Teatro medieval

8.309 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
155
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teatro medieval

  1. 1. Teatro Medieval
  2. 2. <ul><li>É marcante do século X ao início do século XV e tem grande influência no século XVI. A princípio são encenados dramas litúrgicos em latim, escritos e representados por membros do clero . </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Os fiéis participam como figurantes e, mais tarde, como atores e misturam ao latim a língua falada no país. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>As peças, sobre o ciclo da Páscoa ou da Paixão, são longas, podendo durar vários dias. </li></ul>
  5. 5. Teatro Religioso <ul><li>Durante a Idade Média, entre os séculos V ao XV, a Igreja Católica detém grande poder político e econômico e exerce um forte controle sobre a produção científica e cultural. Essa ligação da cultura medieval com o catolicismo faz com que os temas religiosos predominem nas artes . Em todas as áreas, muitas obras são anônimas ou coletivas </li></ul>
  6. 6. jeux (jogos) <ul><li>Os enredos são tirados da história bíblica . Na França, os jeux (jogos) contam histórias bíblicas. As ocasiões de representação são as festas do ano litúrgico . </li></ul><ul><li>No século XII, Jean Bodel é o autor do ''Jogo de Adam'' e do ''Jogo de Saint Nicolas''. </li></ul>
  7. 7. Mistérios Os mistérios tinham como temática a vida de Cristo. No melhor estilo da representações de Semana Santa .
  8. 8. Milagres <ul><ul><ul><ul><ul><li>Os milagres representam a vida dos pecadores salvos pela Graça Divina </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>A partir dos dramas religiosos, formam-se grupos semi-profissionais e leigos, que se apresentam na rua. Os temas ainda são religiosos, mas o texto tem tom popular e inclui situações tiradas do cotidiano. </li></ul>
  10. 10. Teatro medieval profano <ul><li>Os Sermões burlescos </li></ul><ul><li>Eram monólogos breves recitados por atores ou jograis mascarados com vestes sacerdotais. </li></ul><ul><li>   </li></ul>
  11. 11. <ul><li>As Sotties </li></ul><ul><li>(de “sot” – parvo ou bobo) </li></ul><ul><li>   Eram cenas representadas por “parvos”, truões ou bobos, simbólicos de tipos ou instituições sociais. Eram breves , de sátira construtiva, geralmente de índole política . Às vezes os tipos tinham autenticidade e eram até psicologicamente bem observados. </li></ul>
  12. 12. As Farsas <ul><li>  </li></ul><ul><li>   Eram também sátiras mas, sobretudo a partir do séc. XV, diferentes das sotties, porque não tinham intentos políticos . </li></ul><ul><li>Só pretendiam representar os defeitos, as fraquezas, os acontecimentos cômicos da vida das pessoas e rir-se deles despreocupadamente, de um modo grosseiro até. </li></ul><ul><li>Histórias de clérigos e feiras eram muitas vezes aproveitadas para pequenas farsas. </li></ul><ul><li>   </li></ul>
  13. 13. As Farsas <ul><li>Utilizavam o exagero para suscitar o riso e caracterizavam-se por um livre jogo de idéias satíricas , por elementos burlescos e intensidade de ação. Eram espetáculos cem por cento populares </li></ul>
  14. 14. <ul><li>A farsa , como a de Mestre Pathelin , que satiriza o cotidiano. Seus personagens estereotipados e a forma como são ironizados os acontecimentos do dia-a-dia reaparecem no vaudeville, que no século XVII será apresentado nos teatros de feira. </li></ul>
  15. 15. Arremedilhos <ul><li>Pensa-se que eram farsas em miniatura, com música e com um texto cuja recitação era feita por um par de atores . Mas também podem ter sido simples “imitações burlescas” feitas por jograis remedadores, isto é, por bobos cuja especialidade era ridicularizar macaqueando o aspecto das pessoas.    </li></ul>
  16. 16. Os Momos e Entremezes <ul><li>   Os momos enquadram-se nas mascaradas medievais que, por toda a Europa se desenvolveram ligadas a Momos , personificação mitológica do escárnio e da reprovação. Por vezes os atores mascaravam-se de animais. </li></ul>
  17. 17. Espaço cênico medieval <ul><li>O interior das igrejas é usado inicialmente como teatro. Quando as peças tornam-se mais elaboradas e exigem mais espaço, passam para a praça em frente à igreja . Palcos largos dão credibilidade aos cenários extremamente simples. Uma porta simboliza a cidade; uma pequena elevação, uma montanha; uma boca de dragão, à esquerda, indica o inferno; e uma elevação, à direita, o paraíso. Surgem grupos populares que improvisam o palco em carroças e se deslocam de uma praça a outra. </li></ul>
  18. 18. Paraíso Nazaré Igreja Jerusalém Pólis Bispado Purgatório Inferno BARCA DE CARONTE DRAMATIZAÇÃO DA VIDA DE CRISTO TEATRO MEDIEVAL
  19. 19. <ul><li>A proibição dos mistérios pela Igreja, em 1548 já na idade moderna, tenta pôr fim à mistura abusiva do litúrgico e do profano. Essa medida consolida o teatro popular . </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Os grupos se profissionalizam e dois gêneros se fixam: as comédias bufas, chamadas de soties (tolices), com intenções políticas ou sociais; </li></ul>
  21. 21. <ul><li>O teatro medieval é, como o antigo, apenas a religião é outra. Os enredos são tirados da história bíblica. </li></ul><ul><li>As ocasiões de representação são as festas do ano litúrgico. . Toda a população participa dele. Mas no palco também já se encontram os elementos cenográficos que, mais tarde, constituirão o &quot;teatro de ilusão&quot; moderno. O valor literário das peças é muito desigual: entre cenas de lirismo religioso e humorismo popular (cenas do diabo e dos judeus) encontram-se longos trechos didáticos e declamatórios. </li></ul>

×