SlideShare uma empresa Scribd logo
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                          Mensagem invisível

Precisas de:
- Limão
- Papel
- Cotonete
- Fósforos




Como fazer:
1. Escreve uma mensagem numa folha de papel utilizando um cotonete impregnado em sumo de limão.
2. Deixa secar bem.
3. Aquece a folha de papel, cuidadosamente, com a parte escrita virada para baixo, sobre a chama de uma
lamparina, tendo o cuidado de não incendiar o papel.




O que acontece:
A mensagem torna-se visível (castanha) quando o papel é aquecido.




Explicação:


                      O sumo de limão contém ácido cítrico.
                      O calor provoca a combustão do ácido cítrico antes de se desencadear a combustão do papel.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                                     Pega-monstro

Precisas de:
- Copos
- Varetas de vidro
- Totocola
- Solução aquosa de borato de sódio a 4 %
- Corantes alimentares de várias cores
- Luvas de protecção


Como fazer:
                                  1. Colocar cerca de 20 ml de cola num copo e 12 ml de água, misturando bem.
                                  2. Acrescentar 2 gotas de corante alimentar.
                                  3. Adicionar 5 ml de solução de borato de sódio.
                                  4. Misturar bem.




O que acontece:
Observa-se a formação de um sólido viscoso.




Explicação:



                       A mistura da cola com o borato de sódio forma um polímero de silicone com propriedades
                       surpreendentes.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                            De que cor é a luz?
Precisas de:
- cartolina branca;
- lápis;
- transferidor;
- lápis de cores;
- compasso;
- tesoura;


Como fazer:


                                        1- Com o compasso desenha na cartolina um círculo com 10 cm de diâmetro.
                                        2- Divide-o em sete partes iguais, com a ajuda de um transferidor. Cada
                                        ângulo deve ter cerca de 51º.
                                        3- Pinta cada uma das partes com as seguintes cores: vermelho, cor de
                                        laranja, amarelo, verde, azul claro, azul escuro e roxo.
                                        4- Enfia no centro do disco o lápis com o bico virado para baixo.
                                        5- Faz girar o disco velozmente como se fosse um pião.
                                        6- Verifica o que acontece.


O que acontece:




Explicação:


                    Durante a rotação as cores já não se distinguem e o disco parece quase branco, porque a mistura
                    das sete cores que usaste, obtida com a rotação veloz, dá como resultado uma cor
                    esbranquiçada.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                Como se formam as cores?
Precisas de:
- marcadores de diversas cores;
- bacia larga e lisa;
- água;
- fitas de papel branco absorvente com 20 cm de comprimento por 2-3 cm de largura;


Como fazer:
1- Sobre cada fita, a 2 cm do fundo, deita algumas gotas de tinta ou faz uma mancha com um marcador.




2- Deita um pouco de água na bacia, mergulha as extremidades das fitas (uma de cada vez) e espera que a água
suba até à mancha.
3- Observa o que acontece.


O que acontece:




Explicação:
                 A água sobe e algumas manchas, entre elas a preta, decompõem-se em diversas cores. A água
                 dissolve, isto é, desagrega os pigmentos que, consoante a sua cor, se movem a diferentes
                 velocidades. Assim, separam-se e começam a reflectir cada qual a sua cor. Esta experiência
                 permite-nos distinguir as tintas e os marcadores compostos de várias cores e os formados por uma
                 só cor.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                            Erupção vulcânica
Precisas de:
- Dicromato de Amónio;
- Fita de magnésio;
- Fósforos;
- Cone vulcânico do tipo explosivo (em material resistente a altas temperaturas)
- Cadinho;
- Tesoura.

Nota: O dicromato de amónio é uma substância explosiva e, por isso, deve ser manuseado com muito cuidado e
                                                apenas com a presença do professor.




                                                      Como fazer:
                                                      1- Após montar o cadinho na maqueta do cone vulcânico,
                                                      introduzir o dicromato de amónio (75g) no cadinho;
                                                      2- Adicionar 3 cabeças de fósforo sobre o dicromato de
amónio;
3- Introduzir uma fita de magnésio com cerca de 4 cm na mistura, deixando uma ponta de fora de cerca de 1 cm;
4- Posteriormente, acender a fita de magnésio, com cuidado.




Explicação:
                         A reacção é iniciada com uma chama (algumas gotas de álcool facilitam a ignição) e
                     progride com uma libertação considerável de energia (luz, calor, movimento).
                        O dicromato de amónio transforma-se em óxido de crómio (III) que é uma substância sólida
                     de cor verde escura. Simultaneamente, formam-se azoto e vapor de água que projectam os
                     flocos do óxido de crómio.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                               Uma explosão de Coca-cola

Precisas de:
- uma garrafa de coca-cola de 1,5 l;
- uma embalagem de Mentos.




Como fazer:
1- Dispõe uma cobertura (saco de lixo de 120 l) no chão;
2- No centro da cobertura abre a garrafa de refrigerante;
3- Adiciona algumas pastilhas de Mentos dentro da garrafa;
4- FSHHHHHHHHHHHH !!!!!!
5- Uma explosão de Coca-Cola.
Nota: se não cobriste o chão prepara-te para grandes limpezas…




Explicação:
               A explicação desde fenómeno físico é muito simples.
               Na realidade o “mentos” vai promover a libertação do dióxido de carbono (“bolhinhas” da Coca-
               Cola) de uma forma rápida o que vai “provocar” uma “Explosão” como a que viste.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                               Extintor caseiro
Precisas de:
- Jarra grande e transparente.
- Jarra pequena e transparente.
- Duas velas.
- Copo de vidro.
- Bicarbonato de sódio.
- Vinagre.


Como fazer:
                             1. Coloca as duas velas na jarra de menor dimensão. (a fixação das velas pode ser
                             feita com a ajuda da sua própria cera. A jarra mais pequena pode ser substituída por
                             um prato de sobremesa);
                             2. Coloca meio copo de bicarbonato de sódio na jarra mais pequena.
                             3. Coloca a jarra mais pequena no interior da maior. (se não tiver uma jarra grande,
                             utilize uma bacia. A bacia tem de ter uma altura maior do que as velas);
                             4. Adiciona um copo de vinagre ao bicarbonato de sódio.
                             5. Podes verificar que o vinagre começa, de imediato, a reagir com o bicarbonato de
                             sódio.
                             6. Observa qual a vela que se apaga em primeiro lugar. A mais alta ou a mais baixa?


Explicação:
                            A combustão é resultado da reacção do oxigénio com outras substâncias. Os extintores
                           usuais funcionam removendo o oxigénio necessário à combustão. A reacção entre o
                           bicarbonato de sódio e o ácido acético (vinagre) produz o dióxido de carbono. O dióxido
                           de carbono é um gás incolor, inodoro e mais denso do que o ar. À medida que se vai
                           formando dióxido de carbono, a partir da reacção, este vai ocupando um volume cada
                           vez maior, no fundo da jarra. Num determinado instante, o dióxido de carbono cobre a
                           vela mais pequena, deixando de existir uma concentração de oxigénio suficiente para a
                           combustão, apagando-se assim a vela. Com o decorrer da reacção, a quantidade de
                           dióxido vai aumentando até chegar à vela maior, apagando-se esta igualmente.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                                   Poção mágica
Precisas de:
- proveta de 500 mL;
- copos de precipitação;
- água oxigenada 110 V;
- detergente líquido da louça;
- iodeto de potássio.




                                         Como fazer:

                                         1- Coloca 20 mL de água oxigenada na proveta;

                                         2- Adiciona 5 mL de detergente da louça;
                                         3- Por fim coloca 5 mL de iodeto de sódio (solução saturada).




Explicação:

                           A rápida decomposição da água oxigenada (peróxido de hidrogénio), acelerada pelo ião
                    iodeto (I-), liberta oxigénio que produz com o detergente líquido uma espuma.
                        A cor acastanhada da espuma deve-se à presença de iodo.
EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO


                                                   A lista telefónica

Precisas de:
- duas listas telefónicas;
- paciência.


Como fazer:
                                                             1- Posiciona as duas listas telefónicas, uma de frente para
                                                             a outra, em cima de uma mesa e com a lombada virada
                                                             para o lado de dentro;
                                                             2- Abre as duas listas telefónicas, na última página;
                                                             3- Coloca as últimas páginas uma sobre a outra;
                                                             4- Procede do mesmo modo para as restantes páginas,
                                                             alternando entre as listas;
                                                             5- Quando terminares, tenta separar as listas.
                                                             6- As listas não se separam!




Explicação:

                             O atrito entre as páginas da lista cria uma força que impede que as folhas sejam separadas
                     facilmente. Como estão dispostas numa “sanduíche”, as folhas aderem umas às outras, unindo
                     as duas listas telefónicas.
Protocolos experimentais

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
sextoD
 
Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018
SalaAmarelaJIGradil
 
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
becre-palmeiras
 
Constituição do Microscópio Ótico Composto
Constituição do Microscópio Ótico CompostoConstituição do Microscópio Ótico Composto
Constituição do Microscópio Ótico Composto
João Gomes
 
Jogos tradicionais para crianças
Jogos tradicionais para criançasJogos tradicionais para crianças
Jogos tradicionais para crianças
Evandro Felipe
 
Teste saga
Teste saga Teste saga
Teste saga
fatimamendonca64
 
Experiências com o ar
Experiências com o arExperiências com o ar
Experiências com o ar
Carmo Silva
 
Rochas – 5º ano
Rochas – 5º anoRochas – 5º ano
Rochas – 5º ano
Isabel Ribeiro
 
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - ApresentaçãoO Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
Clarisse Barreto
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
Pirâmide Dos Tecidos
 
Resumo a saga
Resumo a sagaResumo a saga
Resumo a saga
maria clara veronico
 
Experiências com o ar
Experiências com o arExperiências com o ar
Experiências com o ar
Carmo Silva
 
A Aprendizagem Cooperativa na escola
A Aprendizagem Cooperativa na escolaA Aprendizagem Cooperativa na escola
A Aprendizagem Cooperativa na escola
EBS/PE da Calheta
 
Ficha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochasFicha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochas
anaassantos
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
Maria Freitas
 
Relatório da aula experimental cn células da cebola
Relatório da aula experimental cn células da cebolaRelatório da aula experimental cn células da cebola
Relatório da aula experimental cn células da cebola
António Morais
 
Gramatica - Fichas
Gramatica - FichasGramatica - Fichas
Gramatica - Fichas
guest899e50
 
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Magda Ferreira
 
Acnd sinteses descritivas
Acnd sinteses descritivasAcnd sinteses descritivas
Acnd sinteses descritivas
Sandra Evt
 
Pronominalização - exercícios
Pronominalização - exercíciosPronominalização - exercícios
Pronominalização - exercícios
Lurdes Augusto
 

Mais procurados (20)

Estrutura da Notícia
Estrutura da NotíciaEstrutura da Notícia
Estrutura da Notícia
 
Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018Auto Avaliação Docente 2018
Auto Avaliação Docente 2018
 
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
A Saga de Sophia de Mello Breyner Andresen
 
Constituição do Microscópio Ótico Composto
Constituição do Microscópio Ótico CompostoConstituição do Microscópio Ótico Composto
Constituição do Microscópio Ótico Composto
 
Jogos tradicionais para crianças
Jogos tradicionais para criançasJogos tradicionais para crianças
Jogos tradicionais para crianças
 
Teste saga
Teste saga Teste saga
Teste saga
 
Experiências com o ar
Experiências com o arExperiências com o ar
Experiências com o ar
 
Rochas – 5º ano
Rochas – 5º anoRochas – 5º ano
Rochas – 5º ano
 
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - ApresentaçãoO Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
O Menino Estrela de Oscar Wilde - Apresentação
 
Fichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º anoFichas de avaliação 8º ano
Fichas de avaliação 8º ano
 
Resumo a saga
Resumo a sagaResumo a saga
Resumo a saga
 
Experiências com o ar
Experiências com o arExperiências com o ar
Experiências com o ar
 
A Aprendizagem Cooperativa na escola
A Aprendizagem Cooperativa na escolaA Aprendizagem Cooperativa na escola
A Aprendizagem Cooperativa na escola
 
Ficha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochasFicha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochas
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
 
Relatório da aula experimental cn células da cebola
Relatório da aula experimental cn células da cebolaRelatório da aula experimental cn células da cebola
Relatório da aula experimental cn células da cebola
 
Gramatica - Fichas
Gramatica - FichasGramatica - Fichas
Gramatica - Fichas
 
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexiaEstratégias para trabalhar com alunos com dislexia
Estratégias para trabalhar com alunos com dislexia
 
Acnd sinteses descritivas
Acnd sinteses descritivasAcnd sinteses descritivas
Acnd sinteses descritivas
 
Pronominalização - exercícios
Pronominalização - exercíciosPronominalização - exercícios
Pronominalização - exercícios
 

Semelhante a Protocolos experimentais

Experiencias 1ano
Experiencias 1anoExperiencias 1ano
Experiencias 1ano
Lia Moura
 
Apostila-Show-da-Química.pdf
Apostila-Show-da-Química.pdfApostila-Show-da-Química.pdf
Apostila-Show-da-Química.pdf
Andrea Marli Dos Santos
 
Actividades[1]
Actividades[1]Actividades[1]
Actividades[1]
carla alves
 
Actividades[1]
Actividades[1]Actividades[1]
Actividades[1]
carla alves
 
Aula prática
Aula práticaAula prática
Aula prática
Camila Araújo
 
Cobreagem
CobreagemCobreagem
Bacaetava
BacaetavaBacaetava
Relatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
Relatorio de Simulação de Erupções VulcânicasRelatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
Relatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
kyzinha
 
3°s orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
3°s   orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos3°s   orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
3°s orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
samuelr81
 
Pratica 03 - teste da chama
Pratica 03 -  teste da chamaPratica 03 -  teste da chama
Pratica 03 - teste da chama
cmdantasba
 
18 o pulo do fogo
18 o pulo do fogo18 o pulo do fogo
18 o pulo do fogo
Giselly2
 

Semelhante a Protocolos experimentais (11)

Experiencias 1ano
Experiencias 1anoExperiencias 1ano
Experiencias 1ano
 
Apostila-Show-da-Química.pdf
Apostila-Show-da-Química.pdfApostila-Show-da-Química.pdf
Apostila-Show-da-Química.pdf
 
Actividades[1]
Actividades[1]Actividades[1]
Actividades[1]
 
Actividades[1]
Actividades[1]Actividades[1]
Actividades[1]
 
Aula prática
Aula práticaAula prática
Aula prática
 
Cobreagem
CobreagemCobreagem
Cobreagem
 
Bacaetava
BacaetavaBacaetava
Bacaetava
 
Relatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
Relatorio de Simulação de Erupções VulcânicasRelatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
Relatorio de Simulação de Erupções Vulcânicas
 
3°s orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
3°s   orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos3°s   orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
3°s orgânica - experimentos iniciais - carcterização dos compostos orgânicos
 
Pratica 03 - teste da chama
Pratica 03 -  teste da chamaPratica 03 -  teste da chama
Pratica 03 - teste da chama
 
18 o pulo do fogo
18 o pulo do fogo18 o pulo do fogo
18 o pulo do fogo
 

Mais de susanapnp

Olimpiadas das ciências
Olimpiadas das ciênciasOlimpiadas das ciências
Olimpiadas das ciências
susanapnp
 
Comedoroaves[1]
Comedoroaves[1]Comedoroaves[1]
Comedoroaves[1]
susanapnp
 
Ficha trabalho erupções vulcânicas
Ficha trabalho   erupções vulcânicasFicha trabalho   erupções vulcânicas
Ficha trabalho erupções vulcânicas
susanapnp
 
erupções vulcãnicas
 erupções vulcãnicas erupções vulcãnicas
erupções vulcãnicas
susanapnp
 
óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!
susanapnp
 
óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!
susanapnp
 

Mais de susanapnp (6)

Olimpiadas das ciências
Olimpiadas das ciênciasOlimpiadas das ciências
Olimpiadas das ciências
 
Comedoroaves[1]
Comedoroaves[1]Comedoroaves[1]
Comedoroaves[1]
 
Ficha trabalho erupções vulcânicas
Ficha trabalho   erupções vulcânicasFicha trabalho   erupções vulcânicas
Ficha trabalho erupções vulcânicas
 
erupções vulcãnicas
 erupções vulcãnicas erupções vulcãnicas
erupções vulcãnicas
 
óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!
 
óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!óLeo alimentar usado!!
óLeo alimentar usado!!
 

Protocolos experimentais

  • 1. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Mensagem invisível Precisas de: - Limão - Papel - Cotonete - Fósforos Como fazer: 1. Escreve uma mensagem numa folha de papel utilizando um cotonete impregnado em sumo de limão. 2. Deixa secar bem. 3. Aquece a folha de papel, cuidadosamente, com a parte escrita virada para baixo, sobre a chama de uma lamparina, tendo o cuidado de não incendiar o papel. O que acontece: A mensagem torna-se visível (castanha) quando o papel é aquecido. Explicação: O sumo de limão contém ácido cítrico. O calor provoca a combustão do ácido cítrico antes de se desencadear a combustão do papel.
  • 2. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Pega-monstro Precisas de: - Copos - Varetas de vidro - Totocola - Solução aquosa de borato de sódio a 4 % - Corantes alimentares de várias cores - Luvas de protecção Como fazer: 1. Colocar cerca de 20 ml de cola num copo e 12 ml de água, misturando bem. 2. Acrescentar 2 gotas de corante alimentar. 3. Adicionar 5 ml de solução de borato de sódio. 4. Misturar bem. O que acontece: Observa-se a formação de um sólido viscoso. Explicação: A mistura da cola com o borato de sódio forma um polímero de silicone com propriedades surpreendentes.
  • 3. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO De que cor é a luz? Precisas de: - cartolina branca; - lápis; - transferidor; - lápis de cores; - compasso; - tesoura; Como fazer: 1- Com o compasso desenha na cartolina um círculo com 10 cm de diâmetro. 2- Divide-o em sete partes iguais, com a ajuda de um transferidor. Cada ângulo deve ter cerca de 51º. 3- Pinta cada uma das partes com as seguintes cores: vermelho, cor de laranja, amarelo, verde, azul claro, azul escuro e roxo. 4- Enfia no centro do disco o lápis com o bico virado para baixo. 5- Faz girar o disco velozmente como se fosse um pião. 6- Verifica o que acontece. O que acontece: Explicação: Durante a rotação as cores já não se distinguem e o disco parece quase branco, porque a mistura das sete cores que usaste, obtida com a rotação veloz, dá como resultado uma cor esbranquiçada.
  • 4. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Como se formam as cores? Precisas de: - marcadores de diversas cores; - bacia larga e lisa; - água; - fitas de papel branco absorvente com 20 cm de comprimento por 2-3 cm de largura; Como fazer: 1- Sobre cada fita, a 2 cm do fundo, deita algumas gotas de tinta ou faz uma mancha com um marcador. 2- Deita um pouco de água na bacia, mergulha as extremidades das fitas (uma de cada vez) e espera que a água suba até à mancha. 3- Observa o que acontece. O que acontece: Explicação: A água sobe e algumas manchas, entre elas a preta, decompõem-se em diversas cores. A água dissolve, isto é, desagrega os pigmentos que, consoante a sua cor, se movem a diferentes velocidades. Assim, separam-se e começam a reflectir cada qual a sua cor. Esta experiência permite-nos distinguir as tintas e os marcadores compostos de várias cores e os formados por uma só cor.
  • 5. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Erupção vulcânica Precisas de: - Dicromato de Amónio; - Fita de magnésio; - Fósforos; - Cone vulcânico do tipo explosivo (em material resistente a altas temperaturas) - Cadinho; - Tesoura. Nota: O dicromato de amónio é uma substância explosiva e, por isso, deve ser manuseado com muito cuidado e apenas com a presença do professor. Como fazer: 1- Após montar o cadinho na maqueta do cone vulcânico, introduzir o dicromato de amónio (75g) no cadinho; 2- Adicionar 3 cabeças de fósforo sobre o dicromato de amónio; 3- Introduzir uma fita de magnésio com cerca de 4 cm na mistura, deixando uma ponta de fora de cerca de 1 cm; 4- Posteriormente, acender a fita de magnésio, com cuidado. Explicação: A reacção é iniciada com uma chama (algumas gotas de álcool facilitam a ignição) e progride com uma libertação considerável de energia (luz, calor, movimento). O dicromato de amónio transforma-se em óxido de crómio (III) que é uma substância sólida de cor verde escura. Simultaneamente, formam-se azoto e vapor de água que projectam os flocos do óxido de crómio.
  • 6. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Uma explosão de Coca-cola Precisas de: - uma garrafa de coca-cola de 1,5 l; - uma embalagem de Mentos. Como fazer: 1- Dispõe uma cobertura (saco de lixo de 120 l) no chão; 2- No centro da cobertura abre a garrafa de refrigerante; 3- Adiciona algumas pastilhas de Mentos dentro da garrafa; 4- FSHHHHHHHHHHHH !!!!!! 5- Uma explosão de Coca-Cola. Nota: se não cobriste o chão prepara-te para grandes limpezas… Explicação: A explicação desde fenómeno físico é muito simples. Na realidade o “mentos” vai promover a libertação do dióxido de carbono (“bolhinhas” da Coca- Cola) de uma forma rápida o que vai “provocar” uma “Explosão” como a que viste.
  • 7. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Extintor caseiro Precisas de: - Jarra grande e transparente. - Jarra pequena e transparente. - Duas velas. - Copo de vidro. - Bicarbonato de sódio. - Vinagre. Como fazer: 1. Coloca as duas velas na jarra de menor dimensão. (a fixação das velas pode ser feita com a ajuda da sua própria cera. A jarra mais pequena pode ser substituída por um prato de sobremesa); 2. Coloca meio copo de bicarbonato de sódio na jarra mais pequena. 3. Coloca a jarra mais pequena no interior da maior. (se não tiver uma jarra grande, utilize uma bacia. A bacia tem de ter uma altura maior do que as velas); 4. Adiciona um copo de vinagre ao bicarbonato de sódio. 5. Podes verificar que o vinagre começa, de imediato, a reagir com o bicarbonato de sódio. 6. Observa qual a vela que se apaga em primeiro lugar. A mais alta ou a mais baixa? Explicação: A combustão é resultado da reacção do oxigénio com outras substâncias. Os extintores usuais funcionam removendo o oxigénio necessário à combustão. A reacção entre o bicarbonato de sódio e o ácido acético (vinagre) produz o dióxido de carbono. O dióxido de carbono é um gás incolor, inodoro e mais denso do que o ar. À medida que se vai formando dióxido de carbono, a partir da reacção, este vai ocupando um volume cada vez maior, no fundo da jarra. Num determinado instante, o dióxido de carbono cobre a vela mais pequena, deixando de existir uma concentração de oxigénio suficiente para a combustão, apagando-se assim a vela. Com o decorrer da reacção, a quantidade de dióxido vai aumentando até chegar à vela maior, apagando-se esta igualmente.
  • 8. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO Poção mágica Precisas de: - proveta de 500 mL; - copos de precipitação; - água oxigenada 110 V; - detergente líquido da louça; - iodeto de potássio. Como fazer: 1- Coloca 20 mL de água oxigenada na proveta; 2- Adiciona 5 mL de detergente da louça; 3- Por fim coloca 5 mL de iodeto de sódio (solução saturada). Explicação: A rápida decomposição da água oxigenada (peróxido de hidrogénio), acelerada pelo ião iodeto (I-), liberta oxigénio que produz com o detergente líquido uma espuma. A cor acastanhada da espuma deve-se à presença de iodo.
  • 9. EB 2,3 NAVEGADOR RODRIGUES SOROMENHO A lista telefónica Precisas de: - duas listas telefónicas; - paciência. Como fazer: 1- Posiciona as duas listas telefónicas, uma de frente para a outra, em cima de uma mesa e com a lombada virada para o lado de dentro; 2- Abre as duas listas telefónicas, na última página; 3- Coloca as últimas páginas uma sobre a outra; 4- Procede do mesmo modo para as restantes páginas, alternando entre as listas; 5- Quando terminares, tenta separar as listas. 6- As listas não se separam! Explicação: O atrito entre as páginas da lista cria uma força que impede que as folhas sejam separadas facilmente. Como estão dispostas numa “sanduíche”, as folhas aderem umas às outras, unindo as duas listas telefónicas.