SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 115
Baixar para ler offline
1
DEDICATÓRIA
A dedicatória mais merecida
É a que fazemos ao autor da vida.
Que nos fez sua imagem e semelhança
E exorta-nos a sermos como crianças.
Pede-nos para sermos porta-voz
Dos que não podem lutar,
Esta obra foi a forma que encontrei
Para o grande Deus homenagear.
Abre a tua boca a favor do mundo, pelo direito de
todos os que acham em desolação, abre a tua boca e julga
retamente, e faze justiça aos necessitados. Provérbios 31
versos 8 e 9. Espero com estas poesias e canções contribuir
neste abrir da boca para denunciar, protagonizando de
forma poética a dor, a alegria, a utopia e os problemas
sociais brasileiros, representando assim esse nosso povo tão
sofrido, mas tão guerreiro e sonhador.
AGRADECIMENTOS.
À Deus, a minha família, os meus amigos e de forma
especial Dr. Paulo Roberto Jorge do Prado pelo incentivo e
valorização do meu trabalho.
APRESENTAÇÃO
2
QUERO FALAR NA VOZ DO POVO destina-se a todas as
pessoas e instituições que objetivam contribuir para formar
cidadãos reflexivos e construtores do seu próprio conhecimento.
Em Quero Falar Na Voz do Povo encontrarão, novo
estilo poético que os levarão a reflexão e a um posicionamento
frente aos problemas sociais brasileiros, serão oportunizados a
discussão dos temas e aprofundamento em pesquisa sobre os
temas poéticos; que são oriundos dos anseios e perspectivas do
povo brasileiro.
Queremos cidadãos atentos às discussões e reflexões da
nossa realidade. As poesias e músicas desta obra abordam temas
diversos, resgatando princípios e valores dos quais não podemos
abrir mão. Pois visam o resgate da dignidade humana em todos
os seus aspectos, valorizando a vida, as relações com o próximo
e com a natureza.
Prefacio o livro Com a poesia Quero Falar na
Voz do Povo, que representa o conjunto da obra.
colocando-me no lugar dos que passam pelos variados
problemas, retratando muitas vezes a minha própria
voz. Pois faço parte desta sociedade permeada por
circunstâncias adversas. Esta poesia representa a
essência do meu trabalho e da contribuição que dou
enquanto cidadã brasileira, utilizando o talento que
Deus me deu para compor poesias e musicas
retratando as diversas realidades do povo brasileiro.
Espero poder contribuir com alunos e educadores, de
todo país, tendo em vista que como educadora tenho debatido
esses temas com os alunos.
QUERO FALAR NA VOZ DO POVO
Quero falar na voz do povo,
Em linguagem simples, sem ficção.
De forma que se possa entender,
Em forma de poesia ou de canção.
Linguagem que flui sem rodeios,
A este povo tão sofredor.
Fala aberta e sem segredos,
Tão conhecida de um sonhador.
Do sonhador que quer ter vez e voz,
Quer ser compreendido, por todos nós,
Quer ser gente, ser cidadão,
Quer encontrar um ombro irmão.
Quer ver um braço amigo a estender.
Ouvidos sensíveis para o escutar.
Quer um sinal para a vida entender.
Quer ter vez e voz para poder falar.
A fala do oprimido que sempre é rompida,
Pelo silêncio da omissão.
Quer ver um sol nascendo pra vida,
Rompendo as barreiras da escuridão.
Quero gritar ao som da canção,
Em alto e bom som, para o mundo ouvir.
Que em cada vida há um coração,
Com enorme desejo de ser feliz.
Filosofando e poetizando,
Foi a forma que encontrei,
Para socializar a voz do povo,
No estilo novo que criei.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
QUERO FALAR NA VOZ DO POVO
3
Esta obra nasceu em linguagem simples, em forma de
poesia e canções, revelando a dura realidade de um povo sem
vez e sem voz, sem poder de luta, não vistos nem
reconhecidos, nem mesmo através da dor e dos gemidos que
lhes angustiam a alma, O povo brasileiro.
Sem pedir licença me constituo representante deste
povo, para junto com a imprensa e demais artistas, e demais
pessoas que como eu lutam, por um país melhor e um povo
mais feliz, denunciar, cantar e declamar em linguagem clara
e direta, a voz do nosso povo, na expectativa de evidenciar
seus sofrimentos, anseios e lutas, tendo em vista que seus
legítimos representantes os esqueceram à margem da
sociedade, sendo usados apenas como massa de manobra no
período eleitoreiro.
Quero falar na voz do analfabeto, que é explorado por
não saber ler e escrever, denunciar suas dificuldades e
encorajá-los para que independentemente da idade comecem
a estudar enfatizando a importância das diferentes formas
de linguagem.
Quero falar na voz do negro, que é marginalizado,
denunciando assim o racismo e todo tipo de preconceito
contra o homem e a mulher.
Quero falar da cidadania que consiste não apenas no
direito de votar, mas da cidadania dignidade, respeito e
cumprimento dos direitos fundamentais e básicos do ser
humano.
Quero falar na voz das crianças que perambulam
pelas ruas, com fome, desacreditada, sem perspectivas,
exploradas por traficantes que os viciam e depois os
assassinam. Crianças essas que não tiveram oportunidade de
nascer em lares de famílias estruturadas, sendo
marginalizadas, sofrendo vários tipos de maus-tratos.
Quero falar na voz da menina prostituída, das
adolescentes que carregam no ventre ou no colo filhos de
pais desconhecidos.
Quero alertar para o perigo das drogas que rondam
nossas casas e escolas, pedindo às famílias e à sociedade que
vigiem, amem, e protejam ensinando os valores da vida,
colocando limites para que nossas crianças, adolescentes e
jovens não sejam vítimas deste mal sutil e violador. Aponto
também o caminho para os que não foram fortes suficientes
e se deixaram iludir, entrando para o mundo das drogas.
Quero denunciar a exploração do trabalho infantil,
pois não acho que criança não deva fazer pequenas tarefas
como auxiliar os pais em coisas simples e cotidianas, mas o
que se não pode admitir é que as crianças sejam forçadas a
trocar a escola por outras atividades.
Falo também das emoções, das questões psíquicas que
exerce extrema influência sobre a nossa atuação como ser
racional. Relato atitudes e comportamentos que precisam ser
trabalhados, tratados na nossa relação com nós mesmos e
com o outro.
Quero falar da dor da fome que tão perto nos rodeia,
talvez pessoas próximas, estejam passando necessidades, e
não nos importamos com elas, parentes, funcionários e
outros. E ficamos inquietos e inconformados com a fome na
Etiópia ou no nordeste.
Quero falar na voz dos sem teto, sem terra e sem pão,
pais de famílias desempregados, que se angustiam quando os
filhos pedem-lhes pão; quero declarar que a casa é o
primeiro espaço de dignidade humana, mas quantos estão
morando em favelas ou debaixo da ponte por não
terem outra opção.
Quero falar na voz do educador, que sonha com um
país melhor da qual eu sou a principal, que acredita e investe
4
o talento e potencial em educação na intenção da construção
de cidadãos que façam diferença no lugar onde estão
inseridos. Muitas vezes fazemos papel de mãe, de psicólogo
de amigo e somos incumbidos de prepará-los para os
desafios cotidianos, trânsito doenças, drogas, sexualidade,
questões ambientais dentre diversos outros focos e temáticas
que compete a um educador transformador.
Quero falar na voz do empresário, que investiu tudo
para ver nascer uma nova empresa para gerar empregos e
renda e ser o dono do seu próprio destino, e vê sua empresa
ser abortada antes mesmo de frutificar restando-lhe apenas
grandes dividas por não suportar o arrocho da carga
tributária.
Quero falar na voz do povo que carece de uma saúde
pública de qualidade, e saindo à procura de atendimento,
acaba morrendo nas portas dos hospitais, por falta de
atendimento, outros mesmos hospitalizados por falta de
medicamentos, enquanto se joga no lixo toneladas de
medicamentos vencidos, sem falar nos que morrem ou se
aleijam por erros médicos.
Quero falar na voz do nosso povo que vive indignado
com a corrupção reinante no país, a impunidade que impera,
levando todo o dinheiro que era para ser investido em
educação, saúde, segurança e outras necessidades básicas.
Vendo assim os direitos sendo violados, em detrimento de
tantos privilégios e gozos daqueles que elegeram para
representá-los.
Quero registrar a indignação e a decepção com os
poderes constituídos, a corrupção reinante e o descaso com a
coisa pública e assim somar a voz de todos os brasileiros e
brasileiras, trabalhadores, que lutam por dignidade, por
respeito, por mudanças e inovações necessárias nas leis, que
as leis sejam iguais para todos sem privilégios e gozos para
uma camada diferenciada da sociedade.
Queremos leis justas que abranjam todas as pessoas
sem fórum privilegiados. Que todas as classes sociais se
aposentem com os mesmos requisitos exigidos. Que sejam
presos o ladrão de galinha e o engravatado. Que as cadeias
realmente sejam lugar de ressocialização ao invés de
expansão do crime.
Queremos sonhar com um Brasil melhor, com mais
qualidade de vida, uma sociedade mais fraterna e
pacificadora, que rompa os desafios com leis justas e para
todos.
Quero falar do amor que é a arma mais poderosa
para vencer os preconceitos e as diferenças e desavenças
entre os povos, quero falar dos diversos tipos de amor dentre
eles ressaltar, o amor maior, que é o Deus pela humanidade.
amor ação, amor que não cala, amor adoção, amor que é a
essência da alma.
Quero declamar a exuberância da natureza, os seus
maus tratos e conclamar que nos desafiemos a protegê-la.
Quero destacar a cultura do meu povo e de forma
específica do lugar onde moro Mato Grosso meu estado, e
Cuiabá minha cidade, embora tenha nascido no interior de
São Paulo.
01 – EVIDÊNCIA
Quero os meus versos,
5
Publicados em livros,
Internalizados na vida,
Formando estilos.
Dando vida às letras,
Destilando poesias,
Quero declamá-las,
Evidenciar alegria.
Quero que meus versos
Pulsem corações,
Tornem-se cantigas,
Modas e canções.
Que toda pessoa
Possa ter acesso,
A leitura viva,
Contida em meus versos.
Não quero a fama
De um poeta morto.
Quero ter a chance
De chegar ao porto,
Para que meus versos,
Sejam conhecidos,
Atravessem mares,
Rompam desafios.
Quero que meus versos
Rompam as fronteiras,
Adentre os horizontes,
Sem encontrar barreiras.
Antes de eu partir,
Quero vê-los vivos,
Eternizados,
Transcritos nos livros.
Quero ter o reconhecimento,
Antes, da minha morte.
Quero em vida ter essa emoção.
Ou será que não mereço essa sorte?
Quero que meus versos,
Versem almas vivas,
Que em vida eu veja,
Que suas palavras vibram.
Autora. Marilene Carvalho dos Santos
Poesia feita a partir dos sentimentos e desejos que
tenho como poetisa.
02 - FUNÇÕES POÉTICAS
A poesia é forma criativa,
De retratar o amor, a alegria,
A saudade, a vontade, a dor,
O fato, o sonho e a utopia.
A poesia evidencia a violência.
A fome, o preconceito, a guerra.
O analfabetismo, a ignorância,
A luta por um pedaço de terra.
A poesia retrata a nossa história,
O passado, o presente e o futuro.
Retrata o homem e sua trajetória,
E os acontecimentos do mundo.
6
A poesia critica e instiga.
Aguça os sentimentos,
Fotografa e registra da vida,
Os piores e os melhores momentos.
A poesia aconselha, adverte,
Constrói novos conceitos,
Informa, instrui e diverte.
Do poeta ela é o presente.
A poesia exalta o nascer e o por sol,
O embalo do vento, o nado da baleia,
O verde da mata, o canto do rouxinol,
As ondas do mar o mito da sereia.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia criada para retratar a importância da
poesia.
03 - COMO É POSSÍVEL FALAR DE PAZ?
Como é possível falar de paz
Sem romper o egoísmo cruel?
Paz se conquista com amor,
Ela é um pedacinho do céu;
Como é possível falar de paz;
Quando o estomago ronca de fome,
Quando não se tem onde morar,
Nem se tem direito a um nome?
Como é possível falar de paz,
Com a justiça dos anacondas,
Com os paraísos fiscais,
E o povo pagando as contas?
Como é possível falar de paz,
Com a operação gafanhoto,
Explorando e recebendo,
O que seria de direito do povo?
Como é possível falar de paz,
Com tamanho desemprego,
Com a redução dos salários,
E a violência gerando desespero?
Como é possível falar de paz,
Com as empresa falindo,
Com tanta lágrima no rosto,
Ao invés de alegria e sorrisos?
Como é possível falar de paz
Calam-se os bons homens do mundo,
Se nem os Juízes escapam,
Da garra dos vagabundos?
Como é possível falar de paz,
Se o suborno bate nas portas,
Se o dinheiro não satisfaz,
Se a moral está quase morta?
Como é possível falar de paz,
A um povo tão sofrido,
Que vê seus direitos banidos,
E os deveres cada vez mais exigidos?
Como é possível falar de paz,
Com uma polícia corrompida,
Que divide o fruto do roubo,
E ajuda a eliminar vidas?
Como é possível falar de paz,
CPI , pizzas, corrupções
7
Encargos taxas desgraças,
As mais altas das nações?
Como é possível falar de paz,
Com a moral transtornada,
Com a inversão de valores,
Se até a fé, está abalada?
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada para a Escola Elchaday, no projeto educação
para cidadania e paz.
04 - APELO
Não escolhi ser menino de rua,
Cheirar cola não foi minha opção,
De certa forma fui obrigado,
A viver nesta triste situação.
Em casa sou espancado todo dia,
Na rua, tratado como sarnento cão,
Como Vira-latas, não tenho dono,
Não tenho teto, carinho e nem pão.
Nem mesmo as igrejas se abrem,
Para do frio e da chuva me abrigar,
Fala-se na solidariedade e no amor,
Mas ninguém tem tempo pra me amar.
Os cachorrinhos comem as migalhas
Que caem debaixo das fartas mesa,
Mas os cachorrinhos têm dono,
E eu, não tenho. Certeza.
Não precisa tratar-me como filho,
Basta como um dos cachorrinhos,
Que têm remédio, casa comida,
Outros recebem até muito carinho.
Na escola bati os recordes,
Em repetência e evasão,
Não restando outro caminho,
Que me fizesse gente, cidadão.
Eu preciso de Lar, de Família.
Alguém que me olhe e me dê a mão,
Quero e preciso ser tratados como gente,
Quero ter a dignidade de um cidadão.
A realidade faz de mim um artista,
Saí até nas colunas sociais,
Mostrando minha vergonha ao mundo,
Por ser uma criança sem país e sem pais.
Autora: Nascimento, Marilene Carvalho dos Santos.
Poesia baseada na realidade levantada por mim quando
trabalhei como Conselheira Tutelar, é como se eu desse voz
as crianças em forma de poema.
05 - DECLARAÇÕES DE AMOR A MULHER
Mulher!
Sua beleza mulher,
É como as noites de luar,
É como estrelas nos céus,
8
É como as ondas no mar.
Mulher!
Das criaturas é a mais bela,
A semente é o seu ventre que gera,
Você faz a vida desabrochar.
Você é o encanto do lar.
Mulher!
Gosto de ouvir sua voz,
Você é toda delicadeza,
Você tem a sensibilidade,
Que enche a vida de beleza.
Mulher!
Você é a melhor companheira,
Pra andar lado a lado na estrada,
Você é amiga pra vida inteira.
Você merece ser muito amada,
Mulher!
Minha linda e querida mulher,
Como é grande seu amor sua fé.
É esteio que me ajuda a manter de pé
É escolhida, A mulher da minha vida.
Mulher!
Você tem virtudes tão raras,
Você é linda por dentro e por fora,
Você é a minha joia mais cara,
Minha amiga de todas as horas.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Feita a Pedido da S.A.F. da Igreja Presbiteriana para
homenagear as mulheres no dia da Mulher presbiteriana.
06 - DESAFIOS DO CONHECIMENTO
Somos desafiados,
A desvendar mistérios,
A decifrar enigmas,
A descobrir segredos.
Somos desafiados,
A construir conhecimento,
Participar das pesquisas,
Realizar experimentos.
Somos convidados,
A embalar no tempo,
Fazer comparações,
Olhar o firmamento.
Vamos passear,
Por todas as crenças,
Pesquisar o espaço,
Navegar nas ciências.
Vamos comparar,
Fazer misturas de dados,
Em conexão entrar,
Conquistar o espaço.
9
Vamos desvendar a vida,
Descobrir seus mistérios,
Para melhor vivê-la,
Vivê-la sem receios.
Somos desafiados,
A usar o conhecimento,
Na pratica do bem,
Promover o entendimento,
Somos desafiados,
A promover a paz,
A compreender o amor,
Que de graça Deus nos dá.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia criada para Escola Elchaday que teve como tema anual
do material didático sistema positivo, Os Desafios do
Conhecimento.
07- FLORESTA AMAZONICA
És a floresta mais densa,
Com árvores imensas,
Verde como a esperança,
Virgem como uma criança!
Ofereces agasalhos,
Para as aves em seus ninhos.
Entre seus ramos e galhos,
Abriga os passarinhos.
Animais de todas as espécies,
Em sua floresta abriga,
Animais selvagens e répteis
Aves, insetos e formiga.
Oh! Manto verde do norte.
Não permita sua extinção.
Não queremos ver a morte.
De animais e vegetação!
Relute contra o machado
Mantenha verde sua fé
Assim como é o seu manto
Queremos vê-la de pé.
Não queiras ter a insônia
De transformar-te em deserto
Minha querida Amazônia
Mantenha os olhos abertos.
Não deixe rasgar teu manto,
Porque não terá conserto,
Rasgado perde o encanto
Transformar-te-á em um deserto?
És o pulmão do mundo.
Não permita mais desastre,
Não deixe que os vagabundos
Te explore, te corte e te mate.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
10
Poesia criada para Escola Elchaday na semana do meio
ambiente.
08 - INSPIRAÇÕES DE PINTOR
Praias, areias e mar,
Montanhas ao redor,
Palavras não ditas, pintadas,
Na inspiração do pintor.
Inspiro em mulher bonita,
Cheia de charme e de vida,
Inspiro também na canção,
Que trago no meu coração.
Sol, nuvens, estrelas, luar,
Cascatas mansas a correr,
O vento bailando a inspirar
O que quero e devo fazer.
Ondas que vem e que vão
Coqueiro, borda do litoral,
Mulheres lindas, emoção,
Eu não pinto tão mal.
A natureza me inspira
E como viver me revela,
Sou pintor da natureza, da vida,
Vivo e pinto a vida nas telas.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia para homenagear os artistas plásticos que fazem
pintura em tela, dentre eles meu filho Abmael.
09 - HISTORICIDADE E VALORES
Buscamos a harmonia,
Através da solidariedade,
Amando de fato as pessoas,
Com respeito e sinceridade.
Amamos intensamente a vida,
As pessoas e a natureza também.
Procuramos viver em harmonia.
Viver com alegria faz bem.
Cada pessoa tem seu valor,
Sua história e seu passado,
Tem também um futuro,
E o direito de ser respeitado.
Buscamos também a harmonia,
Procurando ser justo e honesto,
Compartilhando com as pessoas,
O amor, o mais nobre dos gestos.
Valorizamos a historicidade,
Dos negros, índios, idosos e deficientes.
De pessoas de todas as idades e cidades
Respeitamos o direito de ser diferente.
Devemos compartilhar e respeitar,
A diversidade, historicidade e valores.
Nossos pais e mestres amar e honrar.
Sermos honestos, solidários e pacificadores.
11
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada para ser trabalhada pelos Professores na
Escola Elchaday com o tema proposto.
10 - IMPRESSÕES NO TEMPO
Quem descobriu o fogo?
Quem morou na caverna?
Quem inventou a roda?
A lamparina e a vela?
Quem inventou a escrita?
A pena e a caneta?
Quem escreveu nos pergaminhos?
Quem pictografou as cavernas?
Como surgiram os idiomas?
Qual foi o primeiro linguajar?
Como contavam os homens,
Quando ninguém sabia contar?
Como viviam os poetas?
Quais foram suas utopias?
Como era a religião, a política,
A ciência e a filosofia?
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia Criada para Escola Elchaday Tema anual
do material positivo – Impressões no tempo.
11- VOLTANDO NO TEMPO
Imagine se o homem da caverna,
Visse um avião pelo ar,
A conexão da Internet,
Documentos saindo de um fax!
O que pensaria da clonagem,
Da inseminação artificial,
Dos mísseis e bombas atômicas,
Espalhando horror pelo ar?
Se vissem os arranha céus,
Pontes viadutos, cidades,
Usinas hidrelétricas,
Produzindo eletricidade,
Produções cientificas,
Construções sociais,
Impressões no tempo,
Linguísticas e culturais.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
A Pedido da professora de Língua Portuguesa da Escola
Elchaday para trabalhar o sub-tema do tema Impressões no
Tempo.
12 - VALORIZAÇÃO HUMANA.
Valoriza-se o ser humano,
Com direitos, dignidade e respeito.
Valoriza-se o ser humano
Com sentimentos, e com tratamento,
Cordial, sincero e aberto.
12
Valoriza-se o ser humano,
De menor idade até a idade maior.
Com coisas simples de grandes efeitos
E com grandes coisas como o gigante amor.
Valoriza-se o ser humano,
Aceitando sua autenticidade,
Suas crenças suas verdades,
Seu modo de ser sua naturalidade
Sua cor seu dialeto e sua diversidade.
Valoriza-se o ser humano,
Em uma relação de respeito,
Pois o ser humano não é completo,
Ele se realiza e se completa nas
Interações e relações com os outros.
Valoriza-se o ser humano,
Quando se sabe valorizar a si mesmo.
Quando se é capaz de colocar no lugar do outro.
E em situações conflitantes ou desconcertantes,
Sabe compreender sem censurar,
Dando apenas o exemplo.
Um grande exemplo de amor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Criada como tarefa de um curso ministrado pela Editora
Positivo para sintetizar o conteúdo ministrado na palestra.
13 - ORAÇÃO PELA PÁTRIA
Deus abençoe minha pátria,
Abençoe o meu país,
Abençoe minha cidade,
Faz seu povo um povo feliz.
Livra-nos da violência,
Vem suprir a falta de pão,
Vem suprir a falta de amor,
Ensinar-nos a amar os irmãos.
Faz da pátria um lugar feliz,
De se ver, viver e morar.
Faz do povo o povo daqui,
Um só povo Senhor em ti.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
14 – ORAÇÃO PELAS AUTORIDADES
Abençoa Senhor Mato Grosso,
Nosso estado que é promissor.
Abençoe também Cuiabá,
A cidade onde está o nosso lar.
Abençoe Senhor nosso bairro,
Nossa quadra e rua também.
Nossa casa e o nosso trabalho,
Os amigos que tanto queremos bem..
Abençoa Senhor o presidente,
E também o governador,
Que sejam honestos e decentes,
13
E governem o povo com amor.
Abençoe Senhor o prefeito,
E também os vereadores,
Os deputados estaduais e federais,
E também os senadores.
Façam que eles sejam honrados,
Sejam fieis e leais com a nação.
Livra-os do egoísmo cruel,
Livra-os da corrupção.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
15 – O LUGAR ONDE MORO
Moro no Bairro Três Lagoas,
Mas não sou jacaré,
Ele mora no Itamaraty,
E você de onde é?
Ele Mora no São Carlos,
Ela mora no Santa Inês,
Aquele mora no Planalto,
E ela no bairro Araés.
Somos todos cuiabanos,
Cidadãos mato-grossenses,
Somos também brasileiros,
De um país bem caliente.
Moro no bairro CPA,
Ele no Novo Horizonte,
Ela no Novo Mato Grosso,
Bem depois daquela ponte.
Não importa se eu moro,
Na mansão ou na favela,
Se torço pro Mixto ou Operário,
Faço parte da galera.
Como peixe com maxixe,
Tomo pó de guaraná,
Como farofa de banana,
Pesco no rio Cuiabá.
Danço cururu e siriri,
Toco viola de cocho também,
Tomo licor de manga e pequi,
Orgulho da terra que a gente tem.
Sou cuiabano de chapa e cruz,
Moro no coração da América,
Sou discípulo de Jesus,
Faço parte da galera.
Cuiabá de ontem e de hoje,
De amanhã e pra sempre,
Cidade hospitaleira,
Orgulho de nossa gente.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia elaborada para os alunos que estavam estudando sobre
naturalidade, sobre os bairros da cidade, e a cultura de Cuiabá, a
poesia também foi usada para enfatizar o uso de letras
maiúsculas para os nomes próprios e o uso dos pronomes.
16 -MATO GROSSO
14
Mato Grosso, Mato Grosso,
Coração do meu Brasil,
Que abriga o Pantanal,
Cheio de riquezas mil,
Mato grosso, Mato Grosso.
Que abriga Poconé,
Chapada dos Guimarães,
E a pequena Santa Fé.
Mato Grosso, Mato Grosso,
Maior produtor de grãos,
Para o consumo interno,
E também pra exportação.
Estado agropastoril,
Pecuária e agricultura forte,
Enriquecendo o nosso Brasil,
Produzindo bem do Sul ao Norte.
Ainda em suas terras abriga,
A variada flora pantaneira,
Com fauna de espécies raras.
Orgulho dessas terras brasileiras.
Mato Grosso do progresso,
Mato Grosso de vários povos,
Que se abre em oportunidades,
De negócios e trabalhos novos.
Venha conhecer Mato Grosso,
Estado em plena expansão,
Do agronegócio e turismo,
Apresento MT; com orgulho e emoção.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos nascimento
Poesia criada para os alunos da terceira série que tinham como
tema de estudo o Estado de Mato Grosso. Na feira cultural e
científica do ano de 2006.
17 - LOUVORES A DEUS POR CUIABÁ
Louvado seja o teu nome Senhor!
Por minha querida Cuiabá.
Louvado seja o teu nome Senhor!
Pelo meu aconchegante lugar.
Louvamos teu nome Senhor,
Por viver neste lindo lugar,
Caloroso e aconchegante,
Onde constitui meu lar.
Agradeço-te oh! Bondoso Deus,
Por viver e morar aqui,
Pelos amigos que conquistei,
Pela vida simples e feliz.
Obrigado Senhor por Cuiabá!
Terra do meu coração
Por Mato Grosso e o Brasil!
Onde abriga o meu chão.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
15
Poesia criada para trabalhar o amor e o patriotismo, pelo lugar
onde nascemos ou moramos, gratidão e agradecimento a Deus
por tudo que ele nos proporciona. Na disciplina de geografia
trabalhar, município, estado e país e também a naturalidade dos
alunos.
18 - PROBLEMAS SOCIAIS DE CUIABÁ
Cuiabá de todos nós,
Cuiabá de todos os povos,
Como todas as cidades,
Cobra taxas e impostos.
Mas é uma pena que teu povo,
Parte mora nas favelas,
Outra passa sede e fome,
Ninguém se importa com elas.
Tem crianças nas ruas,
Mendigos nas praças,
A violência é gritante,
Há matanças e desgraças.
As ruas esburacadas,
Falta luz, falta esgoto,
Como poder ser feliz,
Este teu humilde povo?
Não se pode mais banhar
Nos rios Cuiabá e Coxipó.
As indústrias soltam esgotos,
Virou uma poluição que dá dó.
Os peixes estão acabando,
Os rios estão morrendo,
Porque nossos patrimônios,
Estão desaparecendo?
Há ruas e calçadas sujas,
Córregos entupidos de lixo,
Terrenos baldios, cheios.
De destroços de todos os tipos.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia feita para a quarta série questionando os problemas
sociais do município de Cuiabá. Semana de comemoração do
aniversário da cidade ano de 2006
19 - AGIR ECOLOGICAMENTE
Se quem fuma, parasse de fumar,
Sobraria dinheiro para o pão.
Os impostos reduziriam, e gastaria menos,
Com as doenças de câncer de pulmão.
Se bebida alcoólica fosse abolida,
Muitas famílias reestruturariam,
Seria restaurada a saúde física,
Muitos problemas evitariam.
Se o lixo tivesse destino certo,
Os esgotos não irão entupir,
A cidade não iria feder,
16
Os ratos e insetos iriam sumir.
Se as crianças fossem pra escola,
Não teríamos meninos na rua não.
Se os professores trabalhassem com amor,
Reduziria a repetência e a evasão.
Se parassem de poluir as águas,
Os peixes iriam multiplicar,
A fome reduziria e os ribeirinhas,
Iria agradecer e melhor se alimentar.
Se acabassem com a corrupção,
Se investissem em educação,
As cadeias esvaziariam,
E os ladrões se tornariam cidadãos.
Se parassem de desmatar,
E começassem a reflorestar,
E parassem também de queimar,
Reduziria a poluição do ar.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia criada para a quarta série, apontando soluções às criticas
feitas na poesia problemas sociais. Para levar o aluno a reflexão
e compreensão da importância do seu papel enquanto cidadão
pra uma vida melhor.
20 - BRAÇOS QUE ENTRELAÇAM
É preciso sair de si mesmo e ir em direção do outro.
Fazer o eu girar, em outra direção, pra ouvir a voz do irmão.
Dê a chance a si mesmo, abraçando uma vida.
Procure viver, aprender a amar, e a curar as feridas.
Ninguém vive só, se isolar não é bom, só traz sofrimentos.
É preciso aprender, a compartilhar, em todos os momentos.
Na alegria e na dor, na saúde ou na enfermidade,
É nos piores momentos que conhecemos o amigo de verdade.
Se você permitir, desenrolar e sair, desse caracol,
Desprender-se para amar, dispor-se a desatar todos os nós.
Encontrará a paz, e amigo fará, com certeza.
Pois a vida sem pensar apenas em si, tem muito mais beleza.
Estenda a mão sem olhar para quem ou quando for.
Se precisarem de ti estenda o braço para somar.
Os braços que se entrelaçam encontram a força maior.
Porque a força do amor nossas forças multiplicará.
Quando os homens se unirem em torno de grande ideais.
E em elos formar o grande círculo em busca da paz.
Jesus com certeza estará junto e dentro de nós.
Poderemos sentir sua presença, ouvir sua voz.
Autora: Marilene C. S Nascimento.
21 - HOMENS SEM NOME
Eles também portavam a imagem e semelhança de Deus,
Mas não se deram conta, do significado de suas vidas,
Entregues ao desengano, não encontrou entre os humanos.
Alguém que lhes dessem, dignidade e guarida.
17
Nome até que tinham... Mendigos...nada...
Mas cartão de crédito conta bancária quem diria?
Moradores das ruas, miseráveis das calçadas.
Mortos com crueldade, naquele triste dia.
Ninguém fez nada? Soubemos pela TV?
No cumprimento do seu papel social de denunciar.
Quem vai por eles chorar, brigar se atrever?
Que falta farão se nem impostos podiam pagar?
Deus não os deixou de amar, mas
Com os humanos não pode contar.
Seus representantes recusaram amparar.
Aqueles pobres seres humanos a agonizar.
Continuam traindo e decepcionando o Criador,
Quando se nega aos necessitados dignidade e amor
Deus quer amar através de nós e da nossa voz.
Agir através das nossas decisões e ações.
Uns tão pobres, de dinheiro, bens e direitos.
Outros de amor, solidariedade, bondade respeito.
Corroídos de ganância, enxerga o próprio umbigo.
Vestem-se de milhões enquanto outros, despidos.
Recebem tanto de Deus. Porque não compartilhar?
As oportunidades a quem lhes foram negadas,
Sejam instrumento do qual Deus quer mostrar
Seu afago, carinho, amparo, o caminho a estrada
Demonstre amor nas atitudes e em verdade.
Tire os sem teto, sem nome, sem identidade,
Da rua, das favelas, dos becos, das drogas.
Que estão padecendo ou cometendo atrocidades.
Poderiam ter-lhes dado o pão e o amor,
Ao invés de matá-los a pauladas e tiros.
Enquanto dormiam amortecidos pelo abandono.
Tendo como companhia o sussurrar dos grilos.
Os indigentes da rua, não éramos nós,
Morreram na indiferença, não era eu nem você,
Quem garante que valhamos mais que eles?
Nada fizemos para evitar que viessem a morrer?
O criador quer através de nós amar?
Aos que tem fome quer dar de comer,
O seu grande amor Ele quer demonstrar.
Aos que tem sede quer, que dar de beber.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Chamaria esta poesia de jornalismo poético e filosófico,
contestatório, busco retratar o ocorrido, a omissão,
Convocando para uma reflexão quanto a nossa indiferença
em relação ao que acontece ao nosso redor.
22- INDIFERENÇA
Não importamos com a guerra,
Tudo parece tão natural,
Cada vez mais indiferentes,
Mais parecidos com o animal.
18
É comum não incomodarmos,
Com a morte em torno do planeta,
Mortes atrozes, velozes e cruéis,
De tiro, de fome e morte nas sarjetas.
Quanta violência em cena,
Quanto cenário de dor,
Pintado com a indiferença,
Emoldurado com a falta de amor.
O homem torna menos humano,
Cada dia mais irracional,
Não se abala com a violência,
Acha tudo muito natural.
Centenas de irmãos mortos ou feridos,
A golpes de faca, bomba ou tiros,
Por causar ou arrumar encrencas,
Até quando esta indiferença?
Quantos irmãos morrendo nas guerras,
Por tráfico, bala perdida, por ideologias.
Outros lutando por um pedacinho de terra,
Escravizados ou vítimas da pedofilia.
Ao assistirmos diuturnamente os noticiários deparamos com
tamanha violência, parece não mais nos surpreendermos e isto
não é correto, temos que nos importar com as pessoas de todos
os lugares do mundo. Afinal somos habitantes de um mesmo
planeta.
Autora Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
23- INTOLERÂNCIA
As crianças nãooooooooooo!
Elas são inocentes,
Não as use como escudos,
Não matem nossa semente.
As crianças nãoooooooooo!
Chega de violência,
Que mal elas fizeram,
Para tamanha intolerância?
As crianças nãooooooooo!,
Elas perfumam a terra,
Elas salgam o mundo,
Da podridão e da guerra.
As crianças nãooooooooo!
Delas é o reino dos céus,
Porque invadir uma escola
Assassinos, covardes e réus?
Vidas inocentes foram interrompidas,
Nem deixaram o broto crescer,
Estúpida e tamanha intolerância,
A quem nem viu a vida florescer.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada diante da repulsa e indignação que senti. Como
mãe e educadora, fiquei chocada e inconformada com esses
ataques a crianças nas escolas. As crianças precisam ser
19
protegidas, amadas e cuidadas. Pois elas veem os adultos como
seus protetores.
24- SIMPLESMENTE MULHER
Mulher sem voz,
Mulher sem alento,
Mulher sem teto,
Mulher sem sustento.
Mulher que chora,
Mulher que sorriu,
Mulher que canta,
Mulher que partiu.
Mulher mal amada,
Mulher da vida,
Mulher da estrada.
Mulher ferida.
Mulher sábia,
Mulher maluca,
Mulher consciente,
Mulher caduca.
Mulher que batalha,
Mulher que ama,
Mulher que trabalha,
Mulher que encanta.
Mulher homem,
Mulher proteção,
Mulher pátria,
Mulher nação.
Mulher que representa,
Mulher que se esconde,
Que mora em palácio,
Ou debaixo da ponte.
Mulher que sente:
A dor do parto,
A dor da fome,
A dor da injustiça,
A dor do homem.
A dor do engano,
A dor do estupro,
A dor da ferida.
A dor do luto.
Mulher cidadã,
Mulher realista,
Mulher anciã,
Mulher Holística.
Mulher sem filhos,
Mulheres sem alma,
Mulher sem amigos,
Mulher escrava.
Mulher espancada,
Mulher incompreendida,
Mulher mal amada,
Mulher querida.
Mulher que afaga,
Mulher que apedreja
Mulher que acaricia,
Mulher que peleja.
Mulher desnutrida,
Mulher vitaminada,
Mulher desprotegida,
Mulher amparada.
Mulher artista,
Mulher professora,
20
Mulher jornalista,
Mulher vendedora.
Mulher empresária,
Mulher lavadeira,
Mulher operária,
Mulher cozinheira.
Mulher de polícia,
Mulher de Ladrão,
Mulher de político,
Mulher coração.
Mulher que luta pelos seus direitos
De todas as raças tribos e nações
Especialmente a mulher brasileira.
Que inspira poesia, amor e canção.
Poesia criada em 1987 para trabalhar com os alunos o dia da
mulher, fazendo um contexto histórico e levando-os a refletir
que ainda existem os diversos tipos de mulheres citados na
poesia, e levá-los a serem solidários com as lutas das minorias
sociais, mulheres negras e indígenas, mulheres que sofrem
violência doméstica, estupro, vivem marginalizadas na
sociedade.
25- O ESSENCIAL
O essencial,
É invisível,
É imensurável,
Às vezes
Impercebível.
Os olhos penetram,
No superficial,
O coração perscruta,
O essencial.
Os olhos da mente,
Podem perceber,
O que se julga.
Essencial ser.
Sem enganos cometer.
Não pergunte aos olhos,
O que é essencial,
Ele é enganoso,
E o engano é fatal
Pergunte a alma,
Ela liga ao coração,
Para descobrir a essência,
A verdade e a razão.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
26 - O AMOR DURA PARA SEMPRE
A vida passa tão depressa.
A vida vai como uma flor.
Que nasce logo murcha.
De fato dura só o amor.
A beleza é passageira,
É efêmera, é terrena,
Esta vida vai ligeira,
Mesmo que não se tenha pressa.
O que vale é o que fica,
21
Além da beleza da flor,
O que vale é o que transcende,
O que transcende é o amor.
O amor resiste ao tempo,
Ele transcende até a morte,
Mas de todos os amores,
Deus é o amor mais forte.
O amor jamais acaba.
O amor jamais abala.
Diante das injustiças,
O amor jamais cala.
O amor dá vida à alma.
O amor transcende a tudo.
É o único que não morre.
É mais forte que o mundo.
AUTORA: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
27 - HOMENAGEN A JORGE AMADO
O mortal se imortalizou,
Na memória do povo sofrido,
Que brasileiro não divertiu,
Assistindo "Dona Flor e Seus Dois Maridos"?
Como podemos esquecer?
Dos "Capitães de Areia"
Se as obras de Jorge Amado
Ainda corre nas veias?
As mulatas brasileiras,
Que faceiras olham da janela.
Foram tão bem representadas
Em "Gabriela Cravo e Canela"
As histórias dos velhos tempos,
Retratadas em "Tieta",
Que esboça a dura realidade,
De muitas Brasileiras.
As histórias de Jorge Amado,
Jamais serão esquecidas,
Seus versos e suas obras,
Perdurarão por toda a vida.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
28 – A NATUREZA REVELA DEUS
Natureza, obra sublime!
Manifestação de amor!
Anunciação de beleza!
Revelação do Criador!
Natureza que revela Deus,
O infinito, o inatingível,
O homem transforma as coisas,
Deus é o criador mais incrível!
Ele é o princípio e o fim.
A sabedoria em essência.
O sustentador da vida.
Autor de todas as ciências.
Quem é capaz de fazer,
22
O fruto germinar e crescer?
Serei até capaz de clonar,
Mas a essência da vida,
Não posso criar.
Deus é o autor mais inteligente.
Criou formas, dá vida a semente.
Criou tudo que não posso criar.
Capacitou-nos a recriar e transformar.
Quando penso que crio os versos,
Ele já sabia o que ia escrever.
Com o poder da sua palavra.
Tudo criou e fez acontecer.
Suas obras Senhor são tão belas!
As do céu e também as da terra.
Das águas, galáxias e planetas.
Te revela Senhor, a natureza!
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
29 - PANTANAL
O exuberante pantanal,
É um recanto, um aconchego,
Plantas abrigam os animais.
E o sol se põe no firmamento.
O arvoredo se repleta,
De aves multicoloridas
Até mesmo os galhos secos,
Com tuiuiús enchem de vida
O pantanal é um paraíso,
Um santuário real,
Nunca vi lugar mais lindo,
Que meu lindo pantanal!
Os pássaros vão para os ninhais,
Os jacarés para as lagoas,
No pantanal, os animais,
Dormem ao sereno das garoas.
Os igarapés quais mantos verdes,
Se aconchegam pra dormir,
Escondendo os segredos,
Das enormes sucuris.
Nas noites a brisa sopra,
Sobre o brilho do luar,
E o coração pantaneiro,
Põe-se em festa a cantar,
A alvorada então celebra,
Gratos hinos de louvor,
O pantanal em festa,
Agradece ao criador.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Feira cultural e de ciências com o tema, O Pantanal.
30 – PAPAI
Você sempre esteve presente;
Partilhando a vida comigo.
Você é o meu confidente,
Guia conselheiro e amigo.
23
Quando os seus olhos brilham,
Os meus brilham contigo.
Quando seu semblante recai
Dos meus lábios fogem o sorriso.
Quando seus lábios sorriem.
Alegram o meu coração.
Quando enfrenta problemas,
Sou eu quem fica em aflição,
Mostra-me o caminho da vida.
Do amor e da compreensão.
Com você meu herói meu amigo
Construiremos uma grande nação.
Pai você é o espelho,
No qual estou a refletir.
As lições que me ensinas,
Vou procurá-las cumprir.
Orgulho de você papai,
Por tudo que você é.
Peço a Deus que lhe proteja,
E fortaleça sua fé.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
31 – DESPATERNIZADOS
Queria muito conhecer meu pai, todas as crianças têm pai só eu
não o possuo, é possível que existam filhos sem pai? Que
acontece que Papai nunca aparece?
Quando vejo os coleguinhas falarem de seus pais, dá um nó na
garganta porque sequer conheço o meu.
Quando chega o dia dos pais na escola, é uma tristeza, os
amiguinhos ensaiam poemas, fico pensando meu pai... Meu pai...
Será que pelo menos sabe que existo?
Duro mesmo é quando perguntam como ele se chama? O que
mais gosta de fazer? Quantos anos tem? Nada sei sobre ele, a
não ser que existe ou existiu, mas nunca se deu a conhecer.
Porque será que algumas crianças não são reconhecidas pelos
pais? Deveria haver campanhas de conscientização,
reconhecimento e responsabilização de paternidade.
Texto escrito por Marilene Carvalho dos Santos Nascimento, ao
deparar com estas situações em sala de aula. Como educadora,
presenciei muitas vezes a tristeza dos filhos pela ausência
paterna.
32 – COMO CONQUISTAR APAZ
O Homem precisa entender,
Que para a paz conquistar,
É preciso unir os esforços,
E um grande elo formar.
A paz nasce no coração.
Espalha-se como um brilho,
A paz se estende ao irmão,
Quando lhe ofereço um sorriso.
Quando rompo meu egoísmo,
Dou espaço para a paz reinar,
E encontro a paz que preciso,
Então meu coração se refaz.
A paz é um sonho coletivo,
Que todos deveriam sonhar,
24
Pois a paz só será possível,
Se todos nela acreditar.
A paz promoverá o homem,
A paz eliminará a guerra,
O homem precisa de paz,
Pra viver bem nessa terra.
A paz promove a vida,
A paz ilumina o mundo,
A paz promove o encontro,
Torna o amor fecundo.
Na paz se usa repartir,
O pão com nosso irmão.
Como o homem pode sorrir,
Se na mesa lhe falta o pão?
Todo homem precisa,
De amor e dignidade,
O mundo alcançará paz,
Reduzindo as desigualdades.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
33 - PRESERVANDO A NATUREZA.
Somos cidadãos conscientes,
Ecológicos e preservadores,
Cuidamos do meio ambiente,
Da natureza, somos os defensores.
Fazemos nosso protesto,
Contra a devastação,
Derrubadas e queimadas,
E também contra a poluição.
Amamos as águas dos nossos rios
Porque elas matam nossa sede,
Abastecem as nossas cidades,
Fornece-nos deliciosos peixes.
Não joguem lixo e esgotos nas águas,
Queremos vê-las limpinha,
Não pesquem na piracema,
Respeitem os Ribeirinhos.
Mantenham as calçadas limpas,
Deem destino certo ao lixo,
Reciclem e reaproveitem,
Evitem o desperdício.
Cidadãos mato-grossenses
Várzea-grandenses e Cuiabanos,
Cuidem bem de nossos recursos
Idealizem e executem bons planos,
Que devolva a pureza das águas
Ajude a salvar o rio Cuiabá,
Mantenha a cidade limpa,
Pra se ter orgulho de nela morar.
Sabemos que a natureza devolve,
Os males que a ela se faz,
Tenhamos gestos e ações nobres,
Para gozarmos saúde e paz.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
25
34 - A NATUREZA PEDE SOCORRO
A natureza é o presente,
Que recebemos de Deus,
Para nos acolher e aconchegar,
Ela é um pedacinho do céu.
O homem na sua ambição,
Vem degradando-a dia a dia,
Sem pensar na futura geração,
Extraindo o que é de mais valia.
O homem precisa perceber,
Que os recursos são finitos,
Que a natureza pede pra viver.
Que o fruto é pra ser dividido!
Florestas são devastadas,
Animais e plantas extintos
Os rios assoreados,
As espécies extinguindo.
O homem qual animal selvagem,
Quer tudo pra si, não divide a caça,
Esbanja comida e dinheiro,
Outros morrem de fome na praça.
O homem explora o irmão,
Explora os recursos naturais,
Não usa sequer a razão
Agem como irracionais.
O que se planta se colhe,
Não se colhe milho plantando arroz,
Se não cuidarmos da natureza,
Ela se vingará de nós.
Autora: Marilene carvalho dos Santos Nascimento
35 - ADOÇÃO
Fazendo uso do verbo amar,
Que se conjuga o verbo adotar,
No tempo presente, florescendo o futuro,
Das crianças sem dono, espalhadas no mundo.
A adoção nasce da consciência,
Da quebra de tabus e de preconceitos,
Para dar a quem não teve respeitado,
Os mais sagrados direitos.
Direito de ser chamado filho,
Ter educação, abrigo pão e amor.
Sem apenas ter a marca hereditária
Mas, na lógica as marcas do amor.
Na ânsia de diminuir os órfãos deste país.
Sublima no coração o ato de reproduzir,
Gera na alma e no coração o desejo de,
Dar a uma criança o direito de ser feliz.
E abrindo mão de si em favor de outros,
Oferecendo a uma vida novas perspectivas,
26
Inserindo-a no lar,no coração e na família,
Que ao ser adotada, encontra amor e guarida.
Quando alguém se dispõe a adotar,
O coração põe em prática o verbo amar,
E começa a gerar nas entranhas da alma,
A vida que o amor irá iluminar.
Autora: Marilene carvalho dos Santos Nascimento
3366 –– AAMMOORR,, AA EESSSSÊÊNNCCIIAA DDAA VVIIDDAA..
O amor não se resume em palavras,
Nas atitudes ele se dá a conhecer.
O amor é a mais poderosa força,
Sem amor, não há sentido pra viver.
O termômetro do amor é a verdade,
A lealdade é a arma para o manter,
Fidelidade é requisito de quem ama,
Pois no amor tudo sofre, tudo espera tudo crê.
O amor traz razão à vida.
Renova as forças, e refaz a emoção.
O amor coloca brilho em nosso rosto,
O amor é chama que dá vida ao coração.
Como o sol nas manhãs de primavera,
Assim aguça o amor nossa visão,
Para irmos em direção ao outro,
Reconhecê-lo como amigo e irmão.
O amor é da vida a essência,
Sua linguagem todos podem entender,
Mesmo sem dizer, sequer uma palavra,
Quem ama cresce, faz a vida florescer.
Deus é amor e o amor é dom supremo,
Foi por amor que se doou por nós na cruz.
Quem do amor quer tirar algum exemplo,
O exemplo vivo de amor é o de JESUS.
Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
37 – AS ÁGUAS
Água azul ou transparente,
Água parada ou corrente,
Águas que brotam da serra,
Garantindo a vida na terra.,
Água ciclo da vida,
Símbolo de um bem eterno,
Feto e embrião sobrevivem,
Nas águas do ventre materno.
(coro) Mas no ventre do planeta,
A vida está tornando impossível,
Se as águas que nutrem a terra,
Estão sendo reduzidas,
Estão sendo poluídas,
Outras até apodrecidas,
Nossos rios estão morrendo,
Com eles morrendo a vida.
27
Os animais e as plantas,
Que encantam as florestas,
Sem água perde o encanto,
E são extintos da terra,
As águas recusam regar,
Areias quentes do deserto,
O homem que mora lá,
Paga pelo desmatamento.
Jesus é a água viva,
A única fonte eterna,
A da terra é finita,
Esta escassa na terra,
Para garantir vida às águas,
É preciso compromisso,
Água requer cuidado e carinho,
Ao invés de esgoto e de lixo.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento, Poesia e
música feita para a feira cultural e de ciências da terceira série
ano de 2003 - tema “As águas
38 - MEDO E OUSADIA DO PROFESSOR
Para se libertar e ser libertador.
É preciso ter coragem e muita ousadia,
Por limite ao medo apavorador,
Implantar mudanças no seu dia a dia.
Dar um passo hoje, outro amanhã,
Com muita clareza e sagacidade,
Fazer a política de um educador,
Este é o caminho para ser libertador.
A prática da educação,
Deve ser a construção da cidadania,
É nas experiências, riscos e opções,
Que os sonhos deixam de ser utopia.
Se paga o preço de uma opção,
É preciso coragem para experimentar o novo,
Incorporar a crença que em Deus tudo posso,
É assim que nasce o educador do povo.
Autora: Marilene C. S. Nascimento.
Inspirado no diálogo de Paulo Freire e Ira Shor
Poesia construída para apresentação de um trabalho para o curso
de especialização em Planejamento Educacional.
39 - FORMAÇAO INTEGRAL
Queremos formar homens,
Capazes de transformar,
Que além de competência,
Conheça a ciência, saiba amar.
Queremos formar homens,
Que desenvolvam ação,
Que se conecte ao próximo,
Banindo a exclusão.
Homens integrais, sem medo,
Não mutilados capazes de criar.
Que se desdobrem à frente de si mesmo,
28
Com coragem de se autoantecipar.
Queremos homens, que amem a vida.
Ame a si mesmo, e a seu próximo,
Que julgue a vida, digna de ser vivida,
Que saiba aceitar e respeitar o outro.
Homens que façam opções com prioridades,
Dominem os instintos pela razão,
Saibam combater as desigualdades,
Seja benção para a nação.
Homens, sujeitos de grande força moral,
Autênticos, com caráter, independentes,
Com estrutura que aceite a autenticidade dos outros,
Que seja um marco na história dos povos.
Educadora: Marilene Carvalho S. Nascimento.
Poesia que retrata os anseios dos educadores brasileiros da
qual sou a principal.
40 - REGISTRO
Pensando brinco com as palavras.
Com elas escrevo os pensamentos,
Pensamentos deixam de serem sonhos,
E ganham forma de projetos e planos.
A ponte o prédio a casa o carro,
Foram sonhos antes de serem concretos,
Em forma de pensamento adquiriu formas,
Em forma de gráficos ou palavras, projetos.
Os pensamentos merecem registros,
Por banais, impossíveis ou inacabados,
Uma ideia transcrita em palavras,
Não será apenas um banco de dados.
Brilhantes ideias foram para o túmulo.
Contendo segredos e enigmas no bojo seu,
Imagine se não houvesse registro no mundo,
Como saberíamos do que aconteceu?
Como saberíamos das galáxias, e planetas?
Dos giros da terra, em torno do sol?
Sem os registros, do uso das lunetas,
Como serviria da experiência que passou?
Cada experiência que ficou em registro
Serve de base pra novas pesquisas realizar
Cada descoberta é base pra nova pesquisa.
Registre, até a poesia se deve registrar.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
41 - A FALA
Desvia de ti, a tortuosidade da boca,
Teus lábios falem, corretamente,
Pronunciem palavras, justas e boas.,
Com elas honrem a Deus e ao semelhante.
Não use a fala para enganar e mentir,
Nem para falso testemunho dizer,
29
Não use palavras para denegrir.
Diga aos outros, o que desejas ouvir.
Sua palavra seja sempre agradável,
Use bom tom, e palavras afáveis,
Palavras otimistas e que não intimida,
Palavras de poder, carregadas de vida.
Controle o falar para não pecar,
Para não exceder e erros cometer,
Para depois, ter que se desculpar,
E o mal entendido desfazer.
Use e abuse de palavras de afirmação,
Porque as palavras têm muito poder,
Não seja pessimista, acredite então,
Que em Deus tudo pode aquele que crê.
As tuas palavras devem destilar a sabedoria,
Mesmos sendo, duras como a morte fria,
Tu tornarás doce o recado amargo,
Ao pronunciá-lo num tom adequado.
Mesmo em situações conflitantes e difíceis,
Como demissão, morte, erros, flagrante,
Precisas saber falar e ser compreendido,
Precisamos aprender a ouvir e a ser ouvidos.
As palavras de amor vão romper o tédio,
Na dor, a palavra tem que ter sabor de remédio,
Na alegria, ter o doce sabor da euforia,
Na tristeza, o poder de arrancar a melancolia.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia criada para reforçar uma palestra a que fui chamada a
proferir. Sobre o Tema “Linguagem sã e irrepreensível”.
42 - DESEJOS DOS CUIABANOS
Os Cuiabanos querem as crianças na escola,
Para as famílias, trabalho, comida e lar,
Não querem ver pedintes de esmolas,
Quer o resgate de todos que nela morar.
Os Cuiabanos querem que seus governantes,
Tenham com eles sérios compromissos,
De zelar não apenas pelo aspecto físico,
Mas também da alma e do espírito.
Cuiabá tem espírito e alma,
Porque nela existe um povo,
É preciso planejar e trabalhar,
Pra cuidar BEM do velho e do novo.
Não poderá ter medo de investir,
Em SAÚDE, TETO E EDUCAÇÃO,
Estes são os três grandes pilares,
Que dão a um povo a sustentação.
Os Cuiabanos estão a reivindicar,
O amor de seus governantes,
Convocando-os com rigor trabalhar,
E cuidar muito bem dos seus diamantes.
Cada pessoa é uma joia rara,
Seja Cuiabano nato ou por opção,
30
O munícipe que mora em Cuiabá,
Quer de fato ser cidadão.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
43 - OS DEZ MANDAMENTOS
Não faremos para nós,
Imagens de escultura,
Adoraremos somente a Deus,
Pois dele somos criatura.
Fomos criados para a adoração
Do Soberano rei e Senhor,
Somos a coroa da Sua criação,
Criados pra Sua glória e louvor.
Somente a Deus devemos adorar.
Não tomar o Seu santo nome em vão,
Não podemos cobiçar nem roubar,
Nem envolver com prostituição.
Não podemos matar nem mentir,
Nem falso testemunho dizer,
Deus conhece o nosso coração,
Sabe tudo sobre eu e você.
Honremos nosso pai e a nossa mãe,
Pra termos longa vida na terra,
Este mandamento acompanhado vem,
De duas ricas promessas.
Guardemos os mandamentos de Deus,
O amemos de todo o nosso entendimento,
E amemos nosso próximo como a nós mesmo,
Este é o resumo de todos os mandamentos.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia que criei para aula de ensino religioso da Escola
Evangélica Elchaday. Visando facilitar os alunos a
internalizarem os 10 mandamentos.
44 - AMOR DE DEUS.
Como eu queria compreender,
O grande amor de meu Jesus,
Ele transcende o entendimento,
Seu amor traz paz, vida e luz.
Mas eu percebo que sou pó,
Que nunca irei compreender,
Só de este amor chegar a mim,
Já é motivo pra eu ser feliz.
Coro Oh grande amor! Tamanho amor!
Amor maior que a terra e o céu,
Amor que a tudo transcende!
Amor que dá, sem esperar o recebe!
Amor de Deus.
Como eu queria amar assim,
Um amor puro de verdade,
Só fluir o bem dentro de mim,
Ser só amor minha humanidade.
O amor de Deus é bem maior,
31
É impossível comparar,
Só Deus é capaz de amar assim,
Dar o seu filho para nos salvar.
Coro Oh grande amor! Tamanho amor!
Amor maior que a terra e o céu!
Amor infinito, inigualável!
Amor puro, insondável!
Amor de Deus.
Oh grande amor, tamanho amor!
Só Deus é capaz de amar assim,
Eu não entendo porque este amor,
Chegou a ti e também a mim.
Sabemos que nada fizemos,
Para este amor merecer,
Precisamos pelo menos,
Este amor agradecer.
Obrigado senhor! Por teu amor,
Sei que não sou merecedor,
Mas este amor me faz melhor.
Faz-me sentir, um vencedor.
Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
45- QUERO SER
Quero ser o horizonte,
Que descortina a sua frente,
Nuvem, sol, dia, estrela, ponte,
Perfume, xampu, escova e pente!
Quero ser o perfume cheiroso,
Do xampu dos seus cabelos,
Quero ser o sonho gostoso,
Quero ser seu travesseiro.
Coro Quero na verdade ser a chave,
Para abrir os seus segredos,
Te amo com toda a força da alma.
Com a intensidade da minha vida.
Exponho aqui a minha fala,
Meu amor, minha querida.
.Gostaria de ser seu livro,
Para desvendar-me melhor,
Queria ser o livro preferido,
Que lhe falasse do meu amor.
Queria ser a coragem,
Para revelar-lhe meus segredos,
Meu amor de longa metragem,
Um amor cheio de medos.
Não me chame de covarde,
Mas também não sou valente,
Só meu coração tem a arte,
De amar-te tão veemente.
Quero ser um sujeito atrevido,
Pra sussurrar-lhe o meu amor,
Inclina bem o seu ouvido,
Quero revelar-lhe quem eu sou.
Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
32
46 – RELACIONANDO COM A NATUREZA
Devemos relacionar,
Muito bem com a natureza,
Para podermos extasiar,
Diante da sua beleza.
Não se deve jogar lixo no chão,
Nem matar os passarinhos,
Temos que ter bom coração,
E deixar tudo bem limpinho.
Não pescar na piracema,
Que é o período da reprodução,
Sabemos bem que os peixes,
Servem para a alimentação.
Não devemos poluir os rios,
Pois trazem benefícios pra gente,
Abastecem nossas cidades,
Suas águas regam as sementes.
As sementes produzem frutos,
Para a nossa nutrição.
Rio poluído mata os peixes,
Água suja polui a alimentação.
Preferimos alimentos orgânicos,
Agrotóxico não tem vez conosco,
Somos os mirins preservadores,
Defendemos a natureza com gosto.
Todos devem ser da natureza,
Amigo e preservador
Proteger, zelar, cuidar e amar.
Tudo que Deus nosso pai criou.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada Para a semana do Meio Ambiente para alunos do
ensino fundamental I da Escola Elchaday
47 - RIO CUIABÁ
Amamos o Rio Cuiabá,
Suas águas matam nossa sede,
Abastece nossa cidade,
Fornece-nos deliciosos peixes.
Não joguem lixo nas águas,
Queremos vê-las limpinhas,
Não pesquem na piracema,
Respeitem os Ribeirinhos,
Mantenham as calçadas limpas,
Deem destino certo ao lixo,
Reciclem e reaproveitem,
Sejam contra o desperdício.
Fazemos parte do universo,
Somos da conscientização,
Lutamos em prol da natureza,
Nosso lema é preservação.
33
Poesia para feira de Ciências especialmente para a turma da
primeira série que tinha como tema “O Rio Cuiabá.”
48 - NOITES DE
Quando olho para o céu,
Repleto de estrelas.
Imagino você e eu,
Envolvido no brilho delas.
Quando a lua com seu clarão,
Desponta entre as montanhas.
Observo com atenção,
Sentindo uma coisa estranha.
coro Cada estrela tem seu brilho,
Cada humano uma memória,
Em cada noite é refletida,
O brilho da nossa história.
Histórias de amor vividas,
Em plena noite de luar,
Com estrelas testemunhando,
Nosso jeito de amar,
No trajeto das estrelas,
O nosso amor ali está,
Passeando entre elas,
Sobre o brilho do luar,
Quando a brisa fria toca,
Nossa face nosso olhar,
E o vento suave sopra,
Nosso amor a sussurrar.
Os momentos de amor,
Acompanhados de luar,
De uma noite estrelada,
Nunca irão se apagar.
Pois as chamas das estrelas,
E o brilho do luar,
As manterão acessas,
Até a vida terminar.
Autora; Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
49 - CORAÇÃO CUIABANO
Viola de cocho seu moço,
Doce de caju e manga,
Pequi e banana da terra,
São sementes cuiabanas.
Não me confunda seu moço,
Sou um cuiabano nato,
Meu coração não se engana,
Meu ritmo é rasqueado,
Gosto de dormir na rede,
Da manga, roer o caroço,
Comer peixe com maxixe,
Tocar viola de coxo.
Gosto de pescar no rio,
Pintado, piranha e pacu,
Aqui não tem tempo frio,
34
Sempre é calor e o céu é azul.
Amo esta terra seu moço,
Meu coração é cuiabano,
Cuiabano da gema do ovo.
Orgulho da terra que amo.
Minha terra, minha gente.
Tem um povo de valor,
Que é herói e mui valente,
É um povo acolhedor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia feita em Homenagem a Cuiabá pela passagem do seu
aniversário dia 08 de abril.
50 - HOMENAGENS A VÁRZEA GRANDE
Bem no centro da América,
Várzea Grande situada está,
Ela é a cidade irmã gêmea,
Da capital Cuiabá.
Localizada em uma grande várzea,
Está é a nossa cidade querida,
Por José Vieira de Couto Magalhães,
Foi fundada sua história de vida.
Várzea grande das rendeiras,
Baile de sanfona e violão,
Cidade hospitaleira,
Pra você faço esta canção.
Nesta canção conto sua história,
Cidade próspera e industrial,
Quem deu nome ao seu aeroporto,
Foi o nosso histórico marechal.
Marechal Cândido Rondon,
Orgulho dos mato-grossenses,
Com certeza Rondon também teve,
Um coração Várzea Grandense.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada para homenagear a cidade de Várzea Grande
vizinha de Cuiabá tendo como linha divisória o Rio Cuiabá.
51 - HOMENAGENS A CUIABÁ
Forquilha foi o seu primeiro nome,
Dado por Moreira Cabral,
A busca das minas de ouro,
Nasceu o 1º núcleo populacional.
Cuiabá que estás situada,
Bem no coração da América,
Para mim é a cidade mais bela!
Apesar dos seus problemas.
Cuiabá de ricos tesouros!
Viola de cocho, siriri e cururu,
Mostra a cultura do povo,
Dançando rasqueado de norte sul.
35
Os povos que para cá vierem,
Deve nossa cultura assimilar,
Vivenciá-la e dela sentir orgulho,
Nossa cultura é peculiar.
Minha querida Cuiabá,
De um povo, tão gentil,
Desde que nasci, moro em ti,
Lindo pedaço do Brasil.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia criada para homenagear Cuiabá a cidade onde moro e tive
meus filhos que amam de paixão esta cidade, homenagem que
faço a eles também.
52-VIOLÊNCIA NÃO
Violência não meu irmão,
Queremos a paz na terra,
Vamos viver em união,
Unidos vencer esta guerra.
Violência não meu irmão,
Violência gera a dor,
Violência não meu irmão,
Violência é falta de amor.
Coro Na paz o egoísmo é vencido,
Na paz o amor germina,
Na paz todo homem é querido,
Na violência a vida termina.
Violência não meu irmão,
Ela é fruto do ódio cruel,
Violência não meu irmão,
Ela é amarga como fel.
Violência não meu irmão,
Violência acaba com a vida,
Da criança e do ancião,
Tira a paz e a alegria.
Violência não meu irmão,
Ela só causa terror e mal,
Violência não irmão,
Violência é coisa animal.
Violência não meu irmão,
Chega de ta`ta ta ta´tá,
Vamos banir a violência,
E a paz, vamos celebrar.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
Poesia que tornou música e foi cantada para a campanha da paz
e fraternidade da Escola. Projeto Educação para cidadania e paz.
53 – PINTANDO O SETE
Sou o pintor boa vida,
Gosto de ondas e marés,
Gosto de pintar os sete,
Do jeito que a vida é.
O pincel dirige o coração,
Quando pinta um grande amor,
36
O amor e a inspiração,
Para o pincel do pintor.
Na composição do meu quadro,
Procuro inserir valor,
Mais o valor mais sagrado,
Quem tem para mim é o amor.
Sou um pintor boa fama.
Com fama de vagabundo,
Mas ninguém pinta como eu pinto.
As mulheres bonitas do mundo.
Sou pintor mui modesto,
Gosto de pintar o sete de pé,
Deitado ou de qualquer jeito,
Do jeito que toca a maré.
Sou um pintor atrevido,
Criei meu próprio estilo,
Pinto quadros que mostra.
O amor da mulher pro marido.
.
Sou pintor de decisão,
Pinto o que vejo na frente,
Pinto até a imaginação,
Pinto o que pinta minha mente.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
54 - HARMONIA NO UNIVERSO
Deus criou o mundo perfeito,
Coloriu tudo, como é lindo o verde!
Cada coisa tem sua forma, seu jeito,
São importantes todos os seres!
Perfeita harmonia há na criação,
Encantamento a deslumbrar,
Na vida, nas formas e nas cores,
No azul do céu refletido no mar.
A natureza em sintonia com a vida
Com as cores, as formas e o tempo.
A mais perfeita harmonia é sentida
Ao observar o firmamento.
O brilho dourado das estrelas,
As multiformes nuvens nos céus,
O universo, galáxias e planetas,
Revelando as grandezas de Deus.
A chuva o arco íris colorido.
O raiar da aurora, o pôr-do-sol.
O som dos pássaros aos ouvidos
A melodia do rouxinol.
Vejo a harmonia inserida
Na estampa da natureza.
Nas cores, nas formas, da vida.
Tudo com tamanha e rara beleza!
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
37
Poesia criada Para Escola Evangélica Elchaday, no ano em que
o tema sugerido pelo Material didático positivo foi “Harmonia
no Universo.
55 - VENTO
Vento que sopra onde quer,
Move em toda direção,
Conquista o universo,
E os versos desta canção.
Vento que sopra onde quer,
Leva-me ao coração,
Daquela linda mulher,
Pra quem faço esta canção.
coro Sopra, sopra no coração dela,
Diz que o meu amor quer tocá-la,
Quer balançar seus cabelos,
Meus lábios querem beijá-la.
Vento que sopra onde quer,
Leva-me pra onde quero ir,
Quero ir em direção a ela,
Hoje mesmo quero partir.
Vento que sopra onde quer,
Leva-me em tuas asas,
Em direção daquela mulher,
Que desejo tanto abraçá-la.
Vento que sopra onde quer,
Embala meus sonhos ao tempo,
Quero conquistar esta mulher,
Não apenas por um momento,
Diz para aquela mulher,
Da minha infância perdida,
Não consegui esquecê-la,
Ela é a mulher da minha vida.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
56 - ACOMODAÇÃO.
Onde está a inquietação de outrora,
Será que foi embora com a ditadura,
Estão extraindo nossos dentes,
Estamos ficando só com a dentadura?
Perdeu-se a capacidade de indignar,
A acomodação se tornou geral,
Agora tudo é festa, futebol, carnaval,
Os homens perderam o ideal?
A globalização chegou engolindo,
Enrolando-nos e serpenteando,
Aceitamos tudo ainda sorrindo,
Acomodados nem sapateamos.
Ficamos com os restos e as sobras,
Tudo nosso melhor é exportado
Pra se obter um pacote de soja,
Aqui se paga o preço dobrado.
Será que de tanto falar em flores,
O povo agora só sente perfume,
38
Incapaz de sentir os fedores,
Do esgoto, da corrupção dos imundos.
Narizes entupidos não podem cheirar,
Com a boca travada não dá pra falar,
Sem a capacidade de os ouvidos, ouvir,
Os braços cruzados não podem agir.
Assistimos passiva a nojenta corrupção
Levando o direito a saúde e a educação?
Pagamos os impostos mais caros do mundo,
Comportamos, como cegos, surdos e mudos.
Até quando persistira esta acomodação.
Não pintamos a cara nem gritamos naõoooooooo,
Do jeito que está não dá, e não pode ficar.
O Brasil precisa urgente acordar.
Um país tão rico com tamanha arrecadação,
Todo mundo deveria ter um lugar pra morar,
Se não fosse a praga da corrupção,
Toda mesa seria farta de pão.
Se os engravatados representantes do povo,
Cumprisse o que as suas promessas traz,
Abrisse mão de tantos privilégios e gozos,
Daria pra construir e fazer muito mais.
São privilegiados em detrimento de nós.
São apenas seus, e não nosso porta voz
Altos salários, imunidade e muitas regalias.
A nós trabalhadores a realidade sombria.
Pro ladrão de galinha, cadeia, cadeia.
Pra corrupção e o mensalão, injeção na veia...
O engravatado rouba milhões de direitos e vida
O ladrão de galinha fruto do estado definha, definha.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
57 - AMOR, BIBLICO
O amor que bíblia fala,
É sublime e duradouro,
Se doa em prol dos outros,
É um amor que é um tesouro.
Só é capaz de amar assim.
Quem tem Jesus dentro de si,
Que abriga no peito o encanto,
Do divino Espírito Santo.
Só Deus nos ensina amar,
Com amor puro e verdadeiro,
Ensina aos outros aceitar,
Apesar dos seus defeitos.
O amor humano é falho,
Temporário e efêmero,
O de Deus além de eterno,
É o amor mais supremo.
É um amor que nos perdoa,
Que sara as nossas feridas,
É um amor que abençoa,
E enriquece nossas vidas.
39
Um amor que nos transforma,
Trazendo grande renovo,
Fazendo-nos cada vez melhores,
Depurado como o ouro.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Acredito e busco o amor, creio que é a arma mais forte para
vencer qualquer guerra. Até mesmo a guerra interior.
58 - A PAZ TEM INIMIGOS A VENCER
Queremos a paz no mundo,
Queremos paz nesta terra,
Paz não combina com tudo,
Paz é o antônimo da guerra.
Paz é antônimo de dor,
Paz é antônimo de fome,
A Paz no amor encerra,
Paz é o que querem os homens.
Paz não combina com egoísmo,
Paz não combina com falsidade,
Paz é antônimo de terrorismo,
Paz é amiga da verdade.
É preciso novo modo de vida
Para a paz celebrar,
É preciso amar e ceder.
Para a paz conquistar.
A paz tem inimigos a vencer
Paz não combina com favela,
Paz não combina com miséria,
Paz é sinônimo de esperança,
Paz é respeito com as crianças.
Paz não se acende com a vela,
Paz é uma conquista, uma espera,
Paz é um caminho a percorrer,
A paz tem inimigos a vencer.
Paz é o que conclama o mundo,
Paz é antivírus do moribundo,
Que luta por um pedaço de terra,
E morre sem poder pisar nela.
Paz não combina com fome,
Nem com a miséria do homem.
A paz enxuga as lágrimas,
A paz tem a mão que afaga.
Paz não contracena com as drogas,
Paz coloca o homem a prova,
Porque ela é o contra o egoísmo,
Nela não há preconceito e racismo
Deixe a paz por sorriso em você,
Deixe a paz te dominar,
Deixe a paz germinar e crescer,
Para poder multiplicar.
O recado você entendeu,
Este é o recado do pai,
A minha paz eu vos deixo eu vos dou,
É só aprender, usar as armas do amor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
59 - SAÚDE COMPROMISSO COM A VIDA.
O brasileiro é um sofredor,
Enfrenta sérios problemas,
Sofre em todas as áreas,
40
Vive sempre em dilemas.
A saúde é um descaso a parte,
Morre-se por precário atendimento,
Morre-se por falta de medicamento
Morre-se tratando de hemodiálise.
Morre-se tomando remédios falsos,
Aleija-se ou morre por maus tratos,
Morre-se tomando remédios vencidos,
Morre-se de fome ou desnutrido.
Pagamos imposto do pão e da bala,
Da água, da luz, do berço que embala,
Em tudo que compro o imposto está,
Se paga pra tudo. Até para respirar?
Pagamos imposto, queremos retorno,
Saber onde o dinheiro aplicado está,
Se pelos impostos somos massacrados,
Temos o direito de vê-los bem aplicado.
São taxas e impostos com todos os esses,
PIS- IPI -COFINS -ICMS
CCL- IRPJ -IPTU- IPVA- INSS.
Como se não bastasse criaram a CPMF.
De tudo que entra de tudo que sai.
Das contas bancárias a CPMF CAI.
Com desculpas que é pra em saúde aplicar,
E o povo sofrido sempre a suspirar,
O suspiro de dor, pelo filho que foi,
Morrendo a míngua como se fosse um boi,
Pelo filho que morreu, antes de nascer,
Porque o hospital negou, o parto fazer.
Este povo sofrido, não aguenta mais.
Ser destratado nas portas dos hospitais,
A quem tem dinheiro, trata com dignidade,
Onde está o direito de igualdade?
As leis são lindas, mas não são cumpridas.
Não há respeito e nem valorização da vida.
Os animais têm seus donos e veterinários,
O brasileiro entrando na conta do vigário.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
Poesia feita em 1999 – Retratando a indignação da saúde
pública no Brasil. (Baseada em fatos ocorridos na sociedade,
mas também nos dramas vividos pela minha própria família.)
60 - SEM TETO, SEM TERRA E SEM PÃO.
As pessoas correm atrás de dinheiro,
De comida, e teto para os abrigar,
Existe tanta terra neste país,
E muitos sem ter um lugar pra morar,
Quantas mansões e casas tão grandes,
Com poucas pessoas nelas a morar,
Enquanto muitos moram em barracos,
Porque uma casa não consegue comprar.
Quantas pessoas são despejadas,
Todos os dias, sem horizonte,
Sem ter sequer o leite das crianças,
Vão morar debaixo das pontes,
Enquanto não for dividida a renda,
Continuarão sem ter onde morar,
41
Crianças sem ter pão, nem merenda,
Muitas também, sem poder estudar?
Vive-se tão pouco nesta vida aqui,
É preciso mudar, pra mudar o país,
Urgente fazer a partilha do pão,
É preciso ver nosso irmão mais feliz.
Será que consegue tranquilo dormir.
Os governos e homens de posse desse país,
Sabendo que muitos morrendo estão,
Por falta de amor, sem teto e sem pão?
Se fossemos mais gente, menos animais,
Menos egoístas, mais racionais,
Diminuiríamos a violência, a prostituição,
Extinguiríamos o egoísmo e a corrupção,
Para amar é preciso coragem e disposição,
Suprir as necessidades de nossos irmãos,
Cumprir as leis dos homens e as de Deus,
Para construir uma ética e justa nação.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
61 - ALÉM DAS DIFERENÇAS
Qual a diferença entre
Montanha e vale?
Luxo e simplicidade?
Mentira e verdade?
Os opostos se atraem,
Às vezes se repelem,
O consenso é necessário,
Para equilibrar as diferenças.
Diferenças de idade,
Diferenças de pensamento,
Diferenças de personalidade,
Diferença da existência.
Diferença entre amor e amizade.
Diferença entre guerra e paz.
Diferença entre ausência e saudade.
Diferença que a diferença faz.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
62 – A VIDA DO PONTO DE VISTA LINGUISTICO
Nos sons dos fonemas,
Nas grafias das letras,
Em quantas palavras,
Traduziríamos a vida.
Do ponto de vista linguístico,
Ela está no sujeito que a vive,
No predicado que a qualifica,
No verbo que a faz agir.
A vida está nas palavras,
Faladas, escritas, lidas, oradas.
Nos gestos nas expressões faciais
42
Nos sorrisos e nas lágrimas.
A vida está na dor e na alegria.
Na intenção da prosa ou poesia,
Na esperança, na fé, no ato de amor,
No nascer da criança, no seu chororô.
A vida está em Deus que a dá,
E a toma quando menos se espera.
Extinguindo os sinais da matéria
Para dar lugar a vida eterna.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
63 – ESPORTE É VIDA
Esporte é vida, arte, mistura de dor e contentamento, sinaliza os
movimentos da vida, nos saltos, nas estripulias do malabarista,
no arremesso de peso, nas acrobacias aéreas, nos saltos de para
quedas, nos voos de ultraleve, no esquiar sobre a neve.
O esporte desafia e afina a vida nas escaladas das
montanhas de terra ou de gelo, nos movimentos bruscos ou
sincronizados, na harmonia da musica e da dança e no mar se
agitando no surfar das ondas.
O esporte é a alegria da vitória, o choro e a tristeza da
derrota, a perda de uma partida, o ganho de uma corrida, uma
luta, um jogo um, adeus quando a vida termina, como a do
Airtom Senna.
O esporte é um misto de vida, desafio e morte. Composto
pelo movimento, como a terra que gira em torno de si mesma,
eclipsando com a lua, girando em torno do sol, numa velocidade
atlética, marcando as estações dos anos e os próprios anos da
vida, mas quanto tempo levará o homem para dar uma volta em
torno de sim mesmo? Sim uma volta atlética. Para poder
compreender de fato a vida e melhor vivê-la.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
64 - GEOGRAFANDO A VIDA
A vida desce pelos campos, rios e mares,
Ora presa pela gravidade ora solta pelos ares,
Ora aquática, aérea ou terrestre,
Até mesmo presa a terra ou a água do ventre.
A vida balança nos galhos das árvores,
Na palma das mãos, nas forças das almas,
Que nutrem o espírito dos seres que falam.
Geógrafo a vida, no sol, na lua, no planeta, na toca, na telha da
aranha, no mar na areia, na oca, nas montanhas, cobertas de
gelo, nos animais de pele ou de pelo, no pelo de couro e no
couro do animal. Procurando descubro o tesouro e a que a vida
vale muito mais... Muito mais que o ouro.
Geógrafo e aspiro da vida o ar puro, o som das cascatas que
caminham sem pressa, se espumando de prazer ao rolar pelas
pedras, e descem tão mansamente molhando a terra.
Mas nos esgotos da rua, nos lixões da cidade,
Vejo vidas morrendo por serem esquecidas.
Nos cortiços e nas favelas. Ouço os tiros apagando vidas e a
fumaça poluindo a atmosfera.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
43
65 - DESCOBERTA DA ESCRITA
A cultura está presente,
No modo de expressar,
Na comunicação de um povo,
E no seu linguajar.
Os gráficos formaram letras.
As letras palavras formaram.
As palavras formaram os versos,
Os versos e frases a escrita criaram.
Um livro custava preço de ouro,
Levava muito tempo para o produzir.
O livro era um valioso tesouro,
Que poucos podiam adquirir.
Hoje papéis esvoaçam pelo ar,
Parece que nunca usaram pergaminho,
Depois da descoberta de Gutenberg,
Quase todos têm acesso aos livros.
Depois da utilização do papiro,
E o advento da imprensa,
Hoje se tem de tudo para ler,
O que presta e o que não presta.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
66 - PARTILHAR
Partilhar o nosso pão,
Partilhar o nosso amor,
Sentir a dor do nosso irmão,
Ele sentir a nossa dor.
Eis a bela demonstração,
Do que é compartilhar,
Os segredos do coração,
A quem se ama e faz amar.
Partilhar é muito bom,
Necessário também se faz,
Partilhar as desilusões,
Que o desencontro traz.
Não é difícil partilhar,
Alegria e sorrisos,
Difícil é partilhar dor,
E ser verdadeiro amigo.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
67 - O HORIZONTE
O horizonte é largo,
Para quem não é estreito.
O horizonte é exato,
Para os que o olham direito.
O horizonte é oportuno,
Para os que sabem olhar,
Enxergar nele o futuro,
44
Que está a descortinar.
O horizonte é a ponte,
Levando a oportunidade,
Que a vida oferece,
Em meio a dificuldade.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
68 -O CAMINHO
É preciso saber o que se quer,
Para saber qual caminho trilhar,
Conhecer os obstáculos,
Para podê-los ultrapassar.
O único caminho perfeito,
É o que conduz ao céu,
E este é Jesus Cristo,
Unigênito filho de Deus.
Há caminhos que parecem direitos,
Mas conduzem a morte cruel,
Jesus é O caminho A verdade A vida,
Andar por ele é trilhar o caminho do céu.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
69 - JESUS O MAIOR PRESENTE
É tempo de festejar,
O presente da humanidade,
Não só porque é o Natal,
Porque Jesus é realidade.
É tempo de celebração,
Nasceu Jesus o Rei dos reis,
Devemos estar em comunhão,
Pra agradecer o que Deus fez.
Festejemos o Natal com alegria,
Alegremo-nos no Salvador,
Ele veio trazer-nos eterna vida,
Redimir-nos por seu amor.
Lembremos que o melhor presente,
Foi o que nos deu o Criador,
Ofereceu-nos o unigênito filho,
Pra nos provar o seu grande amor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
70 - INSUBORDINAÇÃO
Os filhos querem mandar nos pais,
Os empregados nos patrões,
Que tempo estamos vivendo?
De pura insubordinação.
Os pais decretam regras e leis,
Os filhos não querem cumprir não,
Os chefes delegam, e os empregados;
Dizem que isso é coisa de patrão.
45
È comum ouvir empregado dizer:
O dono do boi que pegue no chifre.
Só quero emprego não quero trabalho.
Só estou a fim é do meu salário.
Os pais dão ordens aos filhos,
Eles fazem os piores rumores.
Dizem que só atendem o juiz,
E tem que ser juiz de menores.
Insubordinação, insubordinação.
Pais e patrões sem perceber se tornaram
Filhos e empregados, e estes por sua vez.
Tornaram-se, pais e empresários.
Agora só trabalham pensando nos direitos.
Só querem saber do dinheiro dos chefes.
Quer mesada, seguro desemprego.
Viver à custa dos pais ou do INSS.
Quando se chama para fazer uma associação.
Dividir lucro, prejuízo e responsabilidade
A resposta é não quero mexer com isso não.
Quero ganhar o meu, sem dificuldade.
Não quero correr risco de ter prejuízo.
Quero ter meu salário no final do mês.
Qualquer coisa peço a conta, vou embora.
Seguro desemprego está aí pra quê?
Autora: Nascimento: Marilene C Santos
71 - SEXUALIDADE, DESEJO E PULSÃO
A sexualidade permeia toda a trajetória humana,
Desde a união dos cromossomos y e x,
Sexualidade é a força psíquica,
Sexualidade é a essência do existir.
A sexualidade está presente do nascimento à morte,
Em fases, explica a evolução da afetividade,
Revelando em cada uma delas,mudanças fortes,
Na forma de sentir o mundo, consoante a maturidade.
A sexualidade é energia psíquica afetiva,
Em todas as partes do corpo, energia ativa,
Que define e traça personalidades,
Disse Freud, ao relatar sobre a sexualidade.
Freud foi o maluco, analista de si mesmo,
Projetou para os humanos o complexo de Édipo,
Consciente é difícil admitir suas teorias e exemplos,
Só que a base do seu estudo foi o inconsciente.
Misturou vários conceitos, teorizou várias experiências,
Da castração, sublimação, pulsão, instinto e desejo,
Fazendo do estudo, do inconsciente, sua maior ciência,
Dos psicanalistas existentes, Freud decifrou mais segredos.
Mas se Freud pudesse viver nosso momento,
Perceberia que está um tanto ultrapassado,
Homens e mulheres são iguais perante a lei,
Mulher desejar ter pênis é coisa do passado.
46
Veria nas esquinas das ruas, nas surdinas da noite,
Muitos homens travestidos de mulher,
Veria que alguns homens as invejam na verdade,
Liberdade teria para assumir sua sexualidade..
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
72 - GRÁFICO DA VIDA
Nas entranhas da alma, no profundo do ser,
Há tantos segredos, difíceis de dizer.
Quando o tempo passa, e não dá pra contar,
Grava-se no gráfico da vida, sem legendar.
Cada pessoa tem no gráfico da vida,
Uma dor, uma passagem, uma ferida,
Que é difícil de tocar, e às vezes falar,
Porque a fala será incompreendida.
Pessoas são amadas de forma tão ardente,
Sem saber deste amor à existência,
E quantos amores continuam latentes,
Sem revelar Sufocando do amor a semente.
As Barreiras impedem de expormos as feridas,
Com medo que elas venham sangrar,
Quem não tem um passado na vida,
Que não conseguiu ou consegue explicar?
Quanta coisa esclarecida, sob único olhar.
Enquanto o outro não pode se explicar,
Se o gráfico da vida desse a explicação,
Com o esclarecimento, tamanha a emoção!
É preciso se perdoar e aos outros também,
Dispor-se a recomeçar e ficar tudo bem,
Sem mágoas ou ressentimentos banais,
Amizade e amor refaria e reinaria a paz.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
73 - RETRATO x ESPELHO
Quando me olho no espelho,
Deparo com meu retrato,
Pergunto se de fato sou eu.,
Pergunto quem sou eu de fato?
Tento pegar minha imagem,
De perto, tento analisá-la,
Cada gesto o espelho repete,
Ela é eu tenho que aceitá-la.
Descubro desvendo segredos,
Cada vez que me olho no espelho,
Hoje sou mais velho que ontem,
Amanhã terei menos fios de cabelos.
Cada dia o espelho não repete,
Percebo minha mutabilidade,
Embora o retrato permaneça inerte,
Semelhança não é igualdade.
Olho-me no meu retrato,
47
Imóvel bonito de fato,
Mas ele não reflete meu hoje,
Ele, sou eu no passado.
Só o espelho de fato consegue,
Fielmente retratar-me,
Atualizar minha imagem,
Sem poder enganar-me.
Não me deixa esquecer quem sou,
O Retrato, o espelho e a visão,
Acompanha-me para onde vou,
Revive e atualiza minha ilusão.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
74 - RETRATO DO NOSSO AMOR
Retratei o nosso amor,
No espelho de nossas vidas,
Guardei bem o seu retrato,
Para olhá-lo todos os dias.
Retrato de um amor vivido,
Retrato de um amor intenso,
Retrato de um amor incontido,
Um amor que se foi tão depressa.
Quando a saudade apertar,
Buscarei lembranças retratadas,
Meu coração e mente em alerta,
Estarão sempre com elas gravadas.
Quando a saudade sufoca,
O coração abre a porta,
E quando ele não aguenta,
Desesperado então ele chora.
Coloco o retrato no peito,
Em lágrimas ainda imploro,
Que este amor que me pegou de jeito,
Dê um jeito de ir logo embora.
Como pode um grande amor,
Assim tão bem retratado,
Ser do peito suplantado,
Sem provocar tamanha dor?
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
75 – AMOR PROIBIDO
No silêncio do meu coração,
Brincadeira com sabor de verdade,
Vivo um amor tão intenso,
Que não pode tornar realidade.
Até quando continuará este amor?
Não sei se pra eternidade,
Quem sabe Deus o arranque de mim,
Ou o torne em realidade.
Porque sinto tanta vontade,
De abraçar e ser abraçado,
48
Sabe-se que os princípios dizem,
Não pode, é proibido, é pecado.
Só que este amor impossível.
Bate em meu peito latente,
Torna-me jovem e sonhador,
Um adolescente, um sofredor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
76 - MULHER FURACÃO
Ela é como furacão,
Faz arraso onde passa,
Balança o coração,
Com o ar de sua graça.
Ela é como furacão,
Faz ventania na mente,
Coloca o corpo em ação,
É sagaz como a serpente
coro Rodopia,rodopia furacão,
Quero bailar em tuas asas,
Rodopia com amor e paixão,
Neste seu vento me embala.
Ela é como furacão,
Com esse sorriso picante,
Com esse corpão violão,
E esse andar provocante.
Ela é como furacão,
Impetuoso na praça,
Levanta tudo que vê,
No coração faz devassa.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
77 - LUZ DA AURORA
A luz da aurora já raiou já se fez dia,
Continuas com os olhos sem enxergar,
É o pecado que o impede de ver,
As maravilhas que Jesus quer operar.
As escamas do pecado que impedem,
Enxergar o clarão da salvação,
O pecado tem cegado tanta gente,
Ele é o símbolo da escuridão.
Mas Jesus disse, eu sou a luz eu sou a vida,
Quem me segue em trevas não andará,
Serei seu guia porei luz no seu caminho,
No meu clarão, terão descanso vida e paz.
Abra os olhos pra Jesus o Salvador,
Deixa o seu brilho te envolver mais e mais,
A luz de Cristo gera vida e amor,
Comece agora a Jesus glorificar.
Quem vem a Cristo. Ele não lançará fora,
Vinde a Ele todo que cansado está,
Jesus deixou por ti o seu trono de glória,
De braços abertos ele está a te esperar.
49
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
78 - HOMEM
Homem!
Deus o fez ser especial,
Imagem e semelhança de Deus,
Sabendo discernir entre o bem e o mal,
Para ser representante de Deus afinal.
Homem!
Não é muito que Deus quer de você,
Basta observar para compreender.
Homem!
Deixa Deus ser o seu senhor,
Não seja escravo de si mesmo,
Nem tão pouco escravo do sistema,
Muito menos escravo do dinheiro.
Homem
Você é capaz de transformar,
Possui sabedoria para edificar,
Entendimento para compreender,
O plano de Deus para você.
Homem!
Deus traçou-lhe uma trajetória,
Representá-lo bem aqui na terra,
Levar o amor, a paz e a esperança,
Se esforçar para evitar as guerras.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
79 - HISTÓRIA DE AMOR
Quem na vida não teve,
Histórias de amor pra contar,
Quem no peito não sentiu,
Um amor forte de arrasar?
Quem na vida não teve,
Uma paixão bem ardente,
Que não a pode viver,
Sufocou-a para sempre?
Quem na vida não teve,
Um amor de verdade,
Que sobrevive a tudo,
E ainda vive de saudade?
Quem na vida não viveu,
Um amor verdadeiro,
Impregnado até na alma,
No coração e no corpo inteiro?
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
80 - FURIOSO COMO O MAR
Como as ondas do mar;
Que ora furiosas estão,
Espumando pra lá e pra cá;
50
Assim está o meu coração.
Estou magoado com ela,
Fingiu tanto me amar,
Remou no meu barco a vela,
Depois o fez naufragar,
Brincou com meu coração,
Furioso, estou a reclamar.
Porque ela me enganou,
Gostaria de lhe indagar?
Pra bem distante quero fugir,
Não quero mais ser enganado,
Trair um amor tão grande assim,
É um grave e triste pecado.
Quero ir pra longe desse lugar.
Talvez consiga esquecê-la,
Talvez as ondas furiosas do mar,
Possa do meu coração removê-la.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
81 - ALIANÇA
Nossas vidas entrelaçam,
No mais puro sentimento,
Trocamos as alianças,
Como símbolo e lembrança,
Deste nosso lindo momento.
Que seja infinito e dure,
Que dure para todo sempre,
Que ature a dor a guerra,
Seja uma aliança eterna,
Enquanto vivermos na terra.
O amor é compromisso,
É pacto pra se viver,
Partilhar dor e riso,
Tristezas, alegrias e prazer,
É pacto feito pra não se dissolver.
Duas vidas tornam-se uma só,
Eu e você formamos o nós,
Lagrima, sorriso e charme,
Você é carne da minha carne,
Minha voz é sua voz.
Nossa vida, nossa casa,
Nossos filhos, e labor,
Nossas joias preciosas,
Conquista dos nossos sonhos,
Nossos sonhos de amor.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
82 - AUDIÇÃO
Ensina os seus ouvidos,
A selecionar o que é bom,
O que é bom faz sentido,
E faz bem ao coração.
51
Coloque um filtro no ouvido,
Para maus conselhos e asneiras
Não se deixe ser corrompido,
Pelo ouvido e fazer besteiras.
Filho ouça a instrução dos pais,
Ouça a palavra do Senhor,
Aos seus conselhos atentai,
Pois por você tem grande amor.
Feliz é o homem que dá ouvido,
Aos sábios conselhos e instruções,
Que vem de Jesus o melhor amigo,
E pra nós tem palavras de salvação.
Inclina os ouvidos e ouça,
As palavras do conhecimento,
Guarde-as bem no coração,
Inclina-te ao entendimento.
Autora – Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
arte
83 - RACISMO
Brasil que finge não ser racista,
Concebe os negros, como ladrões,
Quer dor pior, que a de não ser escravo,
Ser livre, mas continuar sendo humilhado.
A democracia, e a liberdade,
Deve fazer de um povo uma nação,
Mas neste país de disfarces,
É comum o preconceito e a discriminação.
Quantas negras se veem nos Palácios?
Quantos negros na televisão?
Quando aparecem é pra ser faxineiro,
Ou em novelas de escravidão.
Quantas paquitas negras nós temos,
E apresentadoras de programa infantis?
Negra, não conheço, sequer uma,
Mas exijo que comece a existir.
Não consideram o negro por inteiro,
Nunca fazem o papeis principais,
Negro ainda é sinônimo de criadagem,
Apesar dos disfarces em alguns canais.
Quantos negros são marginalizados,
Exigem-se deles que sejam 100% melhor,
Porque em condições de igualdade,
Não se contrata o homem de cor.
Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
84 - AS LEIS DO AMOR
Para regulamentar o amor;
Deveria constituir uma lei;
Aplicá-la com todo rigor;
Com imperativo de um rei.
No amor é pecado trair;
52
Não se pode enganar;
É proibido seduzir;
É proibido ludibriar.
Colocaria na cadeia,
Aquele que finge amar,
Deixá-lo-ia a vida inteira,
Conjugando o verbo até se cansar.
Eu amo, tu amas, ele e ela amam,
Quando de fato amar,
Não mentirei nesta matéria,
A ninguém mais iria enganar.
Espera-se então que os réus,
Depois dessas leis aprender,
Acredite que o amor verdadeiro,
Tenha o imperativo de um rei,
Que ninguém tenha medo de amar,
Nem medo de ser amado também,
Que o amor o maior tesouro da vida,
Não falte na vida de ninguém.
O medo de amar e ser amado,
Não poderá nos causar terror,
O amor será muito valorizado,
Se esta lei entrar em vigor.
Autora: Marilene Carvalho Dos Santos Nascimento.
85 - ANALFABETISMO
Queria tanto saber ler e escrever,
Queria saber qual ônibus tomar,
Queria saber uma carta escrever,
Ao ter a resposta da carta poder ler.
Vida de analfabeto é difícil,
Temos trabalho duro e serviçal,
Somos lixeiros, ou lavradores,
Lavamos roupas ou limpamos o quintal.
Ganhamos sempre menos que os outros,
Enfrentamos também muita humilhação,
Recebemos até bronca da patroa,
Por não conseguir fazer sequer anotação.
Faz muita falta não saber ler e escrever,
Não queiram isto para seus filhos não,
Todos terão que estudar e aprender,
Para não serem os excluídos da nação.
Ninguém deveria ser analfabeto,
Dou este conselho para toda a nação,
Não deixe os filhos fora da escola,
Sem o saber, se vive a escravidão.
Não tem idade para quem quer aprender.
Basta colocar-se a disposição,
Na vida se alcança o que se quer,
Quando dispomos aprender essa lição.
Todo o esforço deve se fazer,
Para erradicar o analfabetismo,
Aprender a ler e escrever,
53
Deveria ser um imperativo.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
86 - VIDA CONJUGAL
Protagonistas de histórias de amor conjugal
Escrevem-se livros, vivenciando vidas.
Nem mesmo o escritor e o fecundo leitor,
Consegue decifrar amores e paixões,
Tenta-se conhecer o enigma do amor,
Decifrar códigos dos relacionamentos conjugais.
Quem consegue concebê-los e conhecê-los,
Tal como ele é no momento exato e de fato?
O escritor, o leitor não conhece do amor,
Sua profundidade e sua extensão,
Como vivê-lo em sua plenitude,
Se o que mais se vive, são momentos de paixão?
O amor é arte, é vida, é remédio,
Que cura o tédio e o ódio cruel,
No amor há perdão, há vida e união,
Amor é como se fosse um pedaço do céu,
O amor é lido, mas não é compreendido, mas ele é,
Como balsamo para os que estão feridos.
Mas muitos se protegem para o amor não sentir,
Porque o amor os torna um tanto infantil,
O amor é pureza, alegria e beleza,
Vida. Sentida em nova dimensão,
O amor é fonte de solução dos problemas,
O amor é diferente de paixão,
Pelo menos se chega a esta conclusão.
O amor nem sempre é correspondido,
As pessoas temem amar por inteiro,
Os desencontros dificultam os encontros,
Que funde em dois um amor verdadeiro.
E as pessoas acabam se aceitando,
Sem a presença de um amor profundo,
Sem de fato amar, assim vão levando,
Formando casais, infelizes pelo mundo.
Desta relação vem o filho depois,
Sendo frutos de lar, desprovidos de amor,
Sem presenciar amor na vida dos pais,
Os filhos terão dificuldade pra amar.
Cansamos de ouvir falar de amor,
Mas é difícil de fato o conceber,
O amor se torna cada vez mais raro,
E muitos casais se separam, sem se entender.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
87 – A VIDA É PARA SER VIVIDA
Os sinais de vida estão presentes,
Em todos os lugares e dimensões.
Manifesta-se em todas as esferas,
Nas alturas e nas profundezas,
Das coisas simples e complexas da terra.
Vida é o começo.
Viver é ação.
Quando se vive,
54
Vida abundante,
Quando se vive,
Com o coração.
Há seres que organicamente estão vivos,
Porém, não vivem, apenas vegetam.
Alguns sinais vitais os tornam viventes,
Mas não produzem flores, nem frutos.
Muito menos sementes.
Denominam-se seres vivos,
Quem apenas é vivente?
Mas a vida é significativa,
Quando ela é sentida,
Segundo a segundo,
Minuto a minuto,
Hora a hora,
Vivida... degustada,
Dia a dia analisada,
Mês a mês produzida,
Ano a ano construída.
Para não descer ao pó,
Uma matéria que apenas vegetou,
Passou pela vida sem vivê-la.
Só tem direito a transcender a vida,
Aqueles que tiveram a coragem,
De vivê-la com toda intensidade,
Apesar das suas adversidades.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
88 – UNICIDADANIA- CIDADANIA PRA TODOS
Unicidadania, ci- da -da- nia! Que é isso?
Nunca a vi, mas desejo conhecer,
Dizem que é amiga dos tubarões,
No meu dicionário, ainda não a encontrei.
Será que é palavra norte americana?
Ou será que veio de Portugal?
Será palavra nova ou antiga?
Da era moderna ou medieval?
Cidadania, unicidadania.
Quero ver a sua cara,
Quero conhecer você,
Cidadania. Unicidadania,
Onde você está?
Quero chegar até você.
Será que é palavra dos analfabetos?
Das crianças sem pão e sem teto.
Do desempregado pai de família?
Quero conhecer a tal cidadania.
Procuro-a no dicionário do povo.
Que é o dicionário cidadão, mas,
O cidadão está no topo da pirâmide
Não consigo chegar até ele, e então?
Tentarei construir uma escada.
Pra subir, mas não quero ir sozinho.
Vai que essa cidadania me pega.
O que será do meu pobre irmãozinho.
Cidadania queremos viver, a cidadania,
55
Cidadania não monossílaba,
Cidadania para todas as famílias,
Cidadania para todas as silabas.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
89- EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL
Pequenos, com ofícios de adultos,
Sofrendo sem esperanças,
Sem saber ler nem escrever,
São exploradas nossas crianças.
Muitas estão vivendo,
Sem ter direito a infância,
Não podem brinca com carrinho ou boneca,
Como devem brincar as crianças.
Em lugar da caneta lhes dão a foice,
Em lugar da escola os canaviais.
As crianças estão nas minas,
Prostituindo, se drogando,
Ou trabalhando nos laranjais.
Trabalham arduamente,
São marginalizadas, boias frias,
Vivendo em ambientes insalubres,
Trabalho pesado, forçado. Dia após dia.
Muitas delas trabalham apenas.
Para se obter um mísero prato de comida.
Que perspectiva terá nossas crianças?
Não é obrigação do estado, dar-lhes guarida?
Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
90 - O VOTO
Eu voto nesse ou eu voto naquele.
Desde que ele tenha compromisso com o povo
O voto não é apenas clicar na urna eletrônica.
É compromisso com mudança, com o novo.
Será que o voto muda o destino da gente?
Votando consciente com certeza mudará.
Mas destrói os frutos das sementes.
Aqueles que votam simplesmente por votar.
Votando a gente outorga ao candidato.
O direito de bem nos representar.
È necessário, portanto compromisso.
De quem vota e de quem votado será.
Quem vende o voto não terá direito
Pra nada poder reclamar ou reivindicar.
Coisa comprada e paga por seu preço.
Não terá como o dono a estornar.
É preciso razão e coerência.
Na hora de escolher em quem votar.
Vote em quem tem compromisso e proposta
Para a coletividade beneficiar.
Autora: Nascimento. Marilene Carvalho dos Santos
91 - JESUS DE NAZARÉ
Reconheceram-Te como filosofo,
Outros, porém chamaram-Te profeta,
56
Para muitos é o homem mais sábio,
Para mim, o Salvador dos poetas.
Ès tudo isto e muito mais,
Cordeiro de Deus Príncipe da paz,
Filosofas, poetizas e profetizas,
Mensagens que jamais serão esquecidas.
És o princípio e também o fim,
O profeta de todos os tempos,
És tão grande, mas cabes dentro de mim.
Apesar, de não conter-Te o firmamento.
Teu nome é Jesus de Nazaré,
Minha força, razão da minha fé.
Poeta que tantas verdades declarou.
Verdades ditas, e vividas com amor.
Faço esta homenagem a Ti meu salvador
Que dos poetas é o inspirador,
Conhece todos os versos que escrevo.
Comigo alegra e chora minha dor.
Inspira-me poesia e canção,
Ensina-me amar e a viver.
Vida abundante dá ao meu coração,
E melodia para minha canção.
Poeta maior, Jesus de Nazaré,
Tua filosofia sustenta a minha fé,
És o meu exemplo maior,
O teu amor me mantém de pé.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
92 - UNIVERSO VISUAL
A medicina é uma arte
A arte de lidar com a vida
Em suas particularidades,
Ora vistas, vividas ou sentidas.
O olhar do oftalmologista,
Devem ir além da vistas,
Devem penetrar a alma,
Dos olhos doentes refletidas.
Deve lançar a luz do seu olhar,
Nos olhos cansados, doentes e triste,
Pelas enfermidades oculares,
Ou pelo mundo que nos olhos existe.
É preciso fazer o diagnóstico,
Além dos distúrbios visuais do paciente,
Se a causa é vírus, fungos ou sífilis,
Descobrir o oculto no presente.
E preciso planejar o tratamento,
Para boa acuidade visual,
Devemos evidenciar o valor,
Deste grande profissional.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
57
93 - OLIMPÍADAS DE ATENAS EM 2004
Vários idiomas e dialetos se ouviam falar,
No estádio de Atenas, espetáculo de brilho,
Onde as vozes, e gritos se faziam ecoar,
Numa expressão de festa em grande estilo.
A melhor amostra de todas as raízes,
Garantindo presença, modalidades de toda sorte,
Atletas e delegações de todos os países.
Representando a união através dos esportes.
No espelho do mundo, retrato da mais bela cena,
Que pode espelhar naquele momento exato,
Em que se irmanaram apesar das diferenças,
Um grande e belo exemplo, naquele cenário.
Todos os países do mundo, ricos e pobres,
Oportunizados foram de se evidenciar,
Mostrar-se ao mundo através dos esportes,
Deixando toda diferença, para estar lá.
Bem que poderia não ser apenas uma amostra,
De como poderiam viver os povos do planeta,
Mas que se pudesse tornar real, o compartilhar,
Humanizar a vida reduzir as diferenças.
Somos um todo oriundo dos mesmos povos,
Fragmentados no espaço geográfico do planeta,
Bem que poderíamos unir os esforços,
Pra banir a ignorância, a fome e as guerras.
Bem que poderíamos esforçar arduamente,
Como os atletas para as suas provas,
Para sermos povo mais nobre, mais decente,
Mais humano, mais gente, menos ignorante.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
94 - AS CONTROVÉRSIAS DA VIDA.
Davi adulterou, mentiu, e enganou;
E intencionalmente matou.
Sanção amou, apaixonou,
À paixão se entregou, e esta o cegou.
Salomão para agradar suas mulheres,
Altar a outros deuses levantou.
Moisés, a um egípcio matou,
E na areia mansamente o escondeu.
Estes grandes homens mencionados,
Controvérsias da historia, erros cometeu.
Deixaram reinar e o seu eu,
A paixão, a cobiça e a glória,
Cometeram erros e a Deus entristeceu,
Como fazem muitos nesta vida agora.
Cada ação tem sua consequência.
Apesar do remorso ou arrependimento sentido
Deus perdoa, mas as consequências sofremos.
De todos os erros que houvermos cometido
58
Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
95 - AMIGO
A quem poderei chamar de amigo?
Quem dispõe de fato me ouvir?
Quem poderá compartilhar comigo?
As desventuras, alegrias e sofrer?
A quem poderei chamar de amigo?
Quem pode minha dor chorar,
Emprestar o seu ombro amigo,
Para me reconfortar?
Quem me aceita como sou,
Poder meu amigo ser,
Quem partilhar minha dor,
E sofre com o meu sofrer.
Quem divide minha alegria,
E também meu sofrimento,
Conhece meu dia a dia,
Compartilha meus momentos.
Quem sorri o meu sorriso,
Quem chora a minha dor,
São poucos nossos amigos,
Amigo tem muito valor.
Jesus nos chamou de amigos,
Se o amarmos e o seguirmos,
Se chorarmos com os que choram,
E sorrirmos com os que sorriam.
São poucos os que podemos,
De nossos amigos chamar,
Eles são os que mais amamos,
Geralmente são nossos pais.
São amigos nossos filhos,
São amigos nossos irmãos,
São amigos os que partilham,
Nossa casa nosso pão.
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
96 - ACRÓSTICO DO AMOR
Amor é mais,
Mais que uma palavra,
O amor se esconde no
Recôndito da alma.
Amor é mais,
Mais que um sentimento,
O amor é mais que as palavras,
Repletas no pensamento.
Amor é mais,
Mais que nostalgia
Olhar de uma criança,
Revelando alegria.
59
Amor é mais
Muito mais que compromisso,
O amor rompe imprevisto,
Respeita a vida com seus riscos.
Amor é mais
Mais que responsabilidade,
O amor é a força da verdade,
Refletida em nossa veracidade.
Amor é mais
Mais que maravilhoso,
O amor é um verdadeiro
Reencontro nos desencontros
Autora: Marilene Carvalho Dos Santos Nascimento
97 - QUANTO VALE UMA VIDA
Quanto vale uma vida?
Mais que o mundo inteiro?
Depende de quem analisa
Vale ouro ou dinheiro.
Quanto vale a vida?
Pra uns a vida é tudo,
Pra outros ela é fugaz,
E a tiram fácil demais.
Quanto vale a vida,
Que se apaga por tostões?
Quanto vale a vida,
O pulsar de um coração?
Quanto vale a vida?
Depende do coração,
Se ele tem bolso,
Se o bolso tem fundo ou não.
Quanto vale a vida?
Pra bandido não vale nada,
Apenas a sua tem valor,
E a de sua família amada.
Quanto vale a vida de um filho?
Pros pais é o maior tesouro,
Pra bandido só filho dele tem valor,
A dos outros acaba com um estouro,
Quanto vale a vida,
Para os governantes?
A do povo vale o voto,
Só a deles é importante.
Pra nossa sociedade,
Tem muito valor a vida,
De quem tem fama ou dinheiro,
Independente da identidade.
Quanto vale a vida
Dos que vivem na sarjeta?
Pra Deus todas têm muito valor,
Não importa condição social ou cor.
E pra você quanto vale a vida?
Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
98 - MEU AMOR POR VOCÊ
É assim meu amor por você,
Que não pode nem deu para viver,
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday
Poesia El Shaday

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
Santiago Cao
 
Apresentação Eleição Patrona
Apresentação Eleição PatronaApresentação Eleição Patrona
Apresentação Eleição Patrona
Elaine de Paula
 
What If Magazine_01
What If Magazine_01What If Magazine_01
What If Magazine_01
Dione Negre
 
A professora martha de freitas azevedo pannunzio
A professora martha de freitas azevedo pannunzioA professora martha de freitas azevedo pannunzio
A professora martha de freitas azevedo pannunzio
mendesmarciel
 

Mais procurados (20)

Jornal Mente Ativa 6
Jornal Mente Ativa 6Jornal Mente Ativa 6
Jornal Mente Ativa 6
 
Entrevist Pedro X Agora [1-06-2014]
Entrevist Pedro X   Agora [1-06-2014]Entrevist Pedro X   Agora [1-06-2014]
Entrevist Pedro X Agora [1-06-2014]
 
CARTA DE MARTHA FREITAS PARA DILMA ROUSSEFF
CARTA DE MARTHA FREITAS PARA DILMA ROUSSEFFCARTA DE MARTHA FREITAS PARA DILMA ROUSSEFF
CARTA DE MARTHA FREITAS PARA DILMA ROUSSEFF
 
Relatoria Multiplicadores-Caxias
Relatoria Multiplicadores-CaxiasRelatoria Multiplicadores-Caxias
Relatoria Multiplicadores-Caxias
 
Jornal Mente Ativa 5
Jornal Mente Ativa 5Jornal Mente Ativa 5
Jornal Mente Ativa 5
 
O sertão vai virar mar
O sertão vai virar marO sertão vai virar mar
O sertão vai virar mar
 
Jornal Mente Ativa 13
Jornal Mente Ativa 13Jornal Mente Ativa 13
Jornal Mente Ativa 13
 
O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
O que pode um corpo diante do Afeticídio Urbano?
 
Martha de freitas azevedo pannunzio
Martha de freitas azevedo pannunzioMartha de freitas azevedo pannunzio
Martha de freitas azevedo pannunzio
 
Amar pode dar_certo_-_roberto_shinyashiki
Amar pode dar_certo_-_roberto_shinyashikiAmar pode dar_certo_-_roberto_shinyashiki
Amar pode dar_certo_-_roberto_shinyashiki
 
Discurso Dilma Rousseff
Discurso Dilma RousseffDiscurso Dilma Rousseff
Discurso Dilma Rousseff
 
Apresentação Eleição Patrona
Apresentação Eleição PatronaApresentação Eleição Patrona
Apresentação Eleição Patrona
 
Brasil carinhoso
Brasil carinhosoBrasil carinhoso
Brasil carinhoso
 
What If Magazine_01
What If Magazine_01What If Magazine_01
What If Magazine_01
 
Prova 2 ano
Prova 2 anoProva 2 ano
Prova 2 ano
 
Revista Boa Vontade, edição 209
Revista Boa Vontade, edição 209Revista Boa Vontade, edição 209
Revista Boa Vontade, edição 209
 
A professora martha de freitas azevedo pannunzio
A professora martha de freitas azevedo pannunzioA professora martha de freitas azevedo pannunzio
A professora martha de freitas azevedo pannunzio
 
Jornal Mente Ativa 3
Jornal Mente Ativa 3Jornal Mente Ativa 3
Jornal Mente Ativa 3
 
O que a esquerda esconde de você
O que a esquerda esconde de vocêO que a esquerda esconde de você
O que a esquerda esconde de você
 
A verdade sufocada
A verdade sufocadaA verdade sufocada
A verdade sufocada
 

Semelhante a Poesia El Shaday

Midiático e o imagético
Midiático e o imagéticoMidiático e o imagético
Midiático e o imagético
Francisco Gomes
 
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdfpalavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
CarlosBarros508293
 

Semelhante a Poesia El Shaday (20)

Jornal Mente Ativa 22
Jornal Mente Ativa 22Jornal Mente Ativa 22
Jornal Mente Ativa 22
 
Midiático e o imagético
Midiático e o imagéticoMidiático e o imagético
Midiático e o imagético
 
Midiático, imagético, mas feliz?
Midiático, imagético, mas feliz?Midiático, imagético, mas feliz?
Midiático, imagético, mas feliz?
 
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 67
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 67Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 67
Folhetim do Estudante - Ano IX - Número 67
 
Juventudes
JuventudesJuventudes
Juventudes
 
TRANS*ZINE - Outubro 2013
TRANS*ZINE - Outubro 2013TRANS*ZINE - Outubro 2013
TRANS*ZINE - Outubro 2013
 
Gralha Azul no. 13 - Sobrames Paraná - Julho 2011
Gralha Azul no. 13 - Sobrames Paraná - Julho 2011Gralha Azul no. 13 - Sobrames Paraná - Julho 2011
Gralha Azul no. 13 - Sobrames Paraná - Julho 2011
 
A revista pensare 01-09-2013
A revista pensare   01-09-2013A revista pensare   01-09-2013
A revista pensare 01-09-2013
 
A revista pensare 01-09-2013
A revista pensare   01-09-2013A revista pensare   01-09-2013
A revista pensare 01-09-2013
 
Carta de floresta
Carta de florestaCarta de floresta
Carta de floresta
 
ATPS de Filosofia, da faculdade Anhanguera.
ATPS de Filosofia, da faculdade Anhanguera.ATPS de Filosofia, da faculdade Anhanguera.
ATPS de Filosofia, da faculdade Anhanguera.
 
Guia_de_comunicacao_inclusiva.pdf
Guia_de_comunicacao_inclusiva.pdfGuia_de_comunicacao_inclusiva.pdf
Guia_de_comunicacao_inclusiva.pdf
 
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
2019_guia_versao17-04_final_APROVADA.pdf
 
anglo-redacao-temas
anglo-redacao-temasanglo-redacao-temas
anglo-redacao-temas
 
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdfpalavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
palavr-u-u-o-28-du-bora-promotora-de-justiu-a.pdf
 
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativaComunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
Comunidade Vida e Paz: um exemplo de cidadania ativa
 
Discurso de posse do vereador Aderson Gouvea
Discurso de posse do vereador Aderson GouveaDiscurso de posse do vereador Aderson Gouvea
Discurso de posse do vereador Aderson Gouvea
 
Manifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferençaManifestações de intolerância à diferença
Manifestações de intolerância à diferença
 
Desabafo de um velho2
Desabafo de um velho2Desabafo de um velho2
Desabafo de um velho2
 
Pelo Direito do Jovem à Vida
Pelo Direito do Jovem à VidaPelo Direito do Jovem à Vida
Pelo Direito do Jovem à Vida
 

Último

472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
GisellySobral
 

Último (20)

QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptxSequência didática Carona 1º Encontro.pptx
Sequência didática Carona 1º Encontro.pptx
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
472037515-Coelho-Nelly-Novaes-Literatura-Infantil-teoria-analise-e-didatica-p...
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 

Poesia El Shaday

  • 1. 1 DEDICATÓRIA A dedicatória mais merecida É a que fazemos ao autor da vida. Que nos fez sua imagem e semelhança E exorta-nos a sermos como crianças. Pede-nos para sermos porta-voz Dos que não podem lutar, Esta obra foi a forma que encontrei Para o grande Deus homenagear. Abre a tua boca a favor do mundo, pelo direito de todos os que acham em desolação, abre a tua boca e julga retamente, e faze justiça aos necessitados. Provérbios 31 versos 8 e 9. Espero com estas poesias e canções contribuir neste abrir da boca para denunciar, protagonizando de forma poética a dor, a alegria, a utopia e os problemas sociais brasileiros, representando assim esse nosso povo tão sofrido, mas tão guerreiro e sonhador. AGRADECIMENTOS. À Deus, a minha família, os meus amigos e de forma especial Dr. Paulo Roberto Jorge do Prado pelo incentivo e valorização do meu trabalho. APRESENTAÇÃO
  • 2. 2 QUERO FALAR NA VOZ DO POVO destina-se a todas as pessoas e instituições que objetivam contribuir para formar cidadãos reflexivos e construtores do seu próprio conhecimento. Em Quero Falar Na Voz do Povo encontrarão, novo estilo poético que os levarão a reflexão e a um posicionamento frente aos problemas sociais brasileiros, serão oportunizados a discussão dos temas e aprofundamento em pesquisa sobre os temas poéticos; que são oriundos dos anseios e perspectivas do povo brasileiro. Queremos cidadãos atentos às discussões e reflexões da nossa realidade. As poesias e músicas desta obra abordam temas diversos, resgatando princípios e valores dos quais não podemos abrir mão. Pois visam o resgate da dignidade humana em todos os seus aspectos, valorizando a vida, as relações com o próximo e com a natureza. Prefacio o livro Com a poesia Quero Falar na Voz do Povo, que representa o conjunto da obra. colocando-me no lugar dos que passam pelos variados problemas, retratando muitas vezes a minha própria voz. Pois faço parte desta sociedade permeada por circunstâncias adversas. Esta poesia representa a essência do meu trabalho e da contribuição que dou enquanto cidadã brasileira, utilizando o talento que Deus me deu para compor poesias e musicas retratando as diversas realidades do povo brasileiro. Espero poder contribuir com alunos e educadores, de todo país, tendo em vista que como educadora tenho debatido esses temas com os alunos. QUERO FALAR NA VOZ DO POVO Quero falar na voz do povo, Em linguagem simples, sem ficção. De forma que se possa entender, Em forma de poesia ou de canção. Linguagem que flui sem rodeios, A este povo tão sofredor. Fala aberta e sem segredos, Tão conhecida de um sonhador. Do sonhador que quer ter vez e voz, Quer ser compreendido, por todos nós, Quer ser gente, ser cidadão, Quer encontrar um ombro irmão. Quer ver um braço amigo a estender. Ouvidos sensíveis para o escutar. Quer um sinal para a vida entender. Quer ter vez e voz para poder falar. A fala do oprimido que sempre é rompida, Pelo silêncio da omissão. Quer ver um sol nascendo pra vida, Rompendo as barreiras da escuridão. Quero gritar ao som da canção, Em alto e bom som, para o mundo ouvir. Que em cada vida há um coração, Com enorme desejo de ser feliz. Filosofando e poetizando, Foi a forma que encontrei, Para socializar a voz do povo, No estilo novo que criei. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento QUERO FALAR NA VOZ DO POVO
  • 3. 3 Esta obra nasceu em linguagem simples, em forma de poesia e canções, revelando a dura realidade de um povo sem vez e sem voz, sem poder de luta, não vistos nem reconhecidos, nem mesmo através da dor e dos gemidos que lhes angustiam a alma, O povo brasileiro. Sem pedir licença me constituo representante deste povo, para junto com a imprensa e demais artistas, e demais pessoas que como eu lutam, por um país melhor e um povo mais feliz, denunciar, cantar e declamar em linguagem clara e direta, a voz do nosso povo, na expectativa de evidenciar seus sofrimentos, anseios e lutas, tendo em vista que seus legítimos representantes os esqueceram à margem da sociedade, sendo usados apenas como massa de manobra no período eleitoreiro. Quero falar na voz do analfabeto, que é explorado por não saber ler e escrever, denunciar suas dificuldades e encorajá-los para que independentemente da idade comecem a estudar enfatizando a importância das diferentes formas de linguagem. Quero falar na voz do negro, que é marginalizado, denunciando assim o racismo e todo tipo de preconceito contra o homem e a mulher. Quero falar da cidadania que consiste não apenas no direito de votar, mas da cidadania dignidade, respeito e cumprimento dos direitos fundamentais e básicos do ser humano. Quero falar na voz das crianças que perambulam pelas ruas, com fome, desacreditada, sem perspectivas, exploradas por traficantes que os viciam e depois os assassinam. Crianças essas que não tiveram oportunidade de nascer em lares de famílias estruturadas, sendo marginalizadas, sofrendo vários tipos de maus-tratos. Quero falar na voz da menina prostituída, das adolescentes que carregam no ventre ou no colo filhos de pais desconhecidos. Quero alertar para o perigo das drogas que rondam nossas casas e escolas, pedindo às famílias e à sociedade que vigiem, amem, e protejam ensinando os valores da vida, colocando limites para que nossas crianças, adolescentes e jovens não sejam vítimas deste mal sutil e violador. Aponto também o caminho para os que não foram fortes suficientes e se deixaram iludir, entrando para o mundo das drogas. Quero denunciar a exploração do trabalho infantil, pois não acho que criança não deva fazer pequenas tarefas como auxiliar os pais em coisas simples e cotidianas, mas o que se não pode admitir é que as crianças sejam forçadas a trocar a escola por outras atividades. Falo também das emoções, das questões psíquicas que exerce extrema influência sobre a nossa atuação como ser racional. Relato atitudes e comportamentos que precisam ser trabalhados, tratados na nossa relação com nós mesmos e com o outro. Quero falar da dor da fome que tão perto nos rodeia, talvez pessoas próximas, estejam passando necessidades, e não nos importamos com elas, parentes, funcionários e outros. E ficamos inquietos e inconformados com a fome na Etiópia ou no nordeste. Quero falar na voz dos sem teto, sem terra e sem pão, pais de famílias desempregados, que se angustiam quando os filhos pedem-lhes pão; quero declarar que a casa é o primeiro espaço de dignidade humana, mas quantos estão morando em favelas ou debaixo da ponte por não terem outra opção. Quero falar na voz do educador, que sonha com um país melhor da qual eu sou a principal, que acredita e investe
  • 4. 4 o talento e potencial em educação na intenção da construção de cidadãos que façam diferença no lugar onde estão inseridos. Muitas vezes fazemos papel de mãe, de psicólogo de amigo e somos incumbidos de prepará-los para os desafios cotidianos, trânsito doenças, drogas, sexualidade, questões ambientais dentre diversos outros focos e temáticas que compete a um educador transformador. Quero falar na voz do empresário, que investiu tudo para ver nascer uma nova empresa para gerar empregos e renda e ser o dono do seu próprio destino, e vê sua empresa ser abortada antes mesmo de frutificar restando-lhe apenas grandes dividas por não suportar o arrocho da carga tributária. Quero falar na voz do povo que carece de uma saúde pública de qualidade, e saindo à procura de atendimento, acaba morrendo nas portas dos hospitais, por falta de atendimento, outros mesmos hospitalizados por falta de medicamentos, enquanto se joga no lixo toneladas de medicamentos vencidos, sem falar nos que morrem ou se aleijam por erros médicos. Quero falar na voz do nosso povo que vive indignado com a corrupção reinante no país, a impunidade que impera, levando todo o dinheiro que era para ser investido em educação, saúde, segurança e outras necessidades básicas. Vendo assim os direitos sendo violados, em detrimento de tantos privilégios e gozos daqueles que elegeram para representá-los. Quero registrar a indignação e a decepção com os poderes constituídos, a corrupção reinante e o descaso com a coisa pública e assim somar a voz de todos os brasileiros e brasileiras, trabalhadores, que lutam por dignidade, por respeito, por mudanças e inovações necessárias nas leis, que as leis sejam iguais para todos sem privilégios e gozos para uma camada diferenciada da sociedade. Queremos leis justas que abranjam todas as pessoas sem fórum privilegiados. Que todas as classes sociais se aposentem com os mesmos requisitos exigidos. Que sejam presos o ladrão de galinha e o engravatado. Que as cadeias realmente sejam lugar de ressocialização ao invés de expansão do crime. Queremos sonhar com um Brasil melhor, com mais qualidade de vida, uma sociedade mais fraterna e pacificadora, que rompa os desafios com leis justas e para todos. Quero falar do amor que é a arma mais poderosa para vencer os preconceitos e as diferenças e desavenças entre os povos, quero falar dos diversos tipos de amor dentre eles ressaltar, o amor maior, que é o Deus pela humanidade. amor ação, amor que não cala, amor adoção, amor que é a essência da alma. Quero declamar a exuberância da natureza, os seus maus tratos e conclamar que nos desafiemos a protegê-la. Quero destacar a cultura do meu povo e de forma específica do lugar onde moro Mato Grosso meu estado, e Cuiabá minha cidade, embora tenha nascido no interior de São Paulo. 01 – EVIDÊNCIA Quero os meus versos,
  • 5. 5 Publicados em livros, Internalizados na vida, Formando estilos. Dando vida às letras, Destilando poesias, Quero declamá-las, Evidenciar alegria. Quero que meus versos Pulsem corações, Tornem-se cantigas, Modas e canções. Que toda pessoa Possa ter acesso, A leitura viva, Contida em meus versos. Não quero a fama De um poeta morto. Quero ter a chance De chegar ao porto, Para que meus versos, Sejam conhecidos, Atravessem mares, Rompam desafios. Quero que meus versos Rompam as fronteiras, Adentre os horizontes, Sem encontrar barreiras. Antes de eu partir, Quero vê-los vivos, Eternizados, Transcritos nos livros. Quero ter o reconhecimento, Antes, da minha morte. Quero em vida ter essa emoção. Ou será que não mereço essa sorte? Quero que meus versos, Versem almas vivas, Que em vida eu veja, Que suas palavras vibram. Autora. Marilene Carvalho dos Santos Poesia feita a partir dos sentimentos e desejos que tenho como poetisa. 02 - FUNÇÕES POÉTICAS A poesia é forma criativa, De retratar o amor, a alegria, A saudade, a vontade, a dor, O fato, o sonho e a utopia. A poesia evidencia a violência. A fome, o preconceito, a guerra. O analfabetismo, a ignorância, A luta por um pedaço de terra. A poesia retrata a nossa história, O passado, o presente e o futuro. Retrata o homem e sua trajetória, E os acontecimentos do mundo.
  • 6. 6 A poesia critica e instiga. Aguça os sentimentos, Fotografa e registra da vida, Os piores e os melhores momentos. A poesia aconselha, adverte, Constrói novos conceitos, Informa, instrui e diverte. Do poeta ela é o presente. A poesia exalta o nascer e o por sol, O embalo do vento, o nado da baleia, O verde da mata, o canto do rouxinol, As ondas do mar o mito da sereia. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia criada para retratar a importância da poesia. 03 - COMO É POSSÍVEL FALAR DE PAZ? Como é possível falar de paz Sem romper o egoísmo cruel? Paz se conquista com amor, Ela é um pedacinho do céu; Como é possível falar de paz; Quando o estomago ronca de fome, Quando não se tem onde morar, Nem se tem direito a um nome? Como é possível falar de paz, Com a justiça dos anacondas, Com os paraísos fiscais, E o povo pagando as contas? Como é possível falar de paz, Com a operação gafanhoto, Explorando e recebendo, O que seria de direito do povo? Como é possível falar de paz, Com tamanho desemprego, Com a redução dos salários, E a violência gerando desespero? Como é possível falar de paz, Com as empresa falindo, Com tanta lágrima no rosto, Ao invés de alegria e sorrisos? Como é possível falar de paz Calam-se os bons homens do mundo, Se nem os Juízes escapam, Da garra dos vagabundos? Como é possível falar de paz, Se o suborno bate nas portas, Se o dinheiro não satisfaz, Se a moral está quase morta? Como é possível falar de paz, A um povo tão sofrido, Que vê seus direitos banidos, E os deveres cada vez mais exigidos? Como é possível falar de paz, Com uma polícia corrompida, Que divide o fruto do roubo, E ajuda a eliminar vidas? Como é possível falar de paz, CPI , pizzas, corrupções
  • 7. 7 Encargos taxas desgraças, As mais altas das nações? Como é possível falar de paz, Com a moral transtornada, Com a inversão de valores, Se até a fé, está abalada? Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada para a Escola Elchaday, no projeto educação para cidadania e paz. 04 - APELO Não escolhi ser menino de rua, Cheirar cola não foi minha opção, De certa forma fui obrigado, A viver nesta triste situação. Em casa sou espancado todo dia, Na rua, tratado como sarnento cão, Como Vira-latas, não tenho dono, Não tenho teto, carinho e nem pão. Nem mesmo as igrejas se abrem, Para do frio e da chuva me abrigar, Fala-se na solidariedade e no amor, Mas ninguém tem tempo pra me amar. Os cachorrinhos comem as migalhas Que caem debaixo das fartas mesa, Mas os cachorrinhos têm dono, E eu, não tenho. Certeza. Não precisa tratar-me como filho, Basta como um dos cachorrinhos, Que têm remédio, casa comida, Outros recebem até muito carinho. Na escola bati os recordes, Em repetência e evasão, Não restando outro caminho, Que me fizesse gente, cidadão. Eu preciso de Lar, de Família. Alguém que me olhe e me dê a mão, Quero e preciso ser tratados como gente, Quero ter a dignidade de um cidadão. A realidade faz de mim um artista, Saí até nas colunas sociais, Mostrando minha vergonha ao mundo, Por ser uma criança sem país e sem pais. Autora: Nascimento, Marilene Carvalho dos Santos. Poesia baseada na realidade levantada por mim quando trabalhei como Conselheira Tutelar, é como se eu desse voz as crianças em forma de poema. 05 - DECLARAÇÕES DE AMOR A MULHER Mulher! Sua beleza mulher, É como as noites de luar, É como estrelas nos céus,
  • 8. 8 É como as ondas no mar. Mulher! Das criaturas é a mais bela, A semente é o seu ventre que gera, Você faz a vida desabrochar. Você é o encanto do lar. Mulher! Gosto de ouvir sua voz, Você é toda delicadeza, Você tem a sensibilidade, Que enche a vida de beleza. Mulher! Você é a melhor companheira, Pra andar lado a lado na estrada, Você é amiga pra vida inteira. Você merece ser muito amada, Mulher! Minha linda e querida mulher, Como é grande seu amor sua fé. É esteio que me ajuda a manter de pé É escolhida, A mulher da minha vida. Mulher! Você tem virtudes tão raras, Você é linda por dentro e por fora, Você é a minha joia mais cara, Minha amiga de todas as horas. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Feita a Pedido da S.A.F. da Igreja Presbiteriana para homenagear as mulheres no dia da Mulher presbiteriana. 06 - DESAFIOS DO CONHECIMENTO Somos desafiados, A desvendar mistérios, A decifrar enigmas, A descobrir segredos. Somos desafiados, A construir conhecimento, Participar das pesquisas, Realizar experimentos. Somos convidados, A embalar no tempo, Fazer comparações, Olhar o firmamento. Vamos passear, Por todas as crenças, Pesquisar o espaço, Navegar nas ciências. Vamos comparar, Fazer misturas de dados, Em conexão entrar, Conquistar o espaço.
  • 9. 9 Vamos desvendar a vida, Descobrir seus mistérios, Para melhor vivê-la, Vivê-la sem receios. Somos desafiados, A usar o conhecimento, Na pratica do bem, Promover o entendimento, Somos desafiados, A promover a paz, A compreender o amor, Que de graça Deus nos dá. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia criada para Escola Elchaday que teve como tema anual do material didático sistema positivo, Os Desafios do Conhecimento. 07- FLORESTA AMAZONICA És a floresta mais densa, Com árvores imensas, Verde como a esperança, Virgem como uma criança! Ofereces agasalhos, Para as aves em seus ninhos. Entre seus ramos e galhos, Abriga os passarinhos. Animais de todas as espécies, Em sua floresta abriga, Animais selvagens e répteis Aves, insetos e formiga. Oh! Manto verde do norte. Não permita sua extinção. Não queremos ver a morte. De animais e vegetação! Relute contra o machado Mantenha verde sua fé Assim como é o seu manto Queremos vê-la de pé. Não queiras ter a insônia De transformar-te em deserto Minha querida Amazônia Mantenha os olhos abertos. Não deixe rasgar teu manto, Porque não terá conserto, Rasgado perde o encanto Transformar-te-á em um deserto? És o pulmão do mundo. Não permita mais desastre, Não deixe que os vagabundos Te explore, te corte e te mate. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 10. 10 Poesia criada para Escola Elchaday na semana do meio ambiente. 08 - INSPIRAÇÕES DE PINTOR Praias, areias e mar, Montanhas ao redor, Palavras não ditas, pintadas, Na inspiração do pintor. Inspiro em mulher bonita, Cheia de charme e de vida, Inspiro também na canção, Que trago no meu coração. Sol, nuvens, estrelas, luar, Cascatas mansas a correr, O vento bailando a inspirar O que quero e devo fazer. Ondas que vem e que vão Coqueiro, borda do litoral, Mulheres lindas, emoção, Eu não pinto tão mal. A natureza me inspira E como viver me revela, Sou pintor da natureza, da vida, Vivo e pinto a vida nas telas. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia para homenagear os artistas plásticos que fazem pintura em tela, dentre eles meu filho Abmael. 09 - HISTORICIDADE E VALORES Buscamos a harmonia, Através da solidariedade, Amando de fato as pessoas, Com respeito e sinceridade. Amamos intensamente a vida, As pessoas e a natureza também. Procuramos viver em harmonia. Viver com alegria faz bem. Cada pessoa tem seu valor, Sua história e seu passado, Tem também um futuro, E o direito de ser respeitado. Buscamos também a harmonia, Procurando ser justo e honesto, Compartilhando com as pessoas, O amor, o mais nobre dos gestos. Valorizamos a historicidade, Dos negros, índios, idosos e deficientes. De pessoas de todas as idades e cidades Respeitamos o direito de ser diferente. Devemos compartilhar e respeitar, A diversidade, historicidade e valores. Nossos pais e mestres amar e honrar. Sermos honestos, solidários e pacificadores.
  • 11. 11 Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada para ser trabalhada pelos Professores na Escola Elchaday com o tema proposto. 10 - IMPRESSÕES NO TEMPO Quem descobriu o fogo? Quem morou na caverna? Quem inventou a roda? A lamparina e a vela? Quem inventou a escrita? A pena e a caneta? Quem escreveu nos pergaminhos? Quem pictografou as cavernas? Como surgiram os idiomas? Qual foi o primeiro linguajar? Como contavam os homens, Quando ninguém sabia contar? Como viviam os poetas? Quais foram suas utopias? Como era a religião, a política, A ciência e a filosofia? Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia Criada para Escola Elchaday Tema anual do material positivo – Impressões no tempo. 11- VOLTANDO NO TEMPO Imagine se o homem da caverna, Visse um avião pelo ar, A conexão da Internet, Documentos saindo de um fax! O que pensaria da clonagem, Da inseminação artificial, Dos mísseis e bombas atômicas, Espalhando horror pelo ar? Se vissem os arranha céus, Pontes viadutos, cidades, Usinas hidrelétricas, Produzindo eletricidade, Produções cientificas, Construções sociais, Impressões no tempo, Linguísticas e culturais. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. A Pedido da professora de Língua Portuguesa da Escola Elchaday para trabalhar o sub-tema do tema Impressões no Tempo. 12 - VALORIZAÇÃO HUMANA. Valoriza-se o ser humano, Com direitos, dignidade e respeito. Valoriza-se o ser humano Com sentimentos, e com tratamento, Cordial, sincero e aberto.
  • 12. 12 Valoriza-se o ser humano, De menor idade até a idade maior. Com coisas simples de grandes efeitos E com grandes coisas como o gigante amor. Valoriza-se o ser humano, Aceitando sua autenticidade, Suas crenças suas verdades, Seu modo de ser sua naturalidade Sua cor seu dialeto e sua diversidade. Valoriza-se o ser humano, Em uma relação de respeito, Pois o ser humano não é completo, Ele se realiza e se completa nas Interações e relações com os outros. Valoriza-se o ser humano, Quando se sabe valorizar a si mesmo. Quando se é capaz de colocar no lugar do outro. E em situações conflitantes ou desconcertantes, Sabe compreender sem censurar, Dando apenas o exemplo. Um grande exemplo de amor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Criada como tarefa de um curso ministrado pela Editora Positivo para sintetizar o conteúdo ministrado na palestra. 13 - ORAÇÃO PELA PÁTRIA Deus abençoe minha pátria, Abençoe o meu país, Abençoe minha cidade, Faz seu povo um povo feliz. Livra-nos da violência, Vem suprir a falta de pão, Vem suprir a falta de amor, Ensinar-nos a amar os irmãos. Faz da pátria um lugar feliz, De se ver, viver e morar. Faz do povo o povo daqui, Um só povo Senhor em ti. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 14 – ORAÇÃO PELAS AUTORIDADES Abençoa Senhor Mato Grosso, Nosso estado que é promissor. Abençoe também Cuiabá, A cidade onde está o nosso lar. Abençoe Senhor nosso bairro, Nossa quadra e rua também. Nossa casa e o nosso trabalho, Os amigos que tanto queremos bem.. Abençoa Senhor o presidente, E também o governador, Que sejam honestos e decentes,
  • 13. 13 E governem o povo com amor. Abençoe Senhor o prefeito, E também os vereadores, Os deputados estaduais e federais, E também os senadores. Façam que eles sejam honrados, Sejam fieis e leais com a nação. Livra-os do egoísmo cruel, Livra-os da corrupção. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 15 – O LUGAR ONDE MORO Moro no Bairro Três Lagoas, Mas não sou jacaré, Ele mora no Itamaraty, E você de onde é? Ele Mora no São Carlos, Ela mora no Santa Inês, Aquele mora no Planalto, E ela no bairro Araés. Somos todos cuiabanos, Cidadãos mato-grossenses, Somos também brasileiros, De um país bem caliente. Moro no bairro CPA, Ele no Novo Horizonte, Ela no Novo Mato Grosso, Bem depois daquela ponte. Não importa se eu moro, Na mansão ou na favela, Se torço pro Mixto ou Operário, Faço parte da galera. Como peixe com maxixe, Tomo pó de guaraná, Como farofa de banana, Pesco no rio Cuiabá. Danço cururu e siriri, Toco viola de cocho também, Tomo licor de manga e pequi, Orgulho da terra que a gente tem. Sou cuiabano de chapa e cruz, Moro no coração da América, Sou discípulo de Jesus, Faço parte da galera. Cuiabá de ontem e de hoje, De amanhã e pra sempre, Cidade hospitaleira, Orgulho de nossa gente. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia elaborada para os alunos que estavam estudando sobre naturalidade, sobre os bairros da cidade, e a cultura de Cuiabá, a poesia também foi usada para enfatizar o uso de letras maiúsculas para os nomes próprios e o uso dos pronomes. 16 -MATO GROSSO
  • 14. 14 Mato Grosso, Mato Grosso, Coração do meu Brasil, Que abriga o Pantanal, Cheio de riquezas mil, Mato grosso, Mato Grosso. Que abriga Poconé, Chapada dos Guimarães, E a pequena Santa Fé. Mato Grosso, Mato Grosso, Maior produtor de grãos, Para o consumo interno, E também pra exportação. Estado agropastoril, Pecuária e agricultura forte, Enriquecendo o nosso Brasil, Produzindo bem do Sul ao Norte. Ainda em suas terras abriga, A variada flora pantaneira, Com fauna de espécies raras. Orgulho dessas terras brasileiras. Mato Grosso do progresso, Mato Grosso de vários povos, Que se abre em oportunidades, De negócios e trabalhos novos. Venha conhecer Mato Grosso, Estado em plena expansão, Do agronegócio e turismo, Apresento MT; com orgulho e emoção. Autora: Marilene Carvalho dos Santos nascimento Poesia criada para os alunos da terceira série que tinham como tema de estudo o Estado de Mato Grosso. Na feira cultural e científica do ano de 2006. 17 - LOUVORES A DEUS POR CUIABÁ Louvado seja o teu nome Senhor! Por minha querida Cuiabá. Louvado seja o teu nome Senhor! Pelo meu aconchegante lugar. Louvamos teu nome Senhor, Por viver neste lindo lugar, Caloroso e aconchegante, Onde constitui meu lar. Agradeço-te oh! Bondoso Deus, Por viver e morar aqui, Pelos amigos que conquistei, Pela vida simples e feliz. Obrigado Senhor por Cuiabá! Terra do meu coração Por Mato Grosso e o Brasil! Onde abriga o meu chão. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 15. 15 Poesia criada para trabalhar o amor e o patriotismo, pelo lugar onde nascemos ou moramos, gratidão e agradecimento a Deus por tudo que ele nos proporciona. Na disciplina de geografia trabalhar, município, estado e país e também a naturalidade dos alunos. 18 - PROBLEMAS SOCIAIS DE CUIABÁ Cuiabá de todos nós, Cuiabá de todos os povos, Como todas as cidades, Cobra taxas e impostos. Mas é uma pena que teu povo, Parte mora nas favelas, Outra passa sede e fome, Ninguém se importa com elas. Tem crianças nas ruas, Mendigos nas praças, A violência é gritante, Há matanças e desgraças. As ruas esburacadas, Falta luz, falta esgoto, Como poder ser feliz, Este teu humilde povo? Não se pode mais banhar Nos rios Cuiabá e Coxipó. As indústrias soltam esgotos, Virou uma poluição que dá dó. Os peixes estão acabando, Os rios estão morrendo, Porque nossos patrimônios, Estão desaparecendo? Há ruas e calçadas sujas, Córregos entupidos de lixo, Terrenos baldios, cheios. De destroços de todos os tipos. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia feita para a quarta série questionando os problemas sociais do município de Cuiabá. Semana de comemoração do aniversário da cidade ano de 2006 19 - AGIR ECOLOGICAMENTE Se quem fuma, parasse de fumar, Sobraria dinheiro para o pão. Os impostos reduziriam, e gastaria menos, Com as doenças de câncer de pulmão. Se bebida alcoólica fosse abolida, Muitas famílias reestruturariam, Seria restaurada a saúde física, Muitos problemas evitariam. Se o lixo tivesse destino certo, Os esgotos não irão entupir, A cidade não iria feder,
  • 16. 16 Os ratos e insetos iriam sumir. Se as crianças fossem pra escola, Não teríamos meninos na rua não. Se os professores trabalhassem com amor, Reduziria a repetência e a evasão. Se parassem de poluir as águas, Os peixes iriam multiplicar, A fome reduziria e os ribeirinhas, Iria agradecer e melhor se alimentar. Se acabassem com a corrupção, Se investissem em educação, As cadeias esvaziariam, E os ladrões se tornariam cidadãos. Se parassem de desmatar, E começassem a reflorestar, E parassem também de queimar, Reduziria a poluição do ar. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia criada para a quarta série, apontando soluções às criticas feitas na poesia problemas sociais. Para levar o aluno a reflexão e compreensão da importância do seu papel enquanto cidadão pra uma vida melhor. 20 - BRAÇOS QUE ENTRELAÇAM É preciso sair de si mesmo e ir em direção do outro. Fazer o eu girar, em outra direção, pra ouvir a voz do irmão. Dê a chance a si mesmo, abraçando uma vida. Procure viver, aprender a amar, e a curar as feridas. Ninguém vive só, se isolar não é bom, só traz sofrimentos. É preciso aprender, a compartilhar, em todos os momentos. Na alegria e na dor, na saúde ou na enfermidade, É nos piores momentos que conhecemos o amigo de verdade. Se você permitir, desenrolar e sair, desse caracol, Desprender-se para amar, dispor-se a desatar todos os nós. Encontrará a paz, e amigo fará, com certeza. Pois a vida sem pensar apenas em si, tem muito mais beleza. Estenda a mão sem olhar para quem ou quando for. Se precisarem de ti estenda o braço para somar. Os braços que se entrelaçam encontram a força maior. Porque a força do amor nossas forças multiplicará. Quando os homens se unirem em torno de grande ideais. E em elos formar o grande círculo em busca da paz. Jesus com certeza estará junto e dentro de nós. Poderemos sentir sua presença, ouvir sua voz. Autora: Marilene C. S Nascimento. 21 - HOMENS SEM NOME Eles também portavam a imagem e semelhança de Deus, Mas não se deram conta, do significado de suas vidas, Entregues ao desengano, não encontrou entre os humanos. Alguém que lhes dessem, dignidade e guarida.
  • 17. 17 Nome até que tinham... Mendigos...nada... Mas cartão de crédito conta bancária quem diria? Moradores das ruas, miseráveis das calçadas. Mortos com crueldade, naquele triste dia. Ninguém fez nada? Soubemos pela TV? No cumprimento do seu papel social de denunciar. Quem vai por eles chorar, brigar se atrever? Que falta farão se nem impostos podiam pagar? Deus não os deixou de amar, mas Com os humanos não pode contar. Seus representantes recusaram amparar. Aqueles pobres seres humanos a agonizar. Continuam traindo e decepcionando o Criador, Quando se nega aos necessitados dignidade e amor Deus quer amar através de nós e da nossa voz. Agir através das nossas decisões e ações. Uns tão pobres, de dinheiro, bens e direitos. Outros de amor, solidariedade, bondade respeito. Corroídos de ganância, enxerga o próprio umbigo. Vestem-se de milhões enquanto outros, despidos. Recebem tanto de Deus. Porque não compartilhar? As oportunidades a quem lhes foram negadas, Sejam instrumento do qual Deus quer mostrar Seu afago, carinho, amparo, o caminho a estrada Demonstre amor nas atitudes e em verdade. Tire os sem teto, sem nome, sem identidade, Da rua, das favelas, dos becos, das drogas. Que estão padecendo ou cometendo atrocidades. Poderiam ter-lhes dado o pão e o amor, Ao invés de matá-los a pauladas e tiros. Enquanto dormiam amortecidos pelo abandono. Tendo como companhia o sussurrar dos grilos. Os indigentes da rua, não éramos nós, Morreram na indiferença, não era eu nem você, Quem garante que valhamos mais que eles? Nada fizemos para evitar que viessem a morrer? O criador quer através de nós amar? Aos que tem fome quer dar de comer, O seu grande amor Ele quer demonstrar. Aos que tem sede quer, que dar de beber. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Chamaria esta poesia de jornalismo poético e filosófico, contestatório, busco retratar o ocorrido, a omissão, Convocando para uma reflexão quanto a nossa indiferença em relação ao que acontece ao nosso redor. 22- INDIFERENÇA Não importamos com a guerra, Tudo parece tão natural, Cada vez mais indiferentes, Mais parecidos com o animal.
  • 18. 18 É comum não incomodarmos, Com a morte em torno do planeta, Mortes atrozes, velozes e cruéis, De tiro, de fome e morte nas sarjetas. Quanta violência em cena, Quanto cenário de dor, Pintado com a indiferença, Emoldurado com a falta de amor. O homem torna menos humano, Cada dia mais irracional, Não se abala com a violência, Acha tudo muito natural. Centenas de irmãos mortos ou feridos, A golpes de faca, bomba ou tiros, Por causar ou arrumar encrencas, Até quando esta indiferença? Quantos irmãos morrendo nas guerras, Por tráfico, bala perdida, por ideologias. Outros lutando por um pedacinho de terra, Escravizados ou vítimas da pedofilia. Ao assistirmos diuturnamente os noticiários deparamos com tamanha violência, parece não mais nos surpreendermos e isto não é correto, temos que nos importar com as pessoas de todos os lugares do mundo. Afinal somos habitantes de um mesmo planeta. Autora Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 23- INTOLERÂNCIA As crianças nãooooooooooo! Elas são inocentes, Não as use como escudos, Não matem nossa semente. As crianças nãoooooooooo! Chega de violência, Que mal elas fizeram, Para tamanha intolerância? As crianças nãooooooooo!, Elas perfumam a terra, Elas salgam o mundo, Da podridão e da guerra. As crianças nãooooooooo! Delas é o reino dos céus, Porque invadir uma escola Assassinos, covardes e réus? Vidas inocentes foram interrompidas, Nem deixaram o broto crescer, Estúpida e tamanha intolerância, A quem nem viu a vida florescer. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada diante da repulsa e indignação que senti. Como mãe e educadora, fiquei chocada e inconformada com esses ataques a crianças nas escolas. As crianças precisam ser
  • 19. 19 protegidas, amadas e cuidadas. Pois elas veem os adultos como seus protetores. 24- SIMPLESMENTE MULHER Mulher sem voz, Mulher sem alento, Mulher sem teto, Mulher sem sustento. Mulher que chora, Mulher que sorriu, Mulher que canta, Mulher que partiu. Mulher mal amada, Mulher da vida, Mulher da estrada. Mulher ferida. Mulher sábia, Mulher maluca, Mulher consciente, Mulher caduca. Mulher que batalha, Mulher que ama, Mulher que trabalha, Mulher que encanta. Mulher homem, Mulher proteção, Mulher pátria, Mulher nação. Mulher que representa, Mulher que se esconde, Que mora em palácio, Ou debaixo da ponte. Mulher que sente: A dor do parto, A dor da fome, A dor da injustiça, A dor do homem. A dor do engano, A dor do estupro, A dor da ferida. A dor do luto. Mulher cidadã, Mulher realista, Mulher anciã, Mulher Holística. Mulher sem filhos, Mulheres sem alma, Mulher sem amigos, Mulher escrava. Mulher espancada, Mulher incompreendida, Mulher mal amada, Mulher querida. Mulher que afaga, Mulher que apedreja Mulher que acaricia, Mulher que peleja. Mulher desnutrida, Mulher vitaminada, Mulher desprotegida, Mulher amparada. Mulher artista, Mulher professora,
  • 20. 20 Mulher jornalista, Mulher vendedora. Mulher empresária, Mulher lavadeira, Mulher operária, Mulher cozinheira. Mulher de polícia, Mulher de Ladrão, Mulher de político, Mulher coração. Mulher que luta pelos seus direitos De todas as raças tribos e nações Especialmente a mulher brasileira. Que inspira poesia, amor e canção. Poesia criada em 1987 para trabalhar com os alunos o dia da mulher, fazendo um contexto histórico e levando-os a refletir que ainda existem os diversos tipos de mulheres citados na poesia, e levá-los a serem solidários com as lutas das minorias sociais, mulheres negras e indígenas, mulheres que sofrem violência doméstica, estupro, vivem marginalizadas na sociedade. 25- O ESSENCIAL O essencial, É invisível, É imensurável, Às vezes Impercebível. Os olhos penetram, No superficial, O coração perscruta, O essencial. Os olhos da mente, Podem perceber, O que se julga. Essencial ser. Sem enganos cometer. Não pergunte aos olhos, O que é essencial, Ele é enganoso, E o engano é fatal Pergunte a alma, Ela liga ao coração, Para descobrir a essência, A verdade e a razão. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 26 - O AMOR DURA PARA SEMPRE A vida passa tão depressa. A vida vai como uma flor. Que nasce logo murcha. De fato dura só o amor. A beleza é passageira, É efêmera, é terrena, Esta vida vai ligeira, Mesmo que não se tenha pressa. O que vale é o que fica,
  • 21. 21 Além da beleza da flor, O que vale é o que transcende, O que transcende é o amor. O amor resiste ao tempo, Ele transcende até a morte, Mas de todos os amores, Deus é o amor mais forte. O amor jamais acaba. O amor jamais abala. Diante das injustiças, O amor jamais cala. O amor dá vida à alma. O amor transcende a tudo. É o único que não morre. É mais forte que o mundo. AUTORA: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 27 - HOMENAGEN A JORGE AMADO O mortal se imortalizou, Na memória do povo sofrido, Que brasileiro não divertiu, Assistindo "Dona Flor e Seus Dois Maridos"? Como podemos esquecer? Dos "Capitães de Areia" Se as obras de Jorge Amado Ainda corre nas veias? As mulatas brasileiras, Que faceiras olham da janela. Foram tão bem representadas Em "Gabriela Cravo e Canela" As histórias dos velhos tempos, Retratadas em "Tieta", Que esboça a dura realidade, De muitas Brasileiras. As histórias de Jorge Amado, Jamais serão esquecidas, Seus versos e suas obras, Perdurarão por toda a vida. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 28 – A NATUREZA REVELA DEUS Natureza, obra sublime! Manifestação de amor! Anunciação de beleza! Revelação do Criador! Natureza que revela Deus, O infinito, o inatingível, O homem transforma as coisas, Deus é o criador mais incrível! Ele é o princípio e o fim. A sabedoria em essência. O sustentador da vida. Autor de todas as ciências. Quem é capaz de fazer,
  • 22. 22 O fruto germinar e crescer? Serei até capaz de clonar, Mas a essência da vida, Não posso criar. Deus é o autor mais inteligente. Criou formas, dá vida a semente. Criou tudo que não posso criar. Capacitou-nos a recriar e transformar. Quando penso que crio os versos, Ele já sabia o que ia escrever. Com o poder da sua palavra. Tudo criou e fez acontecer. Suas obras Senhor são tão belas! As do céu e também as da terra. Das águas, galáxias e planetas. Te revela Senhor, a natureza! Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 29 - PANTANAL O exuberante pantanal, É um recanto, um aconchego, Plantas abrigam os animais. E o sol se põe no firmamento. O arvoredo se repleta, De aves multicoloridas Até mesmo os galhos secos, Com tuiuiús enchem de vida O pantanal é um paraíso, Um santuário real, Nunca vi lugar mais lindo, Que meu lindo pantanal! Os pássaros vão para os ninhais, Os jacarés para as lagoas, No pantanal, os animais, Dormem ao sereno das garoas. Os igarapés quais mantos verdes, Se aconchegam pra dormir, Escondendo os segredos, Das enormes sucuris. Nas noites a brisa sopra, Sobre o brilho do luar, E o coração pantaneiro, Põe-se em festa a cantar, A alvorada então celebra, Gratos hinos de louvor, O pantanal em festa, Agradece ao criador. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Feira cultural e de ciências com o tema, O Pantanal. 30 – PAPAI Você sempre esteve presente; Partilhando a vida comigo. Você é o meu confidente, Guia conselheiro e amigo.
  • 23. 23 Quando os seus olhos brilham, Os meus brilham contigo. Quando seu semblante recai Dos meus lábios fogem o sorriso. Quando seus lábios sorriem. Alegram o meu coração. Quando enfrenta problemas, Sou eu quem fica em aflição, Mostra-me o caminho da vida. Do amor e da compreensão. Com você meu herói meu amigo Construiremos uma grande nação. Pai você é o espelho, No qual estou a refletir. As lições que me ensinas, Vou procurá-las cumprir. Orgulho de você papai, Por tudo que você é. Peço a Deus que lhe proteja, E fortaleça sua fé. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 31 – DESPATERNIZADOS Queria muito conhecer meu pai, todas as crianças têm pai só eu não o possuo, é possível que existam filhos sem pai? Que acontece que Papai nunca aparece? Quando vejo os coleguinhas falarem de seus pais, dá um nó na garganta porque sequer conheço o meu. Quando chega o dia dos pais na escola, é uma tristeza, os amiguinhos ensaiam poemas, fico pensando meu pai... Meu pai... Será que pelo menos sabe que existo? Duro mesmo é quando perguntam como ele se chama? O que mais gosta de fazer? Quantos anos tem? Nada sei sobre ele, a não ser que existe ou existiu, mas nunca se deu a conhecer. Porque será que algumas crianças não são reconhecidas pelos pais? Deveria haver campanhas de conscientização, reconhecimento e responsabilização de paternidade. Texto escrito por Marilene Carvalho dos Santos Nascimento, ao deparar com estas situações em sala de aula. Como educadora, presenciei muitas vezes a tristeza dos filhos pela ausência paterna. 32 – COMO CONQUISTAR APAZ O Homem precisa entender, Que para a paz conquistar, É preciso unir os esforços, E um grande elo formar. A paz nasce no coração. Espalha-se como um brilho, A paz se estende ao irmão, Quando lhe ofereço um sorriso. Quando rompo meu egoísmo, Dou espaço para a paz reinar, E encontro a paz que preciso, Então meu coração se refaz. A paz é um sonho coletivo, Que todos deveriam sonhar,
  • 24. 24 Pois a paz só será possível, Se todos nela acreditar. A paz promoverá o homem, A paz eliminará a guerra, O homem precisa de paz, Pra viver bem nessa terra. A paz promove a vida, A paz ilumina o mundo, A paz promove o encontro, Torna o amor fecundo. Na paz se usa repartir, O pão com nosso irmão. Como o homem pode sorrir, Se na mesa lhe falta o pão? Todo homem precisa, De amor e dignidade, O mundo alcançará paz, Reduzindo as desigualdades. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 33 - PRESERVANDO A NATUREZA. Somos cidadãos conscientes, Ecológicos e preservadores, Cuidamos do meio ambiente, Da natureza, somos os defensores. Fazemos nosso protesto, Contra a devastação, Derrubadas e queimadas, E também contra a poluição. Amamos as águas dos nossos rios Porque elas matam nossa sede, Abastecem as nossas cidades, Fornece-nos deliciosos peixes. Não joguem lixo e esgotos nas águas, Queremos vê-las limpinha, Não pesquem na piracema, Respeitem os Ribeirinhos. Mantenham as calçadas limpas, Deem destino certo ao lixo, Reciclem e reaproveitem, Evitem o desperdício. Cidadãos mato-grossenses Várzea-grandenses e Cuiabanos, Cuidem bem de nossos recursos Idealizem e executem bons planos, Que devolva a pureza das águas Ajude a salvar o rio Cuiabá, Mantenha a cidade limpa, Pra se ter orgulho de nela morar. Sabemos que a natureza devolve, Os males que a ela se faz, Tenhamos gestos e ações nobres, Para gozarmos saúde e paz. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 25. 25 34 - A NATUREZA PEDE SOCORRO A natureza é o presente, Que recebemos de Deus, Para nos acolher e aconchegar, Ela é um pedacinho do céu. O homem na sua ambição, Vem degradando-a dia a dia, Sem pensar na futura geração, Extraindo o que é de mais valia. O homem precisa perceber, Que os recursos são finitos, Que a natureza pede pra viver. Que o fruto é pra ser dividido! Florestas são devastadas, Animais e plantas extintos Os rios assoreados, As espécies extinguindo. O homem qual animal selvagem, Quer tudo pra si, não divide a caça, Esbanja comida e dinheiro, Outros morrem de fome na praça. O homem explora o irmão, Explora os recursos naturais, Não usa sequer a razão Agem como irracionais. O que se planta se colhe, Não se colhe milho plantando arroz, Se não cuidarmos da natureza, Ela se vingará de nós. Autora: Marilene carvalho dos Santos Nascimento 35 - ADOÇÃO Fazendo uso do verbo amar, Que se conjuga o verbo adotar, No tempo presente, florescendo o futuro, Das crianças sem dono, espalhadas no mundo. A adoção nasce da consciência, Da quebra de tabus e de preconceitos, Para dar a quem não teve respeitado, Os mais sagrados direitos. Direito de ser chamado filho, Ter educação, abrigo pão e amor. Sem apenas ter a marca hereditária Mas, na lógica as marcas do amor. Na ânsia de diminuir os órfãos deste país. Sublima no coração o ato de reproduzir, Gera na alma e no coração o desejo de, Dar a uma criança o direito de ser feliz. E abrindo mão de si em favor de outros, Oferecendo a uma vida novas perspectivas,
  • 26. 26 Inserindo-a no lar,no coração e na família, Que ao ser adotada, encontra amor e guarida. Quando alguém se dispõe a adotar, O coração põe em prática o verbo amar, E começa a gerar nas entranhas da alma, A vida que o amor irá iluminar. Autora: Marilene carvalho dos Santos Nascimento 3366 –– AAMMOORR,, AA EESSSSÊÊNNCCIIAA DDAA VVIIDDAA.. O amor não se resume em palavras, Nas atitudes ele se dá a conhecer. O amor é a mais poderosa força, Sem amor, não há sentido pra viver. O termômetro do amor é a verdade, A lealdade é a arma para o manter, Fidelidade é requisito de quem ama, Pois no amor tudo sofre, tudo espera tudo crê. O amor traz razão à vida. Renova as forças, e refaz a emoção. O amor coloca brilho em nosso rosto, O amor é chama que dá vida ao coração. Como o sol nas manhãs de primavera, Assim aguça o amor nossa visão, Para irmos em direção ao outro, Reconhecê-lo como amigo e irmão. O amor é da vida a essência, Sua linguagem todos podem entender, Mesmo sem dizer, sequer uma palavra, Quem ama cresce, faz a vida florescer. Deus é amor e o amor é dom supremo, Foi por amor que se doou por nós na cruz. Quem do amor quer tirar algum exemplo, O exemplo vivo de amor é o de JESUS. Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 37 – AS ÁGUAS Água azul ou transparente, Água parada ou corrente, Águas que brotam da serra, Garantindo a vida na terra., Água ciclo da vida, Símbolo de um bem eterno, Feto e embrião sobrevivem, Nas águas do ventre materno. (coro) Mas no ventre do planeta, A vida está tornando impossível, Se as águas que nutrem a terra, Estão sendo reduzidas, Estão sendo poluídas, Outras até apodrecidas, Nossos rios estão morrendo, Com eles morrendo a vida.
  • 27. 27 Os animais e as plantas, Que encantam as florestas, Sem água perde o encanto, E são extintos da terra, As águas recusam regar, Areias quentes do deserto, O homem que mora lá, Paga pelo desmatamento. Jesus é a água viva, A única fonte eterna, A da terra é finita, Esta escassa na terra, Para garantir vida às águas, É preciso compromisso, Água requer cuidado e carinho, Ao invés de esgoto e de lixo. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento, Poesia e música feita para a feira cultural e de ciências da terceira série ano de 2003 - tema “As águas 38 - MEDO E OUSADIA DO PROFESSOR Para se libertar e ser libertador. É preciso ter coragem e muita ousadia, Por limite ao medo apavorador, Implantar mudanças no seu dia a dia. Dar um passo hoje, outro amanhã, Com muita clareza e sagacidade, Fazer a política de um educador, Este é o caminho para ser libertador. A prática da educação, Deve ser a construção da cidadania, É nas experiências, riscos e opções, Que os sonhos deixam de ser utopia. Se paga o preço de uma opção, É preciso coragem para experimentar o novo, Incorporar a crença que em Deus tudo posso, É assim que nasce o educador do povo. Autora: Marilene C. S. Nascimento. Inspirado no diálogo de Paulo Freire e Ira Shor Poesia construída para apresentação de um trabalho para o curso de especialização em Planejamento Educacional. 39 - FORMAÇAO INTEGRAL Queremos formar homens, Capazes de transformar, Que além de competência, Conheça a ciência, saiba amar. Queremos formar homens, Que desenvolvam ação, Que se conecte ao próximo, Banindo a exclusão. Homens integrais, sem medo, Não mutilados capazes de criar. Que se desdobrem à frente de si mesmo,
  • 28. 28 Com coragem de se autoantecipar. Queremos homens, que amem a vida. Ame a si mesmo, e a seu próximo, Que julgue a vida, digna de ser vivida, Que saiba aceitar e respeitar o outro. Homens que façam opções com prioridades, Dominem os instintos pela razão, Saibam combater as desigualdades, Seja benção para a nação. Homens, sujeitos de grande força moral, Autênticos, com caráter, independentes, Com estrutura que aceite a autenticidade dos outros, Que seja um marco na história dos povos. Educadora: Marilene Carvalho S. Nascimento. Poesia que retrata os anseios dos educadores brasileiros da qual sou a principal. 40 - REGISTRO Pensando brinco com as palavras. Com elas escrevo os pensamentos, Pensamentos deixam de serem sonhos, E ganham forma de projetos e planos. A ponte o prédio a casa o carro, Foram sonhos antes de serem concretos, Em forma de pensamento adquiriu formas, Em forma de gráficos ou palavras, projetos. Os pensamentos merecem registros, Por banais, impossíveis ou inacabados, Uma ideia transcrita em palavras, Não será apenas um banco de dados. Brilhantes ideias foram para o túmulo. Contendo segredos e enigmas no bojo seu, Imagine se não houvesse registro no mundo, Como saberíamos do que aconteceu? Como saberíamos das galáxias, e planetas? Dos giros da terra, em torno do sol? Sem os registros, do uso das lunetas, Como serviria da experiência que passou? Cada experiência que ficou em registro Serve de base pra novas pesquisas realizar Cada descoberta é base pra nova pesquisa. Registre, até a poesia se deve registrar. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 41 - A FALA Desvia de ti, a tortuosidade da boca, Teus lábios falem, corretamente, Pronunciem palavras, justas e boas., Com elas honrem a Deus e ao semelhante. Não use a fala para enganar e mentir, Nem para falso testemunho dizer,
  • 29. 29 Não use palavras para denegrir. Diga aos outros, o que desejas ouvir. Sua palavra seja sempre agradável, Use bom tom, e palavras afáveis, Palavras otimistas e que não intimida, Palavras de poder, carregadas de vida. Controle o falar para não pecar, Para não exceder e erros cometer, Para depois, ter que se desculpar, E o mal entendido desfazer. Use e abuse de palavras de afirmação, Porque as palavras têm muito poder, Não seja pessimista, acredite então, Que em Deus tudo pode aquele que crê. As tuas palavras devem destilar a sabedoria, Mesmos sendo, duras como a morte fria, Tu tornarás doce o recado amargo, Ao pronunciá-lo num tom adequado. Mesmo em situações conflitantes e difíceis, Como demissão, morte, erros, flagrante, Precisas saber falar e ser compreendido, Precisamos aprender a ouvir e a ser ouvidos. As palavras de amor vão romper o tédio, Na dor, a palavra tem que ter sabor de remédio, Na alegria, ter o doce sabor da euforia, Na tristeza, o poder de arrancar a melancolia. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia criada para reforçar uma palestra a que fui chamada a proferir. Sobre o Tema “Linguagem sã e irrepreensível”. 42 - DESEJOS DOS CUIABANOS Os Cuiabanos querem as crianças na escola, Para as famílias, trabalho, comida e lar, Não querem ver pedintes de esmolas, Quer o resgate de todos que nela morar. Os Cuiabanos querem que seus governantes, Tenham com eles sérios compromissos, De zelar não apenas pelo aspecto físico, Mas também da alma e do espírito. Cuiabá tem espírito e alma, Porque nela existe um povo, É preciso planejar e trabalhar, Pra cuidar BEM do velho e do novo. Não poderá ter medo de investir, Em SAÚDE, TETO E EDUCAÇÃO, Estes são os três grandes pilares, Que dão a um povo a sustentação. Os Cuiabanos estão a reivindicar, O amor de seus governantes, Convocando-os com rigor trabalhar, E cuidar muito bem dos seus diamantes. Cada pessoa é uma joia rara, Seja Cuiabano nato ou por opção,
  • 30. 30 O munícipe que mora em Cuiabá, Quer de fato ser cidadão. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 43 - OS DEZ MANDAMENTOS Não faremos para nós, Imagens de escultura, Adoraremos somente a Deus, Pois dele somos criatura. Fomos criados para a adoração Do Soberano rei e Senhor, Somos a coroa da Sua criação, Criados pra Sua glória e louvor. Somente a Deus devemos adorar. Não tomar o Seu santo nome em vão, Não podemos cobiçar nem roubar, Nem envolver com prostituição. Não podemos matar nem mentir, Nem falso testemunho dizer, Deus conhece o nosso coração, Sabe tudo sobre eu e você. Honremos nosso pai e a nossa mãe, Pra termos longa vida na terra, Este mandamento acompanhado vem, De duas ricas promessas. Guardemos os mandamentos de Deus, O amemos de todo o nosso entendimento, E amemos nosso próximo como a nós mesmo, Este é o resumo de todos os mandamentos. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia que criei para aula de ensino religioso da Escola Evangélica Elchaday. Visando facilitar os alunos a internalizarem os 10 mandamentos. 44 - AMOR DE DEUS. Como eu queria compreender, O grande amor de meu Jesus, Ele transcende o entendimento, Seu amor traz paz, vida e luz. Mas eu percebo que sou pó, Que nunca irei compreender, Só de este amor chegar a mim, Já é motivo pra eu ser feliz. Coro Oh grande amor! Tamanho amor! Amor maior que a terra e o céu, Amor que a tudo transcende! Amor que dá, sem esperar o recebe! Amor de Deus. Como eu queria amar assim, Um amor puro de verdade, Só fluir o bem dentro de mim, Ser só amor minha humanidade. O amor de Deus é bem maior,
  • 31. 31 É impossível comparar, Só Deus é capaz de amar assim, Dar o seu filho para nos salvar. Coro Oh grande amor! Tamanho amor! Amor maior que a terra e o céu! Amor infinito, inigualável! Amor puro, insondável! Amor de Deus. Oh grande amor, tamanho amor! Só Deus é capaz de amar assim, Eu não entendo porque este amor, Chegou a ti e também a mim. Sabemos que nada fizemos, Para este amor merecer, Precisamos pelo menos, Este amor agradecer. Obrigado senhor! Por teu amor, Sei que não sou merecedor, Mas este amor me faz melhor. Faz-me sentir, um vencedor. Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 45- QUERO SER Quero ser o horizonte, Que descortina a sua frente, Nuvem, sol, dia, estrela, ponte, Perfume, xampu, escova e pente! Quero ser o perfume cheiroso, Do xampu dos seus cabelos, Quero ser o sonho gostoso, Quero ser seu travesseiro. Coro Quero na verdade ser a chave, Para abrir os seus segredos, Te amo com toda a força da alma. Com a intensidade da minha vida. Exponho aqui a minha fala, Meu amor, minha querida. .Gostaria de ser seu livro, Para desvendar-me melhor, Queria ser o livro preferido, Que lhe falasse do meu amor. Queria ser a coragem, Para revelar-lhe meus segredos, Meu amor de longa metragem, Um amor cheio de medos. Não me chame de covarde, Mas também não sou valente, Só meu coração tem a arte, De amar-te tão veemente. Quero ser um sujeito atrevido, Pra sussurrar-lhe o meu amor, Inclina bem o seu ouvido, Quero revelar-lhe quem eu sou. Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 32. 32 46 – RELACIONANDO COM A NATUREZA Devemos relacionar, Muito bem com a natureza, Para podermos extasiar, Diante da sua beleza. Não se deve jogar lixo no chão, Nem matar os passarinhos, Temos que ter bom coração, E deixar tudo bem limpinho. Não pescar na piracema, Que é o período da reprodução, Sabemos bem que os peixes, Servem para a alimentação. Não devemos poluir os rios, Pois trazem benefícios pra gente, Abastecem nossas cidades, Suas águas regam as sementes. As sementes produzem frutos, Para a nossa nutrição. Rio poluído mata os peixes, Água suja polui a alimentação. Preferimos alimentos orgânicos, Agrotóxico não tem vez conosco, Somos os mirins preservadores, Defendemos a natureza com gosto. Todos devem ser da natureza, Amigo e preservador Proteger, zelar, cuidar e amar. Tudo que Deus nosso pai criou. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada Para a semana do Meio Ambiente para alunos do ensino fundamental I da Escola Elchaday 47 - RIO CUIABÁ Amamos o Rio Cuiabá, Suas águas matam nossa sede, Abastece nossa cidade, Fornece-nos deliciosos peixes. Não joguem lixo nas águas, Queremos vê-las limpinhas, Não pesquem na piracema, Respeitem os Ribeirinhos, Mantenham as calçadas limpas, Deem destino certo ao lixo, Reciclem e reaproveitem, Sejam contra o desperdício. Fazemos parte do universo, Somos da conscientização, Lutamos em prol da natureza, Nosso lema é preservação.
  • 33. 33 Poesia para feira de Ciências especialmente para a turma da primeira série que tinha como tema “O Rio Cuiabá.” 48 - NOITES DE Quando olho para o céu, Repleto de estrelas. Imagino você e eu, Envolvido no brilho delas. Quando a lua com seu clarão, Desponta entre as montanhas. Observo com atenção, Sentindo uma coisa estranha. coro Cada estrela tem seu brilho, Cada humano uma memória, Em cada noite é refletida, O brilho da nossa história. Histórias de amor vividas, Em plena noite de luar, Com estrelas testemunhando, Nosso jeito de amar, No trajeto das estrelas, O nosso amor ali está, Passeando entre elas, Sobre o brilho do luar, Quando a brisa fria toca, Nossa face nosso olhar, E o vento suave sopra, Nosso amor a sussurrar. Os momentos de amor, Acompanhados de luar, De uma noite estrelada, Nunca irão se apagar. Pois as chamas das estrelas, E o brilho do luar, As manterão acessas, Até a vida terminar. Autora; Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 49 - CORAÇÃO CUIABANO Viola de cocho seu moço, Doce de caju e manga, Pequi e banana da terra, São sementes cuiabanas. Não me confunda seu moço, Sou um cuiabano nato, Meu coração não se engana, Meu ritmo é rasqueado, Gosto de dormir na rede, Da manga, roer o caroço, Comer peixe com maxixe, Tocar viola de coxo. Gosto de pescar no rio, Pintado, piranha e pacu, Aqui não tem tempo frio,
  • 34. 34 Sempre é calor e o céu é azul. Amo esta terra seu moço, Meu coração é cuiabano, Cuiabano da gema do ovo. Orgulho da terra que amo. Minha terra, minha gente. Tem um povo de valor, Que é herói e mui valente, É um povo acolhedor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia feita em Homenagem a Cuiabá pela passagem do seu aniversário dia 08 de abril. 50 - HOMENAGENS A VÁRZEA GRANDE Bem no centro da América, Várzea Grande situada está, Ela é a cidade irmã gêmea, Da capital Cuiabá. Localizada em uma grande várzea, Está é a nossa cidade querida, Por José Vieira de Couto Magalhães, Foi fundada sua história de vida. Várzea grande das rendeiras, Baile de sanfona e violão, Cidade hospitaleira, Pra você faço esta canção. Nesta canção conto sua história, Cidade próspera e industrial, Quem deu nome ao seu aeroporto, Foi o nosso histórico marechal. Marechal Cândido Rondon, Orgulho dos mato-grossenses, Com certeza Rondon também teve, Um coração Várzea Grandense. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada para homenagear a cidade de Várzea Grande vizinha de Cuiabá tendo como linha divisória o Rio Cuiabá. 51 - HOMENAGENS A CUIABÁ Forquilha foi o seu primeiro nome, Dado por Moreira Cabral, A busca das minas de ouro, Nasceu o 1º núcleo populacional. Cuiabá que estás situada, Bem no coração da América, Para mim é a cidade mais bela! Apesar dos seus problemas. Cuiabá de ricos tesouros! Viola de cocho, siriri e cururu, Mostra a cultura do povo, Dançando rasqueado de norte sul.
  • 35. 35 Os povos que para cá vierem, Deve nossa cultura assimilar, Vivenciá-la e dela sentir orgulho, Nossa cultura é peculiar. Minha querida Cuiabá, De um povo, tão gentil, Desde que nasci, moro em ti, Lindo pedaço do Brasil. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia criada para homenagear Cuiabá a cidade onde moro e tive meus filhos que amam de paixão esta cidade, homenagem que faço a eles também. 52-VIOLÊNCIA NÃO Violência não meu irmão, Queremos a paz na terra, Vamos viver em união, Unidos vencer esta guerra. Violência não meu irmão, Violência gera a dor, Violência não meu irmão, Violência é falta de amor. Coro Na paz o egoísmo é vencido, Na paz o amor germina, Na paz todo homem é querido, Na violência a vida termina. Violência não meu irmão, Ela é fruto do ódio cruel, Violência não meu irmão, Ela é amarga como fel. Violência não meu irmão, Violência acaba com a vida, Da criança e do ancião, Tira a paz e a alegria. Violência não meu irmão, Ela só causa terror e mal, Violência não irmão, Violência é coisa animal. Violência não meu irmão, Chega de ta`ta ta ta´tá, Vamos banir a violência, E a paz, vamos celebrar. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. Poesia que tornou música e foi cantada para a campanha da paz e fraternidade da Escola. Projeto Educação para cidadania e paz. 53 – PINTANDO O SETE Sou o pintor boa vida, Gosto de ondas e marés, Gosto de pintar os sete, Do jeito que a vida é. O pincel dirige o coração, Quando pinta um grande amor,
  • 36. 36 O amor e a inspiração, Para o pincel do pintor. Na composição do meu quadro, Procuro inserir valor, Mais o valor mais sagrado, Quem tem para mim é o amor. Sou um pintor boa fama. Com fama de vagabundo, Mas ninguém pinta como eu pinto. As mulheres bonitas do mundo. Sou pintor mui modesto, Gosto de pintar o sete de pé, Deitado ou de qualquer jeito, Do jeito que toca a maré. Sou um pintor atrevido, Criei meu próprio estilo, Pinto quadros que mostra. O amor da mulher pro marido. . Sou pintor de decisão, Pinto o que vejo na frente, Pinto até a imaginação, Pinto o que pinta minha mente. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 54 - HARMONIA NO UNIVERSO Deus criou o mundo perfeito, Coloriu tudo, como é lindo o verde! Cada coisa tem sua forma, seu jeito, São importantes todos os seres! Perfeita harmonia há na criação, Encantamento a deslumbrar, Na vida, nas formas e nas cores, No azul do céu refletido no mar. A natureza em sintonia com a vida Com as cores, as formas e o tempo. A mais perfeita harmonia é sentida Ao observar o firmamento. O brilho dourado das estrelas, As multiformes nuvens nos céus, O universo, galáxias e planetas, Revelando as grandezas de Deus. A chuva o arco íris colorido. O raiar da aurora, o pôr-do-sol. O som dos pássaros aos ouvidos A melodia do rouxinol. Vejo a harmonia inserida Na estampa da natureza. Nas cores, nas formas, da vida. Tudo com tamanha e rara beleza! Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 37. 37 Poesia criada Para Escola Evangélica Elchaday, no ano em que o tema sugerido pelo Material didático positivo foi “Harmonia no Universo. 55 - VENTO Vento que sopra onde quer, Move em toda direção, Conquista o universo, E os versos desta canção. Vento que sopra onde quer, Leva-me ao coração, Daquela linda mulher, Pra quem faço esta canção. coro Sopra, sopra no coração dela, Diz que o meu amor quer tocá-la, Quer balançar seus cabelos, Meus lábios querem beijá-la. Vento que sopra onde quer, Leva-me pra onde quero ir, Quero ir em direção a ela, Hoje mesmo quero partir. Vento que sopra onde quer, Leva-me em tuas asas, Em direção daquela mulher, Que desejo tanto abraçá-la. Vento que sopra onde quer, Embala meus sonhos ao tempo, Quero conquistar esta mulher, Não apenas por um momento, Diz para aquela mulher, Da minha infância perdida, Não consegui esquecê-la, Ela é a mulher da minha vida. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 56 - ACOMODAÇÃO. Onde está a inquietação de outrora, Será que foi embora com a ditadura, Estão extraindo nossos dentes, Estamos ficando só com a dentadura? Perdeu-se a capacidade de indignar, A acomodação se tornou geral, Agora tudo é festa, futebol, carnaval, Os homens perderam o ideal? A globalização chegou engolindo, Enrolando-nos e serpenteando, Aceitamos tudo ainda sorrindo, Acomodados nem sapateamos. Ficamos com os restos e as sobras, Tudo nosso melhor é exportado Pra se obter um pacote de soja, Aqui se paga o preço dobrado. Será que de tanto falar em flores, O povo agora só sente perfume,
  • 38. 38 Incapaz de sentir os fedores, Do esgoto, da corrupção dos imundos. Narizes entupidos não podem cheirar, Com a boca travada não dá pra falar, Sem a capacidade de os ouvidos, ouvir, Os braços cruzados não podem agir. Assistimos passiva a nojenta corrupção Levando o direito a saúde e a educação? Pagamos os impostos mais caros do mundo, Comportamos, como cegos, surdos e mudos. Até quando persistira esta acomodação. Não pintamos a cara nem gritamos naõoooooooo, Do jeito que está não dá, e não pode ficar. O Brasil precisa urgente acordar. Um país tão rico com tamanha arrecadação, Todo mundo deveria ter um lugar pra morar, Se não fosse a praga da corrupção, Toda mesa seria farta de pão. Se os engravatados representantes do povo, Cumprisse o que as suas promessas traz, Abrisse mão de tantos privilégios e gozos, Daria pra construir e fazer muito mais. São privilegiados em detrimento de nós. São apenas seus, e não nosso porta voz Altos salários, imunidade e muitas regalias. A nós trabalhadores a realidade sombria. Pro ladrão de galinha, cadeia, cadeia. Pra corrupção e o mensalão, injeção na veia... O engravatado rouba milhões de direitos e vida O ladrão de galinha fruto do estado definha, definha. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 57 - AMOR, BIBLICO O amor que bíblia fala, É sublime e duradouro, Se doa em prol dos outros, É um amor que é um tesouro. Só é capaz de amar assim. Quem tem Jesus dentro de si, Que abriga no peito o encanto, Do divino Espírito Santo. Só Deus nos ensina amar, Com amor puro e verdadeiro, Ensina aos outros aceitar, Apesar dos seus defeitos. O amor humano é falho, Temporário e efêmero, O de Deus além de eterno, É o amor mais supremo. É um amor que nos perdoa, Que sara as nossas feridas, É um amor que abençoa, E enriquece nossas vidas.
  • 39. 39 Um amor que nos transforma, Trazendo grande renovo, Fazendo-nos cada vez melhores, Depurado como o ouro. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Acredito e busco o amor, creio que é a arma mais forte para vencer qualquer guerra. Até mesmo a guerra interior. 58 - A PAZ TEM INIMIGOS A VENCER Queremos a paz no mundo, Queremos paz nesta terra, Paz não combina com tudo, Paz é o antônimo da guerra. Paz é antônimo de dor, Paz é antônimo de fome, A Paz no amor encerra, Paz é o que querem os homens. Paz não combina com egoísmo, Paz não combina com falsidade, Paz é antônimo de terrorismo, Paz é amiga da verdade. É preciso novo modo de vida Para a paz celebrar, É preciso amar e ceder. Para a paz conquistar. A paz tem inimigos a vencer Paz não combina com favela, Paz não combina com miséria, Paz é sinônimo de esperança, Paz é respeito com as crianças. Paz não se acende com a vela, Paz é uma conquista, uma espera, Paz é um caminho a percorrer, A paz tem inimigos a vencer. Paz é o que conclama o mundo, Paz é antivírus do moribundo, Que luta por um pedaço de terra, E morre sem poder pisar nela. Paz não combina com fome, Nem com a miséria do homem. A paz enxuga as lágrimas, A paz tem a mão que afaga. Paz não contracena com as drogas, Paz coloca o homem a prova, Porque ela é o contra o egoísmo, Nela não há preconceito e racismo Deixe a paz por sorriso em você, Deixe a paz te dominar, Deixe a paz germinar e crescer, Para poder multiplicar. O recado você entendeu, Este é o recado do pai, A minha paz eu vos deixo eu vos dou, É só aprender, usar as armas do amor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 59 - SAÚDE COMPROMISSO COM A VIDA. O brasileiro é um sofredor, Enfrenta sérios problemas, Sofre em todas as áreas,
  • 40. 40 Vive sempre em dilemas. A saúde é um descaso a parte, Morre-se por precário atendimento, Morre-se por falta de medicamento Morre-se tratando de hemodiálise. Morre-se tomando remédios falsos, Aleija-se ou morre por maus tratos, Morre-se tomando remédios vencidos, Morre-se de fome ou desnutrido. Pagamos imposto do pão e da bala, Da água, da luz, do berço que embala, Em tudo que compro o imposto está, Se paga pra tudo. Até para respirar? Pagamos imposto, queremos retorno, Saber onde o dinheiro aplicado está, Se pelos impostos somos massacrados, Temos o direito de vê-los bem aplicado. São taxas e impostos com todos os esses, PIS- IPI -COFINS -ICMS CCL- IRPJ -IPTU- IPVA- INSS. Como se não bastasse criaram a CPMF. De tudo que entra de tudo que sai. Das contas bancárias a CPMF CAI. Com desculpas que é pra em saúde aplicar, E o povo sofrido sempre a suspirar, O suspiro de dor, pelo filho que foi, Morrendo a míngua como se fosse um boi, Pelo filho que morreu, antes de nascer, Porque o hospital negou, o parto fazer. Este povo sofrido, não aguenta mais. Ser destratado nas portas dos hospitais, A quem tem dinheiro, trata com dignidade, Onde está o direito de igualdade? As leis são lindas, mas não são cumpridas. Não há respeito e nem valorização da vida. Os animais têm seus donos e veterinários, O brasileiro entrando na conta do vigário. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento Poesia feita em 1999 – Retratando a indignação da saúde pública no Brasil. (Baseada em fatos ocorridos na sociedade, mas também nos dramas vividos pela minha própria família.) 60 - SEM TETO, SEM TERRA E SEM PÃO. As pessoas correm atrás de dinheiro, De comida, e teto para os abrigar, Existe tanta terra neste país, E muitos sem ter um lugar pra morar, Quantas mansões e casas tão grandes, Com poucas pessoas nelas a morar, Enquanto muitos moram em barracos, Porque uma casa não consegue comprar. Quantas pessoas são despejadas, Todos os dias, sem horizonte, Sem ter sequer o leite das crianças, Vão morar debaixo das pontes, Enquanto não for dividida a renda, Continuarão sem ter onde morar,
  • 41. 41 Crianças sem ter pão, nem merenda, Muitas também, sem poder estudar? Vive-se tão pouco nesta vida aqui, É preciso mudar, pra mudar o país, Urgente fazer a partilha do pão, É preciso ver nosso irmão mais feliz. Será que consegue tranquilo dormir. Os governos e homens de posse desse país, Sabendo que muitos morrendo estão, Por falta de amor, sem teto e sem pão? Se fossemos mais gente, menos animais, Menos egoístas, mais racionais, Diminuiríamos a violência, a prostituição, Extinguiríamos o egoísmo e a corrupção, Para amar é preciso coragem e disposição, Suprir as necessidades de nossos irmãos, Cumprir as leis dos homens e as de Deus, Para construir uma ética e justa nação. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 61 - ALÉM DAS DIFERENÇAS Qual a diferença entre Montanha e vale? Luxo e simplicidade? Mentira e verdade? Os opostos se atraem, Às vezes se repelem, O consenso é necessário, Para equilibrar as diferenças. Diferenças de idade, Diferenças de pensamento, Diferenças de personalidade, Diferença da existência. Diferença entre amor e amizade. Diferença entre guerra e paz. Diferença entre ausência e saudade. Diferença que a diferença faz. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 62 – A VIDA DO PONTO DE VISTA LINGUISTICO Nos sons dos fonemas, Nas grafias das letras, Em quantas palavras, Traduziríamos a vida. Do ponto de vista linguístico, Ela está no sujeito que a vive, No predicado que a qualifica, No verbo que a faz agir. A vida está nas palavras, Faladas, escritas, lidas, oradas. Nos gestos nas expressões faciais
  • 42. 42 Nos sorrisos e nas lágrimas. A vida está na dor e na alegria. Na intenção da prosa ou poesia, Na esperança, na fé, no ato de amor, No nascer da criança, no seu chororô. A vida está em Deus que a dá, E a toma quando menos se espera. Extinguindo os sinais da matéria Para dar lugar a vida eterna. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 63 – ESPORTE É VIDA Esporte é vida, arte, mistura de dor e contentamento, sinaliza os movimentos da vida, nos saltos, nas estripulias do malabarista, no arremesso de peso, nas acrobacias aéreas, nos saltos de para quedas, nos voos de ultraleve, no esquiar sobre a neve. O esporte desafia e afina a vida nas escaladas das montanhas de terra ou de gelo, nos movimentos bruscos ou sincronizados, na harmonia da musica e da dança e no mar se agitando no surfar das ondas. O esporte é a alegria da vitória, o choro e a tristeza da derrota, a perda de uma partida, o ganho de uma corrida, uma luta, um jogo um, adeus quando a vida termina, como a do Airtom Senna. O esporte é um misto de vida, desafio e morte. Composto pelo movimento, como a terra que gira em torno de si mesma, eclipsando com a lua, girando em torno do sol, numa velocidade atlética, marcando as estações dos anos e os próprios anos da vida, mas quanto tempo levará o homem para dar uma volta em torno de sim mesmo? Sim uma volta atlética. Para poder compreender de fato a vida e melhor vivê-la. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 64 - GEOGRAFANDO A VIDA A vida desce pelos campos, rios e mares, Ora presa pela gravidade ora solta pelos ares, Ora aquática, aérea ou terrestre, Até mesmo presa a terra ou a água do ventre. A vida balança nos galhos das árvores, Na palma das mãos, nas forças das almas, Que nutrem o espírito dos seres que falam. Geógrafo a vida, no sol, na lua, no planeta, na toca, na telha da aranha, no mar na areia, na oca, nas montanhas, cobertas de gelo, nos animais de pele ou de pelo, no pelo de couro e no couro do animal. Procurando descubro o tesouro e a que a vida vale muito mais... Muito mais que o ouro. Geógrafo e aspiro da vida o ar puro, o som das cascatas que caminham sem pressa, se espumando de prazer ao rolar pelas pedras, e descem tão mansamente molhando a terra. Mas nos esgotos da rua, nos lixões da cidade, Vejo vidas morrendo por serem esquecidas. Nos cortiços e nas favelas. Ouço os tiros apagando vidas e a fumaça poluindo a atmosfera. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento.
  • 43. 43 65 - DESCOBERTA DA ESCRITA A cultura está presente, No modo de expressar, Na comunicação de um povo, E no seu linguajar. Os gráficos formaram letras. As letras palavras formaram. As palavras formaram os versos, Os versos e frases a escrita criaram. Um livro custava preço de ouro, Levava muito tempo para o produzir. O livro era um valioso tesouro, Que poucos podiam adquirir. Hoje papéis esvoaçam pelo ar, Parece que nunca usaram pergaminho, Depois da descoberta de Gutenberg, Quase todos têm acesso aos livros. Depois da utilização do papiro, E o advento da imprensa, Hoje se tem de tudo para ler, O que presta e o que não presta. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 66 - PARTILHAR Partilhar o nosso pão, Partilhar o nosso amor, Sentir a dor do nosso irmão, Ele sentir a nossa dor. Eis a bela demonstração, Do que é compartilhar, Os segredos do coração, A quem se ama e faz amar. Partilhar é muito bom, Necessário também se faz, Partilhar as desilusões, Que o desencontro traz. Não é difícil partilhar, Alegria e sorrisos, Difícil é partilhar dor, E ser verdadeiro amigo. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 67 - O HORIZONTE O horizonte é largo, Para quem não é estreito. O horizonte é exato, Para os que o olham direito. O horizonte é oportuno, Para os que sabem olhar, Enxergar nele o futuro,
  • 44. 44 Que está a descortinar. O horizonte é a ponte, Levando a oportunidade, Que a vida oferece, Em meio a dificuldade. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 68 -O CAMINHO É preciso saber o que se quer, Para saber qual caminho trilhar, Conhecer os obstáculos, Para podê-los ultrapassar. O único caminho perfeito, É o que conduz ao céu, E este é Jesus Cristo, Unigênito filho de Deus. Há caminhos que parecem direitos, Mas conduzem a morte cruel, Jesus é O caminho A verdade A vida, Andar por ele é trilhar o caminho do céu. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 69 - JESUS O MAIOR PRESENTE É tempo de festejar, O presente da humanidade, Não só porque é o Natal, Porque Jesus é realidade. É tempo de celebração, Nasceu Jesus o Rei dos reis, Devemos estar em comunhão, Pra agradecer o que Deus fez. Festejemos o Natal com alegria, Alegremo-nos no Salvador, Ele veio trazer-nos eterna vida, Redimir-nos por seu amor. Lembremos que o melhor presente, Foi o que nos deu o Criador, Ofereceu-nos o unigênito filho, Pra nos provar o seu grande amor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 70 - INSUBORDINAÇÃO Os filhos querem mandar nos pais, Os empregados nos patrões, Que tempo estamos vivendo? De pura insubordinação. Os pais decretam regras e leis, Os filhos não querem cumprir não, Os chefes delegam, e os empregados; Dizem que isso é coisa de patrão.
  • 45. 45 È comum ouvir empregado dizer: O dono do boi que pegue no chifre. Só quero emprego não quero trabalho. Só estou a fim é do meu salário. Os pais dão ordens aos filhos, Eles fazem os piores rumores. Dizem que só atendem o juiz, E tem que ser juiz de menores. Insubordinação, insubordinação. Pais e patrões sem perceber se tornaram Filhos e empregados, e estes por sua vez. Tornaram-se, pais e empresários. Agora só trabalham pensando nos direitos. Só querem saber do dinheiro dos chefes. Quer mesada, seguro desemprego. Viver à custa dos pais ou do INSS. Quando se chama para fazer uma associação. Dividir lucro, prejuízo e responsabilidade A resposta é não quero mexer com isso não. Quero ganhar o meu, sem dificuldade. Não quero correr risco de ter prejuízo. Quero ter meu salário no final do mês. Qualquer coisa peço a conta, vou embora. Seguro desemprego está aí pra quê? Autora: Nascimento: Marilene C Santos 71 - SEXUALIDADE, DESEJO E PULSÃO A sexualidade permeia toda a trajetória humana, Desde a união dos cromossomos y e x, Sexualidade é a força psíquica, Sexualidade é a essência do existir. A sexualidade está presente do nascimento à morte, Em fases, explica a evolução da afetividade, Revelando em cada uma delas,mudanças fortes, Na forma de sentir o mundo, consoante a maturidade. A sexualidade é energia psíquica afetiva, Em todas as partes do corpo, energia ativa, Que define e traça personalidades, Disse Freud, ao relatar sobre a sexualidade. Freud foi o maluco, analista de si mesmo, Projetou para os humanos o complexo de Édipo, Consciente é difícil admitir suas teorias e exemplos, Só que a base do seu estudo foi o inconsciente. Misturou vários conceitos, teorizou várias experiências, Da castração, sublimação, pulsão, instinto e desejo, Fazendo do estudo, do inconsciente, sua maior ciência, Dos psicanalistas existentes, Freud decifrou mais segredos. Mas se Freud pudesse viver nosso momento, Perceberia que está um tanto ultrapassado, Homens e mulheres são iguais perante a lei, Mulher desejar ter pênis é coisa do passado.
  • 46. 46 Veria nas esquinas das ruas, nas surdinas da noite, Muitos homens travestidos de mulher, Veria que alguns homens as invejam na verdade, Liberdade teria para assumir sua sexualidade.. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 72 - GRÁFICO DA VIDA Nas entranhas da alma, no profundo do ser, Há tantos segredos, difíceis de dizer. Quando o tempo passa, e não dá pra contar, Grava-se no gráfico da vida, sem legendar. Cada pessoa tem no gráfico da vida, Uma dor, uma passagem, uma ferida, Que é difícil de tocar, e às vezes falar, Porque a fala será incompreendida. Pessoas são amadas de forma tão ardente, Sem saber deste amor à existência, E quantos amores continuam latentes, Sem revelar Sufocando do amor a semente. As Barreiras impedem de expormos as feridas, Com medo que elas venham sangrar, Quem não tem um passado na vida, Que não conseguiu ou consegue explicar? Quanta coisa esclarecida, sob único olhar. Enquanto o outro não pode se explicar, Se o gráfico da vida desse a explicação, Com o esclarecimento, tamanha a emoção! É preciso se perdoar e aos outros também, Dispor-se a recomeçar e ficar tudo bem, Sem mágoas ou ressentimentos banais, Amizade e amor refaria e reinaria a paz. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 73 - RETRATO x ESPELHO Quando me olho no espelho, Deparo com meu retrato, Pergunto se de fato sou eu., Pergunto quem sou eu de fato? Tento pegar minha imagem, De perto, tento analisá-la, Cada gesto o espelho repete, Ela é eu tenho que aceitá-la. Descubro desvendo segredos, Cada vez que me olho no espelho, Hoje sou mais velho que ontem, Amanhã terei menos fios de cabelos. Cada dia o espelho não repete, Percebo minha mutabilidade, Embora o retrato permaneça inerte, Semelhança não é igualdade. Olho-me no meu retrato,
  • 47. 47 Imóvel bonito de fato, Mas ele não reflete meu hoje, Ele, sou eu no passado. Só o espelho de fato consegue, Fielmente retratar-me, Atualizar minha imagem, Sem poder enganar-me. Não me deixa esquecer quem sou, O Retrato, o espelho e a visão, Acompanha-me para onde vou, Revive e atualiza minha ilusão. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 74 - RETRATO DO NOSSO AMOR Retratei o nosso amor, No espelho de nossas vidas, Guardei bem o seu retrato, Para olhá-lo todos os dias. Retrato de um amor vivido, Retrato de um amor intenso, Retrato de um amor incontido, Um amor que se foi tão depressa. Quando a saudade apertar, Buscarei lembranças retratadas, Meu coração e mente em alerta, Estarão sempre com elas gravadas. Quando a saudade sufoca, O coração abre a porta, E quando ele não aguenta, Desesperado então ele chora. Coloco o retrato no peito, Em lágrimas ainda imploro, Que este amor que me pegou de jeito, Dê um jeito de ir logo embora. Como pode um grande amor, Assim tão bem retratado, Ser do peito suplantado, Sem provocar tamanha dor? Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 75 – AMOR PROIBIDO No silêncio do meu coração, Brincadeira com sabor de verdade, Vivo um amor tão intenso, Que não pode tornar realidade. Até quando continuará este amor? Não sei se pra eternidade, Quem sabe Deus o arranque de mim, Ou o torne em realidade. Porque sinto tanta vontade, De abraçar e ser abraçado,
  • 48. 48 Sabe-se que os princípios dizem, Não pode, é proibido, é pecado. Só que este amor impossível. Bate em meu peito latente, Torna-me jovem e sonhador, Um adolescente, um sofredor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 76 - MULHER FURACÃO Ela é como furacão, Faz arraso onde passa, Balança o coração, Com o ar de sua graça. Ela é como furacão, Faz ventania na mente, Coloca o corpo em ação, É sagaz como a serpente coro Rodopia,rodopia furacão, Quero bailar em tuas asas, Rodopia com amor e paixão, Neste seu vento me embala. Ela é como furacão, Com esse sorriso picante, Com esse corpão violão, E esse andar provocante. Ela é como furacão, Impetuoso na praça, Levanta tudo que vê, No coração faz devassa. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 77 - LUZ DA AURORA A luz da aurora já raiou já se fez dia, Continuas com os olhos sem enxergar, É o pecado que o impede de ver, As maravilhas que Jesus quer operar. As escamas do pecado que impedem, Enxergar o clarão da salvação, O pecado tem cegado tanta gente, Ele é o símbolo da escuridão. Mas Jesus disse, eu sou a luz eu sou a vida, Quem me segue em trevas não andará, Serei seu guia porei luz no seu caminho, No meu clarão, terão descanso vida e paz. Abra os olhos pra Jesus o Salvador, Deixa o seu brilho te envolver mais e mais, A luz de Cristo gera vida e amor, Comece agora a Jesus glorificar. Quem vem a Cristo. Ele não lançará fora, Vinde a Ele todo que cansado está, Jesus deixou por ti o seu trono de glória, De braços abertos ele está a te esperar.
  • 49. 49 Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 78 - HOMEM Homem! Deus o fez ser especial, Imagem e semelhança de Deus, Sabendo discernir entre o bem e o mal, Para ser representante de Deus afinal. Homem! Não é muito que Deus quer de você, Basta observar para compreender. Homem! Deixa Deus ser o seu senhor, Não seja escravo de si mesmo, Nem tão pouco escravo do sistema, Muito menos escravo do dinheiro. Homem Você é capaz de transformar, Possui sabedoria para edificar, Entendimento para compreender, O plano de Deus para você. Homem! Deus traçou-lhe uma trajetória, Representá-lo bem aqui na terra, Levar o amor, a paz e a esperança, Se esforçar para evitar as guerras. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 79 - HISTÓRIA DE AMOR Quem na vida não teve, Histórias de amor pra contar, Quem no peito não sentiu, Um amor forte de arrasar? Quem na vida não teve, Uma paixão bem ardente, Que não a pode viver, Sufocou-a para sempre? Quem na vida não teve, Um amor de verdade, Que sobrevive a tudo, E ainda vive de saudade? Quem na vida não viveu, Um amor verdadeiro, Impregnado até na alma, No coração e no corpo inteiro? Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 80 - FURIOSO COMO O MAR Como as ondas do mar; Que ora furiosas estão, Espumando pra lá e pra cá;
  • 50. 50 Assim está o meu coração. Estou magoado com ela, Fingiu tanto me amar, Remou no meu barco a vela, Depois o fez naufragar, Brincou com meu coração, Furioso, estou a reclamar. Porque ela me enganou, Gostaria de lhe indagar? Pra bem distante quero fugir, Não quero mais ser enganado, Trair um amor tão grande assim, É um grave e triste pecado. Quero ir pra longe desse lugar. Talvez consiga esquecê-la, Talvez as ondas furiosas do mar, Possa do meu coração removê-la. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 81 - ALIANÇA Nossas vidas entrelaçam, No mais puro sentimento, Trocamos as alianças, Como símbolo e lembrança, Deste nosso lindo momento. Que seja infinito e dure, Que dure para todo sempre, Que ature a dor a guerra, Seja uma aliança eterna, Enquanto vivermos na terra. O amor é compromisso, É pacto pra se viver, Partilhar dor e riso, Tristezas, alegrias e prazer, É pacto feito pra não se dissolver. Duas vidas tornam-se uma só, Eu e você formamos o nós, Lagrima, sorriso e charme, Você é carne da minha carne, Minha voz é sua voz. Nossa vida, nossa casa, Nossos filhos, e labor, Nossas joias preciosas, Conquista dos nossos sonhos, Nossos sonhos de amor. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 82 - AUDIÇÃO Ensina os seus ouvidos, A selecionar o que é bom, O que é bom faz sentido, E faz bem ao coração.
  • 51. 51 Coloque um filtro no ouvido, Para maus conselhos e asneiras Não se deixe ser corrompido, Pelo ouvido e fazer besteiras. Filho ouça a instrução dos pais, Ouça a palavra do Senhor, Aos seus conselhos atentai, Pois por você tem grande amor. Feliz é o homem que dá ouvido, Aos sábios conselhos e instruções, Que vem de Jesus o melhor amigo, E pra nós tem palavras de salvação. Inclina os ouvidos e ouça, As palavras do conhecimento, Guarde-as bem no coração, Inclina-te ao entendimento. Autora – Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. arte 83 - RACISMO Brasil que finge não ser racista, Concebe os negros, como ladrões, Quer dor pior, que a de não ser escravo, Ser livre, mas continuar sendo humilhado. A democracia, e a liberdade, Deve fazer de um povo uma nação, Mas neste país de disfarces, É comum o preconceito e a discriminação. Quantas negras se veem nos Palácios? Quantos negros na televisão? Quando aparecem é pra ser faxineiro, Ou em novelas de escravidão. Quantas paquitas negras nós temos, E apresentadoras de programa infantis? Negra, não conheço, sequer uma, Mas exijo que comece a existir. Não consideram o negro por inteiro, Nunca fazem o papeis principais, Negro ainda é sinônimo de criadagem, Apesar dos disfarces em alguns canais. Quantos negros são marginalizados, Exigem-se deles que sejam 100% melhor, Porque em condições de igualdade, Não se contrata o homem de cor. Autora:Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 84 - AS LEIS DO AMOR Para regulamentar o amor; Deveria constituir uma lei; Aplicá-la com todo rigor; Com imperativo de um rei. No amor é pecado trair;
  • 52. 52 Não se pode enganar; É proibido seduzir; É proibido ludibriar. Colocaria na cadeia, Aquele que finge amar, Deixá-lo-ia a vida inteira, Conjugando o verbo até se cansar. Eu amo, tu amas, ele e ela amam, Quando de fato amar, Não mentirei nesta matéria, A ninguém mais iria enganar. Espera-se então que os réus, Depois dessas leis aprender, Acredite que o amor verdadeiro, Tenha o imperativo de um rei, Que ninguém tenha medo de amar, Nem medo de ser amado também, Que o amor o maior tesouro da vida, Não falte na vida de ninguém. O medo de amar e ser amado, Não poderá nos causar terror, O amor será muito valorizado, Se esta lei entrar em vigor. Autora: Marilene Carvalho Dos Santos Nascimento. 85 - ANALFABETISMO Queria tanto saber ler e escrever, Queria saber qual ônibus tomar, Queria saber uma carta escrever, Ao ter a resposta da carta poder ler. Vida de analfabeto é difícil, Temos trabalho duro e serviçal, Somos lixeiros, ou lavradores, Lavamos roupas ou limpamos o quintal. Ganhamos sempre menos que os outros, Enfrentamos também muita humilhação, Recebemos até bronca da patroa, Por não conseguir fazer sequer anotação. Faz muita falta não saber ler e escrever, Não queiram isto para seus filhos não, Todos terão que estudar e aprender, Para não serem os excluídos da nação. Ninguém deveria ser analfabeto, Dou este conselho para toda a nação, Não deixe os filhos fora da escola, Sem o saber, se vive a escravidão. Não tem idade para quem quer aprender. Basta colocar-se a disposição, Na vida se alcança o que se quer, Quando dispomos aprender essa lição. Todo o esforço deve se fazer, Para erradicar o analfabetismo, Aprender a ler e escrever,
  • 53. 53 Deveria ser um imperativo. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 86 - VIDA CONJUGAL Protagonistas de histórias de amor conjugal Escrevem-se livros, vivenciando vidas. Nem mesmo o escritor e o fecundo leitor, Consegue decifrar amores e paixões, Tenta-se conhecer o enigma do amor, Decifrar códigos dos relacionamentos conjugais. Quem consegue concebê-los e conhecê-los, Tal como ele é no momento exato e de fato? O escritor, o leitor não conhece do amor, Sua profundidade e sua extensão, Como vivê-lo em sua plenitude, Se o que mais se vive, são momentos de paixão? O amor é arte, é vida, é remédio, Que cura o tédio e o ódio cruel, No amor há perdão, há vida e união, Amor é como se fosse um pedaço do céu, O amor é lido, mas não é compreendido, mas ele é, Como balsamo para os que estão feridos. Mas muitos se protegem para o amor não sentir, Porque o amor os torna um tanto infantil, O amor é pureza, alegria e beleza, Vida. Sentida em nova dimensão, O amor é fonte de solução dos problemas, O amor é diferente de paixão, Pelo menos se chega a esta conclusão. O amor nem sempre é correspondido, As pessoas temem amar por inteiro, Os desencontros dificultam os encontros, Que funde em dois um amor verdadeiro. E as pessoas acabam se aceitando, Sem a presença de um amor profundo, Sem de fato amar, assim vão levando, Formando casais, infelizes pelo mundo. Desta relação vem o filho depois, Sendo frutos de lar, desprovidos de amor, Sem presenciar amor na vida dos pais, Os filhos terão dificuldade pra amar. Cansamos de ouvir falar de amor, Mas é difícil de fato o conceber, O amor se torna cada vez mais raro, E muitos casais se separam, sem se entender. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 87 – A VIDA É PARA SER VIVIDA Os sinais de vida estão presentes, Em todos os lugares e dimensões. Manifesta-se em todas as esferas, Nas alturas e nas profundezas, Das coisas simples e complexas da terra. Vida é o começo. Viver é ação. Quando se vive,
  • 54. 54 Vida abundante, Quando se vive, Com o coração. Há seres que organicamente estão vivos, Porém, não vivem, apenas vegetam. Alguns sinais vitais os tornam viventes, Mas não produzem flores, nem frutos. Muito menos sementes. Denominam-se seres vivos, Quem apenas é vivente? Mas a vida é significativa, Quando ela é sentida, Segundo a segundo, Minuto a minuto, Hora a hora, Vivida... degustada, Dia a dia analisada, Mês a mês produzida, Ano a ano construída. Para não descer ao pó, Uma matéria que apenas vegetou, Passou pela vida sem vivê-la. Só tem direito a transcender a vida, Aqueles que tiveram a coragem, De vivê-la com toda intensidade, Apesar das suas adversidades. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 88 – UNICIDADANIA- CIDADANIA PRA TODOS Unicidadania, ci- da -da- nia! Que é isso? Nunca a vi, mas desejo conhecer, Dizem que é amiga dos tubarões, No meu dicionário, ainda não a encontrei. Será que é palavra norte americana? Ou será que veio de Portugal? Será palavra nova ou antiga? Da era moderna ou medieval? Cidadania, unicidadania. Quero ver a sua cara, Quero conhecer você, Cidadania. Unicidadania, Onde você está? Quero chegar até você. Será que é palavra dos analfabetos? Das crianças sem pão e sem teto. Do desempregado pai de família? Quero conhecer a tal cidadania. Procuro-a no dicionário do povo. Que é o dicionário cidadão, mas, O cidadão está no topo da pirâmide Não consigo chegar até ele, e então? Tentarei construir uma escada. Pra subir, mas não quero ir sozinho. Vai que essa cidadania me pega. O que será do meu pobre irmãozinho. Cidadania queremos viver, a cidadania,
  • 55. 55 Cidadania não monossílaba, Cidadania para todas as famílias, Cidadania para todas as silabas. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 89- EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL Pequenos, com ofícios de adultos, Sofrendo sem esperanças, Sem saber ler nem escrever, São exploradas nossas crianças. Muitas estão vivendo, Sem ter direito a infância, Não podem brinca com carrinho ou boneca, Como devem brincar as crianças. Em lugar da caneta lhes dão a foice, Em lugar da escola os canaviais. As crianças estão nas minas, Prostituindo, se drogando, Ou trabalhando nos laranjais. Trabalham arduamente, São marginalizadas, boias frias, Vivendo em ambientes insalubres, Trabalho pesado, forçado. Dia após dia. Muitas delas trabalham apenas. Para se obter um mísero prato de comida. Que perspectiva terá nossas crianças? Não é obrigação do estado, dar-lhes guarida? Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 90 - O VOTO Eu voto nesse ou eu voto naquele. Desde que ele tenha compromisso com o povo O voto não é apenas clicar na urna eletrônica. É compromisso com mudança, com o novo. Será que o voto muda o destino da gente? Votando consciente com certeza mudará. Mas destrói os frutos das sementes. Aqueles que votam simplesmente por votar. Votando a gente outorga ao candidato. O direito de bem nos representar. È necessário, portanto compromisso. De quem vota e de quem votado será. Quem vende o voto não terá direito Pra nada poder reclamar ou reivindicar. Coisa comprada e paga por seu preço. Não terá como o dono a estornar. É preciso razão e coerência. Na hora de escolher em quem votar. Vote em quem tem compromisso e proposta Para a coletividade beneficiar. Autora: Nascimento. Marilene Carvalho dos Santos 91 - JESUS DE NAZARÉ Reconheceram-Te como filosofo, Outros, porém chamaram-Te profeta,
  • 56. 56 Para muitos é o homem mais sábio, Para mim, o Salvador dos poetas. Ès tudo isto e muito mais, Cordeiro de Deus Príncipe da paz, Filosofas, poetizas e profetizas, Mensagens que jamais serão esquecidas. És o princípio e também o fim, O profeta de todos os tempos, És tão grande, mas cabes dentro de mim. Apesar, de não conter-Te o firmamento. Teu nome é Jesus de Nazaré, Minha força, razão da minha fé. Poeta que tantas verdades declarou. Verdades ditas, e vividas com amor. Faço esta homenagem a Ti meu salvador Que dos poetas é o inspirador, Conhece todos os versos que escrevo. Comigo alegra e chora minha dor. Inspira-me poesia e canção, Ensina-me amar e a viver. Vida abundante dá ao meu coração, E melodia para minha canção. Poeta maior, Jesus de Nazaré, Tua filosofia sustenta a minha fé, És o meu exemplo maior, O teu amor me mantém de pé. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 92 - UNIVERSO VISUAL A medicina é uma arte A arte de lidar com a vida Em suas particularidades, Ora vistas, vividas ou sentidas. O olhar do oftalmologista, Devem ir além da vistas, Devem penetrar a alma, Dos olhos doentes refletidas. Deve lançar a luz do seu olhar, Nos olhos cansados, doentes e triste, Pelas enfermidades oculares, Ou pelo mundo que nos olhos existe. É preciso fazer o diagnóstico, Além dos distúrbios visuais do paciente, Se a causa é vírus, fungos ou sífilis, Descobrir o oculto no presente. E preciso planejar o tratamento, Para boa acuidade visual, Devemos evidenciar o valor, Deste grande profissional. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento
  • 57. 57 93 - OLIMPÍADAS DE ATENAS EM 2004 Vários idiomas e dialetos se ouviam falar, No estádio de Atenas, espetáculo de brilho, Onde as vozes, e gritos se faziam ecoar, Numa expressão de festa em grande estilo. A melhor amostra de todas as raízes, Garantindo presença, modalidades de toda sorte, Atletas e delegações de todos os países. Representando a união através dos esportes. No espelho do mundo, retrato da mais bela cena, Que pode espelhar naquele momento exato, Em que se irmanaram apesar das diferenças, Um grande e belo exemplo, naquele cenário. Todos os países do mundo, ricos e pobres, Oportunizados foram de se evidenciar, Mostrar-se ao mundo através dos esportes, Deixando toda diferença, para estar lá. Bem que poderia não ser apenas uma amostra, De como poderiam viver os povos do planeta, Mas que se pudesse tornar real, o compartilhar, Humanizar a vida reduzir as diferenças. Somos um todo oriundo dos mesmos povos, Fragmentados no espaço geográfico do planeta, Bem que poderíamos unir os esforços, Pra banir a ignorância, a fome e as guerras. Bem que poderíamos esforçar arduamente, Como os atletas para as suas provas, Para sermos povo mais nobre, mais decente, Mais humano, mais gente, menos ignorante. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento. 94 - AS CONTROVÉRSIAS DA VIDA. Davi adulterou, mentiu, e enganou; E intencionalmente matou. Sanção amou, apaixonou, À paixão se entregou, e esta o cegou. Salomão para agradar suas mulheres, Altar a outros deuses levantou. Moisés, a um egípcio matou, E na areia mansamente o escondeu. Estes grandes homens mencionados, Controvérsias da historia, erros cometeu. Deixaram reinar e o seu eu, A paixão, a cobiça e a glória, Cometeram erros e a Deus entristeceu, Como fazem muitos nesta vida agora. Cada ação tem sua consequência. Apesar do remorso ou arrependimento sentido Deus perdoa, mas as consequências sofremos. De todos os erros que houvermos cometido
  • 58. 58 Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 95 - AMIGO A quem poderei chamar de amigo? Quem dispõe de fato me ouvir? Quem poderá compartilhar comigo? As desventuras, alegrias e sofrer? A quem poderei chamar de amigo? Quem pode minha dor chorar, Emprestar o seu ombro amigo, Para me reconfortar? Quem me aceita como sou, Poder meu amigo ser, Quem partilhar minha dor, E sofre com o meu sofrer. Quem divide minha alegria, E também meu sofrimento, Conhece meu dia a dia, Compartilha meus momentos. Quem sorri o meu sorriso, Quem chora a minha dor, São poucos nossos amigos, Amigo tem muito valor. Jesus nos chamou de amigos, Se o amarmos e o seguirmos, Se chorarmos com os que choram, E sorrirmos com os que sorriam. São poucos os que podemos, De nossos amigos chamar, Eles são os que mais amamos, Geralmente são nossos pais. São amigos nossos filhos, São amigos nossos irmãos, São amigos os que partilham, Nossa casa nosso pão. Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 96 - ACRÓSTICO DO AMOR Amor é mais, Mais que uma palavra, O amor se esconde no Recôndito da alma. Amor é mais, Mais que um sentimento, O amor é mais que as palavras, Repletas no pensamento. Amor é mais, Mais que nostalgia Olhar de uma criança, Revelando alegria.
  • 59. 59 Amor é mais Muito mais que compromisso, O amor rompe imprevisto, Respeita a vida com seus riscos. Amor é mais Mais que responsabilidade, O amor é a força da verdade, Refletida em nossa veracidade. Amor é mais Mais que maravilhoso, O amor é um verdadeiro Reencontro nos desencontros Autora: Marilene Carvalho Dos Santos Nascimento 97 - QUANTO VALE UMA VIDA Quanto vale uma vida? Mais que o mundo inteiro? Depende de quem analisa Vale ouro ou dinheiro. Quanto vale a vida? Pra uns a vida é tudo, Pra outros ela é fugaz, E a tiram fácil demais. Quanto vale a vida, Que se apaga por tostões? Quanto vale a vida, O pulsar de um coração? Quanto vale a vida? Depende do coração, Se ele tem bolso, Se o bolso tem fundo ou não. Quanto vale a vida? Pra bandido não vale nada, Apenas a sua tem valor, E a de sua família amada. Quanto vale a vida de um filho? Pros pais é o maior tesouro, Pra bandido só filho dele tem valor, A dos outros acaba com um estouro, Quanto vale a vida, Para os governantes? A do povo vale o voto, Só a deles é importante. Pra nossa sociedade, Tem muito valor a vida, De quem tem fama ou dinheiro, Independente da identidade. Quanto vale a vida Dos que vivem na sarjeta? Pra Deus todas têm muito valor, Não importa condição social ou cor. E pra você quanto vale a vida? Autora: Marilene Carvalho dos Santos Nascimento 98 - MEU AMOR POR VOCÊ É assim meu amor por você, Que não pode nem deu para viver,