SlideShare uma empresa Scribd logo
Facilitadoras:
Scheila Fássio Lima de Paiva
Tânia Mara Lima Dias
Endereço:
Rua Silviano Brandão, 419 – Centro
Machado – MG
Mocidade Espírita Chico Xavier
Bilocação
06/06/2014
Diferença entre Bilocação e Bicorporeidade
Allan Kardec, em “O Livro dos Médiuns” trata do assunto, detendo-se na bicorporeidade, não
se refere à bilocação por dar a entender que se trata do mesmo fenômeno visto de outro
ângulo.
Bilocação:Estar em dois lugares diversos ao mesmo tempo.
Bicorporeidade:Aparecer com dois corpos em dois lugares distantes.
O perispírito por sua organização de flexibilidade , expansibilidade, tangibilidade,
penetrabilidade, aparição e emacipação da alma fornece inúmeras condições de ação ao
Espírito, mesmo quando encarnado, sendo o propulsor de toda e qualquer ação é o Espírito.
Para que essas propriedades se tornem evidentes, necessário se atender às leis dos fluidos, no
que tange as suas condições de afinidade, quantidade necessária e qualidade dos fluidos; além
do conhecimento e a elevação moral do Espírito que manuseia tais fluidos.
Bicorporeidade
É o fenômeno pelo qual um indivíduo, vivo, pode manter sua presença de forma tangível em
dois lugares diferentes, ao mesmo tempo. O fenômeno ocorre com a materialização de seu
Perispírito exteriorizado, mantendo uma forma tangível aparente, enquanto o corpo carnal
permanece em outro local, em estado anormal, isto é, em transe, ainda que simples. Findo o
fenômeno, o Espírito retoma seu corpo adormecido e desperta normalmente.
A bicorporeidade, como o próprio nome o conceitua, não admite uma terceira presença,
porque os encarnados possuem dois corpos, o físico e o espiritual, mantendo-se cada um,
face às circunstâncias, com as seguintes características:
Corpo Físico - presença real - com a vida orgânica;
Corpo Espiritual- presença aparente - com a vida do Espírito.
Sendo o Espírito indivisível (LE, perg. 92), somente um corpo pode ter vida ativa e
inteligente, e é o corpo carnal. Kardec menciona não conhecer exemplo em que os dois
corpos gozassem, ao mesmo tempo e no mesmo grau, de uma vida ativa e inteligente, pois
o que anima a matéria é o Espírito, e este é indivisível.
Não Há Perigo De Morte Na Bicorporeidade
No fenômeno da bicorporeidade não há perigo de morte para o homem, porquanto seu
Espírito, ao afastar-se, lê pensamentos e prevê situações que podem acontecer, dado que fica
ligado ao corpo físico pelo cordão fluídico que mantém o controle de comunicação da mente
para o corpo, e do corpo para a mente. Se algo acontecer ao corpo físico, o Espírito pode
voltar imediatamente. Pode-se dizer, ainda, que o corpo aparente, embora materializado, é
um corpo fluídico e não-orgânico, não podendo ser morto. Epes Sargent, em seu livro "Bases
Científicas do Espiritismo", cap. VI, mostra a ocorrência de materialização de uma mão, que
sofre o atentado a faca, sem conseqüências maiores para o médium, salvo a sensação
dolorosa que durou por algumas horas, além da desagradável sensação da penetração da
lâmina em seus músculos, nos tendões.
Casos de Bicorporeidade e Bilocação
Eurípedes Barsanulfo: Notável médium que viveu em Sacramento – MG, dotado de moral irrepreensível, por
várias vezes se fez notar no fenômeno da bicorporeidade. Encontramos alguns relatos bastante interessantes,
principalmente por terem sido presenciados por testemunhos nem sempre afeitos à Doutrina dos Espíritos.
Eurípedes era professor, sendo o fundador do Colégio Allan Kardec em Sacramento (o primeiro colégio espírita
em todo o mundo). Era médium dotado de variados tipos de mediunidade, destacando-se a mediunidade de
cura e o receituário mediúnico. Muitas vezes entrava em transe durante uma aula e se prestava a socorrer
necessitados através da bicorporeidade; certa vez, após um transe, dirige-se aos alunos e diz:
- Prestem atenção. Acabo de fazer um parto difícil, numa residência atrás da Igreja do Rosário. O marido não
sabe que a criança já nasceu e está a caminho daqui, para solicitar ajuda. Quando ele entrar na sala os senhores
devem ficar de pé para o cumprimentarem.
E o homem entrou logo em seguida, muito aflito, de roupa de montaria e chapéu, pedindo a Eurípedes que
fosse até a sua residência, com urgência fazer o parto pois sua mulher estava muito mal e a parteira não estava
conseguindo resolver o caso.
- Acalme-se, respondeu o médium sorrindo, já fiz o parto há 5 minutos atrás...
- Não é possível disse o homem, há 5 minutos eu o teria visto no caminho.
- O senhor não me viu porque eu fui em Espírito, mas eu vi o senhor, respondeu Eurípedes, e pode voltar para
sua casa sossegado, a menina que nasceu é linda e forte.
O homem porém duvidou e só saiu dali com Eurípedes junto. Chegando a casa se deparou com a esposa que
segurava no leito a filhinha. A parturiente ao ver o médium exclamou:
- O senhor não precisava vir de novo seu Eurípedes, eu e o bebê estamos passando muito bem!
Em várias outras ocasiões este médium pôde ser visto simultaneamente em dois lugares.
SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA:
Estando Antônio em Pádua, teve uma visão. (...) Na sua cidade natal, Lisboa, viviam ainda
os seus parentes: o pai, a mãe, os irmãos e as irmãs, que se encontravam implicados num
caso de homicídio cometido por outros. Havia naquela cidade dois indivíduos que se
odiavam mortalmente. Um deles, encontrando-se certa noite com o filho do rival, decidiu
vingar-se nele e, favorecido pela escuridão, surpreendeu-o, arrastou-o à sua própria casa e
ali trucidou-o barbaramente. Depois sepultou o corpo no jardim da casa dos parentes de
Antônio. (...) Sabendo que o jovem fora, naquela noite, visto nas propriedades do palácio
de Martinho, deram busca pelos arredores e pela propriedade toda. Guiando-se pela terra
removida de fresco, chegaram ao cadáver cheio de ferimentos. Bastou esse indício para que
as suspeitas do homicídio caíssem sobre Martinho, que foi preso com toda a família,
segundo o costume da época.
Aproxima-se o dia da sentença, que teria sido uma sentença de condenação, se Antônio não
tivesse vindo em auxílio dos seus. Certa noite, ele pediu licença ao superior para sair do
convento, e se pôs a caminho de Lisboa. Lá chegou prodigiosamente na manhã seguinte
quando não seriam suficientes três meses para percorrer a distância entre Pádua e Lisboa.
Chegando à sua terra natal, apresentou-se ao tribunal para pedir a liberdade de sua família.
Como era natural, não foi atendido, visto serem por demais graves os indícios acumulados
contra ela. Antônio pediu, então, que lhe trouxessem o cadáver da vítima. Ao vê-lo,
ordenou-lhe, em nome de Cristo, que voltasse momentaneamente à vida para indicar o seu
assassino. O corpo animou-se, confessou abertamente que nenhum membro da família de
Antônio era culpado da sua morte e depois caiu novamente no seu sono de morte. A
novidade do milagre e a solene declaração de tal testemunha foram suficientes para libertar
a família de Antônio, com a qual ele passou aquele dia. Despediu-se ao cair da noite e, no
dia seguinte encontrava-se novamente no seu convento em Pádua.
SANTO AFONSO DE LIGUORI:
Em Arienzo, na manhã de 21 de setembro de 1774 depois de haver celebrado missa, atirou-
se num sofá, entrou em transe profundo, desdobrou-se e materializou-se onde se
encontrava o Papa Clemente XIV e assiste ao seu desencarne. Em 22 de setembro, às 7
horas da manhã, no momento mesmo em que Afonso recuperava os sentidos, chegou a
notícia da morte do Papa em Roma.
SÃO FRANCISCO DE ASSIS:
Um ex-leproso não é aceito em sua casa. Ora e pede socorro a Frei Francisco. Nesse
instante, Francisco balbucia uma breve oração e entra em transe profundo. Os frades
estavam se familiarizando com esses momentos da vida do Apóstolo e entraram em
profunda concentração. Francisco desdobra-se, vai àquela casa e se materializa a todos os
que ali se encontram causando grande admiração porque era noite e a casa era distante de
onde moravam os frades.
- Mulher, porque relutas em receber de volta teu marido?...
- Frei Francisco! exclamou a mulher, tuas palavras são como ordens de Deus! Abraça o
marido e lhe pede perdão.
A seguir, encaminha-se para Francisco e, quando tenta abraça-lo, ele não está mais na sala.
Frei Galvão:
Franciscano Antonio de Sant’Anna Galvão, nasceu em Guaratinguetá, São Paulo, em 1739 e
morreu aos 84 anos, no Mosteiro da Luz. Aparecia em dois lugares ao mesmo tempo,
levitava e tinha premonições. Em 1810, frei Galvão apareceu para um capataz que fora
apunhalado por um escravo. Mas, nesse mesmo tempo, o frei interrompeu uma missa para
que todos orassem por um cristão que agonizava longe dali.
Conclusão
O desdobramento corresponde ao estado de emancipação completa da alma. O
espírito encarnado, revestido dos seus envoltórios, projeta-se para o exterior do corpo
somático, do qual se separa formando uma cópia ou duplo. Porém, o desdobramento
ou projeção da consciência contribui sobremaneira, para que o homem se
conscientize da realidade do Plano espiritual e se veja como um ser imortal, filho de
Deus que é Amor, um cidadão do Universo, em busca da perfeição, iluminado pelas
estrelas incomensuráveis do Pai.
Fontes:
Livro dos Médiuns;Site Espiritismo e Razão;Site A Casa do Espiritismo;Site Autores Espíritas Clássicos.
Obs: Para assistir todas as aulas acesse o Blog:
http://www.mocidadeespiritachicoxavier.blogspot.com.br/
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
Jorge Luiz dos Santos
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
Jorge Luiz dos Santos
 
05 classificação do médiuns
05   classificação do médiuns05   classificação do médiuns
05 classificação do médiuns
carlos freire
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
carlos freire
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
Marta Gomes
 
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporalPrimeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
CeiClarencio
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
Graça Maciel
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
Ronaldo Pereira Rodrigues
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Perturbação Espírita
Perturbação EspíritaPerturbação Espírita
Perturbação Espírita
Izabel Cristina Fonseca
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
umecamaqua
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Elysio Laroide Lugarinho
 
Genese cap 01 de 1 a 29
Genese cap 01  de 1 a 29Genese cap 01  de 1 a 29
Genese cap 01 de 1 a 29
Fernando A. O. Pinto
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
Semente de Esperança
 
Projeto manoel philomeno de miranda vivência mediúnica
Projeto manoel philomeno de miranda   vivência mediúnicaProjeto manoel philomeno de miranda   vivência mediúnica
Projeto manoel philomeno de miranda vivência mediúnica
Helio Cruz
 

Mais procurados (20)

MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEASMANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
MANIFESTAÇÕES FÍSICAS ESPONTÂNEAS
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
05 classificação do médiuns
05   classificação do médiuns05   classificação do médiuns
05 classificação do médiuns
 
O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
2.9.2 Possessos - Convulsionários
2.9.2   Possessos - Convulsionários2.9.2   Possessos - Convulsionários
2.9.2 Possessos - Convulsionários
 
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporalPrimeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
 
A vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritualA vida no mundo espiritual
A vida no mundo espiritual
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Lei de causa e efeito
Lei de causa e efeitoLei de causa e efeito
Lei de causa e efeito
 
Desencarnação
DesencarnaçãoDesencarnação
Desencarnação
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
 
Perturbação Espírita
Perturbação EspíritaPerturbação Espírita
Perturbação Espírita
 
3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria3 palestra sobre transição planetaria
3 palestra sobre transição planetaria
 
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espíritoEsde    módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
Esde módulo 04 - roteiro 02 - origem e natureza do espírito
 
Genese cap 01 de 1 a 29
Genese cap 01  de 1 a 29Genese cap 01  de 1 a 29
Genese cap 01 de 1 a 29
 
Dia De Finados
Dia De FinadosDia De Finados
Dia De Finados
 
Projeto manoel philomeno de miranda vivência mediúnica
Projeto manoel philomeno de miranda   vivência mediúnicaProjeto manoel philomeno de miranda   vivência mediúnica
Projeto manoel philomeno de miranda vivência mediúnica
 

Semelhante a Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação

Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
Alan Diniz Souza
 
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdfDivaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
VIEIRA RESENDE
 
Os precursores do espiritismo
Os precursores do espiritismoOs precursores do espiritismo
Os precursores do espiritismo
Fatoze
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
à Luz do consolador também os pequeninos
à Luz do consolador   também os pequeninosà Luz do consolador   também os pequeninos
à Luz do consolador também os pequeninos
Sergio Silva
 
à Luz do consolador também os pequeninos
à Luz do consolador   também os pequeninosà Luz do consolador   também os pequeninos
à Luz do consolador também os pequeninos
Sergio Silva
 
O Pensamento Vivo do Dr. Inácio
O Pensamento Vivo do Dr. InácioO Pensamento Vivo do Dr. Inácio
O Pensamento Vivo do Dr. Inácio
Osvaldo Brascher
 
A vida Viaja na Luz
A vida Viaja na LuzA vida Viaja na Luz
A vida Viaja na Luz
Osvaldo Brascher
 
Canalização
CanalizaçãoCanalização
Canalização
Pastor Robson Colaço
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Jose Luiz Maio
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Patricia Farias
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Power Point
 
Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865
Henrique Vieira
 
Mediunidade & Misticismo
Mediunidade & MisticismoMediunidade & Misticismo
Mediunidade & Misticismo
2225165
 
Mensageiro 46
Mensageiro 46Mensageiro 46
Mensageiro 46
Simone Núñez Reis
 
à Luz do consolador emmanuel swedenborg
à Luz do consolador   emmanuel swedenborgà Luz do consolador   emmanuel swedenborg
à Luz do consolador emmanuel swedenborg
Sergio Silva
 

Semelhante a Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação (20)

Reencarnação
ReencarnaçãoReencarnação
Reencarnação
 
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdfDivaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
Divaldo Franco - Nos Bastidores da Obsessão.pdf
 
Os precursores do espiritismo
Os precursores do espiritismoOs precursores do espiritismo
Os precursores do espiritismo
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
à Luz do consolador também os pequeninos
à Luz do consolador   também os pequeninosà Luz do consolador   também os pequeninos
à Luz do consolador também os pequeninos
 
à Luz do consolador também os pequeninos
à Luz do consolador   também os pequeninosà Luz do consolador   também os pequeninos
à Luz do consolador também os pequeninos
 
O Pensamento Vivo do Dr. Inácio
O Pensamento Vivo do Dr. InácioO Pensamento Vivo do Dr. Inácio
O Pensamento Vivo do Dr. Inácio
 
A vida Viaja na Luz
A vida Viaja na LuzA vida Viaja na Luz
A vida Viaja na Luz
 
Canalização
CanalizaçãoCanalização
Canalização
 
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50Estudando André Luiz   Nosso Lar cap.  34 a 50
Estudando André Luiz Nosso Lar cap. 34 a 50
 
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto DomesticoOs Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
Os Mensageiros Cap 35 - O culto Domestico
 
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRitaAntecedentes Da Doutrina EspíRita
Antecedentes Da Doutrina EspíRita
 
Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865Allan kardec revista espirita 1865
Allan kardec revista espirita 1865
 
Mediunidade & Misticismo
Mediunidade & MisticismoMediunidade & Misticismo
Mediunidade & Misticismo
 
Mensageiro 46
Mensageiro 46Mensageiro 46
Mensageiro 46
 
à Luz do consolador emmanuel swedenborg
à Luz do consolador   emmanuel swedenborgà Luz do consolador   emmanuel swedenborg
à Luz do consolador emmanuel swedenborg
 

Mais de Sergio Lima Dias Junior

Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicopictografiaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicofoniaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicografiaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e SonhosMocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Sergio Lima Dias Junior
 
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico XavierPsicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e ClariaudiênciaMocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividênciaMocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
Sergio Lima Dias Junior
 
Agênere - Aula Livre
Agênere - Aula LivreAgênere - Aula Livre
Agênere - Aula Livre
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e IntuiçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corposMocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou SematologiaMocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz diretaMocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Sergio Lima Dias Junior
 
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporteAula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
Mocidade Espírita Chico Xavier - LevitaçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
Mocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
Sergio Lima Dias Junior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Sergio Lima Dias Junior
 
Entendendo a Classificação Mediúnica
Entendendo a Classificação MediúnicaEntendendo a Classificação Mediúnica
Entendendo a Classificação Mediúnica
Sergio Lima Dias Junior
 
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
Sergio Lima Dias Junior
 
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
Sergio Lima Dias Junior
 
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Sergio Lima Dias Junior
 

Mais de Sergio Lima Dias Junior (20)

Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicopictografiaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicopictografia
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicofoniaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicofonia
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - PsicografiaMocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Psicografia
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e SonhosMocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Sono e Sonhos
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
 
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico XavierPsicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e ClariaudiênciaMocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Audiência e Clariaudiência
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividênciaMocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
Mocidade Espírita Chico Xavier - Vidência e clarividência
 
Agênere - Aula Livre
Agênere - Aula LivreAgênere - Aula Livre
Agênere - Aula Livre
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e IntuiçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
Mocidade Espírita Chico Xavier - Inspiração e Intuição
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corposMocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
Mocidade Espírita Chico Xavier - Aula 2 O espírito e seus corpos
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou SematologiaMocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
Mocidade Espírita Chico Xavier - Tiptologia ou Sematologia
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz diretaMocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
Mocidade Espírita Chico Xavier - Voz direta
 
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporteAula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
Aula 6 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de transporte
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
Mocidade Espírita Chico Xavier - LevitaçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
Mocidade Espírita Chico Xavier - Levitação
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - TransfiguraçãoMocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
Mocidade Espírita Chico Xavier - Transfiguração
 
Entendendo a Classificação Mediúnica
Entendendo a Classificação MediúnicaEntendendo a Classificação Mediúnica
Entendendo a Classificação Mediúnica
 
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
Aula 2 - Efeitos Físicos - Parte 2
 
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 1 - Classificação Mediúnica - Mediunidade de Efeitos Físicos
 
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos FísicosAula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
Aula 14 - Mocidade Espírita Chico Xavier - Mediunidade de Efeitos Físicos
 

Último

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 

Mocidade Espírita Chico Xavier - Bilocação

  • 1. Facilitadoras: Scheila Fássio Lima de Paiva Tânia Mara Lima Dias Endereço: Rua Silviano Brandão, 419 – Centro Machado – MG Mocidade Espírita Chico Xavier Bilocação 06/06/2014
  • 2. Diferença entre Bilocação e Bicorporeidade Allan Kardec, em “O Livro dos Médiuns” trata do assunto, detendo-se na bicorporeidade, não se refere à bilocação por dar a entender que se trata do mesmo fenômeno visto de outro ângulo. Bilocação:Estar em dois lugares diversos ao mesmo tempo. Bicorporeidade:Aparecer com dois corpos em dois lugares distantes. O perispírito por sua organização de flexibilidade , expansibilidade, tangibilidade, penetrabilidade, aparição e emacipação da alma fornece inúmeras condições de ação ao Espírito, mesmo quando encarnado, sendo o propulsor de toda e qualquer ação é o Espírito. Para que essas propriedades se tornem evidentes, necessário se atender às leis dos fluidos, no que tange as suas condições de afinidade, quantidade necessária e qualidade dos fluidos; além do conhecimento e a elevação moral do Espírito que manuseia tais fluidos.
  • 3. Bicorporeidade É o fenômeno pelo qual um indivíduo, vivo, pode manter sua presença de forma tangível em dois lugares diferentes, ao mesmo tempo. O fenômeno ocorre com a materialização de seu Perispírito exteriorizado, mantendo uma forma tangível aparente, enquanto o corpo carnal permanece em outro local, em estado anormal, isto é, em transe, ainda que simples. Findo o fenômeno, o Espírito retoma seu corpo adormecido e desperta normalmente.
  • 4. A bicorporeidade, como o próprio nome o conceitua, não admite uma terceira presença, porque os encarnados possuem dois corpos, o físico e o espiritual, mantendo-se cada um, face às circunstâncias, com as seguintes características: Corpo Físico - presença real - com a vida orgânica; Corpo Espiritual- presença aparente - com a vida do Espírito. Sendo o Espírito indivisível (LE, perg. 92), somente um corpo pode ter vida ativa e inteligente, e é o corpo carnal. Kardec menciona não conhecer exemplo em que os dois corpos gozassem, ao mesmo tempo e no mesmo grau, de uma vida ativa e inteligente, pois o que anima a matéria é o Espírito, e este é indivisível.
  • 5. Não Há Perigo De Morte Na Bicorporeidade No fenômeno da bicorporeidade não há perigo de morte para o homem, porquanto seu Espírito, ao afastar-se, lê pensamentos e prevê situações que podem acontecer, dado que fica ligado ao corpo físico pelo cordão fluídico que mantém o controle de comunicação da mente para o corpo, e do corpo para a mente. Se algo acontecer ao corpo físico, o Espírito pode voltar imediatamente. Pode-se dizer, ainda, que o corpo aparente, embora materializado, é um corpo fluídico e não-orgânico, não podendo ser morto. Epes Sargent, em seu livro "Bases Científicas do Espiritismo", cap. VI, mostra a ocorrência de materialização de uma mão, que sofre o atentado a faca, sem conseqüências maiores para o médium, salvo a sensação dolorosa que durou por algumas horas, além da desagradável sensação da penetração da lâmina em seus músculos, nos tendões.
  • 6. Casos de Bicorporeidade e Bilocação Eurípedes Barsanulfo: Notável médium que viveu em Sacramento – MG, dotado de moral irrepreensível, por várias vezes se fez notar no fenômeno da bicorporeidade. Encontramos alguns relatos bastante interessantes, principalmente por terem sido presenciados por testemunhos nem sempre afeitos à Doutrina dos Espíritos. Eurípedes era professor, sendo o fundador do Colégio Allan Kardec em Sacramento (o primeiro colégio espírita em todo o mundo). Era médium dotado de variados tipos de mediunidade, destacando-se a mediunidade de cura e o receituário mediúnico. Muitas vezes entrava em transe durante uma aula e se prestava a socorrer necessitados através da bicorporeidade; certa vez, após um transe, dirige-se aos alunos e diz: - Prestem atenção. Acabo de fazer um parto difícil, numa residência atrás da Igreja do Rosário. O marido não sabe que a criança já nasceu e está a caminho daqui, para solicitar ajuda. Quando ele entrar na sala os senhores devem ficar de pé para o cumprimentarem. E o homem entrou logo em seguida, muito aflito, de roupa de montaria e chapéu, pedindo a Eurípedes que fosse até a sua residência, com urgência fazer o parto pois sua mulher estava muito mal e a parteira não estava conseguindo resolver o caso. - Acalme-se, respondeu o médium sorrindo, já fiz o parto há 5 minutos atrás... - Não é possível disse o homem, há 5 minutos eu o teria visto no caminho. - O senhor não me viu porque eu fui em Espírito, mas eu vi o senhor, respondeu Eurípedes, e pode voltar para sua casa sossegado, a menina que nasceu é linda e forte. O homem porém duvidou e só saiu dali com Eurípedes junto. Chegando a casa se deparou com a esposa que segurava no leito a filhinha. A parturiente ao ver o médium exclamou: - O senhor não precisava vir de novo seu Eurípedes, eu e o bebê estamos passando muito bem! Em várias outras ocasiões este médium pôde ser visto simultaneamente em dois lugares.
  • 7. SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA: Estando Antônio em Pádua, teve uma visão. (...) Na sua cidade natal, Lisboa, viviam ainda os seus parentes: o pai, a mãe, os irmãos e as irmãs, que se encontravam implicados num caso de homicídio cometido por outros. Havia naquela cidade dois indivíduos que se odiavam mortalmente. Um deles, encontrando-se certa noite com o filho do rival, decidiu vingar-se nele e, favorecido pela escuridão, surpreendeu-o, arrastou-o à sua própria casa e ali trucidou-o barbaramente. Depois sepultou o corpo no jardim da casa dos parentes de Antônio. (...) Sabendo que o jovem fora, naquela noite, visto nas propriedades do palácio de Martinho, deram busca pelos arredores e pela propriedade toda. Guiando-se pela terra removida de fresco, chegaram ao cadáver cheio de ferimentos. Bastou esse indício para que as suspeitas do homicídio caíssem sobre Martinho, que foi preso com toda a família, segundo o costume da época.
  • 8. Aproxima-se o dia da sentença, que teria sido uma sentença de condenação, se Antônio não tivesse vindo em auxílio dos seus. Certa noite, ele pediu licença ao superior para sair do convento, e se pôs a caminho de Lisboa. Lá chegou prodigiosamente na manhã seguinte quando não seriam suficientes três meses para percorrer a distância entre Pádua e Lisboa. Chegando à sua terra natal, apresentou-se ao tribunal para pedir a liberdade de sua família. Como era natural, não foi atendido, visto serem por demais graves os indícios acumulados contra ela. Antônio pediu, então, que lhe trouxessem o cadáver da vítima. Ao vê-lo, ordenou-lhe, em nome de Cristo, que voltasse momentaneamente à vida para indicar o seu assassino. O corpo animou-se, confessou abertamente que nenhum membro da família de Antônio era culpado da sua morte e depois caiu novamente no seu sono de morte. A novidade do milagre e a solene declaração de tal testemunha foram suficientes para libertar a família de Antônio, com a qual ele passou aquele dia. Despediu-se ao cair da noite e, no dia seguinte encontrava-se novamente no seu convento em Pádua.
  • 9. SANTO AFONSO DE LIGUORI: Em Arienzo, na manhã de 21 de setembro de 1774 depois de haver celebrado missa, atirou- se num sofá, entrou em transe profundo, desdobrou-se e materializou-se onde se encontrava o Papa Clemente XIV e assiste ao seu desencarne. Em 22 de setembro, às 7 horas da manhã, no momento mesmo em que Afonso recuperava os sentidos, chegou a notícia da morte do Papa em Roma.
  • 10. SÃO FRANCISCO DE ASSIS: Um ex-leproso não é aceito em sua casa. Ora e pede socorro a Frei Francisco. Nesse instante, Francisco balbucia uma breve oração e entra em transe profundo. Os frades estavam se familiarizando com esses momentos da vida do Apóstolo e entraram em profunda concentração. Francisco desdobra-se, vai àquela casa e se materializa a todos os que ali se encontram causando grande admiração porque era noite e a casa era distante de onde moravam os frades. - Mulher, porque relutas em receber de volta teu marido?... - Frei Francisco! exclamou a mulher, tuas palavras são como ordens de Deus! Abraça o marido e lhe pede perdão. A seguir, encaminha-se para Francisco e, quando tenta abraça-lo, ele não está mais na sala.
  • 11. Frei Galvão: Franciscano Antonio de Sant’Anna Galvão, nasceu em Guaratinguetá, São Paulo, em 1739 e morreu aos 84 anos, no Mosteiro da Luz. Aparecia em dois lugares ao mesmo tempo, levitava e tinha premonições. Em 1810, frei Galvão apareceu para um capataz que fora apunhalado por um escravo. Mas, nesse mesmo tempo, o frei interrompeu uma missa para que todos orassem por um cristão que agonizava longe dali.
  • 12. Conclusão O desdobramento corresponde ao estado de emancipação completa da alma. O espírito encarnado, revestido dos seus envoltórios, projeta-se para o exterior do corpo somático, do qual se separa formando uma cópia ou duplo. Porém, o desdobramento ou projeção da consciência contribui sobremaneira, para que o homem se conscientize da realidade do Plano espiritual e se veja como um ser imortal, filho de Deus que é Amor, um cidadão do Universo, em busca da perfeição, iluminado pelas estrelas incomensuráveis do Pai. Fontes: Livro dos Médiuns;Site Espiritismo e Razão;Site A Casa do Espiritismo;Site Autores Espíritas Clássicos. Obs: Para assistir todas as aulas acesse o Blog: http://www.mocidadeespiritachicoxavier.blogspot.com.br/ FIM