SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 84
Baixar para ler offline
BIBLIOTECAS 2.0
OBJETIVOS
Explicar e exemplificar o conceito de Biblioteca
2.0 através da própria experiência, casos e
práticas de bibliotecas e bibliotecários 2.0.
O QUE É UMA BIBLIOTECA?
1 Coleção de livros
2 Lugar onde se guardam coleções de livros
2.1 Edifício ou recinto onde ficam depositadas,
ordenadas e catalogadas diversas coleções de livros,
periódicos e outros documentos, que o público, sob
certas condições, pode consultar no local ou levar
de empréstimo
3 Coleção ordenada de código de programas e
rotinas, a que um programador pode recorrer para
desenvolver outros programas

(Fonte: Dicionário Houaiss)
O QUE É UMA BIBLIOTECA?
• Biblioteca (do grego βιβλιοϑήκη, composto de βιβλίον,
  "livro", e ϑήκη "depósito"), na definição tradicional do
  termo, é um espaço físico em que se guardam livros.
  De maneira mais abrangente, biblioteca é todo espaço
  (concreto, virtual ou híbrido) destinado a uma coleção
  de informações de quaisquer tipos, sejam escritas em
  folhas de papel (monografias, enciclopédias,
  dicionários, manuais, etc) ou ainda digitalizadas e
  armazenadas em outros tipos de materiais, tais como
  CD, fitas, VHS, DVD e bancos de dados. Revistas e
  jornais também são colecionados e armazenados
  especialmente em uma hemeroteca.
  (Fonte: Wikipedia)
NOVOS
 VELHOS
DESAFIOS
DA WEB 1.0 À WEB 2.0
• Acesso à informação física e digital
• Democracia participativa
• Cosumidores-Produtores
WEB 2.0
• Evolução da Web 1.0 (Broadcast)
• Termo sugerido por Tim O'Reilly em 2004
• Foco de interesse: mercado de nicho (cauda
  longa)
WEB 2.0
• A organização do fluxo de informação
  depende do comportamento das pessoas que
  usam essa informação, permitindo acesso mais
  fácil, centralizado e participativo.
CARACTERÍSTICAS DA WEB 2.0
• Web: plataforma e ponto de encontro
• Novas tecnologias orientadas ao usuário
• Web não é mais estática, não serve apenas
  para se ler a informação, mas também para
  troca de informação
• Arquitetura de participação e democracia,
  redes sociais, sabedoria das multidões... Tudo
  isso é a Web 2.0 e tudo isso serve para moldar
  o novo conceito de biblioteca.
WEB 1.0
• Webmaster > Texto > Navegador > Internautas
WEB 2.0
• Webmaster + Internautas Colaboradores >
  Multimídia > Navegadores < RSS +
  Navegadores + Celulares + Tablets < Redes
  Sociais
WEB 2.0 ONIPRESENTE
•   Investigação
•   Educação
•   Comércio
•   Usuários
•   Imprensa
•   Governo
•   Bancos
•   Educação
OS TEMPOS E OS USUÁRIOS
      MUDARAM
OS TEMPOS E OS USUÁRIOS
      MUDARAM
OS TEMPOS E OS USUÁRIOS
      MUDARAM
OS TEMPOS E OS USUÁRIOS
      MUDARAM
SE OS TEMPOS E OS USUÁRIOS
        MUDARAM...
• A biblioteca tem que evoluir e se adaptar aos
  seus usuários “reais”
• A biblioteca é um espaço social (real e virtual)
  que oferece serviços para todos e entre todos
CHEGAMOS À BIBLIOTECA 2.0
• A Biblioteca 2.0 se baseia na participação e
  interação entre usuários e bibliotecários
• Colaboração dos usuários na criação de serviços
  físicos e virtuais
• Incorporação (técnica e social) de tecnologia 2.0
  nos serviços tradicionais
• Retorno das pessoas às bibliotecas: espaço
  relevante que deve ser buscado diariamente (Ex:
  Biblioteca de São Paulo, Biblioteca Nacional)
BIBLIOTECA 2.0
• Michael Casey (LibraryCrunch.com, Set/2005)
  criou o termo e definição...
• ... Modelo de funcionamento que permite que as
  bibliotecas respondam rapidamente às
  necessidades do mercado. É uma filosofia de
  mudanças rápidas, de estruturas e organizações
  flexíveis, de ferramentas novas da Web 2.0 e da
  participação do usuário que colocará a biblioteca
  em uma posição muito mais forte e que resolve
  com eficácia as necessidades de uma população
  de usuários maior.
BIBLIOTECA 2.0
• Uma das definições mais citadas: A biblioteca
  2.0 consiste simplesente em fazer do espaço
  de sua biblioteca (física ou virtual) algo mais
  interativo, mais colaborativo e guiado pelas
  necessidades da comunidade. [...] O objetivo
  básico é desenvolver as pessoas e as
  bibliotecas dando a eles o que querem e o que
  precisam para sua vida diária. - Sarah
  Houghton (http://librarianinblack.net)
BIBLIOTECA 1.0 X 2.0
• B1.0: Usuários > Balcão > Bibliotecários
• B2.0: Usuários > Web < Bibliotecários
BIBLIOTECA 1.0 X 2.0
• 1.0: Para os usuários
• 2.0: Com os usuários
PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA
               2.0
•   A biblioteca está em todas as partes
•   A biblioteca não tem barreiras
•   A biblioteca convida à participação de todos
•   A biblioteca concentra sua organização e
    serviços no usuário
PRINCIPIOS DA BIBLIOTECA
            2.0
• Biblioteca 1.0:
  – Modelo Pull: usuário busca informação
  – Usuário => Biblioteca


• Biblioteca 2.0:
  – Modelo Push: informação busca usuário
  – Biblioteca => Usuário
APLICAÇÃO DA WEB 2.0 NAS
          BIBLIOTECAS
•   Blogs
•   Wikis
•   Social Bookmarking
•   Redes sociais
•   Bibliotecas de imagens e vídeos
•   Referências virtuais
•   Mundos virtuais
•   Catálogos On-line e Sociais (OPAC)
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
          BLOGS
• Blog da Biblioteca Nacional
  – http://blogdabn.wordpress.com/
• Blog de 365 dias de libros (Universidad
  Carlos III de Madrid)
  – http://365diasdelibros.blogspot.com.br
• Blog da ECA/USP
  – http://bibliotecadaeca.wordpress.com/
• Library of Congress Blogs (EUA)
  – http://blogs.loc.gov/
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
           BLOGS
• BLOG DA BIBLIOTECA DE SAO PAULO
   – http://bibliotecadesaopaulo.org.br/blog/

• BLOG DA BIBLIOTECA THOMAS JEFFERSON
   – http://bibliotecathomasjefferson.blogspot.com.br/

• Blog da Biblioteca Florestan Fernandes – FFLCH USP
   – http://bibliofflch.wordpress.com/

• blog da biblioteca do congresso dos EUA
   – http://blogs.loc.gov/loc/
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
           BLOGS
• Comunicação entre os profissionais dos
  diferentes processos técnicos da biblioteca:
  catalogação, referência, formação de usuários,
  etc
BIBLIOTECAS 2.0
•   Criação e publicação de informação
•   Busca e seleção de informação
•   Acesso e armazenamento da informação
•   Difusão da informação
BLOGS
• Uma das zonas mais dinâmicas da internet,
  novo meio de comunicação on-line
• Weblogs simplificam o processo de criação de
  conteúdos digitais, a publicação é intuitiva e
  amigável como o uso do correio eletrônico
BLOGS
• Ferramenta que permite que todos que
  possuem acesso a uma conexão de internet e
  um conhecimento básico de um processador
  de texto possam ter seu próprio site onde
  publicar conteúdos (textos, imagens, outros
  tipos de arquivos) em poucos passos.
BLOGS
• Atualização fácil: os próprios autores publicam
  conteúdos
• Cronologia da publicação: pode seguir o
  desenvolvimento de um determinado tema e sua
  evolução através do tempo (transformando-se em
  livro até)
• Interatividade: permitem aos visitantes reagir a
  cada artigo através dos comentários
• Linguagem coloquial: comunicação direta, viva e
  pessoal. Os leitores sabem que há um ser-humano
  do outro lado do site.
BLOGS
• Plataforma ideal para potencializar a interação
  humana e as comunicações abertas
ANATOMIA DE UM BLOG
•   A estrutura geral de um blog se constitui de:
•   Entrada/Home
•   Cabeçalho (Header)
•   Descrição
•   Arquivo temático
•   Arquivo cronológico
•   Buscador interno
•   Catálogo de Links
•   Sindicação (RSS)
•   Artigos
•   Rodapé
•   Contatos
•   Integração com redes sociais
BLOGS: CABEÇALHO
• Contém nome do blog, informação sobre a
  temáticaque trata. Geralmente inclui imagem
  identificativa. É comum também se incluir
  abas de navegação e caixa de busca, entre
  outros.
DESCRIÇÃO E AUTORIA
• Explica temática, autores de conteúdos
REALLY SIMPLE SINDICATION
          (RSS)
• O conteúdo do blog se oferece também à
  linguagem da sindicação permitindo acesso à
  informação a partir de um leitor de feeds
  (como o Google Reader) ou do correio
  eletrônico.
ARQUIVO TEMÁTICO
• Muitos blogs mostram em uma coluna lateral
  um conjunto de categorias que organizam
  links que levam a cada uma das categorias
  cadastradas
ARQUIVO CRONOLÓGICO
• Armazenam os artigos organizados por meses
LINKS / BLOGROLL
• Armazena uma série de links que direcionam a
  outros blogs ou sites que o autor do blog
  considere de interesse público.
ARTIGO
• A essência de todo blog, de maneira geral é
  composto de data, título, conteúdo, autor,
  classificação temática, palavras-chave,
  comentários e referências.
APLICAÇÕES DE BLOGS EM
        BIBLIOTECAS
• Noticias e eventos: publicar facilmente as
  novidades e notícias que surgem sem
  necessidade de esperar por um webmaster
  para atualizá-las na web.
GRUPO DE DISCUSSÃO SOBRE
    LIVROS E LEITURAS
• Resenhas e críticas de livros, enriquecidos
  com comentários e links
WEB-BIBLIOGRAFIAS
• recomendação de recursos, sites, películas,
  livros, facilitam a elaboração e atualização de
  bibliografias baseadas em recursos web
SERVIÇOS DE ALERTA E DSI
   (Disseminação Seletiva de
         Informação)
• Filtros de informação, seguimento de
  temáticas predefinidas, avisos de novas
  aquisições, etc.
ATIVIDADES BIBLIOTECÁRIAS
• Comunicação entre os profissionais dos
  diferentes processos técnicos da biblioteca:
  catalogação, referências, formação de
  usuários...
DESENVOLVIMENTO
         PROFISSIONAL
• Permite compartilhar com os colegas e
  potenciais empregadores, o que sabemos, o
  que lemos, os temas que nos interessam e em
  que estejamos trabalhando
E PARA A DOCÊNCIA?
• Blogs de apoio ao processo de ensino
• Em um EduBlog os estudantes e professores
  informam e compartilham suas inquietudes
  educativas, apoiando-se nas possibilidades de
  formação e desenvolvimento que oferece as
  tecnologias de informação e comunicação.
E PARA A DOCÊNCIA?
• Porque empregar-los
• É um formato que estimula:
• A leitura, comparação, busca, curiosidade,
  indagação, investigação, criação
CRIAÇÃO DE UM BLOG EM
         WORDPRESS
•   Acessar
•   Escrever um artigo
•   Modificar um artigo
•   Adicionar links ao blogroll
•   Personalizar a informação do blog
•   Personalizar a apresentação
•   Inserir imagens
•   Inserir um vídeo
•   Inserir palavras-chave
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
           WIKIS
• Blogging Libraries Wiki: Vários exemplos
  – http://oicd-mmb.wikidot.com/wikis-e-bibliotecas
• Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra
  – http://manualmarc21.wikidot.com/start
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
    SOCIAL BOOKMARKING
• http://tags.library.upenn.edu
• http://www.diigo.com
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
  COMPARTILHAMENTO DE
          ARQUIVOS
• Flickr, Youtube, Slideshare, Scribd
  – http://www.flickr.com/photos/bibliotecascoruna
• Biblioteca Médica do Hospital Universitario
  de Getafe (Slideshare)
• La Biblioteca ESP UAM (Youtube)
FLICKR
• Flickr: compartilhamento de fotos. fácil uso,
  grátis (no nivel basico), facil atualizacao,
  encoraja compartilhamento e engajamento.
YOUTUBE
• Youtube fácil uso, grátis, facil de manter
  atualizado, encoraja compartilhamento e
  engajamento.
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
       SOCIAL REFERÊNCIAS
              VIRTUAIS
• Universidade de Sevilla (Chat)
• Ask a Librarian (Nebraska Library Comission)
• Ask a Librarian (Hennepin County Library)
• Library of Congress - Ask a Librarian http://www.loc.gov/rr/askalib/
• Ask a Librarian.org http://info.askalibrarian.org/about/
• Pergunte ao Bibliotecário - Embrapa -
  http://www.cpafro.embrapa.br/portal/biblioteca/pergunte_ao_bibliotecari
  o/
• Pergunte ao Bibliotecário Universidade de Lisboa (email, msg
  instantâneas)
  http://www.fba.ul.pt/portal/page?_pageid=401,863497&_dad=portal&_s
  chema=PORTAL
• Pergunte ao Bibliotecário - IFUSP - http://www-sbi.if.usp.br/?q=ask
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
          TWITTER
• FBN http://twitter.com/FBN
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
        OPAC SOCIAL
• http://www.aadl.org
• http://www.amazon.com
WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS:
         EXEMPLOS
• As Mariñas: http://biblioweb.blogspot.com
• Muskiz: http://www.muskiz-liburutegia.org
ARMADILHAS NO CAMINHO
• Resistência à mudança por medo de perder
  controle
• Burocracia e hierarquia
• Negativa ao aprendizado
• Falta de confiança nos usuários
RAZÕES PARA TENTAR
• As bibliotecas estão perdendo interesse pelo
  usuário?
• Estamos oferencendo os serviços que nossos
  usuários querem?
• Resistência à mudança dos serviõs que são
  considerados fundamentais ou tradicionais mas
  que hoje já não são relevantes
• As bibliotecas não são mais o primeiro local de
  pesquisa de informação para seus usuários
REFLEXÃO
• As ferramentas tecnológicas proprias da Web 2.0
  não serão nada se não houver uma mudança de
  atitude
• Bibliotecas 2.0 só são possíveis com
  bibliotecários profissionais, alfabetizados e
  conscientes no uso das ferramentas próprias da
  Web 2.0
• Bibliotecários capazes de se adequarem à
  realidade de nossos usuários e de evoluir com as
  mudanças do ambiente profissional
MANTENHA CONTATO!

        twitter.com/OBLIQPRESS
                                                       Skype: OBLIQPRESS
www.OBLIQPRESS.com
         *
                ObliqPress
                 Tecnologia Editorial & Mídia Social
                                                 plus.google.com/OBLIQPRESS
   facebook.com/OBLIQPRESS



                +55 21 9138-5023

                      contato@obliqpress.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas Diana Carla Mendonça
 
Bi bliotecas digitais e literacia da informacao
Bi bliotecas digitais e literacia da informacaoBi bliotecas digitais e literacia da informacao
Bi bliotecas digitais e literacia da informacaoEmilia Pacheco
 
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Ana Glenyr
 
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTDACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTDUFSC
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Pedro Príncipe
 
Bibliotecas (RBE) Eloy Rodrigues
Bibliotecas (RBE) Eloy RodriguesBibliotecas (RBE) Eloy Rodrigues
Bibliotecas (RBE) Eloy RodriguesLuisa Lamas
 
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...Giseli Adornato de Aguiar
 
Novos produtos e serviços em bibliotecas
Novos produtos e serviços em bibliotecasNovos produtos e serviços em bibliotecas
Novos produtos e serviços em bibliotecasUFSC
 
Biblioteca universitária: o paradigma da convergência
Biblioteca universitária: o paradigma da convergênciaBiblioteca universitária: o paradigma da convergência
Biblioteca universitária: o paradigma da convergênciaAna Glenyr
 
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitais
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas DigitaisConceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitais
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitaisdaianadelima
 
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...Semana Biblioteconomia
 
A Biblioteca Escolar e o Currículo
A Biblioteca Escolar e o CurrículoA Biblioteca Escolar e o Currículo
A Biblioteca Escolar e o CurrículoCarlos Pinheiro
 
Aula 5 biblioteca universitaria 2010
Aula 5 biblioteca universitaria 2010Aula 5 biblioteca universitaria 2010
Aula 5 biblioteca universitaria 2010Biblio 2010
 
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino Unido
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino UnidoUso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino Unido
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino UnidoFernanda Lobo
 
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...Suelybcs .
 

Mais procurados (20)

A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas
A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas
 
Bi bliotecas digitais e literacia da informacao
Bi bliotecas digitais e literacia da informacaoBi bliotecas digitais e literacia da informacao
Bi bliotecas digitais e literacia da informacao
 
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
Bibliotecas Digitais e Repositórios Institucionais
 
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
Dados, informação e conhecimento no contexto dos catálogos das bibliotecas un...
 
Novos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência DigitalNovos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência Digital
 
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTDACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES:  O CASO BDTD
ACESSO E USO DE TECNOLOGIAS EM TESES DE DISSERTAÇÕES: O CASO BDTD
 
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
Tecnologias emergentes e ferramentas de web social nas bibliotecas: oportunid...
 
Bibliotecas (RBE) Eloy Rodrigues
Bibliotecas (RBE) Eloy RodriguesBibliotecas (RBE) Eloy Rodrigues
Bibliotecas (RBE) Eloy Rodrigues
 
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...
As bibliotecas nas redes sociais: novas dinâmicas informacionais e comunicaci...
 
Novos produtos e serviços em bibliotecas
Novos produtos e serviços em bibliotecasNovos produtos e serviços em bibliotecas
Novos produtos e serviços em bibliotecas
 
Biblioteca universitária: o paradigma da convergência
Biblioteca universitária: o paradigma da convergênciaBiblioteca universitária: o paradigma da convergência
Biblioteca universitária: o paradigma da convergência
 
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitais
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas DigitaisConceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitais
Conceito de Biblioteca nas Bibliotecas Digitais
 
Bibliotecas digitais
Bibliotecas digitaisBibliotecas digitais
Bibliotecas digitais
 
Formação beja-cr
Formação  beja-crFormação  beja-cr
Formação beja-cr
 
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...
A Biblioteca Universitária Frente aos Desafios Atuais - Maria Imaculada Cardo...
 
A Biblioteca Escolar e o Currículo
A Biblioteca Escolar e o CurrículoA Biblioteca Escolar e o Currículo
A Biblioteca Escolar e o Currículo
 
Aula 5 biblioteca universitaria 2010
Aula 5 biblioteca universitaria 2010Aula 5 biblioteca universitaria 2010
Aula 5 biblioteca universitaria 2010
 
Ebooks
EbooksEbooks
Ebooks
 
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino Unido
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino UnidoUso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino Unido
Uso de ebooks em bibliotecas públicas e acadêmicas no Reino Unido
 
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...
WebConferência: Repositórios: como criar e gerenciar? Qual é o seu valor estr...
 

Destaque

Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_f
Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_fTeoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_f
Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_fMargarida Costa
 
L'udito e la musica elettroacustica (slide)
L'udito e la musica elettroacustica (slide)L'udito e la musica elettroacustica (slide)
L'udito e la musica elettroacustica (slide)Giovanni Niosi
 
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPIS
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPISI progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPIS
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPISHenry Muccini
 
Psicologia clinica5
Psicologia clinica5Psicologia clinica5
Psicologia clinica5iva martini
 
Docenti e programmi_a.a._12-13
Docenti e programmi_a.a._12-13Docenti e programmi_a.a._12-13
Docenti e programmi_a.a._12-13iva martini
 
Psicologia clinica
Psicologia clinicaPsicologia clinica
Psicologia clinicaimartini
 
Metodologia epidemiologica
Metodologia epidemiologicaMetodologia epidemiologica
Metodologia epidemiologicaDario
 
Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)cmaarc
 
Manual de procedimentos
Manual de procedimentosManual de procedimentos
Manual de procedimentosescolaviva2014
 
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de InformacaoCurso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacaoguest930bd8
 
Bliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoBliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoEmilia Pacheco
 
Ses6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeSes6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeNatalia Pina
 

Destaque (20)

Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_f
Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_fTeoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_f
Teoria da biblioteca_2.0-web_2.0_e_suas_implicacoes_para_as_bibliotecas_f
 
I cavi audio
I cavi audioI cavi audio
I cavi audio
 
L'udito e la musica elettroacustica (slide)
L'udito e la musica elettroacustica (slide)L'udito e la musica elettroacustica (slide)
L'udito e la musica elettroacustica (slide)
 
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPIS
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPISI progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPIS
I progetti UnivAq-UFFIZI, INCIPICT, e  CUSPIS
 
Psicologia clinica5
Psicologia clinica5Psicologia clinica5
Psicologia clinica5
 
Docenti e programmi_a.a._12-13
Docenti e programmi_a.a._12-13Docenti e programmi_a.a._12-13
Docenti e programmi_a.a._12-13
 
MOTIVAZIONI E LAVORO
MOTIVAZIONI E LAVOROMOTIVAZIONI E LAVORO
MOTIVAZIONI E LAVORO
 
H
HH
H
 
Psicologia clinica
Psicologia clinicaPsicologia clinica
Psicologia clinica
 
Avoiding the "Velcro Effect" Determining When a Student Requires Paraeducato...
Avoiding the "Velcro Effect" Determining When a Student Requires  Paraeducato...Avoiding the "Velcro Effect" Determining When a Student Requires  Paraeducato...
Avoiding the "Velcro Effect" Determining When a Student Requires Paraeducato...
 
Tesi+dottorato+galvano
Tesi+dottorato+galvanoTesi+dottorato+galvano
Tesi+dottorato+galvano
 
Metodologia epidemiologica
Metodologia epidemiologicaMetodologia epidemiologica
Metodologia epidemiologica
 
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
Teses Digitais E Conhecimento de Acesso Livre_Out 09
 
Biblioteca de los angeles
Biblioteca de los angelesBiblioteca de los angeles
Biblioteca de los angeles
 
Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)Biblioteca todos (portug)
Biblioteca todos (portug)
 
Manual de procedimentos
Manual de procedimentosManual de procedimentos
Manual de procedimentos
 
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de InformacaoCurso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
Curso OrientaçãO Ao Usuario - Modulo I - Fontes de Informacao
 
Biblioteca 1a
Biblioteca 1aBiblioteca 1a
Biblioteca 1a
 
Bliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacaoBliotecas digitais e literacia da informacao
Bliotecas digitais e literacia da informacao
 
Ses6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO BeSes6apresentaavaliaçãO Be
Ses6apresentaavaliaçãO Be
 

Semelhante a Bibliotecas 2.0 e a era da Web 2.0

Semelhante a Bibliotecas 2.0 e a era da Web 2.0 (20)

Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0Biblioteca 2.0
Biblioteca 2.0
 
Bibliotecas e evolucao 2.0
Bibliotecas e evolucao 2.0Bibliotecas e evolucao 2.0
Bibliotecas e evolucao 2.0
 
Apresentação slideshare
Apresentação slideshareApresentação slideshare
Apresentação slideshare
 
Biblioteca na era digital
Biblioteca na era digitalBiblioteca na era digital
Biblioteca na era digital
 
Poder Da Colaboração
Poder Da ColaboraçãoPoder Da Colaboração
Poder Da Colaboração
 
Biblioteca Escolar 2.0
Biblioteca Escolar 2.0Biblioteca Escolar 2.0
Biblioteca Escolar 2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Biblioteca2.0
Biblioteca2.0Biblioteca2.0
Biblioteca2.0
 
Apresentação slideshare
Apresentação slideshareApresentação slideshare
Apresentação slideshare
 
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
Interação entre usuário e catálogo: perspectivas junto à Web 2.0
 
Biblioteca 2.v2
Biblioteca 2.v2Biblioteca 2.v2
Biblioteca 2.v2
 
Apresentação biblioteca 2.0
Apresentação biblioteca 2.0Apresentação biblioteca 2.0
Apresentação biblioteca 2.0
 
Web 2.0 e Biblioteca 2.0
Web 2.0 e Biblioteca 2.0Web 2.0 e Biblioteca 2.0
Web 2.0 e Biblioteca 2.0
 
Pc 2º Trabalho
Pc 2º TrabalhoPc 2º Trabalho
Pc 2º Trabalho
 

Mais de lerparaviver

A formação do leitor e as novas tecnologias
A formação do leitor e as novas tecnologiasA formação do leitor e as novas tecnologias
A formação do leitor e as novas tecnologiaslerparaviver
 
Os Novos Papéis do E-Publisher
Os Novos Papéis do E-PublisherOs Novos Papéis do E-Publisher
Os Novos Papéis do E-Publisherlerparaviver
 
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIASLER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIASlerparaviver
 
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)lerparaviver
 

Mais de lerparaviver (7)

A formação do leitor e as novas tecnologias
A formação do leitor e as novas tecnologiasA formação do leitor e as novas tecnologias
A formação do leitor e as novas tecnologias
 
Os Novos Papéis do E-Publisher
Os Novos Papéis do E-PublisherOs Novos Papéis do E-Publisher
Os Novos Papéis do E-Publisher
 
O fim dos e-books
O fim dos e-booksO fim dos e-books
O fim dos e-books
 
Pesquisas
PesquisasPesquisas
Pesquisas
 
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIASLER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS
LER PARA VIVER A FORMAÇÃO DO LEITOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS
 
Livro 2.0
Livro 2.0Livro 2.0
Livro 2.0
 
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)
Libraries, patron, and e-books 2012 Estudo da Pew Internet (22 de Junho 2012)
 

Último

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURADouglasVasconcelosMa
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 

Bibliotecas 2.0 e a era da Web 2.0

  • 2. OBJETIVOS Explicar e exemplificar o conceito de Biblioteca 2.0 através da própria experiência, casos e práticas de bibliotecas e bibliotecários 2.0.
  • 3. O QUE É UMA BIBLIOTECA? 1 Coleção de livros 2 Lugar onde se guardam coleções de livros 2.1 Edifício ou recinto onde ficam depositadas, ordenadas e catalogadas diversas coleções de livros, periódicos e outros documentos, que o público, sob certas condições, pode consultar no local ou levar de empréstimo 3 Coleção ordenada de código de programas e rotinas, a que um programador pode recorrer para desenvolver outros programas (Fonte: Dicionário Houaiss)
  • 4. O QUE É UMA BIBLIOTECA? • Biblioteca (do grego βιβλιοϑήκη, composto de βιβλίον, "livro", e ϑήκη "depósito"), na definição tradicional do termo, é um espaço físico em que se guardam livros. De maneira mais abrangente, biblioteca é todo espaço (concreto, virtual ou híbrido) destinado a uma coleção de informações de quaisquer tipos, sejam escritas em folhas de papel (monografias, enciclopédias, dicionários, manuais, etc) ou ainda digitalizadas e armazenadas em outros tipos de materiais, tais como CD, fitas, VHS, DVD e bancos de dados. Revistas e jornais também são colecionados e armazenados especialmente em uma hemeroteca. (Fonte: Wikipedia)
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 13. DA WEB 1.0 À WEB 2.0 • Acesso à informação física e digital • Democracia participativa • Cosumidores-Produtores
  • 14. WEB 2.0 • Evolução da Web 1.0 (Broadcast) • Termo sugerido por Tim O'Reilly em 2004 • Foco de interesse: mercado de nicho (cauda longa)
  • 15. WEB 2.0 • A organização do fluxo de informação depende do comportamento das pessoas que usam essa informação, permitindo acesso mais fácil, centralizado e participativo.
  • 16. CARACTERÍSTICAS DA WEB 2.0 • Web: plataforma e ponto de encontro • Novas tecnologias orientadas ao usuário • Web não é mais estática, não serve apenas para se ler a informação, mas também para troca de informação • Arquitetura de participação e democracia, redes sociais, sabedoria das multidões... Tudo isso é a Web 2.0 e tudo isso serve para moldar o novo conceito de biblioteca.
  • 17. WEB 1.0 • Webmaster > Texto > Navegador > Internautas
  • 18. WEB 2.0 • Webmaster + Internautas Colaboradores > Multimídia > Navegadores < RSS + Navegadores + Celulares + Tablets < Redes Sociais
  • 19. WEB 2.0 ONIPRESENTE • Investigação • Educação • Comércio • Usuários • Imprensa • Governo • Bancos • Educação
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. OS TEMPOS E OS USUÁRIOS MUDARAM
  • 27. OS TEMPOS E OS USUÁRIOS MUDARAM
  • 28. OS TEMPOS E OS USUÁRIOS MUDARAM
  • 29. OS TEMPOS E OS USUÁRIOS MUDARAM
  • 30.
  • 31. SE OS TEMPOS E OS USUÁRIOS MUDARAM... • A biblioteca tem que evoluir e se adaptar aos seus usuários “reais” • A biblioteca é um espaço social (real e virtual) que oferece serviços para todos e entre todos
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36. CHEGAMOS À BIBLIOTECA 2.0 • A Biblioteca 2.0 se baseia na participação e interação entre usuários e bibliotecários • Colaboração dos usuários na criação de serviços físicos e virtuais • Incorporação (técnica e social) de tecnologia 2.0 nos serviços tradicionais • Retorno das pessoas às bibliotecas: espaço relevante que deve ser buscado diariamente (Ex: Biblioteca de São Paulo, Biblioteca Nacional)
  • 37. BIBLIOTECA 2.0 • Michael Casey (LibraryCrunch.com, Set/2005) criou o termo e definição... • ... Modelo de funcionamento que permite que as bibliotecas respondam rapidamente às necessidades do mercado. É uma filosofia de mudanças rápidas, de estruturas e organizações flexíveis, de ferramentas novas da Web 2.0 e da participação do usuário que colocará a biblioteca em uma posição muito mais forte e que resolve com eficácia as necessidades de uma população de usuários maior.
  • 38. BIBLIOTECA 2.0 • Uma das definições mais citadas: A biblioteca 2.0 consiste simplesente em fazer do espaço de sua biblioteca (física ou virtual) algo mais interativo, mais colaborativo e guiado pelas necessidades da comunidade. [...] O objetivo básico é desenvolver as pessoas e as bibliotecas dando a eles o que querem e o que precisam para sua vida diária. - Sarah Houghton (http://librarianinblack.net)
  • 39. BIBLIOTECA 1.0 X 2.0 • B1.0: Usuários > Balcão > Bibliotecários • B2.0: Usuários > Web < Bibliotecários
  • 40. BIBLIOTECA 1.0 X 2.0 • 1.0: Para os usuários • 2.0: Com os usuários
  • 41. PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA 2.0 • A biblioteca está em todas as partes • A biblioteca não tem barreiras • A biblioteca convida à participação de todos • A biblioteca concentra sua organização e serviços no usuário
  • 42. PRINCIPIOS DA BIBLIOTECA 2.0 • Biblioteca 1.0: – Modelo Pull: usuário busca informação – Usuário => Biblioteca • Biblioteca 2.0: – Modelo Push: informação busca usuário – Biblioteca => Usuário
  • 43. APLICAÇÃO DA WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS • Blogs • Wikis • Social Bookmarking • Redes sociais • Bibliotecas de imagens e vídeos • Referências virtuais • Mundos virtuais • Catálogos On-line e Sociais (OPAC)
  • 44. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: BLOGS • Blog da Biblioteca Nacional – http://blogdabn.wordpress.com/ • Blog de 365 dias de libros (Universidad Carlos III de Madrid) – http://365diasdelibros.blogspot.com.br • Blog da ECA/USP – http://bibliotecadaeca.wordpress.com/ • Library of Congress Blogs (EUA) – http://blogs.loc.gov/
  • 45. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: BLOGS • BLOG DA BIBLIOTECA DE SAO PAULO – http://bibliotecadesaopaulo.org.br/blog/ • BLOG DA BIBLIOTECA THOMAS JEFFERSON – http://bibliotecathomasjefferson.blogspot.com.br/ • Blog da Biblioteca Florestan Fernandes – FFLCH USP – http://bibliofflch.wordpress.com/ • blog da biblioteca do congresso dos EUA – http://blogs.loc.gov/loc/
  • 46. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: BLOGS • Comunicação entre os profissionais dos diferentes processos técnicos da biblioteca: catalogação, referência, formação de usuários, etc
  • 47. BIBLIOTECAS 2.0 • Criação e publicação de informação • Busca e seleção de informação • Acesso e armazenamento da informação • Difusão da informação
  • 48. BLOGS • Uma das zonas mais dinâmicas da internet, novo meio de comunicação on-line • Weblogs simplificam o processo de criação de conteúdos digitais, a publicação é intuitiva e amigável como o uso do correio eletrônico
  • 49. BLOGS • Ferramenta que permite que todos que possuem acesso a uma conexão de internet e um conhecimento básico de um processador de texto possam ter seu próprio site onde publicar conteúdos (textos, imagens, outros tipos de arquivos) em poucos passos.
  • 50. BLOGS • Atualização fácil: os próprios autores publicam conteúdos • Cronologia da publicação: pode seguir o desenvolvimento de um determinado tema e sua evolução através do tempo (transformando-se em livro até) • Interatividade: permitem aos visitantes reagir a cada artigo através dos comentários • Linguagem coloquial: comunicação direta, viva e pessoal. Os leitores sabem que há um ser-humano do outro lado do site.
  • 51. BLOGS • Plataforma ideal para potencializar a interação humana e as comunicações abertas
  • 52. ANATOMIA DE UM BLOG • A estrutura geral de um blog se constitui de: • Entrada/Home • Cabeçalho (Header) • Descrição • Arquivo temático • Arquivo cronológico • Buscador interno • Catálogo de Links • Sindicação (RSS) • Artigos • Rodapé • Contatos • Integração com redes sociais
  • 53. BLOGS: CABEÇALHO • Contém nome do blog, informação sobre a temáticaque trata. Geralmente inclui imagem identificativa. É comum também se incluir abas de navegação e caixa de busca, entre outros.
  • 54. DESCRIÇÃO E AUTORIA • Explica temática, autores de conteúdos
  • 55. REALLY SIMPLE SINDICATION (RSS) • O conteúdo do blog se oferece também à linguagem da sindicação permitindo acesso à informação a partir de um leitor de feeds (como o Google Reader) ou do correio eletrônico.
  • 56. ARQUIVO TEMÁTICO • Muitos blogs mostram em uma coluna lateral um conjunto de categorias que organizam links que levam a cada uma das categorias cadastradas
  • 57. ARQUIVO CRONOLÓGICO • Armazenam os artigos organizados por meses
  • 58. LINKS / BLOGROLL • Armazena uma série de links que direcionam a outros blogs ou sites que o autor do blog considere de interesse público.
  • 59. ARTIGO • A essência de todo blog, de maneira geral é composto de data, título, conteúdo, autor, classificação temática, palavras-chave, comentários e referências.
  • 60. APLICAÇÕES DE BLOGS EM BIBLIOTECAS • Noticias e eventos: publicar facilmente as novidades e notícias que surgem sem necessidade de esperar por um webmaster para atualizá-las na web.
  • 61. GRUPO DE DISCUSSÃO SOBRE LIVROS E LEITURAS • Resenhas e críticas de livros, enriquecidos com comentários e links
  • 62. WEB-BIBLIOGRAFIAS • recomendação de recursos, sites, películas, livros, facilitam a elaboração e atualização de bibliografias baseadas em recursos web
  • 63. SERVIÇOS DE ALERTA E DSI (Disseminação Seletiva de Informação) • Filtros de informação, seguimento de temáticas predefinidas, avisos de novas aquisições, etc.
  • 64. ATIVIDADES BIBLIOTECÁRIAS • Comunicação entre os profissionais dos diferentes processos técnicos da biblioteca: catalogação, referências, formação de usuários...
  • 65. DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL • Permite compartilhar com os colegas e potenciais empregadores, o que sabemos, o que lemos, os temas que nos interessam e em que estejamos trabalhando
  • 66. E PARA A DOCÊNCIA? • Blogs de apoio ao processo de ensino • Em um EduBlog os estudantes e professores informam e compartilham suas inquietudes educativas, apoiando-se nas possibilidades de formação e desenvolvimento que oferece as tecnologias de informação e comunicação.
  • 67. E PARA A DOCÊNCIA? • Porque empregar-los • É um formato que estimula: • A leitura, comparação, busca, curiosidade, indagação, investigação, criação
  • 68. CRIAÇÃO DE UM BLOG EM WORDPRESS • Acessar • Escrever um artigo • Modificar um artigo • Adicionar links ao blogroll • Personalizar a informação do blog • Personalizar a apresentação • Inserir imagens • Inserir um vídeo • Inserir palavras-chave
  • 69. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: WIKIS • Blogging Libraries Wiki: Vários exemplos – http://oicd-mmb.wikidot.com/wikis-e-bibliotecas • Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra – http://manualmarc21.wikidot.com/start
  • 70. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: SOCIAL BOOKMARKING • http://tags.library.upenn.edu • http://www.diigo.com
  • 71.
  • 72. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: COMPARTILHAMENTO DE ARQUIVOS • Flickr, Youtube, Slideshare, Scribd – http://www.flickr.com/photos/bibliotecascoruna • Biblioteca Médica do Hospital Universitario de Getafe (Slideshare) • La Biblioteca ESP UAM (Youtube)
  • 73. FLICKR • Flickr: compartilhamento de fotos. fácil uso, grátis (no nivel basico), facil atualizacao, encoraja compartilhamento e engajamento.
  • 74. YOUTUBE • Youtube fácil uso, grátis, facil de manter atualizado, encoraja compartilhamento e engajamento.
  • 75.
  • 76. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: SOCIAL REFERÊNCIAS VIRTUAIS • Universidade de Sevilla (Chat) • Ask a Librarian (Nebraska Library Comission) • Ask a Librarian (Hennepin County Library) • Library of Congress - Ask a Librarian http://www.loc.gov/rr/askalib/ • Ask a Librarian.org http://info.askalibrarian.org/about/ • Pergunte ao Bibliotecário - Embrapa - http://www.cpafro.embrapa.br/portal/biblioteca/pergunte_ao_bibliotecari o/ • Pergunte ao Bibliotecário Universidade de Lisboa (email, msg instantâneas) http://www.fba.ul.pt/portal/page?_pageid=401,863497&_dad=portal&_s chema=PORTAL • Pergunte ao Bibliotecário - IFUSP - http://www-sbi.if.usp.br/?q=ask
  • 77.
  • 78. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: TWITTER • FBN http://twitter.com/FBN
  • 79. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: OPAC SOCIAL • http://www.aadl.org • http://www.amazon.com
  • 80. WEB 2.0 NAS BIBLIOTECAS: EXEMPLOS • As Mariñas: http://biblioweb.blogspot.com • Muskiz: http://www.muskiz-liburutegia.org
  • 81. ARMADILHAS NO CAMINHO • Resistência à mudança por medo de perder controle • Burocracia e hierarquia • Negativa ao aprendizado • Falta de confiança nos usuários
  • 82. RAZÕES PARA TENTAR • As bibliotecas estão perdendo interesse pelo usuário? • Estamos oferencendo os serviços que nossos usuários querem? • Resistência à mudança dos serviõs que são considerados fundamentais ou tradicionais mas que hoje já não são relevantes • As bibliotecas não são mais o primeiro local de pesquisa de informação para seus usuários
  • 83. REFLEXÃO • As ferramentas tecnológicas proprias da Web 2.0 não serão nada se não houver uma mudança de atitude • Bibliotecas 2.0 só são possíveis com bibliotecários profissionais, alfabetizados e conscientes no uso das ferramentas próprias da Web 2.0 • Bibliotecários capazes de se adequarem à realidade de nossos usuários e de evoluir com as mudanças do ambiente profissional
  • 84. MANTENHA CONTATO! twitter.com/OBLIQPRESS Skype: OBLIQPRESS www.OBLIQPRESS.com * ObliqPress Tecnologia Editorial & Mídia Social plus.google.com/OBLIQPRESS facebook.com/OBLIQPRESS +55 21 9138-5023 contato@obliqpress.com