SlideShare uma empresa Scribd logo
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Amplificador Diferencial
Operação a Grandes e Pequenos Sinais
Prof. Jader A. De Lima
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
The basic BJT differential-pair configuration.
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
It tracks VCC
• both Vout and VCC are referred to same ground → vout tracks VCC
• what happens if Vout is not measured with respect to GND, but with
respect to another node that experiences same ripple?
source: Razavi
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• the foundation for differential amplifiers: the symmetric CE stages provides
two output nodes whose voltage difference remains first-order free of VCC ripple
Carries no signal;
only constant current source
• one possible solution:
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• common-mode • differential-mode
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
)VV(AV0 −+ −=
+
−
A
V+
V−
V0
Differential Amplifier
“Differential” ⇒ V0 depends only on difference (V+ − V-)
+
−
+
−
V0AV1
+
−
V1
Ri
Circuit Model in linear region
Ro
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Differential Amplifiers in Electrocardiography
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Sinal modo comum:
Sinal modo diferencial:
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Different modes of operation of the BJT differential pair: (a) The differential pair with a common-mode input signal vCM. (b)
The differential pair with a “large” differential input signal.
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
(Continued) (c) The differential pair with a large differential input signal of polarity opposite to that in (b). (d) The differential
pair with a small differential input signal vi. Note that we have assumed the bias current source I to be ideal (i.e., it has an
infinite output resistance) and thus I remains constant with the change in vCM.
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Figura 1. Esquemático do par diferenial
• Na Figura 1 tem-se o esquemático de um par diferencial com BJT NPN
Q1 e Q2, e cargas passivas RC1 e RC2, polarizado por uma fonte de
corrente constante ITAIL.
• Admite-se casamento perfeito entre Q1 – Q2 e RC1 – RC2
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• A análise da operação sob grandes sinais indica o limitado intervalo de
amplitudes do sinal diferencial Vid = Vi1 – Vi2, no qual o circuito apresenta
comportamento aproximadamente linear.
Aplicando-se KVL (lei de Kirchoff das tensões) à malha de entrada, tem-se
(1)
Assumindo-se transistores operando na região linear
(queda de tensão em RC pequena), pela característica I-V
de uma junção pn tem-se:
(2.1)
1) Comportamento de Grandes Sinais
0VVVV 2i2be1be1i =−+−






≅−=




















T
1be
1S
T
1be
1S1c
V
V
expI1
V
V
expII
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016






≅−=




















T
2be
2S
T
2be
2S2c
V
V
expI1
V
V
expII (2.2)
Assumindo as correntes de saturação IS1
= IS2
= IS
e Vbe1,
Vbe2
>> VT
(tensão térmica),






=
S
1c
T1be
I
I
lnVV






=
S
2c
T2be
I
I
lnVV
Combinando-se (2.1) e (2.2), tem-se
(3.1)
(3.2)






=





=
−
T
id
T
2be1be
1c
1c
V
V
exp
V
VV
exp
I
I
(4)
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Para fatores de transporte casados (α1
= α2
= α), tem-se Ic1
= αIe1
e Ic2
= αIe2
.
Portanto,
( )
α
+
==+−
2c1c
TAIL2e1e
II
III (5)
Manipulando-se (4) e (5),






−+
α
=
T
id
TAIL
1c
V
V
exp1
I
I (6)






+
α
=
T
id
TAIL
2c
V
V
exp1
I
I (7)
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Ic1 e Ic2 em função da entrada Vid estão indicadas na Figura 2. Como esperado,
para Vid = 0, Ic1 = Ic2 = ITAIL/2.
• Observa-se uma região aproximadamente linear para Vid < 3VT (≅78mV @23o
C),
embora melhor lienaridade apenas para Vid < VT;
• simplificadamente: para Vid > 3VT, um dos transistores entra em corte, enquanto
que ITAIL passa integralmente pelo outro.
Figura 2. Distribuição da corrente de coletor no par
diferencial em função do sinal de entrada
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
À saída do par diferencial, tem-se
C1cCC1o RIVV −=
C2cCC2o RIVV −=
(8)
(9)
e tomando-se a saída diferencial, 




 −
α=−=
T
id
CTAIL2o2ood
V2
V
tanhRIVVV (10)
Figura 3. Tensão diferencial de saída Vod
em função da entrada Vid
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• O intervalo de linearidade do par diferencial pode ser estendido através
da linearização de emissor, inserindo-se resistores de emissor RE, como
indicado na Figura 4.
• Basicamente, parte do sinal aplicado às bases de Q1 e Q2 distribui-se
sobre esses resistores, linearizando-se o estágio (Figura 5).
Figura 4. Par-diferencial com degeneração
de emissor
Figura 5. Evolução de Vod em função de Vid para par
diferencial com degeneração de emissor
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
2) Comportamento de Pequenos Sinais
• Considera-se um sinal Vid, de pequena amplitude, aplicado ao par diferencial,
(Figura 6).
• sinal é decomposto, sendo (+Vid/2) aplicado à base de Q1, e (–Vid/2) aplicado à
base de Q2, ambas parcelas possuindo o mesmo nível DC (modo comum).
• Nessa condição, diz-se que o sinal diferencial é balanceado.
Figura 6. Pequeno sinal (balanceado) aplicado ao par
diferencial MOSFET canal N
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Na Figura 7a, tem-se o circuito equivalente de pequenos sinais (equivalente AC)
do par diferencial da Figura 6. Admitindo-se casamento perfeito entre
componentes, por simetria de circuito, o sinal balanceado aplicado faz com que o
potencial no emissor comum (nó E), seja nulo.
• Assim diz-se que o nó E atua como terra AC, pois não sofre variações com o
sinal de entrada. Para efeito de análise, pode-se então analisar apenas um lado do
circuito, como ilustrado na Figura 7b.
Figura 7. Circuito equivalente de pequenos sinais do par-diferencial para sinal de entrada balanceado (a)
e circuito simplificado para análise (b)
(a) (b)
node E
node E
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Sinal balanceado
nó E atua como terra AC
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Sinal não-balanceado
Para RTAIL → ∞ nó E recebe metade do sinal
de entrada
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
2
V
Rg
2
V id
m
od
−=
Rg
V
V
A m
0icid
od
dm −==
=
(11)
(12)
o ganho diferencial do par diferencial – em baixas e médias
frequências - corresponde ao produto entre a transcondutância
gm e a carga R;
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Input Impedance
Using small signal analysis, it can be
shown:
( )
m
C
m
C
CC
m
BB
g
i
g
i
ii
g
vv 21
2121
221
−==−=−
BxCx ii β=But,
m
B
BB
g
i
vv 1
21
2β
=−∴
mB
BB
in
gi
vv
r
β2
1
21
=
−
=
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Input Impedance
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Output Impedance (single-ended)
00Set =⇒= CIN iv
Applying Kirchoff’s current law:
RCOUTOUTRCC iiiii −=⇒=+= 0
( ) CC
RC
OUT
OUT
OUT
OUT RR
i
v
i
v
r =−−=−==
Same result as common emitter amplifier
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Output Impedance (differential-output)
00Set =⇒= CIN iv
Applying Kirchoff’s current law:
RCOUTOUTRCC iiiii −=⇒=+= 0
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
AC Coupling and Biasing
 Input and output coupling
capacitors may be required to
remove d.c. bias voltages
 If input coupling capacitors
are used, a d.c. bias current
path to the transistors’ bases
must be established
 Extra base resistors
accomplish this
 These will appear in parallel
with the input impedance
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Practical Amplifier with AC Coupling
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
• Resposta à Variação da Tensão de Modo Comum
Na Figura 8, tem-se o esquemático do par diferencial com uma tensão
modo comum vic
aplicada às bases de ambos Q1 e Q2. Assumindo
inicialmente ITAIL
ideal, ou seja, RTAIL
→ ∞, tem-se que, para as correntes
incrementais ic1
e ic2
,
Figura 8. Par-diferencial com tensão modo-comum
aplicada à entrada
0ii 2c1c =+
Mas, por simetria do circuito e sinal aplicado,
(13)
2c1c ii = (14)
de modo que a única solução possível é
0ii 2c1c == (15)
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
O circuito rejeita idealmente o modo comum, sendo voc
= 0.
Ainda, tem-se o ganho de modo-comum Acm
= 0.
• Definindo-se o parâmetro CMRR (Common-Mode Rejection Rate)
como CMRR = Adm/Acm, tem-se CMRR → ∞
• No entanto, na prática, tem-se RTAIL finito. Portanto, (13) não é mais
válida, dando origem a correntes incrementais ic1 e ic2 de modo comum
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Figura 10. Circuito equivalente de pequenos sinais do par-diferencial simplificado
para sinal de entrada modo-comum
• Por inspeção, pode-se verificar que, devido à simetria do circuito, ix = 0.
→ o circuito simplificado da Figura 10 pode ser utilizado para cálculo de Acm
.
1moc Rvgv −=





π
+≅





β
++=





++= TAILm1
m
mTAIL11
1
1mTAIL1ic Rg21v
g
gRv2v
r
v
vgR2vv
TAILm
m
i
oc
cm
Rg21
Rg
cv
v
A
+
−
== TAILm
cm
dm
Rg21
A
A
CMRR +==
(16)
(17)
(18) (19)
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Ex: Para VA = -1.5V, determinar o ganho de pequenos sinais
vout/vin e o CMRR.
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
...)()()( 4
4
3
3
2
21 +++++= +++++
iiiioQo VaVaVaVaVV
...)()()()( 4
4
3
3
2
21 +−+−+−+−+= ++++−
iiiioQo VaVaVaVaVV
...)()()( 4
4
3
3
2
21 ++−+−+= ++++−
iiiioQo VaVaVaVaVV
...)(22 3
31 ++=−= ++−+
iiooout VaVaVVV
Cancelamento dos harmônicos pares em amplificadores fully-differential
Admitindo-se:
i)balanceamento do sinal (Vi
+
=-Vi
-
)
ii)casamento ideal dos componentes
harmônicos pares são idealmente cancelados !!
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Offset Voltage
 With zero differential input, the collector
currents and, therefore, the collector
voltages should be identical
 This assumes that:
 The transistors are identical
 The loads are also identical
 In practice, loads will vary and the
quiescent conditions will not be perfectly
symmetrical
 There will be an offset voltage between the
actual output and the ideal assumption
• Device mismatch effects in differential amplifiers
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Input-referred offset voltage
VOS: differential input voltage to be
applied such that VOD = 0
0, 2121 =→=≡ ODCC VRRQQ
0, 2121 ≠→≠≠ ODCC VRRQQmismatching
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
2
2
2
1
C
CC
C
CC
Cmdm
R
RR
R
RR
RgA
∆
−=
∆
+=
=
( ) C
TAIL
CC
TAIL
TAIL
C
TAIL
C
R
I
RR
I
V
I
R
I
RV
∆=−=






−=
22
22
12od
12od
T
C
C
C
T
TAIL
C
TAIL
Cm
C
TAIL
dm
od
V
R
R
R
V
I
R
I
Rg
R
I
A
V
V
∆
=
∆
=
∆
==
2
22os
i) Mismatching between RC1 and RC2
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
( ) ( )
CTAIL
TAIL
C
TAIL
C
RnIV
n
I
Rn
I
RV
=






−−+=
od
od 1
2
1
2
ii) Mismatching between Q1 and Q2
or if IQ1 = ITAIL/2 and IQ2 = ITAIL/2 – ∆ITAIL
with ITAIL ∝ Is
( )
( )nII
nII
RgA
SQS
SQS
Cmdm
−=
+=
=
1
1
2_
1_
T
C
T
TAIL
CTAIL
dm
od
nV
R
V
I
RnI
A
V
V 2
2
os ===
T
S
S
T
TAIL
TAIL
C
T
TAIL
CTAIL
dm
od
V
I
I
V
I
I
R
V
I
RI
A
V
V
∆
=
∆
=
∆
==
22
2
os
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
Typically, VOS is a small fraction of φt.
* IC layout is essential to reduce
the offset voltage
In case the error sources are correlated
Magnitude; sign is not relevant since the polarity of mismatching is unknown!
In case the error sources are uncorrelated
22
2





 ∆
+




 ∆
=
C
C
S
S
t
OS
R
R
I
IV
φ
C
C
S
S
t
OS
R
R
I
IV ∆
+
∆
=
2
φ
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
b) Input offset current
EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tensão de fase
Tensão de faseTensão de fase
Tensão de fase
MA RI
 
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsolExercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
Danieli Franco Mota
 
Lista1
Lista1Lista1
Transformadores monofãsicos melec 0607
Transformadores monofãsicos melec 0607Transformadores monofãsicos melec 0607
Transformadores monofãsicos melec 0607
João Carlos Silva
 
Aula 12 torção
Aula 12 torçãoAula 12 torção
Aula 12 torção
Tiago da Cunha Luna
 
Lista exercicio prova_1
Lista exercicio prova_1Lista exercicio prova_1
Lista exercicio prova_1
Rebeca Conceição da Silva Reis
 
Laboratorio 3
Laboratorio 3Laboratorio 3
Tensão média e tensão eficaz
Tensão média e tensão eficazTensão média e tensão eficaz
Tensão média e tensão eficaz
Rodrigo Thiago Passos Silva
 
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente ContínuaCircuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
José Albuquerque
 
Aula 02 conhecendo o multímetro analógico(1)
Aula 02   conhecendo o multímetro analógico(1)Aula 02   conhecendo o multímetro analógico(1)
Aula 02 conhecendo o multímetro analógico(1)
Roziane Rebouças
 
Lancamento horizontal e obliquo resumo
Lancamento horizontal e obliquo   resumoLancamento horizontal e obliquo   resumo
Lancamento horizontal e obliquo resumo
NS Aulas Particulares
 
01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente ContínuaRelatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Fernando Filho
 
transformadores elétricos
transformadores elétricostransformadores elétricos
transformadores elétricos
Ananda Medeiros
 
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof ElvisFísica 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
Elvis Soares
 
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdfCalculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
MrioCouto1
 
Transformadores para medição e proteção
Transformadores para medição e proteçãoTransformadores para medição e proteção
Transformadores para medição e proteção
Rodrigo Prado
 
Capitulo 4 livro
Capitulo 4 livroCapitulo 4 livro
Capitulo 4 livro
Alexandre Davis
 
Teorema de Thevenin alex
Teorema de Thevenin alexTeorema de Thevenin alex
Teorema de Thevenin alex
Alex Davoglio
 
3 --retificadores
3 --retificadores3 --retificadores
3 --retificadores
Alexandre Awe
 

Mais procurados (20)

Tensão de fase
Tensão de faseTensão de fase
Tensão de fase
 
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsolExercicios resolvidos de resmat mecsol
Exercicios resolvidos de resmat mecsol
 
Lista1
Lista1Lista1
Lista1
 
Transformadores monofãsicos melec 0607
Transformadores monofãsicos melec 0607Transformadores monofãsicos melec 0607
Transformadores monofãsicos melec 0607
 
Aula 12 torção
Aula 12 torçãoAula 12 torção
Aula 12 torção
 
Lista exercicio prova_1
Lista exercicio prova_1Lista exercicio prova_1
Lista exercicio prova_1
 
Laboratorio 3
Laboratorio 3Laboratorio 3
Laboratorio 3
 
Tensão média e tensão eficaz
Tensão média e tensão eficazTensão média e tensão eficaz
Tensão média e tensão eficaz
 
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente ContínuaCircuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
Circuitos eletricos 1 - Circuitos Elétricos em Corrente Contínua
 
Aula 02 conhecendo o multímetro analógico(1)
Aula 02   conhecendo o multímetro analógico(1)Aula 02   conhecendo o multímetro analógico(1)
Aula 02 conhecendo o multímetro analógico(1)
 
Lancamento horizontal e obliquo resumo
Lancamento horizontal e obliquo   resumoLancamento horizontal e obliquo   resumo
Lancamento horizontal e obliquo resumo
 
01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados01 amplificadores elementares transistorizados
01 amplificadores elementares transistorizados
 
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente ContínuaRelatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
 
transformadores elétricos
transformadores elétricostransformadores elétricos
transformadores elétricos
 
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof ElvisFísica 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
Física 3 - Eletromagnetismo - UFRJ - Prof Elvis
 
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdfCalculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
Calculo_de_Canalizacoes_Eletricas_Estagi.pdf
 
Transformadores para medição e proteção
Transformadores para medição e proteçãoTransformadores para medição e proteção
Transformadores para medição e proteção
 
Capitulo 4 livro
Capitulo 4 livroCapitulo 4 livro
Capitulo 4 livro
 
Teorema de Thevenin alex
Teorema de Thevenin alexTeorema de Thevenin alex
Teorema de Thevenin alex
 
3 --retificadores
3 --retificadores3 --retificadores
3 --retificadores
 

Semelhante a 05 amplificador diferencial

11 osciladores
11 osciladores11 osciladores
09 sistemas realimentados
09 sistemas realimentados09 sistemas realimentados
09 sistemas realimentados
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Projeto da Fonte de Alimentação Regulada
Projeto da Fonte de Alimentação ReguladaProjeto da Fonte de Alimentação Regulada
Projeto da Fonte de Alimentação Regulada
Ciro Marcus
 
05 voltage & current references
05 voltage & current references05 voltage & current references
05 voltage & current references
Universidade Federal de Santa Catarina
 
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
Audenor Júnior
 
3 Circuitos elétricos - resistores
3 Circuitos elétricos - resistores3 Circuitos elétricos - resistores
3 Circuitos elétricos - resistores
Pedro Barros Neto
 
Capitulo ii
Capitulo iiCapitulo ii
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - HallidayAula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
Agnaldo Santos
 
Espelhos de corrente
Espelhos de correnteEspelhos de corrente
14 análise por malhas em cc
14 análise por malhas em cc14 análise por malhas em cc
14 análise por malhas em cc
Pedro Barros Neto
 
08 amplificador operacional
08 amplificador operacional08 amplificador operacional
08 amplificador operacional
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Cap08
Cap08Cap08
Cap08
Cap08Cap08
Sistema de aquisição de um sinal de ECG
Sistema de aquisição de um sinal de ECGSistema de aquisição de um sinal de ECG
Sistema de aquisição de um sinal de ECG
pjclima
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
MussageVirgilioSaide
 
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.pptEletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
LuVita4
 
Lista exerc 1
Lista exerc 1Lista exerc 1
Lista exerc 1
jcpericles
 
Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1
andydurdem
 
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICALista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
Bianca Hülle
 

Semelhante a 05 amplificador diferencial (20)

11 osciladores
11 osciladores11 osciladores
11 osciladores
 
09 sistemas realimentados
09 sistemas realimentados09 sistemas realimentados
09 sistemas realimentados
 
Projeto da Fonte de Alimentação Regulada
Projeto da Fonte de Alimentação ReguladaProjeto da Fonte de Alimentação Regulada
Projeto da Fonte de Alimentação Regulada
 
05 voltage & current references
05 voltage & current references05 voltage & current references
05 voltage & current references
 
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
2º relatório de laboratória de eletrônica industrial
 
3 Circuitos elétricos - resistores
3 Circuitos elétricos - resistores3 Circuitos elétricos - resistores
3 Circuitos elétricos - resistores
 
Capitulo ii
Capitulo iiCapitulo ii
Capitulo ii
 
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - HallidayAula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
Aula 11 Fśica 3 - Oscilações Eletromagnéticas - Halliday
 
Espelhos de corrente
Espelhos de correnteEspelhos de corrente
Espelhos de corrente
 
14 análise por malhas em cc
14 análise por malhas em cc14 análise por malhas em cc
14 análise por malhas em cc
 
08 amplificador operacional
08 amplificador operacional08 amplificador operacional
08 amplificador operacional
 
Cap08
Cap08Cap08
Cap08
 
Cap08
Cap08Cap08
Cap08
 
Sistema de aquisição de um sinal de ECG
Sistema de aquisição de um sinal de ECGSistema de aquisição de um sinal de ECG
Sistema de aquisição de um sinal de ECG
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
 
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.pptEletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
Eletrônica Analógica -- Aula 004 -- Diodos 1.ppt
 
Lista exerc 1
Lista exerc 1Lista exerc 1
Lista exerc 1
 
Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1
 
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
 
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICALista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
Lista de exercícios de bjt UFES-ENGENHARIA MECANICA
 

Mais de Universidade Federal de Santa Catarina

06 amplificadores de potência
06 amplificadores de potência06 amplificadores de potência
06 amplificadores de potência
Universidade Federal de Santa Catarina
 
03 ruído em circuitos analógicos
03 ruído em circuitos analógicos03 ruído em circuitos analógicos
03 ruído em circuitos analógicos
Universidade Federal de Santa Catarina
 
08 resposta em frequencia de amplificadores
08 resposta em frequencia de amplificadores08 resposta em frequencia de amplificadores
08 resposta em frequencia de amplificadores
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Circuitos básicos a diodos
Circuitos básicos a diodosCircuitos básicos a diodos
Circuitos básicos a diodos
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Mixed mode ch4_v1
Mixed mode ch4_v1Mixed mode ch4_v1
Mixed mode ch5_v1
Mixed mode ch5_v1Mixed mode ch5_v1
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
Universidade Federal de Santa Catarina
 
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
Universidade Federal de Santa Catarina
 

Mais de Universidade Federal de Santa Catarina (10)

06 amplificadores de potência
06 amplificadores de potência06 amplificadores de potência
06 amplificadores de potência
 
03 ruído em circuitos analógicos
03 ruído em circuitos analógicos03 ruído em circuitos analógicos
03 ruído em circuitos analógicos
 
08 resposta em frequencia de amplificadores
08 resposta em frequencia de amplificadores08 resposta em frequencia de amplificadores
08 resposta em frequencia de amplificadores
 
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
Circuitos básicos a transistor bipolar (bjt)
 
Circuitos básicos a diodos
Circuitos básicos a diodosCircuitos básicos a diodos
Circuitos básicos a diodos
 
Mixed mode ch4_v1
Mixed mode ch4_v1Mixed mode ch4_v1
Mixed mode ch4_v1
 
Mixed mode ch5_v1
Mixed mode ch5_v1Mixed mode ch5_v1
Mixed mode ch5_v1
 
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
Design of Mixed-Mode ICs - Module 3
 
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
Design of Mixed-Mode ICs - Module 2
 
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
Design of Mixed-Mode ICs - Module 1
 

Último

Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
marcosmpereira
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Tronicline Automatismos
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
Vilson Stollmeier
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
Consultoria Acadêmica
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
carlos silva Rotersan
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
Consultoria Acadêmica
 

Último (7)

Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptxWorkshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
Workshop Gerdau 2023 - Soluções em Aço - Resumo.pptx
 
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
AE02 - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II UNICESUMAR 52/2024
 
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60AManual de Instalação para Placa Proteco Q60A
Manual de Instalação para Placa Proteco Q60A
 
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptxMAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
MAQUINAS-EQUIPAMENTOS-E-FERRAMENTAS.pptx
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL ENGENHARIA DA SUSTENTABILIDADE UNIC...
 
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
Grau TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO I - LEGISLAÇÃO APLICADA À SAÚDE E SEGUR...
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL  INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL INDÚSTRIA E TRANSFORMAÇÃO DIGITAL ...
 

05 amplificador diferencial

  • 1. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Amplificador Diferencial Operação a Grandes e Pequenos Sinais Prof. Jader A. De Lima
  • 2. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 The basic BJT differential-pair configuration.
  • 3. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 It tracks VCC • both Vout and VCC are referred to same ground → vout tracks VCC • what happens if Vout is not measured with respect to GND, but with respect to another node that experiences same ripple? source: Razavi
  • 4. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • the foundation for differential amplifiers: the symmetric CE stages provides two output nodes whose voltage difference remains first-order free of VCC ripple Carries no signal; only constant current source • one possible solution:
  • 5. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • common-mode • differential-mode
  • 6. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 7. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 )VV(AV0 −+ −= + − A V+ V− V0 Differential Amplifier “Differential” ⇒ V0 depends only on difference (V+ − V-) + − + − V0AV1 + − V1 Ri Circuit Model in linear region Ro
  • 8. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Differential Amplifiers in Electrocardiography
  • 9. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 10. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 11. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Sinal modo comum: Sinal modo diferencial:
  • 12. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 13. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Different modes of operation of the BJT differential pair: (a) The differential pair with a common-mode input signal vCM. (b) The differential pair with a “large” differential input signal.
  • 14. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 (Continued) (c) The differential pair with a large differential input signal of polarity opposite to that in (b). (d) The differential pair with a small differential input signal vi. Note that we have assumed the bias current source I to be ideal (i.e., it has an infinite output resistance) and thus I remains constant with the change in vCM.
  • 15. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Figura 1. Esquemático do par diferenial • Na Figura 1 tem-se o esquemático de um par diferencial com BJT NPN Q1 e Q2, e cargas passivas RC1 e RC2, polarizado por uma fonte de corrente constante ITAIL. • Admite-se casamento perfeito entre Q1 – Q2 e RC1 – RC2
  • 16. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 17. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 18. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 19. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • A análise da operação sob grandes sinais indica o limitado intervalo de amplitudes do sinal diferencial Vid = Vi1 – Vi2, no qual o circuito apresenta comportamento aproximadamente linear. Aplicando-se KVL (lei de Kirchoff das tensões) à malha de entrada, tem-se (1) Assumindo-se transistores operando na região linear (queda de tensão em RC pequena), pela característica I-V de uma junção pn tem-se: (2.1) 1) Comportamento de Grandes Sinais 0VVVV 2i2be1be1i =−+−       ≅−=                     T 1be 1S T 1be 1S1c V V expI1 V V expII
  • 20. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016       ≅−=                     T 2be 2S T 2be 2S2c V V expI1 V V expII (2.2) Assumindo as correntes de saturação IS1 = IS2 = IS e Vbe1, Vbe2 >> VT (tensão térmica),       = S 1c T1be I I lnVV       = S 2c T2be I I lnVV Combinando-se (2.1) e (2.2), tem-se (3.1) (3.2)       =      = − T id T 2be1be 1c 1c V V exp V VV exp I I (4)
  • 21. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Para fatores de transporte casados (α1 = α2 = α), tem-se Ic1 = αIe1 e Ic2 = αIe2 . Portanto, ( ) α + ==+− 2c1c TAIL2e1e II III (5) Manipulando-se (4) e (5),       −+ α = T id TAIL 1c V V exp1 I I (6)       + α = T id TAIL 2c V V exp1 I I (7)
  • 22. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Ic1 e Ic2 em função da entrada Vid estão indicadas na Figura 2. Como esperado, para Vid = 0, Ic1 = Ic2 = ITAIL/2. • Observa-se uma região aproximadamente linear para Vid < 3VT (≅78mV @23o C), embora melhor lienaridade apenas para Vid < VT; • simplificadamente: para Vid > 3VT, um dos transistores entra em corte, enquanto que ITAIL passa integralmente pelo outro. Figura 2. Distribuição da corrente de coletor no par diferencial em função do sinal de entrada
  • 23. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 À saída do par diferencial, tem-se C1cCC1o RIVV −= C2cCC2o RIVV −= (8) (9) e tomando-se a saída diferencial,       − α=−= T id CTAIL2o2ood V2 V tanhRIVVV (10) Figura 3. Tensão diferencial de saída Vod em função da entrada Vid
  • 24. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • O intervalo de linearidade do par diferencial pode ser estendido através da linearização de emissor, inserindo-se resistores de emissor RE, como indicado na Figura 4. • Basicamente, parte do sinal aplicado às bases de Q1 e Q2 distribui-se sobre esses resistores, linearizando-se o estágio (Figura 5). Figura 4. Par-diferencial com degeneração de emissor Figura 5. Evolução de Vod em função de Vid para par diferencial com degeneração de emissor
  • 25. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 2) Comportamento de Pequenos Sinais • Considera-se um sinal Vid, de pequena amplitude, aplicado ao par diferencial, (Figura 6). • sinal é decomposto, sendo (+Vid/2) aplicado à base de Q1, e (–Vid/2) aplicado à base de Q2, ambas parcelas possuindo o mesmo nível DC (modo comum). • Nessa condição, diz-se que o sinal diferencial é balanceado. Figura 6. Pequeno sinal (balanceado) aplicado ao par diferencial MOSFET canal N
  • 26. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Na Figura 7a, tem-se o circuito equivalente de pequenos sinais (equivalente AC) do par diferencial da Figura 6. Admitindo-se casamento perfeito entre componentes, por simetria de circuito, o sinal balanceado aplicado faz com que o potencial no emissor comum (nó E), seja nulo. • Assim diz-se que o nó E atua como terra AC, pois não sofre variações com o sinal de entrada. Para efeito de análise, pode-se então analisar apenas um lado do circuito, como ilustrado na Figura 7b. Figura 7. Circuito equivalente de pequenos sinais do par-diferencial para sinal de entrada balanceado (a) e circuito simplificado para análise (b) (a) (b) node E node E
  • 27. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Sinal balanceado nó E atua como terra AC
  • 28. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Sinal não-balanceado Para RTAIL → ∞ nó E recebe metade do sinal de entrada
  • 29. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 2 V Rg 2 V id m od −= Rg V V A m 0icid od dm −== = (11) (12) o ganho diferencial do par diferencial – em baixas e médias frequências - corresponde ao produto entre a transcondutância gm e a carga R;
  • 30. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 31. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 32. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Input Impedance Using small signal analysis, it can be shown: ( ) m C m C CC m BB g i g i ii g vv 21 2121 221 −==−=− BxCx ii β=But, m B BB g i vv 1 21 2β =−∴ mB BB in gi vv r β2 1 21 = − =
  • 33. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Input Impedance
  • 34. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Output Impedance (single-ended) 00Set =⇒= CIN iv Applying Kirchoff’s current law: RCOUTOUTRCC iiiii −=⇒=+= 0 ( ) CC RC OUT OUT OUT OUT RR i v i v r =−−=−== Same result as common emitter amplifier
  • 35. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Output Impedance (differential-output) 00Set =⇒= CIN iv Applying Kirchoff’s current law: RCOUTOUTRCC iiiii −=⇒=+= 0
  • 36. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 AC Coupling and Biasing  Input and output coupling capacitors may be required to remove d.c. bias voltages  If input coupling capacitors are used, a d.c. bias current path to the transistors’ bases must be established  Extra base resistors accomplish this  These will appear in parallel with the input impedance
  • 37. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Practical Amplifier with AC Coupling
  • 38. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 • Resposta à Variação da Tensão de Modo Comum Na Figura 8, tem-se o esquemático do par diferencial com uma tensão modo comum vic aplicada às bases de ambos Q1 e Q2. Assumindo inicialmente ITAIL ideal, ou seja, RTAIL → ∞, tem-se que, para as correntes incrementais ic1 e ic2 , Figura 8. Par-diferencial com tensão modo-comum aplicada à entrada 0ii 2c1c =+ Mas, por simetria do circuito e sinal aplicado, (13) 2c1c ii = (14) de modo que a única solução possível é 0ii 2c1c == (15)
  • 39. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 O circuito rejeita idealmente o modo comum, sendo voc = 0. Ainda, tem-se o ganho de modo-comum Acm = 0. • Definindo-se o parâmetro CMRR (Common-Mode Rejection Rate) como CMRR = Adm/Acm, tem-se CMRR → ∞ • No entanto, na prática, tem-se RTAIL finito. Portanto, (13) não é mais válida, dando origem a correntes incrementais ic1 e ic2 de modo comum
  • 40. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Figura 10. Circuito equivalente de pequenos sinais do par-diferencial simplificado para sinal de entrada modo-comum • Por inspeção, pode-se verificar que, devido à simetria do circuito, ix = 0. → o circuito simplificado da Figura 10 pode ser utilizado para cálculo de Acm . 1moc Rvgv −=      π +≅      β ++=      ++= TAILm1 m mTAIL11 1 1mTAIL1ic Rg21v g gRv2v r v vgR2vv TAILm m i oc cm Rg21 Rg cv v A + − == TAILm cm dm Rg21 A A CMRR +== (16) (17) (18) (19)
  • 41. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Ex: Para VA = -1.5V, determinar o ganho de pequenos sinais vout/vin e o CMRR.
  • 42. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 ...)()()( 4 4 3 3 2 21 +++++= +++++ iiiioQo VaVaVaVaVV ...)()()()( 4 4 3 3 2 21 +−+−+−+−+= ++++− iiiioQo VaVaVaVaVV ...)()()( 4 4 3 3 2 21 ++−+−+= ++++− iiiioQo VaVaVaVaVV ...)(22 3 31 ++=−= ++−+ iiooout VaVaVVV Cancelamento dos harmônicos pares em amplificadores fully-differential Admitindo-se: i)balanceamento do sinal (Vi + =-Vi - ) ii)casamento ideal dos componentes harmônicos pares são idealmente cancelados !!
  • 43. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Offset Voltage  With zero differential input, the collector currents and, therefore, the collector voltages should be identical  This assumes that:  The transistors are identical  The loads are also identical  In practice, loads will vary and the quiescent conditions will not be perfectly symmetrical  There will be an offset voltage between the actual output and the ideal assumption • Device mismatch effects in differential amplifiers
  • 44. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 45. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Input-referred offset voltage VOS: differential input voltage to be applied such that VOD = 0 0, 2121 =→=≡ ODCC VRRQQ 0, 2121 ≠→≠≠ ODCC VRRQQmismatching
  • 46. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 2 2 2 1 C CC C CC Cmdm R RR R RR RgA ∆ −= ∆ += = ( ) C TAIL CC TAIL TAIL C TAIL C R I RR I V I R I RV ∆=−=       −= 22 22 12od 12od T C C C T TAIL C TAIL Cm C TAIL dm od V R R R V I R I Rg R I A V V ∆ = ∆ = ∆ == 2 22os i) Mismatching between RC1 and RC2
  • 47. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 ( ) ( ) CTAIL TAIL C TAIL C RnIV n I Rn I RV =       −−+= od od 1 2 1 2 ii) Mismatching between Q1 and Q2 or if IQ1 = ITAIL/2 and IQ2 = ITAIL/2 – ∆ITAIL with ITAIL ∝ Is ( ) ( )nII nII RgA SQS SQS Cmdm −= += = 1 1 2_ 1_ T C T TAIL CTAIL dm od nV R V I RnI A V V 2 2 os === T S S T TAIL TAIL C T TAIL CTAIL dm od V I I V I I R V I RI A V V ∆ = ∆ = ∆ == 22 2 os
  • 48. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 Typically, VOS is a small fraction of φt. * IC layout is essential to reduce the offset voltage In case the error sources are correlated Magnitude; sign is not relevant since the polarity of mismatching is unknown! In case the error sources are uncorrelated 22 2       ∆ +      ∆ = C C S S t OS R R I IV φ C C S S t OS R R I IV ∆ + ∆ = 2 φ
  • 49. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016
  • 50. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016 b) Input offset current
  • 51. EEL 7303 – Circuitos Eletrônicos AnalógicosJader A. De Lima UFSC, 2016