SlideShare uma empresa Scribd logo
MMAAGGNNEETTIISSMMOO 
FFeennôômmeennooss MMaaggnnééttiiccooss 
CCaappííttuulloo 1133 
Professora Patrícia – III ano EM 2008 
COLÉGIO 
SANTO AMÉRICO
DDDDeeeessssccccoooobbbbeeeerrrrttttaaaa ddddoooossss IIIImmmmããããssss 
Os gregos descobriram na região onde hoje chamamos de 
Turquia, um minério com capacidade de atrair ferro e outros 
minérios semelhantes. 
Pedaços de magnetita encontradas na natureza são 
chamados de imãs naturais. Estes imãs naturais são 
constituídos por óxido de ferro (Fe3O4) e manifestam 
propriedades naturais que chamamos de fenômenos 
magnéticos.
Os imãs possuem dois pólos: 
NORTE e SUL 
Estes pólos Norte e Sul são capazes de atrair 
ferro e outros materiais como o aço, cobalto e 
níquel
Interação eennttrree ooss ppóóllooss ddee uumm iimmãã 
Os pólos iguais se repelem e os pólos opostos se atraem
OOOO ““““iiiimmmmãããã”””” éééé iiiinnnnddddiiiivvvviiiissssíííívvvveeeellll!!!! 
Na verdade, os imãs podem ser divididos, mas 
sempre haverá dois pólos magnéticos (Norte e Sul), 
ou seja, os pólos dos imãs são inseparáveis!
AA BBúússssoollaa 
Suspendendo-se livremente um imã em barra, ele gira até 
assumir, aproximadamente ,a direção norte-sul geográfica. Essa 
propriedade nos permite verificar a existência do campo 
magnético terrestre e propiciou aos chineses a invenção da 
bússola (agulha magnética).
AAss pprroopprriieeddaaddeess mmaaggnnééttiiccaass ddaa TTeerrrraa 
AAss pprroopprriieeddaaddeess mmaaggnnééttiiccaass ddaa TTeerrrraa 
Descobriu-se que os imãs se orientam aproximadamente com o eixo 
Descobriu-se que os imãs se orientam aproximadamente com o eixo 
norte-sul geográfico da Terra 
norte-sul geográfico da Terra
CCCCaaaammmmppppoooo MMMMaaaaggggnnnnééééttttiiiiccccoooo 
Define-se como campo magnético toda região do espaço 
em torno de um condutor percorrido por corrente 
elétrica ou em torno de um ímã. Seu sentido se dá do 
pólo Norte para o pólo Sul e tem direção perpendicular 
às linhas de indução.
LLLLiiiinnnnhhhhaaaassss ddddeeee IIIInnnndddduuuuççççããããoooo 
Em um campo magnético, chama-se 
linha de indução toda linha que, em 
cada ponto, é tangente ao vetor B e 
orientada no seu sentido. 
As linhas de indução são obtidas 
experimentalmente. 
As linhas de indução saem do pólo 
norte e chegam ao pólo sul, 
externamente ao ímã. 
Essas linhas de indução são 
representações da variação do campo 
magnético em uma certa região do 
espaço e são tangentes ao vetor 
campo magnético. 
Ver demonstração:http://phet.colorado.edu
LLiinnhhaass ddee iinndduuççããoo eemm uumm iimmãã aa 
ppaarrttiirr ddee lliimmaallhhaass ddee ffeerrrroo
Campo CCaammppoo Magnético MMaaggnnééttiiccoo ccrriiaaddoo ppoorr ccoorrrreennttee 
eellééttrriiccaa 
Experiência de Oersted: 
Oersted verificou em 1820 
que ao aproximarmos uma 
agulha magnética a um fio 
condutor quando percorrido 
por uma corrente elétrica, 
ocorre desvio na agulha 
magnética. Em outras 
palavras, ele descobriu que 
uma corrente elétrica 
percorrendo um fio condutor 
cria um campo magnético. 
N 
S 
i
EEEExxxxppppeeeerrrriiiiêêêênnnncccciiiiaaaa ddddeeee OOOOeeeerrrrsssstttteeeedddd 
Quando uma corrente passa por um fio condutor deflete a agulha magnética 
Representação esquemática da Experiência de Oersted
Campo CCaammppoo magnético mmaaggnnééttiiccoo ccrriiaaddoo eemm uumm ffiioo 
CCoonndduuttoorr 
Quando um fio condutor é percorrido por uma corrente 
elétrica, cria-se um campo magnético de tal forma que o 
vetor campo magnético é perpendicular ao plano que 
contém o fio.
SSeennttiiddoo Sentido ddaass LLiinnhhaass ddee CCaammppoo 
MMaaggnnééttiiccoo 
O sentido das linhas de campo magnético é determinado 
pela regra da mão direita nº1. 
Visto em perspectiva Visto de cima Visto de lado 
Grandeza orientada do plano para o observador (saindo 
do plano) 
Grandeza orientada do observador para o plano 
(entrando no plano) 
Ver demonstração:http://br.geocities.com/saladefisica3/laboratorio/maodireita/maodireita.htm
IInntteennssiiddaaddee Intensidade ddoo CCaammppoo MMaaggnnééttiiccoo 
nnuumm ffiioo CCoonndduuttoorr 
CCoonndduuttoorr 
B o i 
= × 
2 p . 
d 
m 
× 
Onde: 
B: módulo do vetor campo magnético (T-Tesla) 
i: corrente elétrica ( A) 
d: distância perpendicular entre o fio 
condutor e o ponto P onde se encontra o 
vetor campo magnético (m) 
m0: permeabilidade magnética no vácuo = 
4p.10-7 T.m/A
Campo CCaammppoo Magnético MMaaggnnééttiiccoo eemm uummaa eessppiirraa 
cciirrccuullaarr 
Considerando uma espira circular, temos que 
as linhas de campo entram por um lado da 
espira e saem pelo outro, conforme a regra 
da mão direita nº1. 
Visto em perspectiva Corrente no sentido Corrente no sentido 
anti-horário horário
IInntteennssiiddaaddee Intensidade ddoo ccaammppoo mmaaggnnééttiiccoo 
nnuummaa eessppiirraa 
A intensidade do campo magnético numa espira 
também pode ser determinada pela Lei de Biot- 
Savart: 
i B o× 
= × 
2 
R 
m 
Onde: 
B: módulo do vetor campo magnético no 
centro da espira (T) 
i: corrente elétrica ( A) 
R: raio da espira (m) 
m0: permeabilidade magnética no vácuo = 
4p.10-7 T.m/A
Campo magnético CCCaaammmpppooo mmmaaagggnnnééétttiiicccooo eeeemmmm uuuummmm ssssoooolllleeeennnnóóóóiiiiddddeeee 
• O solenóide é um dispositivo em que um fio condutor é enrolado em forma 
de espiras não justapostas. 
• O campo magnético produzido próximo ao centro do solenóide (ou bobina 
longa) ao ser percorrido por uma corrente elétrica i , é praticamente 
uniforme (intensidade, direção e sentido constantes). Esta característica 
nos permite analisar o solenóide como um imã.
Linhas de LLLiiinnnhhhaaasss dddeee IIIInnnndddduuuuççççããããoooo eeeemmmm uuuummmm SSSSoooolllleeeennnnóóóóiiiiddddeeee 
N S 
O solenóide se comporta 
como um ímã, no qual o 
pólo sul é o lado por onde 
“entram” as linhas de 
indução e o lado norte, o 
lado por onde “saem” as 
linhas de indução. 
(novamente podemos usar 
a regrada mão direita nº1 
nesta determinação)
IInntteennssiiddaaddee ddoo vveettoorr BB nnoo iinntteerriioorr ddoo 
ssoolleennóóiiddee 
• A intensidade do campo magnético pode ser determinada pela Lei de 
Ampére: 
L 
i i 
B N o i = .m × 
L 
Onde: 
B: módulo do vetor campo magnético 
(T) 
i: corrente elétrica ( A) 
N: nº de espiras 
L: comprimento do solenóide (m) 
m0: permeabilidade magnética no 
vácuo = 4p.10-7 T.m/A
EEnnddeerreeççooss rreellaacciioonnaaddooss:: 
hhttttpp::////bbrr..ggeeoocciittiieess..ccoomm//ssaallaaddeeffiissiiccaa33//llaabboorraattoorriioo//mmaaooddiirreeiittaa//mmaaooddiirreeiittaa..hhttmm 
hhttttpp::////wwwwww..ffaapp..iiff..uusspp..bbrr//~~vvaannnnuuccccii//aanniimmaaccooeess..hhttmmll 
hhttttpp::////pphheett..ccoolloorraaddoo..eedduu

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
Lucas Sabadini
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
Wellington Sampaio
 
Fluxo magnético
Fluxo magnéticoFluxo magnético
Fluxo magnético
tiowans
 
O que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétricoO que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétrico
carolinacarrito
 
Física moderna
Física modernaFísica moderna
Física moderna
Anderson V N Soares
 
O que é a Física?
O que é a Física?O que é a Física?
O que é a Física?
Sergio Madureira
 
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºanoOndas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
Italo Oliveira
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
Sergio Madureira
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
Marco Antonio Sanches
 
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1 eletrostática
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1   eletrostáticaELETRICIDADE BASICA T- Aula 1   eletrostática
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1 eletrostática
engciviluniplan14
 
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano] Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Ronaldo Santana
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
O mundo da FÍSICA
 
07 potencia elétrica
07  potencia elétrica07  potencia elétrica
07 potencia elétrica
Bruno De Siqueira Costa
 
Ondas
OndasOndas
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
O mundo da FÍSICA
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Vlamir Gama Rocha
 
Corrente eletrica
Corrente eletricaCorrente eletrica
Corrente eletrica
con_seguir
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
Renato Brasil
 
Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1
Paulo Victor
 
Aula sobre magnetismo 9° ano cssa
Aula  sobre magnetismo 9° ano  cssaAula  sobre magnetismo 9° ano  cssa
Aula sobre magnetismo 9° ano cssa
Waldir Montenegro
 

Mais procurados (20)

Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticasOndas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas
 
Eletricidade
EletricidadeEletricidade
Eletricidade
 
Fluxo magnético
Fluxo magnéticoFluxo magnético
Fluxo magnético
 
O que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétricoO que é um circuito elétrico
O que é um circuito elétrico
 
Física moderna
Física modernaFísica moderna
Física moderna
 
O que é a Física?
O que é a Física?O que é a Física?
O que é a Física?
 
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºanoOndas Eletromagnéticas 9ºano
Ondas Eletromagnéticas 9ºano
 
Ondas 9° ano cec
Ondas 9° ano cecOndas 9° ano cec
Ondas 9° ano cec
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1 eletrostática
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1   eletrostáticaELETRICIDADE BASICA T- Aula 1   eletrostática
ELETRICIDADE BASICA T- Aula 1 eletrostática
 
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano] Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
Aula de Física: Ondas e som [Ciências - EF - 9º Ano]
 
Processos de eletrização
Processos de eletrizaçãoProcessos de eletrização
Processos de eletrização
 
07 potencia elétrica
07  potencia elétrica07  potencia elétrica
07 potencia elétrica
 
Ondas
OndasOndas
Ondas
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Corrente eletrica
Corrente eletricaCorrente eletrica
Corrente eletrica
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
 
Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1
 
Aula sobre magnetismo 9° ano cssa
Aula  sobre magnetismo 9° ano  cssaAula  sobre magnetismo 9° ano  cssa
Aula sobre magnetismo 9° ano cssa
 

Semelhante a Campo magnético

(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
PatriciaDonatelli
 
Estudo sobre Campo Magnético
Estudo sobre Campo MagnéticoEstudo sobre Campo Magnético
Estudo sobre Campo Magnético
Pe Gil Medeiros
 
Campo Magnético
Campo MagnéticoCampo Magnético
Campo Magnético
Pe Gil Medeiros
 
Aula 02 campo magnético
Aula 02   campo magnéticoAula 02   campo magnético
Aula 02 campo magnético
cristbarb
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Luiz Carlos Ferreira
 
Magnetismo 2020.pptx
Magnetismo 2020.pptxMagnetismo 2020.pptx
Magnetismo 2020.pptx
LuizCsar13
 
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdfINSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
Sergio Ricardo Nobre
 
Electricidade magnetismo
Electricidade magnetismoElectricidade magnetismo
Electricidade magnetismo
Ricardo Antunes
 
Eletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - ResumoEletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - Resumo
Mayara Daniel
 
Relatorio fisica iii - 2
Relatorio fisica iii - 2Relatorio fisica iii - 2
Relatorio fisica iii - 2
AnaDahmer
 
Electrotecnia magnetismo
Electrotecnia magnetismoElectrotecnia magnetismo
Electrotecnia magnetismo
Mario Trigo
 
Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1
tiowans
 
Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1
tiowans
 
Magnetismo
MagnetismoMagnetismo
Magnetismo
tassiapombo
 
Eletromagnetismo 1 2006
Eletromagnetismo 1 2006Eletromagnetismo 1 2006
Eletromagnetismo 1 2006
saulo321
 
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
albertaratri
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Nilton José Maziero
 
Campo magnético reginaldo
Campo magnético reginaldoCampo magnético reginaldo
Campo magnético reginaldo
rodrigoslernesto
 
Aula 4 eletromagnetismo[2]
Aula 4 eletromagnetismo[2]Aula 4 eletromagnetismo[2]
Aula 4 eletromagnetismo[2]
flaviomenesantos
 
Campo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente siteCampo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente site
fisicaatual
 

Semelhante a Campo magnético (20)

(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
(20161112030631)Eletromagnetismo 2 (1).pdf
 
Estudo sobre Campo Magnético
Estudo sobre Campo MagnéticoEstudo sobre Campo Magnético
Estudo sobre Campo Magnético
 
Campo Magnético
Campo MagnéticoCampo Magnético
Campo Magnético
 
Aula 02 campo magnético
Aula 02   campo magnéticoAula 02   campo magnético
Aula 02 campo magnético
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Magnetismo 2020.pptx
Magnetismo 2020.pptxMagnetismo 2020.pptx
Magnetismo 2020.pptx
 
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdfINSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
INSTITUTO_FEDERAL_DE_EDUCACAO_CIENCIA_E.pdf
 
Electricidade magnetismo
Electricidade magnetismoElectricidade magnetismo
Electricidade magnetismo
 
Eletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - ResumoEletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - Resumo
 
Relatorio fisica iii - 2
Relatorio fisica iii - 2Relatorio fisica iii - 2
Relatorio fisica iii - 2
 
Electrotecnia magnetismo
Electrotecnia magnetismoElectrotecnia magnetismo
Electrotecnia magnetismo
 
Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1
 
Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1Eletromagnetismo 1
Eletromagnetismo 1
 
Magnetismo
MagnetismoMagnetismo
Magnetismo
 
Eletromagnetismo 1 2006
Eletromagnetismo 1 2006Eletromagnetismo 1 2006
Eletromagnetismo 1 2006
 
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Campo magnético reginaldo
Campo magnético reginaldoCampo magnético reginaldo
Campo magnético reginaldo
 
Aula 4 eletromagnetismo[2]
Aula 4 eletromagnetismo[2]Aula 4 eletromagnetismo[2]
Aula 4 eletromagnetismo[2]
 
Campo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente siteCampo magnético produzido por corrente site
Campo magnético produzido por corrente site
 

Último

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 

Campo magnético

  • 1. MMAAGGNNEETTIISSMMOO FFeennôômmeennooss MMaaggnnééttiiccooss CCaappííttuulloo 1133 Professora Patrícia – III ano EM 2008 COLÉGIO SANTO AMÉRICO
  • 2. DDDDeeeessssccccoooobbbbeeeerrrrttttaaaa ddddoooossss IIIImmmmããããssss Os gregos descobriram na região onde hoje chamamos de Turquia, um minério com capacidade de atrair ferro e outros minérios semelhantes. Pedaços de magnetita encontradas na natureza são chamados de imãs naturais. Estes imãs naturais são constituídos por óxido de ferro (Fe3O4) e manifestam propriedades naturais que chamamos de fenômenos magnéticos.
  • 3. Os imãs possuem dois pólos: NORTE e SUL Estes pólos Norte e Sul são capazes de atrair ferro e outros materiais como o aço, cobalto e níquel
  • 4. Interação eennttrree ooss ppóóllooss ddee uumm iimmãã Os pólos iguais se repelem e os pólos opostos se atraem
  • 5. OOOO ““““iiiimmmmãããã”””” éééé iiiinnnnddddiiiivvvviiiissssíííívvvveeeellll!!!! Na verdade, os imãs podem ser divididos, mas sempre haverá dois pólos magnéticos (Norte e Sul), ou seja, os pólos dos imãs são inseparáveis!
  • 6. AA BBúússssoollaa Suspendendo-se livremente um imã em barra, ele gira até assumir, aproximadamente ,a direção norte-sul geográfica. Essa propriedade nos permite verificar a existência do campo magnético terrestre e propiciou aos chineses a invenção da bússola (agulha magnética).
  • 7. AAss pprroopprriieeddaaddeess mmaaggnnééttiiccaass ddaa TTeerrrraa AAss pprroopprriieeddaaddeess mmaaggnnééttiiccaass ddaa TTeerrrraa Descobriu-se que os imãs se orientam aproximadamente com o eixo Descobriu-se que os imãs se orientam aproximadamente com o eixo norte-sul geográfico da Terra norte-sul geográfico da Terra
  • 8. CCCCaaaammmmppppoooo MMMMaaaaggggnnnnééééttttiiiiccccoooo Define-se como campo magnético toda região do espaço em torno de um condutor percorrido por corrente elétrica ou em torno de um ímã. Seu sentido se dá do pólo Norte para o pólo Sul e tem direção perpendicular às linhas de indução.
  • 9. LLLLiiiinnnnhhhhaaaassss ddddeeee IIIInnnndddduuuuççççããããoooo Em um campo magnético, chama-se linha de indução toda linha que, em cada ponto, é tangente ao vetor B e orientada no seu sentido. As linhas de indução são obtidas experimentalmente. As linhas de indução saem do pólo norte e chegam ao pólo sul, externamente ao ímã. Essas linhas de indução são representações da variação do campo magnético em uma certa região do espaço e são tangentes ao vetor campo magnético. Ver demonstração:http://phet.colorado.edu
  • 10. LLiinnhhaass ddee iinndduuççããoo eemm uumm iimmãã aa ppaarrttiirr ddee lliimmaallhhaass ddee ffeerrrroo
  • 11. Campo CCaammppoo Magnético MMaaggnnééttiiccoo ccrriiaaddoo ppoorr ccoorrrreennttee eellééttrriiccaa Experiência de Oersted: Oersted verificou em 1820 que ao aproximarmos uma agulha magnética a um fio condutor quando percorrido por uma corrente elétrica, ocorre desvio na agulha magnética. Em outras palavras, ele descobriu que uma corrente elétrica percorrendo um fio condutor cria um campo magnético. N S i
  • 12. EEEExxxxppppeeeerrrriiiiêêêênnnncccciiiiaaaa ddddeeee OOOOeeeerrrrsssstttteeeedddd Quando uma corrente passa por um fio condutor deflete a agulha magnética Representação esquemática da Experiência de Oersted
  • 13. Campo CCaammppoo magnético mmaaggnnééttiiccoo ccrriiaaddoo eemm uumm ffiioo CCoonndduuttoorr Quando um fio condutor é percorrido por uma corrente elétrica, cria-se um campo magnético de tal forma que o vetor campo magnético é perpendicular ao plano que contém o fio.
  • 14. SSeennttiiddoo Sentido ddaass LLiinnhhaass ddee CCaammppoo MMaaggnnééttiiccoo O sentido das linhas de campo magnético é determinado pela regra da mão direita nº1. Visto em perspectiva Visto de cima Visto de lado Grandeza orientada do plano para o observador (saindo do plano) Grandeza orientada do observador para o plano (entrando no plano) Ver demonstração:http://br.geocities.com/saladefisica3/laboratorio/maodireita/maodireita.htm
  • 15. IInntteennssiiddaaddee Intensidade ddoo CCaammppoo MMaaggnnééttiiccoo nnuumm ffiioo CCoonndduuttoorr CCoonndduuttoorr B o i = × 2 p . d m × Onde: B: módulo do vetor campo magnético (T-Tesla) i: corrente elétrica ( A) d: distância perpendicular entre o fio condutor e o ponto P onde se encontra o vetor campo magnético (m) m0: permeabilidade magnética no vácuo = 4p.10-7 T.m/A
  • 16. Campo CCaammppoo Magnético MMaaggnnééttiiccoo eemm uummaa eessppiirraa cciirrccuullaarr Considerando uma espira circular, temos que as linhas de campo entram por um lado da espira e saem pelo outro, conforme a regra da mão direita nº1. Visto em perspectiva Corrente no sentido Corrente no sentido anti-horário horário
  • 17. IInntteennssiiddaaddee Intensidade ddoo ccaammppoo mmaaggnnééttiiccoo nnuummaa eessppiirraa A intensidade do campo magnético numa espira também pode ser determinada pela Lei de Biot- Savart: i B o× = × 2 R m Onde: B: módulo do vetor campo magnético no centro da espira (T) i: corrente elétrica ( A) R: raio da espira (m) m0: permeabilidade magnética no vácuo = 4p.10-7 T.m/A
  • 18. Campo magnético CCCaaammmpppooo mmmaaagggnnnééétttiiicccooo eeeemmmm uuuummmm ssssoooolllleeeennnnóóóóiiiiddddeeee • O solenóide é um dispositivo em que um fio condutor é enrolado em forma de espiras não justapostas. • O campo magnético produzido próximo ao centro do solenóide (ou bobina longa) ao ser percorrido por uma corrente elétrica i , é praticamente uniforme (intensidade, direção e sentido constantes). Esta característica nos permite analisar o solenóide como um imã.
  • 19. Linhas de LLLiiinnnhhhaaasss dddeee IIIInnnndddduuuuççççããããoooo eeeemmmm uuuummmm SSSSoooolllleeeennnnóóóóiiiiddddeeee N S O solenóide se comporta como um ímã, no qual o pólo sul é o lado por onde “entram” as linhas de indução e o lado norte, o lado por onde “saem” as linhas de indução. (novamente podemos usar a regrada mão direita nº1 nesta determinação)
  • 20. IInntteennssiiddaaddee ddoo vveettoorr BB nnoo iinntteerriioorr ddoo ssoolleennóóiiddee • A intensidade do campo magnético pode ser determinada pela Lei de Ampére: L i i B N o i = .m × L Onde: B: módulo do vetor campo magnético (T) i: corrente elétrica ( A) N: nº de espiras L: comprimento do solenóide (m) m0: permeabilidade magnética no vácuo = 4p.10-7 T.m/A
  • 21. EEnnddeerreeççooss rreellaacciioonnaaddooss:: hhttttpp::////bbrr..ggeeoocciittiieess..ccoomm//ssaallaaddeeffiissiiccaa33//llaabboorraattoorriioo//mmaaooddiirreeiittaa//mmaaooddiirreeiittaa..hhttmm hhttttpp::////wwwwww..ffaapp..iiff..uusspp..bbrr//~~vvaannnnuuccccii//aanniimmaaccooeess..hhttmmll hhttttpp::////pphheett..ccoolloorraaddoo..eedduu