SlideShare uma empresa Scribd logo
Energia e Meio-ambiente
•Energia é a capacidade de se realizar trabalho

• A história da energia é tão antiga quanto a humanidade. Já na pré-
história, o homem usava o fogo produzido pela queda de raios
para se defender de animais, aquecer-se e iluminar os acampamentos.

• Posteriormente, o homem utilizará o fogo para fundir metais, sendo o
primeiro, o cobre. Posteriormente, se inventa a liga de cobre e estanho,
criando-se o bronze. A fundição do ferro marca um estágio superior nas
Sociedades.
A grande revolução no uso da energia, entretanto, se dará a partir da invenção
  da máquina a vapor, por James Watt, no século XVIII.


                              A maquina a vapor fez do carvão a principal fonte
                              de energia do século XVIII. Imensas florestas serão
                              abatidas, sobretudo na Inglaterra, para que a madeira
                              seja usada na produção do vapor.

                              Os rios serão poluídos, pois as indústrias jogavam seus
                              dejetos industriais nas águas.

A partir do advento da ferrovia e dos barcos a vapor, nos meados do século XIX, o
consumo do carvão só aumenta, o que faz com que, a existência de grandes bacias
carboníferas torne-se uma exigência para o crescimento industrial.
Mas a grande revolução em termos do uso da energia se dá com o petróleo, que passa
a ser explorado em escala comercial a partir da segunda metade do século XIX.

A primeira grande utilização do petróleo foi para produzir querosene, substituindo o
óleo de baleia
A invenção do automóvel por Benz e Daimler entre 1885 e 1888, revolucionariam
a utilização do petróleo.Mais tarde, quando Henry Ford criou a primeira linha de
montagem com o Ford T, a produção de petróleo teve que aumentar para dar conta
da demanda sempre crescente
Mas foram as duas Grandes Guerras que impulsionaram enormemente o consumo do
petróleo. A produção e o consumo mundiais atingem picos nunca antes vistos. Se a produção,
até 1930 não alcançava 10 milhões de barris por dia, 20 anos depois superava os 2 milhões.

Com uma produção mundial que supera os 60 milhões/dia , o petróleo tornou-se uma das
mais importantes fontes energéticas do planeta, presente na composição de milhares de
produtos, desde roupas a medicamentos.

Como a maioria dos recursos naturais, o petróleo esta mal distribuído na superfície da Terra.




.
Em 1973, o mundo passa ria por uma de suas principais crises econômicas: a crise do
petróleo em decorrência dos conflitos do Oriente Médio.

Os países produtores não se conformavam com o apoio do Ocidente aos israelenses
na Guerra do Yom kipur (6 a 20 de outubro de 1973).
Cronologia da Crise
1970: o petróleo saudita é fixado a US$ 1,80 o
barril, segundo dados do Departamento de
Energia dos Estados Unidos.

1974: o preço de compra para as refinarias
passa dos US$ 10 o barril, após o primeiro
choque do petróleo (Embargo da Opep
durante a guerra do Yom Kippur).

1979: o petróleo importado supera os US$ 20,
imediatamente após a explosão da Revolução
iraniana, que provoca o segundo choque do
petróleo




   “Red flag” em um posto de gasolina
   no estado do Oregon em 1973
As Consequências da Crise na Perspectiva da Produção de Energia
Um Mundo Elétrico
Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estas são as dez maiores
usinas hidrelétricas do mundo, em capacidade de produção de eletricidade.

1º. Três Gargantas (China): 18.200 megawatts (MW)
2º. Itaipu (Brasil/Paraguai): 14.000 MW
3º. Belo Monte (Brasil): 11.233 MW [Em construção]
4º. Guri (Venezuela): 10.000 MW
5º. Tucuruí I e II (Brasil): 8.370MW
6º. Grand Coulee (EUA): 6.494 MW
7º. Sayano-Shushenskaya (Rússia): 6.400 MW
8º. Krasnoyarsk (Rússia): 6.000 MW
9º. Churchill Falls (Canadá): 5.428 MW
10º. La Grande 2 (Canadá): 5.328 MW
Matrizes Energéticas no Brasil
Pos.   Nome                               Rio                 Estado              Capacidade

01     Usina Hidrelétrica de Itaipu       Rio Paraná          Paraná              14.000 MW



02     Usina Hidrelétrica de Belo Monte Rio Xingu             Pará                11.233 MW



       Usina Hidrelétrica São Luiz do
03                                        Rio Tapajós         Pará                8.381 MW (projetada)
       Tapajós



04     Usina Hidrelétrica de Tucuruí      Rio Tocantins       Pará                8.370 MW



05     Usina Hidrelétrica de Jirau        Rio Madeira         Rondônia            3.750 MW [1]



06     Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira Rio Paraná         São Paulo           3.444 MW



07     Usina Hidrelétrica de Xingó        Rio São Francisco   Alagoas e Sergipe   3.162 MW



08     Usina Hidrelétrica Santo Antônio   Rio Madeira         Rondônia            3.150 MW



09     Usina Hidrelétrica de Foz do Areia Rio Iguaçu          Paraná              2.511 MW



       Usina Hidrelétrica de Paulo
10                                        Rio São Francisco   Bahia               2.462 MW
       Afonso
VANTAGENS:

• É uma energia limpa, ou seja, não emite gases poluentes da queima de combustível
• É uma energia renovável, ele se renova eternamente, assim não há preocupações com o seu
esgotamento.
• É uma fonte de energia barata.
• No Brasil, por exemplo, é uma boa opção por causa da quantidade de recursos fluviais
disponíveis com grande vazão e por causa dos vários acidentes geográficos
(montanhas, cachoeiras…).
• Não há gasto com combustível

DESVANTAGENS:

• Para fazer uma hidrelétrica é necessário fazer um lago artificial, o que inunda grandes áreas de
 biomas naturais (florestas, savanas…)
• Devido à decomposição da vegetação submersa são emitidas consideráveis quantidades
de metano que contribui 21 vezes mais com o aquecimento global que o metano.
• É necessária a mudança de local das pessoas que moram nos territórios que sediarão a usina.
 No Brasil mais de 330 mil pessoas já saíram de suas casas por esse motivo.
A crise ocorreu por uma soma de fatores: as poucas chuvas, a falta de planejamento
e ausência de investimentos em geração e distribuição de energia. Com a escassez de chuva,
o nível de água dos reservatórios das hidroelétricas baixou e os brasileiros foram
obrigados a racionar energia;

Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) publicada em 15 de julho de 2009
mostrou que o apagão elétrico gerou um prejuízo ao Tesouro de R$ 45,2 bilhões.
Como forma de prevenção a novos problemas de geração de energia elétrica, o governo federal,
em 21 de julho de 2001, iniciou imenso programa de investimentos em uma rede de usinas
termoelétricas, movidas a gás, carvão e óleo combustível e que não dependem do ciclo das
águas. Essa rede de usinas, segundo o governo, daria flexibilidade para o sistema e serviria de
back-up em épocas de secas, complementando o sistema
usina termoelétrica é uma instalação industrial usada para geração de energia
elétrica/eletricidade apartir da energia liberada por qualquer produto que possa gerar calor,
como bagaço de diversos tipos de planta, restos de madeira, óleo combustível, óleo diesel, gás
natural, urânio enriquecido e carvão natural.
Assim como na energia hidrelétrica, em que um gerador, impulsionado pela água, gira,
transformando a energia potencial em energia elétrica, nas termelétricas a fonte de calor
aquece uma caldeira com água gerando vapor d’água em alta pressão, e o vapor move as pás
da turbina do gerador.
A procura da tecnologia nuclear no Brasil começou na década de 50. A decisão da
implementação de uma usina termonuclear no Brasil aconteceu de fato em 1969, quando foi
delegado a Furnas Centrais Elétricas SA a incumbência de construir nossa primeira usina nuclear.
É muito fácil concluir que em nenhum momento se pensou numa fonte para substituir a energia
hidráulica, da mesma maneira que também após alguns anos, ficou bem claro que os objetivos
não eram simplesmente o domínio de uma nova tecnologia. Estávamos vivendo dentro de um
regime de governo militar e o acesso ao conhecimento tecnológico no campo nuclear permitiria
desenvolver não só submarinos nucleares mas armas atômicas. O Programa Nuclear Paralelo,
somente divulgado alguns anos mais tarde, deixou bem claro as intenções do país em dominar o
ciclo do combustível nuclear, tecnologia esta somente do conhecimento de poucos países no
mundo.
Angra 1 encontra-se em operação desde 1982 e fornece ao sistema elétrico brasileiro uma
potência de 657 MW. Angra 2, após longos períodos de paralisação nas obras, inicia sua
geração entregando ao sistema elétrico mais 1300 MW, o dobro de Angra 1.
As obras de conclusão de Angra 3 paralisadas em 1986, foram incluídas no Programa de
Aceleração do Crescimento – PAC em 2010. A obra já recebeu a Licença de Instalação do
IBAMA e a Licença de Construção Preliminar da CNEN.
O início oficial das obras ocorreu em 1 de junho de 2010, e a previsão para a entrada em
operação da usina é 2015.
Vantagens :

 o combustível é barato e pouco (em comparação com outras fontes de energia)
 independe de condições ambientais/climáticas (não depende do sol, como usinas solares, ou
da vazão de um rio, no caso das hidroelétricas)
 a poluição gerada (diretamente) é quase inexistente.
Não ocupa grandes áreas.
A quantidade de lixo produzido é bem reduzido. O custo da energia gerada fica em torno de
40 dólares por MW, mais caro que a energia das hidroelétricas, mas mais barato que a energia
das termoelétricas, usinas solares, eólica, etc.

Desvantagens:

Alto custo de construção, em razão da tecnologia e segurança empregadas
 Mesmo com todos os sistemas de segurança, há sempre o risco do reator vazar ou explodir,
liberando radioatividade na atmosfera e nas terras próximas, num raio de quilômetros.
Não existem soluções eficientes para tratamento do lixo radioativo, que atualmente é
depositado em desertos, fundo de oceanos ou dentro de montanhas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Fernanda Lopes
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Artur Lara
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
Edivan Costa
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
Sérgio Luiz
 
Usina termoelétrica
Usina termoelétricaUsina termoelétrica
Usina termoelétrica
Stefany Karolay
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
Rodrigo Pavesi
 
Energia limpa uma questão de necessidade
Energia limpa   uma questão de necessidadeEnergia limpa   uma questão de necessidade
Energia limpa uma questão de necessidade
Nataliana Cabral
 
Aula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energiaAula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energia
João Paulo Luna
 
Fontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasilFontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasil
João José Ferreira Tojal
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
Diogo Mateus
 
Termelétricas
TermelétricasTermelétricas
Termelétricas
Gunter Martin Wust
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia Hidréletrica
Energia HidréletricaEnergia Hidréletrica
Energia Hidréletrica
Paulino Lopes
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
Wanessa Veloso
 
Brasil – matriz energética
Brasil – matriz energéticaBrasil – matriz energética
Brasil – matriz energética
Bruno Rangel Silvone
 
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
Larissa Barreis
 
Fontes de energia completo - g4 certo
Fontes de energia   completo - g4 certoFontes de energia   completo - g4 certo
Fontes de energia completo - g4 certo
blog_setimaf
 
Fontes de energia.
Fontes de energia.Fontes de energia.
Fontes de energia.
Robs
 
Fontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveisFontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveis
Renan Gonçalves Donha
 
Hidrelétricas
HidrelétricasHidrelétricas
Hidrelétricas
Cláudia Melchíades
 

Mais procurados (20)

Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Matriz energética brasileira
Matriz energética brasileiraMatriz energética brasileira
Matriz energética brasileira
 
Recursos Naturais
Recursos NaturaisRecursos Naturais
Recursos Naturais
 
Usina termoelétrica
Usina termoelétricaUsina termoelétrica
Usina termoelétrica
 
Fontes de Energia
Fontes de EnergiaFontes de Energia
Fontes de Energia
 
Energia limpa uma questão de necessidade
Energia limpa   uma questão de necessidadeEnergia limpa   uma questão de necessidade
Energia limpa uma questão de necessidade
 
Aula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energiaAula 3 - Transformação de energia
Aula 3 - Transformação de energia
 
Fontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasilFontes de energia do brasil
Fontes de energia do brasil
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Termelétricas
TermelétricasTermelétricas
Termelétricas
 
Energia
EnergiaEnergia
Energia
 
Energia Hidréletrica
Energia HidréletricaEnergia Hidréletrica
Energia Hidréletrica
 
Energia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovávelEnergia renovável e não renovável
Energia renovável e não renovável
 
Brasil – matriz energética
Brasil – matriz energéticaBrasil – matriz energética
Brasil – matriz energética
 
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
Hidrelétricas - Para que servem, como funcionam, vantagens e desvantagens, cu...
 
Fontes de energia completo - g4 certo
Fontes de energia   completo - g4 certoFontes de energia   completo - g4 certo
Fontes de energia completo - g4 certo
 
Fontes de energia.
Fontes de energia.Fontes de energia.
Fontes de energia.
 
Fontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveisFontes de energia renováveis
Fontes de energia renováveis
 
Hidrelétricas
HidrelétricasHidrelétricas
Hidrelétricas
 

Destaque

Energia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slideEnergia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slide
google
 
Energia e meio ambiente
Energia e meio ambienteEnergia e meio ambiente
Energia e meio ambiente
Renan Lopes
 
Tipos de Energia
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
Pibid Física
 
Slideshare energia
Slideshare energiaSlideshare energia
Slideshare energia
vilmara-teixeira
 
Energia limpa 22
Energia limpa 22Energia limpa 22
Energia limpa 22
Mariana Rocha da Silva
 
Energia limpa
Energia limpaEnergia limpa
Energia limpa
Glaudson Bastos, M.Sc
 
Economia e meio ambiente
Economia e meio ambienteEconomia e meio ambiente
Economia e meio ambiente
Hugo Aurelio
 
Energia X Desenvolvimento
Energia X DesenvolvimentoEnergia X Desenvolvimento
Energia X Desenvolvimento
Luiz Carlos
 
Energia e desenvolvimento (erica)
Energia e desenvolvimento (erica)Energia e desenvolvimento (erica)
Energia e desenvolvimento (erica)
Jrh Recursos Humanos Ltda
 
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia AmbientalFontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Zé Moleza
 
Conceptos de Economía Ambiental.
Conceptos de Economía Ambiental.Conceptos de Economía Ambiental.
Conceptos de Economía Ambiental.
Luis guaman conde
 
Recursos EnergéTicos Powerpoint
Recursos EnergéTicos PowerpointRecursos EnergéTicos Powerpoint
Recursos EnergéTicos Powerpoint
Sara Marques
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Energias Alternativas
Energias AlternativasEnergias Alternativas
Energias Alternativas
Dália Pereira
 
O homem e o meio ambiente bolinha
O homem e o meio ambiente   bolinhaO homem e o meio ambiente   bolinha
O homem e o meio ambiente bolinha
pedagogiaparaofuturo
 
Economía ambiental
Economía ambientalEconomía ambiental
Economía ambiental
danny
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
becresforte
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambiente
lizsantana
 
Economia ambiental
Economia ambientalEconomia ambiental
Economia ambiental
Luisbett P
 
Economia ambiental
Economia ambientalEconomia ambiental
Economia ambiental
pablosilas1005
 

Destaque (20)

Energia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slideEnergia e meio ambiente slide
Energia e meio ambiente slide
 
Energia e meio ambiente
Energia e meio ambienteEnergia e meio ambiente
Energia e meio ambiente
 
Tipos de Energia
Tipos de EnergiaTipos de Energia
Tipos de Energia
 
Slideshare energia
Slideshare energiaSlideshare energia
Slideshare energia
 
Energia limpa 22
Energia limpa 22Energia limpa 22
Energia limpa 22
 
Energia limpa
Energia limpaEnergia limpa
Energia limpa
 
Economia e meio ambiente
Economia e meio ambienteEconomia e meio ambiente
Economia e meio ambiente
 
Energia X Desenvolvimento
Energia X DesenvolvimentoEnergia X Desenvolvimento
Energia X Desenvolvimento
 
Energia e desenvolvimento (erica)
Energia e desenvolvimento (erica)Energia e desenvolvimento (erica)
Energia e desenvolvimento (erica)
 
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia AmbientalFontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
Fontes De Energia Alternativa / Engenharia Ambiental
 
Conceptos de Economía Ambiental.
Conceptos de Economía Ambiental.Conceptos de Economía Ambiental.
Conceptos de Economía Ambiental.
 
Recursos EnergéTicos Powerpoint
Recursos EnergéTicos PowerpointRecursos EnergéTicos Powerpoint
Recursos EnergéTicos Powerpoint
 
Aula 7
Aula 7Aula 7
Aula 7
 
Energias Alternativas
Energias AlternativasEnergias Alternativas
Energias Alternativas
 
O homem e o meio ambiente bolinha
O homem e o meio ambiente   bolinhaO homem e o meio ambiente   bolinha
O homem e o meio ambiente bolinha
 
Economía ambiental
Economía ambientalEconomía ambiental
Economía ambiental
 
A industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambientalA industrialização e o impacto ambiental
A industrialização e o impacto ambiental
 
Economia e Meio Ambiente
Economia e Meio AmbienteEconomia e Meio Ambiente
Economia e Meio Ambiente
 
Economia ambiental
Economia ambientalEconomia ambiental
Economia ambiental
 
Economia ambiental
Economia ambientalEconomia ambiental
Economia ambiental
 

Semelhante a Energia e meio ambiente- 3ª aula

Energia Elétrica Aula
Energia Elétrica AulaEnergia Elétrica Aula
Energia Elétrica Aula
Professor
 
Produçao de energia
Produçao de energia Produçao de energia
Produçao de energia
Bruna Ruiz
 
G9 energia nuclear e biomassa
G9   energia nuclear e biomassaG9   energia nuclear e biomassa
G9 energia nuclear e biomassa
cristbarb
 
Energia no Brasil
Energia no BrasilEnergia no Brasil
Energia no Brasil
Tamara Silva
 
Petróleo - Slides de geografia - 9°B
Petróleo  - Slides de geografia - 9°BPetróleo  - Slides de geografia - 9°B
Petróleo - Slides de geografia - 9°B
Nádya Dixon
 
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdffontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
AntonioEmanuel8
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
Instituto Yes
 
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIMFontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
raahsalemi
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
geografia do G.J.P
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
geografia do G.J.P
 
Fontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energiaFontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energia
gilmar0307
 
Fontes alternativas de energia washingtonzinho
Fontes alternativas de energia washingtonzinhoFontes alternativas de energia washingtonzinho
Fontes alternativas de energia washingtonzinho
gilmar0307
 
HidreléTricas E Meio Ambiente 2
HidreléTricas E Meio Ambiente 2HidreléTricas E Meio Ambiente 2
HidreléTricas E Meio Ambiente 2
guest10c94f
 
Fontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energiaFontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energia
gilmar0307
 
Eletrica usinas
Eletrica usinasEletrica usinas
Eletrica usinas
Bruna Farias
 
Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1
lgreggio10
 
Parte Geografica sobre usinas nucleares
Parte Geografica sobre usinas nuclearesParte Geografica sobre usinas nucleares
Parte Geografica sobre usinas nucleares
Gisele Da Fonseca
 
Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
Daniel Lucas
 
G8 trabalho de física
G8   trabalho de físicaG8   trabalho de física
G8 trabalho de física
cristbarb
 
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte iiA produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
Renata Rodrigues
 

Semelhante a Energia e meio ambiente- 3ª aula (20)

Energia Elétrica Aula
Energia Elétrica AulaEnergia Elétrica Aula
Energia Elétrica Aula
 
Produçao de energia
Produçao de energia Produçao de energia
Produçao de energia
 
G9 energia nuclear e biomassa
G9   energia nuclear e biomassaG9   energia nuclear e biomassa
G9 energia nuclear e biomassa
 
Energia no Brasil
Energia no BrasilEnergia no Brasil
Energia no Brasil
 
Petróleo - Slides de geografia - 9°B
Petróleo  - Slides de geografia - 9°BPetróleo  - Slides de geografia - 9°B
Petróleo - Slides de geografia - 9°B
 
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdffontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
fontesdeenergia-130927185116-phpapp01.pdf
 
Fontes de energia
Fontes de energiaFontes de energia
Fontes de energia
 
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIMFontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
Fontes de energia PROF BRUNO JOAQUIM
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
 
Usina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazôniaUsina hidrelétrica na amazônia
Usina hidrelétrica na amazônia
 
Fontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energiaFontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energia
 
Fontes alternativas de energia washingtonzinho
Fontes alternativas de energia washingtonzinhoFontes alternativas de energia washingtonzinho
Fontes alternativas de energia washingtonzinho
 
HidreléTricas E Meio Ambiente 2
HidreléTricas E Meio Ambiente 2HidreléTricas E Meio Ambiente 2
HidreléTricas E Meio Ambiente 2
 
Fontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energiaFontes alternativas de energia
Fontes alternativas de energia
 
Eletrica usinas
Eletrica usinasEletrica usinas
Eletrica usinas
 
Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1Aula fontes de energi1
Aula fontes de energi1
 
Parte Geografica sobre usinas nucleares
Parte Geografica sobre usinas nuclearesParte Geografica sobre usinas nucleares
Parte Geografica sobre usinas nucleares
 
Energias Renováveis
Energias RenováveisEnergias Renováveis
Energias Renováveis
 
G8 trabalho de física
G8   trabalho de físicaG8   trabalho de física
G8 trabalho de física
 
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte iiA produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil   parte ii
A produção mundial de energia e as fontes de energia no brasil parte ii
 

Energia e meio ambiente- 3ª aula

  • 2. •Energia é a capacidade de se realizar trabalho • A história da energia é tão antiga quanto a humanidade. Já na pré- história, o homem usava o fogo produzido pela queda de raios para se defender de animais, aquecer-se e iluminar os acampamentos. • Posteriormente, o homem utilizará o fogo para fundir metais, sendo o primeiro, o cobre. Posteriormente, se inventa a liga de cobre e estanho, criando-se o bronze. A fundição do ferro marca um estágio superior nas Sociedades.
  • 3. A grande revolução no uso da energia, entretanto, se dará a partir da invenção da máquina a vapor, por James Watt, no século XVIII. A maquina a vapor fez do carvão a principal fonte de energia do século XVIII. Imensas florestas serão abatidas, sobretudo na Inglaterra, para que a madeira seja usada na produção do vapor. Os rios serão poluídos, pois as indústrias jogavam seus dejetos industriais nas águas. A partir do advento da ferrovia e dos barcos a vapor, nos meados do século XIX, o consumo do carvão só aumenta, o que faz com que, a existência de grandes bacias carboníferas torne-se uma exigência para o crescimento industrial.
  • 4. Mas a grande revolução em termos do uso da energia se dá com o petróleo, que passa a ser explorado em escala comercial a partir da segunda metade do século XIX. A primeira grande utilização do petróleo foi para produzir querosene, substituindo o óleo de baleia
  • 5. A invenção do automóvel por Benz e Daimler entre 1885 e 1888, revolucionariam a utilização do petróleo.Mais tarde, quando Henry Ford criou a primeira linha de montagem com o Ford T, a produção de petróleo teve que aumentar para dar conta da demanda sempre crescente
  • 6. Mas foram as duas Grandes Guerras que impulsionaram enormemente o consumo do petróleo. A produção e o consumo mundiais atingem picos nunca antes vistos. Se a produção, até 1930 não alcançava 10 milhões de barris por dia, 20 anos depois superava os 2 milhões. Com uma produção mundial que supera os 60 milhões/dia , o petróleo tornou-se uma das mais importantes fontes energéticas do planeta, presente na composição de milhares de produtos, desde roupas a medicamentos. Como a maioria dos recursos naturais, o petróleo esta mal distribuído na superfície da Terra. .
  • 7. Em 1973, o mundo passa ria por uma de suas principais crises econômicas: a crise do petróleo em decorrência dos conflitos do Oriente Médio. Os países produtores não se conformavam com o apoio do Ocidente aos israelenses na Guerra do Yom kipur (6 a 20 de outubro de 1973).
  • 8. Cronologia da Crise 1970: o petróleo saudita é fixado a US$ 1,80 o barril, segundo dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos. 1974: o preço de compra para as refinarias passa dos US$ 10 o barril, após o primeiro choque do petróleo (Embargo da Opep durante a guerra do Yom Kippur). 1979: o petróleo importado supera os US$ 20, imediatamente após a explosão da Revolução iraniana, que provoca o segundo choque do petróleo “Red flag” em um posto de gasolina no estado do Oregon em 1973
  • 9. As Consequências da Crise na Perspectiva da Produção de Energia
  • 10.
  • 11.
  • 13.
  • 14. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estas são as dez maiores usinas hidrelétricas do mundo, em capacidade de produção de eletricidade. 1º. Três Gargantas (China): 18.200 megawatts (MW) 2º. Itaipu (Brasil/Paraguai): 14.000 MW 3º. Belo Monte (Brasil): 11.233 MW [Em construção] 4º. Guri (Venezuela): 10.000 MW 5º. Tucuruí I e II (Brasil): 8.370MW 6º. Grand Coulee (EUA): 6.494 MW 7º. Sayano-Shushenskaya (Rússia): 6.400 MW 8º. Krasnoyarsk (Rússia): 6.000 MW 9º. Churchill Falls (Canadá): 5.428 MW 10º. La Grande 2 (Canadá): 5.328 MW
  • 16. Pos. Nome Rio Estado Capacidade 01 Usina Hidrelétrica de Itaipu Rio Paraná Paraná 14.000 MW 02 Usina Hidrelétrica de Belo Monte Rio Xingu Pará 11.233 MW Usina Hidrelétrica São Luiz do 03 Rio Tapajós Pará 8.381 MW (projetada) Tapajós 04 Usina Hidrelétrica de Tucuruí Rio Tocantins Pará 8.370 MW 05 Usina Hidrelétrica de Jirau Rio Madeira Rondônia 3.750 MW [1] 06 Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira Rio Paraná São Paulo 3.444 MW 07 Usina Hidrelétrica de Xingó Rio São Francisco Alagoas e Sergipe 3.162 MW 08 Usina Hidrelétrica Santo Antônio Rio Madeira Rondônia 3.150 MW 09 Usina Hidrelétrica de Foz do Areia Rio Iguaçu Paraná 2.511 MW Usina Hidrelétrica de Paulo 10 Rio São Francisco Bahia 2.462 MW Afonso
  • 17. VANTAGENS: • É uma energia limpa, ou seja, não emite gases poluentes da queima de combustível • É uma energia renovável, ele se renova eternamente, assim não há preocupações com o seu esgotamento. • É uma fonte de energia barata. • No Brasil, por exemplo, é uma boa opção por causa da quantidade de recursos fluviais disponíveis com grande vazão e por causa dos vários acidentes geográficos (montanhas, cachoeiras…). • Não há gasto com combustível DESVANTAGENS: • Para fazer uma hidrelétrica é necessário fazer um lago artificial, o que inunda grandes áreas de biomas naturais (florestas, savanas…) • Devido à decomposição da vegetação submersa são emitidas consideráveis quantidades de metano que contribui 21 vezes mais com o aquecimento global que o metano. • É necessária a mudança de local das pessoas que moram nos territórios que sediarão a usina. No Brasil mais de 330 mil pessoas já saíram de suas casas por esse motivo.
  • 18. A crise ocorreu por uma soma de fatores: as poucas chuvas, a falta de planejamento e ausência de investimentos em geração e distribuição de energia. Com a escassez de chuva, o nível de água dos reservatórios das hidroelétricas baixou e os brasileiros foram obrigados a racionar energia; Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) publicada em 15 de julho de 2009 mostrou que o apagão elétrico gerou um prejuízo ao Tesouro de R$ 45,2 bilhões.
  • 19. Como forma de prevenção a novos problemas de geração de energia elétrica, o governo federal, em 21 de julho de 2001, iniciou imenso programa de investimentos em uma rede de usinas termoelétricas, movidas a gás, carvão e óleo combustível e que não dependem do ciclo das águas. Essa rede de usinas, segundo o governo, daria flexibilidade para o sistema e serviria de back-up em épocas de secas, complementando o sistema
  • 20. usina termoelétrica é uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica/eletricidade apartir da energia liberada por qualquer produto que possa gerar calor, como bagaço de diversos tipos de planta, restos de madeira, óleo combustível, óleo diesel, gás natural, urânio enriquecido e carvão natural. Assim como na energia hidrelétrica, em que um gerador, impulsionado pela água, gira, transformando a energia potencial em energia elétrica, nas termelétricas a fonte de calor aquece uma caldeira com água gerando vapor d’água em alta pressão, e o vapor move as pás da turbina do gerador.
  • 21. A procura da tecnologia nuclear no Brasil começou na década de 50. A decisão da implementação de uma usina termonuclear no Brasil aconteceu de fato em 1969, quando foi delegado a Furnas Centrais Elétricas SA a incumbência de construir nossa primeira usina nuclear. É muito fácil concluir que em nenhum momento se pensou numa fonte para substituir a energia hidráulica, da mesma maneira que também após alguns anos, ficou bem claro que os objetivos não eram simplesmente o domínio de uma nova tecnologia. Estávamos vivendo dentro de um regime de governo militar e o acesso ao conhecimento tecnológico no campo nuclear permitiria desenvolver não só submarinos nucleares mas armas atômicas. O Programa Nuclear Paralelo, somente divulgado alguns anos mais tarde, deixou bem claro as intenções do país em dominar o ciclo do combustível nuclear, tecnologia esta somente do conhecimento de poucos países no mundo.
  • 22. Angra 1 encontra-se em operação desde 1982 e fornece ao sistema elétrico brasileiro uma potência de 657 MW. Angra 2, após longos períodos de paralisação nas obras, inicia sua geração entregando ao sistema elétrico mais 1300 MW, o dobro de Angra 1. As obras de conclusão de Angra 3 paralisadas em 1986, foram incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento – PAC em 2010. A obra já recebeu a Licença de Instalação do IBAMA e a Licença de Construção Preliminar da CNEN. O início oficial das obras ocorreu em 1 de junho de 2010, e a previsão para a entrada em operação da usina é 2015.
  • 23. Vantagens :  o combustível é barato e pouco (em comparação com outras fontes de energia)  independe de condições ambientais/climáticas (não depende do sol, como usinas solares, ou da vazão de um rio, no caso das hidroelétricas)  a poluição gerada (diretamente) é quase inexistente. Não ocupa grandes áreas. A quantidade de lixo produzido é bem reduzido. O custo da energia gerada fica em torno de 40 dólares por MW, mais caro que a energia das hidroelétricas, mas mais barato que a energia das termoelétricas, usinas solares, eólica, etc. Desvantagens: Alto custo de construção, em razão da tecnologia e segurança empregadas  Mesmo com todos os sistemas de segurança, há sempre o risco do reator vazar ou explodir, liberando radioatividade na atmosfera e nas terras próximas, num raio de quilômetros. Não existem soluções eficientes para tratamento do lixo radioativo, que atualmente é depositado em desertos, fundo de oceanos ou dentro de montanhas