SlideShare uma empresa Scribd logo
Ciências Naturais – 8º ano ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO EB DE ANADIA Ano Lectivo 2008/2009 ECOSSISTEMAS – CADEIAS ALIMENTARES © Artur Melo (2008)
Ciências Naturais – 8º ano Os ecossistemas estão em constante alteração, mesmo que à primeira vista pareçam estáticos e imutáveis. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano As condições abióticas, temperatura, luminosidade, humidade, composição do solo ou da água, mudam a cada momento.  Há seres vivos que morrem e seres que nascem, uns servem de alimento a outros, entra e sai energia continuamente em cada ecossistema Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano O Sol é a fonte primária de energia para a vida dos ecossistemas. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano As plantas e outros organismos fotossintéticos captam a energia luminosa e transformam-na em energia química, armazenada nas ligações dos compostos orgânicos que elaboram. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano A fotossíntese é o processo através do qual alguns seres vivos produzem o seu próprio alimento. O alimento passa a fazer parte do seu próprio organismo – SERES PRODUTORES Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Os seres fotossintéticos são designados também por seres AUTOTRÓFICOS. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Todos os organismos (vivos ou mortos) são fontes de alimento potenciais para outros organismos. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Os produtores servem de alimento a numerosos seres vivos, que, por sua vez, são comidos por outros.  Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Os seres que se alimentam de matéria orgânica, a partir da qual produzem a própria matéria orgânica que os constitui, são SERES HETEROTRÓFICOS e denominam-se seres CONSUMIDORES.  Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Existem ainda nos ecossistemas seres heterotróficos como bactérias e fungos, que são DECOMPOSITORES.  Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Estes seres transformam a matéria orgânica dos cadáveres, dos excrementos e dos detritos vegetais e animais em substâncias minerais,  que retornam ao meio abiótico, podendo ser reutilizadas pelos produtores.  Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano As transferências de matéria nos ecossistemas são cíclicas: a matéria inorgânica é transformada em matéria orgânica e esta é novamente decomposta em matéria mineral. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano As transferências de energia nos ecossistemas  nãosão cíclicas: diz-se que existe um fluxo unidireccional de energia. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Ano Lectivo 2008/2009 http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/2707 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano O conjunto de seres vivos de uma comunidade que se alimentam e que servem de alimento uns aos outros constitui umaCADEIA ALIMENTAR ou  CADEIA TRÓFICA.  Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Numa cadeia alimentar, cada ser vivo ocupa uma determinada posição, designada NÍVEL TRÓFICO (do grego trophos – alimento), de acordo com a fonte principal de alimento. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano Nas diferentes cadeias alimentares podemos encontrar, normalmente, três tipos de categorias de seres vivos: PRODUTORES CONSUMIDORES DECOMPOSITORES Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano PRODUTORES ,[object Object]
Também designadosautotróficos
Ocupam o 1º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano CONSUMIDORES ,[object Object],Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano CONSUMIDORES primários ,[object Object]
Ocupam o 2º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano CONSUMIDORES secundários ,[object Object]
Ocupam o 3º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano CONSUMIDORES  Existem ainda consumidores de 3ª ordem, 4ª ordem e assim sucessivamente. Contudo, as cadeias alimentares são, de uma maneira geral, curtas, não contendo mais do que cinco ou seis níveis tróficos. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
Ciências Naturais – 8º ano DECOMPOSITORES ,[object Object],Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Angela Boucinha
 
Fluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matériaFluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matéria
Isabel Lopes
 
Ecossistemas - Cadeias Alimentares
Ecossistemas - Cadeias AlimentaresEcossistemas - Cadeias Alimentares
Ecossistemas - Cadeias Alimentares
Gabriela Bruno
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
Reinan Santos
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
Teresa Monteiro
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
Estude Mais
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
rbonater
 
Cadeias Alimentares
Cadeias AlimentaresCadeias Alimentares
Cadeias Alimentares
Raquel Figueiredo
 
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
Videoaulas De Biologia Apoio
 
Aula 2 - Cadeia Alimentar
Aula 2 - Cadeia AlimentarAula 2 - Cadeia Alimentar
Aula 2 - Cadeia Alimentar
Andrea Barreto
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
Roberto Bagatini
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
elisabetefelippini
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
8ºC
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
Angela Boucinha
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
Allef B. Santos
 
Aula 11 cadeia alimentar
Aula 11   cadeia alimentarAula 11   cadeia alimentar
Aula 11 cadeia alimentar
Jonatas Carlos
 
cadeia alimentar
cadeia alimentarcadeia alimentar
cadeia alimentar
guestd1c2e7
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
isabelalexandrapinto
 

Mais procurados (20)

Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentaresFicha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
Ficha e-trabalho-cadeias-e-teias-alimentares
 
Fluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matériaFluxo energia e ciclo de matéria
Fluxo energia e ciclo de matéria
 
Ecossistemas - Cadeias Alimentares
Ecossistemas - Cadeias AlimentaresEcossistemas - Cadeias Alimentares
Ecossistemas - Cadeias Alimentares
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
00 cadeias e teias alimentares 2011_20102011_tc
 
Cadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentarCadeia e teia alimentar
Cadeia e teia alimentar
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Cadeias Alimentares
Cadeias AlimentaresCadeias Alimentares
Cadeias Alimentares
 
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.aulasdebiologiaapoio.com - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
 
Aula 2 - Cadeia Alimentar
Aula 2 - Cadeia AlimentarAula 2 - Cadeia Alimentar
Aula 2 - Cadeia Alimentar
 
Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]Fluxo de matéria e energia[1]
Fluxo de matéria e energia[1]
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
 
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
aula ecologia fluxo de energia nos ecossistemas.
 
Aula 11 cadeia alimentar
Aula 11   cadeia alimentarAula 11   cadeia alimentar
Aula 11 cadeia alimentar
 
cadeia alimentar
cadeia alimentarcadeia alimentar
cadeia alimentar
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
 

Destaque

Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
Blogzarife
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Luiz Carlos
 
Origem da vida 1º ano
Origem da vida   1º anoOrigem da vida   1º ano
Origem da vida 1º ano
Luciana Mendes
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Brenno Miranda
 
A Origem da Vida
A Origem da VidaA Origem da Vida
A Origem da Vida
Emily Almeida
 
Teorias Sobre Origem Da Vida
Teorias Sobre Origem Da VidaTeorias Sobre Origem Da Vida
Teorias Sobre Origem Da Vida
profatatiana
 
Origem Da Vida
Origem Da VidaOrigem Da Vida
Origem Da Vida
Diego Yamazaki Bolano
 

Destaque (7)

Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
 
Origem da vida 1º ano
Origem da vida   1º anoOrigem da vida   1º ano
Origem da vida 1º ano
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
A Origem da Vida
A Origem da VidaA Origem da Vida
A Origem da Vida
 
Teorias Sobre Origem Da Vida
Teorias Sobre Origem Da VidaTeorias Sobre Origem Da Vida
Teorias Sobre Origem Da Vida
 
Origem Da Vida
Origem Da VidaOrigem Da Vida
Origem Da Vida
 

Semelhante a Cadeias Alimentares

8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia
Carla Carneiro
 
1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente
Margarida Cardoso
 
Mat energia
Mat energiaMat energia
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
emanuel
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
alessandraoliveira324
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
8ºC
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
8ºC
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
IsauraSilva13
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Magali Feldmann
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Cadeia Trófica
Cadeia TróficaCadeia Trófica
Biosfera power point
Biosfera  power point Biosfera  power point
Biosfera power point
margaridabt
 
Cn5º
Cn5ºCn5º
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
Werner Mendoza Blanco
 
Entendendo a Ecologia
Entendendo a EcologiaEntendendo a Ecologia
Entendendo a Ecologia
Carlos Eduardo
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Particular
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Nuno Coelho
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
Andrey Moreira
 
ECOSSISTEMA.ppt
ECOSSISTEMA.pptECOSSISTEMA.ppt
ECOSSISTEMA.ppt
Juscilaine Prado
 
CADEIA ALIMENTAR.pptx
CADEIA ALIMENTAR.pptxCADEIA ALIMENTAR.pptx
CADEIA ALIMENTAR.pptx
HamaralNunes1
 

Semelhante a Cadeias Alimentares (20)

8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia8.ppt.prof.fluxo.energia
8.ppt.prof.fluxo.energia
 
1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente1. os seres vivos e o ambiente
1. os seres vivos e o ambiente
 
Mat energia
Mat energiaMat energia
Mat energia
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
 
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologiaEcologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
Ecologia.pdfEcologiaEcologiaEcologiaEcologia
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
Recursosnaturaisfinal
RecursosnaturaisfinalRecursosnaturaisfinal
Recursosnaturaisfinal
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Cadeia Trófica
Cadeia TróficaCadeia Trófica
Cadeia Trófica
 
Biosfera power point
Biosfera  power point Biosfera  power point
Biosfera power point
 
Cn5º
Cn5ºCn5º
Cn5º
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
 
Entendendo a Ecologia
Entendendo a EcologiaEntendendo a Ecologia
Entendendo a Ecologia
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matériaResumo fluxos de energia e ciclo de matéria
Resumo fluxos de energia e ciclo de matéria
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
ECOSSISTEMA.ppt
ECOSSISTEMA.pptECOSSISTEMA.ppt
ECOSSISTEMA.ppt
 
CADEIA ALIMENTAR.pptx
CADEIA ALIMENTAR.pptxCADEIA ALIMENTAR.pptx
CADEIA ALIMENTAR.pptx
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 

Cadeias Alimentares

  • 1. Ciências Naturais – 8º ano ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO EB DE ANADIA Ano Lectivo 2008/2009 ECOSSISTEMAS – CADEIAS ALIMENTARES © Artur Melo (2008)
  • 2. Ciências Naturais – 8º ano Os ecossistemas estão em constante alteração, mesmo que à primeira vista pareçam estáticos e imutáveis. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 3. Ciências Naturais – 8º ano As condições abióticas, temperatura, luminosidade, humidade, composição do solo ou da água, mudam a cada momento. Há seres vivos que morrem e seres que nascem, uns servem de alimento a outros, entra e sai energia continuamente em cada ecossistema Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 4. Ciências Naturais – 8º ano O Sol é a fonte primária de energia para a vida dos ecossistemas. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 5. Ciências Naturais – 8º ano As plantas e outros organismos fotossintéticos captam a energia luminosa e transformam-na em energia química, armazenada nas ligações dos compostos orgânicos que elaboram. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 6. Ciências Naturais – 8º ano A fotossíntese é o processo através do qual alguns seres vivos produzem o seu próprio alimento. O alimento passa a fazer parte do seu próprio organismo – SERES PRODUTORES Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 7. Ciências Naturais – 8º ano Os seres fotossintéticos são designados também por seres AUTOTRÓFICOS. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 8. Ciências Naturais – 8º ano Todos os organismos (vivos ou mortos) são fontes de alimento potenciais para outros organismos. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 9. Ciências Naturais – 8º ano Os produtores servem de alimento a numerosos seres vivos, que, por sua vez, são comidos por outros. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 10. Ciências Naturais – 8º ano Os seres que se alimentam de matéria orgânica, a partir da qual produzem a própria matéria orgânica que os constitui, são SERES HETEROTRÓFICOS e denominam-se seres CONSUMIDORES. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 11. Ciências Naturais – 8º ano Existem ainda nos ecossistemas seres heterotróficos como bactérias e fungos, que são DECOMPOSITORES. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 12. Ciências Naturais – 8º ano Estes seres transformam a matéria orgânica dos cadáveres, dos excrementos e dos detritos vegetais e animais em substâncias minerais, que retornam ao meio abiótico, podendo ser reutilizadas pelos produtores. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 13. Ciências Naturais – 8º ano As transferências de matéria nos ecossistemas são cíclicas: a matéria inorgânica é transformada em matéria orgânica e esta é novamente decomposta em matéria mineral. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 14. Ciências Naturais – 8º ano As transferências de energia nos ecossistemas nãosão cíclicas: diz-se que existe um fluxo unidireccional de energia. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 15. Ciências Naturais – 8º ano Ano Lectivo 2008/2009 http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/2707 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 16. Ciências Naturais – 8º ano O conjunto de seres vivos de uma comunidade que se alimentam e que servem de alimento uns aos outros constitui umaCADEIA ALIMENTAR ou CADEIA TRÓFICA. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 17. Ciências Naturais – 8º ano Numa cadeia alimentar, cada ser vivo ocupa uma determinada posição, designada NÍVEL TRÓFICO (do grego trophos – alimento), de acordo com a fonte principal de alimento. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 18. Ciências Naturais – 8º ano Nas diferentes cadeias alimentares podemos encontrar, normalmente, três tipos de categorias de seres vivos: PRODUTORES CONSUMIDORES DECOMPOSITORES Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 19.
  • 21. Ocupam o 1º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 22.
  • 23.
  • 24. Ocupam o 2º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 25.
  • 26. Ocupam o 3º nível tróficoAno Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 27. Ciências Naturais – 8º ano CONSUMIDORES Existem ainda consumidores de 3ª ordem, 4ª ordem e assim sucessivamente. Contudo, as cadeias alimentares são, de uma maneira geral, curtas, não contendo mais do que cinco ou seis níveis tróficos. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 28.
  • 29. Ciências Naturais – 8º ano Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 30. Ciências Naturais – 8º ano Cadeia alimentar com três níveis tróficos. Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 31. Ciências Naturais – 8º ano Algumas cadeias alimentares não se iniciam nos produtores: o 1º nível tróficos é ocupado por detritívoros (consumidores primários que se alimentam de matéria orgânica em decomposição). Ano Lectivo 2008/2009 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares
  • 32. Ciências Naturais – 8º ano Bibliografia Ano Lectivo 2008/2009 MOTTA, L. e outros (2007) - Bioterra - Sustentabilidade na Terra 8º ano. Porto. Porto Editora.  SILVA, Amparo D. etal (2007) –Planeta Vivo 8. Porto. Porto Editora Artur Melo- Dezembro/2008 © Artur Melo (2008) Ecossistemas – Cadeias Alimentares