Teatro clássico

1.059 visualizações

Publicada em

Teatro Classico

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.059
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teatro clássico

  1. 1. Classicismosevocêpreferir
  2. 2. O teatro clássico tem origem na frança, que fazia críticas a Shakespeare, por ignorar a Poética de Aristóteles. As unidades de tempo e espaço eram fundamentais na concepção dos franceses e o poeta inglês parecia desprezar esses elementos da tese aristotélica. os pensadores da Academia Francesa buscaram seguir de às concepções aristotélicas. Embora o teatro clássico não possuir o grande vigor trágico que os atenienses possuíam, o teatro francês não deixou de brilhar, os autores Corneille, Racine e outros, obtiveram salvo-conduto dos críticos.
  3. 3. Aristóteles, ele estabelecerá as características e os fins da tragédia. Uma das suas leis sobre ela estender- se-á, por séculos, a todo o teatro: a regra das três unidades, que eram:  Ação  Tempo  Lugar (Espaço)
  4. 4. Teatros ingleses Na Inglaterra o povo mais humilde lotava os teatros Na França, os teatros recebiam a nobreza francesa, com as roupas chiques, entradas triunfais e perucas enormes que demonstravam o momento absolutista. Teatros franceses
  5. 5. O interior do Comédie-françaice em Paris, frança, onde se pode ver o palco, os camarotes galerias e fosso da orquestra a partir de uma aquarela do sec. XVIII. Teatro Frances
  6. 6. Foi o artista mais aclamado por Luiz XIV, o que valeu a Molière o prestígio da corte de Versalhes, mesmo sendo um artista da classe média. Molière era um crítico que colocou em xeque alguns conceitos fortemente edificados da época, como em O Misantropo, onde faz fortes críticas à sociedade e Em O Tartufo, Molière mexe com os brios dos clérigos, causando certo descontentamento por parte da igreja. Outras peças em que o dramaturgo condena sua sociedade são Don Juan e O Burguês Fidalgo.
  7. 7. Nessa época com o aumento da burguesia, foi inevitável o aumento de peças teatrais voltadas para esse tipo de publico. Assim, os temas das histórias apresentados nos palcos de Inglaterra, França, Itália e Alemanha eram todos constituídos ao redor do protagonista (o herói) que normalmente expunha a visão do homem perfeito: rico, valente, com um bom negócio, uma espada e uma boa mulher (ou seja: burguês!).
  8. 8. Nessa época é que surgiu nos contextos teatrais o famoso herói que não perde uma única batalha, que sempre busca uma saída inteligente e bem articulada para se desvencilhar dos perigos eminentes, sempre se saindo muito bem. Porém a linguagem utilizada nos espetáculos dessa época era extremamente hermética e intelectualizada.
  9. 9. As diferenças sociais na França eram notáveis. A distribuição de renda na França nessa época era bem desigual, de modo que 3% da população obtinha 55% das terras, enquanto o resto do povo, os Sans-cullotes (formados por trabalhadores) tinha apenas 45% das terras do estado.
  10. 10. Essa realidade culminou na Revolução Francesa (1789 – 1816), que levou o partido Jacobino, liderado pelo genial Robespierre ao poder da França. Essa revolução durou pouco mais de 15 anos ate a era Napoleônica e o começo do Naturalismo na França, que substituiu o classicismo e pernóstico heroísmo burguês por uma forma menos elitista, mais conceptual e mais satisfatória de se fazer arte.

×