SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
As Sete Quedas Há 25 anos, Sete Quedas desaparecia e ficava para sempre na nossa memória.  Organizado por Elô Steffens 20 de Agosto de 2008
Visão geral do parque ,[object Object]
Na década de 1950 a cidade de Guaíra começava a se despontar. No detalhe esquerdo superior, o local onde ficavam as quedas.  Era impossível passar pelas Sete Quedas sem realizar uma foto.  Pracinhas do exército aproveitavam o momento de descanso também para conhecer o monumento natural.  Para aproveitar o potencial do Rio Paraná a 5ª Companhia de Fronteira construiu uma usina hidroelétrica aproveitando uma das quedas. 
Por muitos anos a usina foi o principal gerador de energia da cidade de Guaíra.  Apesar de rústicas, as pontes duraram até os últimos dias das Sete Quedas.  1960- O Brasil vivia o final de um ciclo de glamour, mal sabiam as pessoas que o fim das Sete Quedas estava sendo tramado nos bastidores da política.  O Rio Paraná se prolongava ainda por mais uns 40 quilômetros em meio a corredeiras e pedras.
Irmãs do RS visitando as Sete Quedas No começo não havia muitas pontes, e os turistas apreciavam a beleza de mirantes.   Logo no início as quedas se destacaram por sua beleza inigualável .
Haviam apenas algumas pontes de ferro .  As primeira pontes foram construídas pela empresa Mate Laranjeira, na década de 1920.   A maioria eram pontes pênsil.  A ponte do Salto 19 foi a que caiu em 1982 matando 26 pessoas.
Apesar do perigo os passeios pelas pontes geravam momentos muito agradáveis.
O "Canalão" era um espetáculo de som e imagem, toda a água do Rio Paraná correndo por um só lugar.  Ponte pênsil presidente Roosevelt, a maior das Sete Quedas com 115 m de comprimento.  O tumulto era geral, filas infindáveis de pessoas querendo dar o seu último adeus.
A tragédia Com o grande movimento, veio a tragédia, a ponte do Salto 19 não agüentou e caiu, matando dezenas de pessoas.  O índio  Como era o responsável pela manutenção das pontes no parque, injustamente o índio Perimar Maraguaia Porã foi acusado. Foi preso, mas libertado tempos depois por falta de prova. 
As caravanas  Primeiro eram pequenas caravanas, depois o parque já não suportava o grande número de visitantes.  Até mesmo o presidente João Figueiredo, veio em 1982 dar o seu último adeus.  João Figueiredo afirmou: "Se eu salvar Sete Quedas, o que vou fazer com aquela tremenda construção de Itaipu?"
No dia 13 de outubro de 1982, com o fechamento das comportas da barragem de Itaipu, começava a lenta agonia das cataratas de Guaíra.  A beira do rio, as águas foram tomando os bares, quiosques e construções. A imagem turística de outrora, fora substituída pela a da hecatombe.  Todos os acessos ao parque foram fechados, lentamente as águas foram subindo e sufocando, as cachoeiras, os animais, as árvores e a população de Guaíra. 
Aos poucos, a população foi ficando isolada das Sete Quedas, que desapareceu, sozinha, sem o olhar do seu público, que durante anos a prestigiou.  A última imagem No final do ano de 1982, quando enfim as águas subiram, somente uma estrada fazia lembrar que ali, naquele lugar, existira uma das maiores belezas naturais do mundo. 
Logo após a submersão das cataratas sobraram apenas algumas árvores. Só com a enumeração é possível saber onde ficavam as cachoeiras.  A sepultura Atualmente um longo espelho de água ocupa o lugar que um dia foi Sete Quedas.
O poema de Carlos Drumond de Andrade Em 1982, às vésperas dos 80 anos, o poeta expressa sua inconformidade com a destruição do Salto de Sete Quedas, um patrimônio natural do Brasil e da humanidade. 
Itaipu  A  Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional  é uma usina hidrelétrica binacional construída pelo Brasil e pelo Paraguai no rio Paraná, no trecho de fronteira entre os dois países, 14 quilômetros ao norte da Ponte da Amizade. A área do projeto se estende desde Foz do Iguaçu, no Brasil, e Cidad del Este, no Paraguai, ao sul, até Guaíra (Brasil) e Salto del Guairá (Paraguai), ao norte. A potência instalada da Usina é de 14.000 MW (megawatts), com 20 unidades geradoras de 700 MW. No ano 2000, a usina atingiu o seu recorde de produção de 93,4 bilhões de quilowatts-hora ( kWh ), sendo responsável pela geração de 95% da energia elétrica consumida no Paraguai e 24% de toda a demanda do mercado brasileiro. A energia gerada por Itaipu e destinada ao Brasil é transmitida pela empresa  Furnas  Centrais Elétricas S.A. No município de Manoel Ribas - PR, através de uma subestação rebaixadora (750 kV/550 kV), chamada Ivaiporã, 15% da energia gerada por Itaipu é entregue à Eletrosul Centrais Elétricas S.A. Cabe à Eletrosul, entre outras funções, a transmissão desta energia às concessionárias do sul do Brasil e ao estado do Mato Grosso do Sul.
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Eixo que acopla a turbina ao gerador
Negociações entre Brasil e Paraguai  ,[object Object]
Início da obra  ,[object Object]
[object Object],O custo da obra
Surgimento do reservatório  ,[object Object]
Início das operações  ,[object Object]
Sala de controle
Dados curiosos  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
 
Um dos nove geradores
 
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Proteção de periferia de laje
Proteção de periferia de lajeProteção de periferia de laje
Proteção de periferia de laje
Valdivino Alves
 
O império holandês e inglês
O império holandês e inglêsO império holandês e inglês
O império holandês e inglês
DiogoChico8c
 
PPT - Expansão Territorial Brasileira
PPT - Expansão Territorial BrasileiraPPT - Expansão Territorial Brasileira
PPT - Expansão Territorial Brasileira
josafaslima
 
A Independência da Índia
A Independência da ÍndiaA Independência da Índia
A Independência da Índia
Mariana Maia
 
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
João Virgilio
 
Recursos hídricos
Recursos hídricosRecursos hídricos
Recursos hídricos
Ingrid Bispo
 

Mais procurados (20)

Proteção de periferia de laje
Proteção de periferia de lajeProteção de periferia de laje
Proteção de periferia de laje
 
Onu e guerra fria- 9° ano Cap.7
Onu e guerra fria- 9° ano Cap.7Onu e guerra fria- 9° ano Cap.7
Onu e guerra fria- 9° ano Cap.7
 
Sistemas dunares
Sistemas dunaresSistemas dunares
Sistemas dunares
 
O império holandês e inglês
O império holandês e inglêsO império holandês e inglês
O império holandês e inglês
 
Capitanias hereditarias
Capitanias hereditariasCapitanias hereditarias
Capitanias hereditarias
 
PPT - Expansão Territorial Brasileira
PPT - Expansão Territorial BrasileiraPPT - Expansão Territorial Brasileira
PPT - Expansão Territorial Brasileira
 
Os tratados de limites
Os tratados de limitesOs tratados de limites
Os tratados de limites
 
A Independência da Índia
A Independência da ÍndiaA Independência da Índia
A Independência da Índia
 
Guerra civil americana
Guerra civil americanaGuerra civil americana
Guerra civil americana
 
Esquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civilEsquadrias - Construção civil
Esquadrias - Construção civil
 
Parque Natural do Vale do Guadiana
Parque Natural do Vale do GuadianaParque Natural do Vale do Guadiana
Parque Natural do Vale do Guadiana
 
Silvicultura
SilviculturaSilvicultura
Silvicultura
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
 
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
Nbr15575 - Desempenho nas Edificações
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
A colonização da américa
A colonização da américaA colonização da américa
A colonização da américa
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Código Florestal - Reserva Legal
Código Florestal - Reserva LegalCódigo Florestal - Reserva Legal
Código Florestal - Reserva Legal
 
Recursos hídricos
Recursos hídricosRecursos hídricos
Recursos hídricos
 
Maçons na Independência do Brasil
Maçons na Independência do BrasilMaçons na Independência do Brasil
Maçons na Independência do Brasil
 

Destaque

Sete Quedas
Sete QuedasSete Quedas
Sete Quedas
MERCIO
 
Itaipu
ItaipuItaipu
Itaipu
MERCIO
 
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
roxana_feldman
 
Trabajo con CamStudio
Trabajo con CamStudioTrabajo con CamStudio
Trabajo con CamStudio
rabressan
 
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internetApresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
Wesley Barbosa
 
Palavras cruzadas revolução francesa
Palavras cruzadas revolução francesaPalavras cruzadas revolução francesa
Palavras cruzadas revolução francesa
Doug Caesar
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
Professor
 

Destaque (20)

Sete Quedas
Sete QuedasSete Quedas
Sete Quedas
 
Itaipu Mitos e Fatos
Itaipu Mitos e FatosItaipu Mitos e Fatos
Itaipu Mitos e Fatos
 
Presentación Yacyreta
Presentación YacyretaPresentación Yacyreta
Presentación Yacyreta
 
Itaipu
ItaipuItaipu
Itaipu
 
Represa de Itaipu
Represa de ItaipuRepresa de Itaipu
Represa de Itaipu
 
Represa de itaipú.
Represa  de itaipú.Represa  de itaipú.
Represa de itaipú.
 
Metodologia energia
Metodologia energiaMetodologia energia
Metodologia energia
 
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
Entidad Binacional Yacyretá (Power Point Nº4)
 
Yacyreta
YacyretaYacyreta
Yacyreta
 
Trabajo con CamStudio
Trabajo con CamStudioTrabajo con CamStudio
Trabajo con CamStudio
 
Represa hidroeléctrica
Represa hidroeléctricaRepresa hidroeléctrica
Represa hidroeléctrica
 
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internetApresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
Apresentação atria kits residenciais e comerciais (colocar senha) final internet
 
Os quatro brasis
Os quatro brasisOs quatro brasis
Os quatro brasis
 
Apresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solarApresentação sobre energia eólica e solar
Apresentação sobre energia eólica e solar
 
Guia tecnico-manual-energia-fotovoltaica
Guia tecnico-manual-energia-fotovoltaicaGuia tecnico-manual-energia-fotovoltaica
Guia tecnico-manual-energia-fotovoltaica
 
Palavras cruzadas revolução francesa
Palavras cruzadas revolução francesaPalavras cruzadas revolução francesa
Palavras cruzadas revolução francesa
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
Energia eólica
Energia eólicaEnergia eólica
Energia eólica
 
Energia Eólica
Energia EólicaEnergia Eólica
Energia Eólica
 

Semelhante a As sete quedas e Itaipu

Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
geografia do G.J.P
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
geografia do G.J.P
 
Energia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aulaEnergia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aula
humanascurso
 
Maravilhasdo S Xi
Maravilhasdo S XiMaravilhasdo S Xi
Maravilhasdo S Xi
AN7ONYO
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
Delmir Fernandes
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
Delmir Fernandes
 

Semelhante a As sete quedas e Itaipu (20)

O brasil sob o regime militar
O brasil sob o regime militarO brasil sob o regime militar
O brasil sob o regime militar
 
Regime militar no brasil
Regime militar no brasil Regime militar no brasil
Regime militar no brasil
 
CONSTRUÇÃO DE ITAIPU
CONSTRUÇÃO DE ITAIPUCONSTRUÇÃO DE ITAIPU
CONSTRUÇÃO DE ITAIPU
 
O Brasil sob o regime militar
O Brasil sob o regime militarO Brasil sob o regime militar
O Brasil sob o regime militar
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
 
Energia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aulaEnergia e meio ambiente- 3ª aula
Energia e meio ambiente- 3ª aula
 
O mar de minas
O mar de minasO mar de minas
O mar de minas
 
Maravilhasdo S Xi
Maravilhasdo S XiMaravilhasdo S Xi
Maravilhasdo S Xi
 
Maravilhasdo S Xi.Pps Hh
Maravilhasdo S Xi.Pps HhMaravilhasdo S Xi.Pps Hh
Maravilhasdo S Xi.Pps Hh
 
LIGAÇÃO IBICUI JACUI
LIGAÇÃO IBICUI JACUILIGAÇÃO IBICUI JACUI
LIGAÇÃO IBICUI JACUI
 
Eletrica usinas
Eletrica usinasEletrica usinas
Eletrica usinas
 
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXIMARAVILHAS DO SÉCULO XXI
MARAVILHAS DO SÉCULO XXI
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
 
Viagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e PiratubaViagem para Machadinho e Piratuba
Viagem para Machadinho e Piratuba
 
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - VertedouroLagoa da Pampulha - Vertedouro
Lagoa da Pampulha - Vertedouro
 
Maravilhas
MaravilhasMaravilhas
Maravilhas
 
curriculo
curriculocurriculo
curriculo
 
Histórico e evolução da cana
Histórico e evolução da canaHistórico e evolução da cana
Histórico e evolução da cana
 
Histórico e evolução da cana
Histórico e evolução da canaHistórico e evolução da cana
Histórico e evolução da cana
 

Mais de Elô Steffens

Meios de orientação
Meios de orientaçãoMeios de orientação
Meios de orientação
Elô Steffens
 

Mais de Elô Steffens (11)

Natura
NaturaNatura
Natura
 
Ilhas oceânicas brasileiras (2)
Ilhas oceânicas  brasileiras (2)Ilhas oceânicas  brasileiras (2)
Ilhas oceânicas brasileiras (2)
 
Meios de orientação
Meios de orientaçãoMeios de orientação
Meios de orientação
 
Imagens do terremoto no Chile
Imagens do terremoto no ChileImagens do terremoto no Chile
Imagens do terremoto no Chile
 
A estrutura da terra
A estrutura da terraA estrutura da terra
A estrutura da terra
 
Vulcões
VulcõesVulcões
Vulcões
 
Os continentes, ilhas e oceanos
Os continentes, ilhas e oceanosOs continentes, ilhas e oceanos
Os continentes, ilhas e oceanos
 
Antártida
AntártidaAntártida
Antártida
 
Rede urbana
Rede urbanaRede urbana
Rede urbana
 
São Paulo
São PauloSão Paulo
São Paulo
 
Dubai
DubaiDubai
Dubai
 

As sete quedas e Itaipu

  • 1. As Sete Quedas Há 25 anos, Sete Quedas desaparecia e ficava para sempre na nossa memória. Organizado por Elô Steffens 20 de Agosto de 2008
  • 2.
  • 3. Na década de 1950 a cidade de Guaíra começava a se despontar. No detalhe esquerdo superior, o local onde ficavam as quedas.  Era impossível passar pelas Sete Quedas sem realizar uma foto. Pracinhas do exército aproveitavam o momento de descanso também para conhecer o monumento natural. Para aproveitar o potencial do Rio Paraná a 5ª Companhia de Fronteira construiu uma usina hidroelétrica aproveitando uma das quedas. 
  • 4. Por muitos anos a usina foi o principal gerador de energia da cidade de Guaíra. Apesar de rústicas, as pontes duraram até os últimos dias das Sete Quedas. 1960- O Brasil vivia o final de um ciclo de glamour, mal sabiam as pessoas que o fim das Sete Quedas estava sendo tramado nos bastidores da política.  O Rio Paraná se prolongava ainda por mais uns 40 quilômetros em meio a corredeiras e pedras.
  • 5. Irmãs do RS visitando as Sete Quedas No começo não havia muitas pontes, e os turistas apreciavam a beleza de mirantes. Logo no início as quedas se destacaram por sua beleza inigualável .
  • 6. Haviam apenas algumas pontes de ferro . As primeira pontes foram construídas pela empresa Mate Laranjeira, na década de 1920. A maioria eram pontes pênsil. A ponte do Salto 19 foi a que caiu em 1982 matando 26 pessoas.
  • 7. Apesar do perigo os passeios pelas pontes geravam momentos muito agradáveis.
  • 8. O "Canalão" era um espetáculo de som e imagem, toda a água do Rio Paraná correndo por um só lugar.  Ponte pênsil presidente Roosevelt, a maior das Sete Quedas com 115 m de comprimento. O tumulto era geral, filas infindáveis de pessoas querendo dar o seu último adeus.
  • 9. A tragédia Com o grande movimento, veio a tragédia, a ponte do Salto 19 não agüentou e caiu, matando dezenas de pessoas.  O índio Como era o responsável pela manutenção das pontes no parque, injustamente o índio Perimar Maraguaia Porã foi acusado. Foi preso, mas libertado tempos depois por falta de prova. 
  • 10. As caravanas Primeiro eram pequenas caravanas, depois o parque já não suportava o grande número de visitantes.  Até mesmo o presidente João Figueiredo, veio em 1982 dar o seu último adeus. João Figueiredo afirmou: "Se eu salvar Sete Quedas, o que vou fazer com aquela tremenda construção de Itaipu?"
  • 11. No dia 13 de outubro de 1982, com o fechamento das comportas da barragem de Itaipu, começava a lenta agonia das cataratas de Guaíra.  A beira do rio, as águas foram tomando os bares, quiosques e construções. A imagem turística de outrora, fora substituída pela a da hecatombe.  Todos os acessos ao parque foram fechados, lentamente as águas foram subindo e sufocando, as cachoeiras, os animais, as árvores e a população de Guaíra. 
  • 12. Aos poucos, a população foi ficando isolada das Sete Quedas, que desapareceu, sozinha, sem o olhar do seu público, que durante anos a prestigiou.  A última imagem No final do ano de 1982, quando enfim as águas subiram, somente uma estrada fazia lembrar que ali, naquele lugar, existira uma das maiores belezas naturais do mundo. 
  • 13. Logo após a submersão das cataratas sobraram apenas algumas árvores. Só com a enumeração é possível saber onde ficavam as cachoeiras.  A sepultura Atualmente um longo espelho de água ocupa o lugar que um dia foi Sete Quedas.
  • 14. O poema de Carlos Drumond de Andrade Em 1982, às vésperas dos 80 anos, o poeta expressa sua inconformidade com a destruição do Salto de Sete Quedas, um patrimônio natural do Brasil e da humanidade. 
  • 15. Itaipu A Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional é uma usina hidrelétrica binacional construída pelo Brasil e pelo Paraguai no rio Paraná, no trecho de fronteira entre os dois países, 14 quilômetros ao norte da Ponte da Amizade. A área do projeto se estende desde Foz do Iguaçu, no Brasil, e Cidad del Este, no Paraguai, ao sul, até Guaíra (Brasil) e Salto del Guairá (Paraguai), ao norte. A potência instalada da Usina é de 14.000 MW (megawatts), com 20 unidades geradoras de 700 MW. No ano 2000, a usina atingiu o seu recorde de produção de 93,4 bilhões de quilowatts-hora ( kWh ), sendo responsável pela geração de 95% da energia elétrica consumida no Paraguai e 24% de toda a demanda do mercado brasileiro. A energia gerada por Itaipu e destinada ao Brasil é transmitida pela empresa Furnas Centrais Elétricas S.A. No município de Manoel Ribas - PR, através de uma subestação rebaixadora (750 kV/550 kV), chamada Ivaiporã, 15% da energia gerada por Itaipu é entregue à Eletrosul Centrais Elétricas S.A. Cabe à Eletrosul, entre outras funções, a transmissão desta energia às concessionárias do sul do Brasil e ao estado do Mato Grosso do Sul.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 23.
  • 24.  
  • 25. Um dos nove geradores
  • 26.  
  • 27.