SlideShare uma empresa Scribd logo
NOME DO ACADÊMICO – RA 111111
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
xxxxx
CIDADE – ESTADO
2014
ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
Este documento refere-se às orientações sobre o relatório que deverá ser postado pelos
alunos após a finalização do Estágio.
O Relatório poderá ser produzido em Grupo, mas deverá ser postado individualmente.
 CAPA: Contendo no início da página a logomarca da Universidade Anhanguera –
Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico e RA (centralizado
- Arial 16 - maiúscula), no meio da página Relatório de Estágio Supervisionado (fonte
Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado) no final da página a cidade, Estado e ano
(fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).
 FOLHA DE ROSTO: Contendo no início da página a logomarca da Universidade
Anhanguera – Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico
e RA (centralizado - Arial 16 - maiúscula), no meio da página Relatório de Estágio
Supervisionado (fonte Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado). Logo abaixo a
descrição do relatório “Relatório de Estágio apresentado ao Curso de XXXXXX do
Centro de Educação a Distância-CEAD da Universidade Anhanguera UNIDERP
como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de Estágio
Supervisionado XXXXXXX.” Dica de Word: digite o texto ao lado normalmente, a
partir da margem esquerda (na opção justificar, quanto às margens) e depois
NOME DO ACADÊMICO – RA 111111
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO
xxxxx
Relatório de Estágio apresentado
ao Curso de XXXXXX do Centro de
Educação a Distância-CEAD da
Universidade Anhanguera
UNIDERP como requisito
obrigatório para cumprimento
da disciplina de
Estágio Supervisionado XXXXXXX.
CIDADE – ESTADO
2014
selecione-o com o mouse e use a seta de recuo para deslocá-lo para a direita. No
final da página a cidade, Estado e ano (fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).
 SUMÁRIO: O sumário1
consiste na enumeração das principais divisões, seções e
outras partes do trabalho, na ordem em que aparecem no texto, acompanhadas
da página inicial.
 As divisões devem estar numeradas em algarismos arábicos, a partir da
Introdução até as Referências. Havendo subdivisões, deve ser adotada a
numeração progressiva, sempre em número arábico e a distinção de caracteres.
Segue exemplo de sumário.
1
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6027: Informação e documentação – Sumário
– Apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
IDENTIFICAÇÃO (Fonte Arial 14 no título)
(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)
Nome do Estagiário: ________________________________________________
R.A.: __________________
Curso: Administração
Semestre: _____________
Ano: ______________
Início do estágio: ___ / ___ / ______
Término do Estágio: ___ / ___ / ______
I – INTRODUÇÃO (Fonte Arial 14 no título)
(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)
 A parte introdutória abre o relatório propriamente dito, devendo ser consideradas
sucintamente as seguintes informações:
a. A importância do estágio para a formação profissional;
b. A delimitação do estágio realizado, no tempo e espaço, ou seja, informar
pontualmente onde o estágio foi realizado e o período utilizado e carga horária.
c. Breve histórico da empresa e suas principais áreas de atuação no mercado.
d. Elencar todos os dados disponibilizados pela empresa e necessários à
complementação do trabalho.
e. Apresentar o setor onde foi desenvolvido o estágio, enfatizando-o de forma mais
detalhada (organograma/fluxograma do setor).
 Todo o texto deverá ser escrito na terceira pessoa, dando caráter impessoal ao
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO .......................................9
2 CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO .............10
2.1 Identificação da empresa ............................... 12
2.2 Histórico ............................................ 15
3 DESENVOLVIMENTO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
REFERÊNCIAS ........................................73
APÊNDICES
A - Tabela de números aleatórios ........................... 82
B - Erro estimado de amostragem para uma bionomial ..........85
ANEXOS
A - Código de ética profissional do administrador..............89
B - Regulamentação da profissão de administrador ............. 91
Relatório de Estágio Supervisionado.
 Neste espaço deve constar, uma apresentação, de no minímo uma página cheia, dos
resultados obtidos pelo/a acadêmico/a durante sua experiência no campo de estágio.
II – DESENVOLVIMENTO: (Fonte Arial 14 no título)
(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)
 Desenvolvimento do Estágio: Descrever o desenvolvimento do estágio, assim como a
metodologia utilizada para análise e desenvolvimento do trabalho.(descrever
detalhadamente o processo da atividade executada)
 Dificuldades Encontradas: Soluções encontradas e resultados obtidos.Relatar as
dificuldades encontradas e como foram solucionadas, dando ênfase aos resultados
obtidos, apresentando planilhas, tabelas e dados reais atingidos no período.
 Análise comparativa entre teoria e prática: Pesquisar (mínimo 02) referencial teórico
sobre a atividade executada no estágio abordado e efetuar a comparação entre a
teoria (livro) e prática desenvolvida na empresa.
III – CONSIDERAÇÕES FINAIS (Fonte Arial 14 no título)
(Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)
 Elaborar suas considerações finais do trabalho de no mínimo duas páginas,
constando suas considerações.
 Descrever a importância do estágio realizado para a sua formação e finalizar com
comentários apresentando sugestões sobre as situações encontradas ( o que foi/o
que é possível modificar na empresa) (qual foi a contribuição do estágio para sua
formação profissional).
 A conclusão é o momento que o/a acadêmico/a descreve no trabalho as suas
impressões fundamentadas nas intervenções da prática diária como estagiário/a.
Desta forma, deve-se expressar com clareza e precisão acerca das conclusões
observadas no decorrer de todas as etapas do projeto.
IV - Referências (Todos os sites, documentos, livros, revistas utilizados no processo de escrita
do relatório de estágio)
 Referência2
é um conjunto padronizado de elementos descritivos de documentos
que permite a sua identificação no todo ou em parte. Apresentação de referências:
2
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6023: Informação e documentação – Referências -
Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
em ordem alfabética e não-numeradas; sequência padronizada dos elementos
essenciais e complementares (São complementares: número de página, número do
ISBN, ISSN e dimensões); alinhamento somente à margem esquerda; uso de espaço
simples; uso de espaço duplo entre referências; pontuação uniforme; destaque de
títulos com itálico; nas entradas pelo título utilizam-se maiúsculas na primeira
palavra, com exclusão de artigos e palavras monossilábicas; casos omissos seguem o
Código de Catalogação Anglo-Americano vigente.
 A elaboração das referências necessita de uma atenção especial, pois é fundamental
que todos os autores que foram citados no texto, estejam nas referências. Por sua
vez, se o autor “não” foi citado na fundamentação, também “não” pode estar listado
nas referências.
Segue abaixo alguns exemplos (apenas com os elementos essenciais):
4.1 Livro com um único autor
PARO, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 7. ed. São Paulo:
Cortez, 1996.
4.2 Livro com até três autores
TOMMASI, L.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O Banco Mundial e as políticas
educacionais. São Paulo: Cortez, 1996.
4.3 Livro com mais de três autores
CANDAU, V. M. et all. Oficina pedagógica de direitos humanos. Petrópolis: Vozes,
1995.
4.4 Livro traduzido
GRAMSCI, A. Concepção dialética da História. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 8.
ed.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.
4.5 Coletânea
MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da educação: dois
olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
4.6 Capítulo de coletânea
SILVA JÚNIOR, C. A. da. O espaço da administração no tempo da gestão. In:
MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da educação: dois
olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 199-211.
4.7 Artigo de periódico (revista)
ROSAR, Maria de Fátima Félix. A dialética entre a concepção e a prática da “gestão
democrática” no âmbito da educação básica no Brasil. Educação & Sociedade. São
Paulo: CEDES, v. 20, n. 69, p.165-176, dez. 1999.
4.8 Artigo de periódico (jornal)
BRAGA, José Carlos de Souza. O espectro que ronda o capitalismo. Folha de S. Paulo.
São Paulo, 1 set. 1996. Caderno MAIS! p. 3. · Obra de instituições: ASSOCIAÇÃO
BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Referências - Elaboração. Rio de
Janeiro, 2002.
4.9 Teses, dissertações e trabalhos de final de curso
FREITAS, Dirce Nei Teixeira de. A avaliação da educação básica no Brasil: dimensão
normativa, pedagógica e educativa. São Paulo, 2005. Tese (Doutorado em Educação),
Universidade do Estado de São Paulo, 2005.
BITTAR, Marisa. Estado e política educacional em Mato Grosso do Sul (1983-1986):
limites de uma proposta democrática. Campo Grande, 1992. Dissertação (Mestrado
em Educação), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 1992.
DUARTE, Jaina Garcia. O fracasso escolar na produção educacional brasileira do
período 1995-2005. Dourados, 2007. Trabalho de conclusão de curso (Pedagogia),
Universidade Federal da Grande Dourados, 2007.
4.10 Textos em anais de eventos editados em CD-ROM
NASCIMENTO, A. C. O índio, a diferença e a escola. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL
DE EDUCAÇÃO, 1. 2001, Cianorte. Anais... Cianorte: UEM, 2001. 1 CD-ROM.
4.11 Textos em meio eletrônico
SOARES, José Francisco. Qualidade e eqüidade na educação básica Brasileira: A
evidência do SAEB-2001. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 12, n. 38, ago.
2004. Disponível em: <http://epaa.asu.edu/epaa/v12n38/>. Acesso em: 19 jan. 2006.
4.12 Legislação
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília
DF: Senado, 1999.
______. Emenda Constitucional (1998). Emenda Constitucional nº. 19, de 4 de junho
de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas de Administração
Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e
custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. In:
Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1999. p. 201-211.
______. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de1996. Estabelece as diretrizes e bases da
educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n.
248, 23 de dez. 1996. MATO GROSSO DO SUL. (Estado). Lei nº. 2.787, de 24 de
dezembro de 2003. Dispõe sobre o Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul
e dá outras providências. Campo Grande: SED, 2004.
DOURADOS. (Municípios). Resolução nº 09, de 22 de setembro de 1999. Dourados:
SEME, 1999. ·
4.13 Página Institucional
CONSED. Desenvolvido pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação.
Apresenta notícias sobre a educação nos estados, documentos e debates nacionais,
programas e projetos voltados para a gestão educacional. Disponível em:
<www.consed.org.br>. Acesso em: 12 abr. 2007.
V - Apêndices
Optativo
(Material produzido pelo acadêmico)
VI – Margens
Superior 3cm
Esquerda3 cm Direita 2cm
Inferior 2cm
 As margens deverão apresentar a seguinte formatação: 3 cm para a margem superior e
esquerda e 2 cm para a margem inferior e direita;
 O recuo de parágrafo para o texto será de 1,5 cm.
ORIENTAÇÕES PARA REALIZAR CITAÇÕES
CITAÇÕES:
 Citações diretas (transcrição literal)
Sistema de chamada “autor-data-página” – antecede obrigatoriamente a
citação, quando esta estiver no corpo do texto.
Grafa-se o sobrenome do autor somente com a inicial maiúscula, quando este
aparecer incluído na sentença. Exemplo: Segundo Dallari (2004, p. 41), ...
Grafa-se o sobrenome do autor em caixa-alta, quando estiver no interior do
parêntesis. Exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41)
Nas citações com até três linhas usam-se aspas duplas. Quando o trecho
transcrito trouxer aspas estas deverão ser substituídas por aspas simples.
Citação direta com mais de três linhas aparece em parágrafo próprio, com
recuo de 4 cm da margem esquerda, sem deslocamento da primeira linha do
parágrafo, sem aspas, sem itálico, transcrita em fonte 10 ou 11 e pontuada conforme
o texto original. A chamada pode aparecer no parágrafo anterior ou após o trecho
transcrito. Neste segundo caso, como no exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41).
2.2 Citações indiretas (síntese de dados retirados de fonte consultada, sem alteração
das idéias do autor)
Usa-se o sistema de chamada “autor-data”, antes ou depois da citação, sem
obrigatoriedade de menção da página.
Exemplos:
Dallari (2004) afirma que .....
............... (DALLARI, 2004).
2.2.1 Citação indireta de diversos textos de um mesmo autor, publicados em anos
diferentes e mencionados simultaneamente, têm as suas datas separadas por vírgula.
Ex:
(PARO, 1997, 2001, 2004).
2.2.2 Citação indireta de diversos textos de vários autores, mencionados
simultaneamente, são separados por ponto e vírgula, em ordem alfabética. Ex:
(AZEVEDO, 2002; CURY, 1998; SILVA, 2002).
2.3 Citação de citação (utilizadas apenas nos casos em que o acesso à fonte original
não é possível)
Indica-se o nome do autor do trecho transcrito seguido das expressões citado por ou
apud. Exemplo: (SILVA, 2005, p. 9 apud FERREIRA, 2006, p. 7).
2.4 Citação em língua estrangeira
Apresentar traduzidas as citações em língua estrangeira usando após a chamada a
expressão tradução nossa. Exemplo:
(NEAVE, 1998, p. 7, tradução nossa).
Nas citações, usar:
[...] para
supressões;
[ ] para interpolações, acréscimos ou comentários. Exemplo: [do mesmo modo]
Negrito ou itálico para ênfase ou destaque, acrescentando-se as seguintes
expressões:
“grifos nossos” ou “grifos do autor”. Exemplo:
Para Dallari (2004, p. 41, grifo do autor), “[...] democracia é muito mais do que a
formalidade do voto, pois seu pleno exercício pressupõe liberdade e igualdade”.
ANEXO N. 01 - MODELO DE CAPA
NOME DO ALUNO – RA
(Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado)
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX
(Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página)
SUA CIDADE - ESTADO
2014
(Arial, tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )
ANEXO N. 02 - MODELO DE FOLHA DE ROSTO
NOME DO ALUNO – RA
(Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado)
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX
(Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página)
Relatório de Estágio apresentado ao Curso
de XXXXXX do Centro de Educação a
Distância - CEAD da Universidade
Anhanguera UNIDERP como requisito
obrigatório para cumprimento da disciplina de
Estágio Supervisionado XXXXXXX.
SUA CIDADE - ESTADO
2014
(Arial,tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Normas da abnt para tcc unopar
Normas da abnt para tcc unoparNormas da abnt para tcc unopar
Normas da abnt para tcc unopar
Rogerio Sena
 
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
Rogerio Sena
 
Anexo unopar
Anexo unoparAnexo unopar
Anexo unopar
tiago possi
 
Abnt consideracoes gerais
Abnt consideracoes geraisAbnt consideracoes gerais
Abnt consideracoes gerais
Jessyca Munis
 
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de SáModelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
Rogerio Sena
 
Elaboração de relatório técnico
Elaboração de relatório técnicoElaboração de relatório técnico
Elaboração de relatório técnico
Paulo Orlando
 
Trabalhos científicos dicas para TCC
Trabalhos científicos dicas para TCCTrabalhos científicos dicas para TCC
Trabalhos científicos dicas para TCC
Diogo Maxwell
 
Normas abnt prof_edson
Normas abnt prof_edsonNormas abnt prof_edson
Normas abnt prof_edson
Governo de Rondônia
 
Modelo de rcc
Modelo de rccModelo de rcc
Modelo de rcc
jasonsilva_sc
 
Manualtrabalho escolar
Manualtrabalho escolarManualtrabalho escolar
Manualtrabalho escolar
richeli
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
verafurlan
 
Relatório Parte 2
Relatório   Parte 2Relatório   Parte 2
Relatório Parte 2
taniamoreirabr
 
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
Mafalda06
 
Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2
Rogerio Sena
 
Guia de normalização unip
Guia de normalização unipGuia de normalização unip
Guia de normalização unip
recursoshumanos257
 
Apostila de monografia estácio de sá
Apostila de monografia estácio de sáApostila de monografia estácio de sá
Apostila de monografia estácio de sá
Professor Sérgio Duarte
 
Modelo de relatorio
Modelo de relatorioModelo de relatorio
Modelo de relatorio
atja12
 
Manual de TCC Unopar
Manual  de TCC UnoparManual  de TCC Unopar
Manual de TCC Unopar
Fabio Frossard
 

Mais procurados (18)

Normas da abnt para tcc unopar
Normas da abnt para tcc unoparNormas da abnt para tcc unopar
Normas da abnt para tcc unopar
 
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
Modelo de TCC UNIC (Universidade de Cuiaba)
 
Anexo unopar
Anexo unoparAnexo unopar
Anexo unopar
 
Abnt consideracoes gerais
Abnt consideracoes geraisAbnt consideracoes gerais
Abnt consideracoes gerais
 
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de SáModelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
Modelo trabalho Acadêmico Estácio de Sá
 
Elaboração de relatório técnico
Elaboração de relatório técnicoElaboração de relatório técnico
Elaboração de relatório técnico
 
Trabalhos científicos dicas para TCC
Trabalhos científicos dicas para TCCTrabalhos científicos dicas para TCC
Trabalhos científicos dicas para TCC
 
Normas abnt prof_edson
Normas abnt prof_edsonNormas abnt prof_edson
Normas abnt prof_edson
 
Modelo de rcc
Modelo de rccModelo de rcc
Modelo de rcc
 
Manualtrabalho escolar
Manualtrabalho escolarManualtrabalho escolar
Manualtrabalho escolar
 
Normas Abnt
Normas AbntNormas Abnt
Normas Abnt
 
Relatório Parte 2
Relatório   Parte 2Relatório   Parte 2
Relatório Parte 2
 
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
Pap regras-gerais-para-elaboracao-relatorios
 
Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2Apresentação unopar modelo 2
Apresentação unopar modelo 2
 
Guia de normalização unip
Guia de normalização unipGuia de normalização unip
Guia de normalização unip
 
Apostila de monografia estácio de sá
Apostila de monografia estácio de sáApostila de monografia estácio de sá
Apostila de monografia estácio de sá
 
Modelo de relatorio
Modelo de relatorioModelo de relatorio
Modelo de relatorio
 
Manual de TCC Unopar
Manual  de TCC UnoparManual  de TCC Unopar
Manual de TCC Unopar
 

Destaque

Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
Silvio Medeiros
 
Manual do estagio utramig
Manual do estagio utramigManual do estagio utramig
Manual do estagio utramig
Sebastião Gessy Fonseca
 
Modelo de monografia
Modelo de monografiaModelo de monografia
Modelo de monografia
11052704
 
Universidade anhanguera uniderp
Universidade anhanguera uniderpUniversidade anhanguera uniderp
Universidade anhanguera uniderp
Sandro Duarte
 
Folha de rosto pasta
Folha de rosto   pastaFolha de rosto   pasta
Folha de rosto pasta
Cristina Militao
 
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEMMONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
leidianekanall
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
Siebra Neto
 
Capa monografia unimontes (1)
Capa monografia unimontes (1)Capa monografia unimontes (1)
Capa monografia unimontes (1)
Bia Lopes
 
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
Alisson Martins
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMORELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
Mayara Dos Santos Camuzzi
 
Manual atividades complementares
Manual atividades complementaresManual atividades complementares
Manual atividades complementares
producaoaudiovisualunip
 
Normas para relatório de visita
Normas para relatório de visitaNormas para relatório de visita
Normas para relatório de visita
Williams Barbosa
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
cristiane1981
 
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - ModeloRelatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
Pedro Lisboa
 
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em BiblioteconomiaRelatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Vanessa Souza Pereira
 
Tecnicas de Negociação
Tecnicas de NegociaçãoTecnicas de Negociação
Tecnicas de Negociação
grupologisticaturma1C
 
Slides para apresentação Acadêmica 02
Slides para apresentação Acadêmica 02Slides para apresentação Acadêmica 02
Slides para apresentação Acadêmica 02
RafaelBorges3
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionado
ADRIANA BECKER
 
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps   estrutura e análise das demonstrações financeirasAtps   estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
Mai Reginato
 
Modelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em químicaModelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em química
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 

Destaque (20)

Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!Relatorio final pronto!
Relatorio final pronto!
 
Manual do estagio utramig
Manual do estagio utramigManual do estagio utramig
Manual do estagio utramig
 
Modelo de monografia
Modelo de monografiaModelo de monografia
Modelo de monografia
 
Universidade anhanguera uniderp
Universidade anhanguera uniderpUniversidade anhanguera uniderp
Universidade anhanguera uniderp
 
Folha de rosto pasta
Folha de rosto   pastaFolha de rosto   pasta
Folha de rosto pasta
 
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEMMONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
MONOGRAFIA DE ENFERMAGEM
 
Teoria da Administração
Teoria da AdministraçãoTeoria da Administração
Teoria da Administração
 
Capa monografia unimontes (1)
Capa monografia unimontes (1)Capa monografia unimontes (1)
Capa monografia unimontes (1)
 
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
Padrão de trabalho desafio profissional matemática e processos gerenciais 2014
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMORELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO II DE ENFERMAGEM - RESUMO
 
Manual atividades complementares
Manual atividades complementaresManual atividades complementares
Manual atividades complementares
 
Normas para relatório de visita
Normas para relatório de visitaNormas para relatório de visita
Normas para relatório de visita
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - ModeloRelatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
Relatório de Estágio - Técnico em Segurança do Trabalho - Modelo
 
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em BiblioteconomiaRelatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
Relatório de Estágio - Curso Técnico em Biblioteconomia
 
Tecnicas de Negociação
Tecnicas de NegociaçãoTecnicas de Negociação
Tecnicas de Negociação
 
Slides para apresentação Acadêmica 02
Slides para apresentação Acadêmica 02Slides para apresentação Acadêmica 02
Slides para apresentação Acadêmica 02
 
Manual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionadoManual de estágio_supervisionado
Manual de estágio_supervisionado
 
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps   estrutura e análise das demonstrações financeirasAtps   estrutura e análise das demonstrações financeiras
Atps estrutura e análise das demonstrações financeiras
 
Modelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em químicaModelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em química
 

Semelhante a 2014 adm orientaã‡ã•es para elaboraã‡ãƒo do relatã“rio de estã-gio supervisionado (1)

Estrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academicoEstrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academico
marceloedf
 
NORMAS PARA TRABALHOS E TCC
NORMAS PARA TRABALHOS E TCCNORMAS PARA TRABALHOS E TCC
NORMAS PARA TRABALHOS E TCC
mendesso
 
Abnt referencias
Abnt referenciasAbnt referencias
Abnt referencias
Thiago Oliveira
 
Atps producao de textos (2)
Atps producao de textos (2)Atps producao de textos (2)
Atps producao de textos (2)
Deni Dias
 
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil 20231.pptx
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil  20231.pptxFORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil  20231.pptx
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil 20231.pptx
SuilanMoreiraFerreir
 
Modelo de artigo científico
Modelo de artigo científicoModelo de artigo científico
Modelo de artigo científico
Wendell Gato Melo
 
Tcc f9 modelo_monografia
Tcc f9 modelo_monografiaTcc f9 modelo_monografia
Tcc f9 modelo_monografia
Tatiane Andrade Dias
 
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
Mais Monografia Monografia
 
Manual textuais 2013 fcc
Manual textuais 2013 fccManual textuais 2013 fcc
Manual textuais 2013 fcc
joao0711
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
profeducar
 
Guião:Como elaborar um relatório
Guião:Como elaborar um  relatório Guião:Como elaborar um  relatório
Guião:Como elaborar um relatório
bedjoaoii
 
Roteiro elaboração relatório final
Roteiro elaboração relatório finalRoteiro elaboração relatório final
Roteiro elaboração relatório final
CamilaClivati
 
Modelo artigo atps
Modelo artigo atpsModelo artigo atps
Modelo artigo atps
rickemii
 
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
Fernando644854
 
Sugestão de relatório
Sugestão de relatório Sugestão de relatório
Sugestão de relatório
ssuserc07aee
 
Estrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academicoEstrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academico
marceloedf
 
Modelo padrão para tcc pós graduação
Modelo padrão para tcc pós graduaçãoModelo padrão para tcc pós graduação
Modelo padrão para tcc pós graduação
Alexandre Lima
 
Modelo de monografia
Modelo de monografiaModelo de monografia
Modelo de monografia
irenio soares
 
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
Jordano Santos Cerqueira
 
Guião projeto investigação
Guião projeto investigaçãoGuião projeto investigação
Guião projeto investigação
Élio Geadas
 

Semelhante a 2014 adm orientaã‡ã•es para elaboraã‡ãƒo do relatã“rio de estã-gio supervisionado (1) (20)

Estrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academicoEstrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academico
 
NORMAS PARA TRABALHOS E TCC
NORMAS PARA TRABALHOS E TCCNORMAS PARA TRABALHOS E TCC
NORMAS PARA TRABALHOS E TCC
 
Abnt referencias
Abnt referenciasAbnt referencias
Abnt referencias
 
Atps producao de textos (2)
Atps producao de textos (2)Atps producao de textos (2)
Atps producao de textos (2)
 
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil 20231.pptx
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil  20231.pptxFORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil  20231.pptx
FORMATAÇÃO Norma ABNT Brasil 20231.pptx
 
Modelo de artigo científico
Modelo de artigo científicoModelo de artigo científico
Modelo de artigo científico
 
Tcc f9 modelo_monografia
Tcc f9 modelo_monografiaTcc f9 modelo_monografia
Tcc f9 modelo_monografia
 
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
Modelo de Monografia Normas Abnt 2002
 
Manual textuais 2013 fcc
Manual textuais 2013 fccManual textuais 2013 fcc
Manual textuais 2013 fcc
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Guião:Como elaborar um relatório
Guião:Como elaborar um  relatório Guião:Como elaborar um  relatório
Guião:Como elaborar um relatório
 
Roteiro elaboração relatório final
Roteiro elaboração relatório finalRoteiro elaboração relatório final
Roteiro elaboração relatório final
 
Modelo artigo atps
Modelo artigo atpsModelo artigo atps
Modelo artigo atps
 
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
Slides-Normalização de Trabalhos Acadêmicos de Acordo com as Normas ABNT - Mó...
 
Sugestão de relatório
Sugestão de relatório Sugestão de relatório
Sugestão de relatório
 
Estrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academicoEstrutura trabalho academico
Estrutura trabalho academico
 
Modelo padrão para tcc pós graduação
Modelo padrão para tcc pós graduaçãoModelo padrão para tcc pós graduação
Modelo padrão para tcc pós graduação
 
Modelo de monografia
Modelo de monografiaModelo de monografia
Modelo de monografia
 
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
FACELI - 3° período - Curso de Metodologia da Pesquisa - Referências e citaçã...
 
Guião projeto investigação
Guião projeto investigaçãoGuião projeto investigação
Guião projeto investigação
 

Último

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 

2014 adm orientaã‡ã•es para elaboraã‡ãƒo do relatã“rio de estã-gio supervisionado (1)

  • 1. NOME DO ACADÊMICO – RA 111111 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO xxxxx CIDADE – ESTADO 2014 ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Este documento refere-se às orientações sobre o relatório que deverá ser postado pelos alunos após a finalização do Estágio. O Relatório poderá ser produzido em Grupo, mas deverá ser postado individualmente.  CAPA: Contendo no início da página a logomarca da Universidade Anhanguera – Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico e RA (centralizado - Arial 16 - maiúscula), no meio da página Relatório de Estágio Supervisionado (fonte Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado) no final da página a cidade, Estado e ano (fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).  FOLHA DE ROSTO: Contendo no início da página a logomarca da Universidade Anhanguera – Uniderp – Centro de Educação a Distância, o Nome do Acadêmico e RA (centralizado - Arial 16 - maiúscula), no meio da página Relatório de Estágio Supervisionado (fonte Arial 16 maiúscula, negrito e centralizado). Logo abaixo a descrição do relatório “Relatório de Estágio apresentado ao Curso de XXXXXX do Centro de Educação a Distância-CEAD da Universidade Anhanguera UNIDERP como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de Estágio Supervisionado XXXXXXX.” Dica de Word: digite o texto ao lado normalmente, a partir da margem esquerda (na opção justificar, quanto às margens) e depois
  • 2. NOME DO ACADÊMICO – RA 111111 RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO xxxxx Relatório de Estágio apresentado ao Curso de XXXXXX do Centro de Educação a Distância-CEAD da Universidade Anhanguera UNIDERP como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de Estágio Supervisionado XXXXXXX. CIDADE – ESTADO 2014 selecione-o com o mouse e use a seta de recuo para deslocá-lo para a direita. No final da página a cidade, Estado e ano (fonte Arial 12 - maiúscula e centralizada).  SUMÁRIO: O sumário1 consiste na enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na ordem em que aparecem no texto, acompanhadas da página inicial.  As divisões devem estar numeradas em algarismos arábicos, a partir da Introdução até as Referências. Havendo subdivisões, deve ser adotada a numeração progressiva, sempre em número arábico e a distinção de caracteres. Segue exemplo de sumário. 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6027: Informação e documentação – Sumário – Apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
  • 3. IDENTIFICAÇÃO (Fonte Arial 14 no título) (Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas) Nome do Estagiário: ________________________________________________ R.A.: __________________ Curso: Administração Semestre: _____________ Ano: ______________ Início do estágio: ___ / ___ / ______ Término do Estágio: ___ / ___ / ______ I – INTRODUÇÃO (Fonte Arial 14 no título) (Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)  A parte introdutória abre o relatório propriamente dito, devendo ser consideradas sucintamente as seguintes informações: a. A importância do estágio para a formação profissional; b. A delimitação do estágio realizado, no tempo e espaço, ou seja, informar pontualmente onde o estágio foi realizado e o período utilizado e carga horária. c. Breve histórico da empresa e suas principais áreas de atuação no mercado. d. Elencar todos os dados disponibilizados pela empresa e necessários à complementação do trabalho. e. Apresentar o setor onde foi desenvolvido o estágio, enfatizando-o de forma mais detalhada (organograma/fluxograma do setor).  Todo o texto deverá ser escrito na terceira pessoa, dando caráter impessoal ao SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO .......................................9 2 CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO .............10 2.1 Identificação da empresa ............................... 12 2.2 Histórico ............................................ 15 3 DESENVOLVIMENTO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 REFERÊNCIAS ........................................73 APÊNDICES A - Tabela de números aleatórios ........................... 82 B - Erro estimado de amostragem para uma bionomial ..........85 ANEXOS A - Código de ética profissional do administrador..............89 B - Regulamentação da profissão de administrador ............. 91
  • 4. Relatório de Estágio Supervisionado.  Neste espaço deve constar, uma apresentação, de no minímo uma página cheia, dos resultados obtidos pelo/a acadêmico/a durante sua experiência no campo de estágio. II – DESENVOLVIMENTO: (Fonte Arial 14 no título) (Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)  Desenvolvimento do Estágio: Descrever o desenvolvimento do estágio, assim como a metodologia utilizada para análise e desenvolvimento do trabalho.(descrever detalhadamente o processo da atividade executada)  Dificuldades Encontradas: Soluções encontradas e resultados obtidos.Relatar as dificuldades encontradas e como foram solucionadas, dando ênfase aos resultados obtidos, apresentando planilhas, tabelas e dados reais atingidos no período.  Análise comparativa entre teoria e prática: Pesquisar (mínimo 02) referencial teórico sobre a atividade executada no estágio abordado e efetuar a comparação entre a teoria (livro) e prática desenvolvida na empresa. III – CONSIDERAÇÕES FINAIS (Fonte Arial 14 no título) (Arial 12 no texto, com espaçamento de 1,5 entre linhas)  Elaborar suas considerações finais do trabalho de no mínimo duas páginas, constando suas considerações.  Descrever a importância do estágio realizado para a sua formação e finalizar com comentários apresentando sugestões sobre as situações encontradas ( o que foi/o que é possível modificar na empresa) (qual foi a contribuição do estágio para sua formação profissional).  A conclusão é o momento que o/a acadêmico/a descreve no trabalho as suas impressões fundamentadas nas intervenções da prática diária como estagiário/a. Desta forma, deve-se expressar com clareza e precisão acerca das conclusões observadas no decorrer de todas as etapas do projeto. IV - Referências (Todos os sites, documentos, livros, revistas utilizados no processo de escrita do relatório de estágio)  Referência2 é um conjunto padronizado de elementos descritivos de documentos que permite a sua identificação no todo ou em parte. Apresentação de referências: 2 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR6023: Informação e documentação – Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
  • 5. em ordem alfabética e não-numeradas; sequência padronizada dos elementos essenciais e complementares (São complementares: número de página, número do ISBN, ISSN e dimensões); alinhamento somente à margem esquerda; uso de espaço simples; uso de espaço duplo entre referências; pontuação uniforme; destaque de títulos com itálico; nas entradas pelo título utilizam-se maiúsculas na primeira palavra, com exclusão de artigos e palavras monossilábicas; casos omissos seguem o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente.  A elaboração das referências necessita de uma atenção especial, pois é fundamental que todos os autores que foram citados no texto, estejam nas referências. Por sua vez, se o autor “não” foi citado na fundamentação, também “não” pode estar listado nas referências. Segue abaixo alguns exemplos (apenas com os elementos essenciais): 4.1 Livro com um único autor PARO, Vitor Henrique. Administração escolar: introdução crítica. 7. ed. São Paulo: Cortez, 1996. 4.2 Livro com até três autores TOMMASI, L.; WARDE, M. J.; HADDAD, S. O Banco Mundial e as políticas educacionais. São Paulo: Cortez, 1996. 4.3 Livro com mais de três autores CANDAU, V. M. et all. Oficina pedagógica de direitos humanos. Petrópolis: Vozes, 1995. 4.4 Livro traduzido GRAMSCI, A. Concepção dialética da História. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 8. ed.Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989. 4.5 Coletânea MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da educação: dois olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. 4.6 Capítulo de coletânea
  • 6. SILVA JÚNIOR, C. A. da. O espaço da administração no tempo da gestão. In: MACHADO, L. M.; FERREIRA, N. S. C. (Orgs.). Política e gestão da educação: dois olhares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 199-211. 4.7 Artigo de periódico (revista) ROSAR, Maria de Fátima Félix. A dialética entre a concepção e a prática da “gestão democrática” no âmbito da educação básica no Brasil. Educação & Sociedade. São Paulo: CEDES, v. 20, n. 69, p.165-176, dez. 1999. 4.8 Artigo de periódico (jornal) BRAGA, José Carlos de Souza. O espectro que ronda o capitalismo. Folha de S. Paulo. São Paulo, 1 set. 1996. Caderno MAIS! p. 3. · Obra de instituições: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Referências - Elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 4.9 Teses, dissertações e trabalhos de final de curso FREITAS, Dirce Nei Teixeira de. A avaliação da educação básica no Brasil: dimensão normativa, pedagógica e educativa. São Paulo, 2005. Tese (Doutorado em Educação), Universidade do Estado de São Paulo, 2005. BITTAR, Marisa. Estado e política educacional em Mato Grosso do Sul (1983-1986): limites de uma proposta democrática. Campo Grande, 1992. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 1992. DUARTE, Jaina Garcia. O fracasso escolar na produção educacional brasileira do período 1995-2005. Dourados, 2007. Trabalho de conclusão de curso (Pedagogia), Universidade Federal da Grande Dourados, 2007. 4.10 Textos em anais de eventos editados em CD-ROM NASCIMENTO, A. C. O índio, a diferença e a escola. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO, 1. 2001, Cianorte. Anais... Cianorte: UEM, 2001. 1 CD-ROM. 4.11 Textos em meio eletrônico SOARES, José Francisco. Qualidade e eqüidade na educação básica Brasileira: A evidência do SAEB-2001. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 12, n. 38, ago. 2004. Disponível em: <http://epaa.asu.edu/epaa/v12n38/>. Acesso em: 19 jan. 2006. 4.12 Legislação BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília DF: Senado, 1999.
  • 7. ______. Emenda Constitucional (1998). Emenda Constitucional nº. 19, de 4 de junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas de Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. In: Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1999. p. 201-211. ______. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 248, 23 de dez. 1996. MATO GROSSO DO SUL. (Estado). Lei nº. 2.787, de 24 de dezembro de 2003. Dispõe sobre o Sistema Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul e dá outras providências. Campo Grande: SED, 2004. DOURADOS. (Municípios). Resolução nº 09, de 22 de setembro de 1999. Dourados: SEME, 1999. · 4.13 Página Institucional CONSED. Desenvolvido pelo Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação. Apresenta notícias sobre a educação nos estados, documentos e debates nacionais, programas e projetos voltados para a gestão educacional. Disponível em: <www.consed.org.br>. Acesso em: 12 abr. 2007. V - Apêndices Optativo (Material produzido pelo acadêmico) VI – Margens Superior 3cm Esquerda3 cm Direita 2cm Inferior 2cm  As margens deverão apresentar a seguinte formatação: 3 cm para a margem superior e esquerda e 2 cm para a margem inferior e direita;  O recuo de parágrafo para o texto será de 1,5 cm. ORIENTAÇÕES PARA REALIZAR CITAÇÕES CITAÇÕES:  Citações diretas (transcrição literal)
  • 8. Sistema de chamada “autor-data-página” – antecede obrigatoriamente a citação, quando esta estiver no corpo do texto. Grafa-se o sobrenome do autor somente com a inicial maiúscula, quando este aparecer incluído na sentença. Exemplo: Segundo Dallari (2004, p. 41), ... Grafa-se o sobrenome do autor em caixa-alta, quando estiver no interior do parêntesis. Exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41) Nas citações com até três linhas usam-se aspas duplas. Quando o trecho transcrito trouxer aspas estas deverão ser substituídas por aspas simples. Citação direta com mais de três linhas aparece em parágrafo próprio, com recuo de 4 cm da margem esquerda, sem deslocamento da primeira linha do parágrafo, sem aspas, sem itálico, transcrita em fonte 10 ou 11 e pontuada conforme o texto original. A chamada pode aparecer no parágrafo anterior ou após o trecho transcrito. Neste segundo caso, como no exemplo: (DALLARI, 2004, p. 41). 2.2 Citações indiretas (síntese de dados retirados de fonte consultada, sem alteração das idéias do autor) Usa-se o sistema de chamada “autor-data”, antes ou depois da citação, sem obrigatoriedade de menção da página. Exemplos: Dallari (2004) afirma que ..... ............... (DALLARI, 2004). 2.2.1 Citação indireta de diversos textos de um mesmo autor, publicados em anos diferentes e mencionados simultaneamente, têm as suas datas separadas por vírgula. Ex: (PARO, 1997, 2001, 2004). 2.2.2 Citação indireta de diversos textos de vários autores, mencionados simultaneamente, são separados por ponto e vírgula, em ordem alfabética. Ex: (AZEVEDO, 2002; CURY, 1998; SILVA, 2002). 2.3 Citação de citação (utilizadas apenas nos casos em que o acesso à fonte original não é possível)
  • 9. Indica-se o nome do autor do trecho transcrito seguido das expressões citado por ou apud. Exemplo: (SILVA, 2005, p. 9 apud FERREIRA, 2006, p. 7). 2.4 Citação em língua estrangeira Apresentar traduzidas as citações em língua estrangeira usando após a chamada a expressão tradução nossa. Exemplo: (NEAVE, 1998, p. 7, tradução nossa). Nas citações, usar: [...] para supressões; [ ] para interpolações, acréscimos ou comentários. Exemplo: [do mesmo modo] Negrito ou itálico para ênfase ou destaque, acrescentando-se as seguintes expressões: “grifos nossos” ou “grifos do autor”. Exemplo: Para Dallari (2004, p. 41, grifo do autor), “[...] democracia é muito mais do que a formalidade do voto, pois seu pleno exercício pressupõe liberdade e igualdade”.
  • 10. ANEXO N. 01 - MODELO DE CAPA NOME DO ALUNO – RA (Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado) RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX (Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página) SUA CIDADE - ESTADO 2014 (Arial, tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )
  • 11. ANEXO N. 02 - MODELO DE FOLHA DE ROSTO NOME DO ALUNO – RA (Arial, tam.16, maiúsculo, normal, centralizado) RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO XXXX (Arial, tam. 16, maiúsculo, negrito, centralizado e, verticalmente ao meio da página) Relatório de Estágio apresentado ao Curso de XXXXXX do Centro de Educação a Distância - CEAD da Universidade Anhanguera UNIDERP como requisito obrigatório para cumprimento da disciplina de Estágio Supervisionado XXXXXXX. SUA CIDADE - ESTADO 2014 (Arial,tam.12, maiúsculo, normal, centralizado )