Prevenção também se ensina

751 visualizações

Publicada em

Estabelecer, na rede estadual de ensino, um projeto de educação permanente que propicie condições para a redução das vulnerabilidades dos alunos (as) em relação à gravidez na adolescência, às DST/HIV/Aids, ao uso do álcool, tabaco e outras drogas, e que estimule o reconhecimento e respeito à diversidade sexual, articulando-se com as esferas Federal, Estadual e Municipais.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
751
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prevenção também se ensina

  1. 1. I SEMINÁRIO DE SENSIBILIZAÇÃO DO SERVIÇO PÚBLICO E SOCIEDADE CIVIL DO MUNICÍPIO DE OURINHOS Edison de Almeida setembro de 2014
  2. 2. ObjetivoObjetivo Estabelecer, na rede estadual de ensino, um projeto de educação permanente que propicie condições para a redução das vulnerabilidades dos alunos (as) em relação à gravidez na adolescência, às DST/HIV/Aids, ao uso do álcool, tabaco e outras drogas, e que estimule o reconhecimento e respeito à diversidade sexual, articulando-se com as esferas Federal, Estadual e Municipais. PREVENÇÃO TAMBÉM SE ENSINAPREVENÇÃO TAMBÉM SE ENSINA
  3. 3. Contribuir para a promoção de um comportamento ético, fundamentado no respeito aos direitos humanos como condição básica para garantir:  redução da vulnerabilidades dos alunos(as);  a igualdade entre os gêneros;  a igualdade racial e étnica; o reconhecimento e respeito à diversidade sexual. PRINCIPIOS BÁSICOSPRINCIPIOS BÁSICOS
  4. 4. VULNERABILIDADEVULNERABILIDADE11 Desenvolvido por Jonathan Mann (1993)2, busca estabelecer uma síntese conceitual e prática das dimensões sociais, políticos-institucionais e comportamentais associadas às diferentes suscetibilidades de indivíduos, grupos populacionais e até mesmo de nações expostas a situações onde existam riscos e/ou violências. EIXO NORTEADOREIXO NORTEADOR 1. Ayres, José Ricardo de C. M. O jovem que buscamos e o encontro que queremos ser: a vulnerabilidade como eixo de avaliação de ações preventivas do abuso de drogas, DST e Aids entre crianças e adolescentes. Idéias: FDE, São Paulo, n. 29, p. 15-24, 1996. 2. MANN, Jonathan et al. (Orgs.). Aids no mundo. Rio de Janeiro: ABIA; IMS: UERJ; Relume-Dumará, 1993. História oficial da Aids, 1.
  5. 5. VULNERABILIDADEVULNERABILIDADE INDIVIDUALINDIVIDUAL SOCIALSOCIAL PROGRAMÁTICAPROGRAMÁTICA
  6. 6. ESCOLAESCOLA Ambiente privilegiado para reflexão e formação de cidadãos e cidadãs cientes de seus direitos e responsabilidades. Espaço propício para o desenvolvimento da autonomia, senso crítico e, particularmente, para a prevenção de situações em que exista risco, dentre elas, o uso de álcool, tabaco, outras drogas e a prevenção das DST, HIV e Aids.
  7. 7. DESAFIODESAFIO Integrar o tema ao currículo escolar e desenvolvê-lo cooperativa e transversalmente por meio de ações sistemáticas. Estabelecer parcerias com os outros equipamentos sociais existentes na comunidade onde a escola está inserida. Propiciar o conhecimento atualizado sobre as vulnerabilidades relacionadas ao uso das substâncias psicoativas tanto no plano individual quanto institucional e sociocultural.
  8. 8. PONTOS A SEREM OBSERVADOSPONTOS A SEREM OBSERVADOS Desenvolver ações redutoras da vulnerabilidade, considerando a cultura da comunidade em que a escola está inserida, respeitando as diferenças e peculiaridades. Incluir informações sobre o uso do álcool, tabaco e outras drogas explorando, inclusive, os motivos que levam as pessoas a fazer uso dessas substâncias. Desconstruir os mitos, preconceitos e informações alarmistas e terroristas.
  9. 9.  Reconhecer que o objetivo da prevenção não é ditar comportamentos, e sim, contribuir para que cada pessoa encontre modos de lidar e reduzir suas próprias vulnerabilidades.  Trabalhar a prevenção no sentido de cultivar uma rede cuidadora permanente, na qual a pessoa possa sempre se colocar em questão, facilitando a formação de uma consciência crítica, capaz de identificar os riscos. PONTOS A SEREM OBSERVADOSPONTOS A SEREM OBSERVADOS
  10. 10.  Posicionar-se criticamente perante as informações veiculadas pela mídia sobre a questão das drogas.  A informação não é suficiente para se garantir a adoção de atitudes, práticas e comportamentos mais protegidos e saudáveis.  A utilização de metodologia participativa auxilia os/as alunos/as a lidar com a ansiedade, as frustrações e possibilita, também, o desenvolvimento da autoestima e do autocuidado. PONTOS A SEREM OBSERVADOSPONTOS A SEREM OBSERVADOS
  11. 11. JOVEM APTOJOVEM APTO Identificar as pressões sociais que os/as deixam mais susceptíveis ás situações de risco. Buscar informações e práticas que reduzam sua vulnerabilidade Encontrar meios e caminhos individuais e coletivos que promovam sua saúde e seu prazer.
  12. 12. MATERIAIS ENCAMINHADOSMATERIAIS ENCAMINHADOS
  13. 13. MATERIAIS ENCAMINHADOSMATERIAIS ENCAMINHADOS
  14. 14. TEMA 1 CONSUMO CONSCIENTECONSUMO CONSCIENTE Destaca impactos negativos doDestaca impactos negativos do consumismo infantil nas esferasconsumismo infantil nas esferas social, ambiental e econômica.social, ambiental e econômica. MATERIAIS ENCAMINHADOS 2012/2013MATERIAIS ENCAMINHADOS 2012/2013
  15. 15. TEMA 2TEMA 2 ADOLESCÊNCIAS EADOLESCÊNCIAS E SEXUALIDADESSEXUALIDADES
  16. 16. TEMA 3TEMA 3 GÊNEROS EGÊNEROS E PRECONCEITOSPRECONCEITOS
  17. 17. TEMA 4TEMA 4 BULLYING E OUTRASBULLYING E OUTRAS VIOLÊNCIASVIOLÊNCIAS
  18. 18. Composto por histórias de seis personagens: 1.Beto 17 anos – quer participar do pré-natal da namorada. 2.Leo 16 anos – Convive com HIV. 3.Mariana 17 anos – devido aparência sobre Bullying. 4. Priscila 13 anos – namora com um adulto de 27 anos. 5.Rafaela 16 anos – Gravidez na adolescência. 6.Thiago 15 anos – Gosta de meninos
  19. 19. TEMA 5TEMA 5 ÁLCOOL, TABACO EÁLCOOL, TABACO E OUTRAS DROGASOUTRAS DROGAS
  20. 20. TEMA 6TEMA 6 PREVENÇÃO ÀS DST, HIVPREVENÇÃO ÀS DST, HIV E AIDSE AIDS disponíveis para download
  21. 21. Este manual apresenta, na sua primeira parte, um texto introdutório, sobre cada um dos 6 temas escolhidos e a lista de materiais que já foram encaminhados à rede estadual de ensino. Na segunda parte, na Caixa de Ferramentas, são apresentadas sugestões de atividades para serem trabalhadas nas HTPC e em sala de aula.
  22. 22. Ferramentas 1 – Consumo consciente. Ferramentas 2 – Adolescências e sexualidades. Ferramentas 3 – Gênero e preconceitos. Ferramentas 4 – Bullying e outras violências. Ferramentas 5 – Álcool, tabaco e outras drogas. Ferramentas 6 – Prevenção às DST/HIV e aids.
  23. 23. FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE PROJETOS ESPECIAIS GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO E CIDADANIA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PREVENTIVA e-mail: edison.almeida@fde.sp.gov.br jurema.panza@fde.sp.gov.br daniela.galvao@fde.sp.gov.br norma.luciano@fde.sp.gov.br Av. São Luis, 99 – 14º andar - CEP 01046-001 Fone (11) 3158-4249/4255/4280 – Fax (11) 3158-4287

×