SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Baixar para ler offline
Espaço Geográfico e
Urbanização
Professoras: Marilia e Fernanda
Urbanização Mundial
” A cidade dos mortos antecede a cidade dos vivos.
Num sentido, aliás, a cidade dos mortos é a precursora,
quase o núcleo, de todas as cidades vivas. A vida
urbana cobre o espaço histórico entre o mais remoto
campo sepulcral da aurora do homem e o cemitério
final, a Necrópolis em que uma após outra civilização
tem encontrado o seu fim.” [...] (MUMFORD, 1998
P.13).
A evolução urbana
• URBANIZAÇÃO
“Fenômeno caracterizado pela concentração cada vez mais densa de
população, em aglomerações de caráter urbano"
Conceito de cidade –
lugar
Problemas urbanos
• Poluição atmosférica
• Poluição sonora
• Poluição das águas
• Poluição do solo por resíduos sólidos
• Problemas sociais
• Escassez de área verde
• Perigo de epidemias
Enchentes urbanas
Saneamento
Conseqüências da Ocupação Desordenada
insuficiente
A mesma chuva intensa que no passado causava
uma perturbação moderada, pode hoje
causar uma grande enchente
Ocupação desordenada  lixo e erosão das encostas
+
Aumento da área impermeável
=
Enchentes Urbanas
MAIORES CIDADES DO MUNDO
Urbanização Mundial
• Até o final do século XVIII – 90% da população de cada sociedade
vivia no campo.
• Processo de urbanização moderno – Início do século XVIII.
• Revolução Industrial – Mudança radical.
• A mecanização do meio rural e as migrações do campo para as
cidades provocaram o fenômeno de urbanização, inicialmente nos
países líderes da industrialização clássica e depois, já no século XX em
praticamente todos os demais países, alguns mais intensamente e
outros menos.
• Meio rural: Fornece à cidade alimentos e matérias-primas para suas
indústrias e recebe dela os produtos manufaturados e os serviços
urbanos (bancário, administrativo, comercial, escolar, médico-
hospitalar, etc.)
• Historicamente, o campo precedeu a cidade, ou seja, é bem mais
antigo que ela. O campo existiu durante milênios sem a cidade, e as
primeiras cidades dependiam bastante do meio rural.
• O campo era mais importante que a cidade, concentrava a maioria da
população de qualquer sociedade e também a maior parte de suas
riquezas.
• A partir da primeira Revolução Industrial essa situação foi se
invertendo, e atualmente o campo depende da cidade.
• Com as técnicas modernas de produção de alimentos (biotecnologia,
principalmente) pode-se até dispensar o campo, isto é, o espaço
agrícola. Podem-se cultivar certas espécies em condições artificiais,
sem solo, e criar certos animais ou peixes em condições também
artificiais, sem grandes espaços disponíveis.
• Existem algumas sociedade que são hoje totalmente urbanas com
100% da população vivendo nas cidades. Ex: Cingapura (Ásia), Hong
Kong (China), Ilhas Cayman (Caribe), Vaticano.
Rede e Hierarquia Urbana
• A urbanização de uma sociedade origina uma rede urbana, isto é, um
sistema integrado de cidades que vai das pequenas ou locais às
metrópoles ou cidades gigantescas.
• A regra geral é que para milhares de pequenas cidades, existam
centenas de cidade médias e algumas poucas metrópoles.
• Uma rede urbana é um espaço hierarquizado a partir da influência
(econômica, política, cultural) ou da polarização que uma (ou mais)
metrópole exerce sobre as demais e mesmo sobre o meio rural.
• Essa hierarquia ou relações de comando e de influência prossegue
das cidades médias para as menores e assim por diante.
Rede e Hierarquia Urbana
As diferenças nos processos de urbanização
dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Êxodo rural- Desde meados do século XVIII – Países desenvolvidos
• Países subdesenvolvidos - essas migrações só se aceleraram no século
XX principalmente na segunda metade desse século.
• A urbanização:
• Foi mais intensa nos países desenvolvidos - até meados do século XX;
• E atualmente tem um ritmo de expansão bem maior nos países
subdesenvolvidos.
As diferenças nos processos de urbanização
dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Países desenvolvidos:
• Com o advento da Revolução Industrial as cidades ganharam
importância na realidade econômica das nações.
• Ao atrair a população do campo para as cidades, o processo industrial
visava apenas suprir a sua necessidade de mão-de-obra. Não
pretendia nem conseguia melhorar a qualidade de vida das massas
operárias que estavam se formando naquele período.
• Tratava-se de um modelo urbano caótico. Desprovidos de
saneamento, os bairros operários eram formados por aglomerados de
cortiços separados por vielas, nas quais o esgoto corria a céu aberto.
Qualquer doença contagiosa rapidamente transformava-se em
epidemia nessas cidades.
As diferenças nos processos de urbanização
dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Países desenvolvidos:
• Os movimentos de trabalhadores ganharam força e passaram a reivindicar,
com relativo sucesso, melhorias para os bairros operários.
• Muitas cidades europeias foram reconstruídas depois de grandes conflitos
mundiais, permitindo corrigir os erros da urbanização dos séculos XVIII e
XIX.
• Melhoria da qualidade de vida na Europa depois da II Guerra Mundial –
População passou a participar mais das decisões dos rumos das cidades,
passaram a exercer sua cidadania.
• Deu origem a lei rígidas, que criam padrões de urbanização preocupados
com a qualidade de vida na cidade.
• Na Europa, as questões ambientais urbanas são extremamente importantes.
As diferenças nos processos de urbanização
dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Países desenvolvidos:
• Essa longa experiência criou um padrão urbanístico diferenciado para
o continente europeu.
• Embora a Europa seja um dos continentes mais urbanizados, a maior
parte da população vive em cidades médias e pequenas.
• Padrão de urbanização do continente – aglomerações com menos de
500 mil habitantes.
As diferenças nos processos de urbanização dos
países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Países subdesenvolvidos:
• A urbanização tardia resulta de outros fatores, geralmente ligados aos
problemas estruturais desses países.
• As cidades dos países mais pobres cresceram de forma mais rápida e
menos planejada que as dos países ricos.
• Isso se deve a falta de condições de trabalho do pequeno agricultor na
zona rural, com a mecanização do campo e os latifúndios comerciais,
esse trabalhador acaba deixando sua terra e partindo para as cidades.
• Nas regiões mais pobres, como no Brasil, o êxodo foi muito rápido e
evidente nas décadas de 1950 e 1960, causando inchaço das grandes
cidades, criando inúmeros bairros periféricos.
As diferenças nos processos de urbanização
dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos
• Países subdesenvolvidos:
• As taxas de natalidade da época eram extremamente altas, o que
também incrementou o ritmo de crescimento urbano.
• Em algumas regiões da Ásia e da África as cidades continuam
crescendo em ritmo frenético. Como o problema avoluma-se
incessantemente, torna-se muito difícil encontrar uma solução a curto
prazo.
• Conurbação: Encontro entre duas ou mais cidades vizinhas;
• Megalópole: Região superurbanizada, independentemente do
número de habitantes da aglomeração urbana principal.
• Megacidade: Se refere aos aglomerados urbanos com mais de 10
milhões de habitantes. O conceito de megacidade, portanto, é
principalmente demográfico ou numérico.
• Cidade Global: Não é um conceito demográfico, ou seja, o número de
habitantes não é fundamental. Também não é um conceito territorial,
ou seja, a região de espaço circundante à cidade não tem
importância. O essencial mesmo são suas ligações internacionais. É
um conceito econômico, que procura mostrar a importância mundial
de certas cidades, ou melhor, o seu papel no mercado global.
• Exs: Nova York, Tóquio, Londres – principais centros financeiros e
bancários do globo.
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana
Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

3 Os Centros Urbanos
3  Os Centros Urbanos3  Os Centros Urbanos
3 Os Centros UrbanosMayjö .
 
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012aroudus
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILAnderson Silva
 
Urbanização 2011
Urbanização 2011Urbanização 2011
Urbanização 2011alfredo1ssa
 
Urbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e BrasileiraUrbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e BrasileiraArtur Lara
 
Urbanização no brasil
Urbanização no brasilUrbanização no brasil
Urbanização no brasilJosé Roberto
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização
 www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização
www.videoaulagratisapoio.com.br - UrbanizaçãoVideo Aulas Apoio
 
O Espaço Urbano do Mundo Contemporaneo
O Espaço Urbano do Mundo ContemporaneoO Espaço Urbano do Mundo Contemporaneo
O Espaço Urbano do Mundo ContemporaneoHiatan Bicalho
 
Urbanização mundial e brasileira
Urbanização mundial e brasileiraUrbanização mundial e brasileira
Urbanização mundial e brasileiramahmoudpoa
 
Espaço geográfico urbano o que é urbanização
Espaço geográfico urbano o que é urbanizaçãoEspaço geográfico urbano o que é urbanização
Espaço geográfico urbano o que é urbanizaçãoMoacir E Nalin
 
A URBANIZAÇÃO NO BRASIL
A URBANIZAÇÃO NO BRASILA URBANIZAÇÃO NO BRASIL
A URBANIZAÇÃO NO BRASILKananda Reis
 

Mais procurados (20)

3 Os Centros Urbanos
3  Os Centros Urbanos3  Os Centros Urbanos
3 Os Centros Urbanos
 
Urbanização mundial
Urbanização mundialUrbanização mundial
Urbanização mundial
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
 
O Espaco Urbano
O Espaco UrbanoO Espaco Urbano
O Espaco Urbano
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
Urbanização 2011
Urbanização 2011Urbanização 2011
Urbanização 2011
 
Urbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e BrasileiraUrbanização Mundial e Brasileira
Urbanização Mundial e Brasileira
 
Urbanização e planejamento urbano
Urbanização e planejamento urbanoUrbanização e planejamento urbano
Urbanização e planejamento urbano
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Urbanização no brasil
Urbanização no brasilUrbanização no brasil
Urbanização no brasil
 
Geografia Urbana
Geografia UrbanaGeografia Urbana
Geografia Urbana
 
www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização
 www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização
www.videoaulagratisapoio.com.br - Urbanização
 
O Espaço Urbano do Mundo Contemporaneo
O Espaço Urbano do Mundo ContemporaneoO Espaço Urbano do Mundo Contemporaneo
O Espaço Urbano do Mundo Contemporaneo
 
UrbanizaçãO
UrbanizaçãOUrbanizaçãO
UrbanizaçãO
 
Urbanização mundial e brasileira
Urbanização mundial e brasileiraUrbanização mundial e brasileira
Urbanização mundial e brasileira
 
Urbanização atual
Urbanização atualUrbanização atual
Urbanização atual
 
Espaço geográfico urbano o que é urbanização
Espaço geográfico urbano o que é urbanizaçãoEspaço geográfico urbano o que é urbanização
Espaço geográfico urbano o que é urbanização
 
A URBANIZAÇÃO NO BRASIL
A URBANIZAÇÃO NO BRASILA URBANIZAÇÃO NO BRASIL
A URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
PROCESSO DE URBANIZAÇÃO
PROCESSO DE URBANIZAÇÃOPROCESSO DE URBANIZAÇÃO
PROCESSO DE URBANIZAÇÃO
 

Semelhante a Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana

Semelhante a Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana (20)

urbanizacao (1).pdf
urbanizacao (1).pdfurbanizacao (1).pdf
urbanizacao (1).pdf
 
urbanizacao_final.pptx
urbanizacao_final.pptxurbanizacao_final.pptx
urbanizacao_final.pptx
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
Aspectos Do Brasil 1º Mc
Aspectos Do Brasil 1º McAspectos Do Brasil 1º Mc
Aspectos Do Brasil 1º Mc
 
Aula geografia urbana
Aula geografia urbanaAula geografia urbana
Aula geografia urbana
 
Urbanização
UrbanizaçãoUrbanização
Urbanização
 
O Espaço Urbano mundial
O Espaço Urbano mundialO Espaço Urbano mundial
O Espaço Urbano mundial
 
Espaço urbano
Espaço urbanoEspaço urbano
Espaço urbano
 
A Produção do Espaço Urbano no Capitalismo 1
A Produção do Espaço Urbano no Capitalismo 1A Produção do Espaço Urbano no Capitalismo 1
A Produção do Espaço Urbano no Capitalismo 1
 
Urbanização silú
Urbanização silúUrbanização silú
Urbanização silú
 
Areas urbanas
Areas urbanasAreas urbanas
Areas urbanas
 
Aula 2 urbanização
Aula 2   urbanizaçãoAula 2   urbanização
Aula 2 urbanização
 
Cap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileiraCap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileira
 
Urbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de JaneiroUrbanização do Rio de Janeiro
Urbanização do Rio de Janeiro
 
Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]
 
Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]Urbanização brasileira[1]
Urbanização brasileira[1]
 
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
Urbanização - Aula 1 (Conceitos e Problemas)
 
A diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugaresA diferenciação dos lugares
A diferenciação dos lugares
 
Principais Áreas de Fixaçao Humana
Principais Áreas de Fixaçao HumanaPrincipais Áreas de Fixaçao Humana
Principais Áreas de Fixaçao Humana
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
 

Último

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 

Último (20)

DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 

Espaço Geográfico e Urbanização: Rede e Hierarquia Urbana

  • 2. Urbanização Mundial ” A cidade dos mortos antecede a cidade dos vivos. Num sentido, aliás, a cidade dos mortos é a precursora, quase o núcleo, de todas as cidades vivas. A vida urbana cobre o espaço histórico entre o mais remoto campo sepulcral da aurora do homem e o cemitério final, a Necrópolis em que uma após outra civilização tem encontrado o seu fim.” [...] (MUMFORD, 1998 P.13).
  • 3. A evolução urbana • URBANIZAÇÃO “Fenômeno caracterizado pela concentração cada vez mais densa de população, em aglomerações de caráter urbano" Conceito de cidade – lugar
  • 4. Problemas urbanos • Poluição atmosférica • Poluição sonora • Poluição das águas • Poluição do solo por resíduos sólidos • Problemas sociais • Escassez de área verde • Perigo de epidemias
  • 5. Enchentes urbanas Saneamento Conseqüências da Ocupação Desordenada insuficiente
  • 6. A mesma chuva intensa que no passado causava uma perturbação moderada, pode hoje causar uma grande enchente Ocupação desordenada  lixo e erosão das encostas + Aumento da área impermeável = Enchentes Urbanas
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 11.
  • 12. Urbanização Mundial • Até o final do século XVIII – 90% da população de cada sociedade vivia no campo. • Processo de urbanização moderno – Início do século XVIII. • Revolução Industrial – Mudança radical. • A mecanização do meio rural e as migrações do campo para as cidades provocaram o fenômeno de urbanização, inicialmente nos países líderes da industrialização clássica e depois, já no século XX em praticamente todos os demais países, alguns mais intensamente e outros menos.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16. • Meio rural: Fornece à cidade alimentos e matérias-primas para suas indústrias e recebe dela os produtos manufaturados e os serviços urbanos (bancário, administrativo, comercial, escolar, médico- hospitalar, etc.) • Historicamente, o campo precedeu a cidade, ou seja, é bem mais antigo que ela. O campo existiu durante milênios sem a cidade, e as primeiras cidades dependiam bastante do meio rural. • O campo era mais importante que a cidade, concentrava a maioria da população de qualquer sociedade e também a maior parte de suas riquezas. • A partir da primeira Revolução Industrial essa situação foi se invertendo, e atualmente o campo depende da cidade.
  • 17.
  • 18. • Com as técnicas modernas de produção de alimentos (biotecnologia, principalmente) pode-se até dispensar o campo, isto é, o espaço agrícola. Podem-se cultivar certas espécies em condições artificiais, sem solo, e criar certos animais ou peixes em condições também artificiais, sem grandes espaços disponíveis. • Existem algumas sociedade que são hoje totalmente urbanas com 100% da população vivendo nas cidades. Ex: Cingapura (Ásia), Hong Kong (China), Ilhas Cayman (Caribe), Vaticano.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Rede e Hierarquia Urbana • A urbanização de uma sociedade origina uma rede urbana, isto é, um sistema integrado de cidades que vai das pequenas ou locais às metrópoles ou cidades gigantescas. • A regra geral é que para milhares de pequenas cidades, existam centenas de cidade médias e algumas poucas metrópoles. • Uma rede urbana é um espaço hierarquizado a partir da influência (econômica, política, cultural) ou da polarização que uma (ou mais) metrópole exerce sobre as demais e mesmo sobre o meio rural. • Essa hierarquia ou relações de comando e de influência prossegue das cidades médias para as menores e assim por diante.
  • 29. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Êxodo rural- Desde meados do século XVIII – Países desenvolvidos • Países subdesenvolvidos - essas migrações só se aceleraram no século XX principalmente na segunda metade desse século. • A urbanização: • Foi mais intensa nos países desenvolvidos - até meados do século XX; • E atualmente tem um ritmo de expansão bem maior nos países subdesenvolvidos.
  • 30. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Países desenvolvidos: • Com o advento da Revolução Industrial as cidades ganharam importância na realidade econômica das nações. • Ao atrair a população do campo para as cidades, o processo industrial visava apenas suprir a sua necessidade de mão-de-obra. Não pretendia nem conseguia melhorar a qualidade de vida das massas operárias que estavam se formando naquele período. • Tratava-se de um modelo urbano caótico. Desprovidos de saneamento, os bairros operários eram formados por aglomerados de cortiços separados por vielas, nas quais o esgoto corria a céu aberto. Qualquer doença contagiosa rapidamente transformava-se em epidemia nessas cidades.
  • 31. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Países desenvolvidos: • Os movimentos de trabalhadores ganharam força e passaram a reivindicar, com relativo sucesso, melhorias para os bairros operários. • Muitas cidades europeias foram reconstruídas depois de grandes conflitos mundiais, permitindo corrigir os erros da urbanização dos séculos XVIII e XIX. • Melhoria da qualidade de vida na Europa depois da II Guerra Mundial – População passou a participar mais das decisões dos rumos das cidades, passaram a exercer sua cidadania. • Deu origem a lei rígidas, que criam padrões de urbanização preocupados com a qualidade de vida na cidade. • Na Europa, as questões ambientais urbanas são extremamente importantes.
  • 32. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Países desenvolvidos: • Essa longa experiência criou um padrão urbanístico diferenciado para o continente europeu. • Embora a Europa seja um dos continentes mais urbanizados, a maior parte da população vive em cidades médias e pequenas. • Padrão de urbanização do continente – aglomerações com menos de 500 mil habitantes.
  • 33. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Países subdesenvolvidos: • A urbanização tardia resulta de outros fatores, geralmente ligados aos problemas estruturais desses países. • As cidades dos países mais pobres cresceram de forma mais rápida e menos planejada que as dos países ricos. • Isso se deve a falta de condições de trabalho do pequeno agricultor na zona rural, com a mecanização do campo e os latifúndios comerciais, esse trabalhador acaba deixando sua terra e partindo para as cidades. • Nas regiões mais pobres, como no Brasil, o êxodo foi muito rápido e evidente nas décadas de 1950 e 1960, causando inchaço das grandes cidades, criando inúmeros bairros periféricos.
  • 34. As diferenças nos processos de urbanização dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos • Países subdesenvolvidos: • As taxas de natalidade da época eram extremamente altas, o que também incrementou o ritmo de crescimento urbano. • Em algumas regiões da Ásia e da África as cidades continuam crescendo em ritmo frenético. Como o problema avoluma-se incessantemente, torna-se muito difícil encontrar uma solução a curto prazo.
  • 35.
  • 36. • Conurbação: Encontro entre duas ou mais cidades vizinhas; • Megalópole: Região superurbanizada, independentemente do número de habitantes da aglomeração urbana principal. • Megacidade: Se refere aos aglomerados urbanos com mais de 10 milhões de habitantes. O conceito de megacidade, portanto, é principalmente demográfico ou numérico.
  • 37. • Cidade Global: Não é um conceito demográfico, ou seja, o número de habitantes não é fundamental. Também não é um conceito territorial, ou seja, a região de espaço circundante à cidade não tem importância. O essencial mesmo são suas ligações internacionais. É um conceito econômico, que procura mostrar a importância mundial de certas cidades, ou melhor, o seu papel no mercado global. • Exs: Nova York, Tóquio, Londres – principais centros financeiros e bancários do globo.