Alcoolismo

11.321 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
69
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
187
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alcoolismo

  1. 1. Aspectos históricos A história da humanidade está permeada pelo consumo de álcool. Registos arqueológicos revelam que os primeiros indícios sobre o consumo de álcool pelo ser humano data de aproximadamente 6000 a.C., sendo portanto, um costume extremamente antigo, que tem persistido por milhares de anos. A noção de álcool como uma substância divina, por exemplo, pode ser encontrada em inúmeros exemplos na mitologia, sendo talvez um dos factores responsáveis pela manutenção do hábito de beber ao longo do tempo. Inicialmente, as bebidas tinham conteúdo alcoólico relativamente baixo, como por exemplo o vinho e a cerveja, já que dependiam exclusivamente do processo de fermentação. Álcool
  2. 2. Efeitos secundarios do álcool As bebidas alcoólicas , particularmente o vinho, são das mais antigas e consumidas em todo o mundo, sendo Portugal um dos países em que o seu consumo, por habitante, é mais elevado. A sua ingestão não moderada, para além das graves consequências que acarreta para a saúde, está na base de inúmeros problemas financeiros, familiares e sociais e o seu consumo, mesmo que não excessivo, é causa, directa ou indirecta, de inúmeros acidentes de viação de que resultam milhares de vítimas. Devido ao efeito que provocam em grande parte dos consumidores, as bebidas alcoólicas são muitas vezes tidas como estimulantes que activam os processos físicos e mentais. Mas a realidade é bem diferente: o álcool é, de facto, um depressor que prejudica as capacidades psicofisiologias mesmo se ingerido em pequenas doses.
  3. 3. Trabalhar sob o efeito de álcool O consumo excessivo de bebidas alcoólicas, além de prejudicar a saúde, pode ser responsável por acidentes no trabalho, alterações psicológicas e perturbações na relação com os outros trabalhadores. Trabalhar com álcool no sangue pode levar a falta de concentração, quedas, comportamentos violentos e conflitos laborais. Cerca de ¼ dos acidentes de trabalho são resultantes do consumo excessivo de álcool. Mas mesmo quando o consumo excessivo não leva a situações tão extremas, beber durante o dia no local de trabalho - ou fora - e depois ir trabalhar sob a dependência de álcool, acarreta muitas consequências negativas e pode, inclusive, em casos mais sérios, levar ao despedimento do trabalhador. Para além dos efeitos nocivos sobre a saúde, o álcool cria um mau ambiente, em casa e no trabalho. É um problema social, no sentido em que afecta todas as pessoas que estão à volta de quem bebe.
  4. 4. Conduzir sob o efeito do álcool <ul><li>Ver a dobrar não significa ver duas vezes melhor. O álcool altera todos os sentidos. A visão torna-se lenta e desfocada, o campo visual diminui e a visão nocturna é reduzida. Ficam incapazes de avaliar correctamente as distâncias e as velocidades. Factores mais do que suficientes para provocarem um acidente na estrada. E um é quanto baste. </li></ul>A ingestão de álcool, mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos, comprometendo a capacidade de conduzir veículos, ou operar outras máquinas.
  5. 5. A pessoa que consome bebidas alcoólicas de forma excessiva, ao longo do tempo, pode desenvolver dependência do álcool, condição esta conhecida como &quot;alcoolismo&quot;. Os factores que podem levar ao alcoolismo são variados, podendo ser de origem biológica, psicológica, socio-cultural ou ainda ter a contribuição resultante de todos estes factores. A transição do beber moderado ao beber problemático ocorre de forma lenta e, em geral, leva vários anos. Alguns dos sinais do beber problemático são: desenvolvimento da tolerância, ou seja, a necessidade de beber cada vez maiores quantidades de álcool para obter os mesmos efeitos; o aumento da importância do álcool na vida da pessoa; a percepção do &quot;grande desejo&quot; de beber e da falta de controle em relação a quando parar; síndrome de abstinência (aparecimento de sintomas desagradáveis após ter ficado algumas horas sem beber) e o aumento da ingestão de álcool para aliviar a síndrome de abstinência.
  6. 6. Os indivíduos dependentes do álcool podem desenvolver várias doenças. As mais frequentes são as doenças do fígado (esteatose hepática, hepatite alcoólica e cirrose). Também são frequentes problemas do aparelho digestivo (gastrite, síndrome de má absorção e pancreatite), no sistema cardiovascular (hipertensão e problemas no coração). Também são frequentes os casos de polineurite alcoólica, caracterizada por dor, formigamento e cãibras nos membros inferiores. Efeitos do alcoól
  7. 7. Doenças provocadas pelo alcoól 1- Doenças mentais 2- Doenças dos nervos 3- Úlceras 4- Lesão das células do fígado 5- Aumenta a tenção arterial 6- É tóxico para o nervo cardíaco 7- Aumenta o volume urinário 8- Diminui a excreção de ácido úrico
  8. 8. Bibliografia consultada: <ul><li>- Internet </li></ul><ul><li>- PERALTA, Catarina; CALHAU, Maria; SOUSA, Maria. (2005) “ Magia da Vida – Ciência da Natureza – 6º Ano de Escolaridade. Porto Editora. </li></ul>
  9. 9. Trabalho realizado por: Diogo nº 2 - 5ºG Henrique nº 19 - 5ºG Jessica nº 7 - 5ºG Leonardo nº 10 - 5ºG Sofia nº 22 - 5ºG www.turmagatosnegros.blogspot.com

×