SlideShare uma empresa Scribd logo
Resposta imune inata e
adaptativa
Profa. Alessandra Barone
Resposta imune
• Resposta imunológica
– Reação a componentes de microrganismos,
macromoléculas como proteínas, polissacarídeos
e substâncias químicas reconhecidas pelo
organismo como elementos estranhos
(imunógenos).
– Mediada por reações inatas/imediatas e
tardias/adaptativas.
Resposta imune
• Imunidade ativa: Imunidade protetora como uma
resposta imune produzida pelo próprio indivíduo
pela exposição ao antígeno.
• Imunidade passiva: Imunidade protetora recebida
passivamente através da transferência de
soro/plasma ou células de indivíduos já imunizados.
Resposta imune
Resposta imune
Resposta imune
• Inata
– Natural do ser humano
– Linha de defesa inicial contra microrganismos
– Existentes antes do processo infeccioso
– Resposta rápida – 0 a 4 horas
– Diversidade limitada
Resposta imune
• Adquirida
– Linha de defesa específica
– Produzida após contato com agente infeccioso
– Resposta mais lenta – > 96 horas
– Mais específica
Resposta imune inata
• Específicas para estruturas comuns a vários
antígenos.
• Presentes o tempo todo e em todos os indivíduos,
independente da exposição prévia aos
microrganismos aos quais reagem.
• Incapazes de distinguirem variações antigênicas
específicas entre os microrganismos.
• Principais tipos de resposta imune inata: inflamação
e defesa antiviral
Resposta imune
• Principais componentes da resposta imune inata:
– Barreiras físicas, químicas e biológicas
• Células epiteliais: produção de defensinas e catelicidinas
• Linfócito T intraepiteliais
• Pelos, cilios, muco, etc
– Células fagocíticas
• Macrófagos, neutrófilos, células dendríticas e células NK
– Proteínas séricas
• Proteínas do sistema complemento
• citocinas
Disponível em: http://www.medic.ula.ve/idic/docs/clases/iahula/intensivo_guanare/inmunidad_mucosas.pdf
Resposta imune inata
• Células com receptores de reconhecimento de padrões (PRRs –
receptores de reconhecimento de padrões - pattern recognition
receptors).
– Realizam o reconhecimento direto das estruturas geralmente expressas
por microrganismos - Padrões Moleculares Associados a Patógenos
(PAMPs)
• Família de receptores toll-like (TLR 1-9 ), são ligantes de
componentes das paredes de células bacterianas e fúngicas, RNA
viral de fita dupla e fita única ou DNA bacteriano e viral não
metilado .
• Localizados na MP, citoplasma e endossoma celular
http://www.nature.com/nrg/journal/v4/n3/box/nrg1019_BX1.html
Macrófagos ( e neutrófilos) fagocitam e destroem microrganismos após o
primeiro encontro e secretam citocinas que estimulam a imunidade inata e
adaptativa (painel a) . As células dendríticas (DC) apresentam antígenos aos
linfócitos para estimular a imunidade adaptativa ( painel b ).
Peptídeo de parede
celular bacteriana
Imunidade inata
• Células com receptores de reconhecimentos de
moléculas endógenas de células danificadas (não
apoptóticas)
– Padrões moleculares associados a Danos (DAMP)
Estímulo para produção de citocinas pró inflamatórias e antimicrobianas
Imunidade inata
• Principais mecanismos na imunidade inata:
– Fagocitose, liberação de mediadores
inflamatórios, ativação de proteínas do sistema
complemento, bem como síntese de proteínas de
fase aguda, citocinas e quimiocinas.
Resposta imune inata
• Resposta contra microrganismos
– Inflamação
• Recrutamento de leucócitos e proteínas plasmáticas do
sangue para destruição dos microrganismos.
ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
Resposta imune adaptativa
• Características da resposta imune adaptativa:
– Especificidade e diversidade
– Memória
– Expansão clonal
– Especialização
– Contração e hemostasia
– Não reatividade ao próprio
Resposta imune adaptativa
• Especificidade e diversidade
Discriminação de 107 a 109 determinantes antigênicos distintos
Resposta imune adaptativa
• Memória
Cada exposição ao antígeno gera células de memória de vida longa proporcionando
uma resposta mais rápida e específica
Resposta imune adaptativa
• Expansão clonal
Proliferação após exposição a antígeno com expressão de receptores
idênticos para o mesmo antígeno
Ilustração disponível em http://evunix.uevora.pt/~sinogas/TRABALHOS/2003/Diversidade.htm
Resposta imune adaptativa
• Especialização
Ilustração disponível em http://www.ebah.com.br/content/ABAAAffGYAJ/imuno-anticorpos-antigenos
Resposta imune adaptativa
• Contração e homeostasia
Todas as respostas diminuem com o passar do tempo de forma que o sistema
Imunológico retorna ao estado basal
Resposta imune adaptativa
• Não reatividade ao próprio
Tolerância a antígenos próprios ou autotolerância
Resposta imune adaptativa
• Principais componentes da resposta imune
adaptativa:
– Linfócitos B
– Linfócitos T
• TCD4 ou Helper
• TCD8 ou citotóxico
– APCs
• Célula dendrítica, macrófago e linfócito B
– Citocinas
Resposta Imune adaptativa
• Linfócito B
– Neutralização do microrganismo, estímulo da
fagocitose e ativação do sistema complemento
ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
Resposta imune adaptativa
• Linfócito T auxiliar:
– Ativação dos macrófagos e ativação dos linfócitos
T e B
ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
Resposta imune adaptativa
• Linfócito T citotóxico
– Destruição da célula infectada
ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
Resposta imune adaptativa
• APCs
Resposta imune adaptativa
• Células apresentadoras de antígenos
Resposta imune adaptativa
• Citocinas
– Proteínas solúveis produzidas por muitos tipos
diferentes de células que medeiam e regulam
todos os aspectos da imunidade inata e
adaptativa.
– Produzidas após ativação celular.
– Atividade autócrina, parácrina ou endócrina.
– Exercem múltiplos efeitos biológicos: ativação e
regulação do processo imunológico, hematopese,
etc.
Resposta imune
Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune
conditions, and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em
http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp-
medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions,
and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp-
medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
Etapas da resposta imune adaptativa
• Captura e apresentação dos antígenos
– Captura e digestão dos microrganismos
– Apresentação dos peptídeos via MHC I e MHCII
– Migração para gânglios satélites e órgãos linfoides
– Apresentação dos peptídeos microbianos pelas
APCs aos linfócitos TCD4 e TCD8 virgens
Captura e apresentação de antígeno
Etapas da resposta imune adaptativa
• Reconhecimento do antígeno pelos linfócitos
– Presença de linfócitos específicos.
– Reconhecimento do peptídeo antigênico
associado a molécula de MHC I e MHCII e de
moléculas coestimuladoras.
– Proliferação e diferenciação dos linfócitos T e B.
Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions,
and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp-
medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
Etapa da resposta imune adaptativa
• Ativação dos linfócitos T:
– Antígenos intracelulares
– Ativação dos LT CD4 TCD4+
– Liberação de citocinas
• IL2 que atua como fator de crescimento para linfócitos
ativados promovendo expansão clonal
Etapa da resposta imune adaptativa
– Produção de células efetoras
– Migração para os locais da infecção
– Liberação de citocinas que recrutam células
específicas para resposta imunológica
(macrógafos, neutrófilos, linfócitos, etc)
Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions,
and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp-
medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
Etapa da resposta imune adaptativa
• Ativação de linfócito T
– Ativação de Linfócito TCD8 TCD8+
– Proliferação e diferenciação em células efetoras
– Destruição da célula alvo que contém o
microrganismos
– Ex: infecção por vírus
Etapa da resposta imune adaptativa
• Ativação de Linfócito B
– Respondem a antígenos extracelulares
– Ativação de LB por antígenos livres, apresentados
por APCs ou por sinais ativadores de LTCD4+
– Diferenciação em plasmócitos secretores de
anticorpos
– Neutralização dos microsrganismos
– Fagocitose
Etapa da resposta imune adaptativa
• Ativação de Linfócito B
– Produção de células de memória
– Produção de respostas mais rápidas em uma
segunda exposição
JUNIOR, M.D. et.al. Linfócito B: da imunibiologia aos imunobiológicos. Disponível em
http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3765
inunologia_1_aula_02.pdf_inata_e_adaptativa.pdf

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a inunologia_1_aula_02.pdf_inata_e_adaptativa.pdf

ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
Ricardo Portela
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
Ricardo Portela
 
A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503
Thaís Brito
 
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULARSistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
amaroalmeida74
 
Sistema Imunológico Humano: características
Sistema Imunológico Humano: característicasSistema Imunológico Humano: características
Sistema Imunológico Humano: características
ProfessorThrsisGabry
 
Resposta inata e adquirida para alunos
Resposta inata e adquirida para alunosResposta inata e adquirida para alunos
Resposta inata e adquirida para alunos
Gildo Crispim
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
Messias Miranda
 
introdução a imunologia - conceitos básicos
introdução a imunologia - conceitos básicosintrodução a imunologia - conceitos básicos
introdução a imunologia - conceitos básicos
biancafreitas97
 
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
mfernandamb
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
Colégios particulares
 
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptxrespostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
Laborat. de Biofísica e Radiobiologia / Biologia Molecular
 
Imunologia thaís benetti
Imunologia thaís benettiImunologia thaís benetti
Imunologia thaís benetti
Thais Benetti
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
Ricardo Portela
 
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptxAula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Claudiomar8
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
Lucas Almeida Sá
 
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
Teresa Cardoso
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
Ricardo Portela
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
Leonor Vaz Pereira
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
Medresumos 2016 mad ii
Medresumos 2016   mad iiMedresumos 2016   mad ii
Medresumos 2016 mad ii
Jucie Vasconcelos
 

Semelhante a inunologia_1_aula_02.pdf_inata_e_adaptativa.pdf (20)

ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDFICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
ICSA17 - Resposta Imune a infecções PDF
 
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecçõesICSA17 - Resposta Imune a infecções
ICSA17 - Resposta Imune a infecções
 
A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503A resposta imune 20130325000503
A resposta imune 20130325000503
 
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULARSistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
Sistema Imunologico.ppt BIOLOGIA MOLECULAR
 
Sistema Imunológico Humano: características
Sistema Imunológico Humano: característicasSistema Imunológico Humano: características
Sistema Imunológico Humano: características
 
Resposta inata e adquirida para alunos
Resposta inata e adquirida para alunosResposta inata e adquirida para alunos
Resposta inata e adquirida para alunos
 
Introdução à imunologia
Introdução à imunologiaIntrodução à imunologia
Introdução à imunologia
 
introdução a imunologia - conceitos básicos
introdução a imunologia - conceitos básicosintrodução a imunologia - conceitos básicos
introdução a imunologia - conceitos básicos
 
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
Aula 3 imunidade_inata-_enf-2_2011[1]
 
Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptxrespostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
respostaainfeces-140205214133-phpapp01.pptx
 
Imunologia thaís benetti
Imunologia thaís benettiImunologia thaís benetti
Imunologia thaís benetti
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
 
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptxAula 1 Introdução à imunologia.pptx
Aula 1 Introdução à imunologia.pptx
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
 
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
10 - Sistema imunitário 2.1.pptx
 
ICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inataICSA17 - Imunidade inata
ICSA17 - Imunidade inata
 
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas32 Sistema ImunitáRio   Defesas Especificas
32 Sistema ImunitáRio Defesas Especificas
 
IMUNIDADE III
IMUNIDADE IIIIMUNIDADE III
IMUNIDADE III
 
Medresumos 2016 mad ii
Medresumos 2016   mad iiMedresumos 2016   mad ii
Medresumos 2016 mad ii
 

Último

A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdfVIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
kailanejoyce4
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AntonioXavier35
 

Último (9)

A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdfVIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
VIAS+E+ADMINISTRAÇÃO+DE+MEDICAMENTOS-+AULA+03 (2).pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
 

inunologia_1_aula_02.pdf_inata_e_adaptativa.pdf

  • 1. Resposta imune inata e adaptativa Profa. Alessandra Barone
  • 2. Resposta imune • Resposta imunológica – Reação a componentes de microrganismos, macromoléculas como proteínas, polissacarídeos e substâncias químicas reconhecidas pelo organismo como elementos estranhos (imunógenos). – Mediada por reações inatas/imediatas e tardias/adaptativas.
  • 3. Resposta imune • Imunidade ativa: Imunidade protetora como uma resposta imune produzida pelo próprio indivíduo pela exposição ao antígeno. • Imunidade passiva: Imunidade protetora recebida passivamente através da transferência de soro/plasma ou células de indivíduos já imunizados.
  • 6. Resposta imune • Inata – Natural do ser humano – Linha de defesa inicial contra microrganismos – Existentes antes do processo infeccioso – Resposta rápida – 0 a 4 horas – Diversidade limitada
  • 7. Resposta imune • Adquirida – Linha de defesa específica – Produzida após contato com agente infeccioso – Resposta mais lenta – > 96 horas – Mais específica
  • 8. Resposta imune inata • Específicas para estruturas comuns a vários antígenos. • Presentes o tempo todo e em todos os indivíduos, independente da exposição prévia aos microrganismos aos quais reagem. • Incapazes de distinguirem variações antigênicas específicas entre os microrganismos. • Principais tipos de resposta imune inata: inflamação e defesa antiviral
  • 9. Resposta imune • Principais componentes da resposta imune inata: – Barreiras físicas, químicas e biológicas • Células epiteliais: produção de defensinas e catelicidinas • Linfócito T intraepiteliais • Pelos, cilios, muco, etc – Células fagocíticas • Macrófagos, neutrófilos, células dendríticas e células NK – Proteínas séricas • Proteínas do sistema complemento • citocinas
  • 11. Resposta imune inata • Células com receptores de reconhecimento de padrões (PRRs – receptores de reconhecimento de padrões - pattern recognition receptors). – Realizam o reconhecimento direto das estruturas geralmente expressas por microrganismos - Padrões Moleculares Associados a Patógenos (PAMPs) • Família de receptores toll-like (TLR 1-9 ), são ligantes de componentes das paredes de células bacterianas e fúngicas, RNA viral de fita dupla e fita única ou DNA bacteriano e viral não metilado . • Localizados na MP, citoplasma e endossoma celular
  • 12. http://www.nature.com/nrg/journal/v4/n3/box/nrg1019_BX1.html Macrófagos ( e neutrófilos) fagocitam e destroem microrganismos após o primeiro encontro e secretam citocinas que estimulam a imunidade inata e adaptativa (painel a) . As células dendríticas (DC) apresentam antígenos aos linfócitos para estimular a imunidade adaptativa ( painel b ).
  • 14. Imunidade inata • Células com receptores de reconhecimentos de moléculas endógenas de células danificadas (não apoptóticas) – Padrões moleculares associados a Danos (DAMP) Estímulo para produção de citocinas pró inflamatórias e antimicrobianas
  • 15. Imunidade inata • Principais mecanismos na imunidade inata: – Fagocitose, liberação de mediadores inflamatórios, ativação de proteínas do sistema complemento, bem como síntese de proteínas de fase aguda, citocinas e quimiocinas.
  • 16. Resposta imune inata • Resposta contra microrganismos – Inflamação • Recrutamento de leucócitos e proteínas plasmáticas do sangue para destruição dos microrganismos.
  • 17. ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
  • 18. Resposta imune adaptativa • Características da resposta imune adaptativa: – Especificidade e diversidade – Memória – Expansão clonal – Especialização – Contração e hemostasia – Não reatividade ao próprio
  • 19. Resposta imune adaptativa • Especificidade e diversidade Discriminação de 107 a 109 determinantes antigênicos distintos
  • 20. Resposta imune adaptativa • Memória Cada exposição ao antígeno gera células de memória de vida longa proporcionando uma resposta mais rápida e específica
  • 21. Resposta imune adaptativa • Expansão clonal Proliferação após exposição a antígeno com expressão de receptores idênticos para o mesmo antígeno Ilustração disponível em http://evunix.uevora.pt/~sinogas/TRABALHOS/2003/Diversidade.htm
  • 22. Resposta imune adaptativa • Especialização Ilustração disponível em http://www.ebah.com.br/content/ABAAAffGYAJ/imuno-anticorpos-antigenos
  • 23. Resposta imune adaptativa • Contração e homeostasia Todas as respostas diminuem com o passar do tempo de forma que o sistema Imunológico retorna ao estado basal
  • 24. Resposta imune adaptativa • Não reatividade ao próprio Tolerância a antígenos próprios ou autotolerância
  • 25.
  • 26. Resposta imune adaptativa • Principais componentes da resposta imune adaptativa: – Linfócitos B – Linfócitos T • TCD4 ou Helper • TCD8 ou citotóxico – APCs • Célula dendrítica, macrófago e linfócito B – Citocinas
  • 27. Resposta Imune adaptativa • Linfócito B – Neutralização do microrganismo, estímulo da fagocitose e ativação do sistema complemento ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
  • 28. Resposta imune adaptativa • Linfócito T auxiliar: – Ativação dos macrófagos e ativação dos linfócitos T e B ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
  • 29. Resposta imune adaptativa • Linfócito T citotóxico – Destruição da célula infectada ABBAS,A.K.; LICHTMAN,A.H.; PILLAI, S. Imunologia Celular e Molecular. Rio de Janeiro: Elsevier. 2011.
  • 31. Resposta imune adaptativa • Células apresentadoras de antígenos
  • 32. Resposta imune adaptativa • Citocinas – Proteínas solúveis produzidas por muitos tipos diferentes de células que medeiam e regulam todos os aspectos da imunidade inata e adaptativa. – Produzidas após ativação celular. – Atividade autócrina, parácrina ou endócrina. – Exercem múltiplos efeitos biológicos: ativação e regulação do processo imunológico, hematopese, etc.
  • 33. Resposta imune Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions, and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp- medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
  • 34. Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions, and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp- medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
  • 35. Etapas da resposta imune adaptativa • Captura e apresentação dos antígenos – Captura e digestão dos microrganismos – Apresentação dos peptídeos via MHC I e MHCII – Migração para gânglios satélites e órgãos linfoides – Apresentação dos peptídeos microbianos pelas APCs aos linfócitos TCD4 e TCD8 virgens
  • 36. Captura e apresentação de antígeno
  • 37. Etapas da resposta imune adaptativa • Reconhecimento do antígeno pelos linfócitos – Presença de linfócitos específicos. – Reconhecimento do peptídeo antigênico associado a molécula de MHC I e MHCII e de moléculas coestimuladoras. – Proliferação e diferenciação dos linfócitos T e B.
  • 38. Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions, and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp- medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
  • 39. Etapa da resposta imune adaptativa • Ativação dos linfócitos T: – Antígenos intracelulares – Ativação dos LT CD4 TCD4+ – Liberação de citocinas • IL2 que atua como fator de crescimento para linfócitos ativados promovendo expansão clonal
  • 40. Etapa da resposta imune adaptativa – Produção de células efetoras – Migração para os locais da infecção – Liberação de citocinas que recrutam células específicas para resposta imunológica (macrógafos, neutrófilos, linfócitos, etc)
  • 41. Lundy SK, PhD, Fox DA, MD, Gizinski A, MD. Introduction to clinical immunology: overview of the immune response, autoimmune conditions, and immunosuppressive therapeutics. ACP Medicine. 2015. Disponível em http://www.medicinanet.com.br/conteudos/acp- medicine/6726/introducao_a_imunologia_clinica_visao_geral_de_respostas_imunes_de_condicoes_autoimunes_e_da_terap.htm
  • 42. Etapa da resposta imune adaptativa • Ativação de linfócito T – Ativação de Linfócito TCD8 TCD8+ – Proliferação e diferenciação em células efetoras – Destruição da célula alvo que contém o microrganismos – Ex: infecção por vírus
  • 43. Etapa da resposta imune adaptativa • Ativação de Linfócito B – Respondem a antígenos extracelulares – Ativação de LB por antígenos livres, apresentados por APCs ou por sinais ativadores de LTCD4+ – Diferenciação em plasmócitos secretores de anticorpos – Neutralização dos microsrganismos – Fagocitose
  • 44. Etapa da resposta imune adaptativa • Ativação de Linfócito B – Produção de células de memória – Produção de respostas mais rápidas em uma segunda exposição
  • 45. JUNIOR, M.D. et.al. Linfócito B: da imunibiologia aos imunobiológicos. Disponível em http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3765