SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
O magnetismo é a
parte da física que
procura estudar
fenômenos
relacionados com as
propriedades dos ímãs.
A palavra magnetismo tem origem na
Grécia antiga. Em uma cidade chamada
Magnésia foi observado um minério com
a propriedade de atrair objetos de ferro.
A este minério foi dado o nome de
magnetita.
Fonte: https://www.mundovestibular.com.br/estudos/fisica/magnetismo
Ímãs
A propriedade dos ímãs de atrair
materiais ferromagnéticos ocorre
devido ao óxido de ferro (Fe3O4).
É possível também a criação de ímãs artificiais,
criados através de processos denominados de
imantação.
Fenômenos magnéticos
1.Ao colocarmos limalhas de ferro próximo a um ímã
em forma de barra, observamos que elas são
atraídas, se concentrando na região das
extremidades do ímã. Essas extremidades são
denominadas de polos do ímã.
As limalhas se concentram principalmente nos
pólos do ímã.
Polo Norte
Polo Sul
2.Polos de mesmo nome se repelem e de nomes
diferentes se atraem.
3. Ao suspendermos um ímã pelo seu centro de
gravidade, ele se alinha praticamente como o eixo
geográfico (Norte – Sul) terrestre.
Norte
geográfico Sul
geográfico
Pólo Norte
do ímã.
Pólo Sul
do ímã.
N S
Essa propriedade
permitiu aos chineses
Inventarem a bússola.
Ângulo de
declinação
magnética.
4. É impossível separar os polos de um ímã. Ao se
partir um ímã dois outros surgirão. Mesmo que se
vá partindo até nível atômico, ainda assim surgirão
novos ímãs.
N S
N S N S
N S N S N S N S
N S N S N S N S N S N S N S N S
Devido a essa propriedade dos ímãs concluímos que, ao contrário de
cargas elétricas, não é possível obtermos um monopolo magnético,
apenas dipolo.
Campo Magnético (B)
Região no entorno de um ímã influenciada
magneticamente pela presença do mesmo.
B Vetor indução magnética.
No S.I. é
medido em
Teslas (T)
LINHAS DE INDUÇÃO
MAGNÉTICA
B B
B
Campo
Magnético
Uniforme (CMU)
Direção e sentido do vetor B
• Uma agulha magnética, colocada em um ponto dessa
região, orienta-se na direção do vetor B .
• O pólo norte da agulha aponta no sentido do vetor B .
• A agulha magnética serve como elemento de prova da
existência do campo magnético num ponto.
N
S
N
S
N
S
N
S
B1
B2
B3
CAMPO MAGNÉTICO TERRESTRE
AURORA BOREAL
Classificação das Substâncias
Magnéticas
• Substâncias Ferromagnéticas: são aquelas que
apresentam facilidade de imantação quando em
presença de um campo magnético. Ex: ferro,
cobalto, níquel, etc.
• Substâncias Paramagnéticas: são aquelas que a
imantação é difícil quando em presença de um
campo magnético. Ex: madeira, couro, óleo, etc.
• Substâncias Diamagnéticas: são aquelas que se
imantam em sentido contrário ao vetor campo
magnético a que são submetidas. Corpos
formados por essas substâncias são repelidos
pelo ímã que criou o campo magnético. Ex:
cobre, prata, chumbo, bismuto, ouro, etc.
Ponto Curie
Temperatura a partir da qual um material
ferromagnético perde suas propriedades magnéticas.
Obs.: Se baixarmos a
temperatura, suas
propriedades
magnéticas retornam.
1. (FGV-SP) Da palavra 'aimant', que traduzido do francês
significa amante, originou-se o nome ímã, devido à
capacidade que esses objetos têm de exercer atração e
repulsão. Sobre essas manifestações, considere as
proposições:
I. assim como há ímãs que possuem os dois tipos de pólos,
sul e norte, há ímãs que possuem apenas um;
II. o campo magnético terrestre diverge dos outros campos,
uma vez que o pólo norte magnético de uma bússola é
atraído pelo pólo norte magnético do planeta;
III. os pedaços obtidos da divisão de um ímã são também
ímãs que apresentam os dois pólos magnéticos,
independentemente do tamanho dos pedaços.
Está correto o contido em:
a) I, apenas.
b) III, apenas.
c) I e II, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.
EXERCÍCIOS
2. (FUVEST-SP) Quatro ímãs iguais em forma de barra, com as
polaridades indicadas, estão apoiados sobre uma mesa
horizontal, como na figura, vistos de cima. Uma pequena
bússola é também colocada na mesa, no ponto central P,
equidistante dos ímãs, indicando a direção e o sentido do
campo magnético dos ímãs em P.
Não levando em conta o efeito do campo
magnético terrestre, a figura que melhor
representa a orientação da agulha da
bússola é:
3.(ENEM-2016) A magnetohipertermia é um procedimento
terapêutico que se baseia na elevação da temperatura das
células de uma região específica do corpo que estejam
afetadas por um tumor. Nesse tipo de tratamento,
nanopartículas magnéticas são fagocitadas pelas células
tumorais, e um campo magnético alternado externo é
utilizado para promover a agitação das nanopartículas e
consequente aquecimento da célula.
A elevação de temperatura descrita ocorre porque
a) o campo magnético gerado pela oscilação
das nanopartículas é absorvido pelo tumor.
b) o campo magnético alternado faz as nanopartículas
girarem, transferindo calor por atrito.
c) as nanoparticulas interagem magneticamente com as
células do corpo, transferindo calor.
d) o campo magnético alternado fornece calor para as
nanopartículas que o transfere às células do corpo.
e) as nanopartículas são aceleradas em um único sentido em
razão da interação com o campo magnético, fazendo-as
colidir com as células e transferir calor.
Força magnética sobre cargas
Uma carga elétrica ou corpo carregado, em movimento no
interior de um campo magnético, pode sofrer a ação de uma
força magnética (FORÇA DE LORENTZ).
B

+
+
V

V

+
+
a
a
.sen
B
.
V
.
q
FMAG




q
Módulo: a
.V.B.sen
q
FMAG 
Direção: Perpendicular ao plano formado por
V e B.
Sentido: Determinado pela regra da mão
direita.
Regra da mão
direita para
carga positiva.
Regra da mão
direita para
carga negativa.
1° caso:
velocidade com a mesma direção do campo
magnético.
a = 0° ou a = 180°.
B

V

V

V
 V

No 1°caso: a = 0°
No 2°caso: a = 180°
Como sen0° = 0 e sen180° = 0
a
sen
B
V
q
FMAG 



0
B
V
q
FMAG 



0
FMAG 
2° caso:
velocidade com direção perpendicular ao campo
magnético.
a = 90°.
Representação de um vetor entrando
(perpendicularmente) no plano do papel.
Representação de um vetor saindo
(perpendicularmente) do plano do papel.
B

V

MAG
F

V

C
C
MAG F
F 
R
v
m
sen90
B
v
q
2






1
B
q
V
m



R
C
R
MA
G
F

V

V

MA
G
F

3° caso:
velocidade com a direção oblíqua à direção do
campo magnético.
X
V

V

Y
V

B
 Na direção X, o
movimento é retilíneo e
uniforme.
Na direção Y, o
movimento é circular e
uniforme.
1. (UNEB) Uma partícula eletrizada com carga
elétrica q=2.10-6 C é lançada com velocidade v=
5.104 m/s em uma região onde existe um campo
magnético uniforme de intensidade 8T. sabendo-se
que o angulo entre a velocidade e o campo
magnético é de 30°, pode-se afirmar que a
intensidade em Newtons , da força magnética
sofrida pela partícula é
a) 0,2.
b) 0,4.
c) 0,6.
d) 0,8.
e) 1,0.
EXERCÍCIOS
2.Um elétron realiza um movimento circular uniforme
(MCU) após penetrar numa região de campo magnético
uniforme com velocidade perpendicular ao mesmo.
Mantendo-se fixo o valor do campo magnético, repete-se
o experimento, desta vez dobrando-se o valor da
velocidade de entrada do elétron. Este elétron ainda
realiza um MCU. Em relação ao raio da trajetória
descrita pelo segundo elétron e ao período de seu
movimento, podemos afirmar, corretamente, que
a) o raio da trajetória dobra quando a velocidade dobra
de valor, mas o período permanece inalterado.
b) o raio da trajetória e o período dobram quando a
velocidade dobra de valor.
c) o raio da trajetória e o período diminuem pela metade
quando a velocidade dobra de valor.
d) o raio da trajetória permanece inalterado enquanto o
período dobra de valor.
3. Uma partícula com carga q e massa M move-se ao
longo de uma reta com velocidade v constante
numa região onde estão presentes um campo
elétrico de 500 V/m e um campo de indução
magnética de 0,10T. Sabe-se que ambos os campos
e a direção de movimento da partícula são
mutuamente perpendiculares. A velocidade da
partícula é:
a) 500 m/s.
b) Constante para quaisquer valores de campos
elétrico e magnético.
c) (M/q)5,0.10³ m/s.
d) 5,0.10³ m/s.
e) Faltam dados para o cálculo.
Um fio condutor, percorrido por uma corrente
elétrica, afeta a orientação da agulha de uma
bússola. Com essa descoberta, realizada pelo física
dinamarquês Hans Christian Oersted em 1820, nasce
o eletromagnetismo.
Campo magnético gerado por corrente elétrica.
1.Condutor retilíneo percorrido por corrente
elétrica.
O campo magnético contorna o
condutor e sua direção e seu sentido
são dados pela regra da mão direita.
O módulo é calculado pela expressão:
R
2
i
B





A
T.m
10
4 7


 
0
Onde  é a permeabilidade
magnética do meio.
Para o vácuo:
i
i
EXERCÍCIOS
1. Um condutor reto e extenso é percorrido por uma
corrente elétrica de intensidade 4,5 A, conforme a
figura. Determine a intensidade, a direção e o
sentido do vetor indução magnética no ponto P a
30 cm do condutor, sabendo que o condutor e o
ponto P pertencem ao mesmo plano do papel.
É dado: o = 4.10-7 T.m/A.
2.Espira circular percorrida por corrente elétrica.
O campo magnético no interior da espira tem as seguintes
características:
MÓDULO:
r
2
i
B




DIREÇÃO: Perpendicular ao plano da espira.
SENTIDO: Dado pela regra da mão direita.
A
T.m
10
4 7


 
0
Onde  é a permeabilidade
magnética do meio.
Para o vácuo:
Observando-se a espira de uma direção
perpendicular ao plano da mesma:
Para “n” bobinas
justapostas.
r
2
i
n
B




EXERCÍCIO
1.Duas espiras circulares, concêntricas e
coplanares, de raios 3 m e 5 m, são percorridos
por correntes de 3 A e 4 A, como mostra a figura.
Qual o módulo do campo magnético no centro das
espiras. Dado:  = 4.10-7 T.m/A
3.Solenóide percorrido por corrente elétrica.
Pólo Sul
magnético
Pólo Norte
magnético
i
O campo magnético no interior do solenóide tem as seguintes
características:
MÓDULO:
L
i
n
B




DIREÇÃO: A mesma do eixo do solenóide.
SENTIDO: Dado pela regra da mão direita.
A
T.m
10
4 7


 
0
Onde  é a permeabilidade
magnética do meio.
Para o vácuo:
L
EXERCÍCIO
1. Na figura a seguir, a resistência elétrica do
solenóide que tem 1000 espiras por metro, é igual
a 10 W. Supondo vácuo no interior do solenóide,  =
4.10-7 T.m/A, determine:
a)O módulo do campo indução magnética em seu
interior;
b)A polaridade magnética da extremidade A.
Força magnética e indução magnética.
Força magnética em condutor retilíneo
percorrido por corrente elétrica.

sen
B
V
q
FMAG 



t
q
i


t
V



t
i
q 



sen
i
B
FMAG 


 
A direção e o sentido
são dados pela regra
da mão direita.
Obs.:
1. a é o ângulo entre o condutor e o
campo magnético.
2. Se a = 0° FMAG = 0.
3. Se a = 90° FMAG = B.i.l
1.Um campo magnético B, uniforme, é capaz de
impedir a queda de um condutor retilíneo de
comprimento l = 0,10 m e massa m = 10 g,
horizontal e ortogonal às linhas do campo, quando
por ele circula uma corrente i = 2,0 A.
a)Calcule a intensidade do campo magnético.
b)O que ocorreria se o sentido da corrente que
circula no condutor fosse invertido? Justifique.
EXERCÍCIO
Força magnética entre fios retilíneos infinitos e
paralelos percorridos por corrente elétrica.





 sen90
i
B
F 2
1
2
1 
R
2
i
B 1
1





R
2
i
i
F 2
1
2
1







 
Obs.: Quando os condutores são
percorridos por correntes de mesmo
sentido a força é de atração, caso
contrário, repulsão.
EXERCÍCIO
1.Dois condutores retos, extensos e paralelos estão
separados por uma distância d = 2,0 cm e são
percorridos por correntes elétricas de intensidades
i1 = 1,0 A e i2 = 2,0A, com sentidos indicados na
figura seguinte. Se os condutores estão situados no
vácuo, a força magnética entre eles, por unidade de
comprimento, no Sistema Internacional, tem
intensidade de (Dado: o = 4.10-7 T.m/A.)
a)2.10-5, repulsão.
b)2.10-5, atração.
c)2.10-5, atração.
d)2.10-5, repulsão.
e)4.10-5, repulsão.
Espira retangular percorrida por corrente e
imersa em um campo magnético uniforme
i
i
i
i
i
MAG
F

MAG
F
-

B

Sentido de rotação
i
NORTE
SUL
Observador.
B

a
sen
i
B
FMAG 


  d
F
M MAG
FMAG


d
EXERCÍCIO
1.Uma espira retangular ABCD de dimensões AB = 2 cm e
BC = 1 cm localiza-se entre os pólos N e S de um ímã
permanente, conforme a figura. O campo de indução
pode ser considerado uniforme nessa região, com
intensidade B = 0,8 T. A bobina é percorrida pela
corrente i = 5 A, no sentido ABCDA, e pode girar em
torno do eixo de simetria e.
a) Calcule o momento magnético da espira, na posição
indicada.
b) Indique o sentido em que a espira irá girar e qual a
posição de equilíbrio.
Indução magnética.
FLUXO MAGNÉTICO (f)
α
cos
A
B 


f
Unidades de medida:
No S.I.: T.m² = Wb (weber)
No C.G.S.: gauss.cm² = Mx (maxwell)
1Wb = 108 Mx
Observe que:
Se a = 90° O fluxo será nulo,
pois cos90° = 0.
Se a = 0° O fluxo será
máximo, pois
cos0° = 1.
1. Um fio condutor, em forma de anel e com raio R = 5 cm, está
em uma região do espaço em que existe um campo
magnético constante e uniforme de módulo B = 1 Wb/m2
(1 Tesla). A direção de B forma, com o plano do anel, um
ângulo de 30°. Calcule o fluxo de B através do anel.
EXERCÍCIO
FORÇA ELETROMOTRIZ INDUZIDA (e)
Faraday notou que uma variação de fluxo magnético
através de uma espira provocava o surgimento de
uma força eletromotriz:
ind
R.i

e
LEI DE FARADAY
t




f
e f = f – f0 Variação de fluxo magnético.
LEI DE LENZ
O sentido da corrente induzida é tal que se opõe à
variação do fluxo que a produziu.
EXERCÍCIO
1.Uma espira de área 6,0.10-3 m² e resistência elétrica 2,0.10-2 W é
disposta perpendicularmente a um campo magnético uniforme de
indução B = 5,0.10-3 T.
a) Calcule o fluxo magnético através da espira.
b) Se a intensidade do campo diminuir uniformemente para 2,0.10-3 T,
num certo intervalo de tempo, calcule a quantidade de carga
elétrica induzida que atravessa a espira, nesse intervalo de tempo.
2.Determine o sentido da corrente induzida em cada caso apresentado.
CONDUTOR RETILÍNEO EM CAMPO MAGNÉTICO
UNIFORME
V
 FMAG
FEL
i
i
i
FMAG
FEXT
EL
MAG F
F 
q
E
B
v
q 



Mas:
d
E
U 

Onde: U = e
d = L
Conclusão:
d
U
E 
d
U
B
V 

L
B
V
e

 V
B
L 


e
V
FORÇA ELETROMOTRIZ
INDUZIDA
EXERCÍCIO
1.(UFPA) A figura a seguir mostra uma barra metálica que faz contato
com um circuito aberto, fechando-o. A área do circuito é
perpendicular a um campo magnético constante B = 0,15T. A
resistência total do circuito é de 3,0 W. Qual é a intensidade da força
necessária para mover a barra, como indicado na figura, com uma
velocidade constante igual a 2,0 m/s?
a) 5,50.10-1 N.
b) 2,50.10-2 N.
c) 3,75.10-3 N.
d) 2,25.10-3 N.
e) 5,50.10-4 N.
TRANSFORMADORES
Tem como objetivo modificar a tensão de corrente
alternada aumentando-a ou diminuindo-a,
dependendo do número de espiras da entrada e da
saída.
2
2
1
1
N
U
N
U

Desprezando-se as
perdas, a Potência
média de entrada é
igual à de saída:
2
2
1
1 .i
U
i
U 

O transformador funciona com base na indução
magnética.
É necessário que a tensão seja variável no primário
(para haver variação de fluxo magnético), ou não
haverá tensão no secundário.
1.A corrente elétrica no enrolamento primário de um
transformador corresponde a 10 A, enquanto no
enrolamento secundário corresponde a 20 A.
Sabendo que o enrolamento primário possui 1 200
espiras, o número de espiras do enrolamento
secundário é:
a)600
b)1200
c)2400
d)3600
EXERCÍCIO
2. O transformador, esquematizado na figura a seguir, é um
dispositivo que permite a elevação ou o abaixamento da
tensão fornecida, utilizando-se dos princípios da indução
eletromagnética. Observe a figura atentamente.
A diferença de potencial no medidor G e a corrente que flui através
dele são, respectivamente:
a) 120 V e 0,1 A.
b) 120 V e 10 A.
c) 1,2 V e 1,0 A.
d) 0,0 V e 0,0 A.
e) 1,2 V e 10 A.
Magnetismo 2020.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Magnetismo 2020.pptx

Magnetismo 130924182201-phpapp01
Magnetismo 130924182201-phpapp01Magnetismo 130924182201-phpapp01
Magnetismo 130924182201-phpapp01
Wanderson Batista
 
Campo magnético trabalho
Campo magnético trabalhoCampo magnético trabalho
Campo magnético trabalho
Thiago Almeida
 
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 

Semelhante a Magnetismo 2020.pptx (20)

Campo Magnético
Campo MagnéticoCampo Magnético
Campo Magnético
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Aula-14-F328-1S-2014.pdf
Aula-14-F328-1S-2014.pdfAula-14-F328-1S-2014.pdf
Aula-14-F328-1S-2014.pdf
 
Magnetismo noturno
Magnetismo noturnoMagnetismo noturno
Magnetismo noturno
 
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.Aula 1 - Turma Inf./Ele.
Aula 1 - Turma Inf./Ele.
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Eletromagnetismo.pdf
Eletromagnetismo.pdfEletromagnetismo.pdf
Eletromagnetismo.pdf
 
Magmetismo
MagmetismoMagmetismo
Magmetismo
 
Magnetismo
MagnetismoMagnetismo
Magnetismo
 
Magnetismo - Parte 1
Magnetismo - Parte 1Magnetismo - Parte 1
Magnetismo - Parte 1
 
Exerceletromagnetismo
ExerceletromagnetismoExerceletromagnetismo
Exerceletromagnetismo
 
Eletromagnetismo
Eletromagnetismo Eletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Eletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - ResumoEletromagnetismo - Resumo
Eletromagnetismo - Resumo
 
Magnetismo 130924182201-phpapp01
Magnetismo 130924182201-phpapp01Magnetismo 130924182201-phpapp01
Magnetismo 130924182201-phpapp01
 
Magnetismo e fontes de campo magnético.pptx
Magnetismo e fontes de campo magnético.pptxMagnetismo e fontes de campo magnético.pptx
Magnetismo e fontes de campo magnético.pptx
 
Campo magnético trabalho
Campo magnético trabalhoCampo magnético trabalho
Campo magnético trabalho
 
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
Física – eletromagnetísmo força magnética 01 – 2013
 
Campo magnético
Campo magnéticoCampo magnético
Campo magnético
 
Capítulo 28 - Campos Magnéticos (1).pdf
Capítulo 28 - Campos Magnéticos (1).pdfCapítulo 28 - Campos Magnéticos (1).pdf
Capítulo 28 - Campos Magnéticos (1).pdf
 
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
Física – eletromagnetismo campo magnético 01 – 2013
 

Último

Último (7)

Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdfIntegração_de__Segurança do Trabalho.pdf
Integração_de__Segurança do Trabalho.pdf
 
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slidesAula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
Aula Estruturas de concreto I - apresentaçaõ em slides
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdfAteliê de costura trabalho final apresentação.pdf
Ateliê de costura trabalho final apresentação.pdf
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
Palestra NR12 Segurança em Máquinas e Equipamentos
Palestra NR12 Segurança em Máquinas e EquipamentosPalestra NR12 Segurança em Máquinas e Equipamentos
Palestra NR12 Segurança em Máquinas e Equipamentos
 
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdfpdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
pdfcoffee.com_cod1122-treinamento-de-paleteira-eletrica-pdf-free (1).pdf
 

Magnetismo 2020.pptx

  • 1. O magnetismo é a parte da física que procura estudar fenômenos relacionados com as propriedades dos ímãs. A palavra magnetismo tem origem na Grécia antiga. Em uma cidade chamada Magnésia foi observado um minério com a propriedade de atrair objetos de ferro. A este minério foi dado o nome de magnetita. Fonte: https://www.mundovestibular.com.br/estudos/fisica/magnetismo
  • 2. Ímãs A propriedade dos ímãs de atrair materiais ferromagnéticos ocorre devido ao óxido de ferro (Fe3O4). É possível também a criação de ímãs artificiais, criados através de processos denominados de imantação.
  • 3. Fenômenos magnéticos 1.Ao colocarmos limalhas de ferro próximo a um ímã em forma de barra, observamos que elas são atraídas, se concentrando na região das extremidades do ímã. Essas extremidades são denominadas de polos do ímã. As limalhas se concentram principalmente nos pólos do ímã. Polo Norte Polo Sul
  • 4. 2.Polos de mesmo nome se repelem e de nomes diferentes se atraem.
  • 5. 3. Ao suspendermos um ímã pelo seu centro de gravidade, ele se alinha praticamente como o eixo geográfico (Norte – Sul) terrestre. Norte geográfico Sul geográfico Pólo Norte do ímã. Pólo Sul do ímã. N S Essa propriedade permitiu aos chineses Inventarem a bússola. Ângulo de declinação magnética.
  • 6. 4. É impossível separar os polos de um ímã. Ao se partir um ímã dois outros surgirão. Mesmo que se vá partindo até nível atômico, ainda assim surgirão novos ímãs. N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S N S Devido a essa propriedade dos ímãs concluímos que, ao contrário de cargas elétricas, não é possível obtermos um monopolo magnético, apenas dipolo.
  • 7. Campo Magnético (B) Região no entorno de um ímã influenciada magneticamente pela presença do mesmo. B Vetor indução magnética. No S.I. é medido em Teslas (T) LINHAS DE INDUÇÃO MAGNÉTICA B B B Campo Magnético Uniforme (CMU)
  • 8. Direção e sentido do vetor B • Uma agulha magnética, colocada em um ponto dessa região, orienta-se na direção do vetor B . • O pólo norte da agulha aponta no sentido do vetor B . • A agulha magnética serve como elemento de prova da existência do campo magnético num ponto. N S N S N S N S B1 B2 B3
  • 11. Classificação das Substâncias Magnéticas • Substâncias Ferromagnéticas: são aquelas que apresentam facilidade de imantação quando em presença de um campo magnético. Ex: ferro, cobalto, níquel, etc. • Substâncias Paramagnéticas: são aquelas que a imantação é difícil quando em presença de um campo magnético. Ex: madeira, couro, óleo, etc. • Substâncias Diamagnéticas: são aquelas que se imantam em sentido contrário ao vetor campo magnético a que são submetidas. Corpos formados por essas substâncias são repelidos pelo ímã que criou o campo magnético. Ex: cobre, prata, chumbo, bismuto, ouro, etc.
  • 12. Ponto Curie Temperatura a partir da qual um material ferromagnético perde suas propriedades magnéticas. Obs.: Se baixarmos a temperatura, suas propriedades magnéticas retornam.
  • 13. 1. (FGV-SP) Da palavra 'aimant', que traduzido do francês significa amante, originou-se o nome ímã, devido à capacidade que esses objetos têm de exercer atração e repulsão. Sobre essas manifestações, considere as proposições: I. assim como há ímãs que possuem os dois tipos de pólos, sul e norte, há ímãs que possuem apenas um; II. o campo magnético terrestre diverge dos outros campos, uma vez que o pólo norte magnético de uma bússola é atraído pelo pólo norte magnético do planeta; III. os pedaços obtidos da divisão de um ímã são também ímãs que apresentam os dois pólos magnéticos, independentemente do tamanho dos pedaços. Está correto o contido em: a) I, apenas. b) III, apenas. c) I e II, apenas. d) II e III, apenas. e) I, II e III. EXERCÍCIOS
  • 14. 2. (FUVEST-SP) Quatro ímãs iguais em forma de barra, com as polaridades indicadas, estão apoiados sobre uma mesa horizontal, como na figura, vistos de cima. Uma pequena bússola é também colocada na mesa, no ponto central P, equidistante dos ímãs, indicando a direção e o sentido do campo magnético dos ímãs em P. Não levando em conta o efeito do campo magnético terrestre, a figura que melhor representa a orientação da agulha da bússola é:
  • 15. 3.(ENEM-2016) A magnetohipertermia é um procedimento terapêutico que se baseia na elevação da temperatura das células de uma região específica do corpo que estejam afetadas por um tumor. Nesse tipo de tratamento, nanopartículas magnéticas são fagocitadas pelas células tumorais, e um campo magnético alternado externo é utilizado para promover a agitação das nanopartículas e consequente aquecimento da célula. A elevação de temperatura descrita ocorre porque a) o campo magnético gerado pela oscilação das nanopartículas é absorvido pelo tumor. b) o campo magnético alternado faz as nanopartículas girarem, transferindo calor por atrito. c) as nanoparticulas interagem magneticamente com as células do corpo, transferindo calor. d) o campo magnético alternado fornece calor para as nanopartículas que o transfere às células do corpo. e) as nanopartículas são aceleradas em um único sentido em razão da interação com o campo magnético, fazendo-as colidir com as células e transferir calor.
  • 16. Força magnética sobre cargas Uma carga elétrica ou corpo carregado, em movimento no interior de um campo magnético, pode sofrer a ação de uma força magnética (FORÇA DE LORENTZ). B  + + V  V  + + a a .sen B . V . q FMAG     q Módulo: a .V.B.sen q FMAG  Direção: Perpendicular ao plano formado por V e B. Sentido: Determinado pela regra da mão direita. Regra da mão direita para carga positiva. Regra da mão direita para carga negativa.
  • 17. 1° caso: velocidade com a mesma direção do campo magnético. a = 0° ou a = 180°. B  V  V  V  V  No 1°caso: a = 0° No 2°caso: a = 180° Como sen0° = 0 e sen180° = 0 a sen B V q FMAG     0 B V q FMAG     0 FMAG 
  • 18. 2° caso: velocidade com direção perpendicular ao campo magnético. a = 90°. Representação de um vetor entrando (perpendicularmente) no plano do papel. Representação de um vetor saindo (perpendicularmente) do plano do papel. B  V  MAG F  V  C C MAG F F  R v m sen90 B v q 2       1 B q V m    R C R MA G F  V  V  MA G F 
  • 19. 3° caso: velocidade com a direção oblíqua à direção do campo magnético. X V  V  Y V  B  Na direção X, o movimento é retilíneo e uniforme. Na direção Y, o movimento é circular e uniforme.
  • 20. 1. (UNEB) Uma partícula eletrizada com carga elétrica q=2.10-6 C é lançada com velocidade v= 5.104 m/s em uma região onde existe um campo magnético uniforme de intensidade 8T. sabendo-se que o angulo entre a velocidade e o campo magnético é de 30°, pode-se afirmar que a intensidade em Newtons , da força magnética sofrida pela partícula é a) 0,2. b) 0,4. c) 0,6. d) 0,8. e) 1,0. EXERCÍCIOS
  • 21. 2.Um elétron realiza um movimento circular uniforme (MCU) após penetrar numa região de campo magnético uniforme com velocidade perpendicular ao mesmo. Mantendo-se fixo o valor do campo magnético, repete-se o experimento, desta vez dobrando-se o valor da velocidade de entrada do elétron. Este elétron ainda realiza um MCU. Em relação ao raio da trajetória descrita pelo segundo elétron e ao período de seu movimento, podemos afirmar, corretamente, que a) o raio da trajetória dobra quando a velocidade dobra de valor, mas o período permanece inalterado. b) o raio da trajetória e o período dobram quando a velocidade dobra de valor. c) o raio da trajetória e o período diminuem pela metade quando a velocidade dobra de valor. d) o raio da trajetória permanece inalterado enquanto o período dobra de valor.
  • 22. 3. Uma partícula com carga q e massa M move-se ao longo de uma reta com velocidade v constante numa região onde estão presentes um campo elétrico de 500 V/m e um campo de indução magnética de 0,10T. Sabe-se que ambos os campos e a direção de movimento da partícula são mutuamente perpendiculares. A velocidade da partícula é: a) 500 m/s. b) Constante para quaisquer valores de campos elétrico e magnético. c) (M/q)5,0.10³ m/s. d) 5,0.10³ m/s. e) Faltam dados para o cálculo.
  • 23. Um fio condutor, percorrido por uma corrente elétrica, afeta a orientação da agulha de uma bússola. Com essa descoberta, realizada pelo física dinamarquês Hans Christian Oersted em 1820, nasce o eletromagnetismo.
  • 24. Campo magnético gerado por corrente elétrica. 1.Condutor retilíneo percorrido por corrente elétrica. O campo magnético contorna o condutor e sua direção e seu sentido são dados pela regra da mão direita. O módulo é calculado pela expressão: R 2 i B      A T.m 10 4 7     0 Onde  é a permeabilidade magnética do meio. Para o vácuo: i i
  • 25. EXERCÍCIOS 1. Um condutor reto e extenso é percorrido por uma corrente elétrica de intensidade 4,5 A, conforme a figura. Determine a intensidade, a direção e o sentido do vetor indução magnética no ponto P a 30 cm do condutor, sabendo que o condutor e o ponto P pertencem ao mesmo plano do papel. É dado: o = 4.10-7 T.m/A.
  • 26. 2.Espira circular percorrida por corrente elétrica. O campo magnético no interior da espira tem as seguintes características: MÓDULO: r 2 i B     DIREÇÃO: Perpendicular ao plano da espira. SENTIDO: Dado pela regra da mão direita. A T.m 10 4 7     0 Onde  é a permeabilidade magnética do meio. Para o vácuo:
  • 27. Observando-se a espira de uma direção perpendicular ao plano da mesma: Para “n” bobinas justapostas. r 2 i n B    
  • 28. EXERCÍCIO 1.Duas espiras circulares, concêntricas e coplanares, de raios 3 m e 5 m, são percorridos por correntes de 3 A e 4 A, como mostra a figura. Qual o módulo do campo magnético no centro das espiras. Dado:  = 4.10-7 T.m/A
  • 29. 3.Solenóide percorrido por corrente elétrica. Pólo Sul magnético Pólo Norte magnético i O campo magnético no interior do solenóide tem as seguintes características: MÓDULO: L i n B     DIREÇÃO: A mesma do eixo do solenóide. SENTIDO: Dado pela regra da mão direita. A T.m 10 4 7     0 Onde  é a permeabilidade magnética do meio. Para o vácuo: L
  • 30. EXERCÍCIO 1. Na figura a seguir, a resistência elétrica do solenóide que tem 1000 espiras por metro, é igual a 10 W. Supondo vácuo no interior do solenóide,  = 4.10-7 T.m/A, determine: a)O módulo do campo indução magnética em seu interior; b)A polaridade magnética da extremidade A.
  • 31. Força magnética e indução magnética. Força magnética em condutor retilíneo percorrido por corrente elétrica.  sen B V q FMAG     t q i   t V    t i q     sen i B FMAG      A direção e o sentido são dados pela regra da mão direita. Obs.: 1. a é o ângulo entre o condutor e o campo magnético. 2. Se a = 0° FMAG = 0. 3. Se a = 90° FMAG = B.i.l
  • 32. 1.Um campo magnético B, uniforme, é capaz de impedir a queda de um condutor retilíneo de comprimento l = 0,10 m e massa m = 10 g, horizontal e ortogonal às linhas do campo, quando por ele circula uma corrente i = 2,0 A. a)Calcule a intensidade do campo magnético. b)O que ocorreria se o sentido da corrente que circula no condutor fosse invertido? Justifique. EXERCÍCIO
  • 33. Força magnética entre fios retilíneos infinitos e paralelos percorridos por corrente elétrica.       sen90 i B F 2 1 2 1  R 2 i B 1 1      R 2 i i F 2 1 2 1          Obs.: Quando os condutores são percorridos por correntes de mesmo sentido a força é de atração, caso contrário, repulsão.
  • 34. EXERCÍCIO 1.Dois condutores retos, extensos e paralelos estão separados por uma distância d = 2,0 cm e são percorridos por correntes elétricas de intensidades i1 = 1,0 A e i2 = 2,0A, com sentidos indicados na figura seguinte. Se os condutores estão situados no vácuo, a força magnética entre eles, por unidade de comprimento, no Sistema Internacional, tem intensidade de (Dado: o = 4.10-7 T.m/A.) a)2.10-5, repulsão. b)2.10-5, atração. c)2.10-5, atração. d)2.10-5, repulsão. e)4.10-5, repulsão.
  • 35. Espira retangular percorrida por corrente e imersa em um campo magnético uniforme i i i i i MAG F  MAG F -  B  Sentido de rotação i NORTE SUL Observador. B  a sen i B FMAG      d F M MAG FMAG   d
  • 36. EXERCÍCIO 1.Uma espira retangular ABCD de dimensões AB = 2 cm e BC = 1 cm localiza-se entre os pólos N e S de um ímã permanente, conforme a figura. O campo de indução pode ser considerado uniforme nessa região, com intensidade B = 0,8 T. A bobina é percorrida pela corrente i = 5 A, no sentido ABCDA, e pode girar em torno do eixo de simetria e. a) Calcule o momento magnético da espira, na posição indicada. b) Indique o sentido em que a espira irá girar e qual a posição de equilíbrio.
  • 37. Indução magnética. FLUXO MAGNÉTICO (f) α cos A B    f Unidades de medida: No S.I.: T.m² = Wb (weber) No C.G.S.: gauss.cm² = Mx (maxwell) 1Wb = 108 Mx Observe que: Se a = 90° O fluxo será nulo, pois cos90° = 0. Se a = 0° O fluxo será máximo, pois cos0° = 1.
  • 38. 1. Um fio condutor, em forma de anel e com raio R = 5 cm, está em uma região do espaço em que existe um campo magnético constante e uniforme de módulo B = 1 Wb/m2 (1 Tesla). A direção de B forma, com o plano do anel, um ângulo de 30°. Calcule o fluxo de B através do anel. EXERCÍCIO
  • 39. FORÇA ELETROMOTRIZ INDUZIDA (e) Faraday notou que uma variação de fluxo magnético através de uma espira provocava o surgimento de uma força eletromotriz: ind R.i  e LEI DE FARADAY t     f e f = f – f0 Variação de fluxo magnético. LEI DE LENZ O sentido da corrente induzida é tal que se opõe à variação do fluxo que a produziu.
  • 40. EXERCÍCIO 1.Uma espira de área 6,0.10-3 m² e resistência elétrica 2,0.10-2 W é disposta perpendicularmente a um campo magnético uniforme de indução B = 5,0.10-3 T. a) Calcule o fluxo magnético através da espira. b) Se a intensidade do campo diminuir uniformemente para 2,0.10-3 T, num certo intervalo de tempo, calcule a quantidade de carga elétrica induzida que atravessa a espira, nesse intervalo de tempo.
  • 41. 2.Determine o sentido da corrente induzida em cada caso apresentado.
  • 42. CONDUTOR RETILÍNEO EM CAMPO MAGNÉTICO UNIFORME V  FMAG FEL i i i FMAG FEXT EL MAG F F  q E B v q     Mas: d E U   Onde: U = e d = L Conclusão: d U E  d U B V   L B V e   V B L    e V FORÇA ELETROMOTRIZ INDUZIDA
  • 43. EXERCÍCIO 1.(UFPA) A figura a seguir mostra uma barra metálica que faz contato com um circuito aberto, fechando-o. A área do circuito é perpendicular a um campo magnético constante B = 0,15T. A resistência total do circuito é de 3,0 W. Qual é a intensidade da força necessária para mover a barra, como indicado na figura, com uma velocidade constante igual a 2,0 m/s? a) 5,50.10-1 N. b) 2,50.10-2 N. c) 3,75.10-3 N. d) 2,25.10-3 N. e) 5,50.10-4 N.
  • 44. TRANSFORMADORES Tem como objetivo modificar a tensão de corrente alternada aumentando-a ou diminuindo-a, dependendo do número de espiras da entrada e da saída. 2 2 1 1 N U N U  Desprezando-se as perdas, a Potência média de entrada é igual à de saída: 2 2 1 1 .i U i U   O transformador funciona com base na indução magnética. É necessário que a tensão seja variável no primário (para haver variação de fluxo magnético), ou não haverá tensão no secundário.
  • 45. 1.A corrente elétrica no enrolamento primário de um transformador corresponde a 10 A, enquanto no enrolamento secundário corresponde a 20 A. Sabendo que o enrolamento primário possui 1 200 espiras, o número de espiras do enrolamento secundário é: a)600 b)1200 c)2400 d)3600 EXERCÍCIO
  • 46. 2. O transformador, esquematizado na figura a seguir, é um dispositivo que permite a elevação ou o abaixamento da tensão fornecida, utilizando-se dos princípios da indução eletromagnética. Observe a figura atentamente. A diferença de potencial no medidor G e a corrente que flui através dele são, respectivamente: a) 120 V e 0,1 A. b) 120 V e 10 A. c) 1,2 V e 1,0 A. d) 0,0 V e 0,0 A. e) 1,2 V e 10 A.