SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
INTRODUÇÃO AO CURSO DE GAITA

                            Diferença ente Gaita Cromática e Diatônica
Entre os diversos tipos e modelos de Gaitas que existem no mercado, os mais conhecidos são as Cromáti-
cas e Diatônicas
Além do tamanho, estes dois tipos de Gaitas possuem muitas diferenças, as quais serão mostradas a se-
guir:
· Gaita Cromática
Existem dois modelos de Gaitas Cromáticas no mercado, que são as seguintes:
* Gaita Cromática 48 vozes
- Possui escala cromática relativa ao tom da Gaita.
- Possui 12 orifícios.
- Possui 3 oitavas.
* Gaita cromática 64 vozes
- Possui escala cromática relativa ao tom da Gaita.
- Possui 16 orifícios.
- Possui 4 oitavas.
A escala cromática possui as notas naturais: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si, que são obtidas sem o uso da cha-
ve, e os acidentes: Dó#, Ré#, Fá#, Sol#, Lá# ou Réb, Mib, Solb, Láb e Síb, que são obtidas com o uso da
chave.
Sendo assim, cada orifício da Gaita Cromática possui 4 notas ou 4 vozes:
2 sem o uso da chave (soprado e aspirado).
2 com o uso da chave (soprado e aspirado).
Para memorizar
Cromática 48 vozes - 3 oitavas - 12 orifícios.
Cromática 64 vozes - 4 oitavas - 16 orifícios.

· Gaita   Diatônica
- Possui escala diatônica relativa ao tom da Gaita.
- Possui uma escala completa (do orifício 4 até o 7).
- Possui uma oitava com ausência do IV e do VI graus (do orifício 1 até o 4).
·     Possui uma oitava com ausência do VII grau (do orifício 7 até o 10 ).
·     Os graus ausentes nas regiões graves e agudas são obtidos através da técnica de bend aspirado
      (região grave) ou soprado (região agudo). Esta técnica será abordada com a devida atenção no decor-
      rer deste método.
                                        Teoria musical Básica
Uma das coisas que atrai muitas pessoas a tocar Gaita é o fato de que se necessita de muito pouco conhe-
cimento musical para se aprender a tocar melodias com ela, de modo que o iniciante logo adquire um senti-
mento de realização. Isto é bom até certo ponto, mas se você realmente quer ir a fundo, é necessário reco-
nhecer que todos os bons gaitistas estruturam o que eles tocam, quer seja conscientemente ou não, de
modo que faça algum sentido musical. Por isso, passarei a seguir algumas noções básicas de teoria musi-
cal.
Tons e semitons (1/2 tom)
Semitom é o intervalo entre uma nota e a seguinte no piano, seja ela branca ou preta. É o menor intervalo
usado na música ocidental.
Temos então, dentro da oitava, entre as sete notas musicais e suas doze subdivisões, o chamado semitom
natural, entre as notas mi - fá e si - dó, e os semitons cromáticos, tendo neste caso que se fazer uso dos
acidentes.
Tom: É o intervalo formado por dois semitons.
Acidentes: São sinais usados para mover as notas musicais.
Observando o desenho abaixo, podemos visualizar a oitava, os tons e os semitons claramente:
# (sustenido): Eleva um semitom
b (bemol): Abaixa um semitom.
Escala
Dá-se o nome de escala a uma séria de notas sucessivas, separadas entre si por tons ou semitons.
A escala pode ser ascendente ou descendente:
Ascendente - Quando parte da nota mais grave para nota mais aguda da escala.
Descendente - Quando parte da nota mais aguda para nota mais grave da escala.
Graus
Cada nota da escala maior recebe um número a partir da sua localização em relação a primeira nota da es-
cala. Estes números são os graus, que são escritos em algarismos romanos e são colocados em cima de
cada nota da escala e recebem a seguinte denominação específica:
I Grau - Tônica ou fundamental
II Grau - Supertônica
III Grau - Mediante
IV Grau - Subdominante
V Grau - Dominante
VI Grau - Superdominante
VII Grau - Sensível
VIII ou I Grau - Tônica ou fundamental (8ª acima)
Ex. Escala de Dó Maior
I         II      III      IV     V          VI      VII      VIII
C         D       E       F      G           A       B        C
1TOM 1TOM 1/2TOM 1TOM 1TOM                  1TOM     1/2TOM
         Naturais                     Acidentes
          A= La                     Db= Ré bemol

          B = Sil                   EB = Mi bemol

          C = Do                   F# = Fá Sustenido

          D= Ré                      Ab= Lá bemol

          E = Mi                    Bb = Si bemol

          F = Fa                        F = Fa

          G = Sol                       G = Sol


                                        Como Segurar sua Gaita

Neste capítulo faremos uma observação muito importante no andamento de nossos estudos. Ire-
mos abordar a postura para segurar uma gaita. Preste atenção nesses detalhes abaixo:
Com firmeza, segure-a entre os dedos indicador e polegar da mão esquerda.
Observe no desenho abaixo que as notas graves ficam voltadas para o lado esquerdo e as notas
agudas para o lado direito.




Agora sua mão direita será posicionada sob a Gaita em forma de concha, envolvendo-a. O conjun-
to mão esquerda - direita deverá envolver completamente a Gaita, formando assim uma concha
acústica.
                                                                                   CONTINUA
Para isso, é importante que se consiga uma vedação razoável.

Experimente um pouco até achar a posição que se adapta melhor às suas mãos. É importante
que a posição seja confortável.

                     Construção da Gaita Diatônica e Cuidados Especiais

A Gaita Diatônica é um instrumento simples. Ela consiste numa estrutura ou pente de madeira,
plástico ou metal, fixo entre duas placas de metal (placa de vozes). Uma placa contém palhetas
de sopro e a outra de aspiração, fazendo assim com que cada orifício do pente tenha uma nota
soprada e outra aspirada.

Esta estrutura (pente e placas de vozes) é fechada entre duas placas de cobertura, que servem
para proteger as palhetas, direcionar o som e facilitar o manuseio do instrumento. As várias
partes mencionadas são fixadas por meio de cravos, parafusos ou rebites.

                                   Estrutura física da Gaita




           A- Placa de cobertura superior.

           B- Placa de vozes superior (notas sopradas).

           C- Corpo (ou pente) de madeira, plástico ou metal.
D- Placa de vozes inferior (notas aspiradas).

            E- Placa de cobertura inferior.


Cuidados para prolongar a vida de sua Gaita

I - Por várias razões, principalmente a higiênica, não empreste sua Gaita.
II - Proceda sempre à higiene oral antes de usar sua Gaita. Pequenos resíduos de
comida, doces ou fumo podem obstruir os orifícios ou bloquear as palhetas de sua
Gaita.
III - Após o uso, mantenha sua Gaita no estojo, protegendo-a de poeira.
IV - Antes de guardar sua Gaita no estojo, bata-a suavemente contra a palma de sua
mão, retirando assim o excesso de saliva.
V - Sempre que possível, limpe sua Gaita com pano ou lenço umedecido em álcool.
VI - Evite expor sua gaita ao sol forte.
VII - Não abra nem desmonte sua Gaita. Diante de qualquer problema, procure um
especialista em afinação e manutenção de Gaitas.

Capítulo 6: Como Soprar e aspirar somente uma nota na sua Gaita
Existem muitas maneiras de tocar sua Gaita, possibilitando solos com notas sim-
ples, em oitavas, solo e acompanhamento, etc.
Mas por enquanto veremos a técnica de notas simples, esta técnica consiste em emi-
tir com clareza as diferentes notas do instrumento perfeitamente individualizadas,
para isto devemos utilizar três embocaduras distintas.
A palavra embocadura é um termo musical derivado do Francês, usada para descre-
ver o posicionamento apropriado dos lábios quando se toca um instrumento de so-
pro.
Veja a seguir as 3 embocaduras usadas para soprar e aspirar somente uma nota na
sua gaita :

                           ·Técnica de sopro de bico ( lipping )


                                                            Para aplicar esta técnica, deve-
                                                            mos unir os lábios como para
                                                            assobiar , figura ( 1 ) e nesta
                                                            posição coloca-los sobre cada
                                                            um dos orifícios da Gaita, so-
                                                            prando e aspirando cada nota
                                                            individualizada. Evite contrair
                                                            os lábios, figura ( 2 ), pois des-
                                                            ta forma eles irão se cansar
rapidamente e seu sopro sairá muito fraco.
figura ( 3 ) a embocadura contraída, típica dos iniciantes. Os lábios estão forçados
para fora, tornando a embocadura muito tensa, deste modo o fluxo de ar irá se redu-
zir e formará um Bend involuntário.
Este erro fica bem claro no orifício 2 aspirado, para resolver este problema tente in-
clinar a gaita 45 graus para baixo, figura ( 4 ) e relaxe seus lábios. Repare que incli-
nando sua gaita, automaticamente seu lábio superior cobrirá uma área maior , produ-
zindo assim um som mais alto e claro do que quando esta contraído.
Outra dica é usar um espelho para verificar a inclinação exata da gaita.
Visão frontal
·Técnica de notas cobertas ( tongue blocking )

Para aplicar esta técnica, devemos adaptar os lábios sobre a Gaita cobrindo dois ou três orifí-
cios, que soprados ou aspirados, soarão como um acorde. Em seguida colocamos a língua vol-
tada para o lado esquerdo da cavidade bucal e apoiamos sobre o instrumento, de modo que cu-
bra dois ou três orifícios, cujas notas não deverão ser tocadas, deixando aberto apenas o orifício
da extremidade direita, para que a nota, soprada ou aspirada, soe individualmente.
A técnica de notas cobertas ou tongue blocking é muito importante, pois dela derivam outras
maneiras para a exploração dos sons na Gaita. Maneiras estas que veremos com mais atenção
nos próximos capítulos.

·Técnica de língua curva ( U blocking )

Esta técnica é parecida com a de tongue blocking. Cobriremos 3 orifícios da Gaita, porém a lín-
gua será colocada em forma de U, figura ( 6 ) e apoiada sobre o instrumento, bloqueando assim
os 2 orifícios das extremidades direita e esquerda. Dessa maneira, o orifício central soará livre e
individualmente.
Esta técnica é, sem dúvida, a mais difícil de ser executada, pois, somente 50% a 70 % da popula-
ção mundial, aproximadamente, possuem a capacidade de "dobrar" a lingua em forma de "U". O
restante, simplesmente não consegue, não importando o quanto eles tentem e pratiquem.
Caso você consiga dobrar sua lingua desta forma, tente tocar desta maneira, pois assim podera
realizar articulações percursivas com a lingua semelhantes ao Tongue Blocking e ainda mover a
lingua para os lados selecionando o orificio desejado sem nenhum ou muito pouco movimento
da cabeça em relação a Gaita.




                               Construção da Escala Maior


       Para construir escalas a partir das demais notas musicais é necessário recorrer às
       notas com acidentes (sustenidos e bemóis ) para mantermos o mesmo padrão inter-
       valar da escala de Do Maior.



   ·    Escalas maiores com sustenidos

       Sol Maior da origem as escalas com sustenido,e as escalas maiores que partem de
       notas naturais (teclas brancas no piano) menos Fa Maior são:




                                                                        CONTINUA
Escala maior com sustenidos ( # ) - Ciclo de quinto grau
               I    II         III   IV       V    VI    VII    VII     ( graus )

do       ré        mi           fá     sol        lá     si       do
sol      lá        si          do      ré         mi     fá#      sol
ré       mi        fá#         sol     lá         si     do#      ré
lá       si        do#         ré      mi         fá#    sol#     lá
mi       fá#       sol#        lá      si         do#     ré#     mi
si       do#       ré          mi      fá#        sol#    lá#     si
          tom            tom         1/2tom       tom     tom         tom       1/2 tom


Observe que este ciclo evolui ganhando sustenidos. Cada novo sustenido torna-se sensí-
vel (VII Grau) da escala.
Os sustenidos usados para essas escalas aparecem em uma ordem de quinta ascenden-
tes:
                            FÁ# DÓ# SOL# RÉ# LÁ# (MI# SI# )

Fá Maior da origem as escalas que acidentam com bemóis,e as escalas maiores que par-
tem de notas acidentadas(teclas pretas no piano) são:

Observe que este ciclo evolui ganhando bemóis; cada novo bemol, torna-se o quarto Grau
da escala.
Os bemóis usados para essas escalas aparecem em uma ordem de quartas ascendentes:

                           SIb - MIb - LAb - REb - SOLb - (DOb-FAb)

Para memorizar

- Escala: É uma série de notas sucessivas, separadas por tons e semitons.
- Semitom: É o intervalo entre uma nota e a seguinte no piano, seja ela branca ou preta. É
o menor intervalo usado na música.
- Tom: É o intervalo formado por dois semitons.
- Escala ascendente: É aquela em que todas as notas se sucedem do grave para o agudo.
- Escala descendente: É exatamente o contrário da ascendente, ou seja, a sucessão se dá
do agudo para o grave.
- Escala cromática : É aquela em que todas as notas se sucedem por semitons.


                                          Respiração
Para se tocar Gaita corretamente é necessário ter uma boa respiração. Para que isso acon-
teça, tente respirar com calma, relaxadamente. Não sopre ou aspire com força, pois desta
maneira as notas soarão abafadas, desafinadas e principalmente você ficará muito cansa-
do.
Tente respirar pelo diafragma (respiração abdominal), sinta seu estômago contrair quando
soprar e relaxar quando aspirar, sopre e aspire relaxadamente controle a passagem de ar
pela garganta.
                                                                               CONTINUA
Observe os desenhos :

   Notas sopradas                                 Notas aspiradas




Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você
sempre tenha a quantidade certa de ar.

            Tocando Corretamente (Dicas Preciosas)
Neste capítulo daremos a você algumas dicas fundamentais para que você possa
exercer total comando sobre sua gaita e tocar suas canções de maneira correta. Va-
mos a elas:
Na Embocadura
Você deve obter uma nota de cada vez aspirando ou soprando um único orifício. E-
xistem basicamente 3 maneiras para se obter uma única nota:
1- Bloqueio de Língua (Vamping) - Como o próprio nome sugere, você irá colocar
seus lábios cobrindo um número de orifícios (usualmente quatro) e irá bloquear três
orifícios laterais, deixando uma extremidade (direita ou esquerda) livre para a passa-
gem do fluxo de ar. Uma das grandes vantagens deste método está no uso de articu-
lações percursivas com a língua e possibilidade de execução de intervalos apenas
mudando-se a posição desta.
2- Língua em forma de "U" (Fluxo de ar direcionado pela língua) - Este é mais uma
variação do tradicional método de bloqueio de língua. O Harmonicista cobre com os
lábios aproximadamente três orifícios e, com a língua em forma de "U",bloqueia os
orifícios laterais da harmônica permitindo que o ar passe pelo meio deste "U". A
ponta da língua (vértice do "U") é colocada abaixo do orifício que será tocado ou a-
poiada na parte inferior da harmônica. Pode-se realizar articulações percursivas com
a língua semelhantes ao Tongue Blocking com este método e mover a língua para os
lados selecionando orifícios adjacentes com nenhum ou pouco movimento da gaita
em relação a cabeça. O grande problema é que nem todas pessoas conseguem do-
brar a língua em formato de "U".
3- Embocadura de Bico - Esse é o mais usado. É o natural, qualquer pessoa que não
toca gaita, vai tentar tocá-la assim. Só que com um erro, tendem a fazer biquinho. Na
verdade, você cobre apenas um buraco com a boca, mas com os lábios cobrindo
bem as placas de cima e de baixo da gaita para permitir um melhor "deslizamento".
O fluxo de ar, deve entrar em apenas um orifício de cada vez.

                                Dicas na hora de tocar
· Sugando o Ar
Ao tocar, a respiração deve ser feita através da gaita, não pense em soprar ou aspi-
rar. A respiração deve vir do diafragma. O controle da respiração é tão importante na
gaita quanto no canto. O ar deve ser lentamente inalado e exalado. Pratique tocando
uma nota e mantendo-a por mais tempo que você puder, tento o cuidado de não ficar
tonto. Também pratique inspirando tanto quanto você possa ... segure ... agora inspi-
re um pouco mais, e um pouco mais. Pratique inspirando e expirando tão rápido
quanto você consiga - pense em um cachorro ofegante.
· Tocar na primeira posição ("straight harp")
Muitas tradicionais canções de acampamento são fáceis para iniciantes, como "Oh
Susanna", "Red River Valley", "Clementine", etc. Essas são normalmente tocadas de
ouvido e usam a 1ª posição, onde o tom da música é o mesmo tom da gaita. A oitava
média é freqüentemente usada, onde uma escala diatônica completa está disponível
sem requerer nenhum bend.
· Cordas e ritmos Rhythms
A gaita deixa você tocar acordes tanto quanto notas simples, e os acordes são mais
fáceis de fazer do que notas simples. Os acordes podem ser usados como acompa-
nhamentos. A embocadura de bloqueio de língua é normalmente usado uma vez que
o acorde pode ser tocado e então bloqueado para produzir notas simples. Acordes
ruidosos podem fazer uso dos modelos de respiração rítmica.
·Únicas notas
O furo 2 aspirado é freqüentemente problemático para os iniciantes, e algumas ve-
zes o furo 1 aspirado também. Muitos iniciantes pensam que há algo de errado com
a gaita, porque essas notas não tocam. A razão usual é uma condição de "pré-bend"
onde a forma da boca/trato vocal causa uma redução do tom da nota. O iniciante de-
ve concentrar na forma da boca e fazer um "eeeeee" som
· Usando as mãos
Envolver a gaita com as mão em forma de cúpula, e abrir e fechar as mãos e os de-
dos é uma forma comum e tradicional para obter o som característico da gaita cha-
mado "wah-wah".

· Harmônicas de todos os tons
A gaita diatônica vem em todos os diferente tons. O normal? da gaita do grave ao
agudo é G até F# , mas tons repetidos incluem G agudo e F grave. Os 3 tons mais
comuns são A, C e D, porém é mais fácil comprar uma em tom C, pelo custo reduzi-
do.
· Articulações
A língua pode ser usada para iniciar ou atacar notas diferentemente, as quais mu-
dam o colorido das notas e adicionam um variedade de som à gaita. Essas articula-
ções podem ser associadas com várias sílabas faladas, como dizendo "ta" ou "ka"
ou "da" ou "ha" ou "ga", etc. Articulações também podem ser feitas pelo suave des-
lizar do lábio superior para fora da gaita e recolocando-o em um tipo de beijo a moda
da gaita. Articulações são mais fáceis utilizando a embocadura de bico, mas pode
ser feitas também usando o bloqueio de língua.
· Shakes
Um balanço é a rápida alternância entre dois furos adjacentes. Os balanços são simi-
lares aos trinados, mas os intervalos são maiores que 1/2 tom. Balanços são normal-
mente feitos balançando a cabeça de um lado para outro, mas também pode ser feito
movendo a gaita, ou combinando os dois movimentos. Balanços mais sofisticados
podem incluir bends.
2ª posição é a mais comumente usada para tocar blues, rock e country. A escala pa-
ra a 2ª posição é 2 tons e meio mais alta que o tom natural da gaita. Por exemplo, pa-
ra a gaita no tom de C, toca-se no tom de G. A 2ª posição começa no 2 furo aspirado
e usa mais notas aspiradas, especialmente na 1ª oitava da gaita. As notas aspiradas
possibilitam mais bends e vibratos expressivos do que notas sopradas.
· Draw Bends as ornaments
Quando iniciantes começam a fazer os bends aspirados, os quais estão disponíveis
nos furos 1-6, eles são inicialmente rápidos nas mudanças da nota natural, com um
rápido bemolizar da nota continuamente dobrando um pouco e então retornando à
nota primária. Em outras palavras, os bends não são usados como notas propria-
mente. As notas são dobradas, mas o tocador não tem controle sobre a profundida-
de e a duração da nota.
· Dip bend
Um dip bend é um rápido deslizar bend na nota a ser tocada. Esta técnica é freqüen-
temente usada para enfeitar notas, especialmente em notas aspiradas. Ele é feito ini-
cialmente atacando o furo com um bend, então gradualmente deslizado do bend para
a nota final. Ou, menos freqüentemente, o furo pode ser começado sem bend, e um
gradual bend pode ser usado para deslizar para a nota com bend.
· Glissando
Um glissando é uma seqüência de notas tocadas em rápida sucessão que finaliza na
primeira nota tocada. Toque uma nota simples e então deslize a gaita pela sua bo-
ca ... isso é essencialmente um glissando. As notas no glissando não são individual-
mente articuladas, mas tocadas com um movimento contínuo. Um "ripper" glissando
é essencialmente uma articulação da nota final.

·   Diafragma Trêmulo
Trêmulo de diafragma é uma distinção do vibrato de garganta, e como o nome indica,
enfatiza o diafragma ao invés da garganta, embora cada um seja usado em um certo
grau. O Trêmulo é caracterizado pela oscilação do volume em oposição à variação de
tom do Vibrato. Porém, quando usando vibrato em um bend, o diafragma é usado pa-
ra suavemente adicionar o trêmulo, o tom irá variar devido à mudança de pressão.
Trêmulo de diafragma é basicamente obtido pela repetição de "ha ha ha ha" como se
você fizesse o som de um sorriso. O exemplo é algo exagerado apenas para que vo-
cê possa ouvi-lo facilmente.

· Draw Bends para produção de notas
Full bends - Intermediate Bends Alterações das notas aspiradas são também chama-
dos bends que alteram o tom natural da nota para uma diferente utilização do tom. A
palavra "bend" (dobrar, flexionar), implica uma contínua mudança, mas os bends na
gaita não precisam derivar de outras notas - em outras palavras, um bend como uma
nota alterada pode ser tocado separadamente de outras notas, e a nota natural não
precisa ser tocada. Bends apirados nos furos 2 e 3 tem uma extensão maior que um
simples meio-tom (semi-tom), enquanto aspirados bends nos furos 1, 4, e 6 tem um
semi-tom de extensão. Os bends tendem a alterar mais facilmente para o extremo da
extensão, chamado full bend, e as notas entre a nota natural e a mais alterada nota
são chamados bends intermediários, e são mais difíceis de conseguir controlar, e
manter no tom do que bends normais.
· Blow Bends para produzir notas
Os furos 8 e 9 tem um bend soprado de meio-tom, enquanto o furo 10 tem um bend
de 1 tom de extensão.
· Fôlego e controle de ar
Conseguir controlar o ar para não perder o fôlego é um problema mesmo. Até hoje
luto com isso.
O grande problema é que não sabemos controlar o ar com o diafragma, o que seria o
certo. Então, acontece que quando tocamos uma música cheia de notas aspiradas,
lotamos o pulmão de ar e somos forçados a dar "um basta" e soprar tudo pra fora.
Eu nunca exercitei meu fôlego ou controle de ar, e naturalmente já consegui um ra-
zoável que me permite tocar praticamente qualquer música.
Mas um exercício que todos recomendam é pegar um orifício como o 4 por exemplo
e soprar o máximo que conseguir e logo depois aspirar o máximo. Vá fazendo isso e
contando o tempo.Eu já tentei, melhora um pouco, vale a pena tentar.
Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você
sempre tenha a quantidade certa de

Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você
sempre tenha a quantidade certa de ar.
 http://www.mvhp.com.br/piano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Manual guitarra jazz e improvisação tomati
Manual guitarra jazz e improvisação tomatiManual guitarra jazz e improvisação tomati
Manual guitarra jazz e improvisação tomatieliwelton muller
 
Teoria musical para crianças
Teoria musical para criançasTeoria musical para crianças
Teoria musical para criançasneilcraveiro
 
curso completo de violão - nível básico 1
 curso completo de violão - nível básico 1 curso completo de violão - nível básico 1
curso completo de violão - nível básico 1Saulo Gomes
 
Apostila Teoria Musical
Apostila Teoria MusicalApostila Teoria Musical
Apostila Teoria Musicalroseandreia
 
Curso completo de violão. prrsoares
Curso completo de violão. prrsoaresCurso completo de violão. prrsoares
Curso completo de violão. prrsoaresSeduc MT
 
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãO
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãOCurso De Como Aprender A Tocar ViolãO
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãODinho Paulo Clakly
 
Como improvisar varios_estilos
Como improvisar varios_estilosComo improvisar varios_estilos
Como improvisar varios_estilosjop1996
 
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 Curso-completo-de-violao-para-iniciantes Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
Curso-completo-de-violao-para-inicianteseltoleon
 
Acordes diatonicos-campo-harmonico
Acordes diatonicos-campo-harmonicoAcordes diatonicos-campo-harmonico
Acordes diatonicos-campo-harmonicoMusician
 
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...Gilmar Damião
 
Apostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalApostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalED FOGAÇA
 
Método ukulele prof. raimundo frança
Método ukulele prof. raimundo françaMétodo ukulele prof. raimundo frança
Método ukulele prof. raimundo françaSaulo Gomes
 
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeiras
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeirasOrquestra Sinfónica, família dos sopros/madeiras
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeirasAna Lúcia Francisco
 
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....Gilmar Damião
 
Apostila violao (versao 1)
Apostila violao (versao 1)Apostila violao (versao 1)
Apostila violao (versao 1)Saulo Gomes
 
Curso de violão
Curso de violãoCurso de violão
Curso de violãoNando Costa
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicaljaconiasmusical
 

Mais procurados (20)

Manual guitarra jazz e improvisação tomati
Manual guitarra jazz e improvisação tomatiManual guitarra jazz e improvisação tomati
Manual guitarra jazz e improvisação tomati
 
Teoria musical para crianças
Teoria musical para criançasTeoria musical para crianças
Teoria musical para crianças
 
curso completo de violão - nível básico 1
 curso completo de violão - nível básico 1 curso completo de violão - nível básico 1
curso completo de violão - nível básico 1
 
Apostila Teoria Musical
Apostila Teoria MusicalApostila Teoria Musical
Apostila Teoria Musical
 
Curso completo de violão. prrsoares
Curso completo de violão. prrsoaresCurso completo de violão. prrsoares
Curso completo de violão. prrsoares
 
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãO
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãOCurso De Como Aprender A Tocar ViolãO
Curso De Como Aprender A Tocar ViolãO
 
Caderno de harmonia
Caderno de harmoniaCaderno de harmonia
Caderno de harmonia
 
Como improvisar varios_estilos
Como improvisar varios_estilosComo improvisar varios_estilos
Como improvisar varios_estilos
 
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 Curso-completo-de-violao-para-iniciantes Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
Curso-completo-de-violao-para-iniciantes
 
Apostila violao-completa
Apostila violao-completaApostila violao-completa
Apostila violao-completa
 
Acordes diatonicos-campo-harmonico
Acordes diatonicos-campo-harmonicoAcordes diatonicos-campo-harmonico
Acordes diatonicos-campo-harmonico
 
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação.  por gil...
Método de harmonia, formação de acordes e escalas para improvisação. por gil...
 
Apostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria MusicalApostila infantil - Teoria Musical
Apostila infantil - Teoria Musical
 
Método ukulele prof. raimundo frança
Método ukulele prof. raimundo françaMétodo ukulele prof. raimundo frança
Método ukulele prof. raimundo frança
 
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeiras
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeirasOrquestra Sinfónica, família dos sopros/madeiras
Orquestra Sinfónica, família dos sopros/madeiras
 
Escalas maiores e menores
Escalas maiores e menoresEscalas maiores e menores
Escalas maiores e menores
 
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....
Apostila com Instruções Práticas e Básicas para Violão/Guitarra (Iniciantes)....
 
Apostila violao (versao 1)
Apostila violao (versao 1)Apostila violao (versao 1)
Apostila violao (versao 1)
 
Curso de violão
Curso de violãoCurso de violão
Curso de violão
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musical
 

Destaque

Gaita aprendendo 02 cromatica
Gaita aprendendo 02 cromaticaGaita aprendendo 02 cromatica
Gaita aprendendo 02 cromaticaElvis Live
 
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom ViverSinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom ViverOdinei Camacho
 
Apostila violão clássico
Apostila violão clássicoApostila violão clássico
Apostila violão clássicomagiadascordas
 

Destaque (6)

Gaita aprendendo 02 cromatica
Gaita aprendendo 02 cromaticaGaita aprendendo 02 cromatica
Gaita aprendendo 02 cromatica
 
O homem da gaita
O homem da gaitaO homem da gaita
O homem da gaita
 
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom ViverSinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver
Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver
 
Canto na história
Canto na históriaCanto na história
Canto na história
 
09 oleos para refrigeração
09 oleos para refrigeração09 oleos para refrigeração
09 oleos para refrigeração
 
Apostila violão clássico
Apostila violão clássicoApostila violão clássico
Apostila violão clássico
 

Semelhante a Gaita aprendendo 01

Aprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classicaAprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classicahome
 
Apostila violao e guitarra modulo 1
Apostila violao e guitarra modulo 1Apostila violao e guitarra modulo 1
Apostila violao e guitarra modulo 1Nome Sobrenome
 
(3) metodo violao otaniel-ricardo
(3) metodo violao otaniel-ricardo(3) metodo violao otaniel-ricardo
(3) metodo violao otaniel-ricardoleorio
 
Aula de violão guitarra
Aula de violão guitarraAula de violão guitarra
Aula de violão guitarraIron Filho
 
Aprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoAprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoCarlos Eugênio
 
Curso de violao
Curso de violao Curso de violao
Curso de violao Saulo Gomes
 
3metodoviolaootaniel ricardo-
3metodoviolaootaniel ricardo-3metodoviolaootaniel ricardo-
3metodoviolaootaniel ricardo-Saulo Gomes
 
Metodo de violao-otaniel ricardo
Metodo de violao-otaniel ricardoMetodo de violao-otaniel ricardo
Metodo de violao-otaniel ricardoYago Farias
 
Metodo violao otaniel ricardo
Metodo violao otaniel ricardoMetodo violao otaniel ricardo
Metodo violao otaniel ricardoSaulo Gomes
 
contrabaixo---iniciante
 contrabaixo---iniciante contrabaixo---iniciante
contrabaixo---inicianteSaulo Gomes
 
guitarra-nivel-basico
guitarra-nivel-basicoguitarra-nivel-basico
guitarra-nivel-basicoSaulo Gomes
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoSaulo Gomes
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoSaulo Gomes
 

Semelhante a Gaita aprendendo 01 (20)

Manual Aula Cavaquinho
Manual Aula CavaquinhoManual Aula Cavaquinho
Manual Aula Cavaquinho
 
Apostila-violao
Apostila-violaoApostila-violao
Apostila-violao
 
Aprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classicaAprender guitarra-classica
Aprender guitarra-classica
 
Apostila de guitarra
Apostila de guitarraApostila de guitarra
Apostila de guitarra
 
Apostila violao e guitarra modulo 1
Apostila violao e guitarra modulo 1Apostila violao e guitarra modulo 1
Apostila violao e guitarra modulo 1
 
Curso de violao
Curso de violaoCurso de violao
Curso de violao
 
(3) metodo violao otaniel-ricardo
(3) metodo violao otaniel-ricardo(3) metodo violao otaniel-ricardo
(3) metodo violao otaniel-ricardo
 
Aula de violão guitarra
Aula de violão guitarraAula de violão guitarra
Aula de violão guitarra
 
Aprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violãoAprender como tocar um violão
Aprender como tocar um violão
 
Curso de violao
Curso de violao Curso de violao
Curso de violao
 
3metodoviolaootaniel ricardo-
3metodoviolaootaniel ricardo-3metodoviolaootaniel ricardo-
3metodoviolaootaniel ricardo-
 
Metodo de violao-otaniel ricardo
Metodo de violao-otaniel ricardoMetodo de violao-otaniel ricardo
Metodo de violao-otaniel ricardo
 
Metodo violao otaniel ricardo
Metodo violao otaniel ricardoMetodo violao otaniel ricardo
Metodo violao otaniel ricardo
 
Violo1b
Violo1bViolo1b
Violo1b
 
contrabaixo---iniciante
 contrabaixo---iniciante contrabaixo---iniciante
contrabaixo---iniciante
 
Tipos de flauta
Tipos de flautaTipos de flauta
Tipos de flauta
 
Ebook Iniciação Violão.pdf
Ebook Iniciação Violão.pdfEbook Iniciação Violão.pdf
Ebook Iniciação Violão.pdf
 
guitarra-nivel-basico
guitarra-nivel-basicoguitarra-nivel-basico
guitarra-nivel-basico
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
 
Manual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinhoManual aula cavaquinho
Manual aula cavaquinho
 

Mais de Elvis Live

Apostila iniciciacao musical
Apostila iniciciacao musicalApostila iniciciacao musical
Apostila iniciciacao musicalElvis Live
 
Apostila emi musica
Apostila emi musicaApostila emi musica
Apostila emi musicaElvis Live
 
Apostila de canto respiração
Apostila de canto   respiraçãoApostila de canto   respiração
Apostila de canto respiraçãoElvis Live
 
Apostila de canto relaxamento
Apostila de canto   relaxamentoApostila de canto   relaxamento
Apostila de canto relaxamentoElvis Live
 
A musica na educacao infantil 02
A musica na educacao infantil 02A musica na educacao infantil 02
A musica na educacao infantil 02Elvis Live
 
A musica na educacao infantil 01
A musica na educacao infantil 01A musica na educacao infantil 01
A musica na educacao infantil 01Elvis Live
 
Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Elvis Live
 
Apostila musica ef 08
Apostila musica ef 08Apostila musica ef 08
Apostila musica ef 08Elvis Live
 
Apostila musica ef 07
Apostila musica ef 07Apostila musica ef 07
Apostila musica ef 07Elvis Live
 
Apostila musica ef 06
Apostila musica ef 06Apostila musica ef 06
Apostila musica ef 06Elvis Live
 
Apostila musica em 01
Apostila musica em 01Apostila musica em 01
Apostila musica em 01Elvis Live
 
Apostila violao 01
Apostila violao 01Apostila violao 01
Apostila violao 01Elvis Live
 
Beatles letras
Beatles letrasBeatles letras
Beatles letrasElvis Live
 
Beatles the complete songbook
Beatles the complete songbookBeatles the complete songbook
Beatles the complete songbookElvis Live
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partiturasElvis Live
 
Como ler tablatura
Como ler tablaturaComo ler tablatura
Como ler tablaturaElvis Live
 
Elis regina letras
Elis regina letrasElis regina letras
Elis regina letrasElvis Live
 
Festas e tradicoes paulistas
Festas e tradicoes paulistasFestas e tradicoes paulistas
Festas e tradicoes paulistasElvis Live
 
Gaita aprendendo 03
Gaita aprendendo 03Gaita aprendendo 03
Gaita aprendendo 03Elvis Live
 

Mais de Elvis Live (20)

Apostila iniciciacao musical
Apostila iniciciacao musicalApostila iniciciacao musical
Apostila iniciciacao musical
 
Apostila emi musica
Apostila emi musicaApostila emi musica
Apostila emi musica
 
Apostila de canto respiração
Apostila de canto   respiraçãoApostila de canto   respiração
Apostila de canto respiração
 
Apostila de canto relaxamento
Apostila de canto   relaxamentoApostila de canto   relaxamento
Apostila de canto relaxamento
 
A musica na educacao infantil 02
A musica na educacao infantil 02A musica na educacao infantil 02
A musica na educacao infantil 02
 
A musica na educacao infantil 01
A musica na educacao infantil 01A musica na educacao infantil 01
A musica na educacao infantil 01
 
Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09Apostila musica ef 09
Apostila musica ef 09
 
Apostila musica ef 08
Apostila musica ef 08Apostila musica ef 08
Apostila musica ef 08
 
Apostila musica ef 07
Apostila musica ef 07Apostila musica ef 07
Apostila musica ef 07
 
Apostila musica ef 06
Apostila musica ef 06Apostila musica ef 06
Apostila musica ef 06
 
Apostila musica em 01
Apostila musica em 01Apostila musica em 01
Apostila musica em 01
 
Apostila violao 01
Apostila violao 01Apostila violao 01
Apostila violao 01
 
Beatles letras
Beatles letrasBeatles letras
Beatles letras
 
Beatles the complete songbook
Beatles the complete songbookBeatles the complete songbook
Beatles the complete songbook
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partituras
 
Como ler tablatura
Como ler tablaturaComo ler tablatura
Como ler tablatura
 
Cronos rock
Cronos rockCronos rock
Cronos rock
 
Elis regina letras
Elis regina letrasElis regina letras
Elis regina letras
 
Festas e tradicoes paulistas
Festas e tradicoes paulistasFestas e tradicoes paulistas
Festas e tradicoes paulistas
 
Gaita aprendendo 03
Gaita aprendendo 03Gaita aprendendo 03
Gaita aprendendo 03
 

Último

O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxprofbrunogeo95
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 

Último (20)

O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptxAspectos históricos da educação dos surdos.pptx
Aspectos históricos da educação dos surdos.pptx
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 

Gaita aprendendo 01

  • 1.
  • 2. INTRODUÇÃO AO CURSO DE GAITA Diferença ente Gaita Cromática e Diatônica Entre os diversos tipos e modelos de Gaitas que existem no mercado, os mais conhecidos são as Cromáti- cas e Diatônicas Além do tamanho, estes dois tipos de Gaitas possuem muitas diferenças, as quais serão mostradas a se- guir: · Gaita Cromática Existem dois modelos de Gaitas Cromáticas no mercado, que são as seguintes: * Gaita Cromática 48 vozes - Possui escala cromática relativa ao tom da Gaita. - Possui 12 orifícios. - Possui 3 oitavas. * Gaita cromática 64 vozes - Possui escala cromática relativa ao tom da Gaita. - Possui 16 orifícios. - Possui 4 oitavas. A escala cromática possui as notas naturais: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si, que são obtidas sem o uso da cha- ve, e os acidentes: Dó#, Ré#, Fá#, Sol#, Lá# ou Réb, Mib, Solb, Láb e Síb, que são obtidas com o uso da chave. Sendo assim, cada orifício da Gaita Cromática possui 4 notas ou 4 vozes: 2 sem o uso da chave (soprado e aspirado). 2 com o uso da chave (soprado e aspirado). Para memorizar Cromática 48 vozes - 3 oitavas - 12 orifícios. Cromática 64 vozes - 4 oitavas - 16 orifícios. · Gaita Diatônica - Possui escala diatônica relativa ao tom da Gaita. - Possui uma escala completa (do orifício 4 até o 7). - Possui uma oitava com ausência do IV e do VI graus (do orifício 1 até o 4). · Possui uma oitava com ausência do VII grau (do orifício 7 até o 10 ). · Os graus ausentes nas regiões graves e agudas são obtidos através da técnica de bend aspirado (região grave) ou soprado (região agudo). Esta técnica será abordada com a devida atenção no decor- rer deste método. Teoria musical Básica Uma das coisas que atrai muitas pessoas a tocar Gaita é o fato de que se necessita de muito pouco conhe- cimento musical para se aprender a tocar melodias com ela, de modo que o iniciante logo adquire um senti- mento de realização. Isto é bom até certo ponto, mas se você realmente quer ir a fundo, é necessário reco- nhecer que todos os bons gaitistas estruturam o que eles tocam, quer seja conscientemente ou não, de modo que faça algum sentido musical. Por isso, passarei a seguir algumas noções básicas de teoria musi- cal. Tons e semitons (1/2 tom) Semitom é o intervalo entre uma nota e a seguinte no piano, seja ela branca ou preta. É o menor intervalo usado na música ocidental. Temos então, dentro da oitava, entre as sete notas musicais e suas doze subdivisões, o chamado semitom natural, entre as notas mi - fá e si - dó, e os semitons cromáticos, tendo neste caso que se fazer uso dos acidentes. Tom: É o intervalo formado por dois semitons. Acidentes: São sinais usados para mover as notas musicais. Observando o desenho abaixo, podemos visualizar a oitava, os tons e os semitons claramente:
  • 3. # (sustenido): Eleva um semitom b (bemol): Abaixa um semitom. Escala Dá-se o nome de escala a uma séria de notas sucessivas, separadas entre si por tons ou semitons. A escala pode ser ascendente ou descendente: Ascendente - Quando parte da nota mais grave para nota mais aguda da escala. Descendente - Quando parte da nota mais aguda para nota mais grave da escala. Graus Cada nota da escala maior recebe um número a partir da sua localização em relação a primeira nota da es- cala. Estes números são os graus, que são escritos em algarismos romanos e são colocados em cima de cada nota da escala e recebem a seguinte denominação específica: I Grau - Tônica ou fundamental II Grau - Supertônica III Grau - Mediante IV Grau - Subdominante V Grau - Dominante VI Grau - Superdominante VII Grau - Sensível VIII ou I Grau - Tônica ou fundamental (8ª acima) Ex. Escala de Dó Maior I II III IV V VI VII VIII C D E F G A B C 1TOM 1TOM 1/2TOM 1TOM 1TOM 1TOM 1/2TOM Naturais Acidentes A= La Db= Ré bemol B = Sil EB = Mi bemol C = Do F# = Fá Sustenido D= Ré Ab= Lá bemol E = Mi Bb = Si bemol F = Fa F = Fa G = Sol G = Sol Como Segurar sua Gaita Neste capítulo faremos uma observação muito importante no andamento de nossos estudos. Ire- mos abordar a postura para segurar uma gaita. Preste atenção nesses detalhes abaixo: Com firmeza, segure-a entre os dedos indicador e polegar da mão esquerda. Observe no desenho abaixo que as notas graves ficam voltadas para o lado esquerdo e as notas agudas para o lado direito. Agora sua mão direita será posicionada sob a Gaita em forma de concha, envolvendo-a. O conjun- to mão esquerda - direita deverá envolver completamente a Gaita, formando assim uma concha acústica. CONTINUA
  • 4. Para isso, é importante que se consiga uma vedação razoável. Experimente um pouco até achar a posição que se adapta melhor às suas mãos. É importante que a posição seja confortável. Construção da Gaita Diatônica e Cuidados Especiais A Gaita Diatônica é um instrumento simples. Ela consiste numa estrutura ou pente de madeira, plástico ou metal, fixo entre duas placas de metal (placa de vozes). Uma placa contém palhetas de sopro e a outra de aspiração, fazendo assim com que cada orifício do pente tenha uma nota soprada e outra aspirada. Esta estrutura (pente e placas de vozes) é fechada entre duas placas de cobertura, que servem para proteger as palhetas, direcionar o som e facilitar o manuseio do instrumento. As várias partes mencionadas são fixadas por meio de cravos, parafusos ou rebites. Estrutura física da Gaita A- Placa de cobertura superior. B- Placa de vozes superior (notas sopradas). C- Corpo (ou pente) de madeira, plástico ou metal.
  • 5. D- Placa de vozes inferior (notas aspiradas). E- Placa de cobertura inferior. Cuidados para prolongar a vida de sua Gaita I - Por várias razões, principalmente a higiênica, não empreste sua Gaita. II - Proceda sempre à higiene oral antes de usar sua Gaita. Pequenos resíduos de comida, doces ou fumo podem obstruir os orifícios ou bloquear as palhetas de sua Gaita. III - Após o uso, mantenha sua Gaita no estojo, protegendo-a de poeira. IV - Antes de guardar sua Gaita no estojo, bata-a suavemente contra a palma de sua mão, retirando assim o excesso de saliva. V - Sempre que possível, limpe sua Gaita com pano ou lenço umedecido em álcool. VI - Evite expor sua gaita ao sol forte. VII - Não abra nem desmonte sua Gaita. Diante de qualquer problema, procure um especialista em afinação e manutenção de Gaitas. Capítulo 6: Como Soprar e aspirar somente uma nota na sua Gaita Existem muitas maneiras de tocar sua Gaita, possibilitando solos com notas sim- ples, em oitavas, solo e acompanhamento, etc. Mas por enquanto veremos a técnica de notas simples, esta técnica consiste em emi- tir com clareza as diferentes notas do instrumento perfeitamente individualizadas, para isto devemos utilizar três embocaduras distintas. A palavra embocadura é um termo musical derivado do Francês, usada para descre- ver o posicionamento apropriado dos lábios quando se toca um instrumento de so- pro. Veja a seguir as 3 embocaduras usadas para soprar e aspirar somente uma nota na sua gaita : ·Técnica de sopro de bico ( lipping ) Para aplicar esta técnica, deve- mos unir os lábios como para assobiar , figura ( 1 ) e nesta posição coloca-los sobre cada um dos orifícios da Gaita, so- prando e aspirando cada nota individualizada. Evite contrair os lábios, figura ( 2 ), pois des- ta forma eles irão se cansar rapidamente e seu sopro sairá muito fraco. figura ( 3 ) a embocadura contraída, típica dos iniciantes. Os lábios estão forçados para fora, tornando a embocadura muito tensa, deste modo o fluxo de ar irá se redu- zir e formará um Bend involuntário. Este erro fica bem claro no orifício 2 aspirado, para resolver este problema tente in- clinar a gaita 45 graus para baixo, figura ( 4 ) e relaxe seus lábios. Repare que incli- nando sua gaita, automaticamente seu lábio superior cobrirá uma área maior , produ- zindo assim um som mais alto e claro do que quando esta contraído. Outra dica é usar um espelho para verificar a inclinação exata da gaita. Visão frontal
  • 6. ·Técnica de notas cobertas ( tongue blocking ) Para aplicar esta técnica, devemos adaptar os lábios sobre a Gaita cobrindo dois ou três orifí- cios, que soprados ou aspirados, soarão como um acorde. Em seguida colocamos a língua vol- tada para o lado esquerdo da cavidade bucal e apoiamos sobre o instrumento, de modo que cu- bra dois ou três orifícios, cujas notas não deverão ser tocadas, deixando aberto apenas o orifício da extremidade direita, para que a nota, soprada ou aspirada, soe individualmente. A técnica de notas cobertas ou tongue blocking é muito importante, pois dela derivam outras maneiras para a exploração dos sons na Gaita. Maneiras estas que veremos com mais atenção nos próximos capítulos. ·Técnica de língua curva ( U blocking ) Esta técnica é parecida com a de tongue blocking. Cobriremos 3 orifícios da Gaita, porém a lín- gua será colocada em forma de U, figura ( 6 ) e apoiada sobre o instrumento, bloqueando assim os 2 orifícios das extremidades direita e esquerda. Dessa maneira, o orifício central soará livre e individualmente. Esta técnica é, sem dúvida, a mais difícil de ser executada, pois, somente 50% a 70 % da popula- ção mundial, aproximadamente, possuem a capacidade de "dobrar" a lingua em forma de "U". O restante, simplesmente não consegue, não importando o quanto eles tentem e pratiquem. Caso você consiga dobrar sua lingua desta forma, tente tocar desta maneira, pois assim podera realizar articulações percursivas com a lingua semelhantes ao Tongue Blocking e ainda mover a lingua para os lados selecionando o orificio desejado sem nenhum ou muito pouco movimento da cabeça em relação a Gaita. Construção da Escala Maior Para construir escalas a partir das demais notas musicais é necessário recorrer às notas com acidentes (sustenidos e bemóis ) para mantermos o mesmo padrão inter- valar da escala de Do Maior. · Escalas maiores com sustenidos Sol Maior da origem as escalas com sustenido,e as escalas maiores que partem de notas naturais (teclas brancas no piano) menos Fa Maior são: CONTINUA
  • 7. Escala maior com sustenidos ( # ) - Ciclo de quinto grau I II III IV V VI VII VII ( graus ) do ré mi fá sol lá si do sol lá si do ré mi fá# sol ré mi fá# sol lá si do# ré lá si do# ré mi fá# sol# lá mi fá# sol# lá si do# ré# mi si do# ré mi fá# sol# lá# si tom tom 1/2tom tom tom tom 1/2 tom Observe que este ciclo evolui ganhando sustenidos. Cada novo sustenido torna-se sensí- vel (VII Grau) da escala. Os sustenidos usados para essas escalas aparecem em uma ordem de quinta ascenden- tes: FÁ# DÓ# SOL# RÉ# LÁ# (MI# SI# ) Fá Maior da origem as escalas que acidentam com bemóis,e as escalas maiores que par- tem de notas acidentadas(teclas pretas no piano) são: Observe que este ciclo evolui ganhando bemóis; cada novo bemol, torna-se o quarto Grau da escala. Os bemóis usados para essas escalas aparecem em uma ordem de quartas ascendentes: SIb - MIb - LAb - REb - SOLb - (DOb-FAb) Para memorizar - Escala: É uma série de notas sucessivas, separadas por tons e semitons. - Semitom: É o intervalo entre uma nota e a seguinte no piano, seja ela branca ou preta. É o menor intervalo usado na música. - Tom: É o intervalo formado por dois semitons. - Escala ascendente: É aquela em que todas as notas se sucedem do grave para o agudo. - Escala descendente: É exatamente o contrário da ascendente, ou seja, a sucessão se dá do agudo para o grave. - Escala cromática : É aquela em que todas as notas se sucedem por semitons. Respiração Para se tocar Gaita corretamente é necessário ter uma boa respiração. Para que isso acon- teça, tente respirar com calma, relaxadamente. Não sopre ou aspire com força, pois desta maneira as notas soarão abafadas, desafinadas e principalmente você ficará muito cansa- do. Tente respirar pelo diafragma (respiração abdominal), sinta seu estômago contrair quando soprar e relaxar quando aspirar, sopre e aspire relaxadamente controle a passagem de ar pela garganta. CONTINUA
  • 8. Observe os desenhos : Notas sopradas Notas aspiradas Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você sempre tenha a quantidade certa de ar. Tocando Corretamente (Dicas Preciosas) Neste capítulo daremos a você algumas dicas fundamentais para que você possa exercer total comando sobre sua gaita e tocar suas canções de maneira correta. Va- mos a elas: Na Embocadura Você deve obter uma nota de cada vez aspirando ou soprando um único orifício. E- xistem basicamente 3 maneiras para se obter uma única nota: 1- Bloqueio de Língua (Vamping) - Como o próprio nome sugere, você irá colocar seus lábios cobrindo um número de orifícios (usualmente quatro) e irá bloquear três orifícios laterais, deixando uma extremidade (direita ou esquerda) livre para a passa- gem do fluxo de ar. Uma das grandes vantagens deste método está no uso de articu- lações percursivas com a língua e possibilidade de execução de intervalos apenas mudando-se a posição desta. 2- Língua em forma de "U" (Fluxo de ar direcionado pela língua) - Este é mais uma variação do tradicional método de bloqueio de língua. O Harmonicista cobre com os lábios aproximadamente três orifícios e, com a língua em forma de "U",bloqueia os orifícios laterais da harmônica permitindo que o ar passe pelo meio deste "U". A ponta da língua (vértice do "U") é colocada abaixo do orifício que será tocado ou a- poiada na parte inferior da harmônica. Pode-se realizar articulações percursivas com a língua semelhantes ao Tongue Blocking com este método e mover a língua para os lados selecionando orifícios adjacentes com nenhum ou pouco movimento da gaita em relação a cabeça. O grande problema é que nem todas pessoas conseguem do- brar a língua em formato de "U". 3- Embocadura de Bico - Esse é o mais usado. É o natural, qualquer pessoa que não toca gaita, vai tentar tocá-la assim. Só que com um erro, tendem a fazer biquinho. Na
  • 9. verdade, você cobre apenas um buraco com a boca, mas com os lábios cobrindo bem as placas de cima e de baixo da gaita para permitir um melhor "deslizamento". O fluxo de ar, deve entrar em apenas um orifício de cada vez. Dicas na hora de tocar · Sugando o Ar Ao tocar, a respiração deve ser feita através da gaita, não pense em soprar ou aspi- rar. A respiração deve vir do diafragma. O controle da respiração é tão importante na gaita quanto no canto. O ar deve ser lentamente inalado e exalado. Pratique tocando uma nota e mantendo-a por mais tempo que você puder, tento o cuidado de não ficar tonto. Também pratique inspirando tanto quanto você possa ... segure ... agora inspi- re um pouco mais, e um pouco mais. Pratique inspirando e expirando tão rápido quanto você consiga - pense em um cachorro ofegante. · Tocar na primeira posição ("straight harp") Muitas tradicionais canções de acampamento são fáceis para iniciantes, como "Oh Susanna", "Red River Valley", "Clementine", etc. Essas são normalmente tocadas de ouvido e usam a 1ª posição, onde o tom da música é o mesmo tom da gaita. A oitava média é freqüentemente usada, onde uma escala diatônica completa está disponível sem requerer nenhum bend. · Cordas e ritmos Rhythms A gaita deixa você tocar acordes tanto quanto notas simples, e os acordes são mais fáceis de fazer do que notas simples. Os acordes podem ser usados como acompa- nhamentos. A embocadura de bloqueio de língua é normalmente usado uma vez que o acorde pode ser tocado e então bloqueado para produzir notas simples. Acordes ruidosos podem fazer uso dos modelos de respiração rítmica. ·Únicas notas O furo 2 aspirado é freqüentemente problemático para os iniciantes, e algumas ve- zes o furo 1 aspirado também. Muitos iniciantes pensam que há algo de errado com a gaita, porque essas notas não tocam. A razão usual é uma condição de "pré-bend" onde a forma da boca/trato vocal causa uma redução do tom da nota. O iniciante de- ve concentrar na forma da boca e fazer um "eeeeee" som · Usando as mãos Envolver a gaita com as mão em forma de cúpula, e abrir e fechar as mãos e os de- dos é uma forma comum e tradicional para obter o som característico da gaita cha- mado "wah-wah". · Harmônicas de todos os tons A gaita diatônica vem em todos os diferente tons. O normal? da gaita do grave ao agudo é G até F# , mas tons repetidos incluem G agudo e F grave. Os 3 tons mais comuns são A, C e D, porém é mais fácil comprar uma em tom C, pelo custo reduzi- do. · Articulações A língua pode ser usada para iniciar ou atacar notas diferentemente, as quais mu- dam o colorido das notas e adicionam um variedade de som à gaita. Essas articula- ções podem ser associadas com várias sílabas faladas, como dizendo "ta" ou "ka" ou "da" ou "ha" ou "ga", etc. Articulações também podem ser feitas pelo suave des- lizar do lábio superior para fora da gaita e recolocando-o em um tipo de beijo a moda da gaita. Articulações são mais fáceis utilizando a embocadura de bico, mas pode ser feitas também usando o bloqueio de língua. · Shakes Um balanço é a rápida alternância entre dois furos adjacentes. Os balanços são simi- lares aos trinados, mas os intervalos são maiores que 1/2 tom. Balanços são normal- mente feitos balançando a cabeça de um lado para outro, mas também pode ser feito movendo a gaita, ou combinando os dois movimentos. Balanços mais sofisticados podem incluir bends.
  • 10. 2ª posição é a mais comumente usada para tocar blues, rock e country. A escala pa- ra a 2ª posição é 2 tons e meio mais alta que o tom natural da gaita. Por exemplo, pa- ra a gaita no tom de C, toca-se no tom de G. A 2ª posição começa no 2 furo aspirado e usa mais notas aspiradas, especialmente na 1ª oitava da gaita. As notas aspiradas possibilitam mais bends e vibratos expressivos do que notas sopradas. · Draw Bends as ornaments Quando iniciantes começam a fazer os bends aspirados, os quais estão disponíveis nos furos 1-6, eles são inicialmente rápidos nas mudanças da nota natural, com um rápido bemolizar da nota continuamente dobrando um pouco e então retornando à nota primária. Em outras palavras, os bends não são usados como notas propria- mente. As notas são dobradas, mas o tocador não tem controle sobre a profundida- de e a duração da nota. · Dip bend Um dip bend é um rápido deslizar bend na nota a ser tocada. Esta técnica é freqüen- temente usada para enfeitar notas, especialmente em notas aspiradas. Ele é feito ini- cialmente atacando o furo com um bend, então gradualmente deslizado do bend para a nota final. Ou, menos freqüentemente, o furo pode ser começado sem bend, e um gradual bend pode ser usado para deslizar para a nota com bend. · Glissando Um glissando é uma seqüência de notas tocadas em rápida sucessão que finaliza na primeira nota tocada. Toque uma nota simples e então deslize a gaita pela sua bo- ca ... isso é essencialmente um glissando. As notas no glissando não são individual- mente articuladas, mas tocadas com um movimento contínuo. Um "ripper" glissando é essencialmente uma articulação da nota final. · Diafragma Trêmulo Trêmulo de diafragma é uma distinção do vibrato de garganta, e como o nome indica, enfatiza o diafragma ao invés da garganta, embora cada um seja usado em um certo grau. O Trêmulo é caracterizado pela oscilação do volume em oposição à variação de tom do Vibrato. Porém, quando usando vibrato em um bend, o diafragma é usado pa- ra suavemente adicionar o trêmulo, o tom irá variar devido à mudança de pressão. Trêmulo de diafragma é basicamente obtido pela repetição de "ha ha ha ha" como se você fizesse o som de um sorriso. O exemplo é algo exagerado apenas para que vo- cê possa ouvi-lo facilmente. · Draw Bends para produção de notas Full bends - Intermediate Bends Alterações das notas aspiradas são também chama- dos bends que alteram o tom natural da nota para uma diferente utilização do tom. A palavra "bend" (dobrar, flexionar), implica uma contínua mudança, mas os bends na gaita não precisam derivar de outras notas - em outras palavras, um bend como uma nota alterada pode ser tocado separadamente de outras notas, e a nota natural não precisa ser tocada. Bends apirados nos furos 2 e 3 tem uma extensão maior que um simples meio-tom (semi-tom), enquanto aspirados bends nos furos 1, 4, e 6 tem um semi-tom de extensão. Os bends tendem a alterar mais facilmente para o extremo da extensão, chamado full bend, e as notas entre a nota natural e a mais alterada nota são chamados bends intermediários, e são mais difíceis de conseguir controlar, e manter no tom do que bends normais. · Blow Bends para produzir notas Os furos 8 e 9 tem um bend soprado de meio-tom, enquanto o furo 10 tem um bend de 1 tom de extensão. · Fôlego e controle de ar Conseguir controlar o ar para não perder o fôlego é um problema mesmo. Até hoje
  • 11. luto com isso. O grande problema é que não sabemos controlar o ar com o diafragma, o que seria o certo. Então, acontece que quando tocamos uma música cheia de notas aspiradas, lotamos o pulmão de ar e somos forçados a dar "um basta" e soprar tudo pra fora. Eu nunca exercitei meu fôlego ou controle de ar, e naturalmente já consegui um ra- zoável que me permite tocar praticamente qualquer música. Mas um exercício que todos recomendam é pegar um orifício como o 4 por exemplo e soprar o máximo que conseguir e logo depois aspirar o máximo. Vá fazendo isso e contando o tempo.Eu já tentei, melhora um pouco, vale a pena tentar. Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você sempre tenha a quantidade certa de Tente manter este procedimento e respire durante as pausas, de modo que você sempre tenha a quantidade certa de ar. http://www.mvhp.com.br/piano