SlideShare uma empresa Scribd logo
Materialografia quantitativa [6]
1>
Microestrutura detalhes que podem caracterizados
tanto qualitativa quanto quantitativamente.
Exemplos:
fração volumétrica de fases
dispersão de inclusões (óxidos, sulfetos)
tamanho de grão médio
distribuição de tamanhos de grão
área de interface por unidade de volume
índice de anisotropia em produtos laminados
Materialografia quantitativa
2>
(amostra)objetonotamanho
imagemnatamanho
ampliação
Escala: cada divisão corresponde a 10
Materialografia quantitativa
3>
Microestrutura de aços recozidos:
ABNT 1010 ABNT 1040 ABNT 1080
• aumento do teor de carbono promove a formação de perlita, microconstituinte
formado por lamelas alternadas de ferrita e cementita (não visíveis em baixos
aumentos)
Materialografia quantitativa
Parâmetros medidos: área-teste (At)
4>
gradedapontosdetotal
objetossobresinterceptodetotal
PP
teste-linhasdastotalocompriment
objetossobrecordasdastotalocompriment
LL
analisadateste-área
objetosdosáreasdassomatória
AA
Relação fundamental:
PP = LL = AA = VV
PP : fração de pontos
LL : fração linear
AA : fração em área
VV : fração volumétrica
Materialografia quantitativa
Estatística:
5>
média aritmética -
n
i
ix
n
x
1
1
desvio padrão ( ) -
n
i
xx
n
x
1
22
)(
1
1
)(
erro-padrão (EP) -
n
EP)(
Precisão da estimativa:
)57,2(
)2(
)(
EPx
EPx
EPx probabilidade de 67%
probabilidade de 95%
probabilidade de 99%
Materialografia quantitativa
Exercício – fração volumétrica de perlita:
6>
norma
ASTM
E562
20 m
Materialografia quantitativa
Medida de tamanho de grão (ASTM E112):
7>
Método do intercepto linear (Heyn):
Tamanho de grão ASTM:
)1(
2 G
An
sendo nA – número de grãos contados em uma área de 1 polegada quadra-
da, aumentada em 100X; G – tamanho de grão ASTM.
MN
Ln
L t
sendo n – número de linhas-teste usadas na estimativa; Lt – comprimento
da linha-teste [mm]; N – número de intersecções dos contornos de grão com
as linhas-teste; M – ampliação usada na micrografia.
Materialografia quantitativa
Exercício – medida de tamanho de grão:
8>
norma
ASTM
E112
20 m
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
20 m
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
9>
Materialografia quantitativa
Demonstração – Image Tool para fração volumétrica:
16
Resultado Image Tool: 9,57% pixels pretos (perlita)
Regra da alavanca + diagrama de equilíbrio Fe-C:
ferrita perlita
aço X
0,02%C 0,78%C
CX
X
%093,0
02,078,0
02,0
0957,0
A composição estimada enquadra-se na especificação do aço AISI 1010
@723oC

Mais conteúdo relacionado

Mais de Tiago Gomes

Automação na caracterizacao granulométrica
Automação na caracterizacao granulométricaAutomação na caracterizacao granulométrica
Automação na caracterizacao granulométrica
Tiago Gomes
 
Apostila dt cad 2012
Apostila dt cad 2012Apostila dt cad 2012
Apostila dt cad 2012
Tiago Gomes
 
Capitulo 8 flexão (2)
Capitulo 8   flexão (2)Capitulo 8   flexão (2)
Capitulo 8 flexão (2)
Tiago Gomes
 
Processos de soldagem 3
Processos de soldagem 3Processos de soldagem 3
Processos de soldagem 3
Tiago Gomes
 
Apostila end
Apostila endApostila end
Apostila end
Tiago Gomes
 
Capacidade de britador
Capacidade de britadorCapacidade de britador
Capacidade de britador
Tiago Gomes
 
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifscElementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Tiago Gomes
 
Perspectiva isometrica
Perspectiva isometricaPerspectiva isometrica
Perspectiva isometrica
Tiago Gomes
 
Desenho arquitetônico cortes
Desenho arquitetônico cortesDesenho arquitetônico cortes
Desenho arquitetônico cortes
Tiago Gomes
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
Tiago Gomes
 
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfnS.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
Tiago Gomes
 
duplex artigo
duplex artigoduplex artigo
duplex artigo
Tiago Gomes
 

Mais de Tiago Gomes (14)

Automação na caracterizacao granulométrica
Automação na caracterizacao granulométricaAutomação na caracterizacao granulométrica
Automação na caracterizacao granulométrica
 
Apostila dt cad 2012
Apostila dt cad 2012Apostila dt cad 2012
Apostila dt cad 2012
 
Capitulo 8 flexão (2)
Capitulo 8   flexão (2)Capitulo 8   flexão (2)
Capitulo 8 flexão (2)
 
Processos de soldagem 3
Processos de soldagem 3Processos de soldagem 3
Processos de soldagem 3
 
Apostila end
Apostila endApostila end
Apostila end
 
Capacidade de britador
Capacidade de britadorCapacidade de britador
Capacidade de britador
 
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifscElementos de-maquinas - prof moro - ifsc
Elementos de-maquinas - prof moro - ifsc
 
Perspectiva isometrica
Perspectiva isometricaPerspectiva isometrica
Perspectiva isometrica
 
Desenho arquitetônico cortes
Desenho arquitetônico cortesDesenho arquitetônico cortes
Desenho arquitetônico cortes
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
Apresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnicoApresentação normas abnt desenho técnico
Apresentação normas abnt desenho técnico
 
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfnS.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
S.bugat 2001 dbnrrfnthmm dfnrtfn
 
duplex artigo
duplex artigoduplex artigo
duplex artigo
 

Último

AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
ClaudioArez
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
pereiramarcossantos0
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
RafaelDantas32562
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Sandro Marques Solidario
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
GabrielGarcia356832
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
bentosst
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
RodrigoQuintilianode1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
RoemirPeres
 

Último (11)

AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SSTSegurança nos trabalhos em altura, normas SST
Segurança nos trabalhos em altura, normas SST
 
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
Incêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptxIncêndios em correia transportadora.pptx
Incêndios em correia transportadora.pptx
 
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitosApostila SAP.PM para PCM, para indústria e  depósitos
Apostila SAP.PM para PCM, para indústria e depósitos
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
 
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docxSFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
SFE SSO PROC 03 Bloqueio e sinalização de energias perigosas 1(Comentado).docx
 
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdfDimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
Dimensionamento de eixo. estudo de caso.pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdfÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL.pdf
 

Met quantitativa