Produtividade de Tomateiro de Hábito de Crescimento DeterminadoCultivado Sob Adubação Orgânica em Ambiente Protegido.Márki...
KEYWORDS: Lycopersicon esculentum Mill., vermicompost, protected ambient.A maioria das hortaliças necessita de quantidades...
Foram testados diferentes tratamentos à base de adubação orgânica e mineral. Como fonteorgânica de nutrientes foi utilizad...
TABELA 1 - Produtividade (P), peso médio de frutos (PMF) e número de frutos por planta               (NFP), para a cultura...
CONCLUSÃOA utilização de adubação orgânica, a base de vermicomposto bovino sólido, em        duasdoses, proporciona a prod...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

3

388 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

3

  1. 1. Produtividade de Tomateiro de Hábito de Crescimento DeterminadoCultivado Sob Adubação Orgânica em Ambiente Protegido.Márkilla Zunete Beckmann1; Georgea Rita Burck Duarte1; Viviane Aires de Paula1;Mariane Ruzza Schuck1; Marta Elena Gonzalez Mendez1,2.1 UFPEL – FAEM – Depto. Fitotecnia, caixa postal 354, CEP 96010-900, Pelotas, RS – zunete@yahoo.com.br;2 Profa. Orientadora.RESUMOA utilização da adubação orgânica apresenta-se como alternativa promissora capaz dereduzir as quantidades de fertilizantes minerais a serem aplicados. O presente trabalhoobjetivou avaliar o comportamento do tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.) sobadubação orgânica em ambiente protegido. O experimento foi conduzido de janeiro a junhode 2003, na área experimental do Departamento de Fitotecnia da Faculdade de AgronomiaEliseu Maciel da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Capão do Leão/RS, em estufaplástica. Foi adotado o delineamento experimental em blocos ao acaso, constando de cincotratamentos a base de adubação orgânica e mineral (testemunha; adubação mineral;vermicomposto bovino sólido nas respectivas dosagens: ½, 1 e 2 doses) e três repetições. Amaior produtividade média foi atingida pelo tratamento AM, mas não diferiu estatisticamentedo tratamento adubado com 2-VBS. O maior peso médio dos frutos foi alcançado pelotratamento com 2-VBS.PALAVRAS-CHAVE: Lycopersicon esculentum Mill., vermicomposto, ambiente protegido.ABSTRACTOrganic fertilization in tomatoes production.The use of the organic fertilizer is a promising alternative capable to reduce the amounts ofchemical fertilizers. The present work had for objective to evaluate the behavior of tomatoes(Lycopersicon esculentum Mill.) under organic fertilizer in protected ambient. The experimentwas carried out from January to June, 2003, at DFt / FAEM, at Universidade Federal dePelotas (Capão do Leão-RS) inside the polyethylene greenhouse. The experiment was setup in a randomized block with five treatments (fertilizer absence, mineral fertilizer, half dose,one dose and two doses solid bovine manure vermicompost) design with three replications.The highest average productivity was reached through treatment AM, but not differs from thetreatment with 2-VBS. The largest average weight of the fruits was reached by the treatment2-VBS. The results showed that organic fertilizer can be used as manuring source.
  2. 2. KEYWORDS: Lycopersicon esculentum Mill., vermicompost, protected ambient.A maioria das hortaliças necessita de quantidades relativamente grandes de nutrientes numperíodo de tempo quase sempre muito curto, sendo por isso consideradas plantas exigentesem nutrientes. O tomateiro (Lycopersicon esculentum Mill.) é uma das hortaliças maisexigentes em nutrientes (Alverenga, 2000) e uma das mais intensamente adubadas em todoo mundo (Silva Jr. & Vizzoto, 1989).De acordo com Tagliari & Grassmann (1995) o uso repetido de fertilizantes minerais nossolos, aliados a doses contínuas de inseticidas, fungicidas e herbicidas, e mais o manejoinadequado da camada arável do solo tem causado grande desgaste e a quaseesterilização, acabando com a vida microbiana do solo. A situação descrita veio a seagravar com advento dos cultivos em ambiente protegido, pois a maior parte destes cultivosé realizada no solo.O aparecimento dessas dificuldades levou à busca de novas alternativas para o cultivo deespécies que exigem tratos culturais intensivos como o tomateiro. Entre essas alternativas,destaca-se o cultivo de plantas com adubação orgânica, uma vez que possuem oselementos essenciais à cultura e garantem o bom equilíbrio do solo.O vermicomposto, produzido pelas minhocas a partir da decomposição aeróbica de diversosmateriais, tem sido utilizado como fonte de adubação. Em termos químicos, overmicomposto auxilia na disponibilidade de nitrogênio, cálcio, potássio, magnésio e fósforo.Em relação a fatores físicos aumenta a aeração, drenagem, retenção de água e nutrientes,e biologicamente, propicia a ativação microbiológica e o aumento da bioestrutura do solo(Knäpper, 1990).Face ao exposto, o presente trabalho teve como objetivo estudar o efeito da aplicação devermicomposto como fonte de adubação orgânica na cultura do tomateiro, na tentativa dereduzir as quantidades de fertilizantes minerais aplicados.MATERIAL E MÉTODOSO presente trabalho foi conduzido no período de janeiro a junho de 2003, na áreaexperimental do Departamento de Fitotecnia (DFt) da Faculdade de Agronomia EliseuMaciel (FAEM), no Campus da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), localizado nomunicípio de Capão do Leão, Rio Grande do Sul (RS), (atitude de 31º5232" Sul, longitude52º2124" Oeste e altitude de 13 metros).O experimento foi realizado em estufa plástica com cobertura tipo teto em arco, disposta nosentido Leste-Oeste, com uma área de 180 m2 e conduzido em solo, classificado comoPlanossolo Hidromórfico Eutrófico Solódico.
  3. 3. Foram testados diferentes tratamentos à base de adubação orgânica e mineral. Como fonteorgânica de nutrientes foi utilizado vermicomposto bovino sólido (VBS), obtido porvermicompostagem, utilizando-se a minhoca vermelha-da-califórnia (Eisenia foetida). Aadubação mineral constou de uréia, superfosfato triplo e cloreto de potássio. Com base nasanálises do solo e do vermicomposto, foram determinadas as quantidades necessárias paracorreção de nutrientes, de acordo com as recomendações da Rede Oficial de Laboratóriosde Análise de Solos (ROLAS) para o Estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina(Comissão..., 1994).O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, constando de cinco tratamentos (TM- testemunha; AM - adubação mineral completa, com nitrogênio, fósforo e potássio; ½ VBS- adubação com meia dose de vermicomposto bovino sólido; 1-VBS - adubação com umadose de vermicomposto bovino sólido; e, 2-VBS - adubação com duas dose devermicomposto bovino sólido) e três repetições..A cultivar de tomateiro escolhida para o trabalho foi a cultivar Flora-dade, americana, dehábito de crescimento determinado e frutos tipo salada. A semeadura foi realizada no dia 24de janeiro de 2003 e as mudas foram produzidas em sistema “float”.O transplante das mudas foi realizado no dia 28 de fevereiro de 2003. O espaçamentoadotado foi de 0,40 m entre plantas e 0,70 m entre filas, dispostas em duas linhas dentro decada canteiro, numa densidade de 3,6 plantas m-2. As mudas transplantadas foramdistribuídas em canteiros de 4,5 m2 e cada parcela foi composta por 20 plantas. Por ocasiãodo transplante, os canteiros foram cobertos com filme plástico preto de 50m (mulching). Osistema de irrigação empregado foi do tipo localizado (gotejamento). As plantas foramtutoradas e conduzidas em haste única.A colheita foi realizada no período de um mês, sendo a primeira colheita realizada no dia14/05/2003 (76 dias após o transplante - DAT) estendendo-se até o dia 12/06/2003 (105DAT).Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, e as médias foram comparadaspelo teste de Duncan ao nível de 5% de probabilidade, utilizando-se o programa de análiseestatística Sanest (Zonta et al., 1984).RESULTADOS E DISCUSSÃOA análise de variância mostrou diferença significativa entre os tratamentos para as variáveisprodução, peso médio de frutos por planta e número de frutos por planta. Na Tabela 1 sãoapresentados os resultados dos componentes de rendimento avaliados no período doexperimento.
  4. 4. TABELA 1 - Produtividade (P), peso médio de frutos (PMF) e número de frutos por planta (NFP), para a cultura do tomateiro, no período de 28/02/03 a 12/06/03, em Pelotas, RS.Tratamentos P (Kg m-2) P (t ha-1) PMF (g) NFP TM 7,40 c 74,0 123,33 b 14 b AM 11,17 a 111,17 160,22 a 15 a ½ VBS 7,46 c 74,46 118,45 b 14 ab 1-VBS 8,20 b 82,20 133,10 b 14 b 2-VBS 10,96 a 109,60 162,27 a 15 ab F 76,35* 76,35* 8,44* 3,12* CV (%) 4,12 4,12 8,79 6,24Médias seguidas por letras distintas, na mesma coluna, diferem entre si pelo teste de Duncan ao nível de 5% deprobabilidade (*).Legenda: TM: testemunha; AM: adubação mineral; ½ VBS: meia dose vermicomposto bovino sólido; 1-VBS:uma dose vermicomposto bovino sólido; 2-VBS: meia dose vermicomposto bovino sólido;A produtividade apresentou variação entre 7,4 e 11,17 Kg m-2 para os tratamentos TM e AM,respectivamente. O tratamento AM apresentou a maior média, porém não diferiuestatisticamente do tratamento 2-VBS. Segundo Grãs, apud Ribeiro et al. (2000), autilização de vermicomposto bovino proporciona melhorias nas características físicas equímicas do solo, eleva sua CTC e proporciona uma maior disponibilidade de nutrientespara as plantas, o que, provavelmente, tenha ocorrido no presente trabalho.Cabe ressaltar que a produção obtida pelo tratamento 1-VBS, adubado com a doserecomendada, foi de 82,2 t ha-1. O tratamento 2-VBS com o dobro da recomendação diferiuestatisticamente do tratamento 1-VBS, mas este apresentou uma produção dentro da faixaencontrada por diferentes autores que também utilizaram adubação orgânica.O peso médio dos frutos também foi influenciado pelos tratamentos. O tratamento 2-VBSproporcionou a maior média, mas não diferiu estatisticamente do tratamento AM. Ambos ostratamentos foram significativamente superiores aos demais. O fato dos frutos do tratamento2-VBS atingirem um maior peso médio em relação aos frutos do tratamento AM pode seratribuído a maior disponibilidade dos nutrientes.Resultados semelhantes foram obtidos por Carvalho et al. (2000), ao trabalharem comcultivares de tomateiro de hábito semi-determinado e determinado, com peso médio dosfrutos entre 53,27 e 181,88 g. Mello & Godofredo (2002), em experimento com resíduosorgânicos, obtiveram um peso médio dos frutos de tomateiro entre 108,70 e 121,67 g.Quanto ao número de frutos por planta, o tratamento AM foi o que obteve o maior númerode frutos, mas não diferiu estatisticamente dos tratamentos 2-VBS e 1-VBS.
  5. 5. CONCLUSÃOA utilização de adubação orgânica, a base de vermicomposto bovino sólido, em duasdoses, proporciona a produção de frutos de tomateiro em níveis de produtividadeequivalentes aos obtidos com a utilização de adubo mineral.LITERATURA CITADAALVARENGA, M.A.R. Cultura do tomateiro. Lavras: UFLA, 2000. 91p.CARVALHO, A.M.; CARRIJO, O.A.; MOITA, A.W. Desempenho de cultivares de tomate deporte determinado e semi-determinado em meia estaca e fertirrigação. HorticulturaBrasileira, v.18, p. 706-707, 2000, Suplemento Julho.COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO, RS/SC. Recomendações de adubação ecalagem para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 3.ed. Passo Fundo:SBCS-Núcleo Regional Sul, 1994. 223p.KNAPPER, C.F.U. Vermicompostagem: uma nova proposta de discussão. EstudosLeopoldenses, v.26, p.35-50, 1990.MELLO, S.C.; GODOFREDO C.V. Desenvolvimento do tomateiro e modificações naspropriedades químicas do solo em função da aplicação de resíduos orgânicos, sob cultivoprotegido. Horticultura Brasileira, Brasília, v.20, n.2, p.200-206, julho 2002.RIBEIRO, L.G.; LOPES, J.C.; MARTINS FILHO, S.; RAMALHO, S.S. Adubação orgânica naprodução de pimentão. Horticultura Brasileira, Brasília, v.18, n.2, p.134-137, suplementojulho 2000.SILVA JÚNIOR, A.A.; VIZZOTO, V.J. Adubação do tomateiro e seu efeito residual.Agropecuária Catarinense, v.2, n.4, p.37-39, dez. 1989.TAGLIARI, P.S.; GRASSMANN, H. Minhoca: a grande aliada da agricultura. AgropecuáriaCatarinense, v.8, n.1, p.11-14, 1995.ZONTA, E.P.; MACHADO, A.D.; SILVEIRA Jr., P. Sanest: Sistema de análise estatísticapara microcomputadores. Registrado na secretaria especial de Informática sob número08006414104 - categoria A. Pelotas-RS, Universidade Federal de Pelotas, 1984.

×