SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
EB10-P-01.023
MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDANTE DO EXÉRCITO
POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA DO EXÉRCITO
1ª Edição
2024
MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDANTE DO EXÉRCITO
POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA DO EXÉRCITO
1ª Edição
2024
EB10-P-01.023
MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDANTE DO EXÉRCITO
PORTARIA – C Ex Nº 2.201, DE 12 DE MARÇO DE 2024
EB: 64535.071995/2024-13
Aprova a Política de Comunicação Estratégica do
Exército (EB10-P-01.023) 1ª edição, 2024.
O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4º da Lei
Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, o art. 20, incisos I e XIV, do Anexo I, do Decreto nº 5.751,
de 12 de abril de 2006, e considerando o que consta nos autos EB: 64535.071995/2024-13, resolve:
Art. 1º Aprovar a Política de Comunicação Estratégica do Exército (EB10-P-01.023), 1ª
edição, 2024.
Art. 2º Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação.
TOMAS MIGUEL MINE RIBEIRO
PAIVA:56928963700
Eu estou aprovando este documento
2024.03.12 10:22:31-03'00'
FOLHA REGISTRO DE MODIFICAÇÕES (FRM)
NÚMERO
DE ORDEM
ATO DE
APROVAÇÃO
PÁGINAS
AFETADAS
DATA
ÍNDICE DE ASSUNTOS
Pág.
1. FINALIDADE .................................................................................................................................. 5
2. CONCEITOS BÁSICOS .................................................................................................................... 5
3. REFERÊNCIAS................................................................................................................................ 5
4. OBJETIVOS.................................................................................................................................... 6
5. ORIENTAÇÕES GERAIS .................................................................................................................. 7
EB10-P-01.023
(Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................5/7)
1. FINALIDADE
Instituir a Política de Comunicação Estratégica do Exército Brasileiro (Pol Com Estrt EB),
em conformidade com a legislação vigente, a fim de estabelecer objetivos e orientações gerais para o
atingimento dos Objetivos de Comunicação Estratégica do Exército, em consonância com a Política
Militar Terrestre.
2. CONCEITOS BÁSICOS
a. Comunicação estratégica (Com Estrt) é a sistematização contínua dos processos
comunicacionais do Exército Brasileiro (EB) para todos os públicos de interesse, na busca do
alinhamento, da integração e da sincronização da comunicação institucional, a fim de manter a
legitimidade e a credibilidade, visando possuir liberdade de ação.
b. A Com Estrt é balizada pela missão da Força, confirmada pelas entregas à sociedade e
alicerçada nos valores institucionais. Tem como objetivo final a sinergia de todos os esforços de
comunicação, colimados no mais alto nível de governança e gestão, produzindo efeitos de longo prazo
que cooperem com a concretização da visão de futuro do EB, contribuam para o atingimento dos
Objetivos Estratégicos do Exército e mantenham a sociedade brasileira informada das ações, operações
e valores do EB.
3. PREMISSAS
a. Para esta Política, seguiu-se o arcabouço normativo da administração pública federal
nos seguintes diplomas legais:
- Constituição Federal de 1988 (art. 5º e art. 220);
- Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, que dispõe sobre as normas gerais
para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas;
- Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, que regula o acesso a informações (Lei de
Acesso à Informação);
- Lei nº 13.853, de 8 de julho de 2019, Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais;
- Decreto nº 5.484, de 30 de junho de 2005, que aprova a Política de Defesa Naciona;
- Decreto nº 6.703, de 18 de dezembro de 2008, que aprova a Estratégia Nacional de
Defesa;
- Portaria GM-MD nº 1.579, de 28 de março de 2022, que aprova a Política Militar de
Defesa (MD51-P-02), 3ª edição, 2022, e a Estratégia Militar de Defesa (MD51-M-03), 3ª edição, 2022;
- Portaria Normativa nº 113/SPEAI/MD, de 1º de fevereiro de 2007, que dispõe sobre a
Doutrina Militar de Defesa (MD51-M-04);
- Portaria Normativa nº 9/GAP/MD, de 13 de janeiro de 2016, que aprova a 5ª edição do
Glossário das Forças Armadas (MD35-G-01);
- Portaria Normativa nº 1.069/MD, de 5 de maio de 2011, que aprova o Manual de
Emprego do Direito Internacional dos Conflitos Armados nas Forças Armadas (MD34-M-03);
- Portaria – C Ex nº 1.253, de 5 de dezembro de 2013, que aprova a Concepção de
Transformação do Exército; e
- Portaria – C Ex nº 004, de 3 de janeiro de 2019, que aprova a Política de Gestão de
Riscos do Exército Brasileiro (EB10-P-01.004), 2ª edição, 2018.
EB10-P-01.023
(Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................6/7)
b. O EB é uma instituição permanente que se orienta em função da evolução da
natureza dos conflitos contemporâneos, resultado das mudanças da sociedade e da evolução
tecnológica aplicadas aos assuntos de Defesa.
c. O EB está sempre voltado para a conquista e manutenção dos objetivos fundamentais
da República constantes da Constituição Federal.
d. O EB goza de alto índice de credibilidade perante a sociedade, consubstanciada pelos
seus valores, pelo sentimento do dever, pelo pundonor militar e pelo decoro da classe, impondo aos
seus integrantes conduta moral e profissional irrepreensíveis, com a observância dos preceitos da ética
militar.
e. O EB vale-se da F Ter para o cumprimento de suas missões, como instrumento de
ação, a qual inclui todos os elementos da Instituição com capacidades para atuar nos diversos ambientes
operacionais.
f. A Com Estrt é utilizada no processamento e na disseminação da informação de temas
institucionais de interesse do EB realizada por meio dos vetores de comunicação.
g. Os processos comunicacionais do Exército são planejados e executados em harmonia
com a gestão e a segurança da informação, considerando o caráter estratégico da comunicação,
particularmente quando se assumem posicionamentos e riscos inerentes ao trabalho com cenários
prospectivos.
h. A imagem institucional é um ativo de grande relevância no EB. Sua preservação e
fortalecimento são objetivos constantes. Assim, os princípios éticos e os valores morais que sustentam a
Instituição e a sua cultura organizacional devem ser resguardados.
i. As ameaças à Instituição podem ocorrer na dimensão informacional. A resposta
adequada a essas ameaças deve conter um efetivo acompanhamento da conjuntura e da consciência
situacional.
4. OBJETIVOS
A Pol Com Estrt EB tem por objetivos:
a. alinhar os discursos sobre as características, peculiariedades e os valores de uma
Instituição permanente;
b. direcionar a integração e a sincronização de ações da Instituição, de forma que suas
inter-relações produzam um efeito sinérgico, compreensível e duradouro;
c. proporcionar aos decisores liberdade de ação;
d. promover a integração do Sistema de Comunicação Estratégica (SISCEEx) com os
outros sistemas que operam na dimensão informacional;
e. direcionar os esforços perante os públicos-alvo proritários de forma proativa;
f. ampliar as parcerias com órgãos externos à Força com a finalidade de conciliar
interesses e coordenar esforços para a consecução de objetivos e propósitos comuns;
g. salvaguardar a Instituição, observando as imposições prescritas nos instrumentos
legais;
h. preservar as informações pessoais e a segurança dos dados custodiados ao Exército,
adequando a normatização interna aos preceitos legais da administração pública federal;
i. orientar a elaboração de diretrizes e planos referentes ao SISCEEx;
j. orientar a formação e a especialização dos recursos humanos necessários ao perfeito
EB10-P-01.023
(Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................7/7)
funcionamento do SISCEEx; e
k. estabelecer critérios e procedimentos para que a Com Estrt seja corretamente
estruturada, operacionalizada e conduzida.
5. ORIENTAÇÕES GERAIS
a. O Estado-Maior do Exército (EME) é o responsável pela governança do SISCEEx no
âmbito do Exército.
b. Os sistemas relacionados à Com Estrt são regulados pelas diretrizes estratégicas
organizadoras aprovadas pelo EME, mediante propostas do Centro de Comunicação Social do Exército
(CCOMSEx).
c. O CCOMSEx é o órgão de assistência direta e imediata ao Comandante do Exército
responsável pela gestão do SISCEEx.
d. Os órgãos de direção setorial do Exército devem realizar a gestão da Com Estrt dentro
de suas áreas de competência, com a finalidade de melhor gerenciar os ativos informacionais e a
produção de conhecimento de interesse.
e. Os sistemas que compõem e que possuem ligação com o Sistema de Informação do
Exército (SINFOEx) são utilizados para coletar, processar, disseminar e agir sobre a informação,
mantendo suas funcionalidades, quer em situação de paz, quer em operações militares. Nesse contexto,
o SISCEEx disponibiliza e recebe informações do SINFOEx. Essa interação possibilita ao SISCEEx obter as
informações necessárias para apoiar o processo decisório.
f. As soluções integradoras para os sistemas de Com Estrt deverão ser baseadas em
ferramentas de tecnologia da informação, mediante propostas do Departamento de Ciência e
Tecnologia ao EME.
g. Todos os órgãos integrantes do Exército precisam considerar que a Com Estrt deve
possuir doutrina, organização, adestramento, processos, material, educação, pessoal e infraestrutura,
que permitem o desenvolvimento de capacidades.
h. Os casos excepcionais não enquadrados nas normas internas da Força referentes ao
trato da Com Estrt serão tratados pelo EME.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO - EXÉRCITO 2024 SOCIEDADE MILITAR

62º FóRum De Debates Projeto Brasil
62º FóRum De Debates Projeto Brasil62º FóRum De Debates Projeto Brasil
62º FóRum De Debates Projeto Brasil
Luis Nassif
 
Encontro regional dr o rion
Encontro regional dr o rionEncontro regional dr o rion
Encontro regional dr o rion
Tonynho Sá
 
Aumento de efetivo no exército pl 4370 2012
Aumento de efetivo no exército   pl 4370 2012Aumento de efetivo no exército   pl 4370 2012
Aumento de efetivo no exército pl 4370 2012
Ricardo Montedo
 
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdfEB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
MarcioAgne2
 

Semelhante a POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO - EXÉRCITO 2024 SOCIEDADE MILITAR (14)

62º FóRum De Debates Projeto Brasil
62º FóRum De Debates Projeto Brasil62º FóRum De Debates Projeto Brasil
62º FóRum De Debates Projeto Brasil
 
Encontro regional dr o rion
Encontro regional dr o rionEncontro regional dr o rion
Encontro regional dr o rion
 
Edital nº 3 para soldado Corpo de Bombeiros de MG
Edital nº 3 para soldado Corpo de Bombeiros de MGEdital nº 3 para soldado Corpo de Bombeiros de MG
Edital nº 3 para soldado Corpo de Bombeiros de MG
 
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
ESTÁGIO BÁSICO PARA SARGENTO TEMPORÁRIO ENFERMAGEM PPE 06/3
 
PLANO GERAL DE CONVOCAÇÃO = PAULO SÉRGIO NOGUEIRA DE OLIVEIRA.docx
PLANO GERAL DE CONVOCAÇÃO = PAULO SÉRGIO NOGUEIRA DE OLIVEIRA.docxPLANO GERAL DE CONVOCAÇÃO = PAULO SÉRGIO NOGUEIRA DE OLIVEIRA.docx
PLANO GERAL DE CONVOCAÇÃO = PAULO SÉRGIO NOGUEIRA DE OLIVEIRA.docx
 
Edital PMSC 2015
Edital PMSC 2015Edital PMSC 2015
Edital PMSC 2015
 
Aumento de efetivo no exército PL 4370 2012
Aumento de efetivo no exército   PL 4370 2012Aumento de efetivo no exército   PL 4370 2012
Aumento de efetivo no exército PL 4370 2012
 
Aumento de efetivo no exército pl 4370 2012
Aumento de efetivo no exército   pl 4370 2012Aumento de efetivo no exército   pl 4370 2012
Aumento de efetivo no exército pl 4370 2012
 
OPERAÇÕES INTERAGÊNCIAS MD33-M-12
OPERAÇÕES INTERAGÊNCIAS MD33-M-12OPERAÇÕES INTERAGÊNCIAS MD33-M-12
OPERAÇÕES INTERAGÊNCIAS MD33-M-12
 
RUE - Introdução Índice
RUE - Introdução ÍndiceRUE - Introdução Índice
RUE - Introdução Índice
 
Lei 20.010
Lei 20.010Lei 20.010
Lei 20.010
 
QO DA PM sep_237_de_22_dez_15_-_portaria 070 (2) E a D-1.pdf
QO DA PM sep_237_de_22_dez_15_-_portaria 070 (2)  E a D-1.pdfQO DA PM sep_237_de_22_dez_15_-_portaria 070 (2)  E a D-1.pdf
QO DA PM sep_237_de_22_dez_15_-_portaria 070 (2) E a D-1.pdf
 
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdfEB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
EB70-PP-11.011-Instrução Básica donExercito.pdf
 
PE 2016 2020 TCE MS
PE 2016 2020 TCE MSPE 2016 2020 TCE MS
PE 2016 2020 TCE MS
 

Mais de Revista Sociedade Militar

Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
Revista Sociedade Militar
 

Mais de Revista Sociedade Militar (20)

Viagens do general Tomás Miguel Miné 2023 e 2024 até maio.pdf
Viagens do general Tomás Miguel Miné 2023 e 2024 até maio.pdfViagens do general Tomás Miguel Miné 2023 e 2024 até maio.pdf
Viagens do general Tomás Miguel Miné 2023 e 2024 até maio.pdf
 
Militares Brasileiros em festa da Embaixada da República Islâmica do Irã - Br...
Militares Brasileiros em festa da Embaixada da República Islâmica do Irã - Br...Militares Brasileiros em festa da Embaixada da República Islâmica do Irã - Br...
Militares Brasileiros em festa da Embaixada da República Islâmica do Irã - Br...
 
Ofício denunciando perfis na internet.pdf
Ofício denunciando perfis na internet.pdfOfício denunciando perfis na internet.pdf
Ofício denunciando perfis na internet.pdf
 
Exército Brasileiro moderação política.pdf
Exército Brasileiro moderação política.pdfExército Brasileiro moderação política.pdf
Exército Brasileiro moderação política.pdf
 
Ranking Brasil abril 2024 sites de notícias.pdf
Ranking Brasil abril 2024 sites de notícias.pdfRanking Brasil abril 2024 sites de notícias.pdf
Ranking Brasil abril 2024 sites de notícias.pdf
 
TEMPORÁRIOS RM3 MÉDICOS 2024 força aérea.pdf
TEMPORÁRIOS RM3 MÉDICOS 2024 força aérea.pdfTEMPORÁRIOS RM3 MÉDICOS 2024 força aérea.pdf
TEMPORÁRIOS RM3 MÉDICOS 2024 força aérea.pdf
 
TEMPORÁRIOS RM3 ENGENHARIA 2024 ingresso na FAB
TEMPORÁRIOS RM3 ENGENHARIA 2024 ingresso na FABTEMPORÁRIOS RM3 ENGENHARIA 2024 ingresso na FAB
TEMPORÁRIOS RM3 ENGENHARIA 2024 ingresso na FAB
 
Recurso pensionistas no STJ hospitais militares
Recurso pensionistas no STJ hospitais militaresRecurso pensionistas no STJ hospitais militares
Recurso pensionistas no STJ hospitais militares
 
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STFCALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
CALDAS Marinha DEFESA apresentada ao STF
 
Normas planejamento familiar exercito 2024.pdf
Normas planejamento familiar exercito 2024.pdfNormas planejamento familiar exercito 2024.pdf
Normas planejamento familiar exercito 2024.pdf
 
Resolução Forças Armadas - direitos Humanos e 1964.pdf
Resolução Forças Armadas - direitos Humanos e 1964.pdfResolução Forças Armadas - direitos Humanos e 1964.pdf
Resolução Forças Armadas - direitos Humanos e 1964.pdf
 
Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
Plágio do TerraBrasil - Marinha lamenta situação financeira mas adquire lotes...
 
Revista Sociedade Militar Captura em 31 de març ode 2024 - cma.eb.mil.br.pdf
Revista Sociedade Militar Captura em 31 de març ode 2024 - cma.eb.mil.br.pdfRevista Sociedade Militar Captura em 31 de març ode 2024 - cma.eb.mil.br.pdf
Revista Sociedade Militar Captura em 31 de març ode 2024 - cma.eb.mil.br.pdf
 
Documento general Castelo Branco - pré-revolução.pdf
Documento general Castelo Branco  - pré-revolução.pdfDocumento general Castelo Branco  - pré-revolução.pdf
Documento general Castelo Branco - pré-revolução.pdf
 
Denúncia sobre hospital da Aeronáutica mar 2024 .pdf
Denúncia sobre hospital da Aeronáutica mar 2024 .pdfDenúncia sobre hospital da Aeronáutica mar 2024 .pdf
Denúncia sobre hospital da Aeronáutica mar 2024 .pdf
 
RELATÓRIO VITIMIZAÇÃO - ANO 2023 equipe Portugal deputado.pdf
RELATÓRIO VITIMIZAÇÃO - ANO 2023 equipe Portugal deputado.pdfRELATÓRIO VITIMIZAÇÃO - ANO 2023 equipe Portugal deputado.pdf
RELATÓRIO VITIMIZAÇÃO - ANO 2023 equipe Portugal deputado.pdf
 
Relatorio polícia federal CERTIFICADOS DE VACINAÇÃO
Relatorio polícia federal CERTIFICADOS DE VACINAÇÃORelatorio polícia federal CERTIFICADOS DE VACINAÇÃO
Relatorio polícia federal CERTIFICADOS DE VACINAÇÃO
 
Carta so Caldas Alexandre de Moraes peca_162_AP_1178.pdf
Carta so Caldas Alexandre de Moraes peca_162_AP_1178.pdfCarta so Caldas Alexandre de Moraes peca_162_AP_1178.pdf
Carta so Caldas Alexandre de Moraes peca_162_AP_1178.pdf
 
Solicitação de informações so Exército detalhe pedido (8).pdf
Solicitação de informações so Exército detalhe pedido (8).pdfSolicitação de informações so Exército detalhe pedido (8).pdf
Solicitação de informações so Exército detalhe pedido (8).pdf
 
Oficio da presidencia sobre pedido de Gleisi Hoffmann
Oficio da presidencia sobre pedido de Gleisi HoffmannOficio da presidencia sobre pedido de Gleisi Hoffmann
Oficio da presidencia sobre pedido de Gleisi Hoffmann
 

Último

relatorio para alun o.pdf
relatorio para alun                         o.pdfrelatorio para alun                         o.pdf
relatorio para alun o.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
HELLEN CRISTINA
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
HELLEN CRISTINA
 

Último (11)

Questionário sobre a Lei Orgânica de Nova Iguacu
Questionário sobre a Lei Orgânica de Nova IguacuQuestionário sobre a Lei Orgânica de Nova Iguacu
Questionário sobre a Lei Orgânica de Nova Iguacu
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
 
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo RodriguesDocumento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
Documento - Marcelo Valle Silveira Mello e Emerson Eduardo Rodrigues
 
relatorio para alun o.pdf
relatorio para alun                         o.pdfrelatorio para alun                         o.pdf
relatorio para alun o.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
tabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidostabela com a lista de mortos e desaparecidos
tabela com a lista de mortos e desaparecidos
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNewsPablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
Pablo Ortellado - Jornal O Globo, Rede Globo e GloboNews
 
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdfDIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
DIP - Organizações Internacionais - resolução de questões (8).pdf
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO - EXÉRCITO 2024 SOCIEDADE MILITAR

  • 1. EB10-P-01.023 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDANTE DO EXÉRCITO POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA DO EXÉRCITO 1ª Edição 2024
  • 2. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDANTE DO EXÉRCITO POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA DO EXÉRCITO 1ª Edição 2024 EB10-P-01.023
  • 3. MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDANTE DO EXÉRCITO PORTARIA – C Ex Nº 2.201, DE 12 DE MARÇO DE 2024 EB: 64535.071995/2024-13 Aprova a Política de Comunicação Estratégica do Exército (EB10-P-01.023) 1ª edição, 2024. O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 4º da Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, o art. 20, incisos I e XIV, do Anexo I, do Decreto nº 5.751, de 12 de abril de 2006, e considerando o que consta nos autos EB: 64535.071995/2024-13, resolve: Art. 1º Aprovar a Política de Comunicação Estratégica do Exército (EB10-P-01.023), 1ª edição, 2024. Art. 2º Estabelecer que esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação. TOMAS MIGUEL MINE RIBEIRO PAIVA:56928963700 Eu estou aprovando este documento 2024.03.12 10:22:31-03'00'
  • 4. FOLHA REGISTRO DE MODIFICAÇÕES (FRM) NÚMERO DE ORDEM ATO DE APROVAÇÃO PÁGINAS AFETADAS DATA
  • 5. ÍNDICE DE ASSUNTOS Pág. 1. FINALIDADE .................................................................................................................................. 5 2. CONCEITOS BÁSICOS .................................................................................................................... 5 3. REFERÊNCIAS................................................................................................................................ 5 4. OBJETIVOS.................................................................................................................................... 6 5. ORIENTAÇÕES GERAIS .................................................................................................................. 7
  • 6. EB10-P-01.023 (Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................5/7) 1. FINALIDADE Instituir a Política de Comunicação Estratégica do Exército Brasileiro (Pol Com Estrt EB), em conformidade com a legislação vigente, a fim de estabelecer objetivos e orientações gerais para o atingimento dos Objetivos de Comunicação Estratégica do Exército, em consonância com a Política Militar Terrestre. 2. CONCEITOS BÁSICOS a. Comunicação estratégica (Com Estrt) é a sistematização contínua dos processos comunicacionais do Exército Brasileiro (EB) para todos os públicos de interesse, na busca do alinhamento, da integração e da sincronização da comunicação institucional, a fim de manter a legitimidade e a credibilidade, visando possuir liberdade de ação. b. A Com Estrt é balizada pela missão da Força, confirmada pelas entregas à sociedade e alicerçada nos valores institucionais. Tem como objetivo final a sinergia de todos os esforços de comunicação, colimados no mais alto nível de governança e gestão, produzindo efeitos de longo prazo que cooperem com a concretização da visão de futuro do EB, contribuam para o atingimento dos Objetivos Estratégicos do Exército e mantenham a sociedade brasileira informada das ações, operações e valores do EB. 3. PREMISSAS a. Para esta Política, seguiu-se o arcabouço normativo da administração pública federal nos seguintes diplomas legais: - Constituição Federal de 1988 (art. 5º e art. 220); - Lei Complementar nº 97, de 9 de junho de 1999, que dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas; - Lei nº 12.527, de 18 de novembro de 2011, que regula o acesso a informações (Lei de Acesso à Informação); - Lei nº 13.853, de 8 de julho de 2019, Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais; - Decreto nº 5.484, de 30 de junho de 2005, que aprova a Política de Defesa Naciona; - Decreto nº 6.703, de 18 de dezembro de 2008, que aprova a Estratégia Nacional de Defesa; - Portaria GM-MD nº 1.579, de 28 de março de 2022, que aprova a Política Militar de Defesa (MD51-P-02), 3ª edição, 2022, e a Estratégia Militar de Defesa (MD51-M-03), 3ª edição, 2022; - Portaria Normativa nº 113/SPEAI/MD, de 1º de fevereiro de 2007, que dispõe sobre a Doutrina Militar de Defesa (MD51-M-04); - Portaria Normativa nº 9/GAP/MD, de 13 de janeiro de 2016, que aprova a 5ª edição do Glossário das Forças Armadas (MD35-G-01); - Portaria Normativa nº 1.069/MD, de 5 de maio de 2011, que aprova o Manual de Emprego do Direito Internacional dos Conflitos Armados nas Forças Armadas (MD34-M-03); - Portaria – C Ex nº 1.253, de 5 de dezembro de 2013, que aprova a Concepção de Transformação do Exército; e - Portaria – C Ex nº 004, de 3 de janeiro de 2019, que aprova a Política de Gestão de Riscos do Exército Brasileiro (EB10-P-01.004), 2ª edição, 2018.
  • 7. EB10-P-01.023 (Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................6/7) b. O EB é uma instituição permanente que se orienta em função da evolução da natureza dos conflitos contemporâneos, resultado das mudanças da sociedade e da evolução tecnológica aplicadas aos assuntos de Defesa. c. O EB está sempre voltado para a conquista e manutenção dos objetivos fundamentais da República constantes da Constituição Federal. d. O EB goza de alto índice de credibilidade perante a sociedade, consubstanciada pelos seus valores, pelo sentimento do dever, pelo pundonor militar e pelo decoro da classe, impondo aos seus integrantes conduta moral e profissional irrepreensíveis, com a observância dos preceitos da ética militar. e. O EB vale-se da F Ter para o cumprimento de suas missões, como instrumento de ação, a qual inclui todos os elementos da Instituição com capacidades para atuar nos diversos ambientes operacionais. f. A Com Estrt é utilizada no processamento e na disseminação da informação de temas institucionais de interesse do EB realizada por meio dos vetores de comunicação. g. Os processos comunicacionais do Exército são planejados e executados em harmonia com a gestão e a segurança da informação, considerando o caráter estratégico da comunicação, particularmente quando se assumem posicionamentos e riscos inerentes ao trabalho com cenários prospectivos. h. A imagem institucional é um ativo de grande relevância no EB. Sua preservação e fortalecimento são objetivos constantes. Assim, os princípios éticos e os valores morais que sustentam a Instituição e a sua cultura organizacional devem ser resguardados. i. As ameaças à Instituição podem ocorrer na dimensão informacional. A resposta adequada a essas ameaças deve conter um efetivo acompanhamento da conjuntura e da consciência situacional. 4. OBJETIVOS A Pol Com Estrt EB tem por objetivos: a. alinhar os discursos sobre as características, peculiariedades e os valores de uma Instituição permanente; b. direcionar a integração e a sincronização de ações da Instituição, de forma que suas inter-relações produzam um efeito sinérgico, compreensível e duradouro; c. proporcionar aos decisores liberdade de ação; d. promover a integração do Sistema de Comunicação Estratégica (SISCEEx) com os outros sistemas que operam na dimensão informacional; e. direcionar os esforços perante os públicos-alvo proritários de forma proativa; f. ampliar as parcerias com órgãos externos à Força com a finalidade de conciliar interesses e coordenar esforços para a consecução de objetivos e propósitos comuns; g. salvaguardar a Instituição, observando as imposições prescritas nos instrumentos legais; h. preservar as informações pessoais e a segurança dos dados custodiados ao Exército, adequando a normatização interna aos preceitos legais da administração pública federal; i. orientar a elaboração de diretrizes e planos referentes ao SISCEEx; j. orientar a formação e a especialização dos recursos humanos necessários ao perfeito
  • 8. EB10-P-01.023 (Política de Comunicação Estratégica do Exército — EB10-P-01.023.....................................................................7/7) funcionamento do SISCEEx; e k. estabelecer critérios e procedimentos para que a Com Estrt seja corretamente estruturada, operacionalizada e conduzida. 5. ORIENTAÇÕES GERAIS a. O Estado-Maior do Exército (EME) é o responsável pela governança do SISCEEx no âmbito do Exército. b. Os sistemas relacionados à Com Estrt são regulados pelas diretrizes estratégicas organizadoras aprovadas pelo EME, mediante propostas do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx). c. O CCOMSEx é o órgão de assistência direta e imediata ao Comandante do Exército responsável pela gestão do SISCEEx. d. Os órgãos de direção setorial do Exército devem realizar a gestão da Com Estrt dentro de suas áreas de competência, com a finalidade de melhor gerenciar os ativos informacionais e a produção de conhecimento de interesse. e. Os sistemas que compõem e que possuem ligação com o Sistema de Informação do Exército (SINFOEx) são utilizados para coletar, processar, disseminar e agir sobre a informação, mantendo suas funcionalidades, quer em situação de paz, quer em operações militares. Nesse contexto, o SISCEEx disponibiliza e recebe informações do SINFOEx. Essa interação possibilita ao SISCEEx obter as informações necessárias para apoiar o processo decisório. f. As soluções integradoras para os sistemas de Com Estrt deverão ser baseadas em ferramentas de tecnologia da informação, mediante propostas do Departamento de Ciência e Tecnologia ao EME. g. Todos os órgãos integrantes do Exército precisam considerar que a Com Estrt deve possuir doutrina, organização, adestramento, processos, material, educação, pessoal e infraestrutura, que permitem o desenvolvimento de capacidades. h. Os casos excepcionais não enquadrados nas normas internas da Força referentes ao trato da Com Estrt serão tratados pelo EME.