SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 57
Baixar para ler offline
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
1
Aula 04
Animais peçonhentos
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
2
2
1 - Objetivos específicos
 Reconhecer os riscos inerentes aos principais
animais peçonhentos.
 Prevenir contra os principais animais peçonhen-
tos.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
3
3
2 - Conteúdos:
 Principais animais peçonhentos
 Prevenção
http://guinchoibfpower.com.br/wp-content/uploads/2011/12/Indian-Cobra.jpg
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
4
4
3 – Desenvolvimento dos conteúdos
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
5
5
Animais peçonhentos
Produzem envenenamentos ativados por
picadas ou mordeduras;
Dotados de glândulas secretoras e aparelho
inoculador de veneno..
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
6
6
Animais peçonhentos - Ocasionam
 Imobilização ou morte da vítima;
 Processo de coagulação;
 Intoxicação
neurológica.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
7
7
Animais peçonhentos - Principais
 Cobras;
 Escorpiões;
 Aranhas;
 Taturanas. http://gabrielemoreira.blogspot.com.br/2010/07/numero-de-acidentes-com-animais.html
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
8
8
Ofidismo
 Acidente por picada
de cobra venenosa.
http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/foto/0,,15386663-EX,00.jpg
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
9
9
Cobras venenosas – Características morfológicas
 Cabeça triangular e achatada;
 Olhos pequenos;
 Escamas pequenas;
 Cauda curta e grossa;
destacada do
corpo.
E arrepiadas.
afilando
bruscamente
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
10
10
Cobras venenosas – Características morfológicas
 Muitas espécies com a presença de
chocalho.
http://bioventuraecoturismoanimal.wordpress.com/2011/05/13/supersticoes-da-sexta-feira-13-com-animais/1-foto-1/
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
11
11
Não venenosas – Características morfológicas
 Cabeça alongada, estreita;
 Olhos grandes;
 Escamas em placa;
 Cauda longa.
Em conjunto
com o corpo.
Afilando
gradativamente.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
12
12
Envenenamento da jararaca
 Botrópico;
 Dor imediata;
 Inchaço e calor no local;
 Vermelhidão ou arroxeamento;
Manifestação precoce
(3h)
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
13
13
Envenenamento da jararaca
 Alterações na coagulação do sangue;
 Hemorragia no local da picada ou
distante dela. Comum nas gengivas
e urina.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
14
14
Envenenamento da cascavel
 Crotálico;
 Pouco inchaço no local;
 Dificuldade em abrir os olhos;
 Visão dupla ou turva;
Sinal da
picada é
imperceptível.
Sinais iniciais
Sinais iniciais
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
15
15
Envenenamento da cascavel
 Dor muscular discreta;
 Urina avermelhada;
 Midríase;
 Cara de embriaguês;
E bloqueio
neuromuscular.
Dilatação da
pupila em função
da contração do
músculo dilatador.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
16
16
Envenenamento da cascavel
 Após 6 a 12 horas a urina fica
escurecida;
 Dor muscular intensa;
 Insuficiência renal aguda. Fonte: www.hospvirt.org.br.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
17
17
Envenenamento da surucuru
 Laquético;
 Dor imediata;
 Inchaço;
 Calor, vermelhidão, arroxeamento.
Manifestação precoce
(3h)
No local picado.
No local picado.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
18
18
Envenenamento da surucuru
 Hemorragia;
 Diarréia;
 Bolhas;
 Gangrena e insuficiência renal aguda.
Principais complicações.
No local picado.
Principais complicações.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
19
19
Envenenamento da surucuru
Fonte: www.hospvirt.org.br.
www.fiocruz.br
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
20
20
Envenenamento da coral verdadeira
Elapídico;
Pequena reação no local da picada;
Dificuldade em abrir os olhos;
Pálpebra caída;
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
21
21
Envenenamento da coral verdadeira
 Cara de bêbado, falta de ar;
 Salivação, dificuldade em engolir;
 Vômitos, sonolência, perda de equilíbrio;
 Midríase e insuficiência respiratória aguda.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
22
22
Prevenção de acidentes com serpentes
 Uso de luvas, botas de cano alto e
perneiras. dc171.4shared.com
www.sestr.com.br
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
23
23
Prevenção de acidentes com serpentes
 Cuidados redobrados quando:
 Entrar em lugares escuros;
 Manipular lixo e entulho;
 Colocar a mão em buracos no solo.
www.eurobratti.com.br
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
24
24
Cuidados adicionais quanto à Prevenção
 Os locais próximos às residências, celeiros,
currais, canis e outros.
devem estar sempre limpos
e capinados.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
25
25
Cuidados adicionais quanto à Prevenção
 O lixo deve ser acondicionado em
recipientes fechados.
Para não atrair animais
como pequenos roedores que fazem parte
da dieta de serpentes.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
26
26
Medidas para o caso de acidentes
 Não amarrar o membro acometido.
Torniquete ou o garrote dificulta a
circulação do sangue.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
27
27
Medidas para o caso de acidentes
 Não amarrar o membro acometido.
Poderia produzir necrose ou gangrena e
não impediria
que o veneno fosse absorvido.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
28
28
Medidas para o caso de acidentes
 Não devemos cortar o local da picada;
 Não sugar o local da picada;
 Lavar o local somente
com água e sabão.
Havendo
hemorragia, o corte
aumentaria a
perda de sangue.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
29
29
Evite seguir as crendices populares
 Não beber querosene, álcool ou outras
bebidas.
Além de não neutralizar
a ação do veneno, pode causar
intoxicações.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
30
30
Evite seguir as crendices populares
 Manter o acidentado em repouso.
Se a picada tiver ocorrido no pé ou na
perna, procurar manter a
parte atingida em posição horizontal.
O acidentado não deve
andar ou correr.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
31
31
Evite seguir as crendices populares
 Levar o acidentado o mais rápido possível
a um serviço de saúde.
O soro antiofídico é o único tratamento
eficaz e deve ser específico para cada
gênero de serpente.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
32
32
Escorpião
 Inocula o veneno pelo ferrão ou telson.
Localizado no
último segmento da
cauda.
A letalidade depende da
toxidez, da quantidade
do veneno injetado e do
tamanho da vítima.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
33
33
Escorpião – Alimentação
 Carnívoros.
Alimentam – se
principalmente de
insetos, como
baratas e grilos.
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
34
34
Escorpião – Hábitos e Hábitat
 Hábitos noturnos;
 Durante o dia, alojam-se em:
 Predadores naturais:
pedras,
troncos,
madeira,
entulhos,
telhas,
tijolos.
Galinhas, patos, gansos ou
outras aves terrestres.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
35
35
Escorpião – Outras características
 Peçonhentos;
 Só picam quando ameaçados;
 Tamanho: entre 6 e 8cm..
http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/83/10427escorpiao.jpg
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
36
36
Escorpião – Sintomas da picada
 Dor moderada ou intensa;
 Formigamento no local da picada;
Antes de
30min
Antes de
30min
http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/83/10427escorpiao.jpg
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
37
37
Escorpião – Sintomas da picada
 Cefaleia;
 Náuseas ou vômito;
 Suor excessivo;
 Agitação e tremores;
 Salivação;
 Aumento da frequência;
Após de 30min
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
38
38
Escorpião – Sintomas da picada
 Alterações na pressão arterial;
 Dormência;
 Visão turva;
 Edema pulmonar agudo;
 Convulsões e coma.
Após de 30min
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
39
39
Escorpião – Primeiros socorros
 Deixe-a em repouso absoluto;
 A parte afetada em posição mais baixa
que o corpo;
 Lave o local com água e sabão.
para
dificultar
a difusão
do
veneno
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
40
40
Escorpião – Primeiros socorros
 Afrouxe as roupas da vítima;
 Retire acessórios que dificultem a
circulação sanguínea;
 Tranquilize a vítima.
Capture o escorpião
com cuidado e
dirija-se
urgentemente a um
serviço médico.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
41
41
Escorpião – Como evitar sua presença
 Mantendo os quintais limpos;
 Mantendo constante
higienização
dedetização dos locais.
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Preto
Amarelo
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
42
42
Aranha Armadeira
 Agressiva;
 Hábitos vespertinos e noturnos;
 Encontradas em bananeiras e folhagens;
 Não constrói teia;
 Tamanho de até 12 cm de diâmetro.
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
43
43
Aranha Armadeira – Sintomas pós picada
 Dor imediata e intensa;
 Dor irradiada pelo membro acometido;
 Edema no local da picada;
 Eritema, amortecimento e sudorese;
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
44
44
Aranha Armadeira – Sintomas pós picada
 A arritmia cardíaca;
 Edema agudo de pulmão;
 Hipotensão arterial e choque;
 Priapismo e dificuldade de
respirar.
Priapismo:
Ereção dolorosa
involuntária e às
vezes permanente.
(sem estímulo)
45
45
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha Viúva Negra (Latrodectus)
 Cor avermelhada;
 Forma de ampulheta no ventre;
 Vive em residências rurais e em plantações;
 Muito ativa durante o dia;
 Não é agressiva. sido relatados
http://www.culturamix.com/wp-content/gallery/viuva-negra/foto-viuva-negra-02.jpg
46
46
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha Viúva Negra - Ocorrências
 Na região Nordeste.
 Predominância de
acidentados do sexo
masculino.
Bahia, Rio Grande
do Norte e Sergipe.
Na faixa etária de 10
a 30 anos.
47
47
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha Viúva Negra - Sintomas
 Dor no local ferido;
 Dor irradiada para as proximidades;
 Há contrações e dores musculares;
 Convulsão;
 Suor abdominal,
 Vômitos e choque.
http://2.bp.blogspot.com/_sLdCaRjadEQ/TU7jzru2N7I/AAAAAAAAAEo/YkLOLFCrnlY/s1600/viuvia+negra.jpg
48
48
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Tarântula (Scaptocosa Lycosa)
 Hábitos diurnos;
 Pouco agressiva;
 Encontradas em beira de
barrancos, gramados e nas
residências. Fonte: www.hospvirt.org.br.
Não produz
teia.
49
49
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Tarântula- Sintomas da picada
 Dor no local;
 Necrose.
50
50
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Caranguejeira (Mygalomorphae)
 Agressivas;
 Robusto;
 Ferrões grandes..
Fonte: www.hospvirt.org.br.
Ferroadas dolorosas
51
51
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron (Loxosceles)
 Uma das menores;
 Uma das mais
Perigosas.
Mede de 12mm a 3 cm.
Fonte: www.hospvirt.org.br
52
52
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron (Loxosceles)
 Reprodução rápida;
 Têm 6 olhos (próximos um do outro);
 Maturidade sexual:
Cada fêmea bota até 130 ovos
por vez.
Fêmeas: 1 ano;
Machos: ano e
3 meses.
53
53
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron (Loxosceles)
 Atacam quando são pressionadas contra
o corpo da vitima;
 Pequenas;
 Picadas pouco doloridas;
 Hábitos noturnos.
Ocorre nas
roupas, toalhas,
sapatos.
54
54
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron (Sintomas)
 Pequena dor na hora da picada;
 Após 12 a 36 h evolui para inchaço; mal
estar geral, náuseas e febre;
 Pode causar necrose do ferimento.
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/aranhas/imagens/picada-de-aranha-marrom-6.jpg
55
55
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron (Sintomas)
 Em alguns raros casos pode ocorrer
anemia hemolítica e
até coagulação
do sangue.
(destruição das
hemácias)
56
56
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
Aranha marron
 Predador natural: lagartixa.
Se alimenta de
outras aranhas.
http://www.sempreantenados.com/wp-content/gallery/aranha-marrom/aranha-marrom-3.jpg
http://animais.culturamix.com/blog/wp-content/gallery/lagartixa/foto-lagartixa-02.jpg
Obrigado!
Engenheiro Zacarias Linhares Junior
57
http://static.wetpaint.me/pll/ROOT/photos/630/5292013-34500-PM-1369859994.jpg

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1-slides-animais-penonhentos.pdf

Primeiros Socorros.ppt
Primeiros Socorros.pptPrimeiros Socorros.ppt
Primeiros Socorros.pptMiguelSotero2
 
Animais Peçonhentos.pptx
Animais Peçonhentos.pptxAnimais Peçonhentos.pptx
Animais Peçonhentos.pptxSuzanaPeniche
 
PRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptxPRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptxMIRIAN FARIA
 
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptxAPRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptxSESMTPLDF
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentosRaul Cristino
 
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinadoPrimeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinadoTito Batalha
 
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e EnvenenamentoPrimeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e EnvenenamentoAdriano Barbosa de Sant'Ana
 
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.ppt
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.pptEscoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.ppt
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.pptseriusalmeida
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.luciamm2003
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.luciamm2003
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Ane Costa
 
Primeiros socorros 1
Primeiros socorros 1Primeiros socorros 1
Primeiros socorros 1Ane Costa
 
Primeiros socorros para conselheiros
Primeiros socorros para conselheirosPrimeiros socorros para conselheiros
Primeiros socorros para conselheirosIsmael Rosa
 
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - BombeirosCIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - BombeirosDeise
 
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhasPrimeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhasAnita Queiroz
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosSMS - Petrópolis
 

Semelhante a 1-slides-animais-penonhentos.pdf (20)

Primeiros Socorros.ppt
Primeiros Socorros.pptPrimeiros Socorros.ppt
Primeiros Socorros.ppt
 
Animais Peçonhentos.pptx
Animais Peçonhentos.pptxAnimais Peçonhentos.pptx
Animais Peçonhentos.pptx
 
PRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptxPRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptx
 
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptxAPRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinadoPrimeiros socorros e resgate espaço confinado
Primeiros socorros e resgate espaço confinado
 
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e EnvenenamentoPrimeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento
 
primeiros socrros.pdf
primeiros socrros.pdfprimeiros socrros.pdf
primeiros socrros.pdf
 
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.ppt
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.pptEscoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.ppt
Escoteiro - Primeiros Socorros Nível 2.ppt
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
 
Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros Treinamento de Primeiros socorros
Treinamento de Primeiros socorros
 
Primeiros socorros 1
Primeiros socorros 1Primeiros socorros 1
Primeiros socorros 1
 
Primeiros socorros para conselheiros
Primeiros socorros para conselheirosPrimeiros socorros para conselheiros
Primeiros socorros para conselheiros
 
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - BombeirosCIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
CIT - RS- Peçonhentos - Bombeiros
 
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhasPrimeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
Primeiros socorros acidentes com animais cobras e aranhas
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
AULA 2 3.pptx
AULA 2 3.pptxAULA 2 3.pptx
AULA 2 3.pptx
 
Animais peçonhentos ii
Animais peçonhentos iiAnimais peçonhentos ii
Animais peçonhentos ii
 
Animais peçonhentos II.pptx
Animais peçonhentos II.pptxAnimais peçonhentos II.pptx
Animais peçonhentos II.pptx
 

Mais de TaisdeJesusSantos

2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt
2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt
2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).pptTaisdeJesusSantos
 
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDE
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDEsifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDE
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDETaisdeJesusSantos
 
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptx
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptxlepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptx
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptxTaisdeJesusSantos
 
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptxpnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptxTaisdeJesusSantos
 
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdfpnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdfTaisdeJesusSantos
 
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxFACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxTaisdeJesusSantos
 
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdf
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdfhistriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdf
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdfTaisdeJesusSantos
 

Mais de TaisdeJesusSantos (12)

2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt
2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt
2-SIFILIS_ADQUIRIDA_QUALISUS_final_(8).ppt
 
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDE
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDEsifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDE
sifiliscongenita-200310181729.pdf.SAUDEDAUDE
 
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptx
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptxlepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptx
lepidpteroslagartas-130912074242-phpapp02.pptx
 
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptxpnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
pnaiscgeral-190714221230 (2) (1).pptx
 
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdfpnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
pnaiscgeral-190714221230 (2).pdf
 
Higiene e Profilaxia.pptx
Higiene e Profilaxia.pptxHigiene e Profilaxia.pptx
Higiene e Profilaxia.pptx
 
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docxFACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
FACULDADE DE PARA DE MINAS.docx
 
SLIDE LEISMANIOSE.pptx
SLIDE LEISMANIOSE.pptxSLIDE LEISMANIOSE.pptx
SLIDE LEISMANIOSE.pptx
 
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdf
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdfhistriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdf
histriadapsiquiatria-aula1-120807163258-phpapp02.pdf
 
COMO SURGIU O SUS.docx
COMO SURGIU O SUS.docxCOMO SURGIU O SUS.docx
COMO SURGIU O SUS.docx
 
historia da enfermagem.docx
historia da enfermagem.docxhistoria da enfermagem.docx
historia da enfermagem.docx
 
ESQUISTOSSOMOSE.pdf
ESQUISTOSSOMOSE.pdfESQUISTOSSOMOSE.pdf
ESQUISTOSSOMOSE.pdf
 

1-slides-animais-penonhentos.pdf

  • 1. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 1 Aula 04 Animais peçonhentos
  • 2. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 2 2 1 - Objetivos específicos  Reconhecer os riscos inerentes aos principais animais peçonhentos.  Prevenir contra os principais animais peçonhen- tos.
  • 3. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 3 3 2 - Conteúdos:  Principais animais peçonhentos  Prevenção http://guinchoibfpower.com.br/wp-content/uploads/2011/12/Indian-Cobra.jpg
  • 4. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 4 4 3 – Desenvolvimento dos conteúdos
  • 5. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 5 5 Animais peçonhentos Produzem envenenamentos ativados por picadas ou mordeduras; Dotados de glândulas secretoras e aparelho inoculador de veneno..
  • 6. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 6 6 Animais peçonhentos - Ocasionam  Imobilização ou morte da vítima;  Processo de coagulação;  Intoxicação neurológica.
  • 7. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 7 7 Animais peçonhentos - Principais  Cobras;  Escorpiões;  Aranhas;  Taturanas. http://gabrielemoreira.blogspot.com.br/2010/07/numero-de-acidentes-com-animais.html
  • 8. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 8 8 Ofidismo  Acidente por picada de cobra venenosa. http://g1.globo.com/Noticias/PlanetaBizarro/foto/0,,15386663-EX,00.jpg
  • 9. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 9 9 Cobras venenosas – Características morfológicas  Cabeça triangular e achatada;  Olhos pequenos;  Escamas pequenas;  Cauda curta e grossa; destacada do corpo. E arrepiadas. afilando bruscamente
  • 10. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 10 10 Cobras venenosas – Características morfológicas  Muitas espécies com a presença de chocalho. http://bioventuraecoturismoanimal.wordpress.com/2011/05/13/supersticoes-da-sexta-feira-13-com-animais/1-foto-1/
  • 11. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 11 11 Não venenosas – Características morfológicas  Cabeça alongada, estreita;  Olhos grandes;  Escamas em placa;  Cauda longa. Em conjunto com o corpo. Afilando gradativamente.
  • 12. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 12 12 Envenenamento da jararaca  Botrópico;  Dor imediata;  Inchaço e calor no local;  Vermelhidão ou arroxeamento; Manifestação precoce (3h) Fonte: www.hospvirt.org.br.
  • 13. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 13 13 Envenenamento da jararaca  Alterações na coagulação do sangue;  Hemorragia no local da picada ou distante dela. Comum nas gengivas e urina.
  • 14. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 14 14 Envenenamento da cascavel  Crotálico;  Pouco inchaço no local;  Dificuldade em abrir os olhos;  Visão dupla ou turva; Sinal da picada é imperceptível. Sinais iniciais Sinais iniciais
  • 15. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 15 15 Envenenamento da cascavel  Dor muscular discreta;  Urina avermelhada;  Midríase;  Cara de embriaguês; E bloqueio neuromuscular. Dilatação da pupila em função da contração do músculo dilatador.
  • 16. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 16 16 Envenenamento da cascavel  Após 6 a 12 horas a urina fica escurecida;  Dor muscular intensa;  Insuficiência renal aguda. Fonte: www.hospvirt.org.br.
  • 17. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 17 17 Envenenamento da surucuru  Laquético;  Dor imediata;  Inchaço;  Calor, vermelhidão, arroxeamento. Manifestação precoce (3h) No local picado. No local picado.
  • 18. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 18 18 Envenenamento da surucuru  Hemorragia;  Diarréia;  Bolhas;  Gangrena e insuficiência renal aguda. Principais complicações. No local picado. Principais complicações.
  • 19. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 19 19 Envenenamento da surucuru Fonte: www.hospvirt.org.br. www.fiocruz.br
  • 20. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 20 20 Envenenamento da coral verdadeira Elapídico; Pequena reação no local da picada; Dificuldade em abrir os olhos; Pálpebra caída; Fonte: www.hospvirt.org.br.
  • 21. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 21 21 Envenenamento da coral verdadeira  Cara de bêbado, falta de ar;  Salivação, dificuldade em engolir;  Vômitos, sonolência, perda de equilíbrio;  Midríase e insuficiência respiratória aguda.
  • 22. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 22 22 Prevenção de acidentes com serpentes  Uso de luvas, botas de cano alto e perneiras. dc171.4shared.com www.sestr.com.br
  • 23. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 23 23 Prevenção de acidentes com serpentes  Cuidados redobrados quando:  Entrar em lugares escuros;  Manipular lixo e entulho;  Colocar a mão em buracos no solo. www.eurobratti.com.br
  • 24. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 24 24 Cuidados adicionais quanto à Prevenção  Os locais próximos às residências, celeiros, currais, canis e outros. devem estar sempre limpos e capinados.
  • 25. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 25 25 Cuidados adicionais quanto à Prevenção  O lixo deve ser acondicionado em recipientes fechados. Para não atrair animais como pequenos roedores que fazem parte da dieta de serpentes.
  • 26. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 26 26 Medidas para o caso de acidentes  Não amarrar o membro acometido. Torniquete ou o garrote dificulta a circulação do sangue.
  • 27. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 27 27 Medidas para o caso de acidentes  Não amarrar o membro acometido. Poderia produzir necrose ou gangrena e não impediria que o veneno fosse absorvido.
  • 28. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 28 28 Medidas para o caso de acidentes  Não devemos cortar o local da picada;  Não sugar o local da picada;  Lavar o local somente com água e sabão. Havendo hemorragia, o corte aumentaria a perda de sangue.
  • 29. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 29 29 Evite seguir as crendices populares  Não beber querosene, álcool ou outras bebidas. Além de não neutralizar a ação do veneno, pode causar intoxicações.
  • 30. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 30 30 Evite seguir as crendices populares  Manter o acidentado em repouso. Se a picada tiver ocorrido no pé ou na perna, procurar manter a parte atingida em posição horizontal. O acidentado não deve andar ou correr.
  • 31. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 31 31 Evite seguir as crendices populares  Levar o acidentado o mais rápido possível a um serviço de saúde. O soro antiofídico é o único tratamento eficaz e deve ser específico para cada gênero de serpente.
  • 32. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 32 32 Escorpião  Inocula o veneno pelo ferrão ou telson. Localizado no último segmento da cauda. A letalidade depende da toxidez, da quantidade do veneno injetado e do tamanho da vítima.
  • 33. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 33 33 Escorpião – Alimentação  Carnívoros. Alimentam – se principalmente de insetos, como baratas e grilos. Fonte: www.hospvirt.org.br.
  • 34. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 34 34 Escorpião – Hábitos e Hábitat  Hábitos noturnos;  Durante o dia, alojam-se em:  Predadores naturais: pedras, troncos, madeira, entulhos, telhas, tijolos. Galinhas, patos, gansos ou outras aves terrestres.
  • 35. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 35 35 Escorpião – Outras características  Peçonhentos;  Só picam quando ameaçados;  Tamanho: entre 6 e 8cm.. http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/83/10427escorpiao.jpg
  • 36. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 36 36 Escorpião – Sintomas da picada  Dor moderada ou intensa;  Formigamento no local da picada; Antes de 30min Antes de 30min http://www.imotion.com.br/imagens/data/media/83/10427escorpiao.jpg
  • 37. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 37 37 Escorpião – Sintomas da picada  Cefaleia;  Náuseas ou vômito;  Suor excessivo;  Agitação e tremores;  Salivação;  Aumento da frequência; Após de 30min
  • 38. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 38 38 Escorpião – Sintomas da picada  Alterações na pressão arterial;  Dormência;  Visão turva;  Edema pulmonar agudo;  Convulsões e coma. Após de 30min
  • 39. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 39 39 Escorpião – Primeiros socorros  Deixe-a em repouso absoluto;  A parte afetada em posição mais baixa que o corpo;  Lave o local com água e sabão. para dificultar a difusão do veneno
  • 40. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 40 40 Escorpião – Primeiros socorros  Afrouxe as roupas da vítima;  Retire acessórios que dificultem a circulação sanguínea;  Tranquilize a vítima. Capture o escorpião com cuidado e dirija-se urgentemente a um serviço médico.
  • 41. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 41 41 Escorpião – Como evitar sua presença  Mantendo os quintais limpos;  Mantendo constante higienização dedetização dos locais. Fonte: www.hospvirt.org.br. Preto Amarelo
  • 42. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 42 42 Aranha Armadeira  Agressiva;  Hábitos vespertinos e noturnos;  Encontradas em bananeiras e folhagens;  Não constrói teia;  Tamanho de até 12 cm de diâmetro. Fonte: www.hospvirt.org.br.
  • 43. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 43 43 Aranha Armadeira – Sintomas pós picada  Dor imediata e intensa;  Dor irradiada pelo membro acometido;  Edema no local da picada;  Eritema, amortecimento e sudorese;
  • 44. Engenheiro Zacarias Linhares Junior 44 44 Aranha Armadeira – Sintomas pós picada  A arritmia cardíaca;  Edema agudo de pulmão;  Hipotensão arterial e choque;  Priapismo e dificuldade de respirar. Priapismo: Ereção dolorosa involuntária e às vezes permanente. (sem estímulo)
  • 45. 45 45 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha Viúva Negra (Latrodectus)  Cor avermelhada;  Forma de ampulheta no ventre;  Vive em residências rurais e em plantações;  Muito ativa durante o dia;  Não é agressiva. sido relatados http://www.culturamix.com/wp-content/gallery/viuva-negra/foto-viuva-negra-02.jpg
  • 46. 46 46 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha Viúva Negra - Ocorrências  Na região Nordeste.  Predominância de acidentados do sexo masculino. Bahia, Rio Grande do Norte e Sergipe. Na faixa etária de 10 a 30 anos.
  • 47. 47 47 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha Viúva Negra - Sintomas  Dor no local ferido;  Dor irradiada para as proximidades;  Há contrações e dores musculares;  Convulsão;  Suor abdominal,  Vômitos e choque. http://2.bp.blogspot.com/_sLdCaRjadEQ/TU7jzru2N7I/AAAAAAAAAEo/YkLOLFCrnlY/s1600/viuvia+negra.jpg
  • 48. 48 48 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Tarântula (Scaptocosa Lycosa)  Hábitos diurnos;  Pouco agressiva;  Encontradas em beira de barrancos, gramados e nas residências. Fonte: www.hospvirt.org.br. Não produz teia.
  • 49. 49 49 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Tarântula- Sintomas da picada  Dor no local;  Necrose.
  • 50. 50 50 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Caranguejeira (Mygalomorphae)  Agressivas;  Robusto;  Ferrões grandes.. Fonte: www.hospvirt.org.br. Ferroadas dolorosas
  • 51. 51 51 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron (Loxosceles)  Uma das menores;  Uma das mais Perigosas. Mede de 12mm a 3 cm. Fonte: www.hospvirt.org.br
  • 52. 52 52 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron (Loxosceles)  Reprodução rápida;  Têm 6 olhos (próximos um do outro);  Maturidade sexual: Cada fêmea bota até 130 ovos por vez. Fêmeas: 1 ano; Machos: ano e 3 meses.
  • 53. 53 53 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron (Loxosceles)  Atacam quando são pressionadas contra o corpo da vitima;  Pequenas;  Picadas pouco doloridas;  Hábitos noturnos. Ocorre nas roupas, toalhas, sapatos.
  • 54. 54 54 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron (Sintomas)  Pequena dor na hora da picada;  Após 12 a 36 h evolui para inchaço; mal estar geral, náuseas e febre;  Pode causar necrose do ferimento. http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/aranhas/imagens/picada-de-aranha-marrom-6.jpg
  • 55. 55 55 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron (Sintomas)  Em alguns raros casos pode ocorrer anemia hemolítica e até coagulação do sangue. (destruição das hemácias)
  • 56. 56 56 Engenheiro Zacarias Linhares Junior Aranha marron  Predador natural: lagartixa. Se alimenta de outras aranhas. http://www.sempreantenados.com/wp-content/gallery/aranha-marrom/aranha-marrom-3.jpg http://animais.culturamix.com/blog/wp-content/gallery/lagartixa/foto-lagartixa-02.jpg
  • 57. Obrigado! Engenheiro Zacarias Linhares Junior 57 http://static.wetpaint.me/pll/ROOT/photos/630/5292013-34500-PM-1369859994.jpg