PALAVRAS CHAVES FORMAÇÃO DE PROFESSORES REFORMA DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES CURRICULARES BASE COMUM FORMAÇÃO DE  PROF...
RESUMO: O objetivo desse capítulo é apresentar subsídios para uma melhor compreensão sobre a formação de professores e ped...
ARTIGO 62 :  A NOVA LEI DETERMINOU QUE: A formação de docentes para atuar na Educação Básica far-se-á em nível superior, e...
Lei n9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases (Lei Darcy Ribeiro). Artigo 62:  introduziu os institutos superiores de Educação ...
Novas Diretrizes Curriculares  UMA BASE COMUM NACIONAL PARA A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO
Década de 1970 – Iniciou-se  o movimento de formação de educadores no Brasil que partiu das discussões sobre o curso de Pe...
<ul><li>O conceito de base comum nacional, supõe que haverá uma fundamentação comum para todos os cursos de formação de ed...
Parecer CNE – 133/01 ,  determinou que as instituições não universitárias criem Institutos superiores de Educação caso pre...
<ul><li>Nesse momento uma nova mobilização no sentido de encaminhar uma proposta superadora do modelo afirmado: </li></ul>...
O perfil do pedagogo foi definido da seguinte forma: profissional habilitado a atuar no Ensino, na organização e gestão de...
<ul><li>Uma organização curricular inovadora deve contemplar uma sólida  formação profissional acompanhada de possibilidad...
Nos cursos de licenciatura, a prática pedagógica não deve ser vista como tarefa individual de um professor, mas configurar...
BIBLIOGRAFIA FORMAÇÃO DE EDUCADORES E DESAFIOS E PERSPECTIVAS RAQUEL L.L. BARBOSA (ORG) – UNESP - 2003
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

ApresentaçãO3

1.581 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

ApresentaçãO3

  1. 1. PALAVRAS CHAVES FORMAÇÃO DE PROFESSORES REFORMA DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES CURRICULARES BASE COMUM FORMAÇÃO DE PROFESSORES E PEDAGOGOS NA PERSPECTIVA DA LDB Leda Sheibe
  2. 2. RESUMO: O objetivo desse capítulo é apresentar subsídios para uma melhor compreensão sobre a formação de professores e pedagogos na perspectiva da LDB. A implantação das novas Diretrizes Curriculares e a construção de uma Base comum Nacional para a formação dos profissionais da educação.
  3. 3. ARTIGO 62 : A NOVA LEI DETERMINOU QUE: A formação de docentes para atuar na Educação Básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e Institutos Superiores de Educação,admitido, como formação mínima para o exercício do magistério da Educação Infantil e nas quatro primeiras séries do EF, a oferecida em nível médio, na modalidade normal.
  4. 4. Lei n9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases (Lei Darcy Ribeiro). Artigo 62: introduziu os institutos superiores de Educação para responder, juntamente com as Universidades, pela formação de docentes para atuar na Educação Básica. Artigo 63: Entre os cursos instituídos foi criado o normal superior destinado a formação de docentes para educação infantil e para séries iniciais do E.F. Artigo 64: Para formação de profissionais da educação(administração, planejamento, inspeção, supervisão e Orientação Educacional. Os cursos de graduação em Pedagogia ou nível de pós graduação.
  5. 5. Novas Diretrizes Curriculares UMA BASE COMUM NACIONAL PARA A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO
  6. 6. Década de 1970 – Iniciou-se o movimento de formação de educadores no Brasil que partiu das discussões sobre o curso de Pedagogia, e ampliou-se para a discussão mais geral sobre a formação de todos os professores. Associação nacional pela formação dos profissionais da Educação - 1990 (ANFOPE) – É UMA ENTIDADE que vem liderando desde então a construção coletiva de uma Base Comum Nacional para a formação destes profissionais.
  7. 7. <ul><li>O conceito de base comum nacional, supõe que haverá uma fundamentação comum para todos os cursos de formação de educadores,considerando a docência como trabalho pedagógico o maior fator de identidade profissional de todo educador. </li></ul><ul><li>X Encontro Nacional da ANFOPE 2000 colocou para formação dos profissionais da educação os seguintes princípios : </li></ul><ul><li>Sólida formação teórica interdisciplinar, </li></ul><ul><li>Unidade entre teoria e prática, </li></ul><ul><li>Gestão democrática na escola, </li></ul><ul><li>Compromisso social do profissional, </li></ul><ul><li>Trabalho coletivo interdisciplinar, </li></ul><ul><li>Integração da concepção de Educação Continuada . </li></ul>
  8. 8. Parecer CNE – 133/01 , determinou que as instituições não universitárias criem Institutos superiores de Educação caso pretendam formar professores em nível superior para educação infantil e séries iniciais do EF
  9. 9. <ul><li>Nesse momento uma nova mobilização no sentido de encaminhar uma proposta superadora do modelo afirmado: </li></ul><ul><li>Noção de competências como concepção nuclear para orientar a formação. </li></ul>A proposta de diretrizes apresentada pela CEEP- defende para o curso de Pedagogia, responsável pela formação acadêmico cientifica do campo educacional na graduação, uma graduação plena na área, que não se realiza concretamente sem que seja considerada sua dimensão intrínseca, que é a DOCÊNCIA. A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO envolve três dimensões: Bacharelado acadêmico, Bacharelado profissionalizante e Licenciatura
  10. 10. O perfil do pedagogo foi definido da seguinte forma: profissional habilitado a atuar no Ensino, na organização e gestão de sistemas , unidades e projetos educacionais e na produção e difusão do conhecimento, em diversas áreas da educação, tendo a docência como base obrigatória de sua formação e identidades profissionais(ANFOPE).
  11. 11. <ul><li>Uma organização curricular inovadora deve contemplar uma sólida formação profissional acompanhada de possibilidades de aprofundamentos e opções realizadas pelos alunos e propiciar também tempo para as pesquisas, leituras e participação em eventos, em outras atividades, além da elaboração de um trabalho final de curso que sintetize suas experiências. </li></ul><ul><li>Para atingir este objetivo exigência de: </li></ul><ul><li>200 dias anuais com 4 horas de atividades diárias </li></ul><ul><li>com o mínimo de 3200 horas. </li></ul>
  12. 12. Nos cursos de licenciatura, a prática pedagógica não deve ser vista como tarefa individual de um professor, mas configurar-se como trabalho coletivo dos professores, fruto do seu projeto pedagógico.
  13. 13. BIBLIOGRAFIA FORMAÇÃO DE EDUCADORES E DESAFIOS E PERSPECTIVAS RAQUEL L.L. BARBOSA (ORG) – UNESP - 2003

×