SlideShare uma empresa Scribd logo
Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Recife / PE
                           Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais
                                   Pastor Presidente: Aílton José Alves
                   Av. Cruz Cabugá, 29 – Santo Amaro – CEP. 50040 – 000             Fone: 3084 1524

                                LIÇÃO 14 – A VIDA PLENA NAS AFLIÇÕES

INTRODUÇÃO

        No decorrer deste trimestre estudamos diversos de tipos de sofrimentos e aflições que afetam a humanidade,
tais como: enfermidade, morte, viuvez, dívidas, rebeldia dos filhos, abandono, dentre outros. Vimos também que o
cristão não está imune a essas adversidades, pois, como disse o próprio Senhor Jesus: “No mundo tereis aflições...”
(Jo 16.33). Nesta lição, veremos o significado de vida plena na aflição; exemplos bíblicos de aflições; a perspectiva
paulina do consolo e alegria em meio ao sofrimento; e, finalmente, como desfrutar de uma vida plena nas aflições.

I – DEFINIÇÃO DE AFLIÇÃO E VIDA PLENA

        O termo aflição no grego é “Kakoucheõ” que significa: “sofrer infortúnio, ser maltratado” (Hb 11.25; 11.37;
13.3). A palavra “Kakopatheõ” que quer dizer: “sofrimento, adversidade, padecer” (2Tm 1.8; 2.9; 4.5; Tg 5.13); e
“Kakopatheia” pode ser definida como: “aflição, maltrato, angústia” (At 7.34; Rm 8.18; 1Pe 1.11; 5.1; Hb 2.9; 2Co 1.5;
Fp 3.10; 1Pe 4.13; 5.1). Já o termo vida plena tem o sentido de vida abundante que significa “superabundante” e diz
respeito a qualidade de vida que é oriunda de Cristo - a fonte (Jo 4.14; 14.6; Rm 6.4; 7.6; Ap 21.6). Portanto, vida plena
nas aflições significa desfrutar de paz, alegria e, principalmente, da presença de Cristo, mesmo no sofrimento, pois,
como disse o Senhor Jesus: “...Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (Jo 10.10).

II - EXEMPLOS BÍBLICOS DE AFLIÇÕES

         Encontramos nas Sagradas Escrituras diversos exemplos de servos de Deus que enfrentaram adversidades e
aflições. Vejamos alguns:

    •   José. Até tornar-se governador do Egito, sofreu inveja por parte dos seus irmãos, foi lançado em uma cisterna,
        vendido como escravo, caluniado e preso injustamente (Gn 37-45);
    •   Noemi. Ela perdeu seu esposo e seus filhos (Rt 1.1-5). Sua dor e tristeza foi tão profunda que chegou a pedir
        que lhe chamassem de Mara, que significa “amargosa” (Rt 1.20);
    •   Jó. Apesar de ser um homem sincero, reto, temente a Deus, e desviar-se do mal, por permissão divina, perdeu
        todos os seus bens, seus filhos, e até mesmo a sua saúde (Jó 1.13-2.8);
    •   Jeremias. Foi escolhido por Deus para o ministério profético, mas, foi rejeitado por sua família, pelos sacerdotes
        e pelo povo judeu (Jr 12.6; 20.2; 26.8,9); foi afrontado pelos falsos profetas (Jr 23.9-4028.1-17); foi ferido e
        colocado em um cepo (Jr 20.1,2), colocado na prisão (Jr 37.15,16) e, posteriormente, em um calabouço (Jr
        38.6);
    •   Jesus. Mesmo sendo o Filho de Deus, Ele experimentou diversos tipos de sofrimento. Ele nasceu em uma
        estrebaria (Lc 2.1-7); ainda quando criança, precisou fugir para o Egito, para escapar da morte (Mt 1.13-18); foi
        desacreditado, não só pelos judeus (Jo 1.11), mas, até mesmo pelos seus irmãos (Jo 7.5); durante o seu
        ministério, foi acusado e perseguido pelos sacerdotes, escribas e fariseus (Mt 12.24; 21.15; Mc 11.18; 14.1; Lc
        19.47; 20.1); além disso, Ele foi preso, julgado, condenado e morto, mesmo sem haver cometido crime algum
        (Mt 26.47-27.56; Mc 14.43-15.41; Lc 22.47-23.48; Jo 18.1-19.37);
    •   Paulo. Enfrentou diversos tipos de aflições, tais como: insulto (At 13.45); apedrejamento (At 14.19,20); açoites e
        prisões (At 16.22,23); naufrágio, fome, sede, frio e nudez (II Co 4.8-9; 11.16-33).

III – PERSPECTIVA PAULINA SOBRE O CONSOLO E ALEGRIA EM MEIO AO SOFRIMENTO

      A Bíblia nos mostra claramente que o servo de Deus não está imune às tribulações. Mas, ensina também que
podemos obter regozijo e consolo divino, mesmo em meio às aflições da vida, como veremos a seguir:

    •   Paulo sabia muito bem o que era padecer, pois, como vimos anteriormente, ele enfrentou diversos tipos de
        aflições. No entanto, tinha convicção que jamais seria desamparado: “Em tudo somos atribulados, mas não
        angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas
        não destruídos” (II Co 4.8,9);

    •   Paulo ensina também que é possível o crente regozijar-se, mesmo em meio ao sofrimento: “Regozijo-me agora
        no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a
        igreja” (Cl 1.24). A Epístola aos Efésios, por exemplo, foi escrita quando Paulo estava preso em Roma (Fp
        1.12,14). No entanto, ele não demonstra angústia, tristeza ou frustração; pelo contrário, é nesta carta em que ele
        mais demonstra o seu regozijo e alegria (Fp 1.4,18; 2.2,17; 3.1; 4.1,4,10);
    •   O cristão que sofre por amor à Cristo, sem dúvida, experimentará também o consolo divino: “Porque, assim
        como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa
        consolação transborda por meio de Cristo” (II Co 1.5);
•   Mesmo em meio às tribulações, o apóstolo Paulo diz que estava cheio de consolação e transbordante de gozo:
       “Grande é a ousadia da minha fala para convosco, e grande a minha jactância a respeito de vós; estou
       cheio de consolação; transbordo de gozo em todas as nossas tribulações” (II Co 7.4).

IV – COMO DESFRUTAR DE UMA VIDA PLENA NAS AFLIÇÕES
       A Palavra de Deus nos ensina, não apenas sobre a possibilidade das aflições na vida do servo de Deus, mas,
também, como devemos nos portar em meio ao sofrimento. Vejamos:

4.1 Confiando em Deus

   •   O patriarca Jó, apesar de todas provações, demonstrou uma confiança inabalável em Deus, quando disse:
       “Ainda que ele me mate, nele esperarei... Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se
       levantará sobre a terra... Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser
       impedido” (Jó 13.15; 19.25; 42.2).
   •   Davi experimentou muitas aflições, principalmente no período entre a unção e a aclamação como rei. Porém,
       nunca deixou de confiar no Senhor. Ele disse: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não
       temeria mal algum, porque tu estás comigo... Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não
       temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria” (Sl 23.4; 27.3).

4.2 Reconhecendo que Deus está no controle de tudo

   •   José, filho de Jacó, era ainda muito jovem quando começou a ter sonhos (Gn 37.5-10). Possivelmente, ele
       entendeu que um dia exerceria liderança sobre a sua família. No entanto, sua trajetória até tornar-se governador
       foi marcada por aparentes fracassos. Mas, anos depois, ele pôde dizer aos seus irmãos: “Agora, pois, não vos
       entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para
       conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós” (Gn 45.5).
   •   Nos dias da rainha Ester, uma forca foi preparada para Mardoqueu (Et 5.14; 6.4), e um decreto foi assinado pelo
       rei, ordenando matar a todos os judeus (Et 3.8-15). Porém, Deus já havia provido um meio para impedir tal
       calamidade (Et 4.14-7.10). Mardoqueu, então, foi honrado (Et 6.6-11; 9.3,4), seu inimigo feroz foi morto na
       mesma forca que havia preparado para ele (Et 9.25), e os judeus receberam autorização para se defenderem de
       seus inimigos (Et 9.1-25).

4.3 Sabendo que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus

   •   O salmista disse que foi através da aflição que ele aprendeu a obedecer ao Senhor (Sl 119.67,71);
   •   Após a provação, Jó reconheceu que teve uma experiência mais profunda com Deus (Jó 42.5);
   •   Foi através do sofrimento que o filho pródigo lembrou-se da casa do pai (Lc 15.15-20);
   •   O apóstolo Paulo disse que a tribulação produz paciência (Rm 5.3); e Tiago diz que a prova da fé produz
       paciência (Tg 1.2-4). Por estas e outras razões, o mesmo Paulo diz: “E sabemos que todas as coisas
       contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o
       seu propósito” (Rm 8.28).

4.4 Tendo esperança que um dia todo sofrimento terá fim

   •   O Senhor Jesus prometeu vir nos buscar (Jo 14.1-3);
   •   As aflições deste mundo não se comparam com a glória que nos será revelada (Rm 8.18);
   •   Aqueles que são participantes das aflições de Cristo, se alegrarão e se regozijarão na Sua vinda (I Pe 4.12,13);
   •   Quando Cristo voltar, seremos semelhantes a Ele, e teremos um corpo glorioso e incorruptível, imune às
       doenças (I Jo 3.1,2);
   •   Nós habitaremos com Cristo, onde “... não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor...” (Ap
       21.4).

CONCLUSÃO

       Enquanto estivermos neste mundo, estamos sujeitos às provações, angústias e tribulações. A Bíblia ensina
claramente que a vida cristã não nos isenta de adversidades. Porém, mesmo em meio ao sofrimento, podemos contar
com o consolo divino. Mas, além disso, devemos confiar em Deus, reconhecer que ele está no controle de tudo, saber
que tudo que ocorre em nossas vidas é para o nosso bem, e que um dia nós estaremos, enfim, livres de toda dor e
sofrimento.

REFERÊNCIAS
   • ALMEIDA, João Ferreira de. Bíblia Sagrada. CPAD.
   • STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
   • MACARTHUR JR, John. O poder do sofrimento. CPAD.
   • RIBEIRO, Hélio. Bênçãos e frutos do sofrimento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano AComentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de criseLição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
Natalino das Neves Neves
 
A Esposa de Jó
A Esposa de JóA Esposa de Jó
A Esposa de Jó
peedroteeixeira
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Por que o justo sofre 1
 Por que o justo sofre 1 Por que o justo sofre 1
Por que o justo sofre 1
Douglas Sborowski
 
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Natalino das Neves Neves
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
José Carlos Polozi
 
Batalhas4 - Tentação
Batalhas4  - TentaçãoBatalhas4  - Tentação
Batalhas4 - Tentação
Eliezer Almeida
 
Como vencer a tentação 1 pedro 4.12-19
Como vencer a tentação   1 pedro 4.12-19Como vencer a tentação   1 pedro 4.12-19
Como vencer a tentação 1 pedro 4.12-19
Jessé Lopes
 
Lição 10 Vencendo as Tentações
Lição 10   Vencendo as TentaçõesLição 10   Vencendo as Tentações
Lição 10 Vencendo as Tentações
Wander Sousa
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Quenia Damata
 
Semelhantes a jó
Semelhantes a jóSemelhantes a jó
Semelhantes a jó
Eid Marques
 
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Gerson G. Ramos
 
Tentação
TentaçãoTentação
Tentação
Vilmar Nascimento
 
IBBC - Livros poéticos - Jó
IBBC - Livros poéticos  - Jó IBBC - Livros poéticos  - Jó
IBBC - Livros poéticos - Jó
PrAndré Luiz
 
O livro de jó
O livro de jóO livro de jó
O livro de jó
Élida Rolim
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
Márcio Pereira
 
Jó, um homem de deus
Jó, um homem de deusJó, um homem de deus
Jó, um homem de deus
prthiagonorato
 
A sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de criseA sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de crise
Celso Napoleon
 
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBDLição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
Marina de Morais
 

Mais procurados (20)

Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano AComentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
Comentário: 12° Domingo Tempo Comum - Ano A
 
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de criseLição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
Lição 1 - A sobrevivência em tempos de crise
 
A Esposa de Jó
A Esposa de JóA Esposa de Jó
A Esposa de Jó
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 6 Paciência: Evitando as dissensões.
 
Por que o justo sofre 1
 Por que o justo sofre 1 Por que o justo sofre 1
Por que o justo sofre 1
 
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
 
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
[EBD Maranata] Revista Ensinos de Jesus | Lição 5 - O ensino de Jesus sobre o...
 
Batalhas4 - Tentação
Batalhas4  - TentaçãoBatalhas4  - Tentação
Batalhas4 - Tentação
 
Como vencer a tentação 1 pedro 4.12-19
Como vencer a tentação   1 pedro 4.12-19Como vencer a tentação   1 pedro 4.12-19
Como vencer a tentação 1 pedro 4.12-19
 
Lição 10 Vencendo as Tentações
Lição 10   Vencendo as TentaçõesLição 10   Vencendo as Tentações
Lição 10 Vencendo as Tentações
 
A tentação de Jesus
A tentação de Jesus A tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
Semelhantes a jó
Semelhantes a jóSemelhantes a jó
Semelhantes a jó
 
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014Respostas_Discipulando os enfermos_512014
Respostas_Discipulando os enfermos_512014
 
Tentação
TentaçãoTentação
Tentação
 
IBBC - Livros poéticos - Jó
IBBC - Livros poéticos  - Jó IBBC - Livros poéticos  - Jó
IBBC - Livros poéticos - Jó
 
O livro de jó
O livro de jóO livro de jó
O livro de jó
 
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
2 Coríntios capítulo 12 - As glórias no sofrimento cristão
 
Jó, um homem de deus
Jó, um homem de deusJó, um homem de deus
Jó, um homem de deus
 
A sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de criseA sobrevivência em tempos de crise
A sobrevivência em tempos de crise
 
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBDLição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
Lição 05: O Lamento de Jó | 4° Trimestre De 2020 | EBD
 

Semelhante a Lição(14)

Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptxLição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
Celso Napoleon
 
Boletim PIB Joinville 30/06/2013
Boletim PIB Joinville 30/06/2013Boletim PIB Joinville 30/06/2013
Boletim PIB Joinville 30/06/2013
Primeira Igreja Batista de Joinville
 
Lição 3 No mundo tereis aflições
Lição 3   No mundo tereis afliçõesLição 3   No mundo tereis aflições
Lição 3 No mundo tereis aflições
Wander Sousa
 
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
Andre Nascimento
 
Aula 6 - Teologia Sistemática IV
Aula 6 - Teologia Sistemática IVAula 6 - Teologia Sistemática IV
Aula 6 - Teologia Sistemática IV
ssuser54efaa
 
Lição 6
Lição 6Lição 6
Lição 6
cledsondrumms
 
Lição 6
Lição 6 Lição 6
Lição 6
cledsondrumms
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
KARINEVONEYVIEIRABAR
 
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Primeira Igreja Batista de Joinville
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
pralucianaevangelista
 
A PROVIDÊNCIA DIVINA
A PROVIDÊNCIA DIVINAA PROVIDÊNCIA DIVINA
A PROVIDÊNCIA DIVINA
Elvis Sobral
 
4° trimestre 2016
4° trimestre 20164° trimestre 2016
4° trimestre 2016
Joao Fernandes
 
015 timoteo 2º
015 timoteo 2º015 timoteo 2º
015 timoteo 2º
Diógenes Gimenes
 
10 jo apresentacao - cap 1
10   jo apresentacao - cap 110   jo apresentacao - cap 1
10 jo apresentacao - cap 1
PIB Penha
 
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
Afonso Murad (FAJE)
 
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptxA GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
FabioInformaticaarau
 
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptxCRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
Tiago Silva
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Lição 05- Predições de   Juízo e GlóriaLição 05- Predições de   Juízo e Glória
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Maxsuel Aquino
 
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Aula de gálatas e romanos   04-05-2015Aula de gálatas e romanos   04-05-2015
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Francilene Santos
 

Semelhante a Lição(14) (20)

Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptxLição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
Lição 10: Quando os Pais Sepultam seus Filhos.pptx
 
Boletim PIB Joinville 30/06/2013
Boletim PIB Joinville 30/06/2013Boletim PIB Joinville 30/06/2013
Boletim PIB Joinville 30/06/2013
 
Lição 3 No mundo tereis aflições
Lição 3   No mundo tereis afliçõesLição 3   No mundo tereis aflições
Lição 3 No mundo tereis aflições
 
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
EBD Palavra e Vida 2T2015.Aula 6: Por que os salvos sofrem?
 
Aula 6 - Teologia Sistemática IV
Aula 6 - Teologia Sistemática IVAula 6 - Teologia Sistemática IV
Aula 6 - Teologia Sistemática IV
 
Lição 6
Lição 6Lição 6
Lição 6
 
Lição 6
Lição 6 Lição 6
Lição 6
 
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptxebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
ebd-2o-trimestre-2018-licao-7-jovens.pptx
 
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013Boletim PIB Joinville 04/08/2013
Boletim PIB Joinville 04/08/2013
 
O Propósito da Tentação
O Propósito da TentaçãoO Propósito da Tentação
O Propósito da Tentação
 
A PROVIDÊNCIA DIVINA
A PROVIDÊNCIA DIVINAA PROVIDÊNCIA DIVINA
A PROVIDÊNCIA DIVINA
 
4° trimestre 2016
4° trimestre 20164° trimestre 2016
4° trimestre 2016
 
015 timoteo 2º
015 timoteo 2º015 timoteo 2º
015 timoteo 2º
 
10 jo apresentacao - cap 1
10   jo apresentacao - cap 110   jo apresentacao - cap 1
10 jo apresentacao - cap 1
 
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
Curso de escatologia (2) Etapas da consciência escatológica nas Escrituras Ju...
 
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptxA GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
A GRAÇA TRIUNFA SOBRE NOSSA REBELDIA - Copia.pptx
 
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptxCRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
CRISTOLOGIA 04 - Onipotência (Ev. João).pptx
 
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
 
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
Lição 05- Predições de   Juízo e GlóriaLição 05- Predições de   Juízo e Glória
Lição 05- Predições de Juízo e Glória
 
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
Aula de gálatas e romanos   04-05-2015Aula de gálatas e romanos   04-05-2015
Aula de gálatas e romanos 04-05-2015
 

Mais de cledsondrumms

Lição 06 a viuva de sarepta
Lição 06   a viuva de sareptaLição 06   a viuva de sarepta
Lição 06 a viuva de sarepta
cledsondrumms
 
Lição 05 um homem de deus em depressão
Lição 05   um homem de deus em depressãoLição 05   um homem de deus em depressão
Lição 05 um homem de deus em depressão
cledsondrumms
 
04 eliaseosprofetasdebaal
04 eliaseosprofetasdebaal04 eliaseosprofetasdebaal
04 eliaseosprofetasdebaal
cledsondrumms
 
Scan.pdf1
Scan.pdf1Scan.pdf1
Scan.pdf1
cledsondrumms
 
03 alongasecasobreisrael
03 alongasecasobreisrael03 alongasecasobreisrael
03 alongasecasobreisrael
cledsondrumms
 
1 aapostasianoreinodeisrael
1 aapostasianoreinodeisrael1 aapostasianoreinodeisrael
1 aapostasianoreinodeisrael
cledsondrumms
 
Lição 13 malaquias - a sacralidade da família (1)
Lição 13   malaquias - a sacralidade da família (1)Lição 13   malaquias - a sacralidade da família (1)
Lição 13 malaquias - a sacralidade da família (1)
cledsondrumms
 
Lição 12 zacarias - o reino messiânico
Lição 12   zacarias - o reino messiânicoLição 12   zacarias - o reino messiânico
Lição 12 zacarias - o reino messiânico
cledsondrumms
 
Lição 11 ageu - o compromisso do povo da aliança
Lição 11   ageu - o compromisso do povo da aliançaLição 11   ageu - o compromisso do povo da aliança
Lição 11 ageu - o compromisso do povo da aliança
cledsondrumms
 
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
Lição 10   sofonias - o juízo vindouroLição 10   sofonias - o juízo vindouro
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
cledsondrumms
 
Lição 04 amós - a justiça social como parte da adoração.doc
Lição 04   amós - a justiça social como parte da adoração.docLição 04   amós - a justiça social como parte da adoração.doc
Lição 04 amós - a justiça social como parte da adoração.doc
cledsondrumms
 
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as naçõesLição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
cledsondrumms
 
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
Lição 08   naum - o limite da tolerância divinaLição 08   naum - o limite da tolerância divina
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
cledsondrumms
 
Lição 07 miquéias - a importância da obediência
Lição 07   miquéias - a importância da obediênciaLição 07   miquéias - a importância da obediência
Lição 07 miquéias - a importância da obediência
cledsondrumms
 
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
Lição 06   jonas - a misericórdia divinaLição 06   jonas - a misericórdia divina
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
cledsondrumms
 
Lição(4)
Lição(4)Lição(4)
Lição(4)
cledsondrumms
 
Lição(2)
Lição(2)Lição(2)
Lição(2)
cledsondrumms
 
Lição 02 oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
Lição 02   oséias - a fidelidade no relacionamento com deusLição 02   oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
Lição 02 oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
cledsondrumms
 
Lição
LiçãoLição
Lição
cledsondrumms
 

Mais de cledsondrumms (20)

Lição 06 a viuva de sarepta
Lição 06   a viuva de sareptaLição 06   a viuva de sarepta
Lição 06 a viuva de sarepta
 
Lição 05 um homem de deus em depressão
Lição 05   um homem de deus em depressãoLição 05   um homem de deus em depressão
Lição 05 um homem de deus em depressão
 
04 eliaseosprofetasdebaal
04 eliaseosprofetasdebaal04 eliaseosprofetasdebaal
04 eliaseosprofetasdebaal
 
Scan.pdf1
Scan.pdf1Scan.pdf1
Scan.pdf1
 
Scan.pdf1
Scan.pdf1Scan.pdf1
Scan.pdf1
 
03 alongasecasobreisrael
03 alongasecasobreisrael03 alongasecasobreisrael
03 alongasecasobreisrael
 
1 aapostasianoreinodeisrael
1 aapostasianoreinodeisrael1 aapostasianoreinodeisrael
1 aapostasianoreinodeisrael
 
Lição 13 malaquias - a sacralidade da família (1)
Lição 13   malaquias - a sacralidade da família (1)Lição 13   malaquias - a sacralidade da família (1)
Lição 13 malaquias - a sacralidade da família (1)
 
Lição 12 zacarias - o reino messiânico
Lição 12   zacarias - o reino messiânicoLição 12   zacarias - o reino messiânico
Lição 12 zacarias - o reino messiânico
 
Lição 11 ageu - o compromisso do povo da aliança
Lição 11   ageu - o compromisso do povo da aliançaLição 11   ageu - o compromisso do povo da aliança
Lição 11 ageu - o compromisso do povo da aliança
 
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
Lição 10   sofonias - o juízo vindouroLição 10   sofonias - o juízo vindouro
Lição 10 sofonias - o juízo vindouro
 
Lição 04 amós - a justiça social como parte da adoração.doc
Lição 04   amós - a justiça social como parte da adoração.docLição 04   amós - a justiça social como parte da adoração.doc
Lição 04 amós - a justiça social como parte da adoração.doc
 
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as naçõesLição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
Lição 09 – habacuque – a soberania divina sobre as nações
 
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
Lição 08   naum - o limite da tolerância divinaLição 08   naum - o limite da tolerância divina
Lição 08 naum - o limite da tolerância divina
 
Lição 07 miquéias - a importância da obediência
Lição 07   miquéias - a importância da obediênciaLição 07   miquéias - a importância da obediência
Lição 07 miquéias - a importância da obediência
 
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
Lição 06   jonas - a misericórdia divinaLição 06   jonas - a misericórdia divina
Lição 06 jonas - a misericórdia divina
 
Lição(4)
Lição(4)Lição(4)
Lição(4)
 
Lição(2)
Lição(2)Lição(2)
Lição(2)
 
Lição 02 oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
Lição 02   oséias - a fidelidade no relacionamento com deusLição 02   oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
Lição 02 oséias - a fidelidade no relacionamento com deus
 
Lição
LiçãoLição
Lição
 

Lição(14)

  • 1. Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Recife / PE Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais Pastor Presidente: Aílton José Alves Av. Cruz Cabugá, 29 – Santo Amaro – CEP. 50040 – 000 Fone: 3084 1524 LIÇÃO 14 – A VIDA PLENA NAS AFLIÇÕES INTRODUÇÃO No decorrer deste trimestre estudamos diversos de tipos de sofrimentos e aflições que afetam a humanidade, tais como: enfermidade, morte, viuvez, dívidas, rebeldia dos filhos, abandono, dentre outros. Vimos também que o cristão não está imune a essas adversidades, pois, como disse o próprio Senhor Jesus: “No mundo tereis aflições...” (Jo 16.33). Nesta lição, veremos o significado de vida plena na aflição; exemplos bíblicos de aflições; a perspectiva paulina do consolo e alegria em meio ao sofrimento; e, finalmente, como desfrutar de uma vida plena nas aflições. I – DEFINIÇÃO DE AFLIÇÃO E VIDA PLENA O termo aflição no grego é “Kakoucheõ” que significa: “sofrer infortúnio, ser maltratado” (Hb 11.25; 11.37; 13.3). A palavra “Kakopatheõ” que quer dizer: “sofrimento, adversidade, padecer” (2Tm 1.8; 2.9; 4.5; Tg 5.13); e “Kakopatheia” pode ser definida como: “aflição, maltrato, angústia” (At 7.34; Rm 8.18; 1Pe 1.11; 5.1; Hb 2.9; 2Co 1.5; Fp 3.10; 1Pe 4.13; 5.1). Já o termo vida plena tem o sentido de vida abundante que significa “superabundante” e diz respeito a qualidade de vida que é oriunda de Cristo - a fonte (Jo 4.14; 14.6; Rm 6.4; 7.6; Ap 21.6). Portanto, vida plena nas aflições significa desfrutar de paz, alegria e, principalmente, da presença de Cristo, mesmo no sofrimento, pois, como disse o Senhor Jesus: “...Eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância” (Jo 10.10). II - EXEMPLOS BÍBLICOS DE AFLIÇÕES Encontramos nas Sagradas Escrituras diversos exemplos de servos de Deus que enfrentaram adversidades e aflições. Vejamos alguns: • José. Até tornar-se governador do Egito, sofreu inveja por parte dos seus irmãos, foi lançado em uma cisterna, vendido como escravo, caluniado e preso injustamente (Gn 37-45); • Noemi. Ela perdeu seu esposo e seus filhos (Rt 1.1-5). Sua dor e tristeza foi tão profunda que chegou a pedir que lhe chamassem de Mara, que significa “amargosa” (Rt 1.20); • Jó. Apesar de ser um homem sincero, reto, temente a Deus, e desviar-se do mal, por permissão divina, perdeu todos os seus bens, seus filhos, e até mesmo a sua saúde (Jó 1.13-2.8); • Jeremias. Foi escolhido por Deus para o ministério profético, mas, foi rejeitado por sua família, pelos sacerdotes e pelo povo judeu (Jr 12.6; 20.2; 26.8,9); foi afrontado pelos falsos profetas (Jr 23.9-4028.1-17); foi ferido e colocado em um cepo (Jr 20.1,2), colocado na prisão (Jr 37.15,16) e, posteriormente, em um calabouço (Jr 38.6); • Jesus. Mesmo sendo o Filho de Deus, Ele experimentou diversos tipos de sofrimento. Ele nasceu em uma estrebaria (Lc 2.1-7); ainda quando criança, precisou fugir para o Egito, para escapar da morte (Mt 1.13-18); foi desacreditado, não só pelos judeus (Jo 1.11), mas, até mesmo pelos seus irmãos (Jo 7.5); durante o seu ministério, foi acusado e perseguido pelos sacerdotes, escribas e fariseus (Mt 12.24; 21.15; Mc 11.18; 14.1; Lc 19.47; 20.1); além disso, Ele foi preso, julgado, condenado e morto, mesmo sem haver cometido crime algum (Mt 26.47-27.56; Mc 14.43-15.41; Lc 22.47-23.48; Jo 18.1-19.37); • Paulo. Enfrentou diversos tipos de aflições, tais como: insulto (At 13.45); apedrejamento (At 14.19,20); açoites e prisões (At 16.22,23); naufrágio, fome, sede, frio e nudez (II Co 4.8-9; 11.16-33). III – PERSPECTIVA PAULINA SOBRE O CONSOLO E ALEGRIA EM MEIO AO SOFRIMENTO A Bíblia nos mostra claramente que o servo de Deus não está imune às tribulações. Mas, ensina também que podemos obter regozijo e consolo divino, mesmo em meio às aflições da vida, como veremos a seguir: • Paulo sabia muito bem o que era padecer, pois, como vimos anteriormente, ele enfrentou diversos tipos de aflições. No entanto, tinha convicção que jamais seria desamparado: “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos” (II Co 4.8,9); • Paulo ensina também que é possível o crente regozijar-se, mesmo em meio ao sofrimento: “Regozijo-me agora no que padeço por vós, e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja” (Cl 1.24). A Epístola aos Efésios, por exemplo, foi escrita quando Paulo estava preso em Roma (Fp 1.12,14). No entanto, ele não demonstra angústia, tristeza ou frustração; pelo contrário, é nesta carta em que ele mais demonstra o seu regozijo e alegria (Fp 1.4,18; 2.2,17; 3.1; 4.1,4,10); • O cristão que sofre por amor à Cristo, sem dúvida, experimentará também o consolo divino: “Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo” (II Co 1.5);
  • 2. Mesmo em meio às tribulações, o apóstolo Paulo diz que estava cheio de consolação e transbordante de gozo: “Grande é a ousadia da minha fala para convosco, e grande a minha jactância a respeito de vós; estou cheio de consolação; transbordo de gozo em todas as nossas tribulações” (II Co 7.4). IV – COMO DESFRUTAR DE UMA VIDA PLENA NAS AFLIÇÕES A Palavra de Deus nos ensina, não apenas sobre a possibilidade das aflições na vida do servo de Deus, mas, também, como devemos nos portar em meio ao sofrimento. Vejamos: 4.1 Confiando em Deus • O patriarca Jó, apesar de todas provações, demonstrou uma confiança inabalável em Deus, quando disse: “Ainda que ele me mate, nele esperarei... Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra... Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido” (Jó 13.15; 19.25; 42.2). • Davi experimentou muitas aflições, principalmente no período entre a unção e a aclamação como rei. Porém, nunca deixou de confiar no Senhor. Ele disse: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo... Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria; ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria” (Sl 23.4; 27.3). 4.2 Reconhecendo que Deus está no controle de tudo • José, filho de Jacó, era ainda muito jovem quando começou a ter sonhos (Gn 37.5-10). Possivelmente, ele entendeu que um dia exerceria liderança sobre a sua família. No entanto, sua trajetória até tornar-se governador foi marcada por aparentes fracassos. Mas, anos depois, ele pôde dizer aos seus irmãos: “Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós” (Gn 45.5). • Nos dias da rainha Ester, uma forca foi preparada para Mardoqueu (Et 5.14; 6.4), e um decreto foi assinado pelo rei, ordenando matar a todos os judeus (Et 3.8-15). Porém, Deus já havia provido um meio para impedir tal calamidade (Et 4.14-7.10). Mardoqueu, então, foi honrado (Et 6.6-11; 9.3,4), seu inimigo feroz foi morto na mesma forca que havia preparado para ele (Et 9.25), e os judeus receberam autorização para se defenderem de seus inimigos (Et 9.1-25). 4.3 Sabendo que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus • O salmista disse que foi através da aflição que ele aprendeu a obedecer ao Senhor (Sl 119.67,71); • Após a provação, Jó reconheceu que teve uma experiência mais profunda com Deus (Jó 42.5); • Foi através do sofrimento que o filho pródigo lembrou-se da casa do pai (Lc 15.15-20); • O apóstolo Paulo disse que a tribulação produz paciência (Rm 5.3); e Tiago diz que a prova da fé produz paciência (Tg 1.2-4). Por estas e outras razões, o mesmo Paulo diz: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28). 4.4 Tendo esperança que um dia todo sofrimento terá fim • O Senhor Jesus prometeu vir nos buscar (Jo 14.1-3); • As aflições deste mundo não se comparam com a glória que nos será revelada (Rm 8.18); • Aqueles que são participantes das aflições de Cristo, se alegrarão e se regozijarão na Sua vinda (I Pe 4.12,13); • Quando Cristo voltar, seremos semelhantes a Ele, e teremos um corpo glorioso e incorruptível, imune às doenças (I Jo 3.1,2); • Nós habitaremos com Cristo, onde “... não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor...” (Ap 21.4). CONCLUSÃO Enquanto estivermos neste mundo, estamos sujeitos às provações, angústias e tribulações. A Bíblia ensina claramente que a vida cristã não nos isenta de adversidades. Porém, mesmo em meio ao sofrimento, podemos contar com o consolo divino. Mas, além disso, devemos confiar em Deus, reconhecer que ele está no controle de tudo, saber que tudo que ocorre em nossas vidas é para o nosso bem, e que um dia nós estaremos, enfim, livres de toda dor e sofrimento. REFERÊNCIAS • ALMEIDA, João Ferreira de. Bíblia Sagrada. CPAD. • STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD. • MACARTHUR JR, John. O poder do sofrimento. CPAD. • RIBEIRO, Hélio. Bênçãos e frutos do sofrimento.