Roteiros republicanos do concelho de oeiras i

1.911 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.911
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roteiros republicanos do concelho de oeiras i

  1. 1. APRESENTAÇÕES * E.S.L.F.B. Maio de 2010 * Fábrica da Pólvora, de 21 de Maio a 11 de Junho de 2010
  2. 3. Um novo decreto de um Governo Progressista restaurou o concelho de Oeiras. Norte : Loures e Sintra Sul : Foz do Tejo Ocidente : Cascais Oriente : Lisboa Perde a Amadora (novo município) O concelho de Oeiras foi suprimido por decreto de João Franco (Governo Regenerador) e a s suas freguesias ficaram distribuídas pelos concelhos de Cascais e de Sintra . 1898 1979 1895
  3. 5. Fonte Reuniões da Câmara Municipal de Oeiras, Livro de Actas, Nº28, ff.2, 8 e 9 Citado por Eleições, Eleitores e Elites Políticas de Oeiras (1908 – 1926) Um contributo para o seu estudo , Tese de mestrado, Ana Paula Teixeira Torres   A 1ª Câmara Executiva da C.M.O. muda o nome das ruas Freguesias Monarquia República   Barcarena Largo de S. Pedro Rua de S. Sebastião Travessa de S. António Travessa de S. Sebastião Rua do Cemitério Travessa do Rio Largo 5 de Outubro Rua Heliodoro Salgado Travessa do 1º de Maio Travessa 31 de Janeiro Rua Elias Garcia Rua dos Revoltosos Oeiras Parque D. Manuel Avenida D. Carlos Rua D. Amélia Parque da República Avenida Miguel Bombarda Rua Cândido dos Reis
  4. 6. Rua dos Revoltosos Travessa 31 de Janeiro Parque da República Largo 5 de Outubro
  5. 7. Algés Barcarena Carnaxide Rua Dr. António Granjo Rua Guerra Junqueiro Rua Aquilino Ribeiro Rua Teófilo Braga Rua Manuel Teixeira Gomes Rua Nuno Simões
  6. 8. Cruz Quebrada-Dafundo Linda-a-Velha Oeiras e S. Julião da Barra Rua Henrique Lopes de Mendonça Rua Alfredo Keil Avenida da República Rua João Chagas Rua General Norton de Matos Rua António José de Almeida Rua António Passaporte Rua António Sérgio Rua Azeredo Perdigão Rua Brito Camacho Rua Cândido dos Reis Rua Sidónio Pais Rua Tomé de B. Queirós
  7. 9. Paço de Arcos Porto Salvo Queijas Avenida Voluntários da República Rua Afonso Costa Rua Fialho de Almeida Praça da República Rua António Sardinha Rua Júlio Dantas Rua Veiga Beirão Rua Bernardino Machado Rua José Relvas
  8. 11. <ul><li>Henrique Lopes de Mendonça nasceu a 12 de Fevereiro de 1856, em Lisboa, e faleceu a 24 de Agosto de 1931. Devido ao Ultimato Inglês de 1890, escreveu para a música de Alfredo Keil, a marcha “ A Portuguesa ” que, em 1910, a República adoptou como Hino Nacional. </li></ul>
  9. 13. <ul><li>Alfredo Cristiano Keil, nasceu em Lisboa a 3 de Julho de 1850. Compôs a música “ A Portuguesa ” em 1890, que foi aprovada como Hino Nacional, em 1911, após a proclamação da República. Faleceu em Hamburgo a 4 de Outubro de 1907, exactamente três anos antes do primeiro dia da Revolução. </li></ul>
  10. 15. <ul><li>Carlos Cândido dos Reis nasceu, em Lisboa, a 16 de Janeiro de 1852 e faleceu, em Lisboa, a 4 de Outubro de 1910. Fez parte da Marinha e pertenceu à Carbonária . Foi o organizador militar da revolta de 5 de Outubro de 1910. Com a morte de um chefe civil, Miguel Bombarda, interpretada como assassinato político, muitas das unidades militares foram comprometidas . Cândido dos Reis, julgando que a tentativa de implantação da República tinha falhado, suicidou-se. </li></ul>
  11. 16. <ul><li>A Maçonaria foi uma organização secreta, com rituais próprios, defensora da fraternidade e liberdade. Era constituída predominantemente por elementos da burguesia. </li></ul><ul><li>A Carbonária foi também uma organização secreta, com algumas ligações à Maçonaria, embora independente dela. Integrava membros das classes populares. </li></ul><ul><li>A Carbonária defendia a queda da Monarquia, considerando legítimos todos os meios, incluindo os mais violentos. </li></ul>
  12. 18. José de Mascarenhas Relvas nasceu a 5 de Março de 1858, na Golegã, e morreu a 31 de Outubro de 1929, em Alpiarça. Foi um politico bastante importante na época da Primeira República Portuguesa. Desempenhou elevados cargos, entre eles, deputado constituinte e senador, ministro, embaixador em Madrid e chefe de Governo. José Relvas proclamou a República na varanda da Câmara de Lisboa 11h 5 Outubro de 1910
  13. 20. <ul><li>Joaquim Teófilo Fernandes Braga nasceu a 24 de Fevereiro de 1843, em Ponta Delgada, e </li></ul><ul><li>faleceu a 28 de Janeiro de 1924, em Lisboa. Foi um político e escritor. A 28 de Agosto de 1910, </li></ul><ul><li>foi eleito deputado republicano de Lisboa, e, em Outubro do mesmo ano tornou-se Presidente do </li></ul><ul><li>Governo Provisório. Voltou a ser Presidente da República em 1915. </li></ul>
  14. 22. <ul><li>Afonso Augusto da Costa, nasceu em Seia, a 6 de Março de 1817. Foi um advogado de renome e um dos políticos mais marcantes da 1ª República. Foi Ministro da Justiça no Governo Provisório, e, posteriormente, Ministro das Finanças. Foi também Chefe de vários Governos constitucionais. Foi fundador do Partido Democrático , um dos partidos em que se dividiu o Partido Republicano. Faleceu exilado, em Paris, a 11 de Maio de 1937. </li></ul>
  15. 24. Manuel de Brito Camacho nasceu a 12 de Fevereiro de 1862, em Aljustrel, e faleceu a 19 de Setembro de 1934, em Lisboa. Foi um médico militar, escritor, publicista e político. Exerceu as funções de Ministro do Fomento (1910-1911) e de Alto-comissário da República em Moçambique (1921 a 1923). Fundou e liderou o Partido Unionista . Em consequência da Revolução de 28 de Maio de 1926, foi obrigado a abandonar a actividade política, retirando-se para a vida privada.
  16. 26. António José de Almeida nasceu, em Vale da Vinha, Penacova, a 27 de Julho de 1866 e faleceu, em Lisboa, a 31 de Outubro de 1929. Foi um político republicano português. Foi um republicano histórico do P.R.P.. Em 1912, fundou e liderou o Partido Evolucionista . Ocupou o cargo de Presidente da República Portuguesa (sexto), de 1919 a 1923.
  17. 28. <ul><li>João Chagas nasceu a 1 de Setembro de 1863, no Rio de Janeiro, e faleceu a 28 de Maio de 1925 no Estoril. Foi político e um dos mais activos oponentes da ditadura de João Franco. Veio a ser o Presidente do primeiro governo constitucional da I República de Portugal. </li></ul>
  18. 30. <ul><li>Nasceu a 28 de 1851 de Março, no Rio de Janeiro, e faleceu a 29 de Abril de 1944, no Porto. Exerceu cargos políticos em governos monárquicos, aderindo depois à ideologia republicana.  Foi eleito Presidente da República em 1915. Em 1917, foi destituído do cargo, substituído por Sidónio Pais. </li></ul><ul><li>Foi uma figura importante nas negociações que levaram ao Tratado de Versalhes. </li></ul>
  19. 32. <ul><li>António Joaquim Granjo nasceu a 27 de Dezembro de 1881, em Chaves, e faleceu a 20 de Outubro de 1921 em Lisboa (assassinado). Foi advogado e político, Ministro da Justiça e foi Chefe do Governo por dois breves mandatos, de 19 de Julho a 20 de Novembro de 1920 e de 30 de Agosto a 19 de Outubro de 1921. </li></ul><ul><li>António Granjo foi cruelmente assassinado na noite de 19 para 20 de Outubro de 1921, conhecida por Noite Sangrenta . </li></ul>
  20. 33. <ul><li>Noite Sangrenta é a designação pela qual ficou conhecida a revolta radical que ocorreu em Lisboa, a 19 de Outubro de 1921, no decurso da qual foram assassinados, entre outros, António Granjo , então Presidente do Ministério, Machado Santos e José Carlos da Maia , dois dos históricos da República Portuguesa, </li></ul>No enterro de António Granjo, Cunha Leal proclamou essa verdade: «O sangue correu pela inconsciência da turba - a fera que todos nós, e eu, açulámos, que anda solta, matando porque é preciso matar. Todos nós temos a culpa! É esta maldita política que nos envergonha e me salpica de lama».
  21. 35. <ul><li>Tomé de Barros Queirós nasceu a 2 de Fevereiro de 1872 , em Ílhavo, e faleceu a 5 de Maio de 1925 em Lisboa. Foi membro da Maçonaria . Foi Presidente do Governo da República Portuguesa, no período entre 24 de Maio e 30 de Agosto de 1921. </li></ul>
  22. 37. <ul><li>Manuel Teixeira Gomes nasceu a 27 de Maio de 1860, em Vila Nova de Portimão, e faleceu a 18 de Outubro de 1941, na Argélia. Foi o sétimo presidente da Primeira República Portuguesa de 6 de Outubro de 1923 a 11 de Dezembro a 1925. </li></ul>
  23. 39. <ul><li>Nuno Simões nasceu em Vila Nova de Famalicão a 30 de Janeiro de 1894 e faleceu a 27 de Julho de 197. Figura ímpar do republicanismo português, foi Governador Civil de Vila Real, Membro do Supremo Tribunal Administrativo, deputado e Ministro do Comércio e das Comunicações em três governos da 1ª Republica (entre 1921 e 1925). </li></ul>
  24. 41. Abílio Manuel Guerra Junqueiro nasceu a 17 de Setembro de 1850, em Lisboa, e faleceu a 7 de Julho de 1923. Foi o poeta mais popular da sua época e o mais típico representante da chamada &quot;Escola Nova&quot;. A sua poesia ajudou a criar o ambiente revolucionário que conduziu à implantação da República.
  25. 43. José Valentim Fialho de Almeida nasceu, em Vila de Frades, a 7 de Maio de 1857 e faleceu, em Cuba, a 4 de Março de 1911. Foi médico e escritor. Dedicou-se, sobretudo, à literatura e jornalismo chegando a escrever inúmeros artigos importantes relacionados com a I República.
  26. 45. Aquilino Gomes Ribeiro nasceu a 13 de Setembro de 1885, em Tabosa do Carregal, e faleceu a 27 de Maio de 1963, em Lisboa. Foi um escritor português da I República Portuguesa. A sua obra teve grande êxito junto do público e da crítica.
  27. 47. Júlio Dantas nasceu, em Lagos, a 19 de Maio de 1876 e faleceu, em Lisboa, a 25 de Maio de 1962. Foi deputado, Ministro da Instrução Pública e Ministro dos Negócios Estrangeiros durante a I República. Terminou a sua carreira pública como embaixador de Portugal no Brasil (1941- 1949).
  28. 49. <ul><li>António Sérgio de Sousa nasceu a 3 de Setembro de 1883, em Damão, e faleceu a 24 de Janeiro de 1969 em Lisboa. Durante a I República e nos anos que se seguiram desenvolveu um movimento associativo favorável à instrução primária e popular, que teve uma grande importância na Educação em Portugal. </li></ul>
  29. 51. Sidónio Pais nasceu, em Caminha, a 1 de Maio de 1872 e morreu assassinado em Lisboa, no Rossio, a 14 de Dezembro de 1918. Foi militar e político e, entre outras funções, exerceu os cargos de deputado, de Ministro do Fomento, de Ministro das Finanças, de embaixador de Portugal em Berlim e de Presidente da República Portuguesa.
  30. 53. José Maria Mendes Ribeiro Norton de Matos nasceu em Ponte de Lima, a 23 de Março de 1867 e faleceu a 3 de Janeiro de 1955. Norton de Matos foi um general e político português. Durante a I República, foi Governador-Geral de Angola e ocupou o cargo de Ministro das Colónias. Foi eleito Grão-Mestre da Maçonaria em 1929.
  31. 55. <ul><li>António Passaporte nasceu a 24 de Fevereiro de 1901 em Évora e faleceu a 1983. Foi um fotógrafo da 1ª República, tendo captado, com a sua câmara, imagens importantes dos acontecimentos registados durante o regime republicano. </li></ul>
  32. 56. <ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Henrique_Lopes_de_Mendon%C3%A7a </li></ul><ul><li>http://www.heroisdomar.com/aportuguesa_com_partitura.gif </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Alfredo_Keil </li></ul><ul><li>http://www.centenariodarepublica.org/centenario/wp-content/uploads/2009/03/cr_alfredo_keil.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_C%C3%A2ndido_dos_Reis </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Jos%C3%A9_de_Mascarenhas_Relvas </li></ul><ul><li>http://3.bp.blogspot.com/_y41yqpai8Gc/SsoEb6ijROI/AAAAAAAABaM/_AxSieGKPTM/s400/0367+Jose_Relvas_5_Outubro.JPG </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Te%C3%B3filo_Braga </li></ul><ul><li>http://revelarlx.cm-lisboa.pt/fotos/gca/1137783325teofilo_braga.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Tom%C3%A9_Jos%C3%A9_de_Barros_Queir%C3%B3s </li></ul><ul><li>http://3.bp.blogspot.com/_csva7PFVgLg/RcvIUEC56OI/AAAAAAAAADo/_JGz6IBjZvs/s320/Tome+de+Barros+Queiros.JPG </li></ul><ul><li>http://www.centenariodarepublica.org/centenario/wp-content/uploads/2008/10/05-afonso-costa.jpg </li></ul><ul><li>http://www.laicidade.org/documentacao/historia/figuras-da-primeira-republica-afonso-costa </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_de_Brito_Camacho </li></ul><ul><li>http://www.drealentejo.pt/intranet/deposito/205196/Bcamac1.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Jos%C3%A9_de_Almeida </li></ul><ul><li>http://motg.blogs.sapo.pt/arquivo/ph_ajalmeida2.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Pinheiro_Chagas </li></ul><ul><li>http://1.bp.blogspot.com/_xG5SdRrUprU/SqZ3dIb8TsI/AAAAAAAAAmY/RMddXOFij9s/s320/Jo%C3%A3o+Chagas.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Manuel_Teixeira_Gomes </li></ul>
  33. 57. <ul><li>http://1.bp.blogspot.com/_csva7PFVgLg/RfdKIlBdGcI/AAAAAAAAANM/xzbWihf1THs/s320/Antonio_Granjo3.JPG </li></ul><ul><li>http://www.mundodacultura.com/historiaportugal/presidentes/ph_bernardino.jpg </li></ul><ul><li>http://bibfam.no.sapo.pt/espaco%20crianca/personalidades.htm </li></ul><ul><li>http://en.wikivisual.com/images/f/f3/Bernardino_Machado.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Francisco_Ant%C3%B3nio_da_Veiga_Beir%C3%A3o </li></ul><ul><li>http://3.bp.blogspot.com/_xEHafvZvvFA/SwGBZjH5PZI/AAAAAAAAEmQ/ACiOB6yL7Sw/s640/Ab%C3%ADlio_Manuel_Guerra_Junqueiro.jpg </li></ul><ul><li>http://centenario-republica.blogspot.com/2010/04/fialho-de-almeida-um-exemplo.html </li></ul><ul><li>http://ternaeanoite.blogs.sapo.pt/arquivo/Aquilino%20Ribeiro.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/J%C3%BAlio_Dantas </li></ul><ul><li>http://1.bp.blogspot.com/_wshc3NXFuZg/SXupgyg8x8I/AAAAAAAAAhE/auFaM2e5Ei8/s400/Ant%C3%B3nio+S%C3%A9rgio+%2B+24.01.09.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Sardinha </li></ul><ul><li>http://www.vidaslusofonas.pt/sidonio_pais1.jpg </li></ul><ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/Norton_de_Matos </li></ul>Torres, Ana Paula Teixeira Eleições, Eleitores e Elites Políticas de Oeiras (1908 – 1926). Um contributo para o seu estudo , Tese de mestrado

×