SlideShare uma empresa Scribd logo
NR 18 – CORTE E AQUENTE 
Por Ana Paula Edling de Barros 
TECNICA DE SEGURANÇA
 Esta Norma Regulamentadora-NR estabelece 
diretrizes de ordem administrativas, de 
planejamento de organização, que objetivam a 
implementação de medidas de controle e 
sistema de segurança nos processos, nas 
condições e no meio ambiente de trabalho. Tem 
como objetivo garantir a prevenção de 
acidentes e doenças do trabalho nas fases de 
projeto e de utilização de máquinas e 
equipamentos.
18.11 OPERAÇÕES DE SOLDAGEM 
E CORTE A QUENTE 
As operações de soldagem e corte a quente 
somente podem ser realizadas por 
trabalhadores qualificados. 
 Nas operações de soldagem e corte a 
quente é obrigatório a utilização de 
anteparo eficaz para proteção dos 
trabalhadores circunvizinhos. O material 
utilizado nesta proteção deve ser do tipo 
incombustível.
 Nas operações de soldagem ou corte a quente de 
vasilhame, tanque ou similar, que envolvam geração 
de gases confinados ou semiconfinados, é obrigatória a 
adoção de medidas preventivas adicionais para 
eliminar riscos de explosão e intoxicação. 
 As ferramentas utilizadas no processo produtivo 
devem ser armazenadas em locais específicos para esta 
finalidade e mantidas organizadas. 
 As máquinas e equipamentos devem manter-se 
estáveis durante sua utilização. 
 Quando as máquinas e equipamentos forem móveis e 
possuírem rodízios, pelo menos dois deles devem ser 
dotados de travas.
12.3 INSTALAÇÕES E DISPOSITIVOS 
ELÉTRICOS. 
 Toda instalação, carcaça, invólucro, blindagem ou 
parte condutora das máquinas e equipamentos que não 
façam parte dos circuitos elétricos, mas que possam 
ficar sob tensão, devem ser aterrados conforme as 
Normas Técnicas oficiais vigentes. 
 As instalações elétricas das máquinas e equipamentos 
que estejam ou possam estar em contato direto ou 
indireto com a água ou com agentes corrosivos devem 
ser projetadas e dispor de meios e dispositivos de modo 
a garantir sua blindagem, estanqueidade, isolamento e 
aterramento, de modo a prevenir a ocorrência de 
acidentes.
Os quadros de energia das máquinas e 
equipamentos devem atender aos 
seguintes requisitos mínimos de 
segurança: 
Possuir porta de acesso mantida 
permanentemente fechada; 
Possuir sinalização quanto ao perigo de 
choque elétrico e restrição de acesso por 
pessoas não autorizadas; 
Ser mantidos em bom estado de 
conservação, limpos e livres de objetos e 
ferramentas; 
Ter os circuitos protegidos e identificados.
12.5 SISTEMAS DE SEGURANÇA EM 
MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 
As zonas de perigo das máquinas e 
equipamentos devem dispor de sistemas 
de segurança, caracterizados por proteções 
fixas, proteções móveis e dispositivos de 
segurança interligados, que garantam a 
proteção integral à saúde e à integridade 
física dos trabalhadores. 
 Paralisar os movimentos perigosos e 
demais riscos quando da ocorrência de 
falhas ou de situações anormais de 
trabalho.
Os sistemas de segurança devem ser 
selecionados e instalados de modo a atender 
aos seguintes requisitos: 
Ter categoria de segurança conforme prévia 
análise de riscos prevista nas Normas 
Técnicas oficiais vigentes; 
Estar sob a responsabilidade técnica de 
profissional legalmente habilitado; 
Estar em conformidade técnica com o 
sistema de comando em que estão 
integrados; 
Ser instalados de modo que não possam ser 
neutralizados;
Para fins de aplicação dessa norma, considera-se 
proteção os elementos especificamente utilizados 
para prover segurança por meio de barreira física, 
classificados em: 
 Proteção fixa: é aquela que deve ser mantida em 
sua posição, isto é, fechada, de maneira permanente 
ou por meio de elementos de fixação, que só 
permitam sua remoção ou abertura com o uso de 
ferramentas específicas; 
 Proteção móvel: proteção que se pode abrir sem 
utilizar ferramentas e que é geralmente ligada por 
elementos mecânicos à estrutura da máquina ou a 
um elemento fixo próximo, devendo estar associada 
a dispositivos de intertravamento.
Estar firmemente fixadas e garantir 
estabilidade e resistência mecânica 
compatíveis com os esforços requeridos; 
Não criar pontos de esmagamento ou 
agarramento com partes da máquina ou 
com outras proteções; 
Não ter extremidades e arestas cortantes 
ou outras saliências perigosas; 
Resistir a intempéries; 
Impedir sua burla; 
Proporcionar condições de higiene e 
limpeza;
Não permitir o acesso à zona de perigo; 
Ter seus dispositivos de intertravamentos, 
utilizados para bloqueio de funções 
perigosas das máquinas, protegidos 
adequadamente contra sujidade, poeiras e 
corrosão; 
Ter ação positiva (atuação de modo 
positivo); 
Não acarretar riscos adicionais.
12.10 ASPECTOS ERGONÔMICOS NOS 
TRABALHOS EM MÁQUINAS E 
EQUIPAMENTOS. 
Nos trabalhos em máquinas e 
equipamentos, obedecido o disposto na 
NR- 17, devem ser adotados princípios 
ergonômicos que visem a adaptação das 
condições de trabalho e a interface 
homem-máquina às características 
psicofisiológicas dos trabalhadores e à 
natureza dos trabalhos a serem 
executados, oferecendo boas condições de 
conforto e segurança no trabalho.
12.11 RISCOS ADICIONAIS. 
Para fins de aplicação dessa norma, 
devem ser considerados os seguintes riscos 
adicionais: 
Substâncias perigosas quaisquer, sejam 
agentes biológicos ou agentes químicos em 
estado sólido, líquido ou gasoso, que 
apresentem riscos à saúde ou integridade 
física dos trabalhadores por meio de 
inalação, ingestão ou contato com a pele, 
olhos ou mucosas. (Citado em outras NRs)
12.12 MANUTENÇÃO, PREPARAÇÃO, 
AJUSTES E REPAROS. 
 E devem ser objeto de planejamento e 
gerenciamento a ser elaborado por profissional 
legalmente habilitado. 
 As manutenções preventivas e corretivas 
deverão ser registradas em livro próprio, ficha ou 
sistema informatizado, contendo cronograma de 
manutenção, as intervenções realizadas, data de 
realização de cada intervenção, o serviço 
realizado, as peças reparadas ou substituídas, as 
condições de segurança do equipamento, se após 
cada intervenção está apto para funcionamento 
em condições seguras e o responsável pela 
execução das intervenções.
A manutenção, reparos, limpeza, ajuste, 
inspeções e outras intervenções que se 
fizerem necessárias devem ser executadas 
somente por profissionais capacitados, 
qualificados ou legalmente habilitados, 
formalmente autorizados pelo 
empregador, com as máquinas paradas, 
adotando-se os seguintes procedimentos:
ATIVIDADE COM MAÇARICO 
 Cilindros: 
 Mantenha os cilindros sempre presos de forma 
apropriada para se evitar quedas; 
 Utilize sempre o capacete do cilindro ao 
transportá-lo; 
 Nunca abra a válvula do cilindro com rapidez; 
 Por medida de segurança, nunca se posicione a 
frente ou atrás dos reguladores de pressão; 
 No cilindro de acetileno, não abra sua válvula 
mais do que três quartos de volta.
 O local deve estar isento da presença de 
inflamáveis, graxa e/ou explosivos. 
 Em área com atmosfera potencialmente 
explosiva, deve-se providenciar mangueira de 
incêndio pressurizada. 
 O carrinho que transporta os cilindros deve ter 
pneu de borracha com o intuito de evitar impacto 
e os cilindros devem estar acorrentados. 
 Fazer o teste no manômetro do cilindro: fechar a 
válvula e verificar se o mostrador indica zero. 
 Manter o local de trabalho limpo e organizado de 
forma a evitar acidentes.
 Para proteção das mangueiras devem ser 
previstos: mecanismo contra o retrocesso das 
chamas na saída do cilindro e chegada do 
maçarico (válvula corta chama), não podem 
apresentar rachaduras, nem ressecamento. 
 Atentar para que peças superaquecidas que não 
caiam sobre as mangueiras do maçarico. 
 Jamais executar cortes onde a extremidade do 
maçarico esteja acima da altura da cabeça do 
colaborador, para evitar uma postura 
inadequada ou até mesmo um acidente.
CANETA DO MAÇARICO
nr 12 treinamento
EPI’S 
 Protetor facial 
 Luvas de raspa 
 Avental de raspa 
 Perneira de raspa 
 Protetor auricular 
 Cinto de segurança com dois talabarte ( quando o 
trabalhos acima de 2 metros de altura).
12.13 SINALIZAÇÃO. 
As máquinas e equipamentos, bem 
como as instalações onde se encontram, 
devem possuir sinalização de segurança 
para advertir os trabalhadores e terceiros 
sobre os riscos a que estão expostos, as 
instruções de operação e manutenção e 
outras informações necessárias para 
garantir a integridade física e a saúde dos 
trabalhadores.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Segurança em Trabalhos de Manutenção
Segurança em Trabalhos de ManutençãoSegurança em Trabalhos de Manutenção
Segurança em Trabalhos de Manutenção
Eliane Damião Alves
 
Nr 12 canteiro de obras
Nr 12   canteiro de obrasNr 12   canteiro de obras
Nr 12 canteiro de obras
jhonatantst
 
Nr 12 __parte_2_
Nr 12 __parte_2_Nr 12 __parte_2_
Nr 12 __parte_2_
Prof Brasil brasil
 
curso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapecocurso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapeco
João Tiago Porto Veloso Leal
 
Nr 12 anexo VII
Nr 12 anexo VIINr 12 anexo VII
Questionário nr 12 nova 2015
Questionário nr 12 nova   2015Questionário nr 12 nova   2015
Questionário nr 12 nova 2015
Leandro Lopes
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
RogrioTorresTorres
 
69436461 nr-12-resumo-pratico
69436461 nr-12-resumo-pratico69436461 nr-12-resumo-pratico
69436461 nr-12-resumo-pratico
Du Mucc
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
Nr 12 __parte_1_
Nr 12 __parte_1_Nr 12 __parte_1_
Nr 12 __parte_1_
Cerejo Brasil
 
Treinamento proteções de maquinas
Treinamento proteções de maquinasTreinamento proteções de maquinas
Treinamento proteções de maquinas
Flaviano Rodrigues
 
Certificado nr 12
Certificado nr 12Certificado nr 12
Certificado nr 12
Marcos Rodrigues
 
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
Pelo Siro
 
Prontuario nr 12
Prontuario nr 12Prontuario nr 12
Prontuario nr 12
João Soares
 
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentosSEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
gelcine Angela
 
Apostila nr 12
Apostila nr 12Apostila nr 12
Lt 019 como manter rompedor com alta eficiencia
Lt 019  como manter rompedor com alta eficienciaLt 019  como manter rompedor com alta eficiencia
Lt 019 como manter rompedor com alta eficiencia
Edivaldo Batista de Oliveira
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
Alexandre Bastos
 
Produtos para NR 12 - segurança no trabalho
Produtos para NR 12 - segurança no trabalhoProdutos para NR 12 - segurança no trabalho
Produtos para NR 12 - segurança no trabalho
Leuze electronic Ltda
 

Mais procurados (19)

Segurança em Trabalhos de Manutenção
Segurança em Trabalhos de ManutençãoSegurança em Trabalhos de Manutenção
Segurança em Trabalhos de Manutenção
 
Nr 12 canteiro de obras
Nr 12   canteiro de obrasNr 12   canteiro de obras
Nr 12 canteiro de obras
 
Nr 12 __parte_2_
Nr 12 __parte_2_Nr 12 __parte_2_
Nr 12 __parte_2_
 
curso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapecocurso-de-nr-12-unochapeco
curso-de-nr-12-unochapeco
 
Nr 12 anexo VII
Nr 12 anexo VIINr 12 anexo VII
Nr 12 anexo VII
 
Questionário nr 12 nova 2015
Questionário nr 12 nova   2015Questionário nr 12 nova   2015
Questionário nr 12 nova 2015
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 
69436461 nr-12-resumo-pratico
69436461 nr-12-resumo-pratico69436461 nr-12-resumo-pratico
69436461 nr-12-resumo-pratico
 
Nr 12
Nr 12Nr 12
Nr 12
 
Nr 12 __parte_1_
Nr 12 __parte_1_Nr 12 __parte_1_
Nr 12 __parte_1_
 
Treinamento proteções de maquinas
Treinamento proteções de maquinasTreinamento proteções de maquinas
Treinamento proteções de maquinas
 
Certificado nr 12
Certificado nr 12Certificado nr 12
Certificado nr 12
 
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
1185024048 equipamentos maquinas_e_ferramentas
 
Prontuario nr 12
Prontuario nr 12Prontuario nr 12
Prontuario nr 12
 
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentosSEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
SEGURANÇA NR-12 COMPARAÇÃO Maquinas e equipamentos
 
Apostila nr 12
Apostila nr 12Apostila nr 12
Apostila nr 12
 
Lt 019 como manter rompedor com alta eficiencia
Lt 019  como manter rompedor com alta eficienciaLt 019  como manter rompedor com alta eficiencia
Lt 019 como manter rompedor com alta eficiencia
 
Treinamento nr 12
Treinamento nr 12Treinamento nr 12
Treinamento nr 12
 
Produtos para NR 12 - segurança no trabalho
Produtos para NR 12 - segurança no trabalhoProdutos para NR 12 - segurança no trabalho
Produtos para NR 12 - segurança no trabalho
 

Destaque

Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte   cenas fortesAcidente do trabalho com disco de corte   cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Universidade Federal Fluminense
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmerilSegurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
Rose Neves
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
Larissa Aguiar
 
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoNr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Mariana Lima
 
Dissertacao fernando rinaldi
Dissertacao fernando rinaldiDissertacao fernando rinaldi
Dissertacao fernando rinaldi
joaofelipeafilhado
 
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quenteOperacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
Cosmo Palasio
 
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturaisGestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
Claudio Ferreira
 
Apostila curso operador de betoneita m e k
Apostila curso operador de betoneita   m e kApostila curso operador de betoneita   m e k
Apostila curso operador de betoneita m e k
KATIA ARAUJO
 
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obrasNr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Robson Peixoto
 
Nr FláVio
Nr   FláVioNr   FláVio
Nr FláVio
guest45ed874
 
Oxi Acetileno1
Oxi Acetileno1Oxi Acetileno1
Oxi Acetileno1
edivaldovasco
 
Soldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
Soldagem pelo processo de Eletrodo RevestidoSoldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
Soldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
Luiz Rafael Resende da Silva
 
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
Eduardo Campos
 
Soldagem com eletrodo revestido
Soldagem com eletrodo revestidoSoldagem com eletrodo revestido
Soldagem com eletrodo revestido
Laís Camargo
 
Curso basico de prevenção de incendio
Curso basico de prevenção de incendioCurso basico de prevenção de incendio
Curso basico de prevenção de incendio
gueto01
 
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
mcsilva021
 
Ciesp nr 12
Ciesp nr 12Ciesp nr 12
Ciesp nr 12
Ndrummond
 
Parte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roqueParte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roque
Pedro William
 
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras rev out 10
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras   rev out 10Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras   rev out 10
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras rev out 10
Joaquim Machado
 

Destaque (20)

Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte   cenas fortesAcidente do trabalho com disco de corte   cenas fortes
Acidente do trabalho com disco de corte cenas fortes
 
Nr 34
Nr 34Nr 34
Nr 34
 
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmerilSegurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
Segurança na oparação de lixadeira e moto esmeril
 
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da ConstruçãoNR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
NR18 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
 
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento ResumoNr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
Nr 12 Maquinas e Equipamento Resumo
 
Dissertacao fernando rinaldi
Dissertacao fernando rinaldiDissertacao fernando rinaldi
Dissertacao fernando rinaldi
 
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quenteOperacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
Operacoes de corte_ solda_e_trabalhos_a_quente
 
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturaisGestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais
 
Apostila curso operador de betoneita m e k
Apostila curso operador de betoneita   m e kApostila curso operador de betoneita   m e k
Apostila curso operador de betoneita m e k
 
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obrasNr 10 e 18 em canteiro de obras
Nr 10 e 18 em canteiro de obras
 
Nr FláVio
Nr   FláVioNr   FláVio
Nr FláVio
 
Oxi Acetileno1
Oxi Acetileno1Oxi Acetileno1
Oxi Acetileno1
 
Soldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
Soldagem pelo processo de Eletrodo RevestidoSoldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
Soldagem pelo processo de Eletrodo Revestido
 
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
Soldagem dicas-de-seguranca-e-instrucoes-da-nr-12
 
Soldagem com eletrodo revestido
Soldagem com eletrodo revestidoSoldagem com eletrodo revestido
Soldagem com eletrodo revestido
 
Curso basico de prevenção de incendio
Curso basico de prevenção de incendioCurso basico de prevenção de incendio
Curso basico de prevenção de incendio
 
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
 
Ciesp nr 12
Ciesp nr 12Ciesp nr 12
Ciesp nr 12
 
Parte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roqueParte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roque
 
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras rev out 10
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras   rev out 10Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras   rev out 10
Apresentação esmerilhadeiras e lixadeiras rev out 10
 

Semelhante a nr 12 treinamento

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.pptNR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
CLADESGOMES1
 
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllllBetoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
carlos silva Rotersan
 
Seguranca maquinas
Seguranca maquinasSeguranca maquinas
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJTREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
segurancaigf
 
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURANR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
Geovanine Miranda
 
Nr 12 canteiro de obras
Nr 12   canteiro de obrasNr 12   canteiro de obras
Nr 12 canteiro de obras
jhonatantst
 
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptxnr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
IvoneSobrinho1
 
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
LucasSantosBitti
 
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.pptApresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
Walison Vinicius
 
NR 12.pdf
NR 12.pdfNR 12.pdf
NR 12.pdf
CristianoDria
 
PONTO3_1.PDF
PONTO3_1.PDFPONTO3_1.PDF
PONTO3_1.PDF
IsabelMaria77
 
Treinamento Operação Segura em Ponte Rolante
Treinamento Operação Segura em Ponte RolanteTreinamento Operação Segura em Ponte Rolante
Treinamento Operação Segura em Ponte Rolante
taiscristianetcos
 
Treinamento NR-12 -Completo.ppt
Treinamento NR-12 -Completo.pptTreinamento NR-12 -Completo.ppt
Treinamento NR-12 -Completo.ppt
SniaCristinadeOlivei1
 
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptxGESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
reinaldomartins9
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Renan Biscaglia
 
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
Carlos Demétrius Rolim Figueiredo
 
Treinamento Ponte Rolante 2020
Treinamento  Ponte  Rolante 2020 Treinamento  Ponte  Rolante 2020
Treinamento Ponte Rolante 2020
Felipe TRAVASSOS
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
Roberta Soares
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
Roberta Soares
 
Ordem de-servico-eletricista
Ordem de-servico-eletricistaOrdem de-servico-eletricista
Ordem de-servico-eletricista
Rerisson Cristiano R Rodrigues
 

Semelhante a nr 12 treinamento (20)

NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.pptNR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
NR 12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS - Copia.ppt
 
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllllBetoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
Betoneiras.pptx lllllllllllllllllllllllllllllll
 
Seguranca maquinas
Seguranca maquinasSeguranca maquinas
Seguranca maquinas
 
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJTREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
TREINAMENTO NR 12.pptx JJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJJ
 
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURANR 35- TRABALHO EM ALTURA
NR 35- TRABALHO EM ALTURA
 
Nr 12 canteiro de obras
Nr 12   canteiro de obrasNr 12   canteiro de obras
Nr 12 canteiro de obras
 
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptxnr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
 
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
06 - nr12-trein-procedimento-martelete-eletrico.pptx
 
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.pptApresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
Apresentacao da NR 12 - norma regulamentadoraNR12xl.ppt
 
NR 12.pdf
NR 12.pdfNR 12.pdf
NR 12.pdf
 
PONTO3_1.PDF
PONTO3_1.PDFPONTO3_1.PDF
PONTO3_1.PDF
 
Treinamento Operação Segura em Ponte Rolante
Treinamento Operação Segura em Ponte RolanteTreinamento Operação Segura em Ponte Rolante
Treinamento Operação Segura em Ponte Rolante
 
Treinamento NR-12 -Completo.ppt
Treinamento NR-12 -Completo.pptTreinamento NR-12 -Completo.ppt
Treinamento NR-12 -Completo.ppt
 
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptxGESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
GESTÃO DR - TREINAMENTO NR 12, 18 E 35 NOVO.pptx
 
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIATrabalho em altura FI ENGENHARIA
Trabalho em altura FI ENGENHARIA
 
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
Nr05+ +dds+-+conto+rato+-+p21+-+nov+20
 
Treinamento Ponte Rolante 2020
Treinamento  Ponte  Rolante 2020 Treinamento  Ponte  Rolante 2020
Treinamento Ponte Rolante 2020
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Trabalho em altura escrevendo....
Trabalho em altura  escrevendo....Trabalho em altura  escrevendo....
Trabalho em altura escrevendo....
 
Ordem de-servico-eletricista
Ordem de-servico-eletricistaOrdem de-servico-eletricista
Ordem de-servico-eletricista
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

nr 12 treinamento

  • 1. NR 18 – CORTE E AQUENTE Por Ana Paula Edling de Barros TECNICA DE SEGURANÇA
  • 2.  Esta Norma Regulamentadora-NR estabelece diretrizes de ordem administrativas, de planejamento de organização, que objetivam a implementação de medidas de controle e sistema de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho. Tem como objetivo garantir a prevenção de acidentes e doenças do trabalho nas fases de projeto e de utilização de máquinas e equipamentos.
  • 3. 18.11 OPERAÇÕES DE SOLDAGEM E CORTE A QUENTE As operações de soldagem e corte a quente somente podem ser realizadas por trabalhadores qualificados.  Nas operações de soldagem e corte a quente é obrigatório a utilização de anteparo eficaz para proteção dos trabalhadores circunvizinhos. O material utilizado nesta proteção deve ser do tipo incombustível.
  • 4.  Nas operações de soldagem ou corte a quente de vasilhame, tanque ou similar, que envolvam geração de gases confinados ou semiconfinados, é obrigatória a adoção de medidas preventivas adicionais para eliminar riscos de explosão e intoxicação.  As ferramentas utilizadas no processo produtivo devem ser armazenadas em locais específicos para esta finalidade e mantidas organizadas.  As máquinas e equipamentos devem manter-se estáveis durante sua utilização.  Quando as máquinas e equipamentos forem móveis e possuírem rodízios, pelo menos dois deles devem ser dotados de travas.
  • 5. 12.3 INSTALAÇÕES E DISPOSITIVOS ELÉTRICOS.  Toda instalação, carcaça, invólucro, blindagem ou parte condutora das máquinas e equipamentos que não façam parte dos circuitos elétricos, mas que possam ficar sob tensão, devem ser aterrados conforme as Normas Técnicas oficiais vigentes.  As instalações elétricas das máquinas e equipamentos que estejam ou possam estar em contato direto ou indireto com a água ou com agentes corrosivos devem ser projetadas e dispor de meios e dispositivos de modo a garantir sua blindagem, estanqueidade, isolamento e aterramento, de modo a prevenir a ocorrência de acidentes.
  • 6. Os quadros de energia das máquinas e equipamentos devem atender aos seguintes requisitos mínimos de segurança: Possuir porta de acesso mantida permanentemente fechada; Possuir sinalização quanto ao perigo de choque elétrico e restrição de acesso por pessoas não autorizadas; Ser mantidos em bom estado de conservação, limpos e livres de objetos e ferramentas; Ter os circuitos protegidos e identificados.
  • 7. 12.5 SISTEMAS DE SEGURANÇA EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS As zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem dispor de sistemas de segurança, caracterizados por proteções fixas, proteções móveis e dispositivos de segurança interligados, que garantam a proteção integral à saúde e à integridade física dos trabalhadores.  Paralisar os movimentos perigosos e demais riscos quando da ocorrência de falhas ou de situações anormais de trabalho.
  • 8. Os sistemas de segurança devem ser selecionados e instalados de modo a atender aos seguintes requisitos: Ter categoria de segurança conforme prévia análise de riscos prevista nas Normas Técnicas oficiais vigentes; Estar sob a responsabilidade técnica de profissional legalmente habilitado; Estar em conformidade técnica com o sistema de comando em que estão integrados; Ser instalados de modo que não possam ser neutralizados;
  • 9. Para fins de aplicação dessa norma, considera-se proteção os elementos especificamente utilizados para prover segurança por meio de barreira física, classificados em:  Proteção fixa: é aquela que deve ser mantida em sua posição, isto é, fechada, de maneira permanente ou por meio de elementos de fixação, que só permitam sua remoção ou abertura com o uso de ferramentas específicas;  Proteção móvel: proteção que se pode abrir sem utilizar ferramentas e que é geralmente ligada por elementos mecânicos à estrutura da máquina ou a um elemento fixo próximo, devendo estar associada a dispositivos de intertravamento.
  • 10. Estar firmemente fixadas e garantir estabilidade e resistência mecânica compatíveis com os esforços requeridos; Não criar pontos de esmagamento ou agarramento com partes da máquina ou com outras proteções; Não ter extremidades e arestas cortantes ou outras saliências perigosas; Resistir a intempéries; Impedir sua burla; Proporcionar condições de higiene e limpeza;
  • 11. Não permitir o acesso à zona de perigo; Ter seus dispositivos de intertravamentos, utilizados para bloqueio de funções perigosas das máquinas, protegidos adequadamente contra sujidade, poeiras e corrosão; Ter ação positiva (atuação de modo positivo); Não acarretar riscos adicionais.
  • 12. 12.10 ASPECTOS ERGONÔMICOS NOS TRABALHOS EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Nos trabalhos em máquinas e equipamentos, obedecido o disposto na NR- 17, devem ser adotados princípios ergonômicos que visem a adaptação das condições de trabalho e a interface homem-máquina às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza dos trabalhos a serem executados, oferecendo boas condições de conforto e segurança no trabalho.
  • 13. 12.11 RISCOS ADICIONAIS. Para fins de aplicação dessa norma, devem ser considerados os seguintes riscos adicionais: Substâncias perigosas quaisquer, sejam agentes biológicos ou agentes químicos em estado sólido, líquido ou gasoso, que apresentem riscos à saúde ou integridade física dos trabalhadores por meio de inalação, ingestão ou contato com a pele, olhos ou mucosas. (Citado em outras NRs)
  • 14. 12.12 MANUTENÇÃO, PREPARAÇÃO, AJUSTES E REPAROS.  E devem ser objeto de planejamento e gerenciamento a ser elaborado por profissional legalmente habilitado.  As manutenções preventivas e corretivas deverão ser registradas em livro próprio, ficha ou sistema informatizado, contendo cronograma de manutenção, as intervenções realizadas, data de realização de cada intervenção, o serviço realizado, as peças reparadas ou substituídas, as condições de segurança do equipamento, se após cada intervenção está apto para funcionamento em condições seguras e o responsável pela execução das intervenções.
  • 15. A manutenção, reparos, limpeza, ajuste, inspeções e outras intervenções que se fizerem necessárias devem ser executadas somente por profissionais capacitados, qualificados ou legalmente habilitados, formalmente autorizados pelo empregador, com as máquinas paradas, adotando-se os seguintes procedimentos:
  • 16. ATIVIDADE COM MAÇARICO  Cilindros:  Mantenha os cilindros sempre presos de forma apropriada para se evitar quedas;  Utilize sempre o capacete do cilindro ao transportá-lo;  Nunca abra a válvula do cilindro com rapidez;  Por medida de segurança, nunca se posicione a frente ou atrás dos reguladores de pressão;  No cilindro de acetileno, não abra sua válvula mais do que três quartos de volta.
  • 17.  O local deve estar isento da presença de inflamáveis, graxa e/ou explosivos.  Em área com atmosfera potencialmente explosiva, deve-se providenciar mangueira de incêndio pressurizada.  O carrinho que transporta os cilindros deve ter pneu de borracha com o intuito de evitar impacto e os cilindros devem estar acorrentados.  Fazer o teste no manômetro do cilindro: fechar a válvula e verificar se o mostrador indica zero.  Manter o local de trabalho limpo e organizado de forma a evitar acidentes.
  • 18.  Para proteção das mangueiras devem ser previstos: mecanismo contra o retrocesso das chamas na saída do cilindro e chegada do maçarico (válvula corta chama), não podem apresentar rachaduras, nem ressecamento.  Atentar para que peças superaquecidas que não caiam sobre as mangueiras do maçarico.  Jamais executar cortes onde a extremidade do maçarico esteja acima da altura da cabeça do colaborador, para evitar uma postura inadequada ou até mesmo um acidente.
  • 21. EPI’S  Protetor facial  Luvas de raspa  Avental de raspa  Perneira de raspa  Protetor auricular  Cinto de segurança com dois talabarte ( quando o trabalhos acima de 2 metros de altura).
  • 22. 12.13 SINALIZAÇÃO. As máquinas e equipamentos, bem como as instalações onde se encontram, devem possuir sinalização de segurança para advertir os trabalhadores e terceiros sobre os riscos a que estão expostos, as instruções de operação e manutenção e outras informações necessárias para garantir a integridade física e a saúde dos trabalhadores.