SlideShare uma empresa Scribd logo
Gestão de riscos e desastres
   (relacionados a perigos) naturais


Seminário      • Claudio José Ferreira

              Pesquisador Científico do Instituto
             Geológico da Secretaria de Estado do
                       Meio Ambiente
                cferreira@igeologico.sp.gov.br


                  14 de dezembro de 2011
Roteiro

                            Referencial Teórico

Considerações Finais



                                     Importância
          Aplicação


                   Método
Referencial Teórico


          RISCO                          ZEE

Política Nacional de Defesa     Diretrizes Metodológicas
         Civil - 1995              para o Zoneamento
                                Ecológico-Econômico do
Estratégia Internacional para
                                       Brasil – 2006
 Redução de Desastres –
        ONU - 2009                 Macrozoneamento
                                Ecológico-Econômico da
 ISO – 31000 – Diretrizes e
                                   Amazônia Legal
Princípios do Gerenciamento
       de Risco - 2009
Conceitos Risco


                Medida de danos ou prejuízos potenciais
  Política
Nacional de
Defesa Civil    Relação existente entre uma ameaça com o grau de
                 vulnerabilidade do sistema receptor a seus efeitos


                Combinação da probabilidade de ocorrência de um
ISDR - ONU          evento e suas consequências negativas


                        Efeito da incerteza sobre objetivos
ISO - 31000      (combinação das consequências de um evento e sua
                             probabilidade de ocorrência)
Análise de Risco



     R = f ( Evento, Vulnerabilidade, Consequências)

Política                                   Danos, Perdas,
            Ameaça      Vulnerabilidade
Nacional                                     Prejuízos
ISDR-
             Perigo     Vulnerabilidade       Exposição
ONU
ISO -
             Fontes        Controle         Consequência
31000


            R = (A, P, F) * (V, Co) * (D, E, C)
Análise de Risco
Diferença Perigo vs Risco
Diferença Perigo vs Risco


             Elemento em Risco
Desastres Nada Naturais


 “Se vocês me permitirem, eu diria que os desastres naturais foram
 extintos quase ao mesmo tempo que os dinossauros” Joaquin Toro
 http://blogs.worldbank.org/latinamerica/comment/reply/529, junho 2011

 Os desastres aparentam ser cíclicos, mas há um continuum de
 desigualdade social, de obsolescência planejada, de indiferença e
 indisposição política, de recusa à renúncia de privilégios e de
 desencorajamento para a mudança social que os tornam não apenas
 permanentes, mas recrudescidos. Norma Valencio, dezembro de 2010

 Thereis no such thing as a 'natural' disaster, only natural hazards.
 Disasters often follow natural hazards. ISDR - ONU
Desastres Nada Naturais



            NÃO NATURAIS   NATURAIS
SOCIEDADE
                                      CHUVAS
Gestão ou Gerenciamento de Risco


                  Estabelecimento do contexto


              Avaliação de risco
                    Identificação do risco


Comunicação                                     Monitoramento
 e consulta            Análise de risco           e revisão



                     Apreciação do risco



                     Tratamento do risco
Gestão ou Gerenciamento de Desastres
Conceitos ZEE

               Exprime o conceito geográfico de zonalidade
               Exprime o conceito geográfico de zonalidade
              através de atributos ambientais que permitem
              através de atributos ambientais que permitem
              diferenciá-la de outras unidades vizinhas, ao
              diferenciá-la de outras unidades vizinhas, ao
  UNIDADE     mesmo tempo em que possui vínculos
              mesmo tempo em que possui vínculos
  UNIDADE
TERRITORIAL   dinâmicos que a articulam a uma complexa
              dinâmicos que a articulam a uma complexa
TERRITORIAL
   BÁSICA     rede integrada por outras unidades territoriais.
              rede integrada por outras unidades territoriais.
   BÁSICA

              Entendida como processo, a análise da escala
               Entendida como processo, a análise da escala
              demanda metodologias que enfatizem relações
               demanda metodologias que enfatizem relações
              e transformações multiescalares, e não apenas
               e transformações multiescalares, e não apenas
  ESCALA
  ESCALA      uma só escala. Reconhece-se o escalonamento
               uma só escala. Reconhece-se o escalonamento
              de processos sociais; as escalas geográficas
               de processos sociais; as escalas geográficas
              não são dadas, nem fixas e exibem profunda
               não são dadas, nem fixas e exibem profunda
              imbricação mútua.
               imbricação mútua.
Escalas Níveis de Gestão de Risco




●
● Política
  Política        1:100.000 – 1:1.000.000
                  1:100.000 – 1:1.000.000
● Planejamento    1:100.000 – 1:10.000
●
  Planejamento    1:100.000 – 1:10.000
●
● Gerenciamento
  Gerenciamento   1:10.000
                  1:10.000   – 1:1000
                             – 1:1000
● Intervenção     1:1.000    – 1:100
●
  Intervenção     1:1.000    – 1:100
Escalas Enfoques ZEE
Importância da Análise de Risco




  Mortes   Desastres   Afetados   Mortes homicídios dolosos
Estatísticas 2011
CONSEQUÊNCIAS POR TIPOS DE EVENTO – 379 registros –
01/12/2010 – 30/09/2011

R$ 46.293.950                                                   R$ 61.662.350

                  R$ 9.080.000
                                                 R$ 4.640.000
                                  R$ 1.648.400

   27227                                                           34348

                     2947            3824

                                                     350

                                                                     48
                      29
     9                                10



Inundações      Escorregamentos   Temporais        Outros          Totais
                      Mortes      Afetados       Prejuízos
Distribuição por tipos de processos

             379 registros – 01/12/2010 – 30/09/2011

                                Inundações             35,1%
                                Alagamentos            23,0%

                                Escorregamentos        19,3%

                                Subsidências           2,1%

                                Erosões lineares       0,8%

                                Erosão fluvial         0,8%

                                Temporais              17,2%

                                Ressacas               1,6%
                                Incêndios Florestais    0,3%
Método
  Tipos de abordagem
Abordagem da paisagem

          Define unidades espaciais (a priori)


Substrato geológico                   Uso e cobertura



           Unidade Territorial Básica (UTB)

             Análise de atributos (modelo)


                      Mapa Temático
Compartimentação fisiográfica



                                Unidade: UBC -
                                Substrato




20km
Uso e Cobertura da Terra
           Unidade: UHCT - Cobertura




20km
Detalhamento Áreas Edificadas




      TIPOLOGIA                 SETORIZAÇÃO
Residencial-comercial- Densidade Estágio Ordenamento
serviços
Grandes                               -
Equipamentos
Espaços Verdes                        -
Urbanos
Áreas desocupadas                     -
Loteamentos                           -
Exemplo Estágio de Ocupação




CONSOLIDADO      EM CONSOLIDAÇÃO   RAREFEITO
Unidades Territoriais Básicas




20km
Características da abordagem da
                paisagem

●
●   Unidade tem limites reconhecíveis no
    Unidade tem limites reconhecíveis no
    terreno
    terreno

●
●   Uniformiza espacialmente atributos de
    Uniformiza espacialmente atributos de
    diferentes natureza, escalas e
    diferentes natureza, escalas e
    resoluções
    resoluções

●
●   Facilita o processamento de dados: um
    Facilita o processamento de dados: um
    plano de informação e uma tabela
    plano de informação e uma tabela
Definição de atributos de interesse
                  1.Amplitude
                  2.Declividade Média
                  3.Densidade de Drenagem
Perigo            4.Densidade de Lineamentos
                  5.Excedente Hídrico
                  6.Uso e Cobertura da Terra
                  1.Densidade de Ocupação
                  2.Estágio de Ocupação
                  3.Ordenamento Urbano
                  4.Índice Abastecimento de Água
Vulnerabilidade   5.Índice Coleta de Esgoto
                  6.Índice Coleta de Lixo
                  7.Índice Instrução
                  8.Índice Renda
                  1.Densidade de População
Dano              2.Exposição
Análise Atributos (modelos)
Aplicação
Aplicação
Aplicação
Aplicação
Considerações Finais




●●   Qual o conceito de risco a ser aplicado? R=P*V*D
     Qual o conceito de risco a ser aplicado? R=P*V*D
●●   Qual a unidade de análise? Unidade Territorial Básica
     Qual a unidade de análise? Unidade Territorial Básica
     UTB
     UTB
●●   Qual a melhor escala? Multiescalar e imbricação de
     Qual a melhor escala? Multiescalar e imbricação de
     escalas
     escalas
●●   Como aplicar mapas de risco em ZEE? Poucas ou
     Como aplicar mapas de risco em ZEE? Poucas ou
     nenhuma aplicação até o momento
     nenhuma aplicação até o momento
Muito Obrigado!


Seminário      • Claudio José Ferreira

              Pesquisador Científico do Instituto
             Geológico da Secretaria de Estado do
                       Meio Ambiente
                cferreira@igeologico.sp.gov.br


                  14 de dezembro de 2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
Maria José Brollo
 
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
Maria José Brollo
 
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
Maria José Brollo
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Maria José Brollo
 
Agostinho Ogura (Cemaden)
Agostinho Ogura (Cemaden) Agostinho Ogura (Cemaden)
Agostinho Ogura (Cemaden)
Sectesclip
 
Defesa civil diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
Defesa civil  diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012Defesa civil  diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
Defesa civil diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
Secretaria Planejamento SC
 
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres NaturaisAtuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Instituto de Pesquisas Ambientais
 
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
Maria José Brollo
 
Sisema mg
Sisema mgSisema mg
Sisema mg
Isabella Galdino
 
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres NaturaisAtuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Instituto de Pesquisas Ambientais
 
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
Maria José Brollo
 
Dany$Oswaldo7SBCG
Dany$Oswaldo7SBCGDany$Oswaldo7SBCG
Dany$Oswaldo7SBCG
Maria José Brollo
 
Monitoramento ambiental
Monitoramento ambientalMonitoramento ambiental
Monitoramento ambiental
Jorgeane Schaefer
 
Desmatamento agosto2011
Desmatamento agosto2011Desmatamento agosto2011
Desmatamento agosto2011
idesp
 
Desmatamento maijunjul2011
Desmatamento maijunjul2011Desmatamento maijunjul2011
Desmatamento maijunjul2011
idesp
 

Mais procurados (15)

Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
Mapeamento de Áreas de Risco de Guaratinguetá - Instituto Geológico -29 de ag...
 
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
PERIGOS E RISCOS GEOLÓGICOS EM CAMPOS DO JORDÃO (SP) : DIAGNÓSTICO EM 2014 - ...
 
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
ITAOCA (SP) : HISTÓRICO DE ACIDENTES E DESASTRES RELACIONADOS A PERIGOS GEOLÓ...
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
 
Agostinho Ogura (Cemaden)
Agostinho Ogura (Cemaden) Agostinho Ogura (Cemaden)
Agostinho Ogura (Cemaden)
 
Defesa civil diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
Defesa civil  diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012Defesa civil  diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
Defesa civil diagnóstico estadual de risco - 26/06/2012
 
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres NaturaisAtuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
 
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
Atuação do Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais. Maria José...
 
Sisema mg
Sisema mgSisema mg
Sisema mg
 
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres NaturaisAtuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
Atuação do Instituto Geológico na Prevenção aos Desastres Naturais
 
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
Itaoca (SP) : histórico de acidentes e desastres relacionados a perigos geoló...
 
Dany$Oswaldo7SBCG
Dany$Oswaldo7SBCGDany$Oswaldo7SBCG
Dany$Oswaldo7SBCG
 
Monitoramento ambiental
Monitoramento ambientalMonitoramento ambiental
Monitoramento ambiental
 
Desmatamento agosto2011
Desmatamento agosto2011Desmatamento agosto2011
Desmatamento agosto2011
 
Desmatamento maijunjul2011
Desmatamento maijunjul2011Desmatamento maijunjul2011
Desmatamento maijunjul2011
 

Destaque

7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
mcsilva021
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Maria José Brollo
 
Política Pública na Prevenção de Desastres Naturais
Política Pública na Prevenção de Desastres NaturaisPolítica Pública na Prevenção de Desastres Naturais
Política Pública na Prevenção de Desastres Naturais
Claudio Ferreira
 
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IGPainel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
Claudio Ferreira
 
1.2 conceito de perigo e risco (fotos)
1.2   conceito de perigo e risco (fotos)1.2   conceito de perigo e risco (fotos)
1.2 conceito de perigo e risco (fotos)
Rui Almeida
 
Promoção da biossegurança nas ações de saúde
Promoção da biossegurança nas ações de saúde Promoção da biossegurança nas ações de saúde
Promoção da biossegurança nas ações de saúde
Wilker Santana
 
Apostila curso operador de betoneita m e k
Apostila curso operador de betoneita   m e kApostila curso operador de betoneita   m e k
Apostila curso operador de betoneita m e k
KATIA ARAUJO
 
nr 12 treinamento
nr 12 treinamento nr 12 treinamento
nr 12 treinamento
pwolter
 
Parte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roqueParte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roque
Pedro William
 
Princípios de biossegurança pdf
Princípios de biossegurança pdfPrincípios de biossegurança pdf
Princípios de biossegurança pdf
Rherysonn Pantoja
 
Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomia
Priscila Freitas
 
Impacto ambiental, analise de riscos
Impacto ambiental, analise de riscosImpacto ambiental, analise de riscos
Impacto ambiental, analise de riscos
UERGS
 
Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
Bianca Mota Machado Araújo
 
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúdeBiossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
Wheverton Teixeira
 
Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança
Juliermeson Morais
 
Treinamanento sobre a.p.r
Treinamanento sobre a.p.rTreinamanento sobre a.p.r
Treinamanento sobre a.p.r
Sergio Luiz Luongo
 
Segurança Oper Serra Circular
Segurança Oper Serra CircularSegurança Oper Serra Circular
Segurança Oper Serra Circular
slideadg
 
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
Brasilio da Silva
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
Juliana Maciel
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
sergio oliveira
 

Destaque (20)

7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)7   conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
7 conceito risco x perigo - neli pieres magnanelli (dvst)
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Redução de Riscos Geol...
 
Política Pública na Prevenção de Desastres Naturais
Política Pública na Prevenção de Desastres NaturaisPolítica Pública na Prevenção de Desastres Naturais
Política Pública na Prevenção de Desastres Naturais
 
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IGPainel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
Painel Terra - Diálogos Ambientais CBH-LN - Claudio _IG
 
1.2 conceito de perigo e risco (fotos)
1.2   conceito de perigo e risco (fotos)1.2   conceito de perigo e risco (fotos)
1.2 conceito de perigo e risco (fotos)
 
Promoção da biossegurança nas ações de saúde
Promoção da biossegurança nas ações de saúde Promoção da biossegurança nas ações de saúde
Promoção da biossegurança nas ações de saúde
 
Apostila curso operador de betoneita m e k
Apostila curso operador de betoneita   m e kApostila curso operador de betoneita   m e k
Apostila curso operador de betoneita m e k
 
nr 12 treinamento
nr 12 treinamento nr 12 treinamento
nr 12 treinamento
 
Parte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roqueParte 1-nova-nr-12-roque
Parte 1-nova-nr-12-roque
 
Princípios de biossegurança pdf
Princípios de biossegurança pdfPrincípios de biossegurança pdf
Princípios de biossegurança pdf
 
Biossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomiaBiossegurança e ergonomia
Biossegurança e ergonomia
 
Impacto ambiental, analise de riscos
Impacto ambiental, analise de riscosImpacto ambiental, analise de riscos
Impacto ambiental, analise de riscos
 
Biossegurança pdf
Biossegurança pdfBiossegurança pdf
Biossegurança pdf
 
Biossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúdeBiossegurança nas ações de saúde
Biossegurança nas ações de saúde
 
Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança Normas de Biossegurança
Normas de Biossegurança
 
Treinamanento sobre a.p.r
Treinamanento sobre a.p.rTreinamanento sobre a.p.r
Treinamanento sobre a.p.r
 
Segurança Oper Serra Circular
Segurança Oper Serra CircularSegurança Oper Serra Circular
Segurança Oper Serra Circular
 
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
Treinamento de Segurança do Trabalho NR -12 Autor Brasilio da Silva - (41)928...
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 

Semelhante a Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais

Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
Maria José Brollo
 
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
Claudio Ferreira
 
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto GeológicoGeotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
Claudio Ferreira
 
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
Claudio Ferreira
 
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
Claudio Ferreira
 
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
Maria José Brollo
 
Eventos naturais de risco - desastes humanos
Eventos naturais de risco - desastes humanosEventos naturais de risco - desastes humanos
Eventos naturais de risco - desastes humanos
Claudio Ferreira
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
Maria José Brollo
 
Bases metodológicas do Planejamento Ambiental
Bases metodológicas do Planejamento AmbientalBases metodológicas do Planejamento Ambiental
Bases metodológicas do Planejamento Ambiental
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
Rafael Galdino Siqueira Nunes
 
Desastres Naturais
Desastres NaturaisDesastres Naturais
Desastres Naturais
Claudio Ferreira
 
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
Secretaria Planejamento SC
 
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
FecomercioSP
 
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
Sistema Ambiental Paulista
 
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
Maria José Brollo
 
Geossistemas e Geodiversidade - Aula prática
Geossistemas e Geodiversidade - Aula práticaGeossistemas e Geodiversidade - Aula prática
Geossistemas e Geodiversidade - Aula prática
Vitor Vieira Vasconcelos
 
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
Maria José Brollo
 
Gt5 parte i
Gt5   parte iGt5   parte i
Gt5 parte i
Procambiental
 
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
Claudio Ferreira
 
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
CICI2011
 

Semelhante a Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais (20)

Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
Prevenção de Desastres Naturais no Estado de São Paulo. Atuação do Instituto ...
 
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
Cjferreira encontro vulnerabilidade_risco_unesp_rio_claro10_11dez2014_vs_11dez14
 
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto GeológicoGeotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
Geotecnologias na cartografias de riscos - Instituto Geológico
 
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
Atuação do Instituto Geológico, SP no gerenciamento de riscos de desastres – ...
 
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
Experiências e aplicações da cartografia geotécnica na gestão urbana: quatro ...
 
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
Avaliação e mapeamento de risco a escorregamentos no município de Guaratingue...
 
Eventos naturais de risco - desastes humanos
Eventos naturais de risco - desastes humanosEventos naturais de risco - desastes humanos
Eventos naturais de risco - desastes humanos
 
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
Programa Estadual de Prevenção de Desastres Naturais e Gestão de Riscos Geoló...
 
Bases metodológicas do Planejamento Ambiental
Bases metodológicas do Planejamento AmbientalBases metodológicas do Planejamento Ambiental
Bases metodológicas do Planejamento Ambiental
 
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
Cadastro de desastres e eventos geodinâmicos no estado de são paulo no períod...
 
Desastres Naturais
Desastres NaturaisDesastres Naturais
Desastres Naturais
 
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
Áreas de risco condicionantes geomorfológicos - 26/06/2012
 
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
 
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
IV EPBio - A preservação de áquas continentais como instrumento para conectiv...
 
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
Avaliação e mapeamento de áreas de risco do Estado de São Paulo - Programa Es...
 
Geossistemas e Geodiversidade - Aula prática
Geossistemas e Geodiversidade - Aula práticaGeossistemas e Geodiversidade - Aula prática
Geossistemas e Geodiversidade - Aula prática
 
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
LEVANTAMENTO DE OCORRÊNCIAS DE INUNDAÇÃO EM REGISTROS DE JORNAIS COMO SUBSÍDI...
 
Gt5 parte i
Gt5   parte iGt5   parte i
Gt5 parte i
 
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
UBCs do Estado de São Paulo: aplicação para análise do perigo de deslizamento...
 
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
Marcia Casseb - Explorando Lições Aprendidas e COnhecendo Modelos de Sucesso ...
 

Mais de Claudio Ferreira

Abordagem territorial: bases para análises ambientais
Abordagem territorial: bases para análises ambientaisAbordagem territorial: bases para análises ambientais
Abordagem territorial: bases para análises ambientais
Claudio Ferreira
 
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
Claudio Ferreira
 
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
Claudio Ferreira
 
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SPQuantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
Claudio Ferreira
 
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
Claudio Ferreira
 
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
Claudio Ferreira
 
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
Claudio Ferreira
 
O Pré-sal: oportunidades para o Brasil
O Pré-sal: oportunidades para o BrasilO Pré-sal: oportunidades para o Brasil
O Pré-sal: oportunidades para o Brasil
Claudio Ferreira
 
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster ManagementRisk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
Claudio Ferreira
 
Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
Plano Diretor Geoprocessamento FortalezaPlano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
Claudio Ferreira
 
App Restingas
App RestingasApp Restingas
App Restingas
Claudio Ferreira
 
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas CosteirosValor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
Claudio Ferreira
 

Mais de Claudio Ferreira (12)

Abordagem territorial: bases para análises ambientais
Abordagem territorial: bases para análises ambientaisAbordagem territorial: bases para análises ambientais
Abordagem territorial: bases para análises ambientais
 
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
O papel da ciência e da academia na redução de risco de desastres - a visão d...
 
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
Compartimentação fisiográfica do Estado de São Paulo: base para análises ambi...
 
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SPQuantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
Quantificação da degradação e risco em áreas mineradas do Litoral Norte, SP
 
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
Escorregamentos em Meio Urbano e Gestão de Risco de Desastres - palestra mini...
 
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
O Instituto Geológico na prevenção de desastres naturais: método de mapeament...
 
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
Participação IAEG 2010 palestra IG 8 outubro 2010
 
O Pré-sal: oportunidades para o Brasil
O Pré-sal: oportunidades para o BrasilO Pré-sal: oportunidades para o Brasil
O Pré-sal: oportunidades para o Brasil
 
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster ManagementRisk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
Risk Analysis of Geological Hazards and Disaster Management
 
Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
Plano Diretor Geoprocessamento FortalezaPlano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
Plano Diretor Geoprocessamento Fortaleza
 
App Restingas
App RestingasApp Restingas
App Restingas
 
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas CosteirosValor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
Valor Paisagístico Dos Ecossistemas Costeiros
 

Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais

  • 1. Gestão de riscos e desastres (relacionados a perigos) naturais Seminário • Claudio José Ferreira Pesquisador Científico do Instituto Geológico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente cferreira@igeologico.sp.gov.br 14 de dezembro de 2011
  • 2. Roteiro Referencial Teórico Considerações Finais Importância Aplicação Método
  • 3. Referencial Teórico RISCO ZEE Política Nacional de Defesa Diretrizes Metodológicas Civil - 1995 para o Zoneamento Ecológico-Econômico do Estratégia Internacional para Brasil – 2006 Redução de Desastres – ONU - 2009 Macrozoneamento Ecológico-Econômico da ISO – 31000 – Diretrizes e Amazônia Legal Princípios do Gerenciamento de Risco - 2009
  • 4. Conceitos Risco Medida de danos ou prejuízos potenciais Política Nacional de Defesa Civil Relação existente entre uma ameaça com o grau de vulnerabilidade do sistema receptor a seus efeitos Combinação da probabilidade de ocorrência de um ISDR - ONU evento e suas consequências negativas Efeito da incerteza sobre objetivos ISO - 31000 (combinação das consequências de um evento e sua probabilidade de ocorrência)
  • 5. Análise de Risco R = f ( Evento, Vulnerabilidade, Consequências) Política Danos, Perdas, Ameaça Vulnerabilidade Nacional Prejuízos ISDR- Perigo Vulnerabilidade Exposição ONU ISO - Fontes Controle Consequência 31000 R = (A, P, F) * (V, Co) * (D, E, C)
  • 8. Diferença Perigo vs Risco Elemento em Risco
  • 9. Desastres Nada Naturais  “Se vocês me permitirem, eu diria que os desastres naturais foram extintos quase ao mesmo tempo que os dinossauros” Joaquin Toro http://blogs.worldbank.org/latinamerica/comment/reply/529, junho 2011 Os desastres aparentam ser cíclicos, mas há um continuum de desigualdade social, de obsolescência planejada, de indiferença e indisposição política, de recusa à renúncia de privilégios e de desencorajamento para a mudança social que os tornam não apenas permanentes, mas recrudescidos. Norma Valencio, dezembro de 2010  Thereis no such thing as a 'natural' disaster, only natural hazards. Disasters often follow natural hazards. ISDR - ONU
  • 10. Desastres Nada Naturais NÃO NATURAIS NATURAIS SOCIEDADE CHUVAS
  • 11. Gestão ou Gerenciamento de Risco Estabelecimento do contexto Avaliação de risco Identificação do risco Comunicação Monitoramento e consulta Análise de risco e revisão Apreciação do risco Tratamento do risco
  • 12. Gestão ou Gerenciamento de Desastres
  • 13. Conceitos ZEE Exprime o conceito geográfico de zonalidade Exprime o conceito geográfico de zonalidade através de atributos ambientais que permitem através de atributos ambientais que permitem diferenciá-la de outras unidades vizinhas, ao diferenciá-la de outras unidades vizinhas, ao UNIDADE mesmo tempo em que possui vínculos mesmo tempo em que possui vínculos UNIDADE TERRITORIAL dinâmicos que a articulam a uma complexa dinâmicos que a articulam a uma complexa TERRITORIAL BÁSICA rede integrada por outras unidades territoriais. rede integrada por outras unidades territoriais. BÁSICA Entendida como processo, a análise da escala Entendida como processo, a análise da escala demanda metodologias que enfatizem relações demanda metodologias que enfatizem relações e transformações multiescalares, e não apenas e transformações multiescalares, e não apenas ESCALA ESCALA uma só escala. Reconhece-se o escalonamento uma só escala. Reconhece-se o escalonamento de processos sociais; as escalas geográficas de processos sociais; as escalas geográficas não são dadas, nem fixas e exibem profunda não são dadas, nem fixas e exibem profunda imbricação mútua. imbricação mútua.
  • 14. Escalas Níveis de Gestão de Risco ● ● Política Política 1:100.000 – 1:1.000.000 1:100.000 – 1:1.000.000 ● Planejamento 1:100.000 – 1:10.000 ● Planejamento 1:100.000 – 1:10.000 ● ● Gerenciamento Gerenciamento 1:10.000 1:10.000 – 1:1000 – 1:1000 ● Intervenção 1:1.000 – 1:100 ● Intervenção 1:1.000 – 1:100
  • 16. Importância da Análise de Risco Mortes Desastres Afetados Mortes homicídios dolosos
  • 17. Estatísticas 2011 CONSEQUÊNCIAS POR TIPOS DE EVENTO – 379 registros – 01/12/2010 – 30/09/2011 R$ 46.293.950 R$ 61.662.350 R$ 9.080.000 R$ 4.640.000 R$ 1.648.400 27227 34348 2947 3824 350 48 29 9 10 Inundações Escorregamentos Temporais Outros Totais Mortes Afetados Prejuízos
  • 18. Distribuição por tipos de processos 379 registros – 01/12/2010 – 30/09/2011 Inundações 35,1% Alagamentos 23,0% Escorregamentos 19,3% Subsidências 2,1% Erosões lineares 0,8% Erosão fluvial 0,8% Temporais 17,2% Ressacas 1,6% Incêndios Florestais 0,3%
  • 19. Método Tipos de abordagem
  • 20. Abordagem da paisagem Define unidades espaciais (a priori) Substrato geológico Uso e cobertura Unidade Territorial Básica (UTB) Análise de atributos (modelo) Mapa Temático
  • 21. Compartimentação fisiográfica Unidade: UBC - Substrato 20km
  • 22. Uso e Cobertura da Terra Unidade: UHCT - Cobertura 20km
  • 23. Detalhamento Áreas Edificadas TIPOLOGIA SETORIZAÇÃO Residencial-comercial- Densidade Estágio Ordenamento serviços Grandes - Equipamentos Espaços Verdes - Urbanos Áreas desocupadas - Loteamentos -
  • 24. Exemplo Estágio de Ocupação CONSOLIDADO EM CONSOLIDAÇÃO RAREFEITO
  • 26. Características da abordagem da paisagem ● ● Unidade tem limites reconhecíveis no Unidade tem limites reconhecíveis no terreno terreno ● ● Uniformiza espacialmente atributos de Uniformiza espacialmente atributos de diferentes natureza, escalas e diferentes natureza, escalas e resoluções resoluções ● ● Facilita o processamento de dados: um Facilita o processamento de dados: um plano de informação e uma tabela plano de informação e uma tabela
  • 27. Definição de atributos de interesse 1.Amplitude 2.Declividade Média 3.Densidade de Drenagem Perigo 4.Densidade de Lineamentos 5.Excedente Hídrico 6.Uso e Cobertura da Terra 1.Densidade de Ocupação 2.Estágio de Ocupação 3.Ordenamento Urbano 4.Índice Abastecimento de Água Vulnerabilidade 5.Índice Coleta de Esgoto 6.Índice Coleta de Lixo 7.Índice Instrução 8.Índice Renda 1.Densidade de População Dano 2.Exposição
  • 33. Considerações Finais ●● Qual o conceito de risco a ser aplicado? R=P*V*D Qual o conceito de risco a ser aplicado? R=P*V*D ●● Qual a unidade de análise? Unidade Territorial Básica Qual a unidade de análise? Unidade Territorial Básica UTB UTB ●● Qual a melhor escala? Multiescalar e imbricação de Qual a melhor escala? Multiescalar e imbricação de escalas escalas ●● Como aplicar mapas de risco em ZEE? Poucas ou Como aplicar mapas de risco em ZEE? Poucas ou nenhuma aplicação até o momento nenhuma aplicação até o momento
  • 34. Muito Obrigado! Seminário • Claudio José Ferreira Pesquisador Científico do Instituto Geológico da Secretaria de Estado do Meio Ambiente cferreira@igeologico.sp.gov.br 14 de dezembro de 2011