SlideShare uma empresa Scribd logo
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 10
Pessoal, a seguir comentamos as questões de Contabilidade Pública
aplicadas no concurso para Analista Judiciário – Contadoria do TRF-
2 2017.
A prova estava bem tranquila, conforme esperado.
O gabarito é extra-oficial no momento em que estou finalizando esse
arquivo. Se vir algo diferente, recurso neles rsrsrs!
Bons estudos!
Gilmar Possati
prof.possati@gmail.com
Curta a nossa página e fique ligado(a) em todas as nossas atividades.
www.facebook.com.br/profgilmarpossati
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: Contabilizando.
Siga-me no Instagram: @profgilmarpossati
Prova de Contabilidade Pública Comentada
Analista Judiciário – Contadoria
TRF-2 (2017)
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 10
50. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017)
Segundo o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, “as
variações patrimoniais aumentativas e diminutivas são transações que
promovem alterações nos elementos patrimoniais da entidade do setor
público e que afetam o resultado. Essas variações patrimoniais podem
ser definidas como Variações Patrimoniais Aumentativas (VPA):
corresponde a aumentos na situação patrimonial líquida da entidade
não oriundos de contribuições dos proprietários; Variações
Patrimoniais Diminutivas (VPD): corresponde a diminuições na
situação patrimonial líquida da entidade não oriundas de distribuições
aos proprietários”. Considera-se realizada a Variação Patrimonial
Aumentativa (VPA):
I. Nas transações com contribuintes e terceiros, quando estes
efetuarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá-
lo, quer pela ocorrência de um fato gerador de natureza tributária,
investidura na propriedade de bens anteriormente pertencentes à
entidade, ou fruição de serviços por esta prestados;
II. Quando da extinção, exclusivamente total, de um passivo, qualquer
que seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo
de valor igual ou maior;
III. Pela extinção natural de novos ativos independentemente da
intervenção de terceiros;
Sobre a Variação Patrimonial Aumentativa (VPA) estão INCORRETAS
as afirmativas:
a) I, II e III.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
Segundo o MCASP, considera-se realizada a Variação Patrimonial
Aumentativa (VPA):
a. Nas transações com contribuintes e terceiros, quando estes
efetuarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá-
lo, quer pela ocorrência de um fato gerador de natureza tributária,
investidura na propriedade de bens anteriormente pertencentes à
entidade, ou fruição de serviços por esta prestados; (Assertiva I –
Correta)
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 10
b. Quando da extinção, parcial ou total, de um passivo, qualquer que
seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de
valor igual ou maior; (Assertiva II – Incorreta)
c. Pela geração natural de novos ativos independentemente da
intervenção de terceiros; (Assertiva III – Incorreta)
d. No recebimento efetivo de doações e subvenções.
Gabarito: D
51. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) “O
Governo Federal, ao analisar seus passivos para elaboração das
demonstrações contábeis, verifica contra si uma ação judicial que pode
ser classificada como uma obrigação possível, sendo improvável uma
saída de recursos que incorpora benefícios econômicos ou potencial de
serviços e que seja exigida para a extinção da obrigação”. Neste caso
a contabilidade pública deve:
a) Reconhecer uma provisão, registrar em contas de controle do Plano
de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e divulgar em notas
explicativas.
b) Reconhecer um passivo não circulante, registrar em contas de
controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e
divulgar em notas explicativas.
c) Não reconhecer em contas patrimoniais, registrar em contas de
controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e
divulgar em notas explicativas.
d) Não reconhecer em contas patrimoniais nem registrar em contas de
controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e
divulgar em notas explicativas.
Segundo o MCASP, passivo contingente é:
a. Uma obrigação possível resultante de eventos passados e cuja
existência será confirmada apenas pela ocorrência ou não de um ou
mais eventos futuros incertos que não estão totalmente sob o controle
da entidade; ou
b. Uma obrigação presente resultante de eventos passados, mas que
não é reconhecida porque:
i. É improvável uma saída de recursos que incorporam
benefícios econômicos ou potencial de serviços seja exigida
para a extinção da obrigação; ou
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 10
ii. Não é possível fazer uma estimativa confiável do valor da obrigação.
Logo, percebe-se que no caso exposto pela questão estamos diante de
um passivo contingente.
O MCASP destaca que os passivos contingentes não devem ser
reconhecidos em contas patrimoniais. No entanto, deverão ser
registrados em contas de controle do PCASP e divulgados em
notas explicativas. A divulgação só é dispensada nos casos em que
a saída de recursos for considerada remota.
Gabarito: C
52. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) “A
metodologia utilizada para a estruturação do PCASP foi a segregação
das contas contábeis em grandes grupos de acordo com as
características dos atos e fatos nelas registrados. Essa metodologia
permite o registro dos dados contábeis de forma organizada e facilita
a análise das informações de acordo com sua natureza”.
(Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, parte IV)
No PCASP a segregação está de acordo com as naturezas:
I – Natureza de Informação Orçamentária: registra, processa e
evidencia os atos e os fatos relacionados ao planejamento e à execução
orçamentária.
II – Natureza de Informação Patrimonial: registra, processa e evidencia
os fatos financeiros e não financeiros relacionados com a composição
do setor público e suas variações qualitativas e quantitativas do
patrimônio público.
III – Natureza de Informação de Registro: registra, processa e
evidencia os atos de gestão cujos efeitos possam produzir modificações
no patrimônio da entidade do setor público, bem como aqueles com
funções específicas de controle.
Sobre a natureza das contas registradas no PCASP estão corretas as
afirmativas:
a) I, II e III.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 10
Essa questão “telegrafamos” no nosso aulão de véspera!
Esquematizando o disposto no MCASP, temos:
Do exposto, percebe-se que apenas os itens I e II estão corretos.
Gabarito: B
53. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) O SIAFI
(Financeira) é o sistema informatizado no qual se registra, controla e
contabiliza toda a execução orçamentária, financeira e patrimonial da
União. Ele tem sua segurança baseada nos seguintes princípios e
instrumentos, entre outros:
I – Sistema de Segurança, Navegação e Habilitação do SIAFI – SENHA
que permite a autorização de acesso aos dados do SIAFI,
estabelecendo diferentes níveis desse acesso às suas informações.
II – Fidedignidade dos dados inseridos no sistema, por parte de seus
usuários;
III – Conformidade Semanal, a ser realizada pelos titulares das UG
(Unidades Gestoras), ou por operadores por eles indicados.
IV – Conformidade de operadores a ser realizada pelos titulares das
UG, ou por operadores por eles indicados.
Está INCORRETA apenas a afirmativa:
a) I
b) II
c) III
d) IV
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 10
Segundo o Manual do SIAFI, o sistema tem sua segurança baseada nos
seguintes princípios e instrumentos:
⇒ Sistema de Segurança, Navegação e Habilitação do SIAFI
(SENHA) que permite a autorização de acesso aos dados do SIAFI,
estabelecendo diferentes níveis desse acesso às suas informações;
(Assertiva I – Verdadeira).
⇒ Fidedignidade dos dados inseridos no sistema, por parte de
seus usuários; (Assertiva II – Verdadeira).
⇒ Conformidade Diária*, a ser realizada pelos titulares das UG, ou
por operadores por eles indicados; (Assertiva III – Falsa).
⇒ Conformidade de Operadores, a ser realizada pelos titulares das
UG, ou por operadores por eles indicados; (Assertiva IV –
Verdadeira).
⇒ Conformidade Documental*, a ser realizada pelos titulares das UG,
ou por operadores por eles indicados;
⇒ Conformidade Contábil a ser realizada pelas UG Setoriais
de Contabilidade, visando validar os valores registrados no SIAFI;
⇒ Procedimento que permite identificar os operadores que
efetuaram qualquer acesso à sua base de dados, mantendo registrados
o número do CPF do operador, a hora e a data de acesso, a UG a que
pertence, o número do terminal utilizado e as informações
consultadas;
⇒ Mecanismo de segurança, sob a responsabilidade do SERPRO,
destinado a manter a integridade dos dados do Sistema; e
⇒ Inalterabilidade das informações de todos os documentos incluídos
no SIAFI, após sua contabilização.
* Até o final de outubro de 2007 existia apenas a conformidade diária e a
conformidade do suporte documental. Com o advento da IN STN nº 06/2007, foi
criada a Conformidade dos Registros de Gestão que acabou abrangendo as duas
conformidades existentes (diária e documental).
Do exposto, percebe-se que apenas a assertiva III está incorreta.
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 10
Gabarito: C
54. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) A
contabilidade aplicada ao setor público tem em seu principal objetivo
fornecer informações sobre os resultados e sobre os dados de natureza
orçamentária, econômica, patrimonial e financeira das entidades do
setor público, ajudando, principalmente na transparência das contas
públicas. Para isso ela se utiliza de demonstrações específicas deste
tipo de contabilidade. Assinale a alternativa que apresente, apenas,
Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público.
a) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial;
demonstração das variações patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos
de Caixa (DFC).
b) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial;
demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração dos lucros
ou prejuízos acumulados.
c) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial;
demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração das
origens e aplicações de recursos.
d) Balanço orçamentário; balanço patrimonial; demonstração dos
lucros ou prejuízos acumulados; demonstração das variações
patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC).
Conforme esquema disponibilizado em nosso curso e abordado na
nossa revisão de véspera, temos:
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 10
Gabarito: A
56. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) A Lei
Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, que trata da
responsabilidade na gestão fiscal, exige, em seu Art. 54, que seja
emitido, ao final de cada quadrimestre, pelos titulares dos Poderes e
órgãos referidos no Art. 20, (Ministério Público; Poder Legislativo:
Federal, as respectivas Casas e o Tribunal de Contas da União;
Estadual, a Assembleia Legislativa e os Tribunais de Contas; Distrito
Federal, a Câmara Legislativa e o Tribunal de Contas do Distrito Federal
e Municipal, a Câmara de Vereadores e o Tribunal de Contas do
Município, quando houver; no Poder Judiciário: Federal, os tribunais;
Estadual, o Tribunal de Justiça e outros, quando houver.) do Relatório
de Gestão Fiscal. 2. O Relatório de Gestão Fiscal deve conter
informações sobre:
a) A despesa total com pessoal, dívida separada, concessão de
garantias e operações de crédito, devendo, no mês de cada
quadrimestre, ser acrescido de demonstrativos referentes ao montante
das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em
restos a pagar.
b) A despesa total com pessoal, dívida consolidada, concessão de
garantias e operações de crédito, devendo, no último quadrimestre de
cada exercício, ser acrescido de demonstrativos referentes ao
montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às
inscrições em restos a pagar.
c) A despesa com manutenção, dívida consolidada, concessão de
garantias e operações de crédito, devendo, no penúltimo quadrimestre
de cada exercício, ser acrescido de demonstrativos referentes ao
montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às
inscrições em restos a pagar.
d) A despesa total do órgão separada por departamentos, devendo,
sendo que no último quadrimestre de cada exercício não precisa ser
acrescido de demonstrativos referentes ao montante das
disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em restos
a pagar.
Segundo a LRF, o Relatório de Gestão Fiscal conterá demonstrativos
comparativos com os limites de que trata a LRF, dos seguintes
montantes:
a) despesa total com pessoal, evidenciando as despesas com ativos,
inativos e pensionistas;
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 10
b) dívida consolidada;
c) concessão de garantias e contragarantias; e
d) operações de crédito.
No último quadrimestre, o RGF deverá conter, também, os
seguintes demonstrativos:
a) do montante da disponibilidade de caixa em trinta e um de
dezembro;
b) da inscrição em Restos a Pagar das despesas liquidadas, das
empenhadas e não liquidadas, inscritas até o limite do saldo da
disponibilidade de caixa e das não inscritas por falta de disponibilidade
de caixa e cujos empenhos foram cancelados;
c) do cumprimento do disposto na LRF, no que se refere à operação de
crédito por antecipação de receita, liquidada com juros e outros
encargos incidentes, até o dia dez de dezembro de cada ano, com
observância da proibição de contratar tais operações no último ano de
mandato do Presidente, Governador ou Prefeito Municipal.
Do exposto, percebe-se que apenas a opção “B” está certa à luz do
disposto na LRF.
Gabarito: B
60. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) Um
estado brasileiro fez a utilização do superávit financeiro de exercícios
anteriores para abertura de créditos adicionais, apurado no Balanço
Patrimonial do exercício anterior ao de referência. “Neste caso, o
Balanço Orçamentário demonstrará uma situação de
_______________ entre a previsão atualizada da ___________ e a
dotação atualizada”. Assinale a alternativa que completa correta e
sequencialmente a afirmativa anterior.
a) equilíbrio / receita
b) equilíbrio / despesa
c) desequilíbrio / receita
d) desequilíbrio / despesa
Segundo o MCASP,
É importante destacar que em decorrência da utilização do superávit
financeiro de exercícios anteriores para abertura de créditos adicionais,
apurado no Balanço Patrimonial do exercício anterior ao de referência,
# Prova de Contabilidade Pública Comentada #
TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria)
Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 10
o Balanço Orçamentário demonstrará uma situação de desequilíbrio
entre a previsão atualizada da receita e a dotação atualizada. Essa
situação também pode ser causada pela reabertura de créditos
adicionais, especificamente os créditos especiais e extraordinários que
tiveram o ato de autorização promulgado nos últimos quatro meses do
ano anterior, caso em que esses créditos serão reabertos nos limites
de seus saldos e incorporados ao orçamento do exercício financeiro em
referência.
Gabarito: C

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
Estratégia Concursos
 
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
gpossati
 
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SPCorreção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Gabrielrabelo87
 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil  CPC 06 Arrendamento Mercantil 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil 
gpossati
 
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia ConcursosSimulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Gabrielrabelo87
 
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 ComentadaProva Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
gpossati
 
Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1
gpossati
 
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF ContadorProva comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
gpossati
 
Prova Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
Prova Contabilidade Pública TCE-PB ComentadaProva Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
Prova Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
gpossati
 
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Estratégia Concursos
 
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CEProva Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
Estratégia Concursos
 
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
Estratégia Concursos
 
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
Estratégia Concursos
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Gabrielrabelo87
 
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade PúblicaAula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
gpossati
 
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Estratégia Concursos
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
Marina Hilst
 
Correção contabilidade
Correção   contabilidadeCorreção   contabilidade
Correção contabilidade
Gabrielrabelo87
 
Prova comentada TCE-RS (área contábil)
Prova comentada TCE-RS (área contábil)Prova comentada TCE-RS (área contábil)
Prova comentada TCE-RS (área contábil)
Estratégia Concursos
 
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Estratégia Concursos
 

Mais procurados (20)

Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
Prova comentada de Contabilidade Pública TRT-RS 2015
 
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
Prova Contabilidade Pública Comentada TRE-PE 2017
 
Correção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SPCorreção Contabilidade Geral TRE SP
Correção Contabilidade Geral TRE SP
 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil  CPC 06 Arrendamento Mercantil 
 CPC 06 Arrendamento Mercantil 
 
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia ConcursosSimulado Exame CFC - Estratégia Concursos
Simulado Exame CFC - Estratégia Concursos
 
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 ComentadaProva Contabilidade Pública TRF5 Comentada
Prova Contabilidade Pública TRF5 Comentada
 
Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1Recursos Exame CFC 2020.1
Recursos Exame CFC 2020.1
 
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF ContadorProva comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
Prova comentada - Contabilidade Pública - CLDF Contador
 
Prova Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
Prova Contabilidade Pública TCE-PB ComentadaProva Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
Prova Contabilidade Pública TCE-PB Comentada
 
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
Prova Contabilidade Geral e Societária ISS Niterói
 
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CEProva Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
Prova Comentada Contabilidade Geral TCE-CE
 
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
Questões Comentadas de Contabilidade - CGM-SP 2015
 
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
Prova comentada de Contabilidade Contabilidade Aplicada ao Setor Público (CGM...
 
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
Prova Comenta - Exame CFC 2016.2
 
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade PúblicaAula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
Aula 0 - Aspectos Introdutórios da Contabilidade Pública
 
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
Prova Análise das Demonstrações - TCU 2015
 
Apostila
ApostilaApostila
Apostila
 
Correção contabilidade
Correção   contabilidadeCorreção   contabilidade
Correção contabilidade
 
Prova comentada TCE-RS (área contábil)
Prova comentada TCE-RS (área contábil)Prova comentada TCE-RS (área contábil)
Prova comentada TCE-RS (área contábil)
 
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
Destaques das Normas Brasileiras de Contabilidade (NBCs)
 

Semelhante a Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017

Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
Estratégia Concursos
 
SISCOSERV
SISCOSERVSISCOSERV
SISCOSERV
Edgar Gonçalves
 
Perguntas e Respostas - SICAF 100% Digital
Perguntas e Respostas   - SICAF 100% DigitalPerguntas e Respostas   - SICAF 100% Digital
Perguntas e Respostas - SICAF 100% Digital
Licitações Publicas
 
Auditoria Eletrônica
Auditoria EletrônicaAuditoria Eletrônica
Auditoria Eletrônica
Roberto Cavallieri Vommaro
 
Fórum de RH SETCESP
Fórum de RH SETCESPFórum de RH SETCESP
Questoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crcQuestoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crc
lrgerard
 
Questoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crcQuestoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crc
Amanda Ribeiro
 
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
Josenildo Lisbôa
 
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBCTurma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
Marta Chaves
 
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
ChildFund Brasil - Fundo para Crianças
 
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SP
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SPProva comentada Contabilidade Pública TCM-SP
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SP
Estratégia Concursos
 
2 forum sped tania gurgel
2 forum sped  tania gurgel2 forum sped  tania gurgel
2 forum sped tania gurgel
Professor Edgar Madruga
 
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
Estratégia Concursos
 
Workshop - Planejamento Tributário
Workshop - Planejamento TributárioWorkshop - Planejamento Tributário
Workshop - Planejamento Tributário
Mazars Brasil
 
3º Encontro do Conhecimento PCASP
3º Encontro do Conhecimento PCASP3º Encontro do Conhecimento PCASP
3º Encontro do Conhecimento PCASP
Betha Sistemas
 
Benefícios da Contabilidade
Benefícios da ContabilidadeBenefícios da Contabilidade
Benefícios da Contabilidade
HS CONTÁBIL LTDA
 
Slides da Aula - Curso Intensivo STJ
Slides da Aula - Curso Intensivo STJSlides da Aula - Curso Intensivo STJ
Slides da Aula - Curso Intensivo STJ
Fabio Dutra
 
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
Conselho Regional de Administração de São Paulo
 
Palestra | Planejamento Tributário
Palestra | Planejamento TributárioPalestra | Planejamento Tributário
Palestra | Planejamento Tributário
Pactum Consultoria Empresarial
 
MCASP Esquematizado - Parte II
MCASP Esquematizado - Parte IIMCASP Esquematizado - Parte II
MCASP Esquematizado - Parte II
gpossati
 

Semelhante a Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017 (20)

Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
Prova de Contabilidade Geral Comentada - TCU 2015
 
SISCOSERV
SISCOSERVSISCOSERV
SISCOSERV
 
Perguntas e Respostas - SICAF 100% Digital
Perguntas e Respostas   - SICAF 100% DigitalPerguntas e Respostas   - SICAF 100% Digital
Perguntas e Respostas - SICAF 100% Digital
 
Auditoria Eletrônica
Auditoria EletrônicaAuditoria Eletrônica
Auditoria Eletrônica
 
Fórum de RH SETCESP
Fórum de RH SETCESPFórum de RH SETCESP
Fórum de RH SETCESP
 
Questoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crcQuestoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crc
 
Questoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crcQuestoes comentadas exame_crc
Questoes comentadas exame_crc
 
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
Questoescomentadasexamecrc 130711070359-phpapp01
 
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBCTurma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
Turma Qualifica CFC 2017.2 - Princípios de Contabilidade e NBC
 
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
Demonstrações Contábeis ChildFund Brasil 2016
 
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SP
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SPProva comentada Contabilidade Pública TCM-SP
Prova comentada Contabilidade Pública TCM-SP
 
2 forum sped tania gurgel
2 forum sped  tania gurgel2 forum sped  tania gurgel
2 forum sped tania gurgel
 
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
Comentários Prova Contabilidade Pública - AFCE TCU 2015
 
Workshop - Planejamento Tributário
Workshop - Planejamento TributárioWorkshop - Planejamento Tributário
Workshop - Planejamento Tributário
 
3º Encontro do Conhecimento PCASP
3º Encontro do Conhecimento PCASP3º Encontro do Conhecimento PCASP
3º Encontro do Conhecimento PCASP
 
Benefícios da Contabilidade
Benefícios da ContabilidadeBenefícios da Contabilidade
Benefícios da Contabilidade
 
Slides da Aula - Curso Intensivo STJ
Slides da Aula - Curso Intensivo STJSlides da Aula - Curso Intensivo STJ
Slides da Aula - Curso Intensivo STJ
 
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
ENCOAD 2016 - eSocial - Sua empresa esta preparada?
 
Palestra | Planejamento Tributário
Palestra | Planejamento TributárioPalestra | Planejamento Tributário
Palestra | Planejamento Tributário
 
MCASP Esquematizado - Parte II
MCASP Esquematizado - Parte IIMCASP Esquematizado - Parte II
MCASP Esquematizado - Parte II
 

Mais de gpossati

[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
gpossati
 
CPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo IntangívelCPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo Intangível
gpossati
 
MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)
gpossati
 
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e AnotadoCPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
gpossati
 
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
gpossati
 
Detonando cp cs(parte_i)_final
Detonando cp cs(parte_i)_finalDetonando cp cs(parte_i)_final
Detonando cp cs(parte_i)_final
gpossati
 

Mais de gpossati (6)

[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
[Infográfico] Teste de recuperabilidade (CPC 01)
 
CPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo IntangívelCPC 04 Ativo Intangível
CPC 04 Ativo Intangível
 
MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)MCASP Esquematizado (Parte I)
MCASP Esquematizado (Parte I)
 
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e AnotadoCPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
CPC 03 Esquematizado, Resumido e Anotado
 
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
CPCs: Pronunciamentos Contábeis Esquematizados, Resumidos e Anotados (Parte II)
 
Detonando cp cs(parte_i)_final
Detonando cp cs(parte_i)_finalDetonando cp cs(parte_i)_final
Detonando cp cs(parte_i)_final
 

Último

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 

Prova Contabilidade Pública Comentada TRF2 2017

  • 1. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 10 Pessoal, a seguir comentamos as questões de Contabilidade Pública aplicadas no concurso para Analista Judiciário – Contadoria do TRF- 2 2017. A prova estava bem tranquila, conforme esperado. O gabarito é extra-oficial no momento em que estou finalizando esse arquivo. Se vir algo diferente, recurso neles rsrsrs! Bons estudos! Gilmar Possati prof.possati@gmail.com Curta a nossa página e fique ligado(a) em todas as nossas atividades. www.facebook.com.br/profgilmarpossati Inscreva-se no nosso canal no YouTube: Contabilizando. Siga-me no Instagram: @profgilmarpossati Prova de Contabilidade Pública Comentada Analista Judiciário – Contadoria TRF-2 (2017)
  • 2. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 10 50. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) Segundo o Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, “as variações patrimoniais aumentativas e diminutivas são transações que promovem alterações nos elementos patrimoniais da entidade do setor público e que afetam o resultado. Essas variações patrimoniais podem ser definidas como Variações Patrimoniais Aumentativas (VPA): corresponde a aumentos na situação patrimonial líquida da entidade não oriundos de contribuições dos proprietários; Variações Patrimoniais Diminutivas (VPD): corresponde a diminuições na situação patrimonial líquida da entidade não oriundas de distribuições aos proprietários”. Considera-se realizada a Variação Patrimonial Aumentativa (VPA): I. Nas transações com contribuintes e terceiros, quando estes efetuarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá- lo, quer pela ocorrência de um fato gerador de natureza tributária, investidura na propriedade de bens anteriormente pertencentes à entidade, ou fruição de serviços por esta prestados; II. Quando da extinção, exclusivamente total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de valor igual ou maior; III. Pela extinção natural de novos ativos independentemente da intervenção de terceiros; Sobre a Variação Patrimonial Aumentativa (VPA) estão INCORRETAS as afirmativas: a) I, II e III. b) I e II, apenas. c) I e III, apenas. d) II e III, apenas. Segundo o MCASP, considera-se realizada a Variação Patrimonial Aumentativa (VPA): a. Nas transações com contribuintes e terceiros, quando estes efetuarem o pagamento ou assumirem compromisso firme de efetivá- lo, quer pela ocorrência de um fato gerador de natureza tributária, investidura na propriedade de bens anteriormente pertencentes à entidade, ou fruição de serviços por esta prestados; (Assertiva I – Correta)
  • 3. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 10 b. Quando da extinção, parcial ou total, de um passivo, qualquer que seja o motivo, sem o desaparecimento concomitante de um ativo de valor igual ou maior; (Assertiva II – Incorreta) c. Pela geração natural de novos ativos independentemente da intervenção de terceiros; (Assertiva III – Incorreta) d. No recebimento efetivo de doações e subvenções. Gabarito: D 51. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) “O Governo Federal, ao analisar seus passivos para elaboração das demonstrações contábeis, verifica contra si uma ação judicial que pode ser classificada como uma obrigação possível, sendo improvável uma saída de recursos que incorpora benefícios econômicos ou potencial de serviços e que seja exigida para a extinção da obrigação”. Neste caso a contabilidade pública deve: a) Reconhecer uma provisão, registrar em contas de controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e divulgar em notas explicativas. b) Reconhecer um passivo não circulante, registrar em contas de controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e divulgar em notas explicativas. c) Não reconhecer em contas patrimoniais, registrar em contas de controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e divulgar em notas explicativas. d) Não reconhecer em contas patrimoniais nem registrar em contas de controle do Plano de Contas Aplicado ao Setor Público (PCASP) e divulgar em notas explicativas. Segundo o MCASP, passivo contingente é: a. Uma obrigação possível resultante de eventos passados e cuja existência será confirmada apenas pela ocorrência ou não de um ou mais eventos futuros incertos que não estão totalmente sob o controle da entidade; ou b. Uma obrigação presente resultante de eventos passados, mas que não é reconhecida porque: i. É improvável uma saída de recursos que incorporam benefícios econômicos ou potencial de serviços seja exigida para a extinção da obrigação; ou
  • 4. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 10 ii. Não é possível fazer uma estimativa confiável do valor da obrigação. Logo, percebe-se que no caso exposto pela questão estamos diante de um passivo contingente. O MCASP destaca que os passivos contingentes não devem ser reconhecidos em contas patrimoniais. No entanto, deverão ser registrados em contas de controle do PCASP e divulgados em notas explicativas. A divulgação só é dispensada nos casos em que a saída de recursos for considerada remota. Gabarito: C 52. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) “A metodologia utilizada para a estruturação do PCASP foi a segregação das contas contábeis em grandes grupos de acordo com as características dos atos e fatos nelas registrados. Essa metodologia permite o registro dos dados contábeis de forma organizada e facilita a análise das informações de acordo com sua natureza”. (Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, parte IV) No PCASP a segregação está de acordo com as naturezas: I – Natureza de Informação Orçamentária: registra, processa e evidencia os atos e os fatos relacionados ao planejamento e à execução orçamentária. II – Natureza de Informação Patrimonial: registra, processa e evidencia os fatos financeiros e não financeiros relacionados com a composição do setor público e suas variações qualitativas e quantitativas do patrimônio público. III – Natureza de Informação de Registro: registra, processa e evidencia os atos de gestão cujos efeitos possam produzir modificações no patrimônio da entidade do setor público, bem como aqueles com funções específicas de controle. Sobre a natureza das contas registradas no PCASP estão corretas as afirmativas: a) I, II e III. b) I e II, apenas. c) I e III, apenas. d) II e III, apenas.
  • 5. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 10 Essa questão “telegrafamos” no nosso aulão de véspera! Esquematizando o disposto no MCASP, temos: Do exposto, percebe-se que apenas os itens I e II estão corretos. Gabarito: B 53. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) O SIAFI (Financeira) é o sistema informatizado no qual se registra, controla e contabiliza toda a execução orçamentária, financeira e patrimonial da União. Ele tem sua segurança baseada nos seguintes princípios e instrumentos, entre outros: I – Sistema de Segurança, Navegação e Habilitação do SIAFI – SENHA que permite a autorização de acesso aos dados do SIAFI, estabelecendo diferentes níveis desse acesso às suas informações. II – Fidedignidade dos dados inseridos no sistema, por parte de seus usuários; III – Conformidade Semanal, a ser realizada pelos titulares das UG (Unidades Gestoras), ou por operadores por eles indicados. IV – Conformidade de operadores a ser realizada pelos titulares das UG, ou por operadores por eles indicados. Está INCORRETA apenas a afirmativa: a) I b) II c) III d) IV
  • 6. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 10 Segundo o Manual do SIAFI, o sistema tem sua segurança baseada nos seguintes princípios e instrumentos: ⇒ Sistema de Segurança, Navegação e Habilitação do SIAFI (SENHA) que permite a autorização de acesso aos dados do SIAFI, estabelecendo diferentes níveis desse acesso às suas informações; (Assertiva I – Verdadeira). ⇒ Fidedignidade dos dados inseridos no sistema, por parte de seus usuários; (Assertiva II – Verdadeira). ⇒ Conformidade Diária*, a ser realizada pelos titulares das UG, ou por operadores por eles indicados; (Assertiva III – Falsa). ⇒ Conformidade de Operadores, a ser realizada pelos titulares das UG, ou por operadores por eles indicados; (Assertiva IV – Verdadeira). ⇒ Conformidade Documental*, a ser realizada pelos titulares das UG, ou por operadores por eles indicados; ⇒ Conformidade Contábil a ser realizada pelas UG Setoriais de Contabilidade, visando validar os valores registrados no SIAFI; ⇒ Procedimento que permite identificar os operadores que efetuaram qualquer acesso à sua base de dados, mantendo registrados o número do CPF do operador, a hora e a data de acesso, a UG a que pertence, o número do terminal utilizado e as informações consultadas; ⇒ Mecanismo de segurança, sob a responsabilidade do SERPRO, destinado a manter a integridade dos dados do Sistema; e ⇒ Inalterabilidade das informações de todos os documentos incluídos no SIAFI, após sua contabilização. * Até o final de outubro de 2007 existia apenas a conformidade diária e a conformidade do suporte documental. Com o advento da IN STN nº 06/2007, foi criada a Conformidade dos Registros de Gestão que acabou abrangendo as duas conformidades existentes (diária e documental). Do exposto, percebe-se que apenas a assertiva III está incorreta.
  • 7. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 10 Gabarito: C 54. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) A contabilidade aplicada ao setor público tem em seu principal objetivo fornecer informações sobre os resultados e sobre os dados de natureza orçamentária, econômica, patrimonial e financeira das entidades do setor público, ajudando, principalmente na transparência das contas públicas. Para isso ela se utiliza de demonstrações específicas deste tipo de contabilidade. Assinale a alternativa que apresente, apenas, Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público. a) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC). b) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados. c) Balanço orçamentário; balanço financeiro; balanço patrimonial; demonstração das variações patrimoniais; e, demonstração das origens e aplicações de recursos. d) Balanço orçamentário; balanço patrimonial; demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados; demonstração das variações patrimoniais; e, Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC). Conforme esquema disponibilizado em nosso curso e abordado na nossa revisão de véspera, temos:
  • 8. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 10 Gabarito: A 56. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) A Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, que trata da responsabilidade na gestão fiscal, exige, em seu Art. 54, que seja emitido, ao final de cada quadrimestre, pelos titulares dos Poderes e órgãos referidos no Art. 20, (Ministério Público; Poder Legislativo: Federal, as respectivas Casas e o Tribunal de Contas da União; Estadual, a Assembleia Legislativa e os Tribunais de Contas; Distrito Federal, a Câmara Legislativa e o Tribunal de Contas do Distrito Federal e Municipal, a Câmara de Vereadores e o Tribunal de Contas do Município, quando houver; no Poder Judiciário: Federal, os tribunais; Estadual, o Tribunal de Justiça e outros, quando houver.) do Relatório de Gestão Fiscal. 2. O Relatório de Gestão Fiscal deve conter informações sobre: a) A despesa total com pessoal, dívida separada, concessão de garantias e operações de crédito, devendo, no mês de cada quadrimestre, ser acrescido de demonstrativos referentes ao montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em restos a pagar. b) A despesa total com pessoal, dívida consolidada, concessão de garantias e operações de crédito, devendo, no último quadrimestre de cada exercício, ser acrescido de demonstrativos referentes ao montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em restos a pagar. c) A despesa com manutenção, dívida consolidada, concessão de garantias e operações de crédito, devendo, no penúltimo quadrimestre de cada exercício, ser acrescido de demonstrativos referentes ao montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em restos a pagar. d) A despesa total do órgão separada por departamentos, devendo, sendo que no último quadrimestre de cada exercício não precisa ser acrescido de demonstrativos referentes ao montante das disponibilidades de caixa em 31 de dezembro e às inscrições em restos a pagar. Segundo a LRF, o Relatório de Gestão Fiscal conterá demonstrativos comparativos com os limites de que trata a LRF, dos seguintes montantes: a) despesa total com pessoal, evidenciando as despesas com ativos, inativos e pensionistas;
  • 9. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 10 b) dívida consolidada; c) concessão de garantias e contragarantias; e d) operações de crédito. No último quadrimestre, o RGF deverá conter, também, os seguintes demonstrativos: a) do montante da disponibilidade de caixa em trinta e um de dezembro; b) da inscrição em Restos a Pagar das despesas liquidadas, das empenhadas e não liquidadas, inscritas até o limite do saldo da disponibilidade de caixa e das não inscritas por falta de disponibilidade de caixa e cujos empenhos foram cancelados; c) do cumprimento do disposto na LRF, no que se refere à operação de crédito por antecipação de receita, liquidada com juros e outros encargos incidentes, até o dia dez de dezembro de cada ano, com observância da proibição de contratar tais operações no último ano de mandato do Presidente, Governador ou Prefeito Municipal. Do exposto, percebe-se que apenas a opção “B” está certa à luz do disposto na LRF. Gabarito: B 60. (CONSULPLAN/Analista Judiciário/Contadoria/TRF2/2017) Um estado brasileiro fez a utilização do superávit financeiro de exercícios anteriores para abertura de créditos adicionais, apurado no Balanço Patrimonial do exercício anterior ao de referência. “Neste caso, o Balanço Orçamentário demonstrará uma situação de _______________ entre a previsão atualizada da ___________ e a dotação atualizada”. Assinale a alternativa que completa correta e sequencialmente a afirmativa anterior. a) equilíbrio / receita b) equilíbrio / despesa c) desequilíbrio / receita d) desequilíbrio / despesa Segundo o MCASP, É importante destacar que em decorrência da utilização do superávit financeiro de exercícios anteriores para abertura de créditos adicionais, apurado no Balanço Patrimonial do exercício anterior ao de referência,
  • 10. # Prova de Contabilidade Pública Comentada # TRF2 2017 (Analista Judiciário – Contadoria) Prof. Gilmar Possati www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 10 o Balanço Orçamentário demonstrará uma situação de desequilíbrio entre a previsão atualizada da receita e a dotação atualizada. Essa situação também pode ser causada pela reabertura de créditos adicionais, especificamente os créditos especiais e extraordinários que tiveram o ato de autorização promulgado nos últimos quatro meses do ano anterior, caso em que esses créditos serão reabertos nos limites de seus saldos e incorporados ao orçamento do exercício financeiro em referência. Gabarito: C