Personalidades da 1ª República <br />Este trabalho é sobre <br />algumas das personalidades que <br />marcaram a nossa His...
Políticos e/ou Militares<br />
Marquês de Soveral<br />       (1853-1922)<br />     Luís Augusto Pinto de Soveral foi um génio da diplomacia. Iniciou a s...
  João Franco Castelo Branco ( 1855-1929)<br />Marcou o reinado de D. Carlos I, pelo carácter autoritário do seu governo. ...
Manuel de Arriaga (1840-1917)<br />Era açoriano, discreto e inteligente e foi o primeiro Presidente da República, eleito a...
   Sidónio Pais       (1872-1918)<br />A sua “República Nova”duraria apenas um ano, de Dezembro de 1917 a Dezembro de 1918...
   António José de Almeida       ( 1866-1929)<br />Um dos políticos mais populares da 1º República, fundador e dirigente d...
    Afonso Costa (1871-1937)<br />Ministro e chefe do Governo durante a 1ª República. <br />      Logo a seguir  à revoluç...
   Gomes da Costa        1863-1929)<br />       É conhecido, sobretudo, como o chefe da revolução de 28 de Maio de 1926,  ...
Machado Santos          ( 1875-1921)<br />Este oficial da Marinha comandou as tropas revoltosas que, em Outubro de 1910, t...
   Manuel Teixeira Gomes (1860-1941)<br />     Figura na história política como diplomata brilhante e também como Presiden...
Carvalho Araújo (1880-1918)<br />     Oficial da Marinha e republicano militante, foi deputado por Vila Real  à Assembleia...
Outras personalidades <br />
   Artur Sacadura Cabral       (1881-1924)<br />      Aviador Marítimo foi sua a ideia da travessia aérea Lisboa - Rio de ...
   Gago Coutinho (1869-1959)<br />O seu nome aparece quase sempre associado ao de Sacadura Cabral, devido à proeza de ambo...
    Aquilino Ribeiro (1885-1963)<br />Um dos grandes romancistas portugueses do século XX. <br />	Descreveu a realidade po...
    Miguel Bombarda (1851-1910)<br />Este médico é conhecido, sobretudo, pelo hospital psiquiátrico a que foi dado o seu n...
   Prof. Egas Moniz (1874-1955)<br />Baptizado como António Caetano de Abreu Freire, o padrinho, o padre Sá Freire, insist...
Bibliografia<br />Textos retirados de:<br />Portugal , 860  anos, João Aguiar<br />Edimpresa Editora<br />http://images.go...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A

1.507 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biografia Personalidades RepúBlica NéLia Machado 6 A

  1. 1. Personalidades da 1ª República <br />Este trabalho é sobre <br />algumas das personalidades que <br />marcaram a nossa História <br />neste período.<br />Nélia Machado, 6º A<br />
  2. 2. Políticos e/ou Militares<br />
  3. 3. Marquês de Soveral<br /> (1853-1922)<br /> Luís Augusto Pinto de Soveral foi um génio da diplomacia. Iniciou a sua carreira como adido na Legação Portuguesa em Madrid e passou, depois, por Viena de Áustria, Berlim e Roma. Porém, o que o tornou conhecido foi a sua acção como ministro em Londres, aquando do ultimato inglês (1890). Soveral foi nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros, tendo sido medianeiro no conflito entre a Inglaterra e o Brasil, por causa da Ilha Trindade. Após a revolução republicana, o marquês de Soveral retirou-se da vida pública e instalou-se em Paris, onde morreu.<br />
  4. 4. João Franco Castelo Branco ( 1855-1929)<br />Marcou o reinado de D. Carlos I, pelo carácter autoritário do seu governo. Tinha boas intenções: endireitar o país, salvar a Monarquia, estabilizar o regime, remediar as finanças,…, mas João Franco tinha um discurso agressivo e não dava ouvidos às criticas. A perseguição aos seus opositores acabou o desacreditar e por levar ao<br />regicídio o assassinato do rei D. Carlos e do príncipe herdeiro, Luís Filipe, em 1908, à sua própria queda e, em boa parte, a queda da Monarquia. <br />
  5. 5. Manuel de Arriaga (1840-1917)<br />Era açoriano, discreto e inteligente e foi o primeiro Presidente da República, eleito a 24 de Agosto de 1911.O seu mandato de governação para o qual fora eleito, que não completou, foi perturbado por constantes lutas políticas e tentativas revolucionárias, assim como por mal-estar social. Em Janeiro de 1915, Manuel de Arriaga procurou conseguir a pacificação do país entregando o poder ao general Pimenta de Castro, que governou em ditadura. Esse Governo caiu a 14 de Maio de 1915, no dia do assalto a armazéns e às padarias pela população faminta de Lisboa.<br /> Manuel de Arriaga não voltou à política activa.<br />
  6. 6. Sidónio Pais (1872-1918)<br />A sua “República Nova”duraria apenas um ano, de Dezembro de 1917 a Dezembro de 1918: um regime presidencialista que foi tendendo progressivamente para a ditadura e que começou com uma revolução para terminar com o assassínio do presidente. <br /> Esta República Nova não teve propriamente doutrina nem união interna: assentava apenas sobre a força e o influência pessoal de Sidónio Pais. Este tomou várias medidas acertadas e até generosas, como a libertação de todos os presos políticos ao verificar as condições em que estes estavam detidos, mas também permitiu que muitas violências fossem cometidas em seu nome. <br />
  7. 7. António José de Almeida ( 1866-1929)<br />Um dos políticos mais populares da 1º República, fundador e dirigente do Partido Evolucionista. Era um opositor de Afonso Costa, mas, em 1916, perante a grave crise internacional , o seu desejo de servir bem o país levou-o a aproximar-se dele para formar um Governo a que se chamou “ união sagrada”, sob cuja orientação Portugal entrou na I Grande Guerra. <br /> Foi eleito Presidente da República em 1919 e nessa função efectuou uma importante visita ao Brasil, que ele seduziu com os seus dotes de discursador.<br /> Retirou-se da vida política após terminar o seu mandato, em 1923.<br />
  8. 8. Afonso Costa (1871-1937)<br />Ministro e chefe do Governo durante a 1ª República. <br /> Logo a seguir à revolução (5 de Outubro de 1910), foi-lhe dada a pasta da Justiça do Governo Provisório. Afonso Costa fez publicar as leis que expulsavam os Jesuítas e as outras ordens religiosas de Portugal, que aboliam o ensino da doutrina cristã, que instituíam o divórcio e o casamento civil, que estabeleciam a separação da Igreja e do Estado, … e que tiveram, entre outras consequências, o corte de relações com o Vaticano. Em 1919, presidiu à delegação portuguesa à conferência de paz. Representou também Portugal na Sociedade das Nações, cargo de que foi demitido após o 28 de Maio de 1926.<br /> Fixou-se em Paris onde morreu.<br />
  9. 9. Gomes da Costa 1863-1929)<br /> É conhecido, sobretudo, como o chefe da revolução de 28 de Maio de 1926, a ditadura militar da qual sairia o regime salazarista. <br /> O Marechal Gomes da Costa foi melhor militar do que político: combateu com bravura na Índia e em Moçambique e, na I Grande Guerra (1914-18), comandou com o Corpo Expedicionário Português(1), ganhando as estrelas de General. <br /> Só entrou na política em 1921 e com pouco êxito, pois não conseguiu ser eleito deputado. <br /> Foi convidado para chefiar a revolução de Maio e, logo em Junho, fez um Golpe de Estado e afastou Mendes Cabeçadas. Porém, ele próprio foi vítima de outro Golpe de Estado e acabou por ser preso e exilado para os Açores.<br /> Regressou a Lisboa em 1927.<br />(1) Formado em Julho de 1916, os militares combatem na 1ª Grande Guerra , em França, contra os alemães.<br />
  10. 10. Machado Santos ( 1875-1921)<br />Este oficial da Marinha comandou as tropas revoltosas que, em Outubro de 1910, tomaram posição na Rotunda, em Lisboa. Teve um papel importante na implantação da República.<br /> António Maria Machado Santos participou activamente na vida politica: fez e ajudou a fazer revoluções, concordou com o governo de Sidónio Pais para depois se lhe opor, enfim, ganhou numerosos inimigos. Em 1921, no dia 19 de Outubro ouve o assassinato de personalidades ligadas à implantação da República, por revolucionários radicais, por ocasião o terrível episódio da “camioneta fantasma”, os golpistas foram arrancá-lo a sua casa para o abaterem a tiro no Largo do Intendente.<br />
  11. 11. Manuel Teixeira Gomes (1860-1941)<br /> Figura na história política como diplomata brilhante e também como Presidente da República (1923-1925). Mas além disso era um belíssimo escritor. <br /> Era um homem muito culto e bem intencionado, que se mantinha afastado das querelas partidárias, tendo-se dado mal na presidência da agitada 1ª República, cargo para que foi eleito pelo parlamento em 1923. Não terminou o mandato, tendo renunciado ao cargo e partido para o estrangeiro. <br /> Viajou durante 6 anos, até que, em 1931, decidiu fixar-se na Argélia, em Bougie, onde morreu. <br />
  12. 12. Carvalho Araújo (1880-1918)<br /> Oficial da Marinha e republicano militante, foi deputado por Vila Real à Assembleia Constituinte da República.<br /> Durante a 1ª Grande Guerra, o 1º tenente José Botelho Carvalho Araújo recebeu o comando do caça-minas Augusto de Castilho. A 14 de Outubro de 1918 navegava nas águas dos Açores escoltando o vapor S. Miguel, que foi atacado pelo submarino alemão U. 139. Carvalho Araújo lançou-se em sua defesa, acabando por morrer, mas conseguiu evitar que o vapor S. Miguel fosse afundado.<br />
  13. 13. Outras personalidades <br />
  14. 14. Artur Sacadura Cabral (1881-1924)<br /> Aviador Marítimo foi sua a ideia da travessia aérea Lisboa - Rio de Janeiro (1922) e foi ele o grande organizador da viagem. <br /> No decorrer da 1ª Grande Guerra serviu nas colónias ultramarinas.<br /> Fez levantamentos hidrográficos e de topografia em Moçambique a mando do governo, assim como outras missões geográficas.<br /> Sacadura Cabral organizou a aviação naval em Portugal.<br /> Inventou o corrector de rumos juntamente com Gago Coutinho.<br /> Viria a morrer durante um voo entre a Holanda e Portugal, com 43 anos, e o seu corpo nunca foi encontrado (supõe-se que o avião que pilotava terá caído no mar do Norte).<br />
  15. 15. Gago Coutinho (1869-1959)<br />O seu nome aparece quase sempre associado ao de Sacadura Cabral, devido à proeza de ambos, a 1ª travessia aérea do Atlântico sul, em 1922; no ano anterior, tinham já realizado a travessia aérea Lisboa-Funchal. <br /> Mas o Almirante(2)Gago Coutinho já se notabilizara antes: tomou parte nas campanhas do Tungue (Moçambique), em 1891, e de Timor, em 1912; realizou importantes levantamentos cartográficos(S. Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique e Timor) e trabalhou na delimitação de fronteiras entre Angola e Zaire<br /> Gago Coutinho desenvolveu o sextante de bolha artificial, a que foi dado o seu nome. <br /> Merece também relevo a sua obra como historiador, no sector especifico dos Descobrimentos.<br />(2) Patente que lhe foi concedida no último ano de vida.<br />
  16. 16. Aquilino Ribeiro (1885-1963)<br />Um dos grandes romancistas portugueses do século XX. <br /> Descreveu a realidade portuguesa num estilo muito próprio, vigoroso e rico. <br /> Aquilino meteu-se na política muito cedo, como activista republicano, o que lhe valeu a prisão e o exiliu antes de 1910 e depois de 1926, bem como duas evasões espectaculares. <br /> Entre as suas obras mais notáveis contam-se o Malhadinhas, Volfrâmio, Terras do Demo e Quando os Lobos Uivam, que teve as honras de excitar o ódio do Estado Novo.<br />
  17. 17. Miguel Bombarda (1851-1910)<br />Este médico é conhecido, sobretudo, pelo hospital psiquiátrico a que foi dado o seu nome. Em sua vida, aquele hospital chamava-se Rilhafoles (nome do palácio Lisboeta onde fora instalado) e o Prof. Miguel Bombarda, nomeado seu director, reorganizou-o e melhorou-o muito. Também dinamizou a Liga Nacional contra a Tuberculose, de que foi secretário-geral. <br /> Militante republicano, estava envolvido a fundo na conspiração que produziria o 5 de Outubro, mas foi assassinado por um louco horas antes do início da revolução.<br />
  18. 18. Prof. Egas Moniz (1874-1955)<br />Baptizado como António Caetano de Abreu Freire, o padrinho, o padre Sá Freire, insistiu em acrescentar-lhe, mais tarde, o nome Egas Moniz, convencido de que a família descendia do “outro” Egas Moniz, contemporâneo de Afonso Henriques. <br /> Ao longo da sua vida teve diversas actividades: foi escritor, pertenceu aos altos graus de Maçonaria, foi militante republicano, deputado, embaixador, ministro. Mas conta sobretudo a sua obra como médico. Em 1927, realizou a primeira angiografia cerebral; em 1935, concebeu e executou a intervenção cirúrgica a que foi dado o nome de leucotomia pré-frontal. Foi ela que lhe valeu o Prémio Nobel da Medicina, em 1949. Antes, em 1945, recebera já o premio da Faculdade de Medicina de Oslo pelos seus trabalhos sobre a angiografia cerebral.<br />
  19. 19. Bibliografia<br />Textos retirados de:<br />Portugal , 860 anos, João Aguiar<br />Edimpresa Editora<br />http://images.google.com<br />

×