SlideShare uma empresa Scribd logo
INTRODUÇÃO A COMPUTADORES
PROF. CRISTIVON S.CRUZ
FUNDAMENTOS DE INFORMÁTICA
INTRODUÇÃO
• Definição
• Breve história
• Arquitetura de Von Neumann
• Representação de dados
DEFINIÇÃO
Computador  É uma máquina capaz de variados tipos de
tratamento automático de informações ou processamento de
dados.
Computador  É uma máquina electrónica que permite
processar dados. O termo provém do latim computare (“calcular”).
Um computador é composto por uma série de circuitos integrados
e outros componentes relacionados, que possibilitam a execução
de uma variedade de sequências ou rotinas de instruções
indicadas pelo utilizador.
COMPUTADOR
BREVE HISTÓRIA
 COMPUTADORES MECÂNICOS
 ABACO (2500 AC)
 CALCULADORA DE DISCO PASCAL (1642)
 MÁQUINA DIFERENCIAL (Babbage, 1822)
 MOTOR ANALÍTICO (Babbage, 1833)
 TABULADORA HOLLERITH (1890)
BREVE HISTÓRIA CONT…
 ABACO
 CALCULADORA DE DISCO PASCAL
 MÁQUINA DIFERENCIAL
BREVE HISTÓRIA CONT…
 TABULADORA HOLLERITH MOTOR ANALÍTICO
GERAÇÕES DOS COMPUTADORES
1ª Geração (1946-1954)
2ª Geração (1955-1964)
3ª Geração (1964-1977)
4ª Geração (1977-1991)
5ª Geração (1991-atuais)
1ª GERAÇÃO (1946-1954)
Uso de válvulas e cartões perfurados. Os Cálculos digitais substituíram
os cálculos analógicos.
 Harvard MARK I (Aiken, 1944) Hardware eletromecânico.
 ENIAC (Eckerte Mauchly, 1946) Primeiro computador completamente
eletrônico.
 EDVAC (von Neumann, 1950) Introduziu a memória permanente e o
sistema binário.
 UNIVAC I (1951) Primeiro computador a ser produzido em massa.
 VÁLVULAS CARTÕES PERFURADOS
 Harvard MARK I
Foi desenvolvido nos EUA (Marinha Universidade de Harvard e IBM), ocupava
120 m2, tinha milhares de engrenagens e fazia muito barulho. Uma
multiplicação de dez dígitos chegava a demorar 3s.
possuía 17.468 válvulas, pesava 30 toneladas, tinha 180 m² de área
construída, sua velocidade era da ordem de 100 kHz e possuía apenas
200 bits de memória RAM.
 ENIAC
 EDVAC
Apesar de ser mais moderno, não diminuiu de tamanho e
ocupava 100% do espaço que o ENIAC ocupava. Tinha cem
vezes mais memória interna que o ENIAC.
Era uma máquina eletrônica de programa armazenado que recebia
instruções de uma fita magnética de alta velocidade ao invés dos
cartões perfurados. O UNIVAC foi utilizado para prever os resultados
de uma eleição presidencial
 UNIVAC I
2ª GERAÇÃO (1955-1964)
Substituição das válvulas pelo transístor. O transistor revolucionou a
eletrônica em geral e os computadores em especial. Eles eram muito
menores do que as válvulas a vácuo e tinham outras vantagens: não
exigiam tempo de pré-aquecimento, consumiam menos energia, geravam
menos calor e eram mais rápidos e confiáveis.
 1/200 do tamanho das válvulas.
 Consumo de menos de 1/100 da energia de uma válvula.
 Linguagens de programação de alto nível.
 Introdução de sistemas operativos.
 Foram os primeiros computadores com sucesso comercial.
 FORTRAN, COBOL - Linguagens de programação.
 O conceito de Unidade Central de Procedimento (CPU), memória,
linguagem de programação e entrada e saída foram desenvolvidos.
 CIRCUITO IMPRESSO
Surgimento do armazenamento em disco, complementando os sistemas de fita
magnética e possibilitando ao usuário acesso rápido aos dados desejados.
Em vez das 30 toneladas do ENIAC, o
IBM 7094 (versão de maior sucesso
dessa segunda geração de
computadores) pesava apenas 890 Kg.
Essa máquina ultrapassou a marca de 10
mil unidades vendidas.
 IBM 7094
3ª GERAÇÃO (1964-1977)
Substituição dos utilização transístor por circuitos integrados, feitos de
silício. Também conhecidos como microchips, eles eram construídos
integrando um grande número de transistores, o que possibilitou a
construção de equipamentos menores e mais baratos.
 Minicomputadores - Versões reduzidas dos mainframes
(computadores de grande porte).
 Redes de computadores.
 Invenção do mouse (Douglas Engelbart - 1968).
 Desenvolvimento das linguagens de programação BASIC e PASCAL.
 CIRCUITO INTEGRADO
Mas o diferencial dos circuitos integrados não era o apenas o tamanho, mas o processo
de fabricação que possibilitava a construção de vários circuitos simultaneamente,
facilitando a produção em massa. Este avanço pode ser comparado ao advento da impressa,
que revolucionou a produção dos livros.
 DISQUETE  MOUSE
Em 1971 a IBM lança
no mercado mundial o
primeiro disquete, seu
tamanho era de 8“.
primeira versão era madeira,
tinha apenas um botão e era
movido sobre pequenas
rodinhas
O IBM’s System/360, voltado para o setor comercial e científico. Ele possuía uma arquitetura
plugável, na qual o cliente poderia substituir as peças que dessem defeitos. Além disso, um
conjunto de periféricos eram vendidos conforme a necessidade do cliente.
 ARQUITETURA PLUGÁVEL DO SYSTEM/360
4ª GERAÇÃO (1977-1991)
Os computadores da quarta geração são reconhecidos pelo surgimento dos
microprocessadores — unidade central de processamento.
 Desenvolvimento dos computadores pessoais (Personal Computer ou
PC)
 Os sistemas operacionais como MS-DOS, UNIX, Apples e Macintosh
foram construídos.
 Linguagens de programação orientadas a objeto como C++ e Smalltalk
foram desenvolvidas.
 Discos rígidos eram utilizados como memória secundária.
Impressoras matriciais, e os teclados com os layouts atuais foram
criados nesta época.
 Transmissão de dados entre computadores através de rede.
 MICROPROCESSADOR
Agora os circuitos integrados não se restringiam apenas a dezenas de transistores,
mas chegavam a ter milhares deles em apenas um chip.
 MODELOS DE COMPUTADORES PESSOAIS
Os computadores eram mais confiáveis, mais rápidos, menores e com maior capacidade de
armazenamento. Esta geração é marcada pela venda de computadores pessoais
Em 1982, o jornalista especializado em microcomputadores Adam Osborne fundou
sua empresa e lançou o Osborne I, então foi lançado o primeiro computador portátil do
mundo.
 COMPUTADOR PORTÁTIL
5ª GERAÇÃO (1991-ATUAIS)
Uma das principais características dessa geração é a simplificação e
miniaturização do computador , além de melhor desempenho e maior
capacidade de armazenamento. Tudo isso, com os preços cada vez
mais acessíveis.
 As aplicações exigem cada vez mais uma maior capacidade de
processamento e armazenamento de dados.
 Banco de dados distribuídos e redes neurais.
 Computação nas Nuvens.
 Realidade Aumentada.
 Computação Distribuída.
 O conceito de processamento está partindo para os processadores
paralelos, ou seja, a execução de muitas operações simultaneamente
pelas máquinas.
 Era da conectividade, onde tudo está conectado.
 MODELO DOS NOVOS COMPUTADORES PESSOAIS
ARQUITETURA VON NEUMANN
INTRODUÇÃO AO MODELO
 Introduziu o conceito do computador controlado por programa
armazenado.
 Todo computador é formado por 5 partes básicas: a memória, a
unidade lógica e aritmética, a unidade de controle e os dispositivos de
entrada e saída.
 As operações a serem realizadas pelo computador são definidas pelos
dados e instruções do programa carregado na memória.
 É o modelo de design da maioria dos computadores atuais.
MODELO DE VON NEUMANN
MODELO DE VON NEUMANN CONT…
 A unidade aritmética e lógica é a parte do computador
onde são feitas as operações aritméticas e lógicas com os
dados.
 O tipo de operação a ser executado é determinado por
sinais vindos da unidade de controle.
 A memória é onde ficam armazenados os dados e
instruções que vão ser utilizados pela ULA e pela unidade
de controle.
 Os dados a serem operados são lidos dos dispositivos de
entrada para a memória.
 Os resultados obtidos são enviados para a memória e daí
para os dispositivos de saída de dados.
MODELO DE VON NEUMANN CONT…
CPU TEM COMO FUNÇÃO
 Executar programas que estão armazenados na memória principal;
 Buscar as instruções desses programas;
 Examinar essas instruções;
 Executar as instruções uma após a outra (sequencialmente).
UNIDADE DE CONTROLE TEM COMO FUNÇÃO
 Buscar instruções na memória principal;
 Determinar o tipo dessas instruções.
UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA TEM COMO FUNÇÃO
 Efetuar operações aritméticas;
 Efetuar operações booleanas (e, ou, not, etc);
 Essas operações são necessárias para a execução das instruções dos programas.
MODELO DE BARRAMENTO DE SISTEMAS
MODELO DE BARRAMENTO DE SISTEMAS
 É um refinamento do modelo de Von Neumann e possui o processador
(que integra ULA, registradores e unidade de controle), memória e
unidade de entrada/saída.
 A comunicação entre as diversas unidades é feita através do barramento
de sistema, que é composto pelos barramentos de endereço, dados e
controle.
 Em algumas arquiteturas pode haver também barramentos adicionais
conectados à unidade de Entrada/Saída, chamados de barramentos de
Entrada/Saída.
PROCESSADOR
 É o conjunto da unidade lógica e aritmética, registradores e da unidade
de controle.
 O processador é responsável pela realização de uma série de funções:
 „Busca de instruções e dados na memória;
 „Programa a transferência de dados entre a memória e os
dispositivos de Entrada/Saída;
 „Decodifica as instruções;
 „Realiza as operações lógica e aritméticas;
 „Responde a sinais enviados por dispositivos de Entrada/Saída
como RESET ou interrupções.
 Executar os programas armazenados na memória principal,
buscando suas instruções, examinando-as e então executando uma
após a outra.
MEMÓRIA
 A unidade de memória é formada pela memória volátil e pela
memória não volátil.
 As informações armazenadas na memória volátil podem ser
alteradas durante a execução de um programa. São também
usadas para armazenar os resultados intermediários e finais
das operações realizadas pelo processador.
 A memória não volátil é usada para armazenar informações
que não necessitam ser alteradas no decorrer do
processamento. É utilizada para iniciar o funcionamento do
computador, realizando os testes iniciais e cópia do sistema
operacional para a memória.
 A memória volátil recebe o nome de memória principal e a
memória não volátil é conhecida como BIOS nos
computadores baseados no IBM/PC.
ENTRADA / SAÍDA
 A unidade de entrada e saída contém os circuitos de interface
necessários para prover a comunicação entre os dispositivos de
ENTRADA e SAÍDA com as demais partes do computador.
 Toda a informação é convertida de/para o formato binário pela unidade
de entrada/saída.
 Exemplos de dispositivos de entrada : Disco rígido, microfone, teclado,
mouse, tela sensível ao toque, scanner, leitor de código de
barras, celular, pendrive, máquina fotográfica digital, webcam, joystick.
 São exemplos de unidades de saída: monitor, caixas de
som, impressora.
 Algumas unidades são de entrada e saída ou seja, dispositivos
Híbridos: Disco rígido, disco flexível ou disquete, monitor sensível a
toques, pendrive, joystick e impressora.
BARRAMENTOS
Barramento de dados Tem por função transportar a informação (código
e dados) entre os blocos funcionais de um computador;
Barramento de endereços  Tem por função transportar a identificação
(“endereço”) dos sítios onde se pretende ler ou escrever dados;
Barramento de controle  Agrupa todos os sinais elétricos de controle do
sistema, necessários ao bom funcionamento do computador.
REPRESENTAÇÃO DE DADOS
BITS
 Os computadores "entendem" impulsos elétricos, positivos ou
negativos, verdadeiro ou falso, que são representados por 1
ou 0. A cada impulso elétrico damos o nome de bit.
 O termo Bit, que é proveniente das palavras dígito binário, ou
“BInary digiT”, é a menor unidade de medida de transmissão
de dados usada na computação e informática.
Um conjunto de 8 bits reunidos como uma única unidade
forma um byte
BYTES
Os bytes representam todas as letras (maiúsculas e minúsculas),
sinais de pontuação, acentos, caracteres especiais e até
informações que não podemos ver, mas que servem para
comandar o computador e que podem inclusive ser enviados pelo
teclado ou por outro dispositivo de entrada de dados e instruções.
Para que isso aconteça, os computadores utilizam uma tabela
que combina números binários com símbolos:
a tabela ASCII (American Standard Code for Information
Interchange). Nela, cada byte representa um caractere ou um
sinal.
TABELA ASCII
NOMENCLATURAS
A partir daí, foram criados vários termos para facilitar a compreensão
humana da capacidade de armazenamento, processamento e manipulação
de dados nos computadores. No que se refere aos bits e bytes, tem-se as
seguintes medidas:
1 Byte = 8 bits
1 kilobyte (KB ou Kbytes) = 1024 bytes
1 megabyte (MB ou Mbytes) = 1024 kilobytes
1 gigabyte (GB ou Gbytes) = 1024 megabytes
1 terabyte (TB ou Tbytes) = 1024 gigabytes
1 petabyte (PB ou Pbytes) = 1024 terabytes
1 exabyte (EB ou Ebytes) = 1024 petabytes
1 zettabyte (ZB ou Zbytes) = 1024 exabytes
1 yottabyte (YB ou Ybytes) = 1024 zettabytes
NOMENCLATURAS CONT…
É também por meio dos bytes que se determina o comprimento
da palavra de um computador, ou seja, a quantidade de bits que o
dispositivo utiliza na composição das instruções internas, como por
exemplo:
8 bits => palavra de 1 byte
16 bits => palavra de 2 bytes
32 bits => palavra de 4 bytes
NOMENCLATURAS CONT…
Na transmissão de dados entre dispositivos, geralmente usa-se
medições relacionadas a bits e não a bytes. Assim, há também os
seguintes termos:
1 kilobit (Kb ou Kbit) = 1024 bits
1 megabit (Mb ou Mbit) = 1024 Kilobits
1 gigabit (Gb ou Gbit) = 1024 Megabits
1 terabit (Tb ou Tbit) = 1024 Gigabits
OBS.: Quando a medição é baseada em bytes, a letra 'b' da sigla é
maiúscula (como em GB). Quando a medição é feita em bits, o 'b' da
sigla fica em minúsculo (como em Gb).
NOMENCLATURAS CONT…
A utilização de medições em bits é comum para informar o
volume de dados em transmissões. Geralmente, indica-se a
quantidade de bits transmitidos por segundo. Assim, quando
queremos dizer que um determinado dispositivo é capaz de
trabalhar, por exemplo, com 54 megabits por segundo, usa-se a
expressão 54 Mb/s:
1 Kb/s = 1 kilobit por segundo
1 Mb/s = 1 megabit por segundo
1 Gb/s = 1 gigabit por segundo
CONVERSÃO
BINÁRIO DECIMAL
Valor em binário = 01110110
Valor em binário = 111101101
Valor em binário = 1101101011
DECIMAL  BINÁRIO
Valor em Decimal= 511
Valor em Decimal = 251
Valor em Decimal = 5400
TABELA DE CONVERSÕES
DECIMAL  OCTAL
Usamos o valor desejado e dividimos por 8, para achar o quanto ele
vale em Octal.
EX.: 283410
ENTÃO 283410 EM OCTAL É 54228
OCTAL  DECIMAL
Usamos o valor desejado 54228 Para a base Decimal, seguiremos
os seguintes passos:
1  Primeiro invertermos o número para fazermos a somatória da
direita para a esquerda do número original, então 54228  2245
2  Agora vamos somar cada número, multiplicando por 8 elevado a
um número sequencial iniciado em 0.
2*80 + 2*81 + 4*82 + 5*83 = 2*1 + 2*8 + 4*64 + 5*512
2 + 16 + 256 + 2560 = 2834 ou 283410

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Redes industriais
Redes industriais Redes industriais
Redes industriais
ubirata paulo
 
Placas de rede
Placas de redePlacas de rede
Placas de rede
Patrícia Morais
 
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - WindowsAula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
Suzana Viana Mota
 
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
Pedro Felipe Teixeira
 
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.301 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
César Augusto Pessôa
 
Formatando o computador
Formatando o computadorFormatando o computador
Formatando o computador
Suzana Viana Mota
 
Pilha de protocolos
Pilha de protocolosPilha de protocolos
Sistemas De ComunicaçãO
Sistemas De ComunicaçãOSistemas De ComunicaçãO
Sistemas De ComunicaçãO
senhortome
 
Informática 1-conceitos e componentes
Informática  1-conceitos e componentesInformática  1-conceitos e componentes
Informática 1-conceitos e componentes
Mauro Pereira
 
Modelo de von neumann
Modelo de von neumannModelo de von neumann
Modelo de von neumann
Elaine Cecília Gatto
 
An embedded real time system for autonomous flight control
An embedded real time system for autonomous flight controlAn embedded real time system for autonomous flight control
An embedded real time system for autonomous flight control
Vinothini Navaneethan
 
Tipos de memória rom
Tipos de memória romTipos de memória rom
Tipos de memória rom
grupomp10m
 
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
Leinylson Fontinele
 
Linha do tempo
Linha do tempoLinha do tempo
Linha do tempo
leiladb
 
História e evolução do computadores
História e evolução do computadoresHistória e evolução do computadores
História e evolução do computadores
UEG
 
Lineamientos Comunicativos 26 09 08
Lineamientos Comunicativos 26 09 08Lineamientos Comunicativos 26 09 08
Lineamientos Comunicativos 26 09 08
e-metafora
 
Protocolo de comunicação apresentação
Protocolo de comunicação apresentação Protocolo de comunicação apresentação
Protocolo de comunicação apresentação
Márcia Catunda
 
1º geração dos computadores
1º geração dos computadores1º geração dos computadores
1º geração dos computadores
LagratinhoemTic
 
Aula 09 - Memórias do Computador
Aula 09 - Memórias do ComputadorAula 09 - Memórias do Computador
Aula 09 - Memórias do Computador
Suzana Viana Mota
 
Avarias mais comuns nos computadores
Avarias mais comuns nos computadoresAvarias mais comuns nos computadores
Avarias mais comuns nos computadores
edlander
 

Mais procurados (20)

Redes industriais
Redes industriais Redes industriais
Redes industriais
 
Placas de rede
Placas de redePlacas de rede
Placas de rede
 
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - WindowsAula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
Aula 11 - História dos Sistemas Operacionais - Windows
 
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
21476983 50-questoes-de-informatica-basica-50-questoes-basicas-de-informatica
 
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.301 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
01 - Introdução e diferenças entre software e hardware v1.3
 
Formatando o computador
Formatando o computadorFormatando o computador
Formatando o computador
 
Pilha de protocolos
Pilha de protocolosPilha de protocolos
Pilha de protocolos
 
Sistemas De ComunicaçãO
Sistemas De ComunicaçãOSistemas De ComunicaçãO
Sistemas De ComunicaçãO
 
Informática 1-conceitos e componentes
Informática  1-conceitos e componentesInformática  1-conceitos e componentes
Informática 1-conceitos e componentes
 
Modelo de von neumann
Modelo de von neumannModelo de von neumann
Modelo de von neumann
 
An embedded real time system for autonomous flight control
An embedded real time system for autonomous flight controlAn embedded real time system for autonomous flight control
An embedded real time system for autonomous flight control
 
Tipos de memória rom
Tipos de memória romTipos de memória rom
Tipos de memória rom
 
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
Sistemas Operacionais - Aula 02 (Visão geral de sistemas operacionais)
 
Linha do tempo
Linha do tempoLinha do tempo
Linha do tempo
 
História e evolução do computadores
História e evolução do computadoresHistória e evolução do computadores
História e evolução do computadores
 
Lineamientos Comunicativos 26 09 08
Lineamientos Comunicativos 26 09 08Lineamientos Comunicativos 26 09 08
Lineamientos Comunicativos 26 09 08
 
Protocolo de comunicação apresentação
Protocolo de comunicação apresentação Protocolo de comunicação apresentação
Protocolo de comunicação apresentação
 
1º geração dos computadores
1º geração dos computadores1º geração dos computadores
1º geração dos computadores
 
Aula 09 - Memórias do Computador
Aula 09 - Memórias do ComputadorAula 09 - Memórias do Computador
Aula 09 - Memórias do Computador
 
Avarias mais comuns nos computadores
Avarias mais comuns nos computadoresAvarias mais comuns nos computadores
Avarias mais comuns nos computadores
 

Destaque

Tabela Ascii
Tabela AsciiTabela Ascii
Tabela Asciijkolive
 
1 Int. Computadores
1 Int. Computadores1 Int. Computadores
1 Int. Computadores
henriquecorreio
 
Geração dos Computadores
Geração dos ComputadoresGeração dos Computadores
Geração dos Computadores
Janielson Lima
 
4ª geração de computadores
4ª geração de computadores4ª geração de computadores
4ª geração de computadores
alexm98
 
Geração dos computadores
Geração dos computadoresGeração dos computadores
Geração dos computadores
IEFP-Porto
 
Gerações de computadores
Gerações de computadoresGerações de computadores
Gerações de computadores
Karen Carvalho
 
Geração dos Computadores
Geração dos ComputadoresGeração dos Computadores
Geração dos Computadores
Ricardo Andrade
 
Trabalho senai
Trabalho senaiTrabalho senai
Trabalho senai
Leandro Silva
 
Sistemas Numericos
Sistemas NumericosSistemas Numericos
Sistemas Numericos
Aline Fontes
 
Informática - Tabela ASCII
Informática - Tabela ASCIIInformática - Tabela ASCII
Informática - Tabela ASCIIRafael Schetz
 
Introducao aula-i
Introducao aula-iIntroducao aula-i
Introducao aula-i
José De Matos Ventura
 
Teste Estrutural
Teste EstruturalTeste Estrutural
Teste Estrutural
elliando dias
 
Computação Pervasiva
Computação PervasivaComputação Pervasiva
Computação Pervasiva
lucaslsantoss
 
Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração
Marco Casquinha
 
Monografia Tatiane Pedagogia 2011
Monografia Tatiane Pedagogia 2011Monografia Tatiane Pedagogia 2011
Monografia Tatiane Pedagogia 2011
Biblioteca Campus VII
 
Guia de proteção de redes elétricas schneider
Guia de proteção de redes elétricas   schneiderGuia de proteção de redes elétricas   schneider
Guia de proteção de redes elétricas schneider
Fredson Marques de Oliveira
 
Evolução dos computadores
Evolução dos computadoresEvolução dos computadores
Evolução dos computadores
Joao Anderson Nascimento Barnabé
 
historia dos computadores e sistemas numéricos
historia dos computadores e sistemas numéricoshistoria dos computadores e sistemas numéricos
historia dos computadores e sistemas numéricos
Evandro Manara Miletto
 
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
Biblioteca Campus VII
 
História e gerações do computador : da 3ª ate a atual
História e gerações do computador : da 3ª ate a atualHistória e gerações do computador : da 3ª ate a atual
História e gerações do computador : da 3ª ate a atual
Keystonenecamaru Andrde
 

Destaque (20)

Tabela Ascii
Tabela AsciiTabela Ascii
Tabela Ascii
 
1 Int. Computadores
1 Int. Computadores1 Int. Computadores
1 Int. Computadores
 
Geração dos Computadores
Geração dos ComputadoresGeração dos Computadores
Geração dos Computadores
 
4ª geração de computadores
4ª geração de computadores4ª geração de computadores
4ª geração de computadores
 
Geração dos computadores
Geração dos computadoresGeração dos computadores
Geração dos computadores
 
Gerações de computadores
Gerações de computadoresGerações de computadores
Gerações de computadores
 
Geração dos Computadores
Geração dos ComputadoresGeração dos Computadores
Geração dos Computadores
 
Trabalho senai
Trabalho senaiTrabalho senai
Trabalho senai
 
Sistemas Numericos
Sistemas NumericosSistemas Numericos
Sistemas Numericos
 
Informática - Tabela ASCII
Informática - Tabela ASCIIInformática - Tabela ASCII
Informática - Tabela ASCII
 
Introducao aula-i
Introducao aula-iIntroducao aula-i
Introducao aula-i
 
Teste Estrutural
Teste EstruturalTeste Estrutural
Teste Estrutural
 
Computação Pervasiva
Computação PervasivaComputação Pervasiva
Computação Pervasiva
 
Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração Informática - 4ª Geração
Informática - 4ª Geração
 
Monografia Tatiane Pedagogia 2011
Monografia Tatiane Pedagogia 2011Monografia Tatiane Pedagogia 2011
Monografia Tatiane Pedagogia 2011
 
Guia de proteção de redes elétricas schneider
Guia de proteção de redes elétricas   schneiderGuia de proteção de redes elétricas   schneider
Guia de proteção de redes elétricas schneider
 
Evolução dos computadores
Evolução dos computadoresEvolução dos computadores
Evolução dos computadores
 
historia dos computadores e sistemas numéricos
historia dos computadores e sistemas numéricoshistoria dos computadores e sistemas numéricos
historia dos computadores e sistemas numéricos
 
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
Monografia Edneide Ciências Contábeis 2010
 
História e gerações do computador : da 3ª ate a atual
História e gerações do computador : da 3ª ate a atualHistória e gerações do computador : da 3ª ate a atual
História e gerações do computador : da 3ª ate a atual
 

Semelhante a Introdução a computadores

Trabalho arquitetura computacional
Trabalho arquitetura computacionalTrabalho arquitetura computacional
Trabalho arquitetura computacional
katia Oliveira
 
Evolução dos computadores 2 pronto
Evolução dos computadores 2 prontoEvolução dos computadores 2 pronto
Evolução dos computadores 2 pronto
Fraan Bittencourt
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de Computadores
Suzana Viana Mota
 
Evolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaiasEvolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaias
Isaias_Bass
 
SDAC 12º - M9 TGEI
SDAC 12º - M9 TGEISDAC 12º - M9 TGEI
SDAC 12º - M9 TGEI
Luis Ferreira
 
Intr. a informática Aulas
Intr. a informática Aulas Intr. a informática Aulas
Intr. a informática Aulas
Nmutemba
 
01 introducao vaston
01 introducao vaston01 introducao vaston
01 introducao vaston
silfisica
 
Aula 1 e 2 - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
Aula 1 e 2  - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptxAula 1 e 2  - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
Aula 1 e 2 - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
LeandroBarros977326
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
Klementy Da_sylva
 
Informatica básica
Informatica básicaInformatica básica
Informatica básica
IndicaCursos
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
Juan Pablo Pinheiro
 
Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1
Guilherme Nonino Rosa
 
Computadores AS81A-3
Computadores AS81A-3Computadores AS81A-3
Computadores AS81A-3
Luisfoliveira
 
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
Luisfoliveira
 
O computador
O computadorO computador
O computador
Tiago
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
Pedro Ferreira
 
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicasUFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
Scribd917701
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1
giovani1
 
História dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos baseHistória dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos base
henriquecorreiosapo
 

Semelhante a Introdução a computadores (20)

Trabalho arquitetura computacional
Trabalho arquitetura computacionalTrabalho arquitetura computacional
Trabalho arquitetura computacional
 
Evolução dos computadores 2 pronto
Evolução dos computadores 2 prontoEvolução dos computadores 2 pronto
Evolução dos computadores 2 pronto
 
Organizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de ComputadoresOrganizacao e estrutura de Computadores
Organizacao e estrutura de Computadores
 
Evolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaiasEvolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaias
 
SDAC 12º - M9 TGEI
SDAC 12º - M9 TGEISDAC 12º - M9 TGEI
SDAC 12º - M9 TGEI
 
Intr. a informática Aulas
Intr. a informática Aulas Intr. a informática Aulas
Intr. a informática Aulas
 
01 introducao vaston
01 introducao vaston01 introducao vaston
01 introducao vaston
 
Aula 1 e 2 - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
Aula 1 e 2  - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptxAula 1 e 2  - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
Aula 1 e 2 - Histórico dos computadores e unidades de medida..pptx
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
 
Informatica básica
Informatica básicaInformatica básica
Informatica básica
 
Informatica
InformaticaInformatica
Informatica
 
Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1Manutenção de Computadores - Aula 1
Manutenção de Computadores - Aula 1
 
Computadores AS81A-3
Computadores AS81A-3Computadores AS81A-3
Computadores AS81A-3
 
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
Historia da Tecnologia Dos Computadores(AS81.A.3)
 
O computador
O computadorO computador
O computador
 
119178832 141.computador
119178832 141.computador119178832 141.computador
119178832 141.computador
 
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicasUFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
UFCD7846.docxUFCD: 7846 - Informática- Noções básicas
 
História do computador
História do computadorHistória do computador
História do computador
 
Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1Princípios de sistema de informação parte 1
Princípios de sistema de informação parte 1
 
História dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos baseHistória dos computadores + Conceitos base
História dos computadores + Conceitos base
 

Último

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 

Último (20)

Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 

Introdução a computadores

  • 1. INTRODUÇÃO A COMPUTADORES PROF. CRISTIVON S.CRUZ FUNDAMENTOS DE INFORMÁTICA
  • 2. INTRODUÇÃO • Definição • Breve história • Arquitetura de Von Neumann • Representação de dados
  • 3. DEFINIÇÃO Computador  É uma máquina capaz de variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Computador  É uma máquina electrónica que permite processar dados. O termo provém do latim computare (“calcular”). Um computador é composto por uma série de circuitos integrados e outros componentes relacionados, que possibilitam a execução de uma variedade de sequências ou rotinas de instruções indicadas pelo utilizador.
  • 5. BREVE HISTÓRIA  COMPUTADORES MECÂNICOS  ABACO (2500 AC)  CALCULADORA DE DISCO PASCAL (1642)  MÁQUINA DIFERENCIAL (Babbage, 1822)  MOTOR ANALÍTICO (Babbage, 1833)  TABULADORA HOLLERITH (1890)
  • 6. BREVE HISTÓRIA CONT…  ABACO  CALCULADORA DE DISCO PASCAL  MÁQUINA DIFERENCIAL
  • 7. BREVE HISTÓRIA CONT…  TABULADORA HOLLERITH MOTOR ANALÍTICO
  • 8. GERAÇÕES DOS COMPUTADORES 1ª Geração (1946-1954) 2ª Geração (1955-1964) 3ª Geração (1964-1977) 4ª Geração (1977-1991) 5ª Geração (1991-atuais)
  • 9. 1ª GERAÇÃO (1946-1954) Uso de válvulas e cartões perfurados. Os Cálculos digitais substituíram os cálculos analógicos.  Harvard MARK I (Aiken, 1944) Hardware eletromecânico.  ENIAC (Eckerte Mauchly, 1946) Primeiro computador completamente eletrônico.  EDVAC (von Neumann, 1950) Introduziu a memória permanente e o sistema binário.  UNIVAC I (1951) Primeiro computador a ser produzido em massa.
  • 11.  Harvard MARK I Foi desenvolvido nos EUA (Marinha Universidade de Harvard e IBM), ocupava 120 m2, tinha milhares de engrenagens e fazia muito barulho. Uma multiplicação de dez dígitos chegava a demorar 3s.
  • 12. possuía 17.468 válvulas, pesava 30 toneladas, tinha 180 m² de área construída, sua velocidade era da ordem de 100 kHz e possuía apenas 200 bits de memória RAM.  ENIAC
  • 13.  EDVAC Apesar de ser mais moderno, não diminuiu de tamanho e ocupava 100% do espaço que o ENIAC ocupava. Tinha cem vezes mais memória interna que o ENIAC.
  • 14. Era uma máquina eletrônica de programa armazenado que recebia instruções de uma fita magnética de alta velocidade ao invés dos cartões perfurados. O UNIVAC foi utilizado para prever os resultados de uma eleição presidencial  UNIVAC I
  • 15. 2ª GERAÇÃO (1955-1964) Substituição das válvulas pelo transístor. O transistor revolucionou a eletrônica em geral e os computadores em especial. Eles eram muito menores do que as válvulas a vácuo e tinham outras vantagens: não exigiam tempo de pré-aquecimento, consumiam menos energia, geravam menos calor e eram mais rápidos e confiáveis.  1/200 do tamanho das válvulas.  Consumo de menos de 1/100 da energia de uma válvula.  Linguagens de programação de alto nível.  Introdução de sistemas operativos.  Foram os primeiros computadores com sucesso comercial.  FORTRAN, COBOL - Linguagens de programação.  O conceito de Unidade Central de Procedimento (CPU), memória, linguagem de programação e entrada e saída foram desenvolvidos.
  • 16.  CIRCUITO IMPRESSO Surgimento do armazenamento em disco, complementando os sistemas de fita magnética e possibilitando ao usuário acesso rápido aos dados desejados.
  • 17. Em vez das 30 toneladas do ENIAC, o IBM 7094 (versão de maior sucesso dessa segunda geração de computadores) pesava apenas 890 Kg. Essa máquina ultrapassou a marca de 10 mil unidades vendidas.  IBM 7094
  • 18. 3ª GERAÇÃO (1964-1977) Substituição dos utilização transístor por circuitos integrados, feitos de silício. Também conhecidos como microchips, eles eram construídos integrando um grande número de transistores, o que possibilitou a construção de equipamentos menores e mais baratos.  Minicomputadores - Versões reduzidas dos mainframes (computadores de grande porte).  Redes de computadores.  Invenção do mouse (Douglas Engelbart - 1968).  Desenvolvimento das linguagens de programação BASIC e PASCAL.
  • 19.  CIRCUITO INTEGRADO Mas o diferencial dos circuitos integrados não era o apenas o tamanho, mas o processo de fabricação que possibilitava a construção de vários circuitos simultaneamente, facilitando a produção em massa. Este avanço pode ser comparado ao advento da impressa, que revolucionou a produção dos livros.  DISQUETE  MOUSE Em 1971 a IBM lança no mercado mundial o primeiro disquete, seu tamanho era de 8“. primeira versão era madeira, tinha apenas um botão e era movido sobre pequenas rodinhas
  • 20. O IBM’s System/360, voltado para o setor comercial e científico. Ele possuía uma arquitetura plugável, na qual o cliente poderia substituir as peças que dessem defeitos. Além disso, um conjunto de periféricos eram vendidos conforme a necessidade do cliente.  ARQUITETURA PLUGÁVEL DO SYSTEM/360
  • 21. 4ª GERAÇÃO (1977-1991) Os computadores da quarta geração são reconhecidos pelo surgimento dos microprocessadores — unidade central de processamento.  Desenvolvimento dos computadores pessoais (Personal Computer ou PC)  Os sistemas operacionais como MS-DOS, UNIX, Apples e Macintosh foram construídos.  Linguagens de programação orientadas a objeto como C++ e Smalltalk foram desenvolvidas.  Discos rígidos eram utilizados como memória secundária. Impressoras matriciais, e os teclados com os layouts atuais foram criados nesta época.  Transmissão de dados entre computadores através de rede.
  • 22.  MICROPROCESSADOR Agora os circuitos integrados não se restringiam apenas a dezenas de transistores, mas chegavam a ter milhares deles em apenas um chip.
  • 23.  MODELOS DE COMPUTADORES PESSOAIS Os computadores eram mais confiáveis, mais rápidos, menores e com maior capacidade de armazenamento. Esta geração é marcada pela venda de computadores pessoais
  • 24. Em 1982, o jornalista especializado em microcomputadores Adam Osborne fundou sua empresa e lançou o Osborne I, então foi lançado o primeiro computador portátil do mundo.  COMPUTADOR PORTÁTIL
  • 25. 5ª GERAÇÃO (1991-ATUAIS) Uma das principais características dessa geração é a simplificação e miniaturização do computador , além de melhor desempenho e maior capacidade de armazenamento. Tudo isso, com os preços cada vez mais acessíveis.  As aplicações exigem cada vez mais uma maior capacidade de processamento e armazenamento de dados.  Banco de dados distribuídos e redes neurais.  Computação nas Nuvens.  Realidade Aumentada.  Computação Distribuída.  O conceito de processamento está partindo para os processadores paralelos, ou seja, a execução de muitas operações simultaneamente pelas máquinas.  Era da conectividade, onde tudo está conectado.
  • 26.  MODELO DOS NOVOS COMPUTADORES PESSOAIS
  • 28. INTRODUÇÃO AO MODELO  Introduziu o conceito do computador controlado por programa armazenado.  Todo computador é formado por 5 partes básicas: a memória, a unidade lógica e aritmética, a unidade de controle e os dispositivos de entrada e saída.  As operações a serem realizadas pelo computador são definidas pelos dados e instruções do programa carregado na memória.  É o modelo de design da maioria dos computadores atuais.
  • 29. MODELO DE VON NEUMANN
  • 30. MODELO DE VON NEUMANN CONT…  A unidade aritmética e lógica é a parte do computador onde são feitas as operações aritméticas e lógicas com os dados.  O tipo de operação a ser executado é determinado por sinais vindos da unidade de controle.  A memória é onde ficam armazenados os dados e instruções que vão ser utilizados pela ULA e pela unidade de controle.  Os dados a serem operados são lidos dos dispositivos de entrada para a memória.  Os resultados obtidos são enviados para a memória e daí para os dispositivos de saída de dados.
  • 31. MODELO DE VON NEUMANN CONT… CPU TEM COMO FUNÇÃO  Executar programas que estão armazenados na memória principal;  Buscar as instruções desses programas;  Examinar essas instruções;  Executar as instruções uma após a outra (sequencialmente). UNIDADE DE CONTROLE TEM COMO FUNÇÃO  Buscar instruções na memória principal;  Determinar o tipo dessas instruções. UNIDADE LÓGICA ARITMÉTICA TEM COMO FUNÇÃO  Efetuar operações aritméticas;  Efetuar operações booleanas (e, ou, not, etc);  Essas operações são necessárias para a execução das instruções dos programas.
  • 32. MODELO DE BARRAMENTO DE SISTEMAS
  • 33. MODELO DE BARRAMENTO DE SISTEMAS  É um refinamento do modelo de Von Neumann e possui o processador (que integra ULA, registradores e unidade de controle), memória e unidade de entrada/saída.  A comunicação entre as diversas unidades é feita através do barramento de sistema, que é composto pelos barramentos de endereço, dados e controle.  Em algumas arquiteturas pode haver também barramentos adicionais conectados à unidade de Entrada/Saída, chamados de barramentos de Entrada/Saída.
  • 34. PROCESSADOR  É o conjunto da unidade lógica e aritmética, registradores e da unidade de controle.  O processador é responsável pela realização de uma série de funções:  „Busca de instruções e dados na memória;  „Programa a transferência de dados entre a memória e os dispositivos de Entrada/Saída;  „Decodifica as instruções;  „Realiza as operações lógica e aritméticas;  „Responde a sinais enviados por dispositivos de Entrada/Saída como RESET ou interrupções.  Executar os programas armazenados na memória principal, buscando suas instruções, examinando-as e então executando uma após a outra.
  • 35. MEMÓRIA  A unidade de memória é formada pela memória volátil e pela memória não volátil.  As informações armazenadas na memória volátil podem ser alteradas durante a execução de um programa. São também usadas para armazenar os resultados intermediários e finais das operações realizadas pelo processador.  A memória não volátil é usada para armazenar informações que não necessitam ser alteradas no decorrer do processamento. É utilizada para iniciar o funcionamento do computador, realizando os testes iniciais e cópia do sistema operacional para a memória.  A memória volátil recebe o nome de memória principal e a memória não volátil é conhecida como BIOS nos computadores baseados no IBM/PC.
  • 36. ENTRADA / SAÍDA  A unidade de entrada e saída contém os circuitos de interface necessários para prover a comunicação entre os dispositivos de ENTRADA e SAÍDA com as demais partes do computador.  Toda a informação é convertida de/para o formato binário pela unidade de entrada/saída.  Exemplos de dispositivos de entrada : Disco rígido, microfone, teclado, mouse, tela sensível ao toque, scanner, leitor de código de barras, celular, pendrive, máquina fotográfica digital, webcam, joystick.  São exemplos de unidades de saída: monitor, caixas de som, impressora.  Algumas unidades são de entrada e saída ou seja, dispositivos Híbridos: Disco rígido, disco flexível ou disquete, monitor sensível a toques, pendrive, joystick e impressora.
  • 37. BARRAMENTOS Barramento de dados Tem por função transportar a informação (código e dados) entre os blocos funcionais de um computador; Barramento de endereços  Tem por função transportar a identificação (“endereço”) dos sítios onde se pretende ler ou escrever dados; Barramento de controle  Agrupa todos os sinais elétricos de controle do sistema, necessários ao bom funcionamento do computador.
  • 39. BITS  Os computadores "entendem" impulsos elétricos, positivos ou negativos, verdadeiro ou falso, que são representados por 1 ou 0. A cada impulso elétrico damos o nome de bit.  O termo Bit, que é proveniente das palavras dígito binário, ou “BInary digiT”, é a menor unidade de medida de transmissão de dados usada na computação e informática. Um conjunto de 8 bits reunidos como uma única unidade forma um byte
  • 40. BYTES Os bytes representam todas as letras (maiúsculas e minúsculas), sinais de pontuação, acentos, caracteres especiais e até informações que não podemos ver, mas que servem para comandar o computador e que podem inclusive ser enviados pelo teclado ou por outro dispositivo de entrada de dados e instruções. Para que isso aconteça, os computadores utilizam uma tabela que combina números binários com símbolos: a tabela ASCII (American Standard Code for Information Interchange). Nela, cada byte representa um caractere ou um sinal.
  • 42. NOMENCLATURAS A partir daí, foram criados vários termos para facilitar a compreensão humana da capacidade de armazenamento, processamento e manipulação de dados nos computadores. No que se refere aos bits e bytes, tem-se as seguintes medidas: 1 Byte = 8 bits 1 kilobyte (KB ou Kbytes) = 1024 bytes 1 megabyte (MB ou Mbytes) = 1024 kilobytes 1 gigabyte (GB ou Gbytes) = 1024 megabytes 1 terabyte (TB ou Tbytes) = 1024 gigabytes 1 petabyte (PB ou Pbytes) = 1024 terabytes 1 exabyte (EB ou Ebytes) = 1024 petabytes 1 zettabyte (ZB ou Zbytes) = 1024 exabytes 1 yottabyte (YB ou Ybytes) = 1024 zettabytes
  • 43. NOMENCLATURAS CONT… É também por meio dos bytes que se determina o comprimento da palavra de um computador, ou seja, a quantidade de bits que o dispositivo utiliza na composição das instruções internas, como por exemplo: 8 bits => palavra de 1 byte 16 bits => palavra de 2 bytes 32 bits => palavra de 4 bytes
  • 44. NOMENCLATURAS CONT… Na transmissão de dados entre dispositivos, geralmente usa-se medições relacionadas a bits e não a bytes. Assim, há também os seguintes termos: 1 kilobit (Kb ou Kbit) = 1024 bits 1 megabit (Mb ou Mbit) = 1024 Kilobits 1 gigabit (Gb ou Gbit) = 1024 Megabits 1 terabit (Tb ou Tbit) = 1024 Gigabits OBS.: Quando a medição é baseada em bytes, a letra 'b' da sigla é maiúscula (como em GB). Quando a medição é feita em bits, o 'b' da sigla fica em minúsculo (como em Gb).
  • 45. NOMENCLATURAS CONT… A utilização de medições em bits é comum para informar o volume de dados em transmissões. Geralmente, indica-se a quantidade de bits transmitidos por segundo. Assim, quando queremos dizer que um determinado dispositivo é capaz de trabalhar, por exemplo, com 54 megabits por segundo, usa-se a expressão 54 Mb/s: 1 Kb/s = 1 kilobit por segundo 1 Mb/s = 1 megabit por segundo 1 Gb/s = 1 gigabit por segundo
  • 47. BINÁRIO DECIMAL Valor em binário = 01110110 Valor em binário = 111101101 Valor em binário = 1101101011
  • 48. DECIMAL  BINÁRIO Valor em Decimal= 511 Valor em Decimal = 251 Valor em Decimal = 5400
  • 50. DECIMAL  OCTAL Usamos o valor desejado e dividimos por 8, para achar o quanto ele vale em Octal. EX.: 283410 ENTÃO 283410 EM OCTAL É 54228
  • 51. OCTAL  DECIMAL Usamos o valor desejado 54228 Para a base Decimal, seguiremos os seguintes passos: 1  Primeiro invertermos o número para fazermos a somatória da direita para a esquerda do número original, então 54228  2245 2  Agora vamos somar cada número, multiplicando por 8 elevado a um número sequencial iniciado em 0. 2*80 + 2*81 + 4*82 + 5*83 = 2*1 + 2*8 + 4*64 + 5*512 2 + 16 + 256 + 2560 = 2834 ou 283410