SlideShare uma empresa Scribd logo
A História do Pai Natal
                        Era uma vez, há muito, muito tempo, viveu um homem muito grande e forte
                     mas também muito velhinho. As barbas brancas quase lhe tocavam no peito e o
                     seu cabelo comprido estava em desalinho.
                        Um dia, Afonso - assim se chamava ele - sentou-se ao pé da janela a pensar. A
                     certa altura, olhou através da vidraça: lá fora nevava. Os vários pinheiros do seu
                     jardim estavam cobertos de um manto espesso e branco. Contudo, umas pegadas
                     na neve despertaram-lhe a atenção. Um pouco mais adiante, estava um mendigo.
                     Esse pobre homem, que era um sem-abrigo, estava mal agasalhado, descalço e
                     sozinho. Afonso, que tinha um coração de ouro, abriu a janela e chamou-o:
                       - Vem cá, homem! Onde é a tua casa?
  - Ah! A minha casa?! Eu não tenho casa.
  - E a tua família?
- Esses…nunca os conheci. Vivia com a minha avó, mas ontem ela morreu, não aguentou o frio deste
Inverno…
- Meu Deus! Mas, que vida tão triste a tua! E agora?! Com quem vives? Sozinho?
- Sim, agora vivo sozinho.
- Mas… e não tens frio, mal agasalhado e descalço? Bem que precisas de um par de sapatos, de uma
camisola e de um casaco! Vou pedir à minha mulher que te faça uma camisola e vou fazer-te eu
próprio um par de sapatos!
- Oh! Muito obrigado, senhor. Que devo fazer para colaborar consigo?
- Eu vou explicar tudo: a minha mulher andava a dizer-me que eu precisava de um trabalho para me
entreter. Eu fiquei um bocado confuso: como poderia eu arranjar um emprego de um dia para o
outro? E então, quando te vi, lembrei-me imediatamente de um bom passatempo para nós os dois!
E até fazíamos uma boa ação e tudo! A minha ideia era construirmos uma fábrica de brinquedos
onde trabalharíamos todo o ano para obtermos os melhores e mais bonitos presentes para
oferecermos aos meninos bem comportados no final do ano. Podíamos também dar um nome à
data de entregar as prendas. Hummm, pode ser NATAL, em honra da minha mulher Natália.
  - O senhor, isto é, o Afonso tem ideias fabulosas! Para mim o senhor é um verdadeiro santo!
  - Oh! Oh! Oh! Não sou nada! Sou apenas o Pai Natal! É um bom nome para quem inventa o
NATAL! No NATAL, todas as prendas devem estar prontas. Treinarei as minhas renas para grandes
viagens, prepararei o meu trenó e… já me estou a ver a cruzar os céus! Só tu poderás estar comigo
no trenó, para levares o saco com as prendas!
   - Mas, Pai Natal, quando é que vai ser o NATAL?
   - Oh! Meu Deus! Não tinha pensado nisso! Mas, até pode ser no dia em que nasceu Jesus! Ele
ficaria orgulhoso de nós! Portanto o NATAL é no dia 25 de Dezembro! É verdade, como te chamas
meu amigo?
   - Chamo-me Cristóvão.
   - Muito bem, Cristóvão, vamos já contar tudo à minha mulher!
   Natália ficou encantada com a ideia do marido e prontificou-se logo a chamar todos os duendes
empregados para ajudarem na construção da fábrica. Estes adoraram a ideia de passar a trabalhar
numa fábrica e empenharam-se mais que nunca na sua construção. Em menos de cinco dias a
fábrica estava pronta!
    Naquele ano todos os duendes tiveram de trabalhar em velocidade máxima, pois o NATAL estava
à porta! Todos os dias a fábrica de brinquedos do Pai Natal recebia dezenas de cartas de todos os
meninos e meninas do mundo, a encomendarem os seus presentes de NATAL. A todas as cartas o
Pai Natal respondia dizendo que se portassem bem.
    E o prometido é devido: os duendes carregaram as prendas até ao trenó e Cristóvão pô-las no
grande saco do Pai Natal.
À meia-noite em ponto, o trenó cruzava o céu puxado pelas renas, carregando o saco dos presentes,
o Pai Natal, e, claro, Cristóvão!
Ainda hoje, sempre que é a noite de Natal, podemos ver o grande trenó com o Pai Natal e Cristóvão,
se olharmos para o céu à meia-noite em ponto.



                                                                                            Ana Teresa

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reis Magos e tradições de Natal
Reis Magos e tradições de NatalReis Magos e tradições de Natal
Reis Magos e tradições de Natal
vera martins
 
Natal, história
Natal, históriaNatal, história
Natal, história
Paula Morgado
 
A verdadeira-história-do-natal
A verdadeira-história-do-natalA verdadeira-história-do-natal
A verdadeira-história-do-natal
Bertilia Madeira
 
A Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdfA Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdf
MariaCarmen49
 
História da Maria Castanha
História da Maria CastanhaHistória da Maria Castanha
História da Maria Castanha
MariaArmindaLopes
 
Ninguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natalNinguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natal
esquecimento1
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outono
Carla Ferreira
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
Ana Alho
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoleto
Silvares
 
A dieta do pai natal história e imagens
A dieta do pai natal   história e imagensA dieta do pai natal   história e imagens
A dieta do pai natal história e imagens
Jani Miranda
 
Uma prenda de natal
Uma prenda de natalUma prenda de natal
Uma prenda de natal
Acilu
 
Peixe Arco Iris
Peixe Arco IrisPeixe Arco Iris
Peixe Arco Iris
guestb0f4a46
 
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
Educacao Musical Jose Galvao
 
Uma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito EspecialUma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito Especial
A. E. Júlio Brandão
 
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
beebgondomar Judite
 
A quadradinha
A quadradinhaA quadradinha
A quadradinha
nanoulopes
 
Ninguém dá prendas ao pai natal
Ninguém dá prendas ao pai natalNinguém dá prendas ao pai natal
Ninguém dá prendas ao pai natal
DulceGalvao1
 
Adivinhas de natal
Adivinhas de natalAdivinhas de natal
Adivinhas de natal
Maria Ferreira
 
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxa
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxaDesculpa por-acaso-es-uma-bruxa
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxa
paula figueiredo
 
Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]
sorrisinhu
 

Mais procurados (20)

Reis Magos e tradições de Natal
Reis Magos e tradições de NatalReis Magos e tradições de Natal
Reis Magos e tradições de Natal
 
Natal, história
Natal, históriaNatal, história
Natal, história
 
A verdadeira-história-do-natal
A verdadeira-história-do-natalA verdadeira-história-do-natal
A verdadeira-história-do-natal
 
A Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdfA Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdf
 
História da Maria Castanha
História da Maria CastanhaHistória da Maria Castanha
História da Maria Castanha
 
Ninguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natalNinguem da prendas pai natal
Ninguem da prendas pai natal
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outono
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoleto
 
A dieta do pai natal história e imagens
A dieta do pai natal   história e imagensA dieta do pai natal   história e imagens
A dieta do pai natal história e imagens
 
Uma prenda de natal
Uma prenda de natalUma prenda de natal
Uma prenda de natal
 
Peixe Arco Iris
Peixe Arco IrisPeixe Arco Iris
Peixe Arco Iris
 
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
Guiao do teatro musical - Natal no fundo do mar 2019
 
Uma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito EspecialUma Arvore De Natal Muito Especial
Uma Arvore De Natal Muito Especial
 
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
Oarmriodopainatal livro-121114154441-phpapp01
 
A quadradinha
A quadradinhaA quadradinha
A quadradinha
 
Ninguém dá prendas ao pai natal
Ninguém dá prendas ao pai natalNinguém dá prendas ao pai natal
Ninguém dá prendas ao pai natal
 
Adivinhas de natal
Adivinhas de natalAdivinhas de natal
Adivinhas de natal
 
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxa
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxaDesculpa por-acaso-es-uma-bruxa
Desculpa por-acaso-es-uma-bruxa
 
Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]
 

Destaque

História da árvore de natal
História da árvore de natalHistória da árvore de natal
História da árvore de natal
labeques
 
Natal
NatalNatal
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Marisol Santos
 
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
Marina Capela Seroto
 
História de uma árvore
História de uma árvoreHistória de uma árvore
História de uma árvore
labeques
 
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
isabel preto
 
História de Natal - " Anjos"
História de Natal - " Anjos"História de Natal - " Anjos"
História de Natal - " Anjos"
Fátima Lares Correia
 
Ovelha perdida
Ovelha perdidaOvelha perdida
Ovelha perdida
Fi Nobre
 
Os três ursos
Os três ursosOs três ursos
Os três ursos
Cláudia Sofia Andrade
 
A historia do natal
A historia do natalA historia do natal
A historia do natal
Luzia Gabriele
 
História da-árvore-de-natal
História da-árvore-de-natalHistória da-árvore-de-natal
História da-árvore-de-natal
bibliotecaeb23vv
 
Simbolos Do Natal
Simbolos Do NatalSimbolos Do Natal
Simbolos Do Natal
JNR
 
O natal está a chegar!
O natal está a chegar!O natal está a chegar!
O natal está a chegar!
Fi Nobre
 
O baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhosO baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhos
Danyela25
 
A Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do NatalA Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do Natal
CARLOS ZACARKIM
 
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado CampinasNatal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
grandesfestas_sonhar_cps
 
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
Cat Rego
 
Mamãe botou um ovo
Mamãe botou um ovoMamãe botou um ovo
Mamãe botou um ovo
Leticia Miura
 
O bolo (um conto russo)
O bolo (um conto russo)O bolo (um conto russo)
O bolo (um conto russo)
Maria Sousa
 
Cachinhos dourados
Cachinhos dourados Cachinhos dourados
Cachinhos dourados
Silvia Pegoraro Generoso
 

Destaque (20)

História da árvore de natal
História da árvore de natalHistória da árvore de natal
História da árvore de natal
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
 
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
Ppt a verdadeira-história-do-natal-1
 
História de uma árvore
História de uma árvoreHistória de uma árvore
História de uma árvore
 
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
 
História de Natal - " Anjos"
História de Natal - " Anjos"História de Natal - " Anjos"
História de Natal - " Anjos"
 
Ovelha perdida
Ovelha perdidaOvelha perdida
Ovelha perdida
 
Os três ursos
Os três ursosOs três ursos
Os três ursos
 
A historia do natal
A historia do natalA historia do natal
A historia do natal
 
História da-árvore-de-natal
História da-árvore-de-natalHistória da-árvore-de-natal
História da-árvore-de-natal
 
Simbolos Do Natal
Simbolos Do NatalSimbolos Do Natal
Simbolos Do Natal
 
O natal está a chegar!
O natal está a chegar!O natal está a chegar!
O natal está a chegar!
 
O baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhosO baile dos 3 porquinhos
O baile dos 3 porquinhos
 
A Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do NatalA Verdadeira Historia Do Natal
A Verdadeira Historia Do Natal
 
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado CampinasNatal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
Natal das Belas Histórias - Sonhar Acordado Campinas
 
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
Eu Sei Tudo Sobre O Pai Natal 2
 
Mamãe botou um ovo
Mamãe botou um ovoMamãe botou um ovo
Mamãe botou um ovo
 
O bolo (um conto russo)
O bolo (um conto russo)O bolo (um conto russo)
O bolo (um conto russo)
 
Cachinhos dourados
Cachinhos dourados Cachinhos dourados
Cachinhos dourados
 

Semelhante a A história do pai natal

10 sonhos de_natal
10 sonhos de_natal10 sonhos de_natal
10 sonhos de_natal
IsabelPereira2010
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
Marcio Flores
 
Interpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portuguesInterpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portugues
Atividades Diversas Cláudia
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
Silmara Colombo
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
De Turista a Viajante
 
O cavalinho de pau do Menino Jesus
O cavalinho de pau do Menino JesusO cavalinho de pau do Menino Jesus
O cavalinho de pau do Menino Jesus
Isabel Pinheiro
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
BibliotecadaEscoladaPonte
 
Histórias de Natal
Histórias de NatalHistórias de Natal
Histórias de Natal
BibliotecadaEscoladaPonte
 
o-vendedor-de-arvores
o-vendedor-de-arvoreso-vendedor-de-arvores
o-vendedor-de-arvores
Bruno César Palma
 
1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a
Anabela Barreira
 
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02aQuemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Anabela Barreira
 
22275686 interpretacao-de-texto-natal
22275686 interpretacao-de-texto-natal22275686 interpretacao-de-texto-natal
22275686 interpretacao-de-texto-natal
Atividades Diversas Cláudia
 
O Natal na Voz do Povo 2
O Natal na Voz do Povo 2O Natal na Voz do Povo 2
O Natal na Voz do Povo 2
Biblioteca Municipal Proença-a-Nova
 
12.23 entrevista com o pai natal
12.23   entrevista com o pai natal12.23   entrevista com o pai natal
12.23 entrevista com o pai natal
Sílvia Bastos
 
Contos
ContosContos
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º hLeitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
becreluisdeloureiro
 
Estafeta de leitura de Natal
Estafeta de leitura de NatalEstafeta de leitura de Natal
Estafeta de leitura de Natal
BibliotecadaEscoladaPonte
 
Promessa de Natal
Promessa de NatalPromessa de Natal
Promessa de Natal
Mima Badan
 
Paragem aLer+_ dezembro.2012
Paragem aLer+_ dezembro.2012Paragem aLer+_ dezembro.2012
Paragem aLer+_ dezembro.2012
bibliotecasjuliomartins
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
Inês Rico
 

Semelhante a A história do pai natal (20)

10 sonhos de_natal
10 sonhos de_natal10 sonhos de_natal
10 sonhos de_natal
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
 
Interpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portuguesInterpretacao de-texto-natal portugues
Interpretacao de-texto-natal portugues
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
 
O cavalinho de pau do Menino Jesus
O cavalinho de pau do Menino JesusO cavalinho de pau do Menino Jesus
O cavalinho de pau do Menino Jesus
 
Poemas de Natal
Poemas de NatalPoemas de Natal
Poemas de Natal
 
Histórias de Natal
Histórias de NatalHistórias de Natal
Histórias de Natal
 
o-vendedor-de-arvores
o-vendedor-de-arvoreso-vendedor-de-arvores
o-vendedor-de-arvores
 
1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a
 
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02aQuemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
 
22275686 interpretacao-de-texto-natal
22275686 interpretacao-de-texto-natal22275686 interpretacao-de-texto-natal
22275686 interpretacao-de-texto-natal
 
O Natal na Voz do Povo 2
O Natal na Voz do Povo 2O Natal na Voz do Povo 2
O Natal na Voz do Povo 2
 
12.23 entrevista com o pai natal
12.23   entrevista com o pai natal12.23   entrevista com o pai natal
12.23 entrevista com o pai natal
 
Contos
ContosContos
Contos
 
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º hLeitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
Leitura recreativa do livro «os sapatos do pai natal», de josé fanha, pelo 5.º h
 
Estafeta de leitura de Natal
Estafeta de leitura de NatalEstafeta de leitura de Natal
Estafeta de leitura de Natal
 
Promessa de Natal
Promessa de NatalPromessa de Natal
Promessa de Natal
 
Paragem aLer+_ dezembro.2012
Paragem aLer+_ dezembro.2012Paragem aLer+_ dezembro.2012
Paragem aLer+_ dezembro.2012
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 

Mais de Ana Teresa

O nao como acto de amor
O nao como acto de amorO nao como acto de amor
O nao como acto de amor
Ana Teresa
 
Como ajud..
Como ajud..Como ajud..
Como ajud..
Ana Teresa
 
Visita de estudo
Visita de estudoVisita de estudo
Visita de estudo
Ana Teresa
 
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincarA ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
Ana Teresa
 
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aulaA importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
Ana Teresa
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
Ana Teresa
 
A importancia do_ludico_na_educacao_infantil
A importancia do_ludico_na_educacao_infantilA importancia do_ludico_na_educacao_infantil
A importancia do_ludico_na_educacao_infantil
Ana Teresa
 
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_criancaA importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
Ana Teresa
 
Grandes homens, fruto de pequenos pormenores
Grandes homens, fruto de pequenos pormenoresGrandes homens, fruto de pequenos pormenores
Grandes homens, fruto de pequenos pormenores
Ana Teresa
 
A caminho de viseu
A caminho de viseuA caminho de viseu
A caminho de viseu
Ana Teresa
 
Béu
BéuBéu
A lebre e a tartaruga
A lebre e a tartarugaA lebre e a tartaruga
A lebre e a tartaruga
Ana Teresa
 
Apresentação1.pptx -1
 Apresentação1.pptx -1 Apresentação1.pptx -1
Apresentação1.pptx -1
Ana Teresa
 
Autoestima pdf
Autoestima pdfAutoestima pdf
Autoestima pdf
Ana Teresa
 
Autoestima pdf
Autoestima pdfAutoestima pdf
Autoestima pdf
Ana Teresa
 
Declaracao universal dos_direitos_da_crianca
Declaracao universal dos_direitos_da_criancaDeclaracao universal dos_direitos_da_crianca
Declaracao universal dos_direitos_da_crianca
Ana Teresa
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
Ana Teresa
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
Ana Teresa
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
Ana Teresa
 
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
Ana Teresa
 

Mais de Ana Teresa (20)

O nao como acto de amor
O nao como acto de amorO nao como acto de amor
O nao como acto de amor
 
Como ajud..
Como ajud..Como ajud..
Como ajud..
 
Visita de estudo
Visita de estudoVisita de estudo
Visita de estudo
 
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincarA ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
A ludoterapia e_a_importancia_do_brincar
 
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aulaA importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
A importancia dos_jogos_e_atividades_em_sala_de_aula
 
A brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprendeA brincar tambem_se_aprende
A brincar tambem_se_aprende
 
A importancia do_ludico_na_educacao_infantil
A importancia do_ludico_na_educacao_infantilA importancia do_ludico_na_educacao_infantil
A importancia do_ludico_na_educacao_infantil
 
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_criancaA importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
A importancia do_brincar_no_desenvolvimento_da_crianca
 
Grandes homens, fruto de pequenos pormenores
Grandes homens, fruto de pequenos pormenoresGrandes homens, fruto de pequenos pormenores
Grandes homens, fruto de pequenos pormenores
 
A caminho de viseu
A caminho de viseuA caminho de viseu
A caminho de viseu
 
Béu
BéuBéu
Béu
 
A lebre e a tartaruga
A lebre e a tartarugaA lebre e a tartaruga
A lebre e a tartaruga
 
Apresentação1.pptx -1
 Apresentação1.pptx -1 Apresentação1.pptx -1
Apresentação1.pptx -1
 
Autoestima pdf
Autoestima pdfAutoestima pdf
Autoestima pdf
 
Autoestima pdf
Autoestima pdfAutoestima pdf
Autoestima pdf
 
Declaracao universal dos_direitos_da_crianca
Declaracao universal dos_direitos_da_criancaDeclaracao universal dos_direitos_da_crianca
Declaracao universal dos_direitos_da_crianca
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 
Direitos das crianças
Direitos das criançasDireitos das crianças
Direitos das crianças
 
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
Diversificação alimentar (primeiro ano de vida)
 

A história do pai natal

  • 1. A História do Pai Natal Era uma vez, há muito, muito tempo, viveu um homem muito grande e forte mas também muito velhinho. As barbas brancas quase lhe tocavam no peito e o seu cabelo comprido estava em desalinho. Um dia, Afonso - assim se chamava ele - sentou-se ao pé da janela a pensar. A certa altura, olhou através da vidraça: lá fora nevava. Os vários pinheiros do seu jardim estavam cobertos de um manto espesso e branco. Contudo, umas pegadas na neve despertaram-lhe a atenção. Um pouco mais adiante, estava um mendigo. Esse pobre homem, que era um sem-abrigo, estava mal agasalhado, descalço e sozinho. Afonso, que tinha um coração de ouro, abriu a janela e chamou-o: - Vem cá, homem! Onde é a tua casa? - Ah! A minha casa?! Eu não tenho casa. - E a tua família? - Esses…nunca os conheci. Vivia com a minha avó, mas ontem ela morreu, não aguentou o frio deste Inverno… - Meu Deus! Mas, que vida tão triste a tua! E agora?! Com quem vives? Sozinho? - Sim, agora vivo sozinho. - Mas… e não tens frio, mal agasalhado e descalço? Bem que precisas de um par de sapatos, de uma camisola e de um casaco! Vou pedir à minha mulher que te faça uma camisola e vou fazer-te eu próprio um par de sapatos! - Oh! Muito obrigado, senhor. Que devo fazer para colaborar consigo? - Eu vou explicar tudo: a minha mulher andava a dizer-me que eu precisava de um trabalho para me entreter. Eu fiquei um bocado confuso: como poderia eu arranjar um emprego de um dia para o outro? E então, quando te vi, lembrei-me imediatamente de um bom passatempo para nós os dois! E até fazíamos uma boa ação e tudo! A minha ideia era construirmos uma fábrica de brinquedos onde trabalharíamos todo o ano para obtermos os melhores e mais bonitos presentes para oferecermos aos meninos bem comportados no final do ano. Podíamos também dar um nome à data de entregar as prendas. Hummm, pode ser NATAL, em honra da minha mulher Natália. - O senhor, isto é, o Afonso tem ideias fabulosas! Para mim o senhor é um verdadeiro santo! - Oh! Oh! Oh! Não sou nada! Sou apenas o Pai Natal! É um bom nome para quem inventa o NATAL! No NATAL, todas as prendas devem estar prontas. Treinarei as minhas renas para grandes viagens, prepararei o meu trenó e… já me estou a ver a cruzar os céus! Só tu poderás estar comigo no trenó, para levares o saco com as prendas! - Mas, Pai Natal, quando é que vai ser o NATAL? - Oh! Meu Deus! Não tinha pensado nisso! Mas, até pode ser no dia em que nasceu Jesus! Ele ficaria orgulhoso de nós! Portanto o NATAL é no dia 25 de Dezembro! É verdade, como te chamas meu amigo? - Chamo-me Cristóvão. - Muito bem, Cristóvão, vamos já contar tudo à minha mulher! Natália ficou encantada com a ideia do marido e prontificou-se logo a chamar todos os duendes empregados para ajudarem na construção da fábrica. Estes adoraram a ideia de passar a trabalhar numa fábrica e empenharam-se mais que nunca na sua construção. Em menos de cinco dias a fábrica estava pronta! Naquele ano todos os duendes tiveram de trabalhar em velocidade máxima, pois o NATAL estava à porta! Todos os dias a fábrica de brinquedos do Pai Natal recebia dezenas de cartas de todos os meninos e meninas do mundo, a encomendarem os seus presentes de NATAL. A todas as cartas o Pai Natal respondia dizendo que se portassem bem. E o prometido é devido: os duendes carregaram as prendas até ao trenó e Cristóvão pô-las no grande saco do Pai Natal. À meia-noite em ponto, o trenó cruzava o céu puxado pelas renas, carregando o saco dos presentes, o Pai Natal, e, claro, Cristóvão! Ainda hoje, sempre que é a noite de Natal, podemos ver o grande trenó com o Pai Natal e Cristóvão, se olharmos para o céu à meia-noite em ponto. Ana Teresa