PLANIFICAÇÃO DE PSICOLOGIA 12º ANO             UNIDADE 1 – A ENTRADA NA VIDA: QUAL É A ESPECIFICIDADE             DO SER H...
a                                 1.4. Caracterizar oadaptação genética.               inacabamento biológico do4.3. A neo...
4. Hereditariedade e meio:         potencialidades específicas     específicapreformismo e epigénese.           e individu...
cérebro.                           córtex pré-frontal tem um       esquerdo,                                   papel de es...
4. Socialização e individuação: a 4. Distinguir socializaçãoidentidade pessoal.               primária de secundária.     ...
TEMA 2 – EU - A mente e a integração das dimensões cognitiva, emocional e                                   conativa.TEMAS...
haver aprendizagem      aprendizagem.             esquecimento porobservacional.                                    falta ...
2.3.1. O                 Compreender a razãoesquecimento como        por que Gardnerresultado de             defende a exi...
4.2.2. A percepção                                Conação, motivação,da profundidade.                                  mot...
e alguns mecanismos social.                         de defesa do Eu                         (recalcamento,                ...
TEMA 3 – EU COM OS OUTROS E EU NOS CONTEXTOSTEMAS/CONTEÚDOS         OBJECTIVOS              CONCEITOS        RECURSOS/ESTR...
perda ou privação                      do vínculo afectivo                      inicial e                      comportamen...
relação a eles?           expectativas.3.2.1. A importância      • Relacionardas primeiras             expectativas,impres...
grupos                 obediência.influenciar o nosso    • Esclarecer a quecomportamento, as      se deve anossas atitudes...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Planificação de psicologia 12 º ano unidade 1

1.977 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planificação de psicologia 12 º ano unidade 1

  1. 1. PLANIFICAÇÃO DE PSICOLOGIA 12º ANO UNIDADE 1 – A ENTRADA NA VIDA: QUAL É A ESPECIFICIDADE DO SER HUMANO? TEMA 1 – ANTES DE MIM: AS BASES BIOLÓGICAS E CULTURAIS DO COMPORTAMENTO. TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS CONCEITOS RECURSOS/ESTRATÉGIAS AULASCAPÍTULO 1 – FILOGÉNESE - 1. Compreender que Evolução Filogénese Exposição/diálogo 16 aulasDE ONDE VIEMOS? COMO somos o resultado de um Hominídeo Processo de 90 processo evolutivo que de Power points.NOS TORNÁMOS minutos.HUMANOS? durou milhões de anos. hominização Textos do manual e do 2. Saber em que consiste o australopiteco blogue do professor. processo de hominização. Homo habilis1. Do australopiteco ao Homo 3. Identificar as várias Homo Erectus Homo Exercícios realizados ehabilis. etapas do processo de sapiens corrigidos pelos alunos em2. Do Homo erectus ao Homo hominização. Homo sapienssapiens. sala de aula. 4. Identificar as aquisições sapiens.3. O «homem moderno»: o básicas que permitiram aHomo sapiens sapiens. evolução de hominídeo para humano.CAPÍTULO 2 – O QUE NOS 1. Compreender o que nosTORNA HUMANOS. torna especificamente Bipedismo Expansão humanos.1. O bipedismo: a posição erecta Cerebral adaptação 1.1. Explicitar a ligaçãoou vertical como forma típica de cultural entre bipedismo,locomoção. Adaptação biológica libertação permanente das2. A libertação permanente das Neotenia Programa mãos e desenvolvimentomãos. genético cerebral.3. O desenvolvimento cerebral: aberto 1.2. Compreender por queexpansão e especialização do Programa razão somos a únicacérebro. genético fechado espécie que, propriamente4. A criação da cultura: uma Inacabamento falando, é criadora deespécie muito especial. biológico cultura.4.1. Só os seres humanos Inato 1.3. Distinguir adaptaçãopossuem cultura porque só eles Adquirido. biológica de adaptaçãopossuem linguagem abstracta. cultural e saber que tipo4.2. Nos seres humanos, a de adaptação prevalece noadaptação cultural é mais desenvolvimento humano.frequente e significativa do que
  2. 2. a 1.4. Caracterizar oadaptação genética. inacabamento biológico do4.3. A neotenia: a imensa ser humano, ligando essacapacidade de aprendizagem e característica ao conceitode adaptação. de neotenia.4.3.1. Grande capacidade de 1.5. Distinguir programaadaptação e de diversidade de genético aberto decomportamentos. programa genético4.3.2. Somos seres fechado.«programados para aprender». 1.6. Saber que, nos seres4.3.3. Somos seres dotados de humanos, o programauma curiosidade natural genético é relativamentepermanente. aberto, ao passo que, nos4.3.4. Somos seres com um outros animais, é mais ouprograma genético aberto e menos fechado.flexível. 1.7. Compreender que o inacabamento biológico do ser humano é compensado e superado pela ampla abertura a aprendizagens e comportamentos inovadores. 1.8. Compreender que um programa genético aberto é próprio de seres programados para aprender, superar as suas limitações e mudar quer o meio quer a si próprios.CAPÍTULO 3 – ONTOGÉNESE – AIMPORTÂNCIA DA GENÉTICA 1. Definir ontogénese. Ontogénese 2. Identificar as estruturas HereditariedadeNO COMPORTAMENTO envolvidas no processo de MeioHUMANO INDIVIDUAL. transmissão genética. Genes 3. Saber o que é a Genes recessivos e1. Genes, cromossomas e ADN. hereditariedade. dominantes2. Genótipo e fenótipo. 4. Distinguir e relacionar Cromossomas2.1. Genes dominantes e genes genótipo e fenótipo. ADNrecessivos. 5. Saber que, no processo Genótipo3. Hereditariedade específica e de transmissão Fenótipoindividual. hereditária, recebemos Hereditariedade
  3. 3. 4. Hereditariedade e meio: potencialidades específicas específicapreformismo e epigénese. e individuais. e individual Programa4.1. A perspectiva preformista. 6. Distinguir a perspectiva genético4.2. A perspectiva epigenética. preformista da perspectiva aberto/epigénese4.2.1. Cada indivíduo humano é epigenética e relacioná-las Programa genéticoum programa genético aberto à com o problema do papel fechado/preformismo.influência significativa de da hereditariedade eexperiências e aprendizagens. do meio. 7. Distinguir programa genético aberto de programa genético fechado relacionando estes conceitos com as duas perspectivas anteriores. 8. Compreender que cada indivíduo humano é um programa genético aberto à influência significativa de experiências e aprendizagens. Sistema nervoso,CAPÍTULO 4 – A IMPORTÂNCIA 1. Identificar as unidades neurónio, dendrite,DO CÉREBRO NO básicas da informação axónio, bainha deCOMPORTAMENTO HUMANO. nervosa. mielina,1. As unidades básicas do 2. Compreender a relação neurotransmissores,sistema nervoso. entre neurónios, impulso nervoso,1.1. A transmissão da dendrites, axónios, bainha sistema nervosoinformação nervosa. de mielina e central,2. Viagem ao centro do sistema neurotransmissores. medula espinal, actosnervoso. 3. Descrever o processo de reflexos, estruturas2.1. A importância da medula transmissão da informação subcorticais, cerebelo,espinal e das estruturas nervosa. bolbo raquidiano,subcorticais. 4. Saber em que consiste o sistema reticular2.2. O córtex cerebral. sistema nervoso central. activante, tálamo,3. Plasticidade e complexidade 5. Compreender a hipotálamo,do cérebro. importância da medula hipocampo, amígdala,3.1. A especialização dos espinal e das estruturas córtex cerebral, loboshemisférios cerebrais: subcorticais. occipital, temporal,lateralidade e dominância. 6. Identificar a constituição parietal, frontal,3.2. O cérebro é uma estrutura do córtex cerebral. córtex frontal, córtexque funciona de forma 7. Compreender as pré-frontal, áreasespecializada e integrada. funções das áreas primárias ou3.3. Plasticidade cerebral e primárias e secundárias do receptoras e áreasaprendizagem. córtex cerebral. secundárias ou de4. A unidade funcional do 8. Explicar por que razão o associação, hemisfério direito, hemisfério
  4. 4. cérebro. córtex pré-frontal tem um esquerdo, papel de especial relevo lateralidade, no que respeita ao dominância, comportamento humano. especialização, 9. Saber em que consiste a integração, especialização dos plasticidade e hemisférios cerebrais e complexidade relacionar lateralidade e cerebrais, unidade dominância. 10. Saber o que se funcional ou sistémica entende por plasticidade e do cérebro. complexidade funcional do cérebro. 11. Compreender que o cérebro é uma estrutura que funciona de forma especializada e integrada. 12. Compreender que as capacidades cerebrais humanas constituem uma unidade funcional. 13. Compreender que a plasticidade cerebral possibilita uma ampla capacidade de aprendizagem e que esta modifica o próprio cérebro como se este fosse um músculo configurado pelo exercício. Cultura, factorCAPÍTULO 5 – A IMPORTÂNCIA humanizador,DA CULTURA NO 1. Caracterizar o conceito socialização,COMPORTAMENTO HUMANO. de cultura, identificando socialização primária, os seus elementos socialização1. O que é a cultura? constituintes. secundária,2. A transmissão cultural como 2. Compreender que a diversidade efactor humanizador: não basta cultura é o factor relatividade cultural,nascer homem porque temos de humanizador por agentesnos tornar humanos. excelência e que é o3. A transmissão cultural realiza- resultado e o agente da socializadores,se numa determinada evolução diferenciada do individuação,sociedade: o processo de ser humano. identidade pessoal,socialização. 3. Identificar a socialização história pessoal.3.1. Socialização primária e como um processo desecundária. transmissão cultural que3.2. A diversidade cultural. dura toda a vida.
  5. 5. 4. Socialização e individuação: a 4. Distinguir socializaçãoidentidade pessoal. primária de secundária. 5. Compreender que, dada a diversidade cultural, o processo de socialização é diverso de sociedade para sociedade, transmitindo diferentes padrões culturais. 6. Caracterizar padrões culturais. 7. Estabelecer a ligação entre diversidade cultural e relatividade cultural. 8. Explicitar as implicações do conceito de relatividade cultural. 9. Tomar consciência de que a diversidade humana é não só biológica, mas sobretudo cultural. 10. Compreender que somos a interacção entre natureza, sociedade e cultura. 11. Distinguir individuação de socialização, apercebendo-se de que os dois processos não estão separados no tempo e de que somos agentes sociais activos. 12. Compreender que a nossa identidade pessoal é a história do modo como vivemos, interpretamos e interiorizamos as experiências que, sobre um fundo biológico e sociocultural, marcam o nosso desenvolvimento ao longo do ciclo vital.
  6. 6. TEMA 2 – EU - A mente e a integração das dimensões cognitiva, emocional e conativa.TEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS CONCEITOS RECURSOS/ESTRATÉGIAS AULASCAPÍTULO 1 – OS Definir processos Cognição, Exposição/diálogo 28 aulasPROCESSOS cognitivos. aprendizagem, de 90 aprendizagem Power points. minutosCOGNITIVOS. Caracterizar a associativa, Textos do manual e do1. A aprendizagem. aprendizagem. aprendizagem por blogue do professor.1.1. A aprendizagem habituação,por habituação. Identificar diversos condicionamento Exercícios realizados e1.2. A aprendizagem processos de clássico, corrigidos pelos alunos empor aprendizagem. condicionamento sala de aula.condicionamento operante,clássico. Distinguir reforço, punição,1.3. A aprendizagem condicionamento reforço positivo epor clássico de negativo,condicionamento condicionamento aprendizagem socialoperante. operante. ou por modelação (por1.3.1. Os princípios observação ebásicos do Distinguir reforço imitação),condicionamento positivo de reforço condicionamentooperante segundo negativo e reforço vicariante,Skinner. negativo de punição. Reforço vicariante ou1.4. A aprendizagem expectativa depor observação e Compreender que a reforço, memória,imitação. aprendizagem social codificação,1.4.1. O famoso se processa pela armazenamento,experimento de observação e recordação, memóriaBandura sobre a modelação. a curto prazo,aprendizagem memória a longoobservacional do Distinguir reforço prazo, memóriacomportamento directo de reforço procedimental eagressivo. vicariante declarativa, memória1.4.2. As formas de (expectativa do semântica e memóriaaprendizagem reforço). episódica,observacional. esquecimento,1.4.3. Condições Identificar diversos esquecimento pornecessárias para métodos de interferência,
  7. 7. haver aprendizagem aprendizagem. esquecimento porobservacional. falta de indicadores,1.4.4. Factores ou Definir memória. esquecimentocausas que motivado, inteligência,influenciam a Descrever o inteligência geral eaprendizagem por processo activo em multifactorial,observação. que a memória inteligências múltiplas,1.5. Métodos de consiste. Inteligência triárquica,aprendizagem. inteligência1.5.1. Aprendizagem Identificar diversos emocional, percepçãoespaçada e sistemas de e sensação, constânciaconcentrada. memória. perceptiva, percepção1.5.2. A importância da profundidade e dado conhecimento Distinguir e distância, leis dados resultados. relacionar memória a percepção, teoria da1.5.3. Aprendizagem curto prazo e Gestalt,total e aprendizagem memória a longo condicionamentoparcial. prazo. sociocultural da2. A memória. Relacionar a percepção.2.1. Os processos memória com abásicos de memória. aprendizagem. •2.1.1. A codificação: Compreender que oComo entra a esquecimento não éinformação na uma doença damemória? memória, sendo2.1.2. O antes inerente a estaarmazenamento: capacidadeComo é a (distinguirinformação mantida esquecimento dena memória? amnésia). • Conhecer2.1.3. Recuperação alguns factores queou reactualização: explicam oComo é possível esquecimentorecordar ou ir buscar (interferências deinformação à novas aprendizagens,memória? motivação2.2. Os principais inconsciente, etc.). •sistemas de Compreender amemória: memória a importância dacurto prazo e memória para omemória a longo comportamentoprazo. humano e a2.2.1. A memória construção eimediata. manutenção da2.2.2. A memória a identidade pessoal. •longo prazo. Caracterizar a2.3. Esquecimento e inteligência. •memória: O Conhecer váriasesquecimento é uma concepções decondição da inteligência.memória.
  8. 8. 2.3.1. O Compreender a razãoesquecimento como por que Gardnerresultado de defende a existênciainterferência de inteligências2.3.2. A falha na múltiplas.recuperação doconteúdo mnésico Compreender a(retrieval failure). concepção de2.3.3. O inteligência deesquecimento Sternberg emotivado. compará-la com a de2.4. Memória, Gardner.aprendizagem eidentidade pessoal Caracterizar a3. A inteligência. inteligência3.1. Temos uma emocional.inteligência ou váriasinteligências? Caracterizar a3.1.1. Charles percepçãoSpearman: a distinguindo-a de einteligência como relacionando-a com acapacidade geral (o sensação.factor G).3.1.2. L. L. Conhecer algumasThurstone: a teoria das componentes doou concepção processo perceptivomultifactorial da (a constânciainteligência. perceptiva e a3.1.3. Howard percepção daGardner: a teoria das profundidade).inteligênciasmúltiplas. Compreender que a3.1.4. Sternberg e a percepção é umteoria triárquica da processo adaptativointeligência. que obedece a leis3.1.5. Daniel conhecendo a teoriaGoleman e a gestaltista dainteligência percepção.emocional4. A percepção. Compreender que há4.1. Sensação e factores culturais quepercepção. influenciam a4.2. Componentes percepção.do processoperceptivo: aconstânciaperceptiva e apercepção daprofundidade.4.2.1. A constânciaperceptiva.
  9. 9. 4.2.2. A percepção Conação, motivação,da profundidade. motivo,4.3. Como desejo, intenção,percepcionamos as incentivoformas dos objectos e interesse, ciclodo mundo? A teoria motivacional,da Gestalt e as leisque organizam a motivaçõespercepção. primárias,4.3.1. O princípio da secundárias etotalidade: o todo combinadas,não é igual à simples hierarquia dasoma das suas necessidades,partes. necessidades de4.3.2. As leis da crescimento ou depercepção. ser e4.4. Percepção e necessidadescultura. deficitárias, Conflito intrapsíquico, Ego,CAPÍTULO 2 – OS Id e Superego,PROCESSOS conflito, pulsão, mecanismos deCONATIVOS. defesa.1. A motivação ou aconduta motivada.1.1. Teorias sobre a 1. Caracterizarmotivação. processos conativos.1.1.1. A teoria 2. Caracterizar ahumanista de motivação comoMaslow. conduta intencional.1.1.2. A teoria 3. Descrever o ciclomotivacional de motivacional.Freud. 4. Conhecer os vários1.1.2.1. Os principais tipos de motivação (inatas/fisiológicas,mecanismos de combinadas edefesa do Ego. aprendidas/sociais). 5. Identificar algumas motivações Emoção, motivação, inatas/fisiológicas, sentimento, combinadas e afecto, componentes aprendidas/sociais. fisiológica, cognitiva e 6. Conhecer a teoria social das emoções, humanista de teorias Maslow: a hierarquia de James-Lange, de das necessidades. Cannon- 7. Conhecer a teoria Bard e de Schachter- biológica de Freud: o -Singer, emoção e conflito intrapsíquico aprendizagem
  10. 10. e alguns mecanismos social. de defesa do Eu (recalcamento, racionalização, projecção, deslocamento, regressão, compensação, sublimação).CAPÍTULO 3 – OSPROCESSOSEMOTIVOS.1. Motivação eemoção. 1. Relacionar emoção2. Emoções, e motivação.sentimentos e 2. Relacionar emoçãoafectos. e cognição.3. As três 3. Distinguir emoçõescomponentes das de sentimentos eemoções: as afectos.componentes 4. Conhecer a triplafisiológica, cognitiva componente dae social. emoção (fisiológica,3.1. A componente cognitiva e social).fisiológica das 5. Conhecer algumasemoções. teorias sobre as3.1.1. Teorias emoções.fisiológicas sobre as 6. Compreender oemoções: as teorias que distingue asde James-Lange e de teorias de James-Cannon-Bard. Lange, de Cannon-3.2. A componente Bard e de Schachter-cognitiva das Singer.emoções. 7. Compreender o3.2.1. A teoria que significa abifactorial das universalidade eemoções de diversidade dasSchachter-Singer. emoções.3.3. A componentesocial das emoções.3.3.1. Universalidadee diversidade dasemoções
  11. 11. TEMA 3 – EU COM OS OUTROS E EU NOS CONTEXTOSTEMAS/CONTEÚDOS OBJECTIVOS CONCEITOS RECURSOS/ESTRATÉGIAS AULASCAPÍTULO 1 – AS •Caracterizar as Relação precoce, Exposição/diálogo 25 aulasRELAÇÕES relações precoces. Vinculação, de 90 • Caracterizar a Hospitalismo, Power points.PRECOCES minutos. vinculação como Depressão anaclítica, Textos do manual e do1. O nascimento fenómeno de base «Situação estranha», blogue do professor.psicológico do ser afectiva e social. Vinculação segura,humano: a • Reconhecer que a evitante e insegura/ Exercícios realizados evinculação ou aprendizagem /ambivalente, corrigidos pelos alunos emapego. social se realiza Resiliência, sala de aula.1.1. A importância primariamente na Díade, tríade.das experiências díade mãe-bebé.etológicas de • Compreender aHarlow. importância da1.2. O relação mãe-bebé«hospitalismo» de noRené Spitz. desenvolvimento1.3. A teoria de do ser humano.Bowlby sobre a • Compreender avinculação. importância das1.4. Mary Ainsworth experiênciase as diferenças etológicas dequalitativas na Harlow.vinculação. • Conhecer várias1.5. Qual a teorias sobre oimportância da fenómeno davinculação para o vinculação (odesenvolvimento? hospitalismo de1.5.1. Da díade à Spitz, a teoriatríade: o papel do determinista de Bowlby, a teoriapai. das formas de vinculação de Ainsworth). • Compreender o conceito de resiliência. • Caracterizar o papel do pai no desenvolvimento sócio-afectivo da criança. • Compreender que não há uma relação necessária entre
  12. 12. perda ou privação do vínculo afectivo inicial e comportamentos desequilibrados, anti-sociais e desajustados.CAPÍTULO 2 – ASRELAÇÕESINTERPESSOAIS.1. O que são grupos Cognição social,sociais? relações2. O que são e como interpessoais, • Caracterizar ase formam as representação social. relaçãoatitudes? Que categorização social, interpessoal.relação há entre influência social, • Definir cogniçãoatitudes e grupos social.comportamentos? sociais, atitudes, • Caracterizar2.1. As componentes componentes grupos sociais.de uma atitude. cognitiva, afectiva e • Distinguir grupo2.2. A consistência emocional das de outros conjuntosdas atitudes: a atitudes, dissonância sociais.dissonância cognitiva, • Definir atitudes.cognitiva. estereótipos, • Identificar e3. Que relação há preconceitos, distinguir asentre preconceitos, discriminação, componentes deestereótipos e impressões, uma atitude.discriminação? expectativas, profecia • Distinguir atitudeComo formamos auto - cumprida, de comportamento.impressões acerca estatuto, papel, • Esclarecer em quedos atracção, consiste aoutros e como nos amor, amizade, dissonânciacomportamos em agressão, frustração, cognitiva.relação a eles? cooperação e conflito • Relacionar e3.1. Que relação há intergrupal, distinguirentre preconceitos, competição, estereótipos eestereótipos e resolução de preconceitos.discriminação? conflitos, • Mostrar por que3.1.1. Os normalização, razão as primeirasestereótipos. impressões são condescendência,3.1.2. A noção de importantes e que conformismo,preconceito. factores externos e obediência.3.2. Como formamos internos asimpressões dos influenciam.outros e como nos • Relacionarcomportamos em impressões e
  13. 13. relação a eles? expectativas.3.2.1. A importância • Relacionardas primeiras expectativas,impressões. impressões,3.2.2. Impressões e estatutos e papéis.expectativas. • Caracterizar a3.2.3. Expectativas, atracçãoestatutos e papéis. interpessoal e4. O que nos atrai identificar osnoutras pessoas, factores que acomo se condicionam.desenvolvem • Identificar erelações de amor, de distinguir diversasamizade e de formas de atracção.cooperação? O • Definir agressão.que nos afasta dos • Identificar osoutros e como se factores biológicos,desenvolvem psicológicos erelações de conflito sociais que estão nae de agressividade, base dorelações pró- comportamento-sociais e anti- agressivo.sociais? • Caracterizar o4.1. A atracção conflito intergrupal.interpessoal. • Identificar os4.2. A agressão. factores que podem4.2.1. O factor desencadearbiológico: as bases relaçõesbiológicas da conflituosas.agressão. • Caracterizar4.2.2. O factor cooperação epsicológico: a distingui-la deagressão como conflito.resposta à • Identificarfrustração. aspectos positivos e4.2.3. O factor social: negativos doa agressão e a teoria conflito.da aprendizagem • Identificar algunssocial. factores que podem4.3. A cooperação e conduzir ào conflito resolução deintergrupal. conflitos.4.3.1. Conflitos e • Definir influênciaresolução de social e identificarconflitos. algumas das suas5. Que factores formas.influenciam o • Caracterizar econformismo distinguir(conformidade) e a normalização,obediência? Como condescendência,conseguem os conformismo e
  14. 14. grupos obediência.influenciar o nosso • Esclarecer a quecomportamento, as se deve anossas atitudes e a obediência.nossa tomada de • Esclarecer a quedecisões? se deve o5.1. A obediência. conformismo.5.1.1. A experiênciade Milgram.5.1.2. Factores quepredispõem para aobediência.5.2. O conformismo.5.1.1. Factores queinfluenciam oconformismo. • Caracterizar aCAPÍTULO 3 – EU perspectivaNOS CONTEXTOS • Perspectiva ecológica. ecológica • Caracterizar os1. A perspectiva • Microssistema diversos contextosecológica do • Mesossistema em que sedesenvolvimento de • Exossistema desenvolve a nossaUri Bronfenbrenner. • Macrossistema vida.1.1. Microssistema. • Cronossistema • Compreender a1.2. Mesossistema. • Transições interacção entre os1.3. Exossistema.1.4. Macrossistema. diversos contextos ecológicas. de desenvolvimento.

×