SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
Plano de metas
Introdução

Com o suicídio de Getúlio Vargas,
em 24 de Agosto de 1954, abriu-
se um buraco no poder e também
na herança política, perseguida
por     seus    simpatizantes       e
adversários.    Para     substituí-lo
tentaram lançar uma candidatura
de “união nacional”, com a adesão
de dois dos maiores partidos
políticos da época: o Partido
Social Democrático (PSD) e a
União     Democrática      Nacional
(UDN). Eles teriam um candidato
único, que uniria a direita e o
centro e evitaria uma nova
candidatura radical como era a
            “getulista”.
Em 10 de Fevereiro de
1955, o PSD homologou o
nome de Juscelino
Kubitschek como
candidato à presidência
da República. JK sabia que
precisava do apoio de
uma base sólida e da
aceitação popular, como
tinha o PTB, partido de
Vargas e que tinha João
Goulart como candidato à
presidência. Poucos dias
após a homologação de JK
como candidato do PSD, o
PTB selou acordo tendo
João Goulart (Jango)
concorrendo como vice-
presidente.
O governo de JK é lembrado como de grande desenvolvimento, incentivando o
progresso econômico do país por meio da industrialização. Ao assumir sua
candidatura, ele se comprometeu a trazer o desenvolvimento de forma absoluta para
o Brasil, realizando 50 anos de progresso em apenas cinco de governo,

o famoso:   “50 em 5”.
   Um dos períodos mais festejados de nossa
    história econômica foi o de Juscelino
    Kubitschek (1956 a 1961). Sustentado por
    um competente esquema de comunicação,
    JK entusiasmou o país com a promessa de
    modernização, traduzida em seu lema "50
    anos em 5".
Projeto
econômico de Juscelino foi
apresentado em seu Plano
de Metas, que focalizava:
Ampliação do fornecimento.
•Ampliação e melhoria das estradas de rodagem e estímulo às montadoras de
automóveis.
•maiores investimentos no setor de
alimentos para aumentar a oferta.
• maiores investimentos no setor.
melhoria e
ampliação
do ensino
público.
Incentivo ao
desenvolvimento
   do Brasil
   Central.
   Além do desenvolvimento do Sudeste,
    a região Centro-Oeste também cresceu
    e atraiu um grande número de
    migrantes nordestinos. A grande obra
    de JK foi a construção de Brasília, a
    nova capital do Brasil. Com a
    transferência da capital do Rio de
    Janeiro para Brasília, JK pretendia
    desenvolver a região central do país e
    afastar o centro das decisões políticas
    de uma região densamente povoada.
    Com capital oriundo de empréstimos
    internacionais, JK conseguiu finalizar e
    inaugurar Brasília, em 21 de abril de
    1960.
Sem conseguir cumprir
satisfatoriamente a maior parte de
suas propostas, o Governo JK
permitiu anos de intenso crescimento
econômico e favoreceu a
consolidação da face industrial do
Brasil. Hidrelétricas gigantescas,
indústria automobilística e estradas
que cortavam o país anunciavam um
modelo de progresso que depositava
na tecnologia as esperanças da
resolução dos males do país.
Invasão do capital               As multinacionais
  estrangeiro              No Brasil, a entrada de empresas multinacionais
O Governo JK investiu    começou a ganhar importância durante o governo de
com convicção na            Juscelino Kubitschek (1956-1961). Neste governo
atração de capitais
externos para equipar     instalaram fábricas no Brasil as seguintes empresas:
as indústrias locais.                 Ford, Volkswagen, Willys, GM.
Com medidas que
privilegiavam esses
empréstimos, como a
adoção de uma taxa
cambial favorável e de
facilidades na remessa
de lucros para o
exterior, o Brasil
assistiu a uma invasão
veloz do capital
estrangeiro em áreas
estratégicas.
O alto preço dessa
euforia começou a ser
percebido     durante     o
próprio            Governo
Kubitschek.
    A    dívida    externa
dobrou       de      valor,
tornando-se um tema
cada vez mais polêmico
nas             discussões
nacionais.
    A inflação      atingiu
níveis altíssimos e o
déficit    da      balança
comercial alcançou uma
proporção que se tornou
preocupante      para    os
credores internacionais.
    Eles       já       não
acreditavam que o país
teria condições de pagar
suas dívidas.
8
                                                              Há um aumento
7
                                                              expressivo e
6
                                                              consistente da
5
4
                                                              alfabetização da
                                              Taxa de         população durante
3                                             alfabetização
2                                                             todo o século XX.
1                                                             Principalmente a
0                                                             partir de sua metade
      1920 1940 1950 1960 1970                                onde as taxas
                                                              cresceram
                                                              aproximadamente
                                                              10 % na década.
Fonte: IBGE, Anuário Estatístico do Brasil.
                                                              Sendo umas da
*Taxa calculada sobre a população total.                      metas de JK a
**Taxa para a população com 7 anos ou mais.
 Escala de 1 a 10                                             melhoria e
                                                              ampliação da
                                                              educação.
7                                                           Nota-se um descaso
6                                                           por
5                                          rede de agua     Parte do governo JK
                                                            nessa
4
                                           rede de esgoto   área.Principalmente
3                                                           rede de esgoto e
2                                                           coleta de lixo
                                           rede de          causando assim
1                                          iluminação       Várias doenças.
0
     1960     1965    1970     1975

Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios.
Entre 1950 e 1970 o
60                                                                      índice variou entre
50                                                                      20 e 60, enquanto a
                                                                        partir de 1980 o
40
                                                                        patamar de
30                                                                PIB   variação é de 90 a
20                                                                      100. Apesar do PIB
                                                                        ter crescido
10
                                                                        muito, A divida
 0                                                                      externa em
       1950        1955         1960         1965         1970          decorrência de
                                                                        empréstimo
                                                                        duplicou,e a
     Fontes: IBGE, Anuário Estatístico do Brasil e Estatísticas
     Históricas do Brasil, vol. 3.                                      inflação se elevou.
   Lançada em 2002, no Brasil, comemorativas
    do centenário de seu nascimento, a moeda
    de 1 real.
   Juscelino Kubitscheck foi Presidente do Brasil, responsável pela construção e inauguração
    de Brasília e manteve um romance secreto e proibido durante dezoito anos.O filme "Bela
    Noite Para Voar" narra essa história, dando ênfase ao relacionamento que se inicia durante
    uma viagem de avião, num dia fictício de 1958.O Brasil passa por um momento político
    delicado e confuso, porque um grupo de oficiais da Aeronáutica quer derrubar o Presidente
    (José de Abreu).Em meio ao tumulto da situação, JK conhece e se envolve com Maria Lúcia
    ( Mariana Ximenes),uma mulher mineira inteligente e bonita, cujo apelido é Princesa.Ela é
    esposa do deputado José Pedroso.Esse envolvimento com a amante continua até a morte
    do      Presidente      JK      num       acidente      automobilístico     em       1976.
   Sustentada na urbanização
    e um modelo industrial, a
    modernização da economia
    Brasileira é
    conservadora.apesar de
    deixar de ser um país
    agrário, exportador de
    alimentos e matérias-
    primas, e se desenvolver
    uma apreciável base
    industrial e tecnológica há
    uma grande distorção de
    renda onde poucos tem
    muito e muitos tem pouco.
• Milena
• Daiane

• Evandro
• Romário


• Camila

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilFatima Freitas
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da repúblicaFabiana Tonsis
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Jéssica Simões
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasilFabiana Tonsis
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)Edenilson Morais
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasiledsonluz
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e RedemocratizaçãoDaniel Alves Bronstrup
 
A nova china
A nova chinaA nova china
A nova chinaProfessor
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América EspanholaEdenilson Morais
 
3ão - aula 1- 1 A - primeiras civilizações
3ão -  aula 1- 1 A - primeiras civilizações3ão -  aula 1- 1 A - primeiras civilizações
3ão - aula 1- 1 A - primeiras civilizaçõesDaniel Alves Bronstrup
 
PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917josafaslima
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Proclamação da república
Proclamação da repúblicaProclamação da república
Proclamação da república
 
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
Brasil: de 1945 a 1964, uma experiência democrática?
 
A Era Vargas
A Era Vargas A Era Vargas
A Era Vargas
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
O governo Eurico Gaspar Dutra (1946-1950)
 
Industrialização brasil
Industrialização brasilIndustrialização brasil
Industrialização brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Juscelino kubitschek
Juscelino kubitschekJuscelino kubitschek
Juscelino kubitschek
 
A nova china
A nova chinaA nova china
A nova china
 
Independência da América Espanhola
Independência da América EspanholaIndependência da América Espanhola
Independência da América Espanhola
 
3ão - aula 1- 1 A - primeiras civilizações
3ão -  aula 1- 1 A - primeiras civilizações3ão -  aula 1- 1 A - primeiras civilizações
3ão - aula 1- 1 A - primeiras civilizações
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
Fim da Iugoslávia
Fim da IugosláviaFim da Iugoslávia
Fim da Iugoslávia
 
PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917PPT - Revolução Russa de 1917
PPT - Revolução Russa de 1917
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)
 
O Governo JK
O Governo JKO Governo JK
O Governo JK
 

Semelhante a Plano JK desenvolvimento Brasil

Operodojk 110629171556-phpapp02
Operodojk 110629171556-phpapp02Operodojk 110629171556-phpapp02
Operodojk 110629171556-phpapp02Yasmin Gabriela
 
Compacto politica publica da habitação
Compacto politica publica da habitaçãoCompacto politica publica da habitação
Compacto politica publica da habitaçãoJohnny Maguera
 
Politica publica da habitação
Politica publica da habitaçãoPolitica publica da habitação
Politica publica da habitaçãoJohnny Maguera
 
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...Joselaine
 
Jucelino kubitschek
Jucelino kubitschekJucelino kubitschek
Jucelino kubitschekHumb3rt0
 
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médio
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médioO Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médio
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médioProfWellingtonAleixo
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRANinho Cristo
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaLucas Castro
 
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve histórico
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve históricoEconomia nacional entre 1945 a 1989 - breve histórico
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve históricoLucas Andrade
 
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012Antonio Pessoa
 
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1ProfMario De Mori
 
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.AlunosBeldani
 
Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60alinemaiahistoria
 
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMED
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMEDDemografia: Mundo e Brasil - PONTOMED
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMEDRogério Bartilotti
 

Semelhante a Plano JK desenvolvimento Brasil (20)

Operodojk 110629171556-phpapp02
Operodojk 110629171556-phpapp02Operodojk 110629171556-phpapp02
Operodojk 110629171556-phpapp02
 
Compacto politica publica da habitação
Compacto politica publica da habitaçãoCompacto politica publica da habitação
Compacto politica publica da habitação
 
Politica publica da habitação
Politica publica da habitaçãoPolitica publica da habitação
Politica publica da habitação
 
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãOIndicadores Sociais Da PopulaçãO
Indicadores Sociais Da PopulaçãO
 
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR NO CONTEXTO DA CRISE DO MODELO NACIONAL-DESENVOLVIMENTI...
 
Erro
ErroErro
Erro
 
Jucelino kubitschek
Jucelino kubitschekJucelino kubitschek
Jucelino kubitschek
 
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médio
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médioO Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médio
O Brasil na era das maquinas. 2 Ano do ensino médio
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
Treinamento - Demografia
Treinamento - DemografiaTreinamento - Demografia
Treinamento - Demografia
 
Treinamento Demografia
Treinamento DemografiaTreinamento Demografia
Treinamento Demografia
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
 
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve histórico
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve históricoEconomia nacional entre 1945 a 1989 - breve histórico
Economia nacional entre 1945 a 1989 - breve histórico
 
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012
Aula industrialização e_transformações-territoriais_do_brasil_19-10-2012
 
Juscelino (2)
Juscelino (2)Juscelino (2)
Juscelino (2)
 
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1A DíVida Externa Brasileira   Grupo 1
A DíVida Externa Brasileira Grupo 1
 
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.
Juscelino Kubitschek e Jânio Quadros.
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
 
Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60Os governos das décadas de 50 e 60
Os governos das décadas de 50 e 60
 
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMED
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMEDDemografia: Mundo e Brasil - PONTOMED
Demografia: Mundo e Brasil - PONTOMED
 

Mais de Milena Rebouças (14)

Biologia desmatamento
Biologia desmatamentoBiologia desmatamento
Biologia desmatamento
 
Postura profissional
Postura profissionalPostura profissional
Postura profissional
 
Sindromedown
SindromedownSindromedown
Sindromedown
 
Linguagem c
Linguagem cLinguagem c
Linguagem c
 
Monteiro lobato
Monteiro lobato Monteiro lobato
Monteiro lobato
 
Monteiro lobato
Monteiro lobato Monteiro lobato
Monteiro lobato
 
Software livre
Software livre Software livre
Software livre
 
S2 b desenvolvimento de sistemas [reparado]
S2 b   desenvolvimento de sistemas [reparado]S2 b   desenvolvimento de sistemas [reparado]
S2 b desenvolvimento de sistemas [reparado]
 
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTESORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
ORGÃO QUE TRABALHAM COM DEFICIENTES
 
dia das bruxas
dia das bruxasdia das bruxas
dia das bruxas
 
Triste fim policarpo
Triste fim policarpoTriste fim policarpo
Triste fim policarpo
 
Apresentaçaõ de redes atual
Apresentaçaõ de redes atualApresentaçaõ de redes atual
Apresentaçaõ de redes atual
 
Android
AndroidAndroid
Android
 
Capitalismo comercial
Capitalismo comercialCapitalismo comercial
Capitalismo comercial
 

Último

Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 

Último (20)

Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 

Plano JK desenvolvimento Brasil

  • 2. Introdução Com o suicídio de Getúlio Vargas, em 24 de Agosto de 1954, abriu- se um buraco no poder e também na herança política, perseguida por seus simpatizantes e adversários. Para substituí-lo tentaram lançar uma candidatura de “união nacional”, com a adesão de dois dos maiores partidos políticos da época: o Partido Social Democrático (PSD) e a União Democrática Nacional (UDN). Eles teriam um candidato único, que uniria a direita e o centro e evitaria uma nova candidatura radical como era a “getulista”.
  • 3. Em 10 de Fevereiro de 1955, o PSD homologou o nome de Juscelino Kubitschek como candidato à presidência da República. JK sabia que precisava do apoio de uma base sólida e da aceitação popular, como tinha o PTB, partido de Vargas e que tinha João Goulart como candidato à presidência. Poucos dias após a homologação de JK como candidato do PSD, o PTB selou acordo tendo João Goulart (Jango) concorrendo como vice- presidente.
  • 4. O governo de JK é lembrado como de grande desenvolvimento, incentivando o progresso econômico do país por meio da industrialização. Ao assumir sua candidatura, ele se comprometeu a trazer o desenvolvimento de forma absoluta para o Brasil, realizando 50 anos de progresso em apenas cinco de governo, o famoso: “50 em 5”.
  • 5. Um dos períodos mais festejados de nossa história econômica foi o de Juscelino Kubitschek (1956 a 1961). Sustentado por um competente esquema de comunicação, JK entusiasmou o país com a promessa de modernização, traduzida em seu lema "50 anos em 5".
  • 6. Projeto econômico de Juscelino foi apresentado em seu Plano de Metas, que focalizava:
  • 8. •Ampliação e melhoria das estradas de rodagem e estímulo às montadoras de automóveis.
  • 9. •maiores investimentos no setor de alimentos para aumentar a oferta.
  • 12. Incentivo ao desenvolvimento do Brasil Central.
  • 13. Além do desenvolvimento do Sudeste, a região Centro-Oeste também cresceu e atraiu um grande número de migrantes nordestinos. A grande obra de JK foi a construção de Brasília, a nova capital do Brasil. Com a transferência da capital do Rio de Janeiro para Brasília, JK pretendia desenvolver a região central do país e afastar o centro das decisões políticas de uma região densamente povoada. Com capital oriundo de empréstimos internacionais, JK conseguiu finalizar e inaugurar Brasília, em 21 de abril de 1960.
  • 14. Sem conseguir cumprir satisfatoriamente a maior parte de suas propostas, o Governo JK permitiu anos de intenso crescimento econômico e favoreceu a consolidação da face industrial do Brasil. Hidrelétricas gigantescas, indústria automobilística e estradas que cortavam o país anunciavam um modelo de progresso que depositava na tecnologia as esperanças da resolução dos males do país.
  • 15. Invasão do capital  As multinacionais estrangeiro  No Brasil, a entrada de empresas multinacionais O Governo JK investiu começou a ganhar importância durante o governo de com convicção na Juscelino Kubitschek (1956-1961). Neste governo atração de capitais externos para equipar instalaram fábricas no Brasil as seguintes empresas: as indústrias locais. Ford, Volkswagen, Willys, GM. Com medidas que privilegiavam esses empréstimos, como a adoção de uma taxa cambial favorável e de facilidades na remessa de lucros para o exterior, o Brasil assistiu a uma invasão veloz do capital estrangeiro em áreas estratégicas.
  • 16. O alto preço dessa euforia começou a ser percebido durante o próprio Governo Kubitschek. A dívida externa dobrou de valor, tornando-se um tema cada vez mais polêmico nas discussões nacionais. A inflação atingiu níveis altíssimos e o déficit da balança comercial alcançou uma proporção que se tornou preocupante para os credores internacionais. Eles já não acreditavam que o país teria condições de pagar suas dívidas.
  • 17.
  • 18. 8 Há um aumento 7 expressivo e 6 consistente da 5 4 alfabetização da Taxa de população durante 3 alfabetização 2 todo o século XX. 1 Principalmente a 0 partir de sua metade 1920 1940 1950 1960 1970 onde as taxas cresceram aproximadamente 10 % na década. Fonte: IBGE, Anuário Estatístico do Brasil. Sendo umas da *Taxa calculada sobre a população total. metas de JK a **Taxa para a população com 7 anos ou mais. Escala de 1 a 10 melhoria e ampliação da educação.
  • 19. 7 Nota-se um descaso 6 por 5 rede de agua Parte do governo JK nessa 4 rede de esgoto área.Principalmente 3 rede de esgoto e 2 coleta de lixo rede de causando assim 1 iluminação Várias doenças. 0 1960 1965 1970 1975 Fonte: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios.
  • 20. Entre 1950 e 1970 o 60 índice variou entre 50 20 e 60, enquanto a partir de 1980 o 40 patamar de 30 PIB variação é de 90 a 20 100. Apesar do PIB ter crescido 10 muito, A divida 0 externa em 1950 1955 1960 1965 1970 decorrência de empréstimo duplicou,e a Fontes: IBGE, Anuário Estatístico do Brasil e Estatísticas Históricas do Brasil, vol. 3. inflação se elevou.
  • 21. Lançada em 2002, no Brasil, comemorativas do centenário de seu nascimento, a moeda de 1 real.
  • 22. Juscelino Kubitscheck foi Presidente do Brasil, responsável pela construção e inauguração de Brasília e manteve um romance secreto e proibido durante dezoito anos.O filme "Bela Noite Para Voar" narra essa história, dando ênfase ao relacionamento que se inicia durante uma viagem de avião, num dia fictício de 1958.O Brasil passa por um momento político delicado e confuso, porque um grupo de oficiais da Aeronáutica quer derrubar o Presidente (José de Abreu).Em meio ao tumulto da situação, JK conhece e se envolve com Maria Lúcia ( Mariana Ximenes),uma mulher mineira inteligente e bonita, cujo apelido é Princesa.Ela é esposa do deputado José Pedroso.Esse envolvimento com a amante continua até a morte do Presidente JK num acidente automobilístico em 1976.
  • 23. Sustentada na urbanização e um modelo industrial, a modernização da economia Brasileira é conservadora.apesar de deixar de ser um país agrário, exportador de alimentos e matérias- primas, e se desenvolver uma apreciável base industrial e tecnológica há uma grande distorção de renda onde poucos tem muito e muitos tem pouco.
  • 24. • Milena • Daiane • Evandro • Romário • Camila