Como desenvolver uma vida poderosa de oração 2

2.036 visualizações

Publicada em

Segunda lição dos estudos baseados no livro de mesmo nome.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.148
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como desenvolver uma vida poderosa de oração 2

  1. 1. COMO DESENVOLVER UMA VIDA PODEROSA DE ORAÇÃO  TEXTO BASE: JOÃO 15:7  INTRODUÇÃO:  A oração é crucial em todas as áreas da vida de um crente.  Se sua vida de oração é inconsistente e fraca, assim será o seu relacionamento com Deus.
  2. 2. COMO DESENVOLVER UMA VIDA PODEROSA DE ORAÇÃO 1) Você precisa ver o tempo de oração diária como um relacionamento com Deus e não um dever ou uma disciplina legalista (João 15:5; 17:3; Mt 22:37). 2) Você deve fazer um compromisso absoluto (inegociável) de gastar um tempo consistente e significativo a sós com Deus em oração ininterrupta (Mt 6:6). 3) Uma vida poderosa de oração requer um “treino equilibrado” nos cinco tipos de oração. OS TRÊS FUNDAMENTOS BÁSICOS DE UMA VIDA DE ORAÇÃO PODEROSA.
  3. 3. COMO DESENVOLVER UMA VIDA PODEROSA DE ORAÇÃO 1) • Uma vida poderosa de oração não é só uma disciplina ou ritual, é seu compromisso de ter um relacionamento pessoal com Deus: um relacionamento pessoal de amor, submissão e confiança. 2) • Quando você realmente ama alguém, você quer ficar o máximo de tempo possível com tal pessoa. De várias maneiras, o amor a Deus é soletrado como T-E-M-P-O. Se você ama realmente a Deus, o tempo com Ele é sua maior alegria. 3) • Nós precisamos de muito tempo com Deus antes de tentarmos trabalhar para Ele. Deus primeiro quer VOCÊ e somente então, o seu serviço. (Lc 10:38-42) 4) • Mais do que serviço e dízimos, Ele deseja, acima de tudo, um relacionamento de amor com você. Você precisa ver o tempo de oração diária como um relacionamento com Deus e não um dever ou uma disciplina legalista (João 15:5; 17:3; Mt 22:37).

×