SlideShare uma empresa Scribd logo
Chriptus
Introdução
 Sir Isaac Newton foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e
matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista, filósofo
natural e teólogo.
 Nasceu a 4 de janeiro de 1643 em Woolsthorpe-by-Colsterworth.
 Newton estudou no Trinity College de Cambridge, e graduou-se em 1665.
Vida
 Entre os doze e os dezassete anos, Newton foi
educado na The King's School, em Grantham.
 Em 1659 foi retirado da escola e levado para
Woolsthorpe-by-Colsterworth, onde a sua mãe
tentou fazer dele agricultor, mas ele odiava a
agricultura, Henry Stokes, mestre da The King's
School, convenceu sua mãe a mandá-lo de volta à
escola.
 Alguns autores destacam a ideia de que era um
aluno mediano, até que uma briga com um colega
de escola fez com que Newton decidisse ser o
melhor aluno da classe e de toda a escola.
 Em 1669 torna-se professor de matemática em
Cambridge e em 1672 entra para a Royal Society.
 Newton estudou no Trinity College.
 Foi um dos principais precursores do
Iluminismo, sofreu forte influência do seu professor
Barrow (desde 1663), e de outros como:
Schooten, Viète, John Wallis, Descartes, Fermat
, Cavalieri, Galileu Galilei e de Johannes Kepler.
Universidade e Influências
Contribuições -
Óptica
 Entre 1670 e 1672, Newton trabalhou
arduámente em problemas relacionados com a
óptica e a natureza da luz.
 Demonstrou que a luz branca é formada por
uma banda de cores
(vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e
violeta) que podiam separar-se por meio de um
prisma.
 Após muito estudo, concluiu que qualquer
telescópio "refrator" sofreria de uma aberração
hoje denominada "aberração cromática", que
consiste na dispersão da luz em diferentes
cores ao atravessar uma lente. Para evitar
esse problema, Newton construiu um "telescópio
refletor”, o telescópio newtoniano.
 Muitas opiniões sugerem que a maçã bateu
realmente na cabeça de Newton, quando se
encontrava num jardim, sentado por baixo de
uma macieira, e que seu impacto fez com que, de
algum modo, ele ficasse ciente da força da
gravidade.
 A pergunta não era se a gravidade existia, mas
se ela se estenderia tão longe da Terra que
poderia também ser a força que prende a Lua à
sua órbita.
 Newton mostrou que, se a força diminuísse
com o quadrado inverso da distância, poderia
então calcular corretamente o período orbital da
Lua. Ele supôs ainda que a mesma força seria
responsável pelo movimento orbital de outros
corpos, criando assim o conceito de "gravitação
universal".
A queda da maçã e a
dúvida de Newton
Lei da gravitação
universal
 Com uma lei formulada de maneira simples, Newton procurou
explicar os fenômenos físicos mais importantes do universo. A lei da
gravitação universal, proposta por Isaac Newton, tem a seguinte
expressão matemática:
Onde:
 F12 é a força, sentida pelo corpo 1 devido ao corpo 2,
medida em newtons;
 G é constante gravitacional universal, que determina a
intensidade da força;
 m 1 e m2 são as massas dos corpos que se atraem entre
si, medidas em quilogramas;
 r é a distância entre os dois corpos, medida em metros;
 o versor do vetor que liga o corpo 1 ao corpo 2
As três Leis de
Newton
 Isaac Newton publicou estas leis em 1687, no seu trabalho de três
volumes intitulado Philosophiae Naturalis Principia Mathematica,
explicavam vários comportamentos relativos ao movimento de
objetos físicos.
Obras -
Resumo
 Method of Fluxions (1671);
 Philosophiae naturalis principia mathematica (1687);
 Opticks (1704);
 Arithmetica Universalis (1707);
 The Chronology of Ancient Kingdoms Amended (1728).
 Também escreveu sobre os ramos da química, da alquimia, da
cronologia e da teologia, e ainda sobre escoamento em
canais, velocidade de ondas superficiais e o deslocamento do
som no ar.
Philosophiae naturalis
principia mathematica (1687)
 Vem do latim "Princípios Matemáticos da Filosofia
Natural“.
 Contém as leis de Newton para o movimento dos
corpos, fundamentação da mecânica clássica, assim
como a lei da gravitação universal. Newton
demonstrou as leis de Kepler para o movimento dos
planetas (que haviam sido obtidas empiricamente).
O Philosophiæ Naturalis Principia Mathematica é
composto por três volumes:
 De motu corporum - Sobre o movimento dos corpos
 De motu corporum - Sobre o movimento dos corpos
(cont.)
 De mundi systemate - Sobre o sistema do Mundo
A forma original na qual as leis foram escritas é a seguinte:
 “Lex I: Corpus omne perseverare in statu suo quiescendi vel movendi
uniformiter in directum, nisi quatenus a viribus impressis cogitur
statum illum mutare.”
(Todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma
linha reta, a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças imprimidas sobre
ele.)
 “Lex II: Mutationem motis proportionalem esse vi motrici
impressae, etfieri secundum lineam rectam qua vis illa imprimitur.”
(A mudança de movimento é proporcional à força motora imprimida, e é produzida na
direção da linha reta na qual aquela força é imprimida.)
 “Lex III: Actioni contrariam semper et aequalem esse reactionem: sine
corporum duorum actiones in se mutuo semper esse aequales et in
partes contrarias dirigi.”
(A toda acção há sempre oposta uma reacção igual, ou, as ações mútuas de dois
corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas a partes opostas.)
 Na formulação de suas teorias da física, Newton desenvolveu um campo da
matemática conhecido como cálculo.
The Chronology of Ancient
Kingdoms Amended (1728)
 The Chronology of Ancient Kingdoms é uma obra de Isaac Newton, sobre a
cronologia dos reinos antigos.
 Neste livro, Newton critica as cronologias tradicionais dos reinos
gregos, baseados em períodos de 33 anos entre gerações, propondo uma média
de 20 anos entre gerações. Deste modo, várias datas para eventos da mitologia
grega são adiados, como, por exemplo, a queda de Troia (de 1183 a.C. para
965 a.C.) ou o reinado de Sesóstris (de 1300 a.C. para 965 a.C.).
 A partir deste livro, a mitologia grega não foi mais aceita como fonte fiável para
cálculos de cronologia.
Visão
Religiosa
 Com o formular da lei da gravitação universal, Newton aproximou-se
do Clero.
 Newton possuía uma extensa biblioteca de teologia e filosofia ao seu
dispor, desde estudos de línguas até todos os tipos de literatura
clássica e bíblica, o que pode ter vitalizado seu espírito para
inspiradoras abstrações. Newton foi influenciado pela política e
acabou não se ordenando clérigo, mas permaneceu fiel à sua
crença no Universo, embora tenha comportado-se como cristão
anglicano, na capela do Trinity Colege e, mais tarde, em Londres.
Iniciou uma série de correspondências com o filósofo John Locke.
 Entre suas obras teológicas, destacam-se An Historical Account of
Two Notable Corruption of Scriptures, Chronology of Ancient
Kingdoms Atended e Observations upon the Prophecies.
Considerava que a mecânica celeste era governada pela gravitação
universal e, principalmente, por Deus, sobre o qual relata: "A
maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido
origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isto
fica sendo a minha última e mais elevada descoberta."
Pontos de vista do fim do
mundo
 Num manuscrito que escreveu em 1704 no
qual ele descreve sua tentativa de extrair
informações científicas a partir da Bíblia, ele
estima que o mundo não iria terminar antes de
2060.
 Em 2007, a Biblioteca Nacional de Israel
divulgou três manuscritos atribuídos a Isaac
Newton nos quais ele calcula a data
aproximada do apocalipse, relacionando
profecias com história política e religiosa
europeia daquela época. Num dos
manuscritos (início do século XVIII), Newton,
por meio de análise dos textos bíblicos do
Livro de Daniel (do antigo testamento), conclui
que o mundo deveria acabar por volta do ano
de 2060, ao escrever "Ele pode acabar além
desta data, mas não há razão para acabar
antes”.
"Newton," retratado por William
Blake como um grande geometer
divino.
O Movimento Rosa Cruz
 A sociedade secreta dos Rosa Cruz, foi
talvez a que maior influência exerceu sobre
Newton.
 O movimento teve uma grande influência
sobre Newton, particularmente nas pesquisas
sobre alquimia e filosofia.
 A crença Rosa Cruz de serem especialmente
escolhidos para comunicarem com os anjos
ou espíritos ecoa nas crenças proféticas de
Newton.
 Tal como Newton, os Rosa Cruz foram
verdadeiros filósofos místicos, cristãos e
altamente politizados. Newton teve muito
interesse nas pesquisas sobre alquimia, mas
também nos ensinamentos esotéricos antigos
e na crença em indivíduos iluminados com a
habilidade de conhecer a natureza, o universo
e o reino espiritual.
Realizações -
Resumo
 Em 1663, formulou o teorema hoje conhecido como Binômio de Newton. Fez
umas primeiras hipóteses sobre gravitação universal e escreveu sobre séries
infinitas e o que chamou de teoria das fluxões (1665), o embrião do Cálculo
Diferencial e Integral.
 Em 1666, construiu quatro de suas principais descobertas: o Teorema
Binomial, o cálculo, a lei da gravitação universal e a natureza das cores.
 Em 1668, construiu o primeiro telescópio de reflexão, e foi o primeiro a observar
o espectro visível.
 Em 1675, enunciou a teoria corpuscular de propagação da luz contrariando a
teoria ondulatória de Huygens.
Últimos
anos
 Newton foi respeitado como nenhum outro
cientista e marcou uma revolução científica
através da sua obra.
 Seus estudos foram como chaves que abriram
portas para diversas áreas do conhecimento
cujo acesso era impossível antes de Newton.
 Newton morreu em 20 de março de 1727 com
problemas renais, em Londres, alguns afirmam
ter morrido virgem.
 Reza a lenda que ao avaliar a sua carreira
científica, Isaac Newton terá dito certa vez:
"Tenho a impressão de ter sido uma criança a
brincar à beira-mar, divertindo-me a descobrir
uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais
bonita que as outras, enquanto o imenso
oceano da verdade continuou misterioso diante
dos meus olhos". Sepultura de Newton na abadia
de Westminster.
Curiosidades
 Os rosa Cruz proclamavam também ter a habilidade de viver para sempre
usando o elixir vitae e a habilidade de produzir um sem limite de quantidade de
ouro a partir do uso da Pedra Filosofal, a qual diziam possuir.
 Ao morrer, a Biblioteca de Newton apresentava 169 livros sobre o tópico da
alquimia, e acreditava-se que teria consideravelmente mais livros durante os
anos de formação em Cambridge, embora possivelmente os tenha vendido antes
de mudar-se para Londres em 1696.
 Philosophiae naturalis principia mathematica, foi provavelmente o livro de
ciências de maior influência já publicado.
“A nAturezA e As leis dA nAturezA
estavam imersas em trevas; Deus
disse "Haja Newton" e tudo se
iluminou.”
Alexander Pope
Bibliografi
a

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Aula 02 teoria da relatividade - parte 01 e 02
Aula 02   teoria da relatividade - parte 01 e 02Aula 02   teoria da relatividade - parte 01 e 02
Aula 02 teoria da relatividade - parte 01 e 02
cristbarb
 
Galileu galilei
Galileu galileiGalileu galilei
Galileu galilei
Bruce Colombi
 
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
Fábio Roque
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
Keite Mello
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
cattonia
 
Hume
HumeHume
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
FilipaFonseca
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
Elisama Lopes
 
Origem do Universo, Teoria do Big Bang
Origem do Universo, Teoria do Big BangOrigem do Universo, Teoria do Big Bang
Origem do Universo, Teoria do Big Bang
Sara Marques
 
Kant e o iluminismo
Kant e o iluminismoKant e o iluminismo
Kant e o iluminismo
Eliumar Silva
 
Cultura de massas .
Cultura de massas .Cultura de massas .
Cultura de massas .
TavaresJoana
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
Erica Frau
 
Peste negra
Peste negraPeste negra
Peste negra
joaopada
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
Alan
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
Erica Frau
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
j_sdias
 
Vida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu GalileiVida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu Galilei
Pedro Ribeiro
 
Modelos do universo
Modelos do universoModelos do universo
Modelos do universo
Patrícia Santos
 
O big bang
O big bangO big bang
O big bang
Rildo Borges
 

Mais procurados (20)

Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
 
Aula 02 teoria da relatividade - parte 01 e 02
Aula 02   teoria da relatividade - parte 01 e 02Aula 02   teoria da relatividade - parte 01 e 02
Aula 02 teoria da relatividade - parte 01 e 02
 
Galileu galilei
Galileu galileiGalileu galilei
Galileu galilei
 
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
Albert Einstein - Biografia, Obras, Curiosidades e Outros
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
 
Revolução científica
Revolução científicaRevolução científica
Revolução científica
 
Hume
HumeHume
Hume
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
Descartes
DescartesDescartes
Descartes
 
Origem do Universo, Teoria do Big Bang
Origem do Universo, Teoria do Big BangOrigem do Universo, Teoria do Big Bang
Origem do Universo, Teoria do Big Bang
 
Kant e o iluminismo
Kant e o iluminismoKant e o iluminismo
Kant e o iluminismo
 
Cultura de massas .
Cultura de massas .Cultura de massas .
Cultura de massas .
 
4 Hume
4 Hume 4 Hume
4 Hume
 
Peste negra
Peste negraPeste negra
Peste negra
 
A revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xviiA revolução científica do século xvii
A revolução científica do século xvii
 
7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei7 Galileu Galilei
7 Galileu Galilei
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Vida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu GalileiVida e Obra de Galileu Galilei
Vida e Obra de Galileu Galilei
 
Modelos do universo
Modelos do universoModelos do universo
Modelos do universo
 
O big bang
O big bangO big bang
O big bang
 

Destaque

.Isaac Newton.
.Isaac Newton..Isaac Newton.
.Isaac Newton.
Rubn_G
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
home
 
Isaac Newton - Diapositivas.
Isaac Newton - Diapositivas.Isaac Newton - Diapositivas.
Isaac Newton - Diapositivas.
145251251812
 
Newton presentation
Newton presentationNewton presentation
Newton presentation
lschmidt1170
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
grade5m2013
 
Presentacion de isaac newton
Presentacion de isaac newtonPresentacion de isaac newton
Presentacion de isaac newton
AngiielitHa DiiAz
 
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
Joaquin Luceno
 
Isaac Newton - Biografia
Isaac Newton - BiografiaIsaac Newton - Biografia
Isaac Newton - Biografia
Caio Germanotta
 
Isaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
Isaac Newton e sua contribuição na História da MatemáticaIsaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
Isaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
Elton Ribeiro da Cruz
 
biografia de Isaac newton
 biografia de Isaac newton biografia de Isaac newton
biografia de Isaac newton
Joel Eduardo Almeira
 
Presentación isaac newton
Presentación isaac newtonPresentación isaac newton
Presentación isaac newton
Luis Giovanetty
 
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOLLEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
ESPOL
 
Isaacnewton 100131090527-phpapp01
Isaacnewton 100131090527-phpapp01Isaacnewton 100131090527-phpapp01
Isaacnewton 100131090527-phpapp01
Douglas Rquintanilha
 
Biografía de Isaac Newton
Biografía de Isaac NewtonBiografía de Isaac Newton
Biografía de Isaac Newton
Dayana Benalcázar Reyes
 
Historia de isaac newton
Historia de isaac newtonHistoria de isaac newton
Historia de isaac newton
jccedeno2
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
nonoano
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
cainbomhue
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Sir Isaac Newton
Sir Isaac NewtonSir Isaac Newton
Sir Isaac Newton
jheil65
 
Marie Curie
Marie CurieMarie Curie

Destaque (20)

.Isaac Newton.
.Isaac Newton..Isaac Newton.
.Isaac Newton.
 
Isaac Newton
Isaac NewtonIsaac Newton
Isaac Newton
 
Isaac Newton - Diapositivas.
Isaac Newton - Diapositivas.Isaac Newton - Diapositivas.
Isaac Newton - Diapositivas.
 
Newton presentation
Newton presentationNewton presentation
Newton presentation
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
 
Presentacion de isaac newton
Presentacion de isaac newtonPresentacion de isaac newton
Presentacion de isaac newton
 
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
Isaac Newton (Virginia Y Sergio)
 
Isaac Newton - Biografia
Isaac Newton - BiografiaIsaac Newton - Biografia
Isaac Newton - Biografia
 
Isaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
Isaac Newton e sua contribuição na História da MatemáticaIsaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
Isaac Newton e sua contribuição na História da Matemática
 
biografia de Isaac newton
 biografia de Isaac newton biografia de Isaac newton
biografia de Isaac newton
 
Presentación isaac newton
Presentación isaac newtonPresentación isaac newton
Presentación isaac newton
 
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOLLEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
LEYES DE NEWTON:Física Conceptual-ESPOL
 
Isaacnewton 100131090527-phpapp01
Isaacnewton 100131090527-phpapp01Isaacnewton 100131090527-phpapp01
Isaacnewton 100131090527-phpapp01
 
Biografía de Isaac Newton
Biografía de Isaac NewtonBiografía de Isaac Newton
Biografía de Isaac Newton
 
Historia de isaac newton
Historia de isaac newtonHistoria de isaac newton
Historia de isaac newton
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
 
Isaac newton
Isaac newtonIsaac newton
Isaac newton
 
Sir Isaac Newton
Sir Isaac NewtonSir Isaac Newton
Sir Isaac Newton
 
Marie Curie
Marie CurieMarie Curie
Marie Curie
 

Semelhante a Biografia - Isaac Newton

ISAAC NEWTON SLIDE.pptx
ISAAC NEWTON SLIDE.pptxISAAC NEWTON SLIDE.pptx
ISAAC NEWTON SLIDE.pptx
deivid silva
 
Newton e o heliocentrismo
Newton e o heliocentrismoNewton e o heliocentrismo
Newton e o heliocentrismo
NeticiaMatos
 
Historia da ciência inércia 2
Historia da ciência   inércia 2Historia da ciência   inércia 2
Historia da ciência inércia 2
Alexandre Abdalla
 
Historia da ciência - Inércia
Historia da ciência - InérciaHistoria da ciência - Inércia
Historia da ciência - Inércia
Alexandre Abdalla
 
Lei da gravitação de Newton.ppt
Lei da gravitação de Newton.pptLei da gravitação de Newton.ppt
Lei da gravitação de Newton.ppt
RodolfoFUT9
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
guest3322cf1
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
guest3322cf1
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
guest3322cf1
 
Isaac newton(fatima)
Isaac newton(fatima)Isaac newton(fatima)
Isaac newton(fatima)
Carla Daniela
 
Historia da fisica
Historia da fisica Historia da fisica
Historia da fisica
Marines Adiers Alves Pereira
 
A síntese newtoniana
A síntese newtonianaA síntese newtoniana
A síntese newtoniana
Pedro Gervásio
 
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
Octavio Silvério de Souza Vieira Neto
 
Fisica do niverso
Fisica do niversoFisica do niverso
Fisica do niverso
Michelle Oliveira
 
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismoAristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
Wagner Silva
 
Isaac newton1
Isaac newton1Isaac newton1
Isaac newton1
Bruce Colombi
 
Kepler
KeplerKepler
Kepler
Helio Vale
 
História da ciência
História da ciênciaHistória da ciência
História da ciência
professoraivanilda
 
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
RodrigoResende51
 
A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
Gonçalo Tavares
 

Semelhante a Biografia - Isaac Newton (20)

ISAAC NEWTON SLIDE.pptx
ISAAC NEWTON SLIDE.pptxISAAC NEWTON SLIDE.pptx
ISAAC NEWTON SLIDE.pptx
 
Newton e o heliocentrismo
Newton e o heliocentrismoNewton e o heliocentrismo
Newton e o heliocentrismo
 
Historia da ciência inércia 2
Historia da ciência   inércia 2Historia da ciência   inércia 2
Historia da ciência inércia 2
 
Historia da ciência - Inércia
Historia da ciência - InérciaHistoria da ciência - Inércia
Historia da ciência - Inércia
 
Lei da gravitação de Newton.ppt
Lei da gravitação de Newton.pptLei da gravitação de Newton.ppt
Lei da gravitação de Newton.ppt
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Isaac newton(fatima)
Isaac newton(fatima)Isaac newton(fatima)
Isaac newton(fatima)
 
Historia da fisica
Historia da fisica Historia da fisica
Historia da fisica
 
A síntese newtoniana
A síntese newtonianaA síntese newtoniana
A síntese newtoniana
 
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica4   as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
4 as revoluções da modernidade - agrícola, religiosa e científica
 
Fisica do niverso
Fisica do niversoFisica do niverso
Fisica do niverso
 
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismoAristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
Aristóteles e Copérnico - Geocentrismo e heliocentrismo
 
Isaac newton1
Isaac newton1Isaac newton1
Isaac newton1
 
Kepler
KeplerKepler
Kepler
 
História da ciência
História da ciênciaHistória da ciência
História da ciência
 
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
Trabalho Leis de Newton (a vida de newton)
 
A origem do universo
A origem do universoA origem do universo
A origem do universo
 

Último

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 

Último (20)

Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 

Biografia - Isaac Newton

  • 2. Introdução  Sir Isaac Newton foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo.  Nasceu a 4 de janeiro de 1643 em Woolsthorpe-by-Colsterworth.  Newton estudou no Trinity College de Cambridge, e graduou-se em 1665.
  • 3. Vida  Entre os doze e os dezassete anos, Newton foi educado na The King's School, em Grantham.  Em 1659 foi retirado da escola e levado para Woolsthorpe-by-Colsterworth, onde a sua mãe tentou fazer dele agricultor, mas ele odiava a agricultura, Henry Stokes, mestre da The King's School, convenceu sua mãe a mandá-lo de volta à escola.  Alguns autores destacam a ideia de que era um aluno mediano, até que uma briga com um colega de escola fez com que Newton decidisse ser o melhor aluno da classe e de toda a escola.  Em 1669 torna-se professor de matemática em Cambridge e em 1672 entra para a Royal Society.
  • 4.  Newton estudou no Trinity College.  Foi um dos principais precursores do Iluminismo, sofreu forte influência do seu professor Barrow (desde 1663), e de outros como: Schooten, Viète, John Wallis, Descartes, Fermat , Cavalieri, Galileu Galilei e de Johannes Kepler. Universidade e Influências
  • 5. Contribuições - Óptica  Entre 1670 e 1672, Newton trabalhou arduámente em problemas relacionados com a óptica e a natureza da luz.  Demonstrou que a luz branca é formada por uma banda de cores (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta) que podiam separar-se por meio de um prisma.  Após muito estudo, concluiu que qualquer telescópio "refrator" sofreria de uma aberração hoje denominada "aberração cromática", que consiste na dispersão da luz em diferentes cores ao atravessar uma lente. Para evitar esse problema, Newton construiu um "telescópio refletor”, o telescópio newtoniano.
  • 6.  Muitas opiniões sugerem que a maçã bateu realmente na cabeça de Newton, quando se encontrava num jardim, sentado por baixo de uma macieira, e que seu impacto fez com que, de algum modo, ele ficasse ciente da força da gravidade.  A pergunta não era se a gravidade existia, mas se ela se estenderia tão longe da Terra que poderia também ser a força que prende a Lua à sua órbita.  Newton mostrou que, se a força diminuísse com o quadrado inverso da distância, poderia então calcular corretamente o período orbital da Lua. Ele supôs ainda que a mesma força seria responsável pelo movimento orbital de outros corpos, criando assim o conceito de "gravitação universal". A queda da maçã e a dúvida de Newton
  • 7. Lei da gravitação universal  Com uma lei formulada de maneira simples, Newton procurou explicar os fenômenos físicos mais importantes do universo. A lei da gravitação universal, proposta por Isaac Newton, tem a seguinte expressão matemática: Onde:  F12 é a força, sentida pelo corpo 1 devido ao corpo 2, medida em newtons;  G é constante gravitacional universal, que determina a intensidade da força;  m 1 e m2 são as massas dos corpos que se atraem entre si, medidas em quilogramas;  r é a distância entre os dois corpos, medida em metros;  o versor do vetor que liga o corpo 1 ao corpo 2
  • 8. As três Leis de Newton  Isaac Newton publicou estas leis em 1687, no seu trabalho de três volumes intitulado Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, explicavam vários comportamentos relativos ao movimento de objetos físicos.
  • 9. Obras - Resumo  Method of Fluxions (1671);  Philosophiae naturalis principia mathematica (1687);  Opticks (1704);  Arithmetica Universalis (1707);  The Chronology of Ancient Kingdoms Amended (1728).  Também escreveu sobre os ramos da química, da alquimia, da cronologia e da teologia, e ainda sobre escoamento em canais, velocidade de ondas superficiais e o deslocamento do som no ar.
  • 10. Philosophiae naturalis principia mathematica (1687)  Vem do latim "Princípios Matemáticos da Filosofia Natural“.  Contém as leis de Newton para o movimento dos corpos, fundamentação da mecânica clássica, assim como a lei da gravitação universal. Newton demonstrou as leis de Kepler para o movimento dos planetas (que haviam sido obtidas empiricamente). O Philosophiæ Naturalis Principia Mathematica é composto por três volumes:  De motu corporum - Sobre o movimento dos corpos  De motu corporum - Sobre o movimento dos corpos (cont.)  De mundi systemate - Sobre o sistema do Mundo
  • 11. A forma original na qual as leis foram escritas é a seguinte:  “Lex I: Corpus omne perseverare in statu suo quiescendi vel movendi uniformiter in directum, nisi quatenus a viribus impressis cogitur statum illum mutare.” (Todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma linha reta, a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças imprimidas sobre ele.)  “Lex II: Mutationem motis proportionalem esse vi motrici impressae, etfieri secundum lineam rectam qua vis illa imprimitur.” (A mudança de movimento é proporcional à força motora imprimida, e é produzida na direção da linha reta na qual aquela força é imprimida.)  “Lex III: Actioni contrariam semper et aequalem esse reactionem: sine corporum duorum actiones in se mutuo semper esse aequales et in partes contrarias dirigi.” (A toda acção há sempre oposta uma reacção igual, ou, as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas a partes opostas.)  Na formulação de suas teorias da física, Newton desenvolveu um campo da matemática conhecido como cálculo.
  • 12. The Chronology of Ancient Kingdoms Amended (1728)  The Chronology of Ancient Kingdoms é uma obra de Isaac Newton, sobre a cronologia dos reinos antigos.  Neste livro, Newton critica as cronologias tradicionais dos reinos gregos, baseados em períodos de 33 anos entre gerações, propondo uma média de 20 anos entre gerações. Deste modo, várias datas para eventos da mitologia grega são adiados, como, por exemplo, a queda de Troia (de 1183 a.C. para 965 a.C.) ou o reinado de Sesóstris (de 1300 a.C. para 965 a.C.).  A partir deste livro, a mitologia grega não foi mais aceita como fonte fiável para cálculos de cronologia.
  • 13. Visão Religiosa  Com o formular da lei da gravitação universal, Newton aproximou-se do Clero.  Newton possuía uma extensa biblioteca de teologia e filosofia ao seu dispor, desde estudos de línguas até todos os tipos de literatura clássica e bíblica, o que pode ter vitalizado seu espírito para inspiradoras abstrações. Newton foi influenciado pela política e acabou não se ordenando clérigo, mas permaneceu fiel à sua crença no Universo, embora tenha comportado-se como cristão anglicano, na capela do Trinity Colege e, mais tarde, em Londres. Iniciou uma série de correspondências com o filósofo John Locke.  Entre suas obras teológicas, destacam-se An Historical Account of Two Notable Corruption of Scriptures, Chronology of Ancient Kingdoms Atended e Observations upon the Prophecies. Considerava que a mecânica celeste era governada pela gravitação universal e, principalmente, por Deus, sobre o qual relata: "A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isto fica sendo a minha última e mais elevada descoberta."
  • 14. Pontos de vista do fim do mundo  Num manuscrito que escreveu em 1704 no qual ele descreve sua tentativa de extrair informações científicas a partir da Bíblia, ele estima que o mundo não iria terminar antes de 2060.  Em 2007, a Biblioteca Nacional de Israel divulgou três manuscritos atribuídos a Isaac Newton nos quais ele calcula a data aproximada do apocalipse, relacionando profecias com história política e religiosa europeia daquela época. Num dos manuscritos (início do século XVIII), Newton, por meio de análise dos textos bíblicos do Livro de Daniel (do antigo testamento), conclui que o mundo deveria acabar por volta do ano de 2060, ao escrever "Ele pode acabar além desta data, mas não há razão para acabar antes”. "Newton," retratado por William Blake como um grande geometer divino.
  • 15. O Movimento Rosa Cruz  A sociedade secreta dos Rosa Cruz, foi talvez a que maior influência exerceu sobre Newton.  O movimento teve uma grande influência sobre Newton, particularmente nas pesquisas sobre alquimia e filosofia.  A crença Rosa Cruz de serem especialmente escolhidos para comunicarem com os anjos ou espíritos ecoa nas crenças proféticas de Newton.  Tal como Newton, os Rosa Cruz foram verdadeiros filósofos místicos, cristãos e altamente politizados. Newton teve muito interesse nas pesquisas sobre alquimia, mas também nos ensinamentos esotéricos antigos e na crença em indivíduos iluminados com a habilidade de conhecer a natureza, o universo e o reino espiritual.
  • 16. Realizações - Resumo  Em 1663, formulou o teorema hoje conhecido como Binômio de Newton. Fez umas primeiras hipóteses sobre gravitação universal e escreveu sobre séries infinitas e o que chamou de teoria das fluxões (1665), o embrião do Cálculo Diferencial e Integral.  Em 1666, construiu quatro de suas principais descobertas: o Teorema Binomial, o cálculo, a lei da gravitação universal e a natureza das cores.  Em 1668, construiu o primeiro telescópio de reflexão, e foi o primeiro a observar o espectro visível.  Em 1675, enunciou a teoria corpuscular de propagação da luz contrariando a teoria ondulatória de Huygens.
  • 17. Últimos anos  Newton foi respeitado como nenhum outro cientista e marcou uma revolução científica através da sua obra.  Seus estudos foram como chaves que abriram portas para diversas áreas do conhecimento cujo acesso era impossível antes de Newton.  Newton morreu em 20 de março de 1727 com problemas renais, em Londres, alguns afirmam ter morrido virgem.  Reza a lenda que ao avaliar a sua carreira científica, Isaac Newton terá dito certa vez: "Tenho a impressão de ter sido uma criança a brincar à beira-mar, divertindo-me a descobrir uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais bonita que as outras, enquanto o imenso oceano da verdade continuou misterioso diante dos meus olhos". Sepultura de Newton na abadia de Westminster.
  • 18. Curiosidades  Os rosa Cruz proclamavam também ter a habilidade de viver para sempre usando o elixir vitae e a habilidade de produzir um sem limite de quantidade de ouro a partir do uso da Pedra Filosofal, a qual diziam possuir.  Ao morrer, a Biblioteca de Newton apresentava 169 livros sobre o tópico da alquimia, e acreditava-se que teria consideravelmente mais livros durante os anos de formação em Cambridge, embora possivelmente os tenha vendido antes de mudar-se para Londres em 1696.  Philosophiae naturalis principia mathematica, foi provavelmente o livro de ciências de maior influência já publicado.
  • 19. “A nAturezA e As leis dA nAturezA estavam imersas em trevas; Deus disse "Haja Newton" e tudo se iluminou.” Alexander Pope