SlideShare uma empresa Scribd logo
XX Semana do Livro e da Biblioteca – UNESP Bauru, 7 out. 2014 
Repositórios institucionais 
como ambientes de acesso 
aberto nas universidades 
Fabrício Silva Assumpção 
Repositório Institucional UNESP
Comunicação científica formal
Comunicação científica formal 
Pre-print 
(versão submetida 
pelo autor) 
Post-print 
(versão aceita para a 
publicação) 
Versão 
publicada
Comunicação científica formal 
 Artigo científico como principal meio para a 
comunicação científica formal. 
 O papel do publicador/editor: assegurar a revisão 
pelos pares, publicar, distribuir. 
 O custo da informação científica: o financiamento 
da pesquisa, a publicação e o acesso. 
 Acesso restrito à informação. Menor 
impacto.
Mudanças... 
 Crescimento do número de publicações (e dos 
custos!) 
 Facilidades da publicação eletrônica 
 Custo menor em relação ao impresso 
 Maior alcance 
 ... 
 Popularização do acesso à Internet / Web
Budapest Open Access Initiative (BOAI) 
 Acesso aberto: “[...] disponibilização livre e 
pública na internet, permitindo a quaisquer 
usuários ler, baixar, copiar, distribuir, 
imprimir, buscar ou vincular aos textos 
completos desses artigos, indexá-los, 
processá-los como dados em software, ou 
utilizá-los em qualquer propósito dentro da 
lei, sem barreiras financeiras, legais ou 
técnicas que não sejam as do simples acesso 
à internet.”
Budapest Open Access Initiative (BOAI) 
 “A única limitação sobre a reprodução e 
a distribuição e o único papel do 
copyright neste domínio deve ser para 
dar aos autores o controle sobre a 
integridade de sua obra e o direito de 
serem propriamente reconhecidos e 
citados.”
Pesquisa-dores 
Editores 
Bibliotecas 
Universi-dades 
Sociedade 
Agências 
de 
fomento 
Gestores
Entraves 
 Em muitos casos, para que o artigo seja publicado, 
o autor deve ceder os direitos de cópia e de 
distribuição (copyright) ao publicador. 
 Dependendo do termo assinado, o autor fica 
impedido de disponibilizar seu trabalho em 
qualquer lugar (sites pessoais e institucionais, 
repositórios, envio por e-mail, etc.). 
 E o acesso aberto, como fica?
Novos modelos de negócio 
 Assinatura 
 Disponibilização em site pessoal 
Acesso 
fechado 
 Acesso aberto 
 Sem liberdades 
 Gratis 
Acesso 
aberto 
 Assinatura 
 Todos os direitos 
reservados 
 Acesso aberto 
 Liberdades 
 Libre 
 Assinatura 
 Arquivamento do pre-print 
 Assinatura 
 Distribuição pessoal 
(com ou sem embargo) 
 Assinatura 
 Arquivamento do post-print 
(com ou sem embargo) 
 Assinatura 
 Arquivamento após embargo 
 Assinatura 
 Arquivamento da versão publicada 
 Híbrido (assinatura 
e acesso aberto)
Novos modelos de negócio 
Via verde 
 Acesso restrito na página do publicador. 
 Possibilidade de disponibilizar em repositórios. 
Via dourada 
 Acesso aberto na página do publicador.
Repositórios digitais 
“Os repositórios digitais são criados para 
facilitar o acesso à produção científica. São 
bases de dados desenvolvidas para reunir, 
organizar e tornar mais acessível a produção 
científica dos pesquisadores.” 
(LEITE et al., 2012, p. 7)
Repositórios temáticos 
www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed
Repositórios temáticos 
arxiv.org
Repositórios temáticos 
eprints.rclis.org
Repositórios institucionais 
“Um repositório institucional de acesso aberto 
constitui um serviço de informação científica - 
em ambiente digital e interoperável - dedicado 
ao gerenciamento da produção científica e/ou 
acadêmica de uma instituição (universidades 
ou institutos de pesquisa).” 
(LEITE et al., 2012, p. 7)
Repositórios institucionais 
“Contempla a reunião, armazenamento, 
organização, preservação, recuperação e, 
sobretudo, a ampla disseminação da 
informação científica produzida na 
instituição.” 
(LEITE et al., 2012, p. 7)
Benefícios 
 Aumenta a visibilidade da produção institucional. 
 Auxilia na elaboração de indicadores. 
 “Prestação de contas” à sociedade. 
 Facilita a identificação de plágios. 
 Auxilia na memória institucional. 
 ...
O que não é... 
 “Todo repositório institucional de acesso aberto 
pode ser considerado um tipo de biblioteca digital. 
Entretanto, nem toda biblioteca digital pode ser 
considerada um repositório institucional.” 
(LEITE et al., 2012, p. 7) 
 Repositórios não cumprem as funções dos 
periódicos: 
 Não validam, não revisam e não publicam... 
Disponibilizam!
Directory of Open Access Repositories 
opendoar.org
Implantar... e desenvolver! 
 Um repositório institucional não se restringe a ter 
um ambiente digital. 
Políticas (estabilidade) 
Infraestrutura tecnológica 
Equipe 
Comunidade 
Implantação e desenvolvimento
Autoarquivamento é possível? 
 Autoarquivamento e autoarquivamento mediado 
 Obrigatório ou opcional 
 Quem pode/deve submeter? 
 O que pode ser submetido? 
 Qualidade: quem revisará? 
 Direitos autorais: 
 Os autores estão cientes dos seus direitos? 
 O publicador explicita quais são as liberdades 
dadas aos autores e aos leitores?
Conscientização
... e no Brasil?
Contexto brasileiro 
Universidades públicas como principais 
responsáveis pela ciência brasileira. 
Agências de fomento/financiamento 
principalmente públicas. 
País em desenvolvimento: relação entre 
informação e desenvolvimento.
DOAJ 
938 revistas brasileiras - doaj.org
Public Knowledge Project – OJS Map 
pkp.sfu.ca/ojs/ojs-usage/ojs-map
Revistas em acesso aberto 
 Portais de revistas mantidos principalmente por 
universidades 
 periodicos.ufpb.br 
 periodicos.ufsc.br 
 ufrgs.br/periodicos 
 periodicos.unb.br
SciELO 
scielo.org
Repositórios no Brasil 
maps.repository66.org
Repositórios Institucionais no Brasil 
 Repositórios institucionais em instituições de ensino 
superior (dados de agosto de 2013) 
49 repositórios 
396.881 itens 
 18,8% - LUME - Repositório Digital da UFRGS 
 13,6% - Biblioteca Digital da UNICAMP 
 10,4% - Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP 
 9,4% - Acervo Digital da UNESP 
 8,3% - Repositório Institucional da UFSC 
(MURAKAMI; FAUSTO, 2013)
Repositórios Institucionais no Brasil 
Distribuição geográfica dos RI (MURAKAMI; FAUSTO2013, p. 193)
... e na UNESP?
Repositório Institucional UNESP 
“Armazenar, preservar, disseminar e 
possibilitar o acesso aberto, como bem 
público global, à produção científica, 
acadêmica, artística, técnica e 
administrativa da Universidade.” 
 repositorio.unesp.br 
 Lançado em outubro de 2013
Repositório Institucional UNESP 
Dados de 06/10/2014.
Repositório Institucional UNESP 
Web of Science 
 SciELO 
 Scopus 
 Periódicos PROPe 
 Aleph 
 AUIN
Repositório Institucional UNESP 
Primo 
repositorio.unesp.br 
DSpace 
base.repositorio.unesp.br
Agregando valor
Agregando valor
Agregando valor
Agregando valor
Desafios 
Como desenvolver o Repositório 
Institucional UNESP? 
 Divulgação e conscientização 
 Garantir a atualidade e a qualidade dos dados: 
refletir a Universidade 
 Autoarquivamento de dissertações e teses
Minha percepção... 
 O Repositório evidencia a necessidade de políticas 
institucionais 
 Forma de citação da universidade, unidades, 
departamentos, etc. 
 Política de informação 
 Depósito de dissertações e teses 
 Depósito de TCC 
 Harmonização/unificação dos processos
Desafios e reflexões 
 Políticas de acesso aberto requerem 
conscientização 
 Direitos autorais 
 Acesso aberto: maior impacto? 
 Repositórios: maior impacto? 
 Desenvolvimento de um repositório 
institucional
Boas notícias para o 
acesso aberto! 
Software livre (Open source) 
Dados abertos (Open data) 
Recursos Educacionais Abertos (REA) 
Governo aberto (Open government) 
Ciência aberta (Open science) 
Open knowledge 
...
Referências 
 KURAMOTO, H. Blog do Kuramoto. Disponível em: 
<http://kuramoto.blog.br>. 2014. Acesso em: 01 out. 2014. 
 LEITE, F. et al. Boas práticas para a construção de repositórios 
institucionais da produção científica. Brasília: Ibict, 2012. Disponível 
em: <http://livroaberto.ibict.br/handle/1/703>. Acesso em: 01 out. 
2014. 
 MURAKAMI, T. R. M.; FAUSTO, S. Panorama atual dos Repositórios 
Institucionais das Instituições de Ensino Superior no Brasil. InCID: 
Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, 
n. 2, p. 185-201, jul./dez. 2013. Disponível em: 
<http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p185-201>. Acesso em: 
01 out. 2014.
Imagens 
 https://openclipart.org/detail/78169/office-notes-line-drawing-by-sheikh_ 
tuhin 
 https://openclipart.org/detail/171857/icon-pdf--- 
%C3%83%C2%8Dcone-by-leandrosciola-171857 
 https://openclipart.org/detail/38191/-by-rejon-38191 
 https://openclipart.org/detail/38197/-by-rejon-38197 
 https://openclipart.org/detail/38347/-by-rejon-38347 
 https://openclipart.org/detail/38257/-by-rejon-38257 
 https://openclipart.org/detail/90649/brazil_marcelo_staudt_01-by- 
Mestafais 
 https://openclipart.org/detail/168820/curved-arrow-blue-by-tdhoward75
XX Semana do Livro e da Biblioteca – UNESP Bauru, 7 out. 2014 
Obrigado! 
Fabrício Silva Assumpção 
assumpcao.f@gmail.com | fabricioassumpcao.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
Fabrício Silva Assumpção
 
Conversão de registros em XML para MARC 21: um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
Conversão de registros em XML para MARC 21:um modelo baseado em XSLT (ENANCI...Conversão de registros em XML para MARC 21:um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
Conversão de registros em XML para MARC 21: um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
Fabrício Silva Assumpção
 
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21? Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Fabrício Silva Assumpção
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: Dando um passo à frente
RDA:Dando um passo à frenteRDA:Dando um passo à frente
RDA: Dando um passo à frente
Fabrício Silva Assumpção
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Fabrício Silva Assumpção
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Fabrício Silva Assumpção
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Fabrício Silva Assumpção
 
MARCXML
MARCXMLMARCXML
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendênciasCatalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Fabrício Silva Assumpção
 
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLTConversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
Fabrício Silva Assumpção
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Fabrício Silva Assumpção
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
Fabrício Silva Assumpção
 
Catalogação: práticas e desafios atuais
Catalogação: práticas e desafios atuaisCatalogação: práticas e desafios atuais
Catalogação: práticas e desafios atuais
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA
RDARDA
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDAMudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
Marcelo Votto
 
XSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciaisXSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciais
Fabrício Silva Assumpção
 

Mais procurados (20)

Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
Tecnologias aplicadas à catalogação: a utilização de folhas de estilo XSLT na...
 
Conversão de registros em XML para MARC 21: um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
Conversão de registros em XML para MARC 21:um modelo baseado em XSLT (ENANCI...Conversão de registros em XML para MARC 21:um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
Conversão de registros em XML para MARC 21: um modelo baseado em XSLT (ENANCI...
 
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
RDA: introdução e panorama atual (XII Encontro Nacional dos Usuários da Rede ...
 
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21? Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
Eu ainda preciso aprender AACR2 e MARC 21?
 
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
Minicurso Introdução ao FRBR e ao RDA (SNBU 2014, Belo Horizonte)
 
RDA: Dando um passo à frente
RDA:Dando um passo à frenteRDA:Dando um passo à frente
RDA: Dando um passo à frente
 
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
Resource Description and Access (RDA) (UFSC 2020)
 
Pensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDAPensando a catalogação a partir do RDA
Pensando a catalogação a partir do RDA
 
Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)Controle de autoridade e RDA (UFG)
Controle de autoridade e RDA (UFG)
 
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
Resource Description and Access (RDA): introdução e desafios do novo código d...
 
MARCXML
MARCXMLMARCXML
MARCXML
 
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendênciasCatalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
Catalogação: conceitos, práticas, atualidades e tendências
 
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLTConversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
Conversão de registros: um modelo baseado em folhas de estilo XSLT
 
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
Reutilização de dados catalográficos: um olhar sobre o uso estratégico das te...
 
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
A conversão de registros na implantação de repositórios institucionais: o ca...
 
Catalogação: práticas e desafios atuais
Catalogação: práticas e desafios atuaisCatalogação: práticas e desafios atuais
Catalogação: práticas e desafios atuais
 
RDA
RDARDA
RDA
 
Mudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDAMudanças e desafios na utilização do RDA
Mudanças e desafios na utilização do RDA
 
RDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogaçãoRDA como novo código de catalogação
RDA como novo código de catalogação
 
XSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciaisXSLT: Conceitos iniciais
XSLT: Conceitos iniciais
 

Destaque

Formatos MARC 21
Formatos MARC 21Formatos MARC 21
Formatos MARC 21
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Fabrício Silva Assumpção
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Fabrício Silva Assumpção
 
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
Fabrício Silva Assumpção
 
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Fabrício Silva Assumpção
 
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
Fabrício Silva Assumpção
 
Normas da abnt referência
Normas da abnt   referênciaNormas da abnt   referência
Normas da abnt referência
Viviane Dantas Martins
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Vera Moreira Matos
 

Destaque (10)

Formatos MARC 21
Formatos MARC 21Formatos MARC 21
Formatos MARC 21
 
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 1: Modelos conceituais e desenvolvimento do RDA
 
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
XML: uma introdução (UNESP, GPNTI, BEAM)
 
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDAIntrodução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
Introdução ao RDA - Módulo 2: Estrutura do RDA
 
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridadeUm estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
Um estudo sobre os componentes do trabalho de autoridade
 
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
AACR2r Parte II: Pontos de acesso (2015)
 
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
Introdução ao RDA - Módulos 3, 4, 5 e 6
 
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
RDA: um exercício prático (23 jun. 2016)
 
Normas da abnt referência
Normas da abnt   referênciaNormas da abnt   referência
Normas da abnt referência
 
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slideSlide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
Slide referenciação bibliográfica segundo normas da abnt slide
 

Semelhante a Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades (Biblioteca UNESP, Bauru, 2014)

Workshop CI 2004
Workshop CI 2004Workshop CI 2004
Arquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicosArquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicos
UFSC
 
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Serviço de Biblioteca EESC/USP
 
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre Out 09
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre   Out 09Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre   Out 09
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre Out 09
Serviço de Biblioteca EESC/USP
 
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
Pedro Príncipe
 
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta
 
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest AbadalAcesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Jorge Prado
 
EloyRodrigues
EloyRodriguesEloyRodrigues
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
UFSC
 
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na RedeRepositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Miguel Angel Mardero Arellano
 
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência AbertaSciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
Portal de Publicações Eletrônicas da UERJ
 
O Open Access ao serviço dos investigadores e das instituições de ensino sup...
O Open Access ao serviço dos investigadorese das instituições de ensino sup...O Open Access ao serviço dos investigadorese das instituições de ensino sup...
O Open Access ao serviço dos investigadores e das instituições de ensino sup...
Pedro Príncipe
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria VallsUm novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
SIBiUSP
 
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
Carlos Lopes
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
Joao P. Dubas
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
UFSC
 
Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOPCurso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
Essevalter de Sousa
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Gestão de Portais de Periódicos
Gestão de Portais de Periódicos Gestão de Portais de Periódicos
Gestão de Portais de Periódicos
Portal de Periódicos UFSC
 

Semelhante a Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades (Biblioteca UNESP, Bauru, 2014) (20)

Workshop CI 2004
Workshop CI 2004Workshop CI 2004
Workshop CI 2004
 
Arquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicosArquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicos
 
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
 
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre Out 09
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre   Out 09Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre   Out 09
Teses Digitais E Conhecimento De Acesso Livre Out 09
 
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
OPEN ACCESS: ao serviço dos investigadores e das instituições de investigação...
 
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
Livros eletrônicos, políticas de licenciamento e acesso aberto - relações con...
 
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest AbadalAcesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
Acesso aberto à ciência, de Ernest Abadal
 
EloyRodrigues
EloyRodriguesEloyRodrigues
EloyRodrigues
 
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
 
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na RedeRepositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
 
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência AbertaSciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
SciELO: Acesso Aberto em alinhamento com a Ciência Aberta
 
O Open Access ao serviço dos investigadores e das instituições de ensino sup...
O Open Access ao serviço dos investigadorese das instituições de ensino sup...O Open Access ao serviço dos investigadorese das instituições de ensino sup...
O Open Access ao serviço dos investigadores e das instituições de ensino sup...
 
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria VallsUm novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
Um novo olhar sobre a atuação dos Bibliotecários - Profa. Dra. Valéria Valls
 
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
II Seminário Internacional FOLIO EDUCALiteracia e Cidadania em Tempo Digital ...
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
 
Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4Software DSpace 1 de 4
Software DSpace 1 de 4
 
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOPCurso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
Curso - Prática de revisão bibliográfica - Autor: Essevalter de Sousa - UFOP
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
 
Gestão de Portais de Periódicos
Gestão de Portais de Periódicos Gestão de Portais de Periódicos
Gestão de Portais de Periódicos
 

Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades (Biblioteca UNESP, Bauru, 2014)

  • 1. XX Semana do Livro e da Biblioteca – UNESP Bauru, 7 out. 2014 Repositórios institucionais como ambientes de acesso aberto nas universidades Fabrício Silva Assumpção Repositório Institucional UNESP
  • 3. Comunicação científica formal Pre-print (versão submetida pelo autor) Post-print (versão aceita para a publicação) Versão publicada
  • 4. Comunicação científica formal  Artigo científico como principal meio para a comunicação científica formal.  O papel do publicador/editor: assegurar a revisão pelos pares, publicar, distribuir.  O custo da informação científica: o financiamento da pesquisa, a publicação e o acesso.  Acesso restrito à informação. Menor impacto.
  • 5. Mudanças...  Crescimento do número de publicações (e dos custos!)  Facilidades da publicação eletrônica  Custo menor em relação ao impresso  Maior alcance  ...  Popularização do acesso à Internet / Web
  • 6. Budapest Open Access Initiative (BOAI)  Acesso aberto: “[...] disponibilização livre e pública na internet, permitindo a quaisquer usuários ler, baixar, copiar, distribuir, imprimir, buscar ou vincular aos textos completos desses artigos, indexá-los, processá-los como dados em software, ou utilizá-los em qualquer propósito dentro da lei, sem barreiras financeiras, legais ou técnicas que não sejam as do simples acesso à internet.”
  • 7. Budapest Open Access Initiative (BOAI)  “A única limitação sobre a reprodução e a distribuição e o único papel do copyright neste domínio deve ser para dar aos autores o controle sobre a integridade de sua obra e o direito de serem propriamente reconhecidos e citados.”
  • 8. Pesquisa-dores Editores Bibliotecas Universi-dades Sociedade Agências de fomento Gestores
  • 9. Entraves  Em muitos casos, para que o artigo seja publicado, o autor deve ceder os direitos de cópia e de distribuição (copyright) ao publicador.  Dependendo do termo assinado, o autor fica impedido de disponibilizar seu trabalho em qualquer lugar (sites pessoais e institucionais, repositórios, envio por e-mail, etc.).  E o acesso aberto, como fica?
  • 10. Novos modelos de negócio  Assinatura  Disponibilização em site pessoal Acesso fechado  Acesso aberto  Sem liberdades  Gratis Acesso aberto  Assinatura  Todos os direitos reservados  Acesso aberto  Liberdades  Libre  Assinatura  Arquivamento do pre-print  Assinatura  Distribuição pessoal (com ou sem embargo)  Assinatura  Arquivamento do post-print (com ou sem embargo)  Assinatura  Arquivamento após embargo  Assinatura  Arquivamento da versão publicada  Híbrido (assinatura e acesso aberto)
  • 11. Novos modelos de negócio Via verde  Acesso restrito na página do publicador.  Possibilidade de disponibilizar em repositórios. Via dourada  Acesso aberto na página do publicador.
  • 12. Repositórios digitais “Os repositórios digitais são criados para facilitar o acesso à produção científica. São bases de dados desenvolvidas para reunir, organizar e tornar mais acessível a produção científica dos pesquisadores.” (LEITE et al., 2012, p. 7)
  • 16. Repositórios institucionais “Um repositório institucional de acesso aberto constitui um serviço de informação científica - em ambiente digital e interoperável - dedicado ao gerenciamento da produção científica e/ou acadêmica de uma instituição (universidades ou institutos de pesquisa).” (LEITE et al., 2012, p. 7)
  • 17. Repositórios institucionais “Contempla a reunião, armazenamento, organização, preservação, recuperação e, sobretudo, a ampla disseminação da informação científica produzida na instituição.” (LEITE et al., 2012, p. 7)
  • 18. Benefícios  Aumenta a visibilidade da produção institucional.  Auxilia na elaboração de indicadores.  “Prestação de contas” à sociedade.  Facilita a identificação de plágios.  Auxilia na memória institucional.  ...
  • 19. O que não é...  “Todo repositório institucional de acesso aberto pode ser considerado um tipo de biblioteca digital. Entretanto, nem toda biblioteca digital pode ser considerada um repositório institucional.” (LEITE et al., 2012, p. 7)  Repositórios não cumprem as funções dos periódicos:  Não validam, não revisam e não publicam... Disponibilizam!
  • 20. Directory of Open Access Repositories opendoar.org
  • 21. Implantar... e desenvolver!  Um repositório institucional não se restringe a ter um ambiente digital. Políticas (estabilidade) Infraestrutura tecnológica Equipe Comunidade Implantação e desenvolvimento
  • 22. Autoarquivamento é possível?  Autoarquivamento e autoarquivamento mediado  Obrigatório ou opcional  Quem pode/deve submeter?  O que pode ser submetido?  Qualidade: quem revisará?  Direitos autorais:  Os autores estão cientes dos seus direitos?  O publicador explicita quais são as liberdades dadas aos autores e aos leitores?
  • 24. ... e no Brasil?
  • 25. Contexto brasileiro Universidades públicas como principais responsáveis pela ciência brasileira. Agências de fomento/financiamento principalmente públicas. País em desenvolvimento: relação entre informação e desenvolvimento.
  • 26. DOAJ 938 revistas brasileiras - doaj.org
  • 27. Public Knowledge Project – OJS Map pkp.sfu.ca/ojs/ojs-usage/ojs-map
  • 28. Revistas em acesso aberto  Portais de revistas mantidos principalmente por universidades  periodicos.ufpb.br  periodicos.ufsc.br  ufrgs.br/periodicos  periodicos.unb.br
  • 30. Repositórios no Brasil maps.repository66.org
  • 31. Repositórios Institucionais no Brasil  Repositórios institucionais em instituições de ensino superior (dados de agosto de 2013) 49 repositórios 396.881 itens  18,8% - LUME - Repositório Digital da UFRGS  13,6% - Biblioteca Digital da UNICAMP  10,4% - Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP  9,4% - Acervo Digital da UNESP  8,3% - Repositório Institucional da UFSC (MURAKAMI; FAUSTO, 2013)
  • 32. Repositórios Institucionais no Brasil Distribuição geográfica dos RI (MURAKAMI; FAUSTO2013, p. 193)
  • 33. ... e na UNESP?
  • 34.
  • 35. Repositório Institucional UNESP “Armazenar, preservar, disseminar e possibilitar o acesso aberto, como bem público global, à produção científica, acadêmica, artística, técnica e administrativa da Universidade.”  repositorio.unesp.br  Lançado em outubro de 2013
  • 36. Repositório Institucional UNESP Dados de 06/10/2014.
  • 37. Repositório Institucional UNESP Web of Science  SciELO  Scopus  Periódicos PROPe  Aleph  AUIN
  • 38. Repositório Institucional UNESP Primo repositorio.unesp.br DSpace base.repositorio.unesp.br
  • 43. Desafios Como desenvolver o Repositório Institucional UNESP?  Divulgação e conscientização  Garantir a atualidade e a qualidade dos dados: refletir a Universidade  Autoarquivamento de dissertações e teses
  • 44. Minha percepção...  O Repositório evidencia a necessidade de políticas institucionais  Forma de citação da universidade, unidades, departamentos, etc.  Política de informação  Depósito de dissertações e teses  Depósito de TCC  Harmonização/unificação dos processos
  • 45. Desafios e reflexões  Políticas de acesso aberto requerem conscientização  Direitos autorais  Acesso aberto: maior impacto?  Repositórios: maior impacto?  Desenvolvimento de um repositório institucional
  • 46. Boas notícias para o acesso aberto! Software livre (Open source) Dados abertos (Open data) Recursos Educacionais Abertos (REA) Governo aberto (Open government) Ciência aberta (Open science) Open knowledge ...
  • 47. Referências  KURAMOTO, H. Blog do Kuramoto. Disponível em: <http://kuramoto.blog.br>. 2014. Acesso em: 01 out. 2014.  LEITE, F. et al. Boas práticas para a construção de repositórios institucionais da produção científica. Brasília: Ibict, 2012. Disponível em: <http://livroaberto.ibict.br/handle/1/703>. Acesso em: 01 out. 2014.  MURAKAMI, T. R. M.; FAUSTO, S. Panorama atual dos Repositórios Institucionais das Instituições de Ensino Superior no Brasil. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, v. 4, n. 2, p. 185-201, jul./dez. 2013. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178-2075.v4i2p185-201>. Acesso em: 01 out. 2014.
  • 48. Imagens  https://openclipart.org/detail/78169/office-notes-line-drawing-by-sheikh_ tuhin  https://openclipart.org/detail/171857/icon-pdf--- %C3%83%C2%8Dcone-by-leandrosciola-171857  https://openclipart.org/detail/38191/-by-rejon-38191  https://openclipart.org/detail/38197/-by-rejon-38197  https://openclipart.org/detail/38347/-by-rejon-38347  https://openclipart.org/detail/38257/-by-rejon-38257  https://openclipart.org/detail/90649/brazil_marcelo_staudt_01-by- Mestafais  https://openclipart.org/detail/168820/curved-arrow-blue-by-tdhoward75
  • 49. XX Semana do Livro e da Biblioteca – UNESP Bauru, 7 out. 2014 Obrigado! Fabrício Silva Assumpção assumpcao.f@gmail.com | fabricioassumpcao.com

Notas do Editor

  1. E quando a gente fala dessa relação entre informação e desenvolvimento, a gente tem que lembrar também como no Brasil existem níveis muito diferentes de desenvolvimento e de acesso à informação: uma coisa somos nós aqui numa universidade estadual paulista, que, por mais que a gente reclame e tal, tem muito recurso; outra coisa é quem está em uma universidade no interior do norte, do nordeste, em uma universidade particular e até quem está fora de uma universidade (que é a maior parte da população). Então, como anda a situação no Brasil no que diz respeito ao acesso aberto e aos repositórios.