SlideShare uma empresa Scribd logo
URI-UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI
E DAS MISSÕES
PRÓ-REITORIA DE ENSINO
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
CÂMPUS DE FREDERICO WESTPHALEN
CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
FORMAÇÃO IRATI
SHEILA CASSENOTE FERREIRA
FREDERICO WESTPHALEN, MAIO, 2014
Definição
do Irati
Idade
permiana
inferior
Designada por
C.White como:
coluna das rochas
gondwânicas do
"Sistema de Santa
Catarina“ Irati, na língua
tupi significa
rio do mel.
e abaixo da
Formação
Estrada Nova,
ainda de
idade
permiana
No Brasil, situa-se
entre os estados do
Rio Grande do Sul,
Santa Catarina,
Paraná e São Paulo.
Estratigraficamente,
a Formação Irati
acha-se situada
acima do Grupo
Tubarão
(Permocarbonífero)
No continente africano
ocorre a Formação
White Band
corresponde ao Grupo Tubarão
do Brasil, graças à posição
estratigráfica, semelhança
litológica e paleontológica.
A espessura média do
Irati nos afloramentos
varia de 20m a 70m
sua característica mais
notável é em sua
uniformidade litológica
numa área tão grande A litologia do Irati
constitui-se
essencialmente de
folhelhos pretos,
por vezes
pirobetuminosos, e
dolomitos, ora
mais, ora menos
calcítico. É notável
a constância do
sílex
Sua importância
econômica atual
reside no
aproveitamento
das rochas
calcárias
Dentre os seus
destinos estão:
uso para correção
de solos,
fabricação de cal
e como pedra de
revestimento
A Formação Irati também é bem
conhecida porque suas rochas
são a matriz dos fósseis de
répteis mesossaurídeos
Referências Bibliográficas
AMARAL, Sérgio Estanislau do. Geologia e
petrologia da formação Irati (Permiano) no
estado de São Paulo. Bol. IGA[online]. 1971,
vol.2, pp. 03-81. ISSN 0100-3925.
PERINOTTO, J. A. & LINO, I. GEOLOGIA, RECURSOS
MINERAIS E PASSIVOS AMBIENTAIS. Disponível
em:
<http://educacadoresemluta.blogspot.com.br/20
12/05/geologia-recursos-minerais-e-
passivos.html>
Obrigada pela Atenção

Mais conteúdo relacionado

Mais de Sheila Cassenotte

Família Aristolochiaceae
Família AristolochiaceaeFamília Aristolochiaceae
Família Aristolochiaceae
Sheila Cassenotte
 
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃOSENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
Sheila Cassenotte
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da ProduçãoHigiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Sheila Cassenotte
 
Taxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemáticaTaxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemática
Sheila Cassenotte
 
Freinet
Freinet Freinet
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
Sheila Cassenotte
 
Slides
SlidesSlides
Urano (2) ss
Urano (2) ssUrano (2) ss
Urano (2) ss
Sheila Cassenotte
 
Intolerância á lactose
Intolerância á lactoseIntolerância á lactose
Intolerância á lactose
Sheila Cassenotte
 
Terapia gênica
Terapia gênicaTerapia gênica
Terapia gênica
Sheila Cassenotte
 
aborto
 aborto aborto

Mais de Sheila Cassenotte (12)

Família Aristolochiaceae
Família AristolochiaceaeFamília Aristolochiaceae
Família Aristolochiaceae
 
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃOSENTIDO E FORMAS DE  PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS  DE GESTÃO
SENTIDO E FORMAS DE PARTICIPAÇÃO EM PROCESSOS DE GESTÃO
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da ProduçãoHigiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
Higiene Pessoal, do Ambiente e da Produção
 
Taxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemáticaTaxonomia e sistemática
Taxonomia e sistemática
 
Freinet
Freinet Freinet
Freinet
 
Membrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETOMembrana plasmática slides COMPLETO
Membrana plasmática slides COMPLETO
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Urano (2) ss
Urano (2) ssUrano (2) ss
Urano (2) ss
 
Intolerância á lactose
Intolerância á lactoseIntolerância á lactose
Intolerância á lactose
 
Terapia gênica
Terapia gênicaTerapia gênica
Terapia gênica
 
aborto
 aborto aborto
aborto
 

Último

Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
cleidianevieira7
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
jenneferbarbosa21
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
jenneferbarbosa21
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
FlorAzaleia1
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MnicaPereira739219
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
jenneferbarbosa21
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
FlorAzaleia1
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
FERNANDACAROLINEPONT
 

Último (8)

Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.pptAula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
Aula 1. Introdução ao estudo da célula.ppt
 
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
EVOLUÇÃO-EVOLUÇÃO- A evolução pode ser definida como a mudança na forma e no ...
 
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
Cards das Espécies da Coleção-Carpoteca Temática Itinerante sediada no Labora...
 
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - ONDAS ELETROMAGNÉTICAS - APLICAÇÕES TECNOLÓGICAS.pdf
 
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptxMÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
MÁQUINAS SIMPLES-ALAVANCAS-POLIAS-ENGRENAGENS.pptx
 
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
Taxonomia: é a ciência que classifica os seres vivos, estabelecendo critérios...
 
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
2-10-EF - 9º ANO - CIÊNCIAS - LUZ E CORES.pdf
 
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.anatomia e fisiologia de peixes  CRMVCP.
anatomia e fisiologia de peixes CRMVCP.
 

Formação Irati

  • 1. URI-UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CÂMPUS DE FREDERICO WESTPHALEN CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS FORMAÇÃO IRATI SHEILA CASSENOTE FERREIRA FREDERICO WESTPHALEN, MAIO, 2014
  • 2. Definição do Irati Idade permiana inferior Designada por C.White como: coluna das rochas gondwânicas do "Sistema de Santa Catarina“ Irati, na língua tupi significa rio do mel.
  • 3.
  • 4. e abaixo da Formação Estrada Nova, ainda de idade permiana No Brasil, situa-se entre os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Estratigraficamente, a Formação Irati acha-se situada acima do Grupo Tubarão (Permocarbonífero)
  • 5. No continente africano ocorre a Formação White Band corresponde ao Grupo Tubarão do Brasil, graças à posição estratigráfica, semelhança litológica e paleontológica.
  • 6. A espessura média do Irati nos afloramentos varia de 20m a 70m
  • 7. sua característica mais notável é em sua uniformidade litológica numa área tão grande A litologia do Irati constitui-se essencialmente de folhelhos pretos, por vezes pirobetuminosos, e dolomitos, ora mais, ora menos calcítico. É notável a constância do sílex
  • 8. Sua importância econômica atual reside no aproveitamento das rochas calcárias Dentre os seus destinos estão: uso para correção de solos, fabricação de cal e como pedra de revestimento
  • 9. A Formação Irati também é bem conhecida porque suas rochas são a matriz dos fósseis de répteis mesossaurídeos
  • 10. Referências Bibliográficas AMARAL, Sérgio Estanislau do. Geologia e petrologia da formação Irati (Permiano) no estado de São Paulo. Bol. IGA[online]. 1971, vol.2, pp. 03-81. ISSN 0100-3925. PERINOTTO, J. A. & LINO, I. GEOLOGIA, RECURSOS MINERAIS E PASSIVOS AMBIENTAIS. Disponível em: <http://educacadoresemluta.blogspot.com.br/20 12/05/geologia-recursos-minerais-e- passivos.html>