SlideShare uma empresa Scribd logo
Apresentação ponto 1 e 2
Apresentação ponto 1 e 2
LEIG@
RELIGIOSA,….?
A Igreja, povo de Deus, está formada por dois
grupos:
O Clero
e os Leigos.
O Clero que são os Sacerdotes e os Leigos. No grupo
dos Leigos, também estão os Consagrados.
O grupo mais numeroso é o dos Leigos.
“OS LEIGOS são chamados por Jesus para trabalhar em sua VINHA
construindo o REINO DE DEUS neste MUNDO, participando
ativa, consciente e responsavelmente na missão da IGREJA nesta hora
dramática da história, ante a chegada iminente do TERCEIRO MILÊNIO”, já
no terceiro milênio.
“A vida consagrada é um dom do Pai, por meio do Espírito, à sua Igreja e
constitui um elemento decisivo para a sua missão. Se expressa na vida
monástica, contemplativa e ativa, nos institutos seculares, aos quais se
juntam as sociedades de vida apostólica e outras novas formas.
É um caminho de especial seguimento de Cristo, para dedicar-se a Ele com
um coração indiviso, e colocar-se, como Ele, ao serviço de Deus e da
humanidade.”
Primeira consideração:
Os leig@s, (os consagrad@s) são CHAMAD@S, são pessoas vocacionadas.
A palavra vocação, vem do latim vocare, e significa chamar, quer dizer, os
leigos são chamados, receberam um chamado para ser leigo (para ser
consagrado)
CHAMADOS POR QUEM?
POR JESUS.
O chamado sempre parte de Deus. Deus que nos chama
à vida. Deus, na pessoa de Jesus, que nos chama
para ser no mundo, na Igreja, LEIGOS, RELIGIOSOS,
SACERDOTES…
E mais, nos chama a ser “profissionais” da educação, da saúde, catequistas,
coordenadores…. Em suma, a ser AGENTES DE PASTORAL.
DEUS CHAMA,
JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS CHAMA, PESSOALMENTE
E NORMALMENTE, POR MEIO DE “MEDIAÇÕES”.
E CHAMA PARA UMA MISSÃO, para ALGO CONCRETO.
ELEMENTOS IMPRESCINDÍVEIS EM TODA VOCAÇÃO:
QUEM CHAMA,
A QUEM CHAMA,
COMO CHAMA,
PARA QUE CHAMA.
CITAÇÕES BIBLICAS
(Para trabalho pessoal e em grupo)
Relatos da vocação: de “chefe”
Gen 12, 1-3: vocação de Abraão.
Dt 31, 14-15.23; Jos 1, 1-18: vocação de Josué
Profética
•Is 6, 1-13: vocação de Isaías
•Jer 1, 1-19: vocação de Jeremias.
•Sam 3, 1-11: vocação de Samuel
•Ez 1, 1-3; 2, 1; 3,11:
Nos Evangelhos Sinóticos
Mateus Lucas
22,1-10 14,15-24 Parábola do Banquete
Mateus Marcos Lucas
4, 18-22 1 16-20 5, 1-11 Os quatro primeiros
discípulos
9, 9 2, 13-14 5, 27-28 Vocação de Levi
Mateus Marcos Lucas João
10,1-5-42 6, 7-13 9, 1-6 Instruções aos Doze
15,14-17 Instruções aos Doze
10,1-20 Missão dos 72
Discípulos
B) Chamado ao Discipulado
C) Missão
A) Chamado universal ao Reino
Para o trabalho pessoal sobre as citações bíblicas e o Anexo I
Responder:
1) Quem chama?
A quem chama?
Para que chama?
Há mais algum elemento, próprio de vocação, nestas citações?
2) Recorda o teu chamado para ser leig@ comprometid@.
Recorda oteu chamado para ser Irmã da Consolação.
Pensa e recorda: quando e por meio de quem o recebeste?
Para que você é leig@ da Consolação? Irmã da Consolação?
Concluimos, segundo o Documento de Aparecida:
1. Os leigos fazem parte da vinha: “Eu sou a Videira verdadeira e
vocês são os ramos”. Os leigos são parte integrante da Igreja,
chamados com uma especial vocação e missão na Igreja e no
mundo.
2. Chamados à santidade para contribuir, desde dentro, como fermento
na massa, na santificação do mundo, sendo sal, luz e levedura.
Apresentação ponto 1 e 2
LEIGO, CONSAGRADO,
CHAMADO PARA UMA MISSÃO
POR MEIO DA PASTORAL
DE MEU LUGAR DE TRABALHO
Apresentação ponto 1 e 2
A pastoral é um ministério, um serviço ou área de trabalho na
igreja. É um serviço fraterno feito em e por Jesus Cristo, em
favor do próximo. Tem como propósito gerar a conversão da(s)
pessoa (s) a Jesus Cristo, buscando despertar nela (s) uma
vida nova, uma nova dimensão de sua humanidade com
respeito ao reino de Deus, para que possa (m) alcançar e
gozar a plenitude da vida.
Pastoral é um trabalho de orientação, cuidado e alimento espiritual que
faz um encarregado de um grupo de pessoas que creem em Deus ou
fiéis.
De acordo com o propósito e o grupo, a pastoral pode ser social, juvenil,
educativa, da saúde, penitenciária ou outra.
“Toda a Igreja, Povo de Deus, participa do mistério da missão trinitária e
está chamada a empenhar-se, cada dia com maior urgência, por uma
evangelização dentro e fora da mesma” (EN 14).
uma práxis, ou seja, um compromisso prático e concreto, uma tarefa, um
serviço e uma atividade em favor das pessoas, das comunidades, dos Grupos,
das Paróquias, das instituições, de acordo com a vocação, os carismas e as
responsabilidades que cada um recebeu.
A Pastoral é, finalmente, uma espiritualidade. A prática pastoral, a ciência e o
estudo são insuficientes se não estão vinculados à experiência de Deus, de
onde nascem os valores, as convicções e as motivações profundas.
ÉS AGENTE DE PASTORAL?
SIM!
Participas ativamente da Pastoral
de tua Paróquia, Colégio, Hospital
e assim podemos falar de PASTORAL:
EDUCATIVA.
FAMILIAR.
SOCIAL
DA SAÚDE
PENITENCIÁRIA
JUVENIL
VOCACIONAL….
COORDENADOR DE UM GRUPO
MEMBRO DA EQUIPE DE PASTORAL DE TEU CENTRO
O que significa ser Agente de Pastoral?
Ser EVANGELIZADORES capazes de responder às inquietudes dos
homens e mulheres de hoje.
Pessoas que, sem deixar a vida e os afazeres cotidianos, são
capazes de iluminá-los com a luz do Evangelho.
Homens e mulheres responsáveis de sua fé e compromisso de
tornar Jesus Cristo vivo presente no mundo.
QUEM PODE SER AGENTE DE PASTORAL?
TODO MEMBRO DA FAMILIA CONSOLAÇÃO QUE PARTICIPA DO CARISMA DO
INSTITUTO.
•Que tenha disponibilidade para ir assumindo a identidade própria.
•Que leve a sério a formação que lhe será oferecida no próprio Centro.
• Que tenha consciência de que é um Instrumento do Senhor e não um
objeto de atenção ou admiração dos demais.
•Que tenha consciência de que faz parte de uma estrutura Pastoral
Institucional.
à luz do Documento de Aparecida
Características de um verdadeiro agente de pastoral segundo o querer
de Jesus:
1. O agente de pastoral não o é por iniciativa própria, mas por uma
escolha de Jesus, (chamado, com uma vocação concreta)
2. Um agente de pastoral tem necessidade de formar-se em
comunhão: em comunhão com os irmãos que compartilham a
mesma eleição de Jesus e
deve agir sempre em sintonia e relação com a Igreja, com a
Instituição e com os irmãos, seus colaboradores.
3. O agente de pastoral tem necessidade de saber
avaliar, sempre e assiduamente, todas as suas
atividades à luz da Palavra de Deus
e, principalmente, do Evangelho.
4. O agente de pastoral tem necessidade de nutrir
continuamente sua vida e suas atividades pastorais na
Eucaristia e na oração pessoal.
5.Ser uma pessoa de compromisso e que dá testemunho
de vida.
Apresentação ponto 1 e 2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A mística mariana da alegria do evangelho v2
A mística mariana da alegria do evangelho v2A mística mariana da alegria do evangelho v2
A mística mariana da alegria do evangelho v2
Afonso Murad (FAJE)
 
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii GaudiumSecretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Afonso Murad (FAJE)
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
Fábio Vasconcelos
 
Aparições de Nossa Senhora
Aparições de Nossa SenhoraAparições de Nossa Senhora
Aparições de Nossa Senhora
Afonso Murad (FAJE)
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
Bernadetecebs .
 
O culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popularO culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popular
Afonso Murad (FAJE)
 
A historia da catequese
A historia da catequeseA historia da catequese
A historia da catequese
Hernane Freitas
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
Oswaldo Michaelano
 
Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)
Afonso Murad (FAJE)
 
Carla geanfrancisco dons espirituais em romanos
Carla geanfrancisco   dons espirituais em romanosCarla geanfrancisco   dons espirituais em romanos
Carla geanfrancisco dons espirituais em romanos
Carla Geanfrancisco Falasca
 
Introdução a Catequese
Introdução a CatequeseIntrodução a Catequese
Introdução a Catequese
Alexandre
 
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015
Catequista Verinha
 
Imaculada conceição e assunçáo
Imaculada conceição e assunçáoImaculada conceição e assunçáo
Imaculada conceição e assunçáo
Afonso Murad (FAJE)
 
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitzA+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
ERABELO
 
A importancia do catequista hoje
A importancia do catequista hojeA importancia do catequista hoje
A importancia do catequista hoje
fagundes_daniel
 
Escola em saída
Escola em saídaEscola em saída
Escola em saída
Afonso Murad (FAJE)
 
Catequese Renovada
Catequese RenovadaCatequese Renovada
Catequese Renovada
Rodrigo Oliveira
 
A Igreja e a sua missão transformadora
A Igreja e a sua missão transformadora A Igreja e a sua missão transformadora
A Igreja e a sua missão transformadora
Marcos Aurélio
 

Mais procurados (19)

A mística mariana da alegria do evangelho v2
A mística mariana da alegria do evangelho v2A mística mariana da alegria do evangelho v2
A mística mariana da alegria do evangelho v2
 
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii GaudiumSecretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
 
Catequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidadeCatequistas: missão na comunidade
Catequistas: missão na comunidade
 
Aparições de Nossa Senhora
Aparições de Nossa SenhoraAparições de Nossa Senhora
Aparições de Nossa Senhora
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
 
O culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popularO culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popular
 
A historia da catequese
A historia da catequeseA historia da catequese
A historia da catequese
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
 
Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)Introdução à mariologia (2012)
Introdução à mariologia (2012)
 
Carla geanfrancisco dons espirituais em romanos
Carla geanfrancisco   dons espirituais em romanosCarla geanfrancisco   dons espirituais em romanos
Carla geanfrancisco dons espirituais em romanos
 
Introdução a Catequese
Introdução a CatequeseIntrodução a Catequese
Introdução a Catequese
 
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
LIÇÃO 08 - IGREJA - AGENTE TRANSFORMADOR DA SOCIEDADE1)
 
Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015Palestra encontro de catequistas 2015
Palestra encontro de catequistas 2015
 
Imaculada conceição e assunçáo
Imaculada conceição e assunçáoImaculada conceição e assunçáo
Imaculada conceição e assunçáo
 
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitzA+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
A+teologia da missao_integral_ed+rené+kivitz
 
A importancia do catequista hoje
A importancia do catequista hojeA importancia do catequista hoje
A importancia do catequista hoje
 
Escola em saída
Escola em saídaEscola em saída
Escola em saída
 
Catequese Renovada
Catequese RenovadaCatequese Renovada
Catequese Renovada
 
A Igreja e a sua missão transformadora
A Igreja e a sua missão transformadora A Igreja e a sua missão transformadora
A Igreja e a sua missão transformadora
 

Semelhante a Apresentação ponto 1 e 2

DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
Kleber Silva
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Kleber Silva
 
Pastoral da acolhida
Pastoral da acolhidaPastoral da acolhida
Pastoral da acolhida
Carlindo Gomes Da Silva Filho
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
Paróquia Nossa Senhora da Salete
 
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
GED Niterói, Movimento de Cursilhos de Cristandade
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
Rodrigo Catini Flaibam
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
faculdadeteologica
 
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
Paulo David
 
Ecovida set-out 2108
Ecovida   set-out 2108Ecovida   set-out 2108
Ecovida set-out 2108
Lada vitorino
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
alexandrepsantos
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
Coop. Fabio Silva
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Reinaldo Oliveira Do Carmo
 
Santas Missões Populares
Santas Missões PopularesSantas Missões Populares
Santas Missões Populares
setorsantaluzia
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
Pejota2015
 
redentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.comredentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.com
pmgv5
 
blog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaesblog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaes
pmgv5
 
Retiro com catequistas
Retiro com catequistasRetiro com catequistas
Retiro com catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
José Vieira Dos Santos
 
jornal Novos Horizontes agosto de 2013
jornal Novos Horizontes agosto de 2013jornal Novos Horizontes agosto de 2013
jornal Novos Horizontes agosto de 2013
Pascom Paroquia Nssc
 

Semelhante a Apresentação ponto 1 e 2 (20)

DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
 
Pastoral da acolhida
Pastoral da acolhidaPastoral da acolhida
Pastoral da acolhida
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
 
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014
 
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
7º PPO – Encontro de Espiritualidade: Padre Nadai
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
 
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
PEQUENAS COMUNIDADES ... ou GRUPOS DE JESUS, FORMAÇÃO.
 
Ecovida set-out 2108
Ecovida   set-out 2108Ecovida   set-out 2108
Ecovida set-out 2108
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
 
Santas Missões Populares
Santas Missões PopularesSantas Missões Populares
Santas Missões Populares
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
 
redentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.comredentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.com
 
blog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaesblog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaes
 
Retiro com catequistas
Retiro com catequistasRetiro com catequistas
Retiro com catequistas
 
Encontro com Catequistas
Encontro com CatequistasEncontro com Catequistas
Encontro com Catequistas
 
Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas  Encontro de Catequistas
Encontro de Catequistas
 
jornal Novos Horizontes agosto de 2013
jornal Novos Horizontes agosto de 2013jornal Novos Horizontes agosto de 2013
jornal Novos Horizontes agosto de 2013
 

Mais de Renata R. Lucas

Palabras de clausura
Palabras de clausuraPalabras de clausura
Palabras de clausura
Renata R. Lucas
 
Mensage de apertura de la Superiora General
Mensage de apertura de la Superiora GeneralMensage de apertura de la Superiora General
Mensage de apertura de la Superiora General
Renata R. Lucas
 
Ficha 2
Ficha 2Ficha 2
Ficha 1
Ficha 1Ficha 1
Novena2015
Novena2015Novena2015
Novena2015
Renata R. Lucas
 
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
Renata R. Lucas
 
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congresoInvitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
Renata R. Lucas
 
Carta convocatoria
Carta convocatoriaCarta convocatoria
Carta convocatoria
Renata R. Lucas
 
Novena 1 a 4
Novena 1 a 4Novena 1 a 4
Novena 1 a 4
Renata R. Lucas
 
Texto base
Texto baseTexto base
Texto base
Renata R. Lucas
 
Cultura vocacional
Cultura vocacionalCultura vocacional
Cultura vocacional
Renata R. Lucas
 
A vivir mejor
A vivir mejorA vivir mejor
A vivir mejor
Renata R. Lucas
 
5º dia da novena
5º dia da novena5º dia da novena
5º dia da novena
Renata R. Lucas
 
4º dia da novena
4º dia da novena4º dia da novena
4º dia da novena
Renata R. Lucas
 
3º dia da novena
3º dia da novena3º dia da novena
3º dia da novena
Renata R. Lucas
 
2º dia da novena
2º dia da novena2º dia da novena
2º dia da novena
Renata R. Lucas
 
2º dia da novena
2º dia da novena2º dia da novena
2º dia da novena
Renata R. Lucas
 
Primeiro dia.
Primeiro dia.Primeiro dia.
Primeiro dia.
Renata R. Lucas
 
Ser cristiano no es simplemente
Ser cristiano no es simplementeSer cristiano no es simplemente
Ser cristiano no es simplemente
Renata R. Lucas
 
El profetismo de jesus
El profetismo de jesusEl profetismo de jesus
El profetismo de jesus
Renata R. Lucas
 

Mais de Renata R. Lucas (20)

Palabras de clausura
Palabras de clausuraPalabras de clausura
Palabras de clausura
 
Mensage de apertura de la Superiora General
Mensage de apertura de la Superiora GeneralMensage de apertura de la Superiora General
Mensage de apertura de la Superiora General
 
Ficha 2
Ficha 2Ficha 2
Ficha 2
 
Ficha 1
Ficha 1Ficha 1
Ficha 1
 
Novena2015
Novena2015Novena2015
Novena2015
 
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
Letra himno del II Congreso de Pastoral 2015
 
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congresoInvitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
Invitación a participar al concurso de un himno para nuestro congreso
 
Carta convocatoria
Carta convocatoriaCarta convocatoria
Carta convocatoria
 
Novena 1 a 4
Novena 1 a 4Novena 1 a 4
Novena 1 a 4
 
Texto base
Texto baseTexto base
Texto base
 
Cultura vocacional
Cultura vocacionalCultura vocacional
Cultura vocacional
 
A vivir mejor
A vivir mejorA vivir mejor
A vivir mejor
 
5º dia da novena
5º dia da novena5º dia da novena
5º dia da novena
 
4º dia da novena
4º dia da novena4º dia da novena
4º dia da novena
 
3º dia da novena
3º dia da novena3º dia da novena
3º dia da novena
 
2º dia da novena
2º dia da novena2º dia da novena
2º dia da novena
 
2º dia da novena
2º dia da novena2º dia da novena
2º dia da novena
 
Primeiro dia.
Primeiro dia.Primeiro dia.
Primeiro dia.
 
Ser cristiano no es simplemente
Ser cristiano no es simplementeSer cristiano no es simplemente
Ser cristiano no es simplemente
 
El profetismo de jesus
El profetismo de jesusEl profetismo de jesus
El profetismo de jesus
 

Apresentação ponto 1 e 2

  • 4. A Igreja, povo de Deus, está formada por dois grupos: O Clero e os Leigos. O Clero que são os Sacerdotes e os Leigos. No grupo dos Leigos, também estão os Consagrados. O grupo mais numeroso é o dos Leigos.
  • 5. “OS LEIGOS são chamados por Jesus para trabalhar em sua VINHA construindo o REINO DE DEUS neste MUNDO, participando ativa, consciente e responsavelmente na missão da IGREJA nesta hora dramática da história, ante a chegada iminente do TERCEIRO MILÊNIO”, já no terceiro milênio. “A vida consagrada é um dom do Pai, por meio do Espírito, à sua Igreja e constitui um elemento decisivo para a sua missão. Se expressa na vida monástica, contemplativa e ativa, nos institutos seculares, aos quais se juntam as sociedades de vida apostólica e outras novas formas. É um caminho de especial seguimento de Cristo, para dedicar-se a Ele com um coração indiviso, e colocar-se, como Ele, ao serviço de Deus e da humanidade.”
  • 6. Primeira consideração: Os leig@s, (os consagrad@s) são CHAMAD@S, são pessoas vocacionadas. A palavra vocação, vem do latim vocare, e significa chamar, quer dizer, os leigos são chamados, receberam um chamado para ser leigo (para ser consagrado) CHAMADOS POR QUEM? POR JESUS. O chamado sempre parte de Deus. Deus que nos chama à vida. Deus, na pessoa de Jesus, que nos chama para ser no mundo, na Igreja, LEIGOS, RELIGIOSOS, SACERDOTES… E mais, nos chama a ser “profissionais” da educação, da saúde, catequistas, coordenadores…. Em suma, a ser AGENTES DE PASTORAL.
  • 7. DEUS CHAMA, JESUS CRISTO, O FILHO DE DEUS CHAMA, PESSOALMENTE E NORMALMENTE, POR MEIO DE “MEDIAÇÕES”. E CHAMA PARA UMA MISSÃO, para ALGO CONCRETO. ELEMENTOS IMPRESCINDÍVEIS EM TODA VOCAÇÃO: QUEM CHAMA, A QUEM CHAMA, COMO CHAMA, PARA QUE CHAMA.
  • 8. CITAÇÕES BIBLICAS (Para trabalho pessoal e em grupo) Relatos da vocação: de “chefe” Gen 12, 1-3: vocação de Abraão. Dt 31, 14-15.23; Jos 1, 1-18: vocação de Josué Profética •Is 6, 1-13: vocação de Isaías •Jer 1, 1-19: vocação de Jeremias. •Sam 3, 1-11: vocação de Samuel •Ez 1, 1-3; 2, 1; 3,11:
  • 9. Nos Evangelhos Sinóticos Mateus Lucas 22,1-10 14,15-24 Parábola do Banquete Mateus Marcos Lucas 4, 18-22 1 16-20 5, 1-11 Os quatro primeiros discípulos 9, 9 2, 13-14 5, 27-28 Vocação de Levi Mateus Marcos Lucas João 10,1-5-42 6, 7-13 9, 1-6 Instruções aos Doze 15,14-17 Instruções aos Doze 10,1-20 Missão dos 72 Discípulos B) Chamado ao Discipulado C) Missão A) Chamado universal ao Reino
  • 10. Para o trabalho pessoal sobre as citações bíblicas e o Anexo I Responder: 1) Quem chama? A quem chama? Para que chama? Há mais algum elemento, próprio de vocação, nestas citações? 2) Recorda o teu chamado para ser leig@ comprometid@. Recorda oteu chamado para ser Irmã da Consolação. Pensa e recorda: quando e por meio de quem o recebeste? Para que você é leig@ da Consolação? Irmã da Consolação?
  • 11. Concluimos, segundo o Documento de Aparecida: 1. Os leigos fazem parte da vinha: “Eu sou a Videira verdadeira e vocês são os ramos”. Os leigos são parte integrante da Igreja, chamados com uma especial vocação e missão na Igreja e no mundo. 2. Chamados à santidade para contribuir, desde dentro, como fermento na massa, na santificação do mundo, sendo sal, luz e levedura.
  • 13. LEIGO, CONSAGRADO, CHAMADO PARA UMA MISSÃO POR MEIO DA PASTORAL DE MEU LUGAR DE TRABALHO
  • 15. A pastoral é um ministério, um serviço ou área de trabalho na igreja. É um serviço fraterno feito em e por Jesus Cristo, em favor do próximo. Tem como propósito gerar a conversão da(s) pessoa (s) a Jesus Cristo, buscando despertar nela (s) uma vida nova, uma nova dimensão de sua humanidade com respeito ao reino de Deus, para que possa (m) alcançar e gozar a plenitude da vida.
  • 16. Pastoral é um trabalho de orientação, cuidado e alimento espiritual que faz um encarregado de um grupo de pessoas que creem em Deus ou fiéis. De acordo com o propósito e o grupo, a pastoral pode ser social, juvenil, educativa, da saúde, penitenciária ou outra. “Toda a Igreja, Povo de Deus, participa do mistério da missão trinitária e está chamada a empenhar-se, cada dia com maior urgência, por uma evangelização dentro e fora da mesma” (EN 14).
  • 17. uma práxis, ou seja, um compromisso prático e concreto, uma tarefa, um serviço e uma atividade em favor das pessoas, das comunidades, dos Grupos, das Paróquias, das instituições, de acordo com a vocação, os carismas e as responsabilidades que cada um recebeu. A Pastoral é, finalmente, uma espiritualidade. A prática pastoral, a ciência e o estudo são insuficientes se não estão vinculados à experiência de Deus, de onde nascem os valores, as convicções e as motivações profundas.
  • 18. ÉS AGENTE DE PASTORAL? SIM! Participas ativamente da Pastoral de tua Paróquia, Colégio, Hospital e assim podemos falar de PASTORAL: EDUCATIVA. FAMILIAR. SOCIAL DA SAÚDE PENITENCIÁRIA JUVENIL VOCACIONAL…. COORDENADOR DE UM GRUPO MEMBRO DA EQUIPE DE PASTORAL DE TEU CENTRO
  • 19. O que significa ser Agente de Pastoral? Ser EVANGELIZADORES capazes de responder às inquietudes dos homens e mulheres de hoje. Pessoas que, sem deixar a vida e os afazeres cotidianos, são capazes de iluminá-los com a luz do Evangelho. Homens e mulheres responsáveis de sua fé e compromisso de tornar Jesus Cristo vivo presente no mundo.
  • 20. QUEM PODE SER AGENTE DE PASTORAL? TODO MEMBRO DA FAMILIA CONSOLAÇÃO QUE PARTICIPA DO CARISMA DO INSTITUTO. •Que tenha disponibilidade para ir assumindo a identidade própria. •Que leve a sério a formação que lhe será oferecida no próprio Centro. • Que tenha consciência de que é um Instrumento do Senhor e não um objeto de atenção ou admiração dos demais. •Que tenha consciência de que faz parte de uma estrutura Pastoral Institucional.
  • 21. à luz do Documento de Aparecida Características de um verdadeiro agente de pastoral segundo o querer de Jesus: 1. O agente de pastoral não o é por iniciativa própria, mas por uma escolha de Jesus, (chamado, com uma vocação concreta) 2. Um agente de pastoral tem necessidade de formar-se em comunhão: em comunhão com os irmãos que compartilham a mesma eleição de Jesus e deve agir sempre em sintonia e relação com a Igreja, com a Instituição e com os irmãos, seus colaboradores.
  • 22. 3. O agente de pastoral tem necessidade de saber avaliar, sempre e assiduamente, todas as suas atividades à luz da Palavra de Deus e, principalmente, do Evangelho. 4. O agente de pastoral tem necessidade de nutrir continuamente sua vida e suas atividades pastorais na Eucaristia e na oração pessoal. 5.Ser uma pessoa de compromisso e que dá testemunho de vida.