SlideShare uma empresa Scribd logo
Tecnologias aplicadas à catalogação
A utilização de folhas de estilo XSLT na conversão de
registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21
Fabrício Silva Assumpção
Mestrando em Ciência da Informação – UNESP
Bolsista CAPES
fabricioassumpcao.com
Plácida L. V. A. da C. Santos
Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação – UNESP
Introdução
 O Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos tem sido
utilizado internacionalmente no intercâmbio de registros
bibliográficos.
 Importação e exportação de registros MARC 21 Bibliográfico:
qualificador dos sistemas de gerenciamento de bibliotecas
 Existem sistemas que utilizam formatos próprios, o que
interfere nas possibilidades de intercâmbio e de migração dos
registros.
Desfavorece a participação das bibliotecas em programas
de catalogação cooperativa.
Ocasiona em retrabalho durante a mudança de sistema de
gerenciamento de bibliotecas.
Personal Home Library (PHL)
 Um sistema de gerenciamento de bibliotecas que não
possibilita a exportação dos registros bibliográficos no
MARC 21 Bibliográfico:
Personal Home Library (PHL) (elysio.com.br)
 3180 bibliotecas
 PHL.netopac: 5.467.589 registros bibliográficos
(NOSSOS CLIENTES, 2013; PHL.NETOPAC, 2013)
(Dados de 02 de março de 2013)
Objetivo
Como converter os registros bibliográficos
exportados pelo PHL em registros no Formato
MARC 21 para Dados Bibliográficos?
 Objetivo: elaborar um instrumento para a conversão dos
registros bibliográficos exportados pelo PHL em registros
no Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos.
Materiais e métodos
 Revisão de literatura
 Formato PHL (OLIVEIRA, 2011)
 Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos (LIBRARY OF
CONGRESS, 2012)
 XSLT 2.0 (W3C, 2007)
 Oxygen XML Editor 13.2
 MarcEdit 5.9
 Testes iniciais: registros bibliográficos criados para este
fim e registros coletados do PHL.netopac
Formato de origem e formato de destino
Registro PHL
• Conteúdo
• Regras de catalogação,
vocabulários, convenções, etc.
• Designação do conteúdo
• Campos
• Estrutura (codificação para
máquina)
• ISO 2709, CISIS, VLINE, HLINE,
XML
MARC 21 Bibliográfico
• Conteúdo
• Regras de catalogação,
vocabulários, convenções, etc.
• Designação do conteúdo
• Campos, indicadores, subcampos
• Estrutura (codificação para
máquina)
• ISO 2709, XML (MARCXML)
Extensible Markup Language (XML)
 Uma “forma” de marcar documentos, de acrescentar
marcações que indiquem seu conteúdo de modo que
possa ser processado (manipulado) por programas de
computador.
O refrigerador Electrolux Duplex DC50X tem capacidade de
armazenagem total de 462 litros e possui garantia de 12 meses.
<descrição>
O <produto>refrigerador</produto> <marca>Electrolux</marca>
<modelo>Duplex DC50X</modelo> tem capacidade de
armazenagem total de <capacidade>462</capacidade> litros e
possui garantia de <garantia>12 meses</garantia>.
</descrição>
Transformação de documentos XML
 Uma vez que os dados estão marcados com a XML,
podem ser manipulados e reestruturados de modo a
atender distintos propósitos  Transformados
 Folhas de estilo de transformação
Conjuntos de regras que indicam a um software o
que fazer com um documento XML para transformá-
lo em outro documento XML ou em um documento
de outro tipo.
 Extensible Stylesheet Language for Transformation
(XSLT) (Linguagem Extensível para Folhas de Estilo de Transformação)
Transformação com folhas de estilo
Conversão de registros com folha de estilo
 Os registros do PHL podem ser exportados em XML.
 Os registros MARC 21 podem ser utilizados em XML.
 Utilizar uma folha de estilo na conversão de registros
do PHL.
 Relatos encontrados na literatura (KEENAN, 2010; KEITH,
2004; KURTH; RUDDY; RUPP, 2004; RUDIĆ; SURLA, 2009)
Conversão com a folha de estilo
Registros PHL
(XML)
Processador de
transformação
(MarcEdit)
Registros MARC 21
(MARCXML)
Folha de estilo XSLT
PHL  MARC 21
Documento de entrada Documento de saída
Folha de estilo PHL – MARCXML
<!-- Indicação de edição (MARC 250) - Edição (PHL 063) -->
<xsl:if test="$bibliographicLevel = 'm' and v063">
<marc:datafield tag="250" ind1=" " ind2=" ">
<marc:subfield code="a">
<xsl:value-of select="v063"/>
</marc:subfield>
</marc:datafield>
</xsl:if>
Mapa PHL – MARC 21
Nível
PHL MARC 21 Bibliográfico
Etiqueta Campo Campo i1 i2 Sub. Campo: subcampo
M, A
008 Meio
Eletrônico
856 4 0 u Localização e acesso eletrônico:
Uniform Resource Identifier (URI)
M
016 Autor 100 1 # a Ponto de acesso principal - Nome
pessoal: Nome pessoal
M
016 Autor 700 1 # a Ponto de acesso secundário -
Nome pessoal: Nome pessoal
M 018 Título 245 1 0 a Indicação de título: Título
M
020 Total de
Páginas
300 # # a Descrição física: Extensão
M, A 035 ISSN 022 # # a ISSN: ISSN
M
062 Editora 260 # # b Publicação, distribuição: Nome do
publicador, distribuidor, etc.
M
063 Edição 250 # # a Indicação de edição: Indicação de
edição
M, A
064 Data de
Publicação
260 # # c Publicação, distribuição: Data de
publicação, distribuição, etc.
M, A 069 ISBN 020 # # a ISBN: ISBN
Instruções para a conversão
 Exportação dos registros
 Instalação do MarcEdit
 Inserção da folha de estilo no MarcEdit
 Conversão de PHL para MARCXML
 Conversão de MARCXML para MARC 21 (ISO 2709)
 As instruções e a folha de estilo estão disponíveis em:
fabricioassumpcao.com/conversao-de-phl-para-marc-21
Considerações finais
 A necessidade de converter registros muitas vezes tem
causado retrabalho no ambiente das bibliotecas.
 Para suprir tal necessidade (com o mínimo possível de
retrabalho), a catalogação tem feito uso das tecnologias
no decorrer de sua história, sendo hoje encontrados
diversos métodos e instrumentos tecnológicos para esse
fim.
Um dos métodos é a utilização de folhas de estilo
Um dos instrumentos é o produto deste estudo
Considerações finais
 O instrumento elaborado neste estudo oferece uma
alternativa viável para a conversão de registros
bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21.
 Ele permite a conversão em um período de tempo
relativamente curto e com custo zero (na elaboração do
instrumento).
 Após a conversão, pode ser necessário completar ou
modificar os registros convertidos.
 Sem ele, a conversão dos registros bibliográficos do PHL
estaria limitada e condicionada à digitação ou à cópia
dos dados para planilhas MARC 21.
Considerações finais
 Não se pretende que os bibliotecários criem folhas de
estilo, apenas que conheçam as tecnologias de modo
que possam utilizá-las em prol de suas atividades.
 Por fim, independentemente do tipo e/ou do método, a
conversão significa, acima de tudo, evitar o retrabalho.
 Evitar o retrabalho implica na redução dos custos com a
catalogação e do tempo gasto na disponibilização dos
registros aos usuários, que, por sua vez, têm o catálogo
e seus registros como um dos principais meios de acesso
à informação contida nas coleções das bibliotecas.
Referências
ASENSI ARTIGA, V.; RODRÍGUEZ MUÑOZ, J. V. El processo de catalogación automatizada. In: PINTO MOLINA, M. (Org.). Catalogación de
documentos: teoria y práctica. 2. ed. rev. e atual. Madrid: Síntesis, 2001. p. 105-143.
AVERKAMP, S.; LEE, J. Repurposing ProQuest Metadata for Batch Ingesting ETDs into an Institutional Repository. Code4Lib Journal, n. 7, 2009.
BOWMAN, J. H. Retrospective conversion: The early years. Library History, v. 23, p. 331-340, Dec. 2007.
KEENAN, T. M. Why Purchase When You Can Repurpose? Using Crosswalks to Enhance User Access. Code4Lib Journal, n. 11, 2010.
KEITH, C. Using XSLT to manipulate MARC metadata. Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 122-130, 2004.
KURTH, M.; RUDDY, D.; RUPP, N. Repurposing MARC metadata: using digital project experience to develop a metadata management design.
Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 153-165, 2004.
LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21 Format for Bibliographic Data. Washington, D.C., 2012. Disponível em:
<http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdhome.html>. Acesso em: 1 dez. 2012.
NOSSOS clientes. Gurupi: InfoArte, 2013. Disponível em: <http://www.elysio.com.br>. Acesso em: 02 mar. 2013.
OLIVEIRA, E. M. S. de. Manual do PHL 8.2. Revisão de 27/09/2011. Gurupi: InfoArte, 2011.
PHL.NETOPAC. Gurupi: InfoArte, 2013. Disponível em: <http://www.elysio.com.br/site/phlnet_index.html>. Acesso em: 02 mar. 2013.
RUDIĆ, G.; SURLA, D. Conversion of bibliographic records to MARC 21 format. The Electronic Library, v. 27, n. 6, p. 950-967, 2009.
ST. PIERRE, M.; LAPLANT, W. P. Issues in Crosswalking Content Metadata Standards. Baltimore: NISO, 1998. Disponível em:
<http://www.niso.org/publications /white_papers/crosswalk>. Acesso em: 19 fev. 2013.
W3C. XSL Transformations (XSLT) Version 2.0. Cambridge, 2007. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/xslt20>. Acesso em: 25 set. 2012.
WOODLEY, M. S. Crosswalks, Metadata Harvesting, Federated Searching, Metasearching: Using Metadata to Connect Users and Information.
In: BACA, M. (Org.). Introduction to Metadata. 2nd ed. Los Angeles: Getty Research Institute, 2008. Disponível em:
<http://www.getty.edu/research/publications/ electronic_publications/intrometadata/path.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2013.
Obrigado!
Fabrício Silva Assumpção
Mestrando em Ciência da Informação – UNESP
Bolsista CAPES
assumpcao.f@gmail.com
fabricioassumpcao.com
Plácida L. V. A. da C. Santos
Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação – UNESP

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
Fabrício Silva Assumpção
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDAMudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentaisSKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
Fabrício Silva Assumpção
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Fabrício Silva Assumpção
 
MARCXML
MARCXMLMARCXML
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Fabrício Silva Assumpção
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Fabrício Silva Assumpção
 
XSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciaisXSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciais
Fabrício Silva Assumpção
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Fabrício Silva Assumpção
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
Fabrício Silva Assumpção
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Fabrício Silva Assumpção
 
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: Dando um passo à frente
RDA:Dando um passo à frenteRDA:Dando um passo à frente
RDA: Dando um passo à frente
Fabrício Silva Assumpção
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA
RDARDA
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21? Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
Marcelo Votto
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Fabrício Silva Assumpção
 
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
Marcelo Votto
 

Mais procurados (20)

RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDAMudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDA
 
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentaisSKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
SKOS: Interoperabilidade de linguagens documentais
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
 
MARCXML
MARCXMLMARCXML
MARCXML
 
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades...
 
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
Linked Data no domínio bibliográfico: vocabulários para a publicação de dado...
 
XSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciaisXSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciais
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
Mudanças e desafios na utilização do RDA (Rede de BIbliotecas da UNESP)
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
 
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)
 
RDA: Dando um passo à frente
RDA:Dando um passo à frenteRDA:Dando um passo à frente
RDA: Dando um passo à frente
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
 
RDA
RDARDA
RDA
 
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21? Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
 
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
O RDA no controle de autoridades do Sistema de Bibliotecas da Universidade de...
 

Destaque

Formatos MARC 21
Formatos MARC 21Formatos MARC 21
Formatos MARC 21
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Fabrício Silva Assumpção
 
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Fabrício Silva Assumpção
 
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
Fabrício Silva Assumpção
 
Resource Description Framework (RDF)
Resource Description Framework (RDF)Resource Description Framework (RDF)
Resource Description Framework (RDF)
Jaider Andrade Ferreira
 
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpaceMódulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Rodrigo Prado
 

Destaque (11)

Formatos MARC 21
Formatos MARC 21Formatos MARC 21
Formatos MARC 21
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
 
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
 
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
 
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
 
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
 
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
 
Resource Description Framework (RDF)
Resource Description Framework (RDF)Resource Description Framework (RDF)
Resource Description Framework (RDF)
 
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpaceMódulo 06 Introdução a metadados no DSpace
Módulo 06 Introdução a metadados no DSpace
 

Semelhante a Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na conversão de registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21

Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Fabrício Silva Assumpção
 
MARC 21
MARC 21MARC 21
MARC 21
UNESP
 
MARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdfMARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdf
Claudinei Assis
 
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Base De Dados Documentais
Base De Dados DocumentaisBase De Dados Documentais
Base De Dados Documentais
josecosme
 
Tecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecasTecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecas
Anderson Santana
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
Daniel Ribeiro dos Santos
 
Slides Opac
Slides OpacSlides Opac
Slides Opac
Re_Biblio
 
Apresentação Marta Lígia Pomin Valentim
Apresentação Marta Lígia Pomin ValentimApresentação Marta Lígia Pomin Valentim
Apresentação Marta Lígia Pomin Valentim
bcoufscar
 
Conversão Retrospectiva
Conversão RetrospectivaConversão Retrospectiva
Conversão Retrospectiva
UNESP
 
Catalogação Retrospectiva
Catalogação RetrospectivaCatalogação Retrospectiva
Catalogação Retrospectiva
Re_Biblio
 
As contribuições da Web Semântica para a Catalogação
As contribuições da Web Semântica para a CatalogaçãoAs contribuições da Web Semântica para a Catalogação
As contribuições da Web Semântica para a Catalogação
UNESP
 
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
Anderson Santana
 
RDA
RDARDA
RDA
UNESP
 
Redacao Academica para a Web 2.0 ABEC
Redacao Academica para a Web 2.0 ABECRedacao Academica para a Web 2.0 ABEC
Redacao Academica para a Web 2.0 ABEC
Suelybcs .
 
Dos catálogos à descoberta
Dos catálogos à descobertaDos catálogos à descoberta
Dos catálogos à descoberta
Anderson Santana
 
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Priscila Campos
 
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
Projeto RCAAP
 
DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
Miguel Angel Mardero Arellano
 
DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
Miguel Angel Mardero Arellano
 

Semelhante a Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na conversão de registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21 (20)

Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
Tecnologias para a conversão de registros bibliográficos PHL para o Formato M...
 
MARC 21
MARC 21MARC 21
MARC 21
 
MARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdfMARC21.pdf.pdf
MARC21.pdf.pdf
 
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações: ações para melhoria na...
 
Base De Dados Documentais
Base De Dados DocumentaisBase De Dados Documentais
Base De Dados Documentais
 
Tecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecasTecnologias para bibliotecas
Tecnologias para bibliotecas
 
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
ESTUDO COMPARATIVO DA NORMA BRASILEIRA DE DESCRIÇÃO ARQUIVÍSTICA (NOBRADE) E ...
 
Slides Opac
Slides OpacSlides Opac
Slides Opac
 
Apresentação Marta Lígia Pomin Valentim
Apresentação Marta Lígia Pomin ValentimApresentação Marta Lígia Pomin Valentim
Apresentação Marta Lígia Pomin Valentim
 
Conversão Retrospectiva
Conversão RetrospectivaConversão Retrospectiva
Conversão Retrospectiva
 
Catalogação Retrospectiva
Catalogação RetrospectivaCatalogação Retrospectiva
Catalogação Retrospectiva
 
As contribuições da Web Semântica para a Catalogação
As contribuições da Web Semântica para a CatalogaçãoAs contribuições da Web Semântica para a Catalogação
As contribuições da Web Semântica para a Catalogação
 
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
Serviços de Descoberta (Web-Scale Discovery Services)
 
RDA
RDARDA
RDA
 
Redacao Academica para a Web 2.0 ABEC
Redacao Academica para a Web 2.0 ABECRedacao Academica para a Web 2.0 ABEC
Redacao Academica para a Web 2.0 ABEC
 
Dos catálogos à descoberta
Dos catálogos à descobertaDos catálogos à descoberta
Dos catálogos à descoberta
 
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados
 
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
Projeto de depuração de metadados do Repositório Institucional da Produção Ci...
 
DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
 
DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
 

Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na conversão de registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21

  • 1. Tecnologias aplicadas à catalogação A utilização de folhas de estilo XSLT na conversão de registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21 Fabrício Silva Assumpção Mestrando em Ciência da Informação – UNESP Bolsista CAPES fabricioassumpcao.com Plácida L. V. A. da C. Santos Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação – UNESP
  • 2. Introdução  O Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos tem sido utilizado internacionalmente no intercâmbio de registros bibliográficos.  Importação e exportação de registros MARC 21 Bibliográfico: qualificador dos sistemas de gerenciamento de bibliotecas  Existem sistemas que utilizam formatos próprios, o que interfere nas possibilidades de intercâmbio e de migração dos registros. Desfavorece a participação das bibliotecas em programas de catalogação cooperativa. Ocasiona em retrabalho durante a mudança de sistema de gerenciamento de bibliotecas.
  • 3. Personal Home Library (PHL)  Um sistema de gerenciamento de bibliotecas que não possibilita a exportação dos registros bibliográficos no MARC 21 Bibliográfico: Personal Home Library (PHL) (elysio.com.br)  3180 bibliotecas  PHL.netopac: 5.467.589 registros bibliográficos (NOSSOS CLIENTES, 2013; PHL.NETOPAC, 2013) (Dados de 02 de março de 2013)
  • 4. Objetivo Como converter os registros bibliográficos exportados pelo PHL em registros no Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos?  Objetivo: elaborar um instrumento para a conversão dos registros bibliográficos exportados pelo PHL em registros no Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos.
  • 5. Materiais e métodos  Revisão de literatura  Formato PHL (OLIVEIRA, 2011)  Formato MARC 21 para Dados Bibliográficos (LIBRARY OF CONGRESS, 2012)  XSLT 2.0 (W3C, 2007)  Oxygen XML Editor 13.2  MarcEdit 5.9  Testes iniciais: registros bibliográficos criados para este fim e registros coletados do PHL.netopac
  • 6. Formato de origem e formato de destino Registro PHL • Conteúdo • Regras de catalogação, vocabulários, convenções, etc. • Designação do conteúdo • Campos • Estrutura (codificação para máquina) • ISO 2709, CISIS, VLINE, HLINE, XML MARC 21 Bibliográfico • Conteúdo • Regras de catalogação, vocabulários, convenções, etc. • Designação do conteúdo • Campos, indicadores, subcampos • Estrutura (codificação para máquina) • ISO 2709, XML (MARCXML)
  • 7. Extensible Markup Language (XML)  Uma “forma” de marcar documentos, de acrescentar marcações que indiquem seu conteúdo de modo que possa ser processado (manipulado) por programas de computador. O refrigerador Electrolux Duplex DC50X tem capacidade de armazenagem total de 462 litros e possui garantia de 12 meses. <descrição> O <produto>refrigerador</produto> <marca>Electrolux</marca> <modelo>Duplex DC50X</modelo> tem capacidade de armazenagem total de <capacidade>462</capacidade> litros e possui garantia de <garantia>12 meses</garantia>. </descrição>
  • 8. Transformação de documentos XML  Uma vez que os dados estão marcados com a XML, podem ser manipulados e reestruturados de modo a atender distintos propósitos  Transformados  Folhas de estilo de transformação Conjuntos de regras que indicam a um software o que fazer com um documento XML para transformá- lo em outro documento XML ou em um documento de outro tipo.  Extensible Stylesheet Language for Transformation (XSLT) (Linguagem Extensível para Folhas de Estilo de Transformação)
  • 10. Conversão de registros com folha de estilo  Os registros do PHL podem ser exportados em XML.  Os registros MARC 21 podem ser utilizados em XML.  Utilizar uma folha de estilo na conversão de registros do PHL.  Relatos encontrados na literatura (KEENAN, 2010; KEITH, 2004; KURTH; RUDDY; RUPP, 2004; RUDIĆ; SURLA, 2009)
  • 11. Conversão com a folha de estilo Registros PHL (XML) Processador de transformação (MarcEdit) Registros MARC 21 (MARCXML) Folha de estilo XSLT PHL  MARC 21 Documento de entrada Documento de saída
  • 12. Folha de estilo PHL – MARCXML <!-- Indicação de edição (MARC 250) - Edição (PHL 063) --> <xsl:if test="$bibliographicLevel = 'm' and v063"> <marc:datafield tag="250" ind1=" " ind2=" "> <marc:subfield code="a"> <xsl:value-of select="v063"/> </marc:subfield> </marc:datafield> </xsl:if>
  • 13. Mapa PHL – MARC 21 Nível PHL MARC 21 Bibliográfico Etiqueta Campo Campo i1 i2 Sub. Campo: subcampo M, A 008 Meio Eletrônico 856 4 0 u Localização e acesso eletrônico: Uniform Resource Identifier (URI) M 016 Autor 100 1 # a Ponto de acesso principal - Nome pessoal: Nome pessoal M 016 Autor 700 1 # a Ponto de acesso secundário - Nome pessoal: Nome pessoal M 018 Título 245 1 0 a Indicação de título: Título M 020 Total de Páginas 300 # # a Descrição física: Extensão M, A 035 ISSN 022 # # a ISSN: ISSN M 062 Editora 260 # # b Publicação, distribuição: Nome do publicador, distribuidor, etc. M 063 Edição 250 # # a Indicação de edição: Indicação de edição M, A 064 Data de Publicação 260 # # c Publicação, distribuição: Data de publicação, distribuição, etc. M, A 069 ISBN 020 # # a ISBN: ISBN
  • 14. Instruções para a conversão  Exportação dos registros  Instalação do MarcEdit  Inserção da folha de estilo no MarcEdit  Conversão de PHL para MARCXML  Conversão de MARCXML para MARC 21 (ISO 2709)  As instruções e a folha de estilo estão disponíveis em: fabricioassumpcao.com/conversao-de-phl-para-marc-21
  • 15. Considerações finais  A necessidade de converter registros muitas vezes tem causado retrabalho no ambiente das bibliotecas.  Para suprir tal necessidade (com o mínimo possível de retrabalho), a catalogação tem feito uso das tecnologias no decorrer de sua história, sendo hoje encontrados diversos métodos e instrumentos tecnológicos para esse fim. Um dos métodos é a utilização de folhas de estilo Um dos instrumentos é o produto deste estudo
  • 16. Considerações finais  O instrumento elaborado neste estudo oferece uma alternativa viável para a conversão de registros bibliográficos do PHL para o Formato MARC 21.  Ele permite a conversão em um período de tempo relativamente curto e com custo zero (na elaboração do instrumento).  Após a conversão, pode ser necessário completar ou modificar os registros convertidos.  Sem ele, a conversão dos registros bibliográficos do PHL estaria limitada e condicionada à digitação ou à cópia dos dados para planilhas MARC 21.
  • 17. Considerações finais  Não se pretende que os bibliotecários criem folhas de estilo, apenas que conheçam as tecnologias de modo que possam utilizá-las em prol de suas atividades.  Por fim, independentemente do tipo e/ou do método, a conversão significa, acima de tudo, evitar o retrabalho.  Evitar o retrabalho implica na redução dos custos com a catalogação e do tempo gasto na disponibilização dos registros aos usuários, que, por sua vez, têm o catálogo e seus registros como um dos principais meios de acesso à informação contida nas coleções das bibliotecas.
  • 18. Referências ASENSI ARTIGA, V.; RODRÍGUEZ MUÑOZ, J. V. El processo de catalogación automatizada. In: PINTO MOLINA, M. (Org.). Catalogación de documentos: teoria y práctica. 2. ed. rev. e atual. Madrid: Síntesis, 2001. p. 105-143. AVERKAMP, S.; LEE, J. Repurposing ProQuest Metadata for Batch Ingesting ETDs into an Institutional Repository. Code4Lib Journal, n. 7, 2009. BOWMAN, J. H. Retrospective conversion: The early years. Library History, v. 23, p. 331-340, Dec. 2007. KEENAN, T. M. Why Purchase When You Can Repurpose? Using Crosswalks to Enhance User Access. Code4Lib Journal, n. 11, 2010. KEITH, C. Using XSLT to manipulate MARC metadata. Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 122-130, 2004. KURTH, M.; RUDDY, D.; RUPP, N. Repurposing MARC metadata: using digital project experience to develop a metadata management design. Library Hi Tech, v. 22, n. 2, p. 153-165, 2004. LIBRARY OF CONGRESS. MARC 21 Format for Bibliographic Data. Washington, D.C., 2012. Disponível em: <http://www.loc.gov/marc/bibliographic/ecbdhome.html>. Acesso em: 1 dez. 2012. NOSSOS clientes. Gurupi: InfoArte, 2013. Disponível em: <http://www.elysio.com.br>. Acesso em: 02 mar. 2013. OLIVEIRA, E. M. S. de. Manual do PHL 8.2. Revisão de 27/09/2011. Gurupi: InfoArte, 2011. PHL.NETOPAC. Gurupi: InfoArte, 2013. Disponível em: <http://www.elysio.com.br/site/phlnet_index.html>. Acesso em: 02 mar. 2013. RUDIĆ, G.; SURLA, D. Conversion of bibliographic records to MARC 21 format. The Electronic Library, v. 27, n. 6, p. 950-967, 2009. ST. PIERRE, M.; LAPLANT, W. P. Issues in Crosswalking Content Metadata Standards. Baltimore: NISO, 1998. Disponível em: <http://www.niso.org/publications /white_papers/crosswalk>. Acesso em: 19 fev. 2013. W3C. XSL Transformations (XSLT) Version 2.0. Cambridge, 2007. Disponível em: <http://www.w3.org/TR/xslt20>. Acesso em: 25 set. 2012. WOODLEY, M. S. Crosswalks, Metadata Harvesting, Federated Searching, Metasearching: Using Metadata to Connect Users and Information. In: BACA, M. (Org.). Introduction to Metadata. 2nd ed. Los Angeles: Getty Research Institute, 2008. Disponível em: <http://www.getty.edu/research/publications/ electronic_publications/intrometadata/path.pdf>. Acesso em: 18 fev. 2013.
  • 19. Obrigado! Fabrício Silva Assumpção Mestrando em Ciência da Informação – UNESP Bolsista CAPES assumpcao.f@gmail.com fabricioassumpcao.com Plácida L. V. A. da C. Santos Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação – UNESP