SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
2ª. Parte da espiritualidade
RETORNAR A JESUS
comunicar-nos confiantemente com Jesus
Amigo e companheiro de caminho.
deixar-nos ensinar dia a dia por Ele
Os discípulos de Jesus Cristo têm que ser semeadores de
fraternidade em todos os momentos e em todas as
circunstâncias da vida.
Quando um homem ou uma mulher vivem intensamente o
espírito cristão, todas as suas atividades e relações
refletem e comunicam a caridade de Deus e os bens do
Reino.
É preciso que os cristãos saibam pôr nas suas relações
cotidianas de família, amizade, vizinhança, trabalho e lazer,
a marca do amor cristão, que é simplicidade,
veracidade, fidelidade, mansidão, generosidade,
solidariedade e alegria.
(Conferência Episcopal Espanhola, Instr. pastoral Os católicos na
vida pública, 22-IV-1986)
SEMEADORES DE FRATERNIDADE
“A vida alcança-se e amadurece à medida que é entregue para dar vida aos
outros.” Isto é, definitivamente, a missão». Consequentemente, um evangelizador
não deveria ter constantemente uma cara de funeral. Recuperemos e aumentemos
o fervor de espírito, «a suave e reconfortante alegria de evangelizar, mesmo
quando for preciso semear com lágrimas! (...) (EG)
Cada ser humano precisa sempre
mais de Cristo e a evangelização não
deveria deixar que alguém se
contente com pouco,
mas possa dizer com plena verdade:
“Já não sou eu que vivo,
mas é Cristo que vive em mim.”
(Gl 2,20) (EG 160)
Ninguém nos pode tirar a dignidade que o amor infinito e inabalável de Deus nos confere.
Ele permite-nos levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos defrauda e
sempre nos pode restituir a alegria. Não fujamos da ressurreição de Jesus; nunca nos
demos por mortos, suceda o que suceder. Que nada possa mais do que a sua vida que nos
impele para diante! (EG)
O QUE O TEXTO BÍBLICO
E A REFLEXÃO QUE FIZEMOS DIZEM PARA
NÓS HOJE? PARA A NOSSA VIDA? PARA A NOSSA
MISSÃO?
A quem eu entreguei a minha vida?
Qual é o caminho que sigo?
Onde coloco meu coração?
Em quem coloco a minha esperança?
A quem estou servindo?
Quem é o meu senhor?
A alegria é meu testemunho?
Será que nós cristãos somos uma "boa
notícia" para alguém? O que se vive em
nossas comunidades cristãs, o que se observa
entre os que creem, é "boa notícia"
para as pessoas de hoje?
Será que nós cristãos colocamos na atual
sociedade algo que dê sabor à vida, algo que
purifique, cure e liberte da decomposição
espiritual e do egoísmo brutal e insolidário?
Vivemos algo que possa iluminar as pessoas
nestes tempos de incerteza, oferecendo uma
esperança e um horizonte novo aos que
buscam salvação?
É Jesus que te pergunta hoje:
Tu crês no que Eu acreditei?
Dás importância ao que Eu dei
importância?
Defendes a causa do ser humano como Eu
a defendi?
Tu te aproximas dos indefesos e
desvalidos como Eu me aproximei?
És livre para fazer o bem como Eu o fiz?
Confias no Pai como Eu confiei?
-Enfrentas a vida e a morte com a
esperança
Tu te interessas pelo que Eu me
interessei?
Amas as pessoas como Eu as amei?
Entendes a vida cristã como uma
aventura constante de renovação,
um ir fazendo de ti mesmo
um "ser humano novo'‘?
Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado
desde a criação do mundo. (Mt 25,34)
Em nossa prática de
Iniciação à Vida Cristã, o
que tem sido a “água
fresca” de Jesus?
(Resposta em forma de
oração. Escolher um gesto
simbólico.)
E o que tem sido a
“água parada,
estagnada”?
(Resposta em forma de
oração, pedindo perdão ao
Senhor. Escolher um gesto
que simbolize este
perdão.)
Perdão Senhor, tantos erros cometi.
Perdão Senhor tantas vezes me omiti.
Perdão Senhor pelos males que causei, pelas
coisas que falei,
pelo irmão que eu julguei.
Perdão Senhor pelos males que causei, pelas
coisas que falei,
pelo irmão que eu julguei.
REFRÃO: Piedade Senhor, tem piedade, senhor,
e liberta minha alma para o amor
Piedade Senhor, tem piedade, senhor,
Meu pecado vem lavar com seu amor.
Perdão Senhor porque sou tão pecador.
Perdão Senhor, sou pequeno e sem valor.
Mas mesmo assim tu me amas, quero então te
entregar meu coração, suplicar o teu perdão.
Mas mesmo assim tu me amas, quero então te
entregar meu coração, suplicar o teu perdão.
Ofereçamos ao Senhor as
dificuldades que encontramos em
nossa prática catequética,
pedindo perdão pelas águas
estagnadas, paradas que
encontramos ou permitimos
estagnar.
Após cada prece,
respondemos
cantando:
Piedade, piedade,
piedade de nós!
1 - Vejam, eu andei pelas vilas,
Apontei as saídas como o Pai me pediu
Portas, eu cheguei para abri-las,
Eu curei as feridas como nunca se viu
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
2 - Vejam, fiz de novo a leitura das raízes da vida
Que meu Pai vê melhor
Luzes, ascendi com brandura
Para a ovelha perdida não medi meu suor
3 - Vejam, procurei bem aqueles que ninguém
procurava E falei do meu Pai
Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver
Escrava de um poder que retrai
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
4 - Vejam, semeei consciência nos caminhos do povo
Pois o Pai quer assim
Tramas, enfrentei prepotência dos que temem
O novo qual perigo sem fim
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
5 - Vejam, eu quebrei as algemas, levantei os
caídos, Do meu Pai fui as mãos
Laços, recusei os esquemas
Eu não quero oprimidos, quero um povo de irmãos
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser
assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
6 - Vejam, procurei ser bem claro: o meu Reino
é diverso. Não precisa de rei!
Tronos outro jeito mais raro de juntar o
disperso. O meu Pai tem por lei
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser
assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
7 - Vejam, do meu Pai a vontade eu cumpri
passo a passo
Foi para isso que eu vim
Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao
fracasso
Eu mantive o meu "SIM"
REFRÃO: Por onde formos também nós
que brilhe a tua luz!
Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida
Nosso caminho então conduz. Queremos ser
assim!
Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
QUEREMOS
LOUVAR O
SENHOR
POR TODA A
ÁGUA FRESCA
QUE JORRA DE
NOSSA PRÁTICA
CATEQUÉTICA:
Resposta rezada:
Louvado sejas,
meu Senhor,
pelo teu amor
derramado
através de nós!
Pelos prados e campinas verdejantes eu vou
É o Senhor que me leva a descansar
Junto às fontes de águas puras repousantes eu vou
Minhas forças o Senhor vai animar
Tu és, Senhor, o meu pastor
Por isso nada em minha vida faltará
Tu és, Senhor, o meu pastor
Por isso nada em minha vida faltará (nada faltará)
Nos caminhos mais seguros junto d'Ele eu vou
E pra sempre o Seu nome eu honrarei
Se eu encontro mil abismos nos caminhos eu vou
Segurança sempre tenho em suas mãos
Ao banquete em sua casa muito alegre eu vou
Um lugar em Sua mesa me preparou
Ele unge minha fronte e me faz ser feliz
E transborda a minha taça em Seu amor
Com alegria e esperança caminhando eu vou
Minha vida está sempre em suas mãos
E na casa do Senhor eu irei habitar
E este canto para sempre irei cantar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

(01) mensagem especial para abertura de célula
(01) mensagem especial para abertura de célula(01) mensagem especial para abertura de célula
(01) mensagem especial para abertura de célula
Eduardo da Silva
 
Aniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação CavanisAniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação Cavanis
Edvaldo001
 

Mais procurados (18)

Boletim 218
Boletim 218Boletim 218
Boletim 218
 
Boletim243
Boletim243Boletim243
Boletim243
 
(01) mensagem especial para abertura de célula
(01) mensagem especial para abertura de célula(01) mensagem especial para abertura de célula
(01) mensagem especial para abertura de célula
 
Boletim 131 (23 10-2011)
Boletim 131 (23 10-2011)Boletim 131 (23 10-2011)
Boletim 131 (23 10-2011)
 
Aniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação CavanisAniversário da Congregação Cavanis
Aniversário da Congregação Cavanis
 
Livro cifras - Santas Missões Populares
Livro cifras - Santas Missões PopularesLivro cifras - Santas Missões Populares
Livro cifras - Santas Missões Populares
 
Celebração nas Comunidades Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas feve...
Celebração nas Comunidades  Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas  feve...Celebração nas Comunidades  Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas  feve...
Celebração nas Comunidades Eclesiais de Base - (Quarta-Feira de Cinzas feve...
 
Estudo Celiulas 2
Estudo Celiulas 2Estudo Celiulas 2
Estudo Celiulas 2
 
Revista reavivados-oracao
Revista reavivados-oracaoRevista reavivados-oracao
Revista reavivados-oracao
 
Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012Apocalipse 04 de novembro de 2012
Apocalipse 04 de novembro de 2012
 
Boletim242
Boletim242Boletim242
Boletim242
 
Boletim 669 - 23/02/20
Boletim 669 - 23/02/20Boletim 669 - 23/02/20
Boletim 669 - 23/02/20
 
Boletim 711 - 13/12/20
Boletim 711 - 13/12/20Boletim 711 - 13/12/20
Boletim 711 - 13/12/20
 
Amigos de deus
Amigos de deusAmigos de deus
Amigos de deus
 
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPNovena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Novena de Natal 2014 - CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
 
Missões News 02/2022
Missões News 02/2022Missões News 02/2022
Missões News 02/2022
 
1ª noite do trigo cedv
1ª noite do trigo cedv1ª noite do trigo cedv
1ª noite do trigo cedv
 
Novena mariana mês de maio
Novena mariana   mês de maioNovena mariana   mês de maio
Novena mariana mês de maio
 

Semelhante a 2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor

Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009
Edvaldo001
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
Gustavo Scheffer
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
Gustavo Scheffer
 
12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração
Gustavo Scheffer
 
12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração
Gustavo Scheffer
 
5 noite do trigo ministros
5 noite do trigo ministros5 noite do trigo ministros
5 noite do trigo ministros
Gustavo Scheffer
 
Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009
Edvaldo001
 

Semelhante a 2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor (20)

Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
 
10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral10ª noite do trigo conselho pastoral
10ª noite do trigo conselho pastoral
 
12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração
 
12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração12ª noite do trigo apostolodo da oração
12ª noite do trigo apostolodo da oração
 
Navegar
NavegarNavegar
Navegar
 
6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar
 
assunçao de maria grupo misao .ppt
assunçao de maria grupo misao .pptassunçao de maria grupo misao .ppt
assunçao de maria grupo misao .ppt
 
5 noite do trigo ministros
5 noite do trigo ministros5 noite do trigo ministros
5 noite do trigo ministros
 
Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009Semana Cavanis 2009
Semana Cavanis 2009
 
6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar6 noite do trigo casa lar
6 noite do trigo casa lar
 
390
390390
390
 
Slides 27 02
Slides 27 02Slides 27 02
Slides 27 02
 
Jesus nosso mestre e senhor
Jesus nosso mestre e senhorJesus nosso mestre e senhor
Jesus nosso mestre e senhor
 
Modelo novo tempo da criação
Modelo novo tempo da criaçãoModelo novo tempo da criação
Modelo novo tempo da criação
 
Missa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristiaMissa primeira eucaristia
Missa primeira eucaristia
 
Missa 07 10 noite
Missa 07 10 noiteMissa 07 10 noite
Missa 07 10 noite
 
Missa 07 10 noite
Missa 07 10 noiteMissa 07 10 noite
Missa 07 10 noite
 
Revista Divino Oleiro Novembro 2014
Revista Divino Oleiro Novembro 2014Revista Divino Oleiro Novembro 2014
Revista Divino Oleiro Novembro 2014
 
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SPSubsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
Subsídio das CEBs - Diocese de São José dos Campos - SP
 

Mais de Liana Plentz

O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da   formaçãoO sentido da vida na dimensão antropológica da   formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
Liana Plentz
 

Mais de Liana Plentz (20)

CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SERCONFIAR A DEUS O NOSSO SER
CONFIAR A DEUS O NOSSO SER
 
TEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUSTEMOR DE DEUS
TEMOR DE DEUS
 
Fortaleza e coragem
Fortaleza e coragemFortaleza e coragem
Fortaleza e coragem
 
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENALPARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
PARÓQUIA E INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL
 
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
Orientações para a animação bíblica da pastoral (3)
 
À Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fideiÀ Luz da fé - lumen fidei
À Luz da fé - lumen fidei
 
Palavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequesePalavra de Deus, fonte da catequese
Palavra de Deus, fonte da catequese
 
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
Prática do encontro com leitura orante Leitura orante de lc 5,1 7
 
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVCLeitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
Leitura orante de lc 5,1 -7 AVANÇAR PARA ÁGUAS MAIS PROFUNDAS NA IVC
 
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusaoTerminologia sobre deficiencia na era da inclusao
Terminologia sobre deficiencia na era da inclusao
 
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da   formaçãoO sentido da vida na dimensão antropológica da   formação
O sentido da vida na dimensão antropológica da formação
 
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
Seminario Nacional de Iniciação à Vida Crista - CATEQUESE E SITUAÇÕES ESPECIAIS
 
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiênciaObservações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
Observações da Experiência do SUL I: catequese junto à pessoa com deficiência
 
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
Iniciação à Vida Cristã nas comunidades ribeirinhas - Regional norte 2
 
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - AracajuAlerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
 
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. CátiaIntrodução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
Introdução à bíblia 2014 - Ir. Cátia
 
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã   os passos a serem dadosA iniciação à vida cristã   os passos a serem dados
A iniciação à vida cristã os passos a serem dados
 
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequeseDiscurso do papa francisco no congresso de catequese
Discurso do papa francisco no congresso de catequese
 
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
3 - OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES
 
2 OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES - rito
2 OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES -   rito2 OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES -   rito
2 OFÍCIO DIVINO DAS COMUNIDADES - rito
 

Último (7)

ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
Boletim Espiral número 74, de abril de 2024
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 

2 a. parte espiritualidade retornar a jesus o bom pastor

  • 1. 2ª. Parte da espiritualidade RETORNAR A JESUS
  • 2. comunicar-nos confiantemente com Jesus Amigo e companheiro de caminho. deixar-nos ensinar dia a dia por Ele
  • 3. Os discípulos de Jesus Cristo têm que ser semeadores de fraternidade em todos os momentos e em todas as circunstâncias da vida. Quando um homem ou uma mulher vivem intensamente o espírito cristão, todas as suas atividades e relações refletem e comunicam a caridade de Deus e os bens do Reino. É preciso que os cristãos saibam pôr nas suas relações cotidianas de família, amizade, vizinhança, trabalho e lazer, a marca do amor cristão, que é simplicidade, veracidade, fidelidade, mansidão, generosidade, solidariedade e alegria. (Conferência Episcopal Espanhola, Instr. pastoral Os católicos na vida pública, 22-IV-1986) SEMEADORES DE FRATERNIDADE
  • 4. “A vida alcança-se e amadurece à medida que é entregue para dar vida aos outros.” Isto é, definitivamente, a missão». Consequentemente, um evangelizador não deveria ter constantemente uma cara de funeral. Recuperemos e aumentemos o fervor de espírito, «a suave e reconfortante alegria de evangelizar, mesmo quando for preciso semear com lágrimas! (...) (EG)
  • 5. Cada ser humano precisa sempre mais de Cristo e a evangelização não deveria deixar que alguém se contente com pouco, mas possa dizer com plena verdade: “Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim.” (Gl 2,20) (EG 160)
  • 6. Ninguém nos pode tirar a dignidade que o amor infinito e inabalável de Deus nos confere. Ele permite-nos levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos defrauda e sempre nos pode restituir a alegria. Não fujamos da ressurreição de Jesus; nunca nos demos por mortos, suceda o que suceder. Que nada possa mais do que a sua vida que nos impele para diante! (EG)
  • 7. O QUE O TEXTO BÍBLICO E A REFLEXÃO QUE FIZEMOS DIZEM PARA NÓS HOJE? PARA A NOSSA VIDA? PARA A NOSSA MISSÃO?
  • 8.
  • 9. A quem eu entreguei a minha vida? Qual é o caminho que sigo? Onde coloco meu coração? Em quem coloco a minha esperança? A quem estou servindo? Quem é o meu senhor? A alegria é meu testemunho?
  • 10. Será que nós cristãos somos uma "boa notícia" para alguém? O que se vive em nossas comunidades cristãs, o que se observa entre os que creem, é "boa notícia" para as pessoas de hoje? Será que nós cristãos colocamos na atual sociedade algo que dê sabor à vida, algo que purifique, cure e liberte da decomposição espiritual e do egoísmo brutal e insolidário? Vivemos algo que possa iluminar as pessoas nestes tempos de incerteza, oferecendo uma esperança e um horizonte novo aos que buscam salvação?
  • 11. É Jesus que te pergunta hoje: Tu crês no que Eu acreditei? Dás importância ao que Eu dei importância? Defendes a causa do ser humano como Eu a defendi? Tu te aproximas dos indefesos e desvalidos como Eu me aproximei? És livre para fazer o bem como Eu o fiz? Confias no Pai como Eu confiei? -Enfrentas a vida e a morte com a esperança
  • 12. Tu te interessas pelo que Eu me interessei? Amas as pessoas como Eu as amei? Entendes a vida cristã como uma aventura constante de renovação, um ir fazendo de ti mesmo um "ser humano novo'‘? Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo. (Mt 25,34)
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. Em nossa prática de Iniciação à Vida Cristã, o que tem sido a “água fresca” de Jesus? (Resposta em forma de oração. Escolher um gesto simbólico.)
  • 17. E o que tem sido a “água parada, estagnada”? (Resposta em forma de oração, pedindo perdão ao Senhor. Escolher um gesto que simbolize este perdão.)
  • 18. Perdão Senhor, tantos erros cometi. Perdão Senhor tantas vezes me omiti. Perdão Senhor pelos males que causei, pelas coisas que falei, pelo irmão que eu julguei. Perdão Senhor pelos males que causei, pelas coisas que falei, pelo irmão que eu julguei. REFRÃO: Piedade Senhor, tem piedade, senhor, e liberta minha alma para o amor Piedade Senhor, tem piedade, senhor, Meu pecado vem lavar com seu amor. Perdão Senhor porque sou tão pecador. Perdão Senhor, sou pequeno e sem valor. Mas mesmo assim tu me amas, quero então te entregar meu coração, suplicar o teu perdão. Mas mesmo assim tu me amas, quero então te entregar meu coração, suplicar o teu perdão.
  • 19. Ofereçamos ao Senhor as dificuldades que encontramos em nossa prática catequética, pedindo perdão pelas águas estagnadas, paradas que encontramos ou permitimos estagnar.
  • 21. 1 - Vejam, eu andei pelas vilas, Apontei as saídas como o Pai me pediu Portas, eu cheguei para abri-las, Eu curei as feridas como nunca se viu REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 22. REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"! 2 - Vejam, fiz de novo a leitura das raízes da vida Que meu Pai vê melhor Luzes, ascendi com brandura Para a ovelha perdida não medi meu suor
  • 23. 3 - Vejam, procurei bem aqueles que ninguém procurava E falei do meu Pai Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver Escrava de um poder que retrai REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 24. 4 - Vejam, semeei consciência nos caminhos do povo Pois o Pai quer assim Tramas, enfrentei prepotência dos que temem O novo qual perigo sem fim REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 25. 5 - Vejam, eu quebrei as algemas, levantei os caídos, Do meu Pai fui as mãos Laços, recusei os esquemas Eu não quero oprimidos, quero um povo de irmãos REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 26. 6 - Vejam, procurei ser bem claro: o meu Reino é diverso. Não precisa de rei! Tronos outro jeito mais raro de juntar o disperso. O meu Pai tem por lei REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 27. 7 - Vejam, do meu Pai a vontade eu cumpri passo a passo Foi para isso que eu vim Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao fracasso Eu mantive o meu "SIM" REFRÃO: Por onde formos também nós que brilhe a tua luz! Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida Nosso caminho então conduz. Queremos ser assim! Que o pão da vida nos revigore no nosso "SIM"!
  • 28. QUEREMOS LOUVAR O SENHOR POR TODA A ÁGUA FRESCA QUE JORRA DE NOSSA PRÁTICA CATEQUÉTICA:
  • 29. Resposta rezada: Louvado sejas, meu Senhor, pelo teu amor derramado através de nós!
  • 30. Pelos prados e campinas verdejantes eu vou É o Senhor que me leva a descansar Junto às fontes de águas puras repousantes eu vou Minhas forças o Senhor vai animar Tu és, Senhor, o meu pastor Por isso nada em minha vida faltará Tu és, Senhor, o meu pastor Por isso nada em minha vida faltará (nada faltará) Nos caminhos mais seguros junto d'Ele eu vou E pra sempre o Seu nome eu honrarei Se eu encontro mil abismos nos caminhos eu vou Segurança sempre tenho em suas mãos Ao banquete em sua casa muito alegre eu vou Um lugar em Sua mesa me preparou Ele unge minha fronte e me faz ser feliz E transborda a minha taça em Seu amor Com alegria e esperança caminhando eu vou Minha vida está sempre em suas mãos E na casa do Senhor eu irei habitar E este canto para sempre irei cantar