SlideShare uma empresa Scribd logo
ADRIANO BARBOSA DE SANT’ANA
ANIMAIS PEÇONHENTOS
ABELHAS
ESCORPIÃO
LACRAIA
ARANHAS
SERPENTES
MEDIDAS PREVENTIVAS
MEDIDAS PREVENTIVAS
PROCEDIMENTOS
PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS –
ANIMAIS PEÇONHENTOS
•Manter a vítima deitada, em repouso. Evite que ela se movimente para
não favorecer a absorção de veneno;
•Se a picada for no braço ou na perna, mantenha-os em posição mais
baixa que o coração;
•Lavar a picada com água e sabão;
•Colocar gelo ou água fria sobre o local da picada;
•Remover anéis, relógios para prevenir complicações decorrentes de
inchaço;
•Encaminhar imediatamente a vítima ao serviço de saúde mais próximo,
para receber o soro a tempo;
•Se possível, capturar o animal que causou o acidente, levando junto
com a pessoa picada. Essa medida facilita o diagnóstico e o tratamento
correto
PRINCIPAIS MITOS ATRIBUÍDOS
ENVENENAMENTO
Paracelsus (1493-1541) já dizia "todas as
substâncias são venenos, não há nenhuma
que não o seja. A dose correta determina o
remédio e o veneno". Doses gradativas de
uma droga dada a um indivíduo geralmente
provocam magnitude de resposta aumentada
à medida que as doses são elevadas.
ENVENENAMENTO
Entorpecentes MedicamentosProdutos químicos de
limpeza
Alimentos deterioradosVenenos Gases tóxicos
ENVENENAMENTO
Algumas medidas para evitar o envenenamento:
•Mantenha os medicamentos e substâncias químicas fora do alcance das crianças. Afora
o fato de que elas têm mania de levar todas as coisas à boca, certos comprimidos podem
ser confundidos com balas.
•Mantenha os produtos de limpeza, cera para móveis e inseticidas sempre nos mesmos
locais e devidamente trancados.
•Mantenha as bebidas alcoólicas fora do alcance das crianças. Mesmo meia taça de uma
bebida forte pode causar muitos danos e até mesmo matar uma criança de dois anos!
•Ensine as crianças a nunca colocar folhas, talos ou sementes na boca. Certas plantas
causam doenças e algumas são venenosas.
•Não guarde substâncias químicas em garrafas que as crianças possam confundir com
refrigerantes.
•Tenha cuidado com os escapamentos de gás. O gás de cozinha pode matar sem
causar sintomas iniciais!
•Evite aspirar fumaça. Se acaso ficar retido em ambiente enfumaçado procure deitar-se
no chão e arrastar-se dali porque a fumaça tende a subir.
• Não consumir alimentos deteriorados ou com data de vencimento expirada.
• Não usar medicamentos por conta própria ou prazo de validade vencido.
O que fazer nos casos de envenenamento?
Intoxicação por Alimentos
Normalmente, a pessoa intoxicada apresenta suor excessivo, dores abdominais
agudas, vômito e náuseas, desmaios e possíveis delírios. Deve-se proceder da seguinte
forma:
-Chamar previamente o socorro especializado;
- Liberar vias aéreas;
- Verificar os sinais vitais;
- Manter a vítima aquecida e de maneira confortável;
- Procurar saber o máximo de informações possíveis sobre a origem da intoxicação
alimentar, como por exemplo, que tipo de alimento a pessoa ingeriu;
-Deve ser um tratamento realizado por profissionais, sendo indispensável a locomoção
a uma unidade de saúde.
Intoxicação por Substâncias e/ou Venenos Inalados
- Remova a vítima do local para um ponto ao ar livre;
- Em caso de perda da consciência, inicie o procedimento de reanimação, descrito
anteriormente no site;
- Acione o mais rápido possível o socorro especializado.
PROCEDIMENTOS
PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS –
ENVENENAMENTO
Intoxicação / Envenenamento por produtos Tóxicos ou Remédios
Em geral, são causados por ingestão compulsória de remédios, ingestão acidental ou
proposital de substâncias nocivas ao organismo. A automedicação pode ser provocada
tanto por medicamentos originais, quanto por medicamentos genéricos.
Alguns dos sintomas podem apresentar queimaduras em volta da boca, vômitos,
respiração dificultosa e limitada, unhas e lábios arroxeados, etc.
•Ligar para o socorro médico ( 192,193,190,199)
•Verificar o local;
•Liberar vias aéreas;
•Checar sinais vitais;
•Se a vítima não estiver respirando, iniciar massagem cardíaca e respiração boca-nariz e
não boca a boca, para evitar ficar contaminado.
•Deite a vítima de lado, com a cabeça apoiada sobre os braços, para evitar que ela se
sufoque caso apresente vômito involuntário.
* Por ser uma situação em que o tempo é totalmente determinante, deve-se realizar o
transporte imediato da vítima ao hospital mais próximo. Jamais induza o vômito, pois,
em alguns casos, pode espalhar a substância tóxica pelas paredes do sistema digestório,
agravando o quadro;
*Levar a embalagem do remédio ou produto com o qual a vítima teve a intoxicação.
PROCEDIMENTOS
PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS –
ENVENENAMENTO
ENVENENAMENTO
PRINCIPAIS MITOS ATRIBUÍDOS
OBRIGADO PELAATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
Rocha Neto
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
Denilsi Gonçalves
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
Oberlania Alves
 
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentosAssistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Patricia Pereira
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Emergencias clinicas
Emergencias clinicasEmergencias clinicas
Emergencias clinicas
Luísa Romanov
 
Primeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - QueimadurasPrimeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - Queimaduras
Rhuan Ornilo
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
Lucas Silva
 
Imobilização
ImobilizaçãoImobilização
Imobilização
elisangela messias
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
Ivana de Oliveira
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
SMS - Petrópolis
 
Primeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIPrimeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo III
emanueltstegeon
 
Aph
AphAph
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROSNOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
Robson Peixoto
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
Claudio Cesar Pontes ن
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
Alexandre Donha
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
Wallace Silva
 
RCP
RCPRCP
Isolamento
IsolamentoIsolamento
Isolamento
Rodrigo Abreu
 
Aula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto SocorroAula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto Socorro
zoeadas
 

Mais procurados (20)

Noções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorrosNoções básicas sobre primeiros socorros
Noções básicas sobre primeiros socorros
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
Slides Primeiros Socorros
Slides Primeiros SocorrosSlides Primeiros Socorros
Slides Primeiros Socorros
 
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentosAssistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
Assistência de enfermagem – acidentes por animais peçonhentos
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
 
Emergencias clinicas
Emergencias clinicasEmergencias clinicas
Emergencias clinicas
 
Primeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - QueimadurasPrimeiros socorros - Queimaduras
Primeiros socorros - Queimaduras
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Imobilização
ImobilizaçãoImobilização
Imobilização
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
Primeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo IIIPrimeiros Socorros Modulo III
Primeiros Socorros Modulo III
 
Aph
AphAph
Aph
 
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROSNOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Urgência e emergência
Urgência e emergênciaUrgência e emergência
Urgência e emergência
 
Afogamento
AfogamentoAfogamento
Afogamento
 
RCP
RCPRCP
RCP
 
Isolamento
IsolamentoIsolamento
Isolamento
 
Aula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto SocorroAula 1_Pronto Socorro
Aula 1_Pronto Socorro
 

Destaque

Animais peçonhentos acidentes e prevenção
Animais peçonhentos acidentes e prevençãoAnimais peçonhentos acidentes e prevenção
Animais peçonhentos acidentes e prevenção
Vinicius Mendes
 
Animais PeçOnhentos
Animais PeçOnhentosAnimais PeçOnhentos
Animais PeçOnhentos
Santos de Castro
 
Traumatismos músculo-esqueléticos
Traumatismos músculo-esqueléticosTraumatismos músculo-esqueléticos
Traumatismos músculo-esqueléticos
Caroline Paim
 
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
Adriano Barbosa de Sant'Ana
 
Pemex - San Juanico 1984
Pemex - San Juanico 1984Pemex - San Juanico 1984
Pemex - San Juanico 1984
Adriano Barbosa de Sant'Ana
 
Animais venenosos
Animais venenososAnimais venenosos
Animais venenosos
Luciana Petry
 
Slides peçonhentos
Slides   peçonhentosSlides   peçonhentos
Slides peçonhentos
Larisse Gonçalves
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
saudefieb
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
hps22
 
Aula sobre Hemorragias
Aula sobre HemorragiasAula sobre Hemorragias
Aula sobre Hemorragias
Enf. Eloilson Carneiro
 

Destaque (10)

Animais peçonhentos acidentes e prevenção
Animais peçonhentos acidentes e prevençãoAnimais peçonhentos acidentes e prevenção
Animais peçonhentos acidentes e prevenção
 
Animais PeçOnhentos
Animais PeçOnhentosAnimais PeçOnhentos
Animais PeçOnhentos
 
Traumatismos músculo-esqueléticos
Traumatismos músculo-esqueléticosTraumatismos músculo-esqueléticos
Traumatismos músculo-esqueléticos
 
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
Mapa de Risco elaborado no Autodesk Revit versão 2014
 
Pemex - San Juanico 1984
Pemex - San Juanico 1984Pemex - San Juanico 1984
Pemex - San Juanico 1984
 
Animais venenosos
Animais venenososAnimais venenosos
Animais venenosos
 
Slides peçonhentos
Slides   peçonhentosSlides   peçonhentos
Slides peçonhentos
 
Animais peçonhentos
Animais peçonhentosAnimais peçonhentos
Animais peçonhentos
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
 
Aula sobre Hemorragias
Aula sobre HemorragiasAula sobre Hemorragias
Aula sobre Hemorragias
 

Semelhante a Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento

PRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptxPRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptx
MIRIAN FARIA
 
envenenamento.pptx
envenenamento.pptxenvenenamento.pptx
envenenamento.pptx
EnfSampy
 
Manual de Primeiros Socorros
Manual de Primeiros SocorrosManual de Primeiros Socorros
Manual de Primeiros Socorros
Jonathan Nunes Boilesen
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
luciamm2003
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
luciamm2003
 
Cuidados e Segurança
Cuidados e SegurançaCuidados e Segurança
Cuidados e Segurança
Turmapoetas
 
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptxAPRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
SESMTPLDF
 
Acidentes primeiros socorros infancia
Acidentes primeiros socorros infanciaAcidentes primeiros socorros infancia
Acidentes primeiros socorros infancia
Gustavo Cândido
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
Rita Dias
 
Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida  Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida
Msaude
 
9208862 1205924008primeirossocorros
9208862 1205924008primeirossocorros9208862 1205924008primeirossocorros
9208862 1205924008primeirossocorros
Pelo Siro
 
12971430 1205924008primeirossocorros
12971430 1205924008primeirossocorros12971430 1205924008primeirossocorros
12971430 1205924008primeirossocorros
Pelo Siro
 
Apres0000158
Apres0000158Apres0000158
Apres0000158
Luiz Pinheiro
 
Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de VidaSuporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida
bibliotecaGervide
 
O que fazer em caso de envenenamento
O que fazer em caso de envenenamentoO que fazer em caso de envenenamento
O que fazer em caso de envenenamento
Lurdes Féria
 
acidentes
acidentesacidentes
Suporte básico 1
Suporte básico 1Suporte básico 1
Suporte básico 1
kellita_costa
 
Gustavo 1ºs socorros
Gustavo 1ºs socorrosGustavo 1ºs socorros
Gustavo 1ºs socorros
Maria Ferreira
 
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
claudineilenz1
 
apresentação SBV.pptx
apresentação SBV.pptxapresentação SBV.pptx
apresentação SBV.pptx
IsabellaCarvalho64
 

Semelhante a Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento (20)

PRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptxPRIMEIROS SOCORROS.pptx
PRIMEIROS SOCORROS.pptx
 
envenenamento.pptx
envenenamento.pptxenvenenamento.pptx
envenenamento.pptx
 
Manual de Primeiros Socorros
Manual de Primeiros SocorrosManual de Primeiros Socorros
Manual de Primeiros Socorros
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
 
Slide animais pec.
Slide animais pec.Slide animais pec.
Slide animais pec.
 
Cuidados e Segurança
Cuidados e SegurançaCuidados e Segurança
Cuidados e Segurança
 
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptxAPRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
APRESENTAÇÃO PRIMEIROS SOCORROS 2023.pptx
 
Acidentes primeiros socorros infancia
Acidentes primeiros socorros infanciaAcidentes primeiros socorros infancia
Acidentes primeiros socorros infancia
 
Primeiros socorros
Primeiros socorrosPrimeiros socorros
Primeiros socorros
 
Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida  Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida
 
9208862 1205924008primeirossocorros
9208862 1205924008primeirossocorros9208862 1205924008primeirossocorros
9208862 1205924008primeirossocorros
 
12971430 1205924008primeirossocorros
12971430 1205924008primeirossocorros12971430 1205924008primeirossocorros
12971430 1205924008primeirossocorros
 
Apres0000158
Apres0000158Apres0000158
Apres0000158
 
Suporte Básico de Vida
Suporte Básico de VidaSuporte Básico de Vida
Suporte Básico de Vida
 
O que fazer em caso de envenenamento
O que fazer em caso de envenenamentoO que fazer em caso de envenenamento
O que fazer em caso de envenenamento
 
acidentes
acidentesacidentes
acidentes
 
Suporte básico 1
Suporte básico 1Suporte básico 1
Suporte básico 1
 
Gustavo 1ºs socorros
Gustavo 1ºs socorrosGustavo 1ºs socorros
Gustavo 1ºs socorros
 
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
Projeto-Educação-em-Saúde-nas-Escolas-Programa-Noções-Básicas-de-Primeiros-So...
 
apresentação SBV.pptx
apresentação SBV.pptxapresentação SBV.pptx
apresentação SBV.pptx
 

Último

Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
ClarissaNiederuaer
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
ozielgvsantos1
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 

Último (9)

Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 

Primeiro socorros - Animais Peçonhentos e Envenenamento

  • 1. ADRIANO BARBOSA DE SANT’ANA
  • 10. PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS – ANIMAIS PEÇONHENTOS •Manter a vítima deitada, em repouso. Evite que ela se movimente para não favorecer a absorção de veneno; •Se a picada for no braço ou na perna, mantenha-os em posição mais baixa que o coração; •Lavar a picada com água e sabão; •Colocar gelo ou água fria sobre o local da picada; •Remover anéis, relógios para prevenir complicações decorrentes de inchaço; •Encaminhar imediatamente a vítima ao serviço de saúde mais próximo, para receber o soro a tempo; •Se possível, capturar o animal que causou o acidente, levando junto com a pessoa picada. Essa medida facilita o diagnóstico e o tratamento correto
  • 12. ENVENENAMENTO Paracelsus (1493-1541) já dizia "todas as substâncias são venenos, não há nenhuma que não o seja. A dose correta determina o remédio e o veneno". Doses gradativas de uma droga dada a um indivíduo geralmente provocam magnitude de resposta aumentada à medida que as doses são elevadas.
  • 13. ENVENENAMENTO Entorpecentes MedicamentosProdutos químicos de limpeza Alimentos deterioradosVenenos Gases tóxicos
  • 14. ENVENENAMENTO Algumas medidas para evitar o envenenamento: •Mantenha os medicamentos e substâncias químicas fora do alcance das crianças. Afora o fato de que elas têm mania de levar todas as coisas à boca, certos comprimidos podem ser confundidos com balas. •Mantenha os produtos de limpeza, cera para móveis e inseticidas sempre nos mesmos locais e devidamente trancados. •Mantenha as bebidas alcoólicas fora do alcance das crianças. Mesmo meia taça de uma bebida forte pode causar muitos danos e até mesmo matar uma criança de dois anos! •Ensine as crianças a nunca colocar folhas, talos ou sementes na boca. Certas plantas causam doenças e algumas são venenosas. •Não guarde substâncias químicas em garrafas que as crianças possam confundir com refrigerantes. •Tenha cuidado com os escapamentos de gás. O gás de cozinha pode matar sem causar sintomas iniciais! •Evite aspirar fumaça. Se acaso ficar retido em ambiente enfumaçado procure deitar-se no chão e arrastar-se dali porque a fumaça tende a subir. • Não consumir alimentos deteriorados ou com data de vencimento expirada. • Não usar medicamentos por conta própria ou prazo de validade vencido.
  • 15. O que fazer nos casos de envenenamento? Intoxicação por Alimentos Normalmente, a pessoa intoxicada apresenta suor excessivo, dores abdominais agudas, vômito e náuseas, desmaios e possíveis delírios. Deve-se proceder da seguinte forma: -Chamar previamente o socorro especializado; - Liberar vias aéreas; - Verificar os sinais vitais; - Manter a vítima aquecida e de maneira confortável; - Procurar saber o máximo de informações possíveis sobre a origem da intoxicação alimentar, como por exemplo, que tipo de alimento a pessoa ingeriu; -Deve ser um tratamento realizado por profissionais, sendo indispensável a locomoção a uma unidade de saúde. Intoxicação por Substâncias e/ou Venenos Inalados - Remova a vítima do local para um ponto ao ar livre; - Em caso de perda da consciência, inicie o procedimento de reanimação, descrito anteriormente no site; - Acione o mais rápido possível o socorro especializado. PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS – ENVENENAMENTO
  • 16. Intoxicação / Envenenamento por produtos Tóxicos ou Remédios Em geral, são causados por ingestão compulsória de remédios, ingestão acidental ou proposital de substâncias nocivas ao organismo. A automedicação pode ser provocada tanto por medicamentos originais, quanto por medicamentos genéricos. Alguns dos sintomas podem apresentar queimaduras em volta da boca, vômitos, respiração dificultosa e limitada, unhas e lábios arroxeados, etc. •Ligar para o socorro médico ( 192,193,190,199) •Verificar o local; •Liberar vias aéreas; •Checar sinais vitais; •Se a vítima não estiver respirando, iniciar massagem cardíaca e respiração boca-nariz e não boca a boca, para evitar ficar contaminado. •Deite a vítima de lado, com a cabeça apoiada sobre os braços, para evitar que ela se sufoque caso apresente vômito involuntário. * Por ser uma situação em que o tempo é totalmente determinante, deve-se realizar o transporte imediato da vítima ao hospital mais próximo. Jamais induza o vômito, pois, em alguns casos, pode espalhar a substância tóxica pelas paredes do sistema digestório, agravando o quadro; *Levar a embalagem do remédio ou produto com o qual a vítima teve a intoxicação. PROCEDIMENTOS PRÁTICOS DE PRIMEIROS SOCORROS – ENVENENAMENTO

Notas do Editor

  1. São animais que, por meio de um mecanismo de caça e defesa, são capazes de injetar em suas presas uma substância tóxica produzida em seus corpos, diretamente de glândulas especializadas (dente, ferrão, aguilhão) por onde passa o veneno. Esses animais agem por instinto de sobrevivência. Ao se sentirem ameaçados, imobilizam o agressor e fogem para um local seguro. Temidos pelo homem, os animais peçonhentos estão presentes tanto em meios rurais, quanto urbanos. Eles são responsáveis por provocarem inúmeros acidentes domésticos, em variadas regiões brasileiras, com índices crescentes ano após ano. Cobras, aranhas, escorpiões, lacraias, taturanas, vespas, formigas, abelhas e marimbondos são exemplos dessa categoria.  Estatísticas mostram que a relação de acidentes por animais peçonhentos é de três casos em homens contra dois casos em mulheres. Apontam também que três quartos dos casos são considerados de leve gravidade, sendo apenas 3% dos casos considerados graves. Os acidentes por animais peçonhentos, em especial os acidentes ofídicos (ou seja, relacionados à serpentes), foram incluídos na lista de doenças tropicais negligenciadas pela Organização Mundial da Saúde; tais acidentes acontecem em sua maioria com populações carentes moradoras de áreas rurais e foram responsáveis por 309 mortes no Brasil em 2009. Em geral, as chuvas são o principal fator do aumento desses índices. Uma das hipóteses está relacionada com os alagamentos, pois os animais são obrigados a sair de seus esconderijos naturais.
  2. Em geral as picadas de abelhas, vespas e formigas podem ser doloridas, mas o perigo maior é uma reação alérgica ou uma ferroada na garganta. Alguns procedimentos podem evitar complicações: Vespas e formigas não deixam ferrão na pele. Já quanto as abelhas, o ferrão do inseto pode ficar incrustado na pele. Recomenda-se remover o ferrão puxando-o para cima com a unha ou uma pinça e, em seguida passe um creme anti-histamínico sobre o local. Se a ferroada for na boca ou na garganta o inchaço pode bloquear as vias respiratórias. Oferecer sorvete ou cubos de gelo para chupar, ou mesmo água gelada para beber diminui o inchaço. Ligue para o pronto-socorro e peça uma ambulância, ou leve-a rapidamente para o hospital. 
  3. As espécies de escorpião classificadas como de importância médica existem em todo o Brasil. A picada causa dor no local atingido e apresenta evolução na maioria dos casos. As crianças podem ter manifestações graves em razão do envenenamento. Em caso de picada, recomenda-se fazer compressas mornas e utilizar analgésicos para aliviar a dor até o acidentado chegar a um serviço de saúde. O atendimento médico irá determinar se a vítima precisa ou não receber soro. O lixo acumulado pode servi como abrigo e atrai insetos como baratas que serve de alimento para escorpiões. Sempre olhar e verificar dentro dos calçados antes de usá-los. Verificar bem antes mexer em folhagens, onde os escorpiões se camuflam muito bem.
  4. A quantidade de pessoas que procuram ajuda após levar uma picada de lacraia em alguma parte do corpo (principalmente no pé) é imensa. Lacraias ou Centopéias estes animais surgem em locais úmidos, estes bichos peçonhentos vivem mais comumente em troncos de árvores, ou folhagens. Já nas casas, ela gosta de ficar no banheiro pois é um lugar que está sempre úmido por mais que você enxugue. A mordida da lacraia é venenosa e dolorida mas o veneno não é tão nocivo aos seres humanos, claro, muito depende da quantidade de picadas que a pessoa tomou. Se você for picado por uma lacraia venenosa sempre é bom o acompanhamento médico pois há pessoas alérgicas que foram picadas por lacraias e de uma simples picada dolorida pode ocorrer outras reações, mas nada que leve à óbito. Para prevenir o surgimento dessas lacraias venenosas devemos então manter nossa casa limpa e seca, nosso quintal também deve estar limpo, móveis velhos onde as lacraias podem se proliferar, Outra dica é manter vivo animais como lagartixa que se alimenta desses animais peçonhentos. Sempre olhar e verificar dentro dos calçados antes de usá-los.
  5. Existem três tipos de aranhas de importância médica no Brasil 1º- Aranha Loxosceles (conhecida como “aranha-marrom”): essa espécie é considerada importante causa de acidentes no sul do país. A picada costuma acontecer quando a aranha é comprimida, portanto a vítima geralmente é atingida quando está dormindo ou se vestindo. Os locais mais comuns da lesão são tronco, abdome, coxa e braço. 2º- Latrodectus (conhecida como “viúva-negra”): essa espécie é encontrada com predominância no litoral nordestino. Ela provoca acidentes leves e moderados, além de gerar contrações musculares, agitação e sudorese na vítima. 3º- Phoneutria (conhecida como “armadeira”, “aranha-da-banana”, “aranha-macaca”): a maioria dos registros de acidentes dessa espécie é concentrada na região sudeste, sobretudo em abril e maio. A picada costuma acontecer quando a vítima calça o sapato ou a bota. Sempre olhar e verificar dentro dos calçados antes de usá-los.
  6. No Brasil são quatro tipos que mais causam acidentes 1º- Acidente botrópico (é causado por serpentes do grupo das jararacas): provoca dor e inchaço no local da picada. Em alguns casos pode gerar manchas arroxeadas e sangramento pelos orifícios da picada, além de sangramentos em gengivas, pele e urina. Este acidente pode evoluir causando infecção e necrose na região da picada e também insuficiência renal. 2º- Acidente laquético (é causado por surucucu): este tipo de acidente apresenta quadro similar ao acidente botrópico, mas também provoca vômitos, diarréia e queda da pressão arterial. 3º- Acidente elapídico (é causado por coral verdadeira): neste tipo de acidente não é possível notar alteração importante no local da picada. A vítima tem quadro com visão borrada ou dupla, pálpebras caídas e aspecto sonolento. 4º- Acidente crotálico (causado por cascavel): neste acidente o local da picada não tem sinal evidente de lesão e a vítima tem sensação de formigamento. O acidentado tem dificuldade em manter os olhos abertos, apresenta aspecto sonolento, tem visão turva ou dupla e possui dores musculares generalizadas. Além desses sintomas, a vítima também apresenta urina escura.
  7. • Usar botinas com perneiras ou botas de cano alto no trabalho, pois 80% das picadas atingem as pernas abaixo dos joelhos. • Usar luvas de couro nas atividades rurais e de jardinagem; não colocar as mãos em buracos na terra, ocos de árvores, cupinzeiros, utilizando para isso um pedaço de pau ou enxada. • Examinar os calçados, pois serpentes podem refugiar-se dentro deles. • Vedar frestas e buracos em paredes e assoalhos. • Limpar as proximidades das casas, evitando folhagens densas junto delas . • Evitar acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção. • Avaliar bem o local onde montar acampamentos e fazer piqueniques. • Preservar inimigos naturais (raposa, gambá, gaviões e corujas) e criar aves domésticas, que se alimentam de serpentes.
  8. . Evitar queimadas e desmatamentos, pois isso faz com que os animais saiam de seu habitat natural e fujam para os domicílios. • Evitar acúmulo de lixo, entulhos e materiais de construção., atraem roedores e baratas que são alimentos de serpentes, escorpião etc. • Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicações de sua região. Ligação Gratuita 0800 780 200 0800 410 148 0800 148 110 0800 284 4343 0800 643 5252 0800 771 3733
  9. Todos os anos, em média, cerca de 150 pessoas perdem a vida no Brasil devido a acidentes com serpentes peçonhentas. A letalidade pode não ser tão alta – são mais de 29 mil casos, ou seja, menos de 1% deles terminam em óbito – mas, se não fosse pela desinformação e pelos mitos que envolvem a picada do animal, esse número poderia ser bem menor. “Passar alho, chupar a ferida, fazer torniquete, perfurar ao redor da picada – são alguns dos procedimentos errados que as pessoas seguem após um acidente”, afirma Kathleen Grego, diretora do Laboratório de Herpetologia do Instituto Butantan. “Apesar de todos os esforços do Instituto em propagar informações acerca de acidentes ofídicos, a maior parte desses casos ocorre em zonas rurais, onde há muitas dificuldades para se desmistificar crenças em relação às serpentes”. Outros procedimentos como o torniquete (amarrar uma faixa em volta da ferida para atrapalhar a circulação do sangue), a perfuração ao redor da ferida e chupar a mesma tampouco são corretos. “Se você fizer torniquete, o veneno vai agir nessa região de maneira muito acentuada”, diz a pesquisadora do Laboratório de Herpetologia. “No caso da jararaca, por exemplo, cujo veneno é proteolítico - ou seja, lesa a musculatura – concentrar a toxina nessa região aumenta muito a chance de sequelas e amputação”. “E, nos casos de incisão ao redor da picada e chupá-la, favorece-se a entrada de microrganismos, podendo ocorrer, assim, infecções secundárias”. Logo, a recomendação continua sendo evitar curas e procedimentos caseiros, restringindo-se os primeiros socorros à higienização da área picada, deixar o membro atingido para cima e procurar ajuda de forma urgente. 
  10. Envenenamento são todos os efeitos danosos às células do organismo por substâncias nocivas que entraram no corpo de alguma forma e que podem causar sérios danos ao indivíduo ou até levar à morte. Os venenos podem ser ingeridos, aspirados do ar, injetados na veia ou absorvidos na pele, seja acidentalmente, seja de forma voluntária. Todo ano, 26 mil crianças são vítimas de envenenamento acidental no Brasil. Alguns venenos são potencialmente ou inevitavelmente mortais; outros podem causar danos variáveis e deixar sequelas graves sem, contudo, levarem à morte. Os efeitos dos venenos sobre o organismo dependem, por um lado, da dose deles e, por outro, do tempo decorrido desde que foram ingeridos.
  11. Dar líquidos à vítima, pois pode favorecer a absorção de alguns venenos; Provocar o vômito se a vítima ingeriu um corrosivo ou um solvente; Não faça respiração boca a boca; Não é necessário segurar a lingua;