedora.
(E) apurar os benefícios que o material adquirido irá proporcionar à
comunidade.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 11
Questão bem tranquila, pois exige conhecimento literal da Lei n.
4.320/64, dentro daquilo que comentamos exaustivamente em nossos
cursos focados no TCE-SP.
Art. 63. A liquidação da despesa consiste na verificação do direito
adquirido pelo credor tendo por base os títulos e documentos
comprobatórios do respectivo crédito.
§ 1° Essa verificação tem por fim apurar:
I - a origem e o objeto do que se deve pagar;
II - a importância exata a pagar;
III - a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação.
Gabarito: B
69. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O Plano de Contas
Aplicado ao Setor Público (PCASP) está estruturado em 8 classes.
Fazem parte das variações patrimoniais diminutivas os seguintes itens:
(A) dívida ativa; riscos fiscais; consórcios públicos e custos.
(B) planejamento aprovado e execução do orçamento.
(C) impostos, taxas e contribuições de melhoria; exploração e venda de
bens, serviços e direitos; planejamento aprovado.
(D) execução dos atos potenciais; execução da administração
financeira; execução da dívida ativa.
(E) transferências e delegações concedidas; desvalorização e perda de
ativos; custo das mercadorias vendidas.
Outro assunto que abordamos diretamente no nosso aulão presencial!
Merece também o nosso “selo bola de cristal”, não é mesmo?
Na oportunidade comentamos que um ponto “diferencial” dentro do
assunto seria saber o detalhamento do segundo nível do PCASP,
conforme quadro abaixo:
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 11
PCASP
1 – Ativo
1.1 - Ativo Circulante
1.2 - Ativo Não Circulante
2 – Passivo e Patrimônio Líquido
2.1 - Passivo Circulante
2.2 - Passivo Não Circulante
2.3 - Patrimônio Líquido
3 – Variação Patrimonial Diminutiva
3.1 - Pessoal e Encargos
3.2 - Benefícios Previdenciários e Assis-
tenciais
3.3 - Uso De Bens, Serviços e Consumo
de Capital Fixo
3.4 - Variações Patrimoniais Diminutivas
Financeiras
3.5 - Transferências Concedidas
3.6 - Desvalorização e Perda De Ativos
3.7 - Tributárias
3.9 - Outras Variações Patrimoniais Di-
minutivas
4 – Variação Patrimonial Aumentativa
4.1 - Impostos, Taxas e Contribuições de
Melhoria
4.2 - Contribuições
4.3 - Exploração e venda de bens, servi-
ços e direitos
4.4 - Variações Patrimoniais Aumentati-
vas Financeiras
4.5 - Transferências Recebidas
4.6 - Valorização e Ganhos Com Ativos
4.9 - Outras Variações Patrimoniais Au-
mentativas
5 – Controles da Aprovação do Planeja-
mento e Orçamento
5.1 - Planejamento Aprovado
5.2 - Orçamento Aprovado
5.3 - Inscrição de Restos a Pagar
6 – Controles da Execução do Planeja-
mento e Orçamento
6.1 - Execução do Planejamento
6.2 - Execução do Orçamento
6.3 - Execução de Restos a Pagar
7 – Controles Devedores
7.1 - Atos Potenciais
7.2 - Administração Financeira
7.3 - Dívida Ativa
7.4 - Riscos Fiscais
7.8 - Custos
7.9 - Outros Controles
8 – Controles Credores
8.1 - Execução dos Atos Potenciais
8.2 - Execução da Administração Finan-
ceira
8.3 - Execução da Dívida Ativa
8.4 - Execução dos Riscos Fiscais
8.8 - Apuração de Custos
8.9 - Outros Controles
Quem estava ligado nesse quadro acertou facilmente a questão. Vamos
analisar as assertivas.
a. Errado. Dívida ativa, riscos fiscais, consórcios públicos e custos
fazem parte das classes 7 e 8.
b. Errado. Planejamento aprovado e execução do orçamento fazem
parte das classes 5 e 6.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 11
c. Errado. Impostos, taxas e contribuições de melhoria; exploração e
venda de bens, serviços e direito fazem parte da classe 4 – Variação
Patrimonial Aumentativa. Já o planejamento aprovado faz parte da clas-
se 5.
d. Errado. Execução dos atos potenciais; execução da administração
financeira; execução da dívida ativa fazem parte da classe 8.
e. Certo. Transferências e delegações concedidas; desvalorização e
perda de ativos; custo das mercadorias vendidas fazem parte da classe
3 – Variações Patrimoniais Diminutivas.
Gabarito: E
70. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Quando o valor real a
ser pago for superior ao valor inscrito em restos a pagar, o gestor
poderá saldar tal compromisso, tendo como base
(A) depósitos em caução para garantia do contrato.
(B) a dotação orçamentária, consignada em dívida contratada.
(C) a operação de crédito.
(D) o art. 68 do Decreto Federal n. 93.872/86, que trata de
cancelamento de restos a pagar.
(E) o empenho no elemento de despesas de exercícios anteriores.
No momento do pagamento, caso se verifique que o valor real a ser
pago é inferior ao valor inscrito, o saldo existente deverá ser cancelado.
Do contrário (valor real a ser pago for superior ao valor inscrito em
restos a pagar), o gestor poderá saldar tal compromisso, tendo como
base o empenho no elemento de despesas de exercícios anteriores,
conforme previsto no art. 37 da Lei n. 4.320/64 e no art. 69 do Decreto
n. 93.872/86.
Gabarito: E
71. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Os recursos financeiros
que não devem ser reconhecidos como receita orçamentária são:
(A) alienação de bens móveis e contribuições sociais.
(B) superávit financeiro e receita industrial.
(C) multas e juros de mora.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 11
(D) superávit financeiro e cancelamento de despesas inscritas em restos
a pagar.
(E) imposto sobre exportação e IPVA.
Outra questão sobre classificação da receita. De todas as rubricas
apresentadas na questão, apenas o superávit financeiro e o
cancelamento de despesas inscritas em restos a pagar não são receitas
orçamentárias.
Gabarito: D
72. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) A despesa
orçamentária não efetiva é aquela que, no momento de sua realização,
não reduz a situação líquida patrimonial da entidade. Trata-se de fato
contábil
(A) permutativo.
(B) diminutivo.
(C) aumentativo.
(D) acumulativo.
(E) compensatório.
A questão exige conhecimentos da classificação da despesa quanto ao
impacto na situação líquida patrimonial.
Classificação quanto ao impacto na situação líquida patrimonial
Na classificação quanto ao impacto na situação líquida patrimonial, utili-
zada para fins contábeis, temos:
Despesas Efetivas → despesas que contribuem para a diminuição do
patrimônio líquido do Estado. Constitui fato contábil modificativo dimi-
nutivo. Em geral, coincide com a Despesa Corrente. No entanto, há
despesa corrente não efetiva, como, por exemplo, a despesa com a
aquisição de materiais para estoque e a despesa com adiantamento.
Despesas Não Efetivas → aquelas que não alteram o patrimônio líqui-
do do Estado. Constitui fato contábil permutativo. São conhecidas
também por despesa por mutação patrimonial. Em geral, coincide com
a Despesa de Capital.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 11
Gabarito: A
73. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O empenho, segundo o
art. 58 da Lei n. 4.320/1964, é o ato emanado de autoridade
competente que cria ao Estado obrigação de pagamento pendente ou
não de implemento de condição. Os empenhos podem ser classificados
em
(A) nominal, real e estimativo.
(B) ordinário, estimativo e global.
(C) ordinário, global e nominal.
(D) total, parcial e complementar.
(E) ordinário, estimativo e parcial.
Os empenhos podem ser classificados em:
→ Ordinário: é o tipo de empenho utilizado para as despesas de va-
lor fixo e previamente determinado, cujo pagamento deva ocorrer
de uma só vez;
→ Estimativo: é o tipo de empenho utilizado para as despesas cujo
montante não se pode determinar previamente, tais como serviços
de fornecimento de água e energia elétrica, aquisição de combustíveis e
lubrificantes e outros; e
→ Global: é o tipo de empenho utilizado para despesas contratuais
ou outras de valor determinado, sujeitas a parcelamento, como,
por exemplo, os compromissos decorrentes de aluguéis.
Gabarito: B
74. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) As etapas da receita
orçamentária podem ser classificadas da seguinte forma:
(A) programação, recolhimento e aplicação.
(B) previsão, lançamento, execução e recolhimento.
(C) previsão, lançamento, arrecadação e recolhimento.
(D) licitação, empenho, contratação e liquidação.
(E) previsão, lançamento e liquidação.
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 11
Questão bem tranquila! São estágios da receita, o planejamento
(previsão), a execução (lançamento, arrecadação e recolhimen-
to) e controle e avaliação.
Gabarito: C
75. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O Balanço Financeiro
divide-se, em sua estrutura básica, em ingressos e dispêndios. Os
ingressos estão assim representados:
(A) receita patrimonial, agropecuária, industrial e de serviços.
(B) receita orçamentária ordinária, recebimentos extraorçamentários e
saldo do exercício anterior.
(C) receita corrente, receita de capital e receita extraorçamentária.
(D) receita corrente, receita tributária, taxas e contribuições sociais.
(E) receita orçamentária ordinária e vinculada, transferências
financeiras recebidas, recebimentos extraorçamentários e saldo do
exercício anterior.
Conforme comentamos no aulão presencial, falamos que uma questão
ao menos seria sobre as demonstrações contábeis. Eis a questão! Nos
salvou rsrsrs A questão exige conhecimentos da estrutura do Balanço
Financeiro presente no MCASP, conforme abordamos no nosso curso:
# Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 #
Prova Comentada
www.estrategiaconcursos.com.br 11 de 11
INGRESSOS
Exercício
Atual
Exercício
Anterior
Receita Orçamentária (I)
Ordinária
Vinculada
Recursos Vinculados à Educação
Recursos Vinculados à Saúde
Recursos Vinculados à Previdência Social – RPPS
Recursos Vinculados à Previdência Social – RGPS
Recursos Vinculados à Seguridade Social
(…)
Outras Destinações de Recursos
Transferências Financeiras Recebidas (II)
Transferências Recebidas para a Execução Orçamentária
Transferências Recebidas Independentes de Execução Orça-
mentária
Transferências Recebidas para Aportes de recursos para o
RPPS
Transferências Recebidas para Aportes de recursos para o
RGPS
Recebimentos Extraorçamentários (III)
Inscrição de Restos a Pagar Não Processados
Inscrição de Restos a Pagar Processados
Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados
Outros Recebimentos Orçamentários
Saldo do Exercício Anterior (IV)
Caixa e Equivalentes de Caixa
Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados
TOTAL (V) = (I + II + III + IV)
Gabarito: E

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 ComentadaProva Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
gpossati
 
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
gpossati
 
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
gpossati
 
Prova comentada trt20
Prova comentada trt20Prova comentada trt20
Prova comentada trt20
gpossati
 
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF ContadorProva comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
gpossati
 
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade PúblicaAula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
gpossati
 
Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1
gpossati
 
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e AnotadoCPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
gpossati
 
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Estratégia Concursos
 
MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)
gpossati
 
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SPCorreção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Gabrielrabelo87
 
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCUSimulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
Estratégia Concursos
 
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Estratégia Concursos
 
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia ConcursosSimulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Gabrielrabelo87
 
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Estratégia Concursos
 
CPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo IntangívelCPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo Intangível
gpossati
 
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
gpossati
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Gabrielrabelo87
 
Correção - Contabilidade TCE SC 2016
Correção - Contabilidade TCE SC 2016Correção - Contabilidade TCE SC 2016
Correção - Contabilidade TCE SC 2016
Gabrielrabelo87
 
Simulado Exame CFC
Simulado Exame CFCSimulado Exame CFC
Simulado Exame CFC
Gabriel Rabelo
 

Mais procurados (20)

Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 ComentadaProva Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
 
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
Prova de Contabilidade Pública Comentada - ALERJ 2017
 
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017
 
Prova comentada trt20
Prova comentada trt20Prova comentada trt20
Prova comentada trt20
 
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF ContadorProva comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
 
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade PúblicaAula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
 
Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1
 
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e AnotadoCPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
 
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
 
MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)
 
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SPCorreção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SP
 
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCUSimulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
Simulado: Análise das Demonstrações Contábeis p/ TCU
 
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
 
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia ConcursosSimulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
 
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
 
CPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo IntangívelCPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo Intangível
 
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
 
Correção - Contabilidade TCE SC 2016
Correção - Contabilidade TCE SC 2016Correção - Contabilidade TCE SC 2016
Correção - Contabilidade TCE SC 2016
 
Simulado Exame CFC
Simulado Exame CFCSimulado Exame CFC
Simulado Exame CFC
 

Semelhante a Prova Contabilidade Pública Comentada - TCE-SP

Portfólio GT
Portfólio GTPortfólio GT
Portfólio GT
DiegoSCarvalhoTeixeira
 
Portfolio Gt
Portfolio GtPortfolio Gt
Contabilidade topicos avançados 3
Contabilidade topicos avançados 3Contabilidade topicos avançados 3
Contabilidade topicos avançados 3
J M
 
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
Unicesumar
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Unicesumar
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Unicesumar
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Unicesumar
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
Unicesumar
 
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
Unicesumar
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
Unicesumar
 
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
Unicesumar
 
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
Unicesumar
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
Unicesumar
 
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
Unicesumar
 
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
Unicesumar
 
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
Unicesumar
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
Unicesumar
 
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
Unicesumar
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
Unicesumar
 
QUESTÃO 3 Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
QUESTÃO 3   Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...QUESTÃO 3   Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
QUESTÃO 3 Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
Unicesumar
 

Semelhante a Prova Contabilidade Pública Comentada - TCE-SP (20)

Portfólio GT
Portfólio GTPortfólio GT
Portfólio GT
 
Portfolio Gt
Portfolio GtPortfolio Gt
Portfolio Gt
 
Contabilidade topicos avançados 3
Contabilidade topicos avançados 3Contabilidade topicos avançados 3
Contabilidade topicos avançados 3
 
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
Nesse contexto, com base na literatura e no que trata a Lei 6.404/1976 sobre ...
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata sobre a Demonstração dos...
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
ATIVIDADE 1 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO II - 52/2023
 
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
Nesse contexto, com base na literatura e também na NBC TG 03 (R3), que trata ...
 
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
Nesse contexto, com base na NBC TG 03 (R3) que trata da Demonstração dos Flux...
 
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
Alternativa 3: A asserção I é uma proposição verdadeira e a II é uma proposiç...
 
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
Nesse contexto, considerando o MEP e com base no conteúdo da Disciplina de Co...
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
 
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
I. Na cisão total, a transferência abrange todos os ativos e passivos da soci...
 
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
 
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
II. No período de x2, a empresa pagou R$143.000,00 de despesas operacionais.
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
 
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
Exemplos de fluxos de caixa que decorrem das atividades operacionais são: rec...
 
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
A respeito dessas asserções, assinale a opção correta.
 
QUESTÃO 3 Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
QUESTÃO 3   Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...QUESTÃO 3   Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
QUESTÃO 3 Os fluxos de caixa advindos das atividades operacionais são basic...
 

Último

Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
CamilaSouza544051
 

Último (20)

Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdfAdaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
Adaptacoes-de-Provas-para-Alunos-com-Deficiencia.pdf
 

Prova Contabilidade Pública Comentada - TCE-SP

  • 1. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 11 A seguir comentamos a prova aplicada para Agente de Fiscalização no concurso do TCE-SP! A prova foi mais fácil do que esperávamos, mas sempre vale aquele ditado: “Treinamento difícil, combate fácil”. Tenho certeza que muitos alunos nossos gabaritaram a prova de Contabilidade Pública! A banca pecou pela má distribuição dos assuntos, dando um enfoque demasiado nos aspectos orçamentários em detrimento dos aspectos patrimoniais. Ao menos nos trouxe exigências clássicas que sempre comentamos nas diversas oportunidades: PCASP, Demonstrações Contábeis, Classificações da Receita e da Despesa. Além disso, manteve a linha de exigência mais “legalista” que comentamos exaustivamente em nossos cursos, com forte ênfase nos dispositivos da Lei n. 4.320/64. Um forte abraço! Possati prof.possati@gmail.com Curta a nossa página e fique ligado(a) em todas as nossas atividades. www.facebook.com.br/profgilmarpossati Inscreva-se no nosso canal no YouTube: Contabilizando Siga-me no Instagram: @profgilmarpossati Prova de Contabilidade Pública Comentada Agente de Fiscalização TCE-SP - 2017
  • 2. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 11 66. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) São consideradas receitas correntes, de acordo com a Lei n. 4.320/1964: (A) recursos oriundos de operações de crédito. (B) recursos obtidos em decorrência de alienação de bens. (C) recursos financeiros provenientes da amortização de financiamentos ou empréstimos concedidos na forma de títulos e contratos. (D) recursos oriundos da venda de títulos públicos. (E) recursos oriundos de contribuições econômicas. Conforme previmos e abordamos no aulão presencial, um dos pontos passíveis de exigência seria a classificação da receita. Eis que surge a questão rsrs! Nossa bola de cristal funcionou aqui, não é mesmo? Merece o “selo bola de cristal” rsrs Na oportunidade, destacamos a importância de saber o disposto no art. 11 da Lei n. 4.320/64: Art. 11 - A receita classificar-se-á nas seguintes categorias econômicas: Receitas Correntes e Receitas de Capital. § 1º São Receitas Correntes as receitas tributária, de contribuições, patrimonial, agropecuária, industrial, de serviços e outras e, ainda, as provenientes de recursos financeiros recebidos de outras pessoas de direito público ou privado, quando destinadas a atender despesas classificáveis em Despesas Correntes. § 2º São Receitas de Capital as provenientes da realização de recursos financeiros oriundos de constituição de dívidas; da conversão, em espécie, de bens e direitos; os recursos recebidos de outras pessoas de direito público ou privado, destinados a atender despesas classificáveis em Despesas de Capital e, ainda, o superávit do Orçamento Corrente.
  • 3. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 11 Vamos classificar as receitas presentes nas opções:  Recursos oriundos de operações de crédito  Receita de Capital  Recursos obtidos em decorrência de alienação de bens  Receita de Capital  Recursos financeiros provenientes da amortização de financiamentos ou empréstimos concedidos na forma de títulos e contratos  Receita de Capital  Recursos oriundos da venda de títulos públicos  Observe que se trata de realização de recursos financeiros oriundos de constituição de dívidas. Logo, se enquadra como Receita de Capital.  Recursos oriundos de contribuições econômicas  Receita Corrente Quem se lembrou do mnemônico destacado no aulão acertou facilmente a questão! Gabarito: E 67. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) As receitas orçamentárias decorrentes da exploração econômica da folha de pagamento de um ente público classificam-se como (A) transferências de capital. (B) receita de serviços. (C) receita patrimonial. (D) transferências correntes. (E) receita tributária. Mais uma questão sobre classificação das receitas. Essa um pouco mais difícil por exigir conhecimentos das origens da receita. As receitas orçamentárias decorrentes da exploração econômica da folha de pagamento de um ente público classificam-se como receita patrimonial.
  • 4. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 11 Em edição passada do MCASP, havia um anexo com perguntas e respostas. Entre essas perguntas, uma questionava justamente isso, senão vejamos: 14 – Como classificar as receitas orçamentárias decorrentes da exploração econômica da folha de pagamento? [...] A cessão do direito não advém de operações de crédito. Também não corresponde à conversão, em espécie, de bens e direitos, pois se encontra limitada temporalmente, ou seja, somente pode ser cedido a um terceiro mediante disposições contratuais e legais para usufruto por um período determinado. Também não advém de superávit corrente ou mesmo de recursos advindos de terceiros para aplicação em despesas de capital. Assim, não possui categoria econômica de Receita de Capital, caracterizando-se, portanto, como uma Receita Corrente. Como Receita Corrente, sua origem não guarda relação com aspectos tributários, de contribuições, agropecuários, industriais ou de transferências correntes. Caracteriza-se como patrimonial por guardar relação direta com um item que, conforme visto anteriormente, diz respeito à exploração de patrimônio do ente público, ainda que não reconhecido no balanço patrimonial. Não representa receita de serviços por não guardar relação com um serviço prestado pelo ente público a uma contraparte. Deste modo, sua origem é classificada como “3 – Receita Patrimonial”. Gabarito: C 68. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Conforme dispõe o art. 63 da Lei n. 4.320/1964, a liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor e tem por objetivo (A) verificar a necessidade de incorporação ao patrimônio. (B) apurar a origem, o objeto e a importância exata do que se deve pagar. (C) verificar a importância da aplicação dos recursos públicos. (D) apurar as condições econômicas da empresa fornecedora. (E) apurar os benefícios que o material adquirido irá proporcionar à comunidade.
  • 5. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 11 Questão bem tranquila, pois exige conhecimento literal da Lei n. 4.320/64, dentro daquilo que comentamos exaustivamente em nossos cursos focados no TCE-SP. Art. 63. A liquidação da despesa consiste na verificação do direito adquirido pelo credor tendo por base os títulos e documentos comprobatórios do respectivo crédito. § 1° Essa verificação tem por fim apurar: I - a origem e o objeto do que se deve pagar; II - a importância exata a pagar; III - a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação. Gabarito: B 69. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) está estruturado em 8 classes. Fazem parte das variações patrimoniais diminutivas os seguintes itens: (A) dívida ativa; riscos fiscais; consórcios públicos e custos. (B) planejamento aprovado e execução do orçamento. (C) impostos, taxas e contribuições de melhoria; exploração e venda de bens, serviços e direitos; planejamento aprovado. (D) execução dos atos potenciais; execução da administração financeira; execução da dívida ativa. (E) transferências e delegações concedidas; desvalorização e perda de ativos; custo das mercadorias vendidas. Outro assunto que abordamos diretamente no nosso aulão presencial! Merece também o nosso “selo bola de cristal”, não é mesmo? Na oportunidade comentamos que um ponto “diferencial” dentro do assunto seria saber o detalhamento do segundo nível do PCASP, conforme quadro abaixo:
  • 6. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 11 PCASP 1 – Ativo 1.1 - Ativo Circulante 1.2 - Ativo Não Circulante 2 – Passivo e Patrimônio Líquido 2.1 - Passivo Circulante 2.2 - Passivo Não Circulante 2.3 - Patrimônio Líquido 3 – Variação Patrimonial Diminutiva 3.1 - Pessoal e Encargos 3.2 - Benefícios Previdenciários e Assis- tenciais 3.3 - Uso De Bens, Serviços e Consumo de Capital Fixo 3.4 - Variações Patrimoniais Diminutivas Financeiras 3.5 - Transferências Concedidas 3.6 - Desvalorização e Perda De Ativos 3.7 - Tributárias 3.9 - Outras Variações Patrimoniais Di- minutivas 4 – Variação Patrimonial Aumentativa 4.1 - Impostos, Taxas e Contribuições de Melhoria 4.2 - Contribuições 4.3 - Exploração e venda de bens, servi- ços e direitos 4.4 - Variações Patrimoniais Aumentati- vas Financeiras 4.5 - Transferências Recebidas 4.6 - Valorização e Ganhos Com Ativos 4.9 - Outras Variações Patrimoniais Au- mentativas 5 – Controles da Aprovação do Planeja- mento e Orçamento 5.1 - Planejamento Aprovado 5.2 - Orçamento Aprovado 5.3 - Inscrição de Restos a Pagar 6 – Controles da Execução do Planeja- mento e Orçamento 6.1 - Execução do Planejamento 6.2 - Execução do Orçamento 6.3 - Execução de Restos a Pagar 7 – Controles Devedores 7.1 - Atos Potenciais 7.2 - Administração Financeira 7.3 - Dívida Ativa 7.4 - Riscos Fiscais 7.8 - Custos 7.9 - Outros Controles 8 – Controles Credores 8.1 - Execução dos Atos Potenciais 8.2 - Execução da Administração Finan- ceira 8.3 - Execução da Dívida Ativa 8.4 - Execução dos Riscos Fiscais 8.8 - Apuração de Custos 8.9 - Outros Controles Quem estava ligado nesse quadro acertou facilmente a questão. Vamos analisar as assertivas. a. Errado. Dívida ativa, riscos fiscais, consórcios públicos e custos fazem parte das classes 7 e 8. b. Errado. Planejamento aprovado e execução do orçamento fazem parte das classes 5 e 6.
  • 7. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 11 c. Errado. Impostos, taxas e contribuições de melhoria; exploração e venda de bens, serviços e direito fazem parte da classe 4 – Variação Patrimonial Aumentativa. Já o planejamento aprovado faz parte da clas- se 5. d. Errado. Execução dos atos potenciais; execução da administração financeira; execução da dívida ativa fazem parte da classe 8. e. Certo. Transferências e delegações concedidas; desvalorização e perda de ativos; custo das mercadorias vendidas fazem parte da classe 3 – Variações Patrimoniais Diminutivas. Gabarito: E 70. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Quando o valor real a ser pago for superior ao valor inscrito em restos a pagar, o gestor poderá saldar tal compromisso, tendo como base (A) depósitos em caução para garantia do contrato. (B) a dotação orçamentária, consignada em dívida contratada. (C) a operação de crédito. (D) o art. 68 do Decreto Federal n. 93.872/86, que trata de cancelamento de restos a pagar. (E) o empenho no elemento de despesas de exercícios anteriores. No momento do pagamento, caso se verifique que o valor real a ser pago é inferior ao valor inscrito, o saldo existente deverá ser cancelado. Do contrário (valor real a ser pago for superior ao valor inscrito em restos a pagar), o gestor poderá saldar tal compromisso, tendo como base o empenho no elemento de despesas de exercícios anteriores, conforme previsto no art. 37 da Lei n. 4.320/64 e no art. 69 do Decreto n. 93.872/86. Gabarito: E 71. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) Os recursos financeiros que não devem ser reconhecidos como receita orçamentária são: (A) alienação de bens móveis e contribuições sociais. (B) superávit financeiro e receita industrial. (C) multas e juros de mora.
  • 8. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 11 (D) superávit financeiro e cancelamento de despesas inscritas em restos a pagar. (E) imposto sobre exportação e IPVA. Outra questão sobre classificação da receita. De todas as rubricas apresentadas na questão, apenas o superávit financeiro e o cancelamento de despesas inscritas em restos a pagar não são receitas orçamentárias. Gabarito: D 72. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) A despesa orçamentária não efetiva é aquela que, no momento de sua realização, não reduz a situação líquida patrimonial da entidade. Trata-se de fato contábil (A) permutativo. (B) diminutivo. (C) aumentativo. (D) acumulativo. (E) compensatório. A questão exige conhecimentos da classificação da despesa quanto ao impacto na situação líquida patrimonial. Classificação quanto ao impacto na situação líquida patrimonial Na classificação quanto ao impacto na situação líquida patrimonial, utili- zada para fins contábeis, temos: Despesas Efetivas → despesas que contribuem para a diminuição do patrimônio líquido do Estado. Constitui fato contábil modificativo dimi- nutivo. Em geral, coincide com a Despesa Corrente. No entanto, há despesa corrente não efetiva, como, por exemplo, a despesa com a aquisição de materiais para estoque e a despesa com adiantamento. Despesas Não Efetivas → aquelas que não alteram o patrimônio líqui- do do Estado. Constitui fato contábil permutativo. São conhecidas também por despesa por mutação patrimonial. Em geral, coincide com a Despesa de Capital.
  • 9. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 11 Gabarito: A 73. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O empenho, segundo o art. 58 da Lei n. 4.320/1964, é o ato emanado de autoridade competente que cria ao Estado obrigação de pagamento pendente ou não de implemento de condição. Os empenhos podem ser classificados em (A) nominal, real e estimativo. (B) ordinário, estimativo e global. (C) ordinário, global e nominal. (D) total, parcial e complementar. (E) ordinário, estimativo e parcial. Os empenhos podem ser classificados em: → Ordinário: é o tipo de empenho utilizado para as despesas de va- lor fixo e previamente determinado, cujo pagamento deva ocorrer de uma só vez; → Estimativo: é o tipo de empenho utilizado para as despesas cujo montante não se pode determinar previamente, tais como serviços de fornecimento de água e energia elétrica, aquisição de combustíveis e lubrificantes e outros; e → Global: é o tipo de empenho utilizado para despesas contratuais ou outras de valor determinado, sujeitas a parcelamento, como, por exemplo, os compromissos decorrentes de aluguéis. Gabarito: B 74. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) As etapas da receita orçamentária podem ser classificadas da seguinte forma: (A) programação, recolhimento e aplicação. (B) previsão, lançamento, execução e recolhimento. (C) previsão, lançamento, arrecadação e recolhimento. (D) licitação, empenho, contratação e liquidação. (E) previsão, lançamento e liquidação.
  • 10. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 11 Questão bem tranquila! São estágios da receita, o planejamento (previsão), a execução (lançamento, arrecadação e recolhimen- to) e controle e avaliação. Gabarito: C 75. (VUNESP/Agente Fiscalização/TCE-SP/2017) O Balanço Financeiro divide-se, em sua estrutura básica, em ingressos e dispêndios. Os ingressos estão assim representados: (A) receita patrimonial, agropecuária, industrial e de serviços. (B) receita orçamentária ordinária, recebimentos extraorçamentários e saldo do exercício anterior. (C) receita corrente, receita de capital e receita extraorçamentária. (D) receita corrente, receita tributária, taxas e contribuições sociais. (E) receita orçamentária ordinária e vinculada, transferências financeiras recebidas, recebimentos extraorçamentários e saldo do exercício anterior. Conforme comentamos no aulão presencial, falamos que uma questão ao menos seria sobre as demonstrações contábeis. Eis a questão! Nos salvou rsrsrs A questão exige conhecimentos da estrutura do Balanço Financeiro presente no MCASP, conforme abordamos no nosso curso:
  • 11. # Contabilidade Pública p/ TCE-SP – 2017 # Prova Comentada www.estrategiaconcursos.com.br 11 de 11 INGRESSOS Exercício Atual Exercício Anterior Receita Orçamentária (I) Ordinária Vinculada Recursos Vinculados à Educação Recursos Vinculados à Saúde Recursos Vinculados à Previdência Social – RPPS Recursos Vinculados à Previdência Social – RGPS Recursos Vinculados à Seguridade Social (…) Outras Destinações de Recursos Transferências Financeiras Recebidas (II) Transferências Recebidas para a Execução Orçamentária Transferências Recebidas Independentes de Execução Orça- mentária Transferências Recebidas para Aportes de recursos para o RPPS Transferências Recebidas para Aportes de recursos para o RGPS Recebimentos Extraorçamentários (III) Inscrição de Restos a Pagar Não Processados Inscrição de Restos a Pagar Processados Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados Outros Recebimentos Orçamentários Saldo do Exercício Anterior (IV) Caixa e Equivalentes de Caixa Depósitos Restituíveis e Valores Vinculados TOTAL (V) = (I + II + III + IV) Gabarito: E