SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 85
Baixar para ler offline
Inovação em Saúde Pública
Constantino Sakellarides
São Paulo, Outubro, 2012
“Old faithful”
Geyser do Yellowstone NP
“Old faithful”
Geyser do Yellowstone NP
A human uproar of admiration
an introspective silence ...
Theodore Roszak Where the Wastland Ends, 1972
“Old faithful”
Geyser do Yellowstone NP
... Disneyland is Better!
Inovação …
Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento
Inovação …
Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento
Tecnologia enquadrada na noção de inovação
Inovação …
Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento
Tecnologia enquadrada na noção de inovação
Inovação … contribuir para um mundo melhor
Inovação em saúde pública
Two kinds of health innovations are identified for
inclusion in a i bank:
- Health policy innovations
(driven by policy makers)
and
- Product, service, process innovations
(community/stakeholder’s driven)
Policy
- Led by a legitimate public authority,
- Implies a major paradigm shift in:
- mind-frame,
- health governance principles
- citizen’s role
- organizational philosophy
- information and knowledge use
- outcome orientation,
- Is supportive of community driven innovation.
HEALTH
Added value
KNOWLEDGE
Products
Services
Procedures
SOCIAL
INTERACTIONS
Added value
Creative process
PROCESS, SERVICE, PRODUCT
ECONOMIC
Added value
KNOWLEDGE
Products
Services
Procedures
Creative process
PROCESS, SERVICE, PRODUCT
KNOWLEDGE
Products
Services
Procedures
Creative process
PROCESS, SERVICE, PRODUCT
ECONOMIC
Added value
Health Cluster Portugal - Pólo de Competitividade
Missão
-tornar Portugal num player competitivo na investigação,
concepção, desenvolvimento, fabrico e comercialização de
produtos e serviços associados à saúde,
-em nichos de mercado e de tecnologia seleccionados,
-tendo como alvo os mais exigentes e mais
relevantes mercados internacionais,
- num quadro de reconhecimento da excelência, do seu nível
tecnológico, e das suas competências e capacidades no
domínio da inovação.
Já se encontram disponíveis os novos indicadores estatísticos do Barómetro de Inovação
COTEC. Entre os 52 países analisados, Portugal encontra-se na 30.ª posição, tendo descido
um lugar relativamente ao ano anterior. Por utilizar os recursos e condições
disponíveis para promover a inovação de forma pouco eficiente
Portugal é considerado um país ‘cigarra’.
COTEC
Inovação em saúde pública
Exemplo 1: MICRO
Inovação e literacia em saúde
New England Journal of Medicine, April 2008
Extraído de uma apresentação de K. Mandl, Escola Nacional de Saúde Pública, Junho 2010
Extraído de uma apresentação de K. Mandl, Escola Nacional de Saúde Pública, Junho 2010
Welcome to
Be well. Protected.
… Imagine if you had a way to collect,
store, and share the health information
critical to your family's well-being.
is the new and FREE way to
do just that.
Microsoft, 4 October, 2007
Fevereiro 2008
“At Google, we feel patients should be in charge
of their health information,
and they should be able to grant their
health care providers, family members,
or whomever they choose,
access to this information.
Google Health was developed to meet this need”
0-25 Points >25-33 Points >33-42 Points >42-50 Points
54,85
41,27
57,13
38,76
Netherlands
Ireland
Poland
Greece
Germany
Austria
Spain
Bulgaria
27,%
39,%
41%
44%
45%
55%
57%
61%
FONTE: Kristine Sørensen; researcher, project coordinator HLS-EU
Dept. of International Health, Maastricht University, the Nederlands
Lisboa, 2012
Estudo europeu sobre a literacia em saúde
% da população com
níveis inadequados de
literacia em saúde
1. Health and literacy survey for members of the
diabetes association;
2. Program for improving digital/health literacy:
“learning diary”;
3. Prototype design;
4. Prototype implementation and testing.
Sistemas personalizados
de informação de saúde
EMPOWERMENT
Reposicionamento no sistema de saúde
LITERACIA EM SAÚDE
Utilizar informação inteligentemente
Nas decisões do dia-a-dia relativas à saúde
COMUNICAÇÃO
Interagindo com outros
GESTÃO DA INFORMAÇÃO
Recolher, anotar, organizar, guardar,
processar informação de saúde
Sistema personalizado de
informação de saúde
Pessoas que gerem
a sua informação
de saúde
1. Health and literacy survey for members of the
diabetes association;
2. Program for improving digital/health literacy:
“learning diary”;
3. Prototype design;
4. Prototype implementation and testing.
A SMALL SCALE EXPERIMENT
With a personal health information system
in the Diabetics Association in Barreiro (a town, across the Tagus river from
Lisbon) with approximately 1050 members, but only 65% have diabetes;
1. Health and literacy survey for members of the
diabetes association;
2. Program for improving digital/health literacy:
“learning diary”;
3. Prototype design;
4. Prototype implementation and testing.
1.
Usable way to organize
personal health information
2.
… but easier ways for
information input
are necessary
3.
… how does this usability is
integrated in day-to-day
lifestyles
4.
… outside mainstream
thinking
in current health services
Sistema Personalizado de informação de saúde
Personal Health Information Systems
MEU. SAPO.SAUDE
Personal Health Information System
MEU Sapo Saúde
From a small scale experiment
A large scale implementation and evaluation in partnership
Portuguese Telecom (PT)
Portugal Telecom
Medicamento
Metformina
Gestão do diabético tipo II: “versão vertical” centrada exclusivamente no
medicamento – subir desnecessariamente o preço do tratamento e diminuir a
sua efectividade
Metformina
Pioglitazona
Metformina
Vilgagliptina
Decisão partilhada
no uso do medicamento
Medicamento Alimentação Exerc. físico Stress Genética
Acesso
Cuidados
Boas
Razoável
Má Muito
Nada
Pouco Bastante
Muito Pouco
Metformina
Metformina
Pioglitazona
Metformina
Vilgagliptina
Pouca Intensa
Alguma Alguma
Nenhuma
Muita
Gestão do diabético tipo II: versão horizontal – compromisso partilhado para
uma terapêutica mais efectiva e vantajosa economicamente
Decisão integrada horizontalmente
HEALTH
Added value
KNOWLEDGE
Products
Services
Procedures
SOCIAL
INTERACTIONS
Added value
Creative process
PROCESS, SERVICE, PRODUCT
ECONOMIC
Added value
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
profissional
cidadão
SPIS: Desenho
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
SPIS: Desenho
Contextualização epidemiológica
Georreferenciação
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
SPIS: Desenho
Determinantes de saúde e doença
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
SPIS: Desenho
Processos de capacitação e ativação do
cidadão
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
SPIS: Desenho
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
Desenho
Canais de
comunicação
Modelos de
negócio
Users – both firms and individual consumer – are
increasingly able to innovate for themselves …
The user-centered innovation process … is in sharp
contrast with the traditional model, in which products
and services are developed by manufactures in a
closed way …
Studies of innovating users show them to have the
characteristics of “lead users”.
Democratizing Innovation Eric von Hippel, 2005
As pessoas como agentes de inovação
Sistemas locais de inovação
"Social entrepreneurs are not content just
to give a fish or teach how to fish.
They will not rest until they have revolutionized the fishing industry."
Bill Drayton, CEO, chair and founder of Ashoka
…enable the world’s citizens to think and act as
changemakers …
Empreendedorismo social
Índice de capital social = confiança social x cap. auto-organização
Nórdicos
1.82%
0.36%
0.08%
0.17%
0.06%
Usability
Atitudes
Access
Awareness
Utilization
Literacy
Outcomes
Cost
Effectiveness
Level 1 Level 2 Level 4 Level 5
PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost
Effectiveness
Quality
process
Utilization Quality
Level 3
Usability
Atitudes
Access
Awareness
Utilization
Literacy
Outcomes
Cost
Effectiveness
Level 1 Level 2 Level 4 Level 5
PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost
Effectiveness
Quality
process
Utilization Quality
Level 3
Avaliação
Usability
Atitudes
Access
Awareness
Utilization
Literacy
Outcomes
Cost
Effectiveness
Level 1 Level 2 Level 4 Level 5
PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost
Effectiveness
Quality
process
Utilization Quality
Study 2: Diabetes
Patients literacy, quality
of care and outcomes
Level 3
Study 1: Stakeholder’s
perceptions, attitudes
and behaviors
Study 3: Chronic
diseases – use of
pharma drugs
Inovação em saúde pública
Informação, conhecimento e comunicação
Exemplo 2: MACRO
Novas políticas públicas
Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus
EURO
Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus
EURO
RISCOS
Global
Venda de $ barato
Novos produtos financeiros complexos
Zona Euro
Sem política económica comum
Sem política fiscal comum
BCE “imperfeito”
Euro mais 50% que o dólar
0
0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0
0 9
0 8
0 7
Eurostat, 2011
Metas do PEC
Deficit 3% PIB
Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010
22 possíveis
Anos
0
0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0
0 9
0 8
0 7
4
5
Eurostat, 2011
Metas do PEC
Deficit 3% PIB
Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010
22 possíveis
Anos
0
0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0
0 9
0 8
0 7
4
5
14
14
14
Eurostat, 2011
Metas do PEC
Deficit 3% PIB
Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010
22 possíveis
Anos
0
0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0
0 9
0 8
0 7
4
5
14
14
14
18
Eurostat, 2011
Metas do PEC
Deficit 3% PIB
Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010
22 possíveis
Anos
0
0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0
0 9
0 8
0 7
4
5
14
14
14
18
22
Eurostat, 2011
Metas do PEC
Deficit 3% PIB
Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010
22 possíveis
Anos
“Nothing that is regular, is stupid” (T. Marmor)
Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus
CRISE
Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus
Alemanha
Grécia
Irlanda
Portugal
Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus
Alemanha
Duas narrativas
alternativas da crise
Coresponsabilidade e cooperação
Duas narrativas
alternativas da crise
Coresponsabilidade e cooperação
Narrativa “oficial” Europeia da crise:
• Não reconhecimento das falhas sistémicas
• Enfoque nas responsabilidades nacionais
• Culpa e Castigo
Choque económico e social pós crise do refinanciamento da dívida
Prevalência da infeção pelo vírus da SIDA em consumidores de drogas injetáveis
na Grécia entre 2002 e 20011
Dados recolhidos por três diferentes “sistemas sentinela”
Causas:
Aumento de comportamentos de risco
Retração nas medidas de saúde pública
Novas políticas públicas
Prospetivas
Antecipatórias e Contingenciais (n/deterministas)
Interativas
Vistas em conjunto – negociação horizontal
Adaptativas
Retroações automáticas e novas deliberações
Participativas
Factos, literacia, envolvimento argumentativo
Sustentáveis
Espaço intermediação
Sociedade civil - media
Espaço nacional
Políticas públicas
Espaço supranacional
Sistema financeiro
Espaço local – tangível
Pessoas que interagem
“VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
Espaço intermediação
Sociedade civil - media
Espaço nacional
Políticas públicas
Espaço supranacional
Sistema financeiro
Espaço local – tangível
Pessoas que interagem
Demasiado complexo para uns
Demasiado impreciso para outros
“VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
Espaço intermediação
Sociedade civil - media
Espaço nacional
Políticas públicas
Espaço supranacional
Sistema financeiro
Espaço local – tangível
Pessoas que interagem
Traduzir de um nível para outro
Uma narrativa que faça sentido
“VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
Espaço intermediação
Sociedade civil - media
Espaço nacional
Políticas públicas
Espaço supranacional
Sistema financeiro
Espaço local – tangível
Pessoas que interagem
Obama, 2012 Micro-segmentação da mensagem
Data Mining
“VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
Inovação e tecnologia
- Dificuldades e riscos para a saúde
Sistema de
informação clínica
Sistema de
informação de
saúde do
cidadão
Plataformas básicas
Aplicações específicas
Aplicação transversal
profissional
cidadão
Modelos de
negócio
Sistemas personalizados de informação de saúde
I-Health: health and innovation in Europe
2008
Lisboa, Portugal
Rede de conhecimento/ação em saúde pública ENSP
utilização
medicamento
infecção
hospitalar
gripe
cenários
avaliação
obesidade
escola
local de trabalho
acidentes
violência
tabagismo
idoso
saúde
mental
desempenho dos
serviços de saúde
desempenho
profissional
governação
da saúde
emergência
vigilância
epidemiológica
aval. econom.
programas
resíduos
hospitalares
Rede de conhecimento/ação em saúde pública ENSP
utilização
medicamento
infecção
hospitalar
gripe
cenários
avaliação
obesidade
escola
local de trabalho
acidentes
violência
tabagismo
idoso
saúde
mental
desempenho dos
serviços de saúde
desempenho
profissional
governação
da saúde
emergência
vigilância
epidemiológica
aval. econom.
programas
resíduos
hospitalares
As we expect more from technology,
do we expect less from each other?
Sherry Turkle: technologies are shaping our modern
relationships: with others, with ourselves, with it.
“… someday, someday, but certainly not now,
I would like to learn more how to have a conversation”
… a 18 years old boy
Robot de companhia
Empatia com o robot?
Como, se ele não tem experiencia de vida
nem enfrenta o mistério da morte?
Somos tentados por máquinas
que nos oferecem companhia
Oferecem-nos a ilusão da companhia
sem as exigência da amizade
Bulimia tecnológica no acesso à
informação
Consumo compulsivo sem prazer
OmmWriter
“Um papel para a subversão
… um rebelde elogio à lentidão”
“O estado de mal-estar” (Guillermo Rendueles)
“A escassez de vínculos serenos, de relações afetivas que
proporcionem tranquilidade”
• Horário de um restaurante algures em
Espanha (gentileza de José Vasconcelos)
Espirito da inovação e o futuro
… uma crise passa ser “desesperadamente
uma crise da ideia do futuro” quando se
torna evidente que nossos filhos viverão pior
do que nós.
Margarida Sakellarides Silva – 2,5 anos

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Mrs. constantino sakellarides

Educação para a Saúde
Educação para a SaúdeEducação para a Saúde
Educação para a Saúde
Catarina Regina
 
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.pptapresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
joselematoscastro
 
PROJETO PAPEL DE GENTE
PROJETO PAPEL DE GENTEPROJETO PAPEL DE GENTE
PROJETO PAPEL DE GENTE
Eva Bomfim
 

Semelhante a Mrs. constantino sakellarides (20)

4H_Teaser_RJ
4H_Teaser_RJ4H_Teaser_RJ
4H_Teaser_RJ
 
Digital health LIFEdata.AI
Digital health LIFEdata.AIDigital health LIFEdata.AI
Digital health LIFEdata.AI
 
Puericultura em Angola
Puericultura em AngolaPuericultura em Angola
Puericultura em Angola
 
LIFEdata_Sanofi_Portugues_14_05_18
LIFEdata_Sanofi_Portugues_14_05_18LIFEdata_Sanofi_Portugues_14_05_18
LIFEdata_Sanofi_Portugues_14_05_18
 
Educação para a Saúde
Educação para a SaúdeEducação para a Saúde
Educação para a Saúde
 
A CIF como instrumento para inovar sistemas de saúde e ensino
A CIF como instrumento para inovar sistemas de saúde e ensinoA CIF como instrumento para inovar sistemas de saúde e ensino
A CIF como instrumento para inovar sistemas de saúde e ensino
 
Maria Helena Larcher Caliri
Maria Helena Larcher CaliriMaria Helena Larcher Caliri
Maria Helena Larcher Caliri
 
LITERACIA DOS ADULTOS MAIS VELHOS, SEXUALIDADE, HIV, CRISTINA VAZ DE ALMEIDA
LITERACIA DOS ADULTOS MAIS VELHOS, SEXUALIDADE, HIV, CRISTINA VAZ DE ALMEIDALITERACIA DOS ADULTOS MAIS VELHOS, SEXUALIDADE, HIV, CRISTINA VAZ DE ALMEIDA
LITERACIA DOS ADULTOS MAIS VELHOS, SEXUALIDADE, HIV, CRISTINA VAZ DE ALMEIDA
 
Minicurso inovacao tecnologia da informacao e saude final
Minicurso inovacao tecnologia da informacao e saude finalMinicurso inovacao tecnologia da informacao e saude final
Minicurso inovacao tecnologia da informacao e saude final
 
Documento posicinamento no12 gneaupp e saúde nos cuidados das feridas
Documento posicinamento no12 gneaupp  e saúde nos cuidados das feridasDocumento posicinamento no12 gneaupp  e saúde nos cuidados das feridas
Documento posicinamento no12 gneaupp e saúde nos cuidados das feridas
 
Um sistema de saúde autoeducável centrado na criação de valor
Um sistema de saúde autoeducável centrado na criação de valorUm sistema de saúde autoeducável centrado na criação de valor
Um sistema de saúde autoeducável centrado na criação de valor
 
ATS_Introdução_MPAS_2012
ATS_Introdução_MPAS_2012ATS_Introdução_MPAS_2012
ATS_Introdução_MPAS_2012
 
APS e Redes de Atenção à Saúde
APS e Redes de Atenção à SaúdeAPS e Redes de Atenção à Saúde
APS e Redes de Atenção à Saúde
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enfermCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux enferm
 
5933_TM_01_P.pdf
5933_TM_01_P.pdf5933_TM_01_P.pdf
5933_TM_01_P.pdf
 
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.pptapresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
apresentacao-analise-se-situacao-saude-go.ppt
 
PROJETO PAPEL DE GENTE
PROJETO PAPEL DE GENTEPROJETO PAPEL DE GENTE
PROJETO PAPEL DE GENTE
 
SLS Nutrition WP
SLS Nutrition WPSLS Nutrition WP
SLS Nutrition WP
 
Informação, Educação e Comunicação
Informação, Educação e ComunicaçãoInformação, Educação e Comunicação
Informação, Educação e Comunicação
 
O Cuidado à Saúde na Atenção Primária
O Cuidado à Saúde na Atenção PrimáriaO Cuidado à Saúde na Atenção Primária
O Cuidado à Saúde na Atenção Primária
 

Mais de BVS Rede de Informação e Conhecimento – SES/SP Centro de Documentação

Mais de BVS Rede de Informação e Conhecimento – SES/SP Centro de Documentação (20)

Profa. dra. geciane_porto
Profa. dra. geciane_portoProfa. dra. geciane_porto
Profa. dra. geciane_porto
 
Dra. maria celeste_emerik_2
Dra. maria celeste_emerik_2Dra. maria celeste_emerik_2
Dra. maria celeste_emerik_2
 
Dra. maria celeste_emerik
Dra. maria celeste_emerikDra. maria celeste_emerik
Dra. maria celeste_emerik
 
Dra. fernanda laranjeira
Dra. fernanda laranjeiraDra. fernanda laranjeira
Dra. fernanda laranjeira
 
Dra. eliane bahruth
Dra. eliane bahruthDra. eliane bahruth
Dra. eliane bahruth
 
Dr. sergio muller
Dr. sergio mullerDr. sergio muller
Dr. sergio muller
 
Dr. marcelo de_franco
Dr. marcelo de_francoDr. marcelo de_franco
Dr. marcelo de_franco
 
Dr. leonardo paiva
Dr. leonardo paivaDr. leonardo paiva
Dr. leonardo paiva
 
Dr. jorge bermudez
Dr. jorge bermudezDr. jorge bermudez
Dr. jorge bermudez
 
Dr. hernan chaimovi
Dr. hernan chaimoviDr. hernan chaimovi
Dr. hernan chaimovi
 
Dr. guilherme ary_plonsky_2
Dr. guilherme ary_plonsky_2Dr. guilherme ary_plonsky_2
Dr. guilherme ary_plonsky_2
 
Dr. guilherme ary_plonsky
Dr. guilherme ary_plonskyDr. guilherme ary_plonsky
Dr. guilherme ary_plonsky
 
Dr. cantidio
Dr. cantidioDr. cantidio
Dr. cantidio
 
Levantamento da continuidade da assistência às Doenças Crônicas Não Transmiss...
Levantamento da continuidade da assistência às Doenças Crônicas Não Transmiss...Levantamento da continuidade da assistência às Doenças Crônicas Não Transmiss...
Levantamento da continuidade da assistência às Doenças Crônicas Não Transmiss...
 
Apresentação NITs SES
Apresentação NITs SESApresentação NITs SES
Apresentação NITs SES
 
Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estad...
Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estad...Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estad...
Políticas Públicas para a promoção da Ciência, Tecnologia e Inovação no Estad...
 
Coronavirus situação epidemiológica em 26-09-2020 no Estado de São Paulo
Coronavirus situação epidemiológica em 26-09-2020 no Estado de São PauloCoronavirus situação epidemiológica em 26-09-2020 no Estado de São Paulo
Coronavirus situação epidemiológica em 26-09-2020 no Estado de São Paulo
 
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação TecnológicaProposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
 
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação TecnológicaProposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
Proposta para continuidade do apoio aos Núcleos de Inovação Tecnológica
 
Proposta de oficina para elaboração da política de CTI do SUS-SP
Proposta de oficina para elaboração da política de CTI do SUS-SPProposta de oficina para elaboração da política de CTI do SUS-SP
Proposta de oficina para elaboração da política de CTI do SUS-SP
 

Mrs. constantino sakellarides

  • 1. Inovação em Saúde Pública Constantino Sakellarides São Paulo, Outubro, 2012
  • 3. “Old faithful” Geyser do Yellowstone NP A human uproar of admiration an introspective silence ... Theodore Roszak Where the Wastland Ends, 1972
  • 4. “Old faithful” Geyser do Yellowstone NP ... Disneyland is Better!
  • 5. Inovação … Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento
  • 6. Inovação … Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento Tecnologia enquadrada na noção de inovação
  • 7. Inovação … Inovação = criar valor na sociedade do conhecimento Tecnologia enquadrada na noção de inovação Inovação … contribuir para um mundo melhor
  • 9. Two kinds of health innovations are identified for inclusion in a i bank: - Health policy innovations (driven by policy makers) and - Product, service, process innovations (community/stakeholder’s driven)
  • 10. Policy - Led by a legitimate public authority, - Implies a major paradigm shift in: - mind-frame, - health governance principles - citizen’s role - organizational philosophy - information and knowledge use - outcome orientation, - Is supportive of community driven innovation.
  • 13.
  • 15. Health Cluster Portugal - Pólo de Competitividade Missão -tornar Portugal num player competitivo na investigação, concepção, desenvolvimento, fabrico e comercialização de produtos e serviços associados à saúde, -em nichos de mercado e de tecnologia seleccionados, -tendo como alvo os mais exigentes e mais relevantes mercados internacionais, - num quadro de reconhecimento da excelência, do seu nível tecnológico, e das suas competências e capacidades no domínio da inovação.
  • 16.
  • 17. Já se encontram disponíveis os novos indicadores estatísticos do Barómetro de Inovação COTEC. Entre os 52 países analisados, Portugal encontra-se na 30.ª posição, tendo descido um lugar relativamente ao ano anterior. Por utilizar os recursos e condições disponíveis para promover a inovação de forma pouco eficiente Portugal é considerado um país ‘cigarra’. COTEC
  • 18. Inovação em saúde pública Exemplo 1: MICRO Inovação e literacia em saúde
  • 19. New England Journal of Medicine, April 2008 Extraído de uma apresentação de K. Mandl, Escola Nacional de Saúde Pública, Junho 2010
  • 20. Extraído de uma apresentação de K. Mandl, Escola Nacional de Saúde Pública, Junho 2010
  • 21. Welcome to Be well. Protected. … Imagine if you had a way to collect, store, and share the health information critical to your family's well-being. is the new and FREE way to do just that. Microsoft, 4 October, 2007
  • 22. Fevereiro 2008 “At Google, we feel patients should be in charge of their health information, and they should be able to grant their health care providers, family members, or whomever they choose, access to this information. Google Health was developed to meet this need”
  • 23. 0-25 Points >25-33 Points >33-42 Points >42-50 Points 54,85 41,27 57,13 38,76 Netherlands Ireland Poland Greece Germany Austria Spain Bulgaria 27,% 39,% 41% 44% 45% 55% 57% 61% FONTE: Kristine Sørensen; researcher, project coordinator HLS-EU Dept. of International Health, Maastricht University, the Nederlands Lisboa, 2012 Estudo europeu sobre a literacia em saúde % da população com níveis inadequados de literacia em saúde
  • 24. 1. Health and literacy survey for members of the diabetes association; 2. Program for improving digital/health literacy: “learning diary”; 3. Prototype design; 4. Prototype implementation and testing. Sistemas personalizados de informação de saúde EMPOWERMENT Reposicionamento no sistema de saúde LITERACIA EM SAÚDE Utilizar informação inteligentemente Nas decisões do dia-a-dia relativas à saúde COMUNICAÇÃO Interagindo com outros GESTÃO DA INFORMAÇÃO Recolher, anotar, organizar, guardar, processar informação de saúde
  • 25. Sistema personalizado de informação de saúde Pessoas que gerem a sua informação de saúde
  • 26. 1. Health and literacy survey for members of the diabetes association; 2. Program for improving digital/health literacy: “learning diary”; 3. Prototype design; 4. Prototype implementation and testing. A SMALL SCALE EXPERIMENT With a personal health information system in the Diabetics Association in Barreiro (a town, across the Tagus river from Lisbon) with approximately 1050 members, but only 65% have diabetes;
  • 27. 1. Health and literacy survey for members of the diabetes association; 2. Program for improving digital/health literacy: “learning diary”; 3. Prototype design; 4. Prototype implementation and testing. 1. Usable way to organize personal health information 2. … but easier ways for information input are necessary 3. … how does this usability is integrated in day-to-day lifestyles 4. … outside mainstream thinking in current health services
  • 28. Sistema Personalizado de informação de saúde Personal Health Information Systems MEU. SAPO.SAUDE
  • 29. Personal Health Information System MEU Sapo Saúde From a small scale experiment A large scale implementation and evaluation in partnership Portuguese Telecom (PT) Portugal Telecom
  • 30. Medicamento Metformina Gestão do diabético tipo II: “versão vertical” centrada exclusivamente no medicamento – subir desnecessariamente o preço do tratamento e diminuir a sua efectividade Metformina Pioglitazona Metformina Vilgagliptina Decisão partilhada no uso do medicamento
  • 31. Medicamento Alimentação Exerc. físico Stress Genética Acesso Cuidados Boas Razoável Má Muito Nada Pouco Bastante Muito Pouco Metformina Metformina Pioglitazona Metformina Vilgagliptina Pouca Intensa Alguma Alguma Nenhuma Muita Gestão do diabético tipo II: versão horizontal – compromisso partilhado para uma terapêutica mais efectiva e vantajosa economicamente Decisão integrada horizontalmente
  • 33. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas profissional cidadão SPIS: Desenho
  • 34. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão SPIS: Desenho Contextualização epidemiológica Georreferenciação
  • 35. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão SPIS: Desenho Determinantes de saúde e doença
  • 36. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão SPIS: Desenho Processos de capacitação e ativação do cidadão
  • 37. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão SPIS: Desenho
  • 38. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão Desenho Canais de comunicação Modelos de negócio
  • 39.
  • 40.
  • 41. Users – both firms and individual consumer – are increasingly able to innovate for themselves … The user-centered innovation process … is in sharp contrast with the traditional model, in which products and services are developed by manufactures in a closed way … Studies of innovating users show them to have the characteristics of “lead users”. Democratizing Innovation Eric von Hippel, 2005
  • 42. As pessoas como agentes de inovação
  • 43. Sistemas locais de inovação
  • 44. "Social entrepreneurs are not content just to give a fish or teach how to fish. They will not rest until they have revolutionized the fishing industry." Bill Drayton, CEO, chair and founder of Ashoka …enable the world’s citizens to think and act as changemakers … Empreendedorismo social
  • 45. Índice de capital social = confiança social x cap. auto-organização Nórdicos 1.82% 0.36% 0.08% 0.17% 0.06%
  • 46. Usability Atitudes Access Awareness Utilization Literacy Outcomes Cost Effectiveness Level 1 Level 2 Level 4 Level 5 PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost Effectiveness Quality process Utilization Quality Level 3
  • 47. Usability Atitudes Access Awareness Utilization Literacy Outcomes Cost Effectiveness Level 1 Level 2 Level 4 Level 5 PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost Effectiveness Quality process Utilization Quality Level 3 Avaliação
  • 48. Usability Atitudes Access Awareness Utilization Literacy Outcomes Cost Effectiveness Level 1 Level 2 Level 4 Level 5 PHIS performance evaluation Literacy Outcomes Cost Effectiveness Quality process Utilization Quality Study 2: Diabetes Patients literacy, quality of care and outcomes Level 3 Study 1: Stakeholder’s perceptions, attitudes and behaviors Study 3: Chronic diseases – use of pharma drugs
  • 49.
  • 50. Inovação em saúde pública Informação, conhecimento e comunicação Exemplo 2: MACRO Novas políticas públicas
  • 51. Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus EURO
  • 52. Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus EURO RISCOS Global Venda de $ barato Novos produtos financeiros complexos Zona Euro Sem política económica comum Sem política fiscal comum BCE “imperfeito” Euro mais 50% que o dólar
  • 53. 0 0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0 0 9 0 8 0 7 Eurostat, 2011 Metas do PEC Deficit 3% PIB Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010 22 possíveis Anos
  • 54. 0 0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0 0 9 0 8 0 7 4 5 Eurostat, 2011 Metas do PEC Deficit 3% PIB Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010 22 possíveis Anos
  • 55. 0 0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0 0 9 0 8 0 7 4 5 14 14 14 Eurostat, 2011 Metas do PEC Deficit 3% PIB Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010 22 possíveis Anos
  • 56. 0 0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0 0 9 0 8 0 7 4 5 14 14 14 18 Eurostat, 2011 Metas do PEC Deficit 3% PIB Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010 22 possíveis Anos
  • 57. 0 0 0 0 1 0 2 0 3 0 4 0 5 0 6 1 0 0 9 0 8 0 7 4 5 14 14 14 18 22 Eurostat, 2011 Metas do PEC Deficit 3% PIB Dívida 60% PIB Incumprimentos entre 2000 e 2010 22 possíveis Anos “Nothing that is regular, is stupid” (T. Marmor)
  • 58. Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus CRISE
  • 59. Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus Alemanha
  • 60. Grécia Irlanda Portugal Taxas de juro a 10 anos das dívidas soberanas dos países europeus Alemanha
  • 61. Duas narrativas alternativas da crise Coresponsabilidade e cooperação
  • 62. Duas narrativas alternativas da crise Coresponsabilidade e cooperação Narrativa “oficial” Europeia da crise: • Não reconhecimento das falhas sistémicas • Enfoque nas responsabilidades nacionais • Culpa e Castigo
  • 63.
  • 64. Choque económico e social pós crise do refinanciamento da dívida Prevalência da infeção pelo vírus da SIDA em consumidores de drogas injetáveis na Grécia entre 2002 e 20011 Dados recolhidos por três diferentes “sistemas sentinela” Causas: Aumento de comportamentos de risco Retração nas medidas de saúde pública
  • 65. Novas políticas públicas Prospetivas Antecipatórias e Contingenciais (n/deterministas) Interativas Vistas em conjunto – negociação horizontal Adaptativas Retroações automáticas e novas deliberações Participativas Factos, literacia, envolvimento argumentativo Sustentáveis
  • 66. Espaço intermediação Sociedade civil - media Espaço nacional Políticas públicas Espaço supranacional Sistema financeiro Espaço local – tangível Pessoas que interagem “VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
  • 67. Espaço intermediação Sociedade civil - media Espaço nacional Políticas públicas Espaço supranacional Sistema financeiro Espaço local – tangível Pessoas que interagem Demasiado complexo para uns Demasiado impreciso para outros “VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
  • 68. Espaço intermediação Sociedade civil - media Espaço nacional Políticas públicas Espaço supranacional Sistema financeiro Espaço local – tangível Pessoas que interagem Traduzir de um nível para outro Uma narrativa que faça sentido “VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
  • 69. Espaço intermediação Sociedade civil - media Espaço nacional Políticas públicas Espaço supranacional Sistema financeiro Espaço local – tangível Pessoas que interagem Obama, 2012 Micro-segmentação da mensagem Data Mining “VAI-VEM” TRANSLACIONAL ENTRE ESPAÇOS DE GOVERNANÇA
  • 70. Inovação e tecnologia - Dificuldades e riscos para a saúde
  • 71. Sistema de informação clínica Sistema de informação de saúde do cidadão Plataformas básicas Aplicações específicas Aplicação transversal profissional cidadão Modelos de negócio Sistemas personalizados de informação de saúde
  • 72. I-Health: health and innovation in Europe 2008 Lisboa, Portugal
  • 73. Rede de conhecimento/ação em saúde pública ENSP utilização medicamento infecção hospitalar gripe cenários avaliação obesidade escola local de trabalho acidentes violência tabagismo idoso saúde mental desempenho dos serviços de saúde desempenho profissional governação da saúde emergência vigilância epidemiológica aval. econom. programas resíduos hospitalares
  • 74. Rede de conhecimento/ação em saúde pública ENSP utilização medicamento infecção hospitalar gripe cenários avaliação obesidade escola local de trabalho acidentes violência tabagismo idoso saúde mental desempenho dos serviços de saúde desempenho profissional governação da saúde emergência vigilância epidemiológica aval. econom. programas resíduos hospitalares
  • 75. As we expect more from technology, do we expect less from each other? Sherry Turkle: technologies are shaping our modern relationships: with others, with ourselves, with it.
  • 76. “… someday, someday, but certainly not now, I would like to learn more how to have a conversation” … a 18 years old boy
  • 77. Robot de companhia Empatia com o robot? Como, se ele não tem experiencia de vida nem enfrenta o mistério da morte? Somos tentados por máquinas que nos oferecem companhia Oferecem-nos a ilusão da companhia sem as exigência da amizade
  • 78. Bulimia tecnológica no acesso à informação Consumo compulsivo sem prazer OmmWriter
  • 79. “Um papel para a subversão … um rebelde elogio à lentidão” “O estado de mal-estar” (Guillermo Rendueles) “A escassez de vínculos serenos, de relações afetivas que proporcionem tranquilidade”
  • 80. • Horário de um restaurante algures em Espanha (gentileza de José Vasconcelos)
  • 82. … uma crise passa ser “desesperadamente uma crise da ideia do futuro” quando se torna evidente que nossos filhos viverão pior do que nós.
  • 83.
  • 84.